Pós-Modernismo

1.470 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.470
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
544
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pós-Modernismo

  1. 1. Pós-Modernismo Professora: Mª Cristina A. Biagio
  2. 2. Anos 60: Cultura ou Contracultura? Tempo de Nãos A Rebelião Jovem Ditadura Militar Escrevo sobre o silêncio sonoro da floresta ou sobre a menina que dorme CONTEXTO Proibido Proibir Poesia Marginal SOCIAL com fome [...] Sobre a dor dos deserdados e a esperança de quem tem fé. Thiago de Mello MUSICAL LITERÁRIO
  3. 3. Tempo de “Nãos”: Ascensão dos militares ao poder. A rebelião Jovem: Movimentos da Juventude – Hippies, Flower Power, Panteras Negras, Provos, Feminismo, Movimento estudantil.
  4. 4. Para relembrar... Hippies: Paz e amor. Power Flower: Força das flores Panteras Negras: Grupo revolucionário americano – combatia a violência policial contra negros. Provos: Amsterdam e o nascimento da contracultura. Feminismo: Igualdade e divórcio (Brasil) Movimento estudantil – Contra a Ditadura
  5. 5. PASSEATA DOS CEM MIL – 1968 BRASIL
  6. 6. “O que aconteceu depois todos nós sabemos. Centenas deles foram presos, barbaramente torturados e mortos nas prisões do Regime Militar. Deram a vida para que sobrevivesse um sonho [...]” Por: Manuel de Andrade
  7. 7. “Proibido proibir” - ícone cultural de uma época.    Nome de uma canção que Caetano Veloso apresentou sob vaias em um festival (1968). Conviviam nas rádios canções da Bossa Nova, como Chega de saudade e Garota de Ipanema.Tom Jobim e Vinícius. Estúpido cúpido -rock’n’roll de Cely Campelo.     Geraldo Vandré – “Pra não dizer que não falei das flores.” Tropicália (movimento encabeçado por Caetano e Gilberto Gil). O tropicalismo procurava justapor o antigo e o novo, o nacional e o importado, o samba e a guitarra elétrica, entre outras coisas. Hélio Oiticica (arte) – o nome tropicália foi tomado de uma de suas obras.
  8. 8. Para refletir...   Com a decretação do AI-5, em 1969, a década de 70 foi marcada pelo endurecimento político do regime militar, que se manifestou sob forma de prisões, exílios e censura aos meios de comunicação. Com exceção da Poesia Marginal – a década de 70 caracterizou-se pela dispersão na Literatura e nas artes em geral.    Acreditou-se que, com fim da censura, grandes obras literárias viriam à tona. Isso não aconteceu. Os grandes escritores continuaram a ser aqueles já consagrados. Verificou-se o surgimento de uma vasta geração de escritores sem que entre eles houvesse um projeto comum.
  9. 9. De mão em mão: a poesia marginal dos anos 70 Eram cabeludos, universitários e poetas. Imprimiam seus livros em pequenas gráficas ou mesmo em casa, num mimeógrafo – uma velha máquina à base de álcool e papel carbono. Os livros tinham um caráter artesanal. O que esses poetas queriam mesmo é que a poesia chegasse logo às mãos do leitor. Ana Cristina Cesar, Paulo Leminski, Chacal, Cacaso, Francisco Alvim...
  10. 10. Tenho uma folha branca e limpa à minha espera: mudo convite tenho uma cama branca e limpa à minha espera: Mudo convite tenho uma vida branca E limpa à minha espera. Ana Cristina Cesar

×