3 ano relações ecológicas

199 visualizações

Publicada em

Relações ecológicas
3º ano do Ensino Médio

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
199
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3 ano relações ecológicas

  1. 1. RELAÇÕES ECOLÓGICAS Profª Cristiane Bassani Medeiros
  2. 2. Relações Ecológicas É a interação dos diversos organismos que constituem uma comunidade biológica. Podem ser classificadas como: oRelações intraespecíficas: São as que se estabelecem entre indivíduos da mesma espécie; oRelações interespecíficas: São as que se estabelecem entre indivíduos de espécies diferentes; oRelações harmônicas: Pelo menos uma das espécies se beneficia, e não há prejuízo para nenhuma das partes associadas (+/+ ou +/o); oRelações desarmônicas: Uma ou ambas as espécies são prejudicadas (+/-).
  3. 3. Relações Ecológicas Intraespecíficas Desarmônicas Harmônicas Competição Canibalismo Colônias Sociedades Interespecíficas Desarmônicas Harmônicas Mutualismo Protocooperação Inquilinismo Parasitismo Competição Amensalismo Predatismo Comensalismo Esclavagismo
  4. 4. Relações harmônicas intraespecíficas Colônia (+/+) o Os indivíduos são unidos fisicamente, formando uma unidade estrutural e funcional; o Pode ou não ocorrer divisão de trabalho; o Vantajosa para ambas as partes; o Não obrigatória; o Isomorfas: Os membros são morfologicamente semelhantes. Ex.: recifes de corais; o Heteromorfas: Os membros são morfologicamente diferentes e atuam em funções distinta. Ex.: caravela-portuguesa.
  5. 5. Relações harmônicas intraespecíficas Sociedade (+/+) o Os indivíduos são organizados de modo cooperativo e não estão ligados anatomicamente; o Os indivíduos têm plena capacidade de vida isolada, mas preferem viver em coletividade; o Há divisão de funções entre os indivíduos; o Vantajosa para ambas as partes; o Comunicação desse insetos é feita por feromônios. o Exemplos: abelhas, formigas, vespas, cupins (insetos sociais).
  6. 6. Relações desarmônicas intraespecíficas Canibalismo (+/-) o Um organismo se alimenta de outro da mesma espécie; o Um dos indivíduos é prejudicado, o outro se beneficia; o Quando ocorre na espécie humana recebe o nome de antropofagia; o Trata-se de um importante regulador das populações, comum em peixes, roedores, aves e invertebrados. o Exemplos: Louva-Deus; Aranha viúva-negra.
  7. 7. Relações desarmônicas intraespecíficas Competição (-/-) o Disputa entre indivíduos de uma mesma espécie por um mesmo recurso; o Regula o crescimento populacional; o Disputas por território, alimento, companheiro sexual.
  8. 8. Relações harmônicas interespecíficas Inquilinismo (+/o) o Uma espécie (inquilino) procura abrigo ou suporte no corpo de outra (hospedeiro); o O inquilino se beneficia, sem prejudicar o hospedeiro; o Exemplos: o Peixe-agulha e holotúria: O peixe-agulha apresenta um corpo fino e alongado e se protege contra a ação de predadores abrigando-se no interior das holotúrias (pepinos-do-mar), sem prejudicá-los; o Epifitismo: Epífitas são plantas que crescem sobre os troncos maiores sem parasitá-las. São epífitas as orquídeas e as bromélias que, vivendo sobre árvores, obtêm maior suprimento de luz solar.
  9. 9. Relações harmônicas interespecíficas Mutualismo (+/+) o Associação obrigatória entre indivíduos, em que ambos se beneficiam; o Exemplos: o Líquens: associação entre algas e fungos. As algas sintetizam matéria orgânica e fornecem aos fungos parte do alimento produzido. Esses, por sua vez, retiram água e sais minerais do substrato, fornecendo-os às algas. Além disso, os fungos envolvem com suas hifas o grupo de algas, protegendo-as contra desidratação; o Cupins e protozoários: Ao comerem madeira, os cupins obtêm grandes quantidades de celulose, mas não conseguem produzir a celulase, enzima capaz de digerir a celulose. Em seu intestino existem protozoários flagelados capazes de realizar essa digestão; o Micorrizas: São associações entre fungos e raízes de certas plantas, como orquídeas, morangueiros, tomateiros, pinheiros, etc. O fungo, que é um decompositor, fornece ao vegetal nitrogênio e outros nutrientes minerais; em troca, recebe matéria orgânica fotossintetizada.
  10. 10. Relações harmônicas interespecíficas Protocooperação (+/+) o Associação não obrigatória entre indivíduos, em que ambos se beneficiam; o Exemplos: o Anêmona e paguro: O paguro, um crustáceo semelhante ao caranguejo, tem o corpo mole e costuma ocupar o interior de conchas abandonadas de gastrópodes, onde costumam instalar-se uma ou mais anêmonas. Dessa união, surge o benefício mútuo: a anêmona possui células urticantes, que afugentam os predadores; o paguro, ao se deslocar, possibilita à anêmona uma melhor exploração do espaço, em busca de alimento; o Pássaro-palito e crocodilo: O pássaro-palito penetra na boca dos crocodilos alimentando-se de restos alimentares e de vermes existentes na boca do réptil. A vantagem é mútua, porque, em troca do alimento, o pássaro livra os crocodilos dos parasitas; o Anu e gado: O anu é uma ave que se alimenta de carrapatos existentes na pele do gado, capturando-os diretamente. Em troca, o gado livra-se dos indesejáveis parasitas.
  11. 11. Relações harmônicas interespecíficas Comensalismo (+/o) o Relação em que uma espécie se alimenta de restos alimentares de outra, sem prejudicá-la ou beneficiá-la; o Os benefícios do comensalismo podem estar associados a alimentação e a locomoção; o Exemplos: o Abutres, que aproveitam restos das presas dos leões. o A rêmora é um peixe dotado de ventosa com a qual se prende ao ventre dos tubarões. Além de aproveitar seus restos alimentares, a rêmora acaba sendo transportada por ele.
  12. 12. Relações desarmônicas interespecíficas Amensalismo (+/-) o Também chamado de antibiose; o Uma espécie (inibidora) libera substâncias tóxicas que impedem o crescimento e a reprodução de outra (amensal); o Exemplos: o Dinoflagelados e animais marinhos: As substâncias secretadas por dinoflagelados Gonyaulax, responsáveis pelo fenômeno "maré vermelha", podem determinar a morte da fauna marinha. o Os fungos Penicillium notatum eliminam a penicilina, antibiótico que impede que as bactérias se reproduzam.
  13. 13. Relações desarmônicas interespecíficas Esclavagismo (+/-) o Também chamado de sinfilia; o É uma associação em que uma das espécies se beneficia com as atividades de outra espécie; o Exemplos: o Chupim: Essa espécie de ave bota seus ovos no ninho de outras espécies, que passa a chocá-los até a eclosão.
  14. 14. Relações desarmônicas interespecíficas Competição (-/-) o Geralmente ocorre quando duas espécies apresentam sobreposição de nichos ecológicos; o A disputa pelo mesmo recurso ambiental é um importante fator no controle do tamanho das populações; o Quando uma competição é muito severa uma das espécies pode ser eliminada (extinta) ou obrigada a emigrar; o A introdução de espécies exóticas têm causado graves impactos ambientais devido ao fato dessas espécies competirem pelos mesmos recurso que espécies nativas.
  15. 15. Relações desarmônicas interespecíficas Parasitismo (+/-) o É uma associação onde um ser vivo se instala dentro ou sobre outro ser vivo para retirar o seu alimento (Parasita x Hospedeiro); o De um modo geral, a morte do hospedeiro não é conveniente ao parasita. Mas, a despeito disso, muitas vezes ela ocorre.; o Endoparasitismo: O parasita vive no interior do corpo do hospedeiro. Exemplo: lombriga e homem; o Ectoparasitismo: Quando o parasita vive na superfície do hospedeiro. Exemplo: piolho e homem; o Holoparasita: Planta parasita que obtém seiva bruta (água e nutrientes inorgânicos) e elaborada (glicose) as custas da planta hospedeira. Exemplo: cipó-chumbo; o Hemiparasita: Planta parasita que obtém somente seiva bruta as custas da planta hospedeira. Ex: erva de passarinho.
  16. 16. Relações desarmônicas interespecíficas Predação (+/-) o É uma relação onde um ser vivo mata outro ser vivo para se alimentar (predador x presa); o Os predadores são geralmente maiores e menos numerosos que suas presas; o As duas populações - de predadores e presas - geralmente não se extinguem e nem entram em superpopulação, permanecendo em equilíbrio no ecossistema.
  17. 17. Formas especiais de adaptação Camuflagem o Forma de adaptação na qual um organismo se parece com o ambiente, confundindo-se com ele na cor e/ou na forma.
  18. 18. Formas especiais de adaptação Mimetismo o Forma de adaptação na qual uma espécie se beneficia por assemelhar-se a outras.
  19. 19. Formas especiais de adaptação Aposematismo o Forma de adaptação na qual uma espécie exibe cores chamativas para advertir seus possíveis predadores quanto a seu paladar desagradável ou pelo veneno que possui.

×