Internet ontem e hoje

255 visualizações

Publicada em

Ciclo de capacitação do Grupo de Mídia do Paraná.
A internet passou por mudanças ao longo dos anos, conhecê-las nos ajuda a entender o hoje. Mais do que mudanças tecnológicas passamos por mudanças no pensamento.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Internet ontem e hoje

  1. 1. 2015 Apoio:
  2. 2. Apoio: A Internet Ontem e Hoje Professora: Cris Alessi Carga horária: 4h
  3. 3. Cris Alessi Formada em Publicidade e Propaganda pela PUC-PR e pós- graduada em Marketing pela UFPR. Atuando com planejamento e desenvolvimento de ações digitais; estratégias em mídias sociais, campanhas e promoções on-line e monitoramento. Alguns clientes: 2013201120102007 2014/15
  4. 4. No começo era a escuridão
  5. 5. Baby Boomers - 1945
  6. 6. Geração X – 1960 a 1980
  7. 7. Geração Y -1990
  8. 8. Geração Z – 2000
  9. 9. https://www.youtube.com/watch?v=dnwl4zvOfhc Geração Alpha – 2010
  10. 10. https://www.youtube.com/watch?v=Egh9r2AjTBs
  11. 11.  http://web.archive.org/web/19970618040327/http://www.bradesco.com.br /
  12. 12. http://web.archive.org/web/19981212030208/http://www.jornaldobrasil.com.br/
  13. 13. VoIP – 1990
  14. 14. 1970 1980 1990 2000 2010 Internet 0.0 Web 1.0 Web 2.0 Web 3.0 De redes de conteúdos > Para redes de relacionamento > Para redes de contexto >
  15. 15. Hoje no Google Sites são rastreados por dia De armazenamento (4 milênios de DVDs reproduzindo) 20 Bilhões 100 Petabytes
  16. 16. Dados sobre Internet no Brasil
  17. 17. Dados sobre Internet no Brasil
  18. 18. Dados sobre Internet no Brasil Fonte: IBGE – 2012/13
  19. 19. Plataformas Sociais
  20. 20. Mídia OOH distração Mídia online intervenção Mídia Tradicional interrupção engajamento Quantidade do impacto Qualidade do impacto
  21. 21. O que buscamos quando analisamos o público alvo  Assuntos de interesse  Finalidade do uso de um determinado meio  Como se conecta à internet  Hábitos de consumo e lazer  Perfil atitudinal ...
  22. 22. O que buscamos quando analisamos o meio  Cobertura e afinidade  Tempo de navegação  Horário de Consumo  Canais mais adequados ...
  23. 23. Ferramentas de pesquisa de mídia  Ipsos Marplan  Ferramentas Ibope  Ibope NetRatings  Comscore  Hitwise  Google Trends, Adwords... OFF ON
  24. 24. Ibope NetRatings  Mede o tráfego de sites, perfil demográfico, perfil do internauta, relatórios sobre a receptividade aos anúncios de banners e ranking de anunciantes.
  25. 25. Comscore  Fornece uma visualização completa dos hábitos de consumo de sua audiência, assim como de seu grupo competitivo, junto com informações demográficas e de visitação cruzada.
  26. 26. Hitwise  Fornece dados de segmentação, mensuração de desempenho de campanha, de campanhas de marketing de busca (SEM e SEO) e monitora concorrência.
  27. 27. Google DisplayPlanner  Ferramenta gratuita do Google, na qual você consegue identificar sites que um determinado público alvo provavelmente acessará. Também é possível informar um site e, a partir deste, encontrar outros sites relacionados e que também foram visitados pelo público do site inicial. (link)
  28. 28. Google Trends  É uma ferramenta do Google que mostra os mais populares termos buscados em um passado recente. No planejamento ajuda a entender o quanto um termo de busca é relevante para o seu público. (link)
  29. 29. Qual a melhor métrica?  Resposta direta? – CPC, CPA, Volume de Cliques e Tx Conversão  Branding, relacionamento, envolvimento? – Visitas Únicas, Page Views, Tempo Permanência  Interatividade? – Taxa de cliques  Awareness? – Nro de Impressões e Visibilidade
  30. 30. Ferramentas de Mensuração  Os próprios veículos  Empresas de Adserver  Google Analytics  Conversão em redes sociais  Ferramentas de Monitoramento  Ferramentas de Inteligência
  31. 31. Veículos : Os próprios veículos enviam relatórios da entrega de impressões, volume de cliques, CTR e calculam o CPM pago ao fim da campanha de mídia online.
  32. 32. Empresas de Adserver  Adserver é o software utilizado para controlar e definir qual anúncio terá maior desempenho, contar impressões e cliques e elaborar relatórios da performance da campanha.
  33. 33. Agências Tranding Desks  É uma unidade que centraliza, gerencia e otimiza a venda de mídia programática. Normalmente, utilizam uma Demand-Side Platform (DSP) ou outra tecnologia de audience buying (DMP). Funciona como uma central de excelência, dando suporte a agências e prestando serviço a clientes.
  34. 34. Analytics  É o processo de medição, coleta, análise e a produção de relatórios de dados de navegação e interação com o objetivo de entender e otimizar o uso dos sites e páginas na Internet.
  35. 35. Relatórios Redes Sociais
  36. 36. Ferramenta de Monitoramento
  37. 37. Ferramenta de Inteligência
  38. 38. Simultaneidade Convergência
  39. 39. Cada tipo de consumidor, no entanto, se distingue no quanto adere, interage e se engaja com aquele meio. Nas mídias sociais, por exemplo, 96% dos usuários brasileiros veem posts e mensagens, mas apenas 10% efetivamente editam, moderam e influenciam. estudo da Conectmedia, desenvolvido pela área de learning & insights, do Ibope Medi
  40. 40. 2015, 57% dos celulares vendidos no Brasil serão smartphones Até 2016, 21% do tráfego de internet no Brasil serão gerados por celulares ou tablets.
  41. 41. Fonte: eMarketer - BRASIL, 2015. IDC Brasil. 1. China (519 milhões), 2. EUA (165 milhões), 3. Índia (123 milhões), 4. Japão (50 milhões), 5. Rússia (49 milhões) e 6. Brasil (38 milhões) . O Brasil encerrou 2014 como o sexto maior mercado de smartphones do mundo. > A implementação do 4G no Brasil segue um cronograma estabelecido pela Anatel, que estima que a tecnologia esteja disponível em todas as cidades com mais de 30 mil habitantes até o final de 2017. Dispositivos Juntos, os smartphones e tablets vendidos no Brasil em 2014 representam 83% de todos os dispositivos monitorados pela IDC.
  42. 42. Mas continuamos fazendo isso...
  43. 43. Os banners já não são os mesmos  Somente em 2012 foram apresentados 5,3 trilhões de “banners” apenas aos usuários americanos.  Isto significa que a cada internauta americano foi exposto 1.707 “ banners ” por mês.  De cada 1.000 “ banners ” exibidos, apenas 1 recebeu um clique. Fontes: Comscore, Smart Insights, 2012
  44. 44.  Apenas 8% dos internautas são responsáveis por 85% dos cliques em “banners”  “ banners ” despertam confiança em apenas 15% dos usuários Fontes: Comscore, eMarket 2012
  45. 45.  A probabilidade de um americano clicar em um “banner” é 475 vezes menor que escapar vivo de um desastre de avião. Fontes: “The Atlantic Wire”,
  46. 46. Então você tem 2 saídas:  Seja relevante ou  Seja o conteúdo.
  47. 47. Como?  Procurando um nicho  Criando canais  Interagindo e engajando  Mudando a linguagem  Adequando o conteúdo  Saindo do convencional  ...
  48. 48. Confiança nos meios
  49. 49. Para pensar O Brasil lidera o ranking mundial em Visitantes Únicos da versão do Waze para desktop com 822 mil Visitantes Únicos A transformação provocada pela Apple trouxe definitivamente para o nosso bolso um celular que é também um leitor de música, uma máquina fotográfica e uma via de acesso à internet, o acúmulo de uma série de funções que antes estavam separadas em gagdets diferentes ou somente dentro de nosso computador. Os apps mais usados são: jogos (66% em celulares e 54% em tablets), previsão do tempo/clima (54%/29%), internet banking (39%/29%) e notícias (34%/28%).
  50. 50. Fonte: Emc corporation, 2014 O Universo Digital brasileiro crescerá 10xaté 2020 Mas quando achamos que nosso bolso seria o local mais próximo que o celular poderia chegar do nosso corpo, surge a wearable technology. > Até 2020, mais de 35% de todos os dados poderão ser considerados úteis, graças ao crescimento dos dados da IoT, mas dependerá das empresas colocá-los em uso Internet das Coisas A IoT responderá por 10% do tráfego de dados da internet brasileira até 2020.
  51. 51. A gente muda também
  52. 52. E aproveita as oportunidades
  53. 53. Mas não esquece o essencial
  54. 54. Kitkat X Oreo @Laura_ellenxx tuitou no fim da semana passada: “Posso dizer que gosto muito de chocolate quando sigo @KITKAT e @Oreo ao mesmo tempo hahahaha”.
  55. 55. Apagão Super Bowl
  56. 56. Toda interação com o usuário, seja ela qual for, é um posicionamento oficial. A pessoa física não se separa da pessoa jurídica nas redes sociais.
  57. 57. E olha para todos os lados, pois tudo está mais perto agora.
  58. 58. http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=SEvnpgrtqxE
  59. 59. Micro Momentos
  60. 60. Dicionário Programática  Ad Exchange: são redes de leilão de inventário, que funcionam nos moldes da Bolsa de Valores. Nesses ambientes, você compra audiência em tempo real. Um exemplo: “Quero só perfis de homens de 30 a 40 anos que gostem de futebol e tenham nível superior”. A Ad Exchange te mostra onde eles estão agora. Ad Network: na cadeia, são agregadores de conteúdo, que se plugam às Ad Exchanges. Podem ser horizontais, que agrupam os canais por tipo de conteúdo, ou verticais, que só comercializam um assunto. RTB (real-time bidding): É a expressão que define o modelo de comprar mídia em leilões em tempo real. “No momento em que a página é carregada, eu sei quem está naquele computador e decido se quero ou não comprar aquela impressão, na hora”, diz Julien Turri. DSP (demand-side plataform): Plataforma que auxilia o comprador. Andiara Petterle explica: “Eu quero comprar a mulher de 34 anos que tenha navegado no Bolsa de Mulher no último mês. Posto na DSP que quero isso e quero pagar R$ X por cada perfil. A plataforma, então, se conecta com a Ad Exchange do Google, do Facebook, dos blogs etc. e me mostra onde essas mulheres estão”. SSP (sell-side plataform): Para os veículos, é o correspondente da DSP. A plataforma olha para todos os inventários em tempo real, integra as várias praças do mercado e mostra qual é a mais interessante naquele momento. “O publisher coloca o seu inventário em diferentes Ad Networks e Ad Exchanges, e essa tecnologia o auxilia. Onde ele tem mais retorno, ela libera mais; é como uma torneira”, resume Marcelo Sant’Iago. ATD (agency trading desks): O comprador pode efetuar a compra diretamente, via agência ou por meio de trading desks, que são mesas de operação – uma equipe com inteligência de gente e tecnologia, responsável por fazer a compra em tempo real. DMP (data management platform): É uma central agregadora de dados, que vai recolhendo informações de páginas e da audiência ao longo da cadeia. Elas podem ser coletadas no próprio site (chamadas de “first-party data”) ou fora dele (“third-party data”).
  61. 61. Sugestões de leitura  GABRIEL, M. Marketing na era digital: conceitos, plataformas e estratégias. São Paulo: Novatec, 2011.  JENKINS, H. Cultura da Convergência. 2 ed. São Paulo: Aleph, 2009.  KOTLER, P.; KARTAJAYA, H.; SETIAWAN, I. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Campus, 2010.  KRUM, C. Mobile Marketing: Finding Your Customers No Matter Where They Are. Que biztech, 2010.  MARTIN, C.; TAYLOR, T. Mobile Marketing - a terceira tela. M.Books, 2013 Professora, por favor, inserir cidade de publicação.  TAPSCOTT, D. Geração Digital: A crescente e irreversível ascensão da geração net. Makron Books, 1999
  62. 62. Obrigada @crisalessi

×