FIBRA DE VIDROÉ o material compósito produzido basicamente a partir da aglomeração de finíssimosfilamentos flexíveis de vi...
e ao alumínio. É sempre bom lembrar que produtos auxiliares são necessários amoldagem do fiberglass.Propriedades da Fibra ...
 Mantenha-os em lugar fresco, ventilado e longe dos raios solares;    Mantenha-os afastados de crianças e pessoas inexpe...
Evite contato com a fibra, porque a penetração de agulhas microscópicas de vidropodem provocar irritação da pele, coceira,...
RESINAÉ um composto orgânico derivado do petróleo, que passa de seu estado líquido parao estado sólido, através de um proc...
Recortando a fibra para ter o       Depois de recortar os pedaços tamanho certo da superfície           de fibra prepare a...
OBSERVAÇÕES As resinas podem receber corantes e pigmentos além de outros tipos demisturas. Em breve será publicado um tut...
DCPD Semelhante às Ortoftálica, com substituição total ou parcial do ácidosaturado. Apresenta boa resistência térmica e à...
geometria do compósito durante o processo. A resistência do compósito depende,primeiramente, da quantidade, da disposição ...
Empresas que desenvolvem o trabalho da Fibra de Vidro    Celso Moglia – Rio de Janeiro – RJ    Fertemp – São Paulo – SP ...
armamento, domos para radar e sonar, blindagens, suporte militar de terra, peçaspara espaçonaves, lançadores de foguetes.C...
VOCABULÁRIO:Acelerador: Material utilizado para acelerar a “cura” de resinas.Catalisador: Material utilizado para ativar a...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fibra de vidro cris1

6.792 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.792
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
157
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fibra de vidro cris1

  1. 1. FIBRA DE VIDROÉ o material compósito produzido basicamente a partir da aglomeração de finíssimosfilamentos flexíveis de vidro com resina poliéster (ou outro tipo de resina) e posterioraplicação de uma substância catalisadora de polimerização. O material resultante égeralmente altamente resistente, possui excelentes propriedades mecânicas e baixadensidade.Permite a produção de peças com grande variedade de formatos e tamanhos, taiscomo placas para montagem de circuitos eletrônicos, cascos e hélices de barcos,fuselagens de aviões, caixas dágua, piscinas, pranchas de surf, recipientes dearmazenamento, peças para inúmeros fins industriais em inúmeros ramos deatividade, carroçarias de automóveis, na construção civil e em milhares de outrasaplicações.A fibra de vidro faz o papel da armadura de ferro no concreto armado: torna aspeças resistentes a choques, tração e flexão. É fornecida em mantas prensadas,tecidos trançados, fitas ou cordéis (rooving) que são lançados ou desfiados sobre omolde e impregnados de resina. A manta prensada é mais barata, mas solta "fiapos"durante a montagem, enquanto que o tecido, um pouco mais caro, permite umtrabalho mais limpo, peças mais resistentes e com melhor aparência final.É um material que pode ser usado para substituir o papel machê no processo deconfecção das peças do cosplay. Possui uma grande resistência e agiliza o processode produção. Algumas pessoas chamam o fiberglass (a pronuncia é faiberglés) deplástico reforçado com fibras de vidro; outras de fibra de vidro e algumas outrassimplesmente de “fibra”. Na verdade, de maneira geral, todas as variações sereferem à mesma coisa. Tanto você pode dizer que uma peça é feita de “fibra”quanto dizer que é feita de fiberglass. Todo mundo vai entender. O que importa éque este material é constituído de dois materiais básicos: resina, que normalmente éa poliéster e fibra de vidro. A grosso modo, podemos dizer que a resina serve paradar forma e resistência química, enquanto que as fibras de vidro reforçam e provêmestabilidade dimensional ao laminado. Combinados, estes dois materiais produzemum terceiro, o fiberglass, com propriedades altamente superiores a madeira, ao aço 1
  2. 2. e ao alumínio. É sempre bom lembrar que produtos auxiliares são necessários amoldagem do fiberglass.Propriedades da Fibra de Vidro e ManuseioA Fibra de Vidro é trabalhada de forma artesanal, tem maior liberdade de forma, nãoenferruja e não oxida. Sendo que uma das suas principais características é a leveza.A fibra de vidro tem ainda muitas características importantes como, por exemplo,isolante elétrico, isolante térmico, resistência ao fogo, alta resistência mecânica e àoxidação, resistência à umidade, baixo custo e peso mínimo. Para se produzir umapeça, utiliza-se um molde.O negativo do objeto desejado é normalmente fabricado de madeira, alumínio,borracha de silicone ou ainda de fibra de vidro. Para peças grandes, como umacapota, o molde em fibra de vidro é mais indicado.Para lembrar o "Fiberglass" caracteriza-se pelas seguintes propriedades:  Altas propriedades mecânicas, como, tração, flexão e impacto;  Leveza. Quase a metade do peso do Alumínio e 5,5 vezes menos o do aço;  Não condutor de corrente elétrica;  Flexibilidade de projeto, inclusive para modificações posteriores;  Estabilidade dimensional;  Baixo coeficiente de dilatação térmica;  Baixa absorção de água;  Resistência à corrosão e oxidação;  Nenhuma restrição ao tamanho e formato da peça;  Boa relação custo-benefício;  Ótimo acabamento superficial (Gelcoat);  100% Recuperável.Cuidados com Manuseio:  Mantenha-os afastados do calor e do fogo; 2
  3. 3.  Mantenha-os em lugar fresco, ventilado e longe dos raios solares;  Mantenha-os afastados de crianças e pessoas inexperientes;  Mantenha-os afastados de alimentos e remédios;  Evite seu contato com os olhos, pele e vias respiratórias;  Assegure-se de não jogá-los na rede de esgotos, pois além de proibido podem contaminar os rios e o solo;  Não reutilize sua embalagem.Advertência:Alguns produtos utilizados na fabricação do plástico reforçado com fibras de vidropodem ser agressivos, corrosivos ou inflamáveis e, se utilizados de maneirainadequada, podem causar danos pessoais e materiais.Alguns cuidados devem ser tomados, como por exemplo, mantê-los afastados docalor, fogo, crianças e alimentos e abrigá-los em ambientes ventilados e longe da luzsolar. Por isto, advertimos que tais produtos devem ser utilizados de acordo com asrecomendações das melhores práticas de manuseio e segurança.Segurança e Ferramentas Básicas e NecessáriasÉ importante que você tenha alguns aparelhos de segurança: luvas de borracha,máscaras de papel e máscaras com respiradores com filtro para produtos químicos;Pincéis, preferencialmente trinchas de 2 a 4 polegadas de largura, preferencialmente3 polegadas. Escolha um tipo de trincha que seja resistente à solventes ou nomonômero de estireno para que ele resista durante a laminação; Rolos de lã decarneiro para impregnar a fibra de vidro; Roletes tira-bolhas. Há diversos modelos etamanhos (5/8, 3/4, 1 e 1 1/2 polegadas). São utilizados para a compactação daresina no laminado e remover bolhas de ar.Facas, lixas, espátulas, vasilha de preparo da resina, são também utilizados, eferramentas elétricas são úteis em alguns casos, especialmente quando se trata deconstrução de uma peça de maior tamanho. São então: lixadeira, furadeira,compressor, revólver de pintura. 3
  4. 4. Evite contato com a fibra, porque a penetração de agulhas microscópicas de vidropodem provocar irritação da pele, coceira, principalmente entre os dedos. Trabalharnum lugar ventilado, sem vento, sem crianças ou animais domésticos.Tipos de fibra de vidroPode-se encontrar a fibra de vidro em três tipos diferentes: Rolo de fibra de vidro que precisa ser picado antes do uso. É utilizado em uma maquina para grandes produções. É possível encontrar ele à venda já picada. Roving Constituída de roving picado e agrupado formando uma manta que facilita a aplicação. Manta Fios de fibra de vidro entrelaçados que formam um tecido que dá muito mais resistência à peça. TecidoObserva-se que: O tecido de fibra é o mais resistente, mas para a confecção de umcosplay a manta é o suficiente e o mais recomendado por causa do custo. 4
  5. 5. RESINAÉ um composto orgânico derivado do petróleo, que passa de seu estado líquido parao estado sólido, através de um processo químico chamado "Polimerização".Tipos de Resinas:  Resina Poliéster Ortoftálica (Mais comum e de uso generalizado);  Resina Poliéster Isoftálica (Aplicada em moldes feitos de Fibras de Vidro, em tubulações e piscinas);  Resina Poliéster Isoftálica com NPG – (Alta Cristalinidade e boa Flexibilidade; Resistente a temperaturas elevadas, água natural e à manchas);  Resina ÉsterVinílica (Possui alta resistência química e mecânica (impactos), usada na fabricação de equipamentos de fibras de vidro para o combate a corrosão);  Resina Epoxi Amina (peças estruturais e principalmente em revestimentos para proteção química e de intempéries).Aplicação:Antes de começar a trabalhar com a fibra é preciso tomar certos cuidados para asua segurança. Trabalhe sempre em local aberto e use máscara e luvas, pois asfibras de vidro podem causar irritação na pele. Evite inalar os vapores da resina etome cuidado ao misturar o catalisador, pois a reação química produz calor.A aplicação da fibra pode ser feita sobre alguma superfície (papel machê, estruturasde papel cartão ou acetato, por exemplo) ou dentro de moldes. Para aplicação sobrealguma superfície o resultado será uma área irregular que pode ser lixada oureceber uma camada de massa acrílica para alisar. Para utilização em moldes apeça final ficará com a superfície exatamente igual ao molde dispensando muitosreparos. Para os dois métodos o processo é o mesmo: aplica-se uma camada deresina com a ajuda de um pincel e em seguida coloca-se a fibra já cortada noformato certo para que cubra toda a superfície. Depois disso aplique mais resinasobre a fibra "batendo" com o pincel, e não pincelando, até a fibra ficar transparente.Como exemplo de aplicação, segue abaixo imagens da confecção do suporte dascostas para as asas do cosplay de Hades. 5
  6. 6. Recortando a fibra para ter o Depois de recortar os pedaços tamanho certo da superfície de fibra prepare a resinaDepois de misturar o catalisador Aplica-se uma camada deé preciso agilidade para aplicar resina para que ela segure a antes que a resina endureça. fibra no lugar.Vá colocando a fibra e "batendo" Ao absorver a resina a fibra fica com o pincel para que a resina transparente. Depois de aplicadoseja absorvida pela fibra. A fibra é só aguardar a cura do material.pode ser aplicada em pedaços, As laterais costumam ficar com mas é melhor que seja um pontas, por isso é recomendável pedaço único cobrindo toda a que sejam lixadas para não superfície de uma só vez. machucar. 6
  7. 7. OBSERVAÇÕES As resinas podem receber corantes e pigmentos além de outros tipos demisturas. Em breve será publicado um tutorial sobre como manipular resinas. Quando aplicar resina em moldes eles devem ser preparados com desmoldantespara não grudar. Pode-se usar o álcool polivinílico que é solúvel em água. Ele formauma camada plástica sobre a superfície impedindo que a resina grude. Pode-se fazer mais de uma camada de fibra de uma só vez conforme anecessidade, mas geralmente uma ou duas camadas já deixam a superfície bemresistente.Outros tipos:Ortoftálica Baseada em Anidrido Ftálico, por isso o nome. A mais utilizada nosprocessos de fabricação do PRFV. Possui baixa resistência química, térmica e àhidrólise. Possui resistência térmica ao redor de 70 a 75ºC.Isoftálica Possui melhor resistência química, térmica e boa resistência à hidrólise.É utilizada em peças que necessitem melhor desempenho químico, térmico emecânico, possui resistência térmica ao redor de 95 a 110ºC.Isoftálico com NPG Possui as mesmas características da resina Isoftálica, porémcom melhor resistência à hidrólise. Utilizada principalmente em peças quenecessitem ficar em contato permanente com a água. Resistência térmica igual àIsoftálica normal 95 a 110 ºC, alta aderência sobre PVC rígido.Bisfenólica Possui melhor resistência química e térmica, se comparada com aIsoftálica. Utilizada principalmente em revestimento anticorrosivos (tubos, tanques,conexões, etc.). Resistência térmica ao redor de 120ºC quando feita pós-cura.Estervinílica: Possui resistência ao ataque químico de certa gama de produtoscorrosivos. Sua resistência térmica varia de acordo com o tipo de produto a serutilizado na peça produzida com essa resina.Tereftálica (PET) Semelhante às Ortoftálica, com substituição total ou parcial deácido saturado. Resina de menor custo com resistência térmica ao redor de 60 a85ºC. 7
  8. 8. DCPD Semelhante às Ortoftálica, com substituição total ou parcial do ácidosaturado. Apresenta boa resistência térmica e à hidrólise, alta aderência em outrossubstratos, baixo encolhimento. Pode ser aditivada para dar efeito de autoextinguível e baixa emissão de estireno. Este tipo de resina tem alto consumo naindústria naval. Resistência térmica ao redor de 100ºC.Monômero de EstirenoConforme a viscosidade é necessário “afinar” a resina poliéster com Estireno parafacilitar sua impregnação sobre as mantas ou tecidos de fibras de vidros. Para taldeve-se adicionar Estireno à resina poliéster na proporção de 10 a 15%.Cargas MineraisSão usadas principalmente para substituir parte da resina e das fibras de vidro, coma finalidade de reduzir o custo ou prover algumas características especificas à peça.O Carbonato de Cálcio, por exemplo, deixa a peça branca e aderente à pintura(pincel aero grafia, texturas).O pó de madeira é utilizado em restaurações de madeira; o pó de quartzo é usadocomo antiderrapante ou em peças mais rústicas. A alumina Hidrata torna a peçaretardante de chama ou auto-extinguível. Há ainda Talco e a Calcita.Compósitos:Compósitos são sistemas constituídos de dois ou mais materiais componentes. Noque se refere aos compósitos de fibra de vidro, os principais ingredientes,normalmente, são as fibras de vidro e uma resina plástica. Adicionam-se reforços defibra de vidro à resina, tanto numa moldagem quanto num processo de fabricação,os quais dão forma ao componente final.Quando a resina cura, solidificando-se, é reforçada pela fibra de vidro. A forma daparte final depende do molde, da ferramenta ou outro ferramental que controla a 8
  9. 9. geometria do compósito durante o processo. A resistência do compósito depende,primeiramente, da quantidade, da disposição e do tipo de reforço na resina.Tipicamente, quanto maior a quantidade de reforço, maior será a resistência.Em alguns casos, as fibras de vidro são combinadas com outras fibras, como as decarbono ou aramidas, criando um compósito "híbrido" que combina as propriedadesde mais de um material de reforço. Além disso, freqüentemente, os compósitos sãoformulados com cargas (pó de mármore, cimento, etc.) e aditivos que mudam osseus parâmetros de processo e desempenho.Seria impraticável relacionar os inúmeros polímeros que podem ser melhorados comas fibras de vidro; no entanto, todos os polímeros acabam caindo em um de doisgrupos básicos: termofixos e termoplásticos.Termofixos:Os termofixos ou resinas termofixas, curam num estado irreversível, porque suaestruura molecular é interligada. Compara-se a resina termofixa a um ovo. Uma vezcozido, essencialmente, permanece no mesmo estado. Como exemplo de resinastermofixas para compósitos, temos as resinas poliéster insaturadas, éster-vinílicas,epóxis, uretânicas e fenólicas.Por outro lado, uma resina termoplástica tem estrutura molecular linear, queamolece repetidamente quando aquecida em direção ao seu ponto de fusão eendurece quando resfriada. Em termos simples, pode-se comparar um termoplásticoà parafina, a qual flui quando aquecida e endurece tomando sua forma quandoresfriada. Como exemplos de resina termoplástica para compósitos, temospolipropileno, polietileno, poliestireno, ABS (acrilonitrila-butadieno-estireno), "nylon",policarbonato, poliéster termoplástico, óxido de polifenileno, polisulfona e PEEK(poli-éter-éter-cetona). 9
  10. 10. Empresas que desenvolvem o trabalho da Fibra de Vidro  Celso Moglia – Rio de Janeiro – RJ  Fertemp – São Paulo – SP  Haru Fibra – Lagoa Santa – MG  Miami Design Fiberglass – São Paulo – SP  PIC Fibras e Metais – Porto Alegre – RS  Usived – São Paulo – SP  Tukano Tecnologia & Design – Ceará – CE  Armtec Tecnologia em Robótica Ltda – Ceará – CE  Polymar Ciência e Nutrição S/A – Ceará – CEAs principais aplicações por segmento de mercado são:Telas e Outras Aplicações Industriais  Filtros, cordoalhas de uso no elétrico,retentores de baterias, reforço de cimento, revestimento de tubos, revestimento deparedes de navio, telas contra insetos, discos abrasivos, lixas abrasivas.Aplicações Náuticas  Construção, manutenção e reparos de cascos,equipamentos e acessórios de embarcações de recreio e militares, bóias desinalização, tampas de motor e outros equipamentos.Construção  Painéis decorativos, coberturas, domos, painéis de fachada, formaspara concreto, banheiras e componentes para banheiras, silos para agricultura,depósitos, componentes de casas pré-fabricadas, painéis coletores de raios solares.Aplicações Elétricas e Eletrônicas  Placas isolante, pecas moldadas, perfispultrudados, tubos fabricados por enrolamento, caixas de entroncamento,alojamento de lâmpadas, postes para iluminação.Aplicações Bélicas e Aeronáuticas  Mísseis, componentes para aeronavesparticulares, comerciais e militares, de pequeno ou grande porte, planadores, 10
  11. 11. armamento, domos para radar e sonar, blindagens, suporte militar de terra, peçaspara espaçonaves, lançadores de foguetes.Corrosão  Tanques, tubos, conexões, chaminés, dutos, coifas, bombas, pás deventilador, container, componentes de torres de resfriamento, peças para tratamentode água e restilo industriais, tanques sépticos, tanques de água potável,revestimento de tanques.Máquinas, Equipamento e Eletrodomésticos  Engrenagens, carenagens,carcaças e bandejas para eletrodomésticos (lavadoras, secadoras, ar condicionado,umidificadores, etc.), refrigeração comercial, gôndolas e câmaras frigoríficas,aplicações em equipamentos para escritório (copiadoras, computadores,registradoras, bebedouros), carcaças protetoras para equipamentos industriais.Artigos de Consumo  Varas de pesca, arcos, flechas, raquetes, parques infantis,escorregadores, bandejas, piscinas, trampolim, veículos recreativos, trailers, bancosde estádio, capacetes, peças de mobiliário residencial, caiaques, motor-home,pranchas de surfe, pedalinhos, cortadores de grama, móveis para lanchonete.Transporte  Equipamentos e bancos para automóveis, caminhões, carrocerias,ônibus, trens, caminhões-tanque, motocicletas, tratores, implementos agrícolas,container, móveis, pallets, bandejas para movimentação de material, partes eletro-eletrônico, discos de embreagem, pastilhas de freio.Outros Plásticos Reforçados  Capacetes de segurança, escudos de solda,recipientes de carga, bandejas e pallets para suporte de materiais industriais,recipiente para material de manuseio, guaritas e outros itens não classificados emoutros segmentos 11
  12. 12. VOCABULÁRIO:Acelerador: Material utilizado para acelerar a “cura” de resinas.Catalisador: Material utilizado para ativar a reação de “cura” de resinas.Fiberglass: Palavra americana que significa” plástico reforçado com fibras de vidro.Gelcoat: Resina poliéster contendo pigmentos, cargas, agentes tixotrópicos eabsorvedores ultravioleta, usado para acabamento superficial de peças.Laminado: Designação das estruturas moldadas pela colocação consecutiva devárias camadas ou “laminas” de material.Plástico reforçado: Qualquer resina plástica reforçada com qualquer tipo de fibrainorgânica, sintética ou natural.Plástico reforçado com fibra de vidro: Qualquer resina plástica reforçada comfibras de vidro.PRFV: Sigla para Plástico Reforçado com fibras de Vidro.Tixotropia: Propriedade exibida por materiais líquidos de não escorrerem quandoaplicados em paredes verticais.BIBLIOGRAFIA 1- Marco Antonio Matheus, Livro – Aprenda Fibra de Vidro – São Paulo, 2002. 2- Alberto Farah, Livro – Resina de Poliéster e suas Aplicações – São Paulo, 2003. 3- Google – Internet 4- www.cosplayers.net/www.cosplayers.com.br 5- www.brazilbiz.com.br/empresas/empresas. 12

×