Guerra Das Trincheiras

19.510 visualizações

Publicada em

8 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.510
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
8
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Guerra Das Trincheiras

  1. 1. Guerra das trincheiras Vanessa Soares Nº20 9ºB História 2007
  2. 3. <ul><li>O Sistema das trincheiras </li></ul><ul><li> As trincheiras tinham quase sempre 2,30 metros de profundidade e 2 metros de largura. Nos parapeitos das trincheiras eram colocados sacos de areia para absorverem as balas e as lascas das bombas. Nestas trincheiras com esta profundidade não se conseguia espreitar, havia uma espécie de elevação no interior. </li></ul><ul><li>Eram construídas em perpendicular de maneira a que o inimigo conseguisse tomar uma parte da trincheira, estava submetido ao fogo de apoio. As trincheiras eram protegidas pelo arame farpado e por postos de patrulha. </li></ul><ul><li>Cavavam-se também trincheiras pela &quot;terra de ninguém&quot; dentro para ouvir o que se passava na posição inimiga ou para capturar soldados e depois interrogá-los. </li></ul><ul><li> As trincheiras eram valas profundas onde os soldados se protegiam e onde se acabaram por instalar durante uns longos meses. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>O Sistema das trincheiras </li></ul><ul><li>Contrariamente às previsões, a guerra ameaçava ser longa e assim à «guerra de movimentos» sucedeu a «guerra de posições», a chamada segunda fase da 1ª Guerra Mundial. </li></ul><ul><li> Deu-se o aparecimento das trincheiras pois o atolamento da guerra obrigava as tropas a enterrarem-se para se protegerem do inimigo, procurando conservar as regiões ocupadas, através de uma extensa rede de valas e abrigos na terra, que lhes dava a sua protecção. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>O Sistema das trincheiras </li></ul>
  5. 6. <ul><li> A vida nas trincheiras </li></ul><ul><li>A vida nas trincheiras foi muito dramática, um vazio enorme, eram muitas as saudades da família, da casa, dos filhos, das mulheres, dos pais, da comida, das festas, do tempo vivido em paz. Eram estas as conversas nos seus momentos de pausa. Muitos mostravam a sua vida de amargura, sofrimento, tristeza. Nesses momentos também havia partilha de alimentos, água, cachaça e cigarros. </li></ul>
  6. 7. <ul><li> A vida nas trincheiras </li></ul><ul><li>Cada hora, cada minuto era uma tortura para eles, dias de combate, fogo de artilharia, morte de soldados todos os dias. Eles tinham de lidar com muitas coisas terríveis. Cheiro de mortos que se encontravam semi - enterrados, ratazanas, piolhos, fome, frio, humidade, ataques de gases venenosos. </li></ul><ul><li>Ao longo do guerra dez milhões de homens caíram em combate, muitos ficaram doentes e mutilados, outros desaparecem no meio dos lamaçais, muitas dezenas desses homens com ferimentos graves arrastavam-se até outros buracos provocados por granadas, para conseguirem alguma segurança. </li></ul><ul><li>Mas muitas vezes a água que caía em volta dos buracos, afoga-vos lentamente, e os seus corpos ficavam enterrados nesses campos calcinados </li></ul>
  7. 8. <ul><li> A vida nas trincheiras </li></ul><ul><li>Cada hora, cada minuto era uma tortura para eles, dias de combate, fogo de artilharia, morte de soldados todos os dias. Eles tinham de lidar com muitas coisas terríveis. Cheiro de mortos que se encontravam semi - enterrados, ratazanas, piolhos, fome, frio, humidade, ataques de gases venenosos. </li></ul><ul><li>Ao longo do guerra dez milhões de homens caíram em combate, muitos ficaram doentes e mutilados, outros desaparecem no meio dos lamaçais, muitas dezenas desses homens com ferimentos graves arrastavam-se até outros buracos provocados por granadas, para conseguirem alguma segurança. </li></ul><ul><li>Mas muitas vezes a água que caía em volta dos buracos, afoga-vos lentamente, e os seus corpos ficavam enterrados nesses campos calcinados </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Terra de ninguém </li></ul><ul><li> Terra de ninguém era o terreno entre duas trincheiras inimigas. Contém grandes quantidades de arame farpado, nas zonas onde se previam mais ataques podia haver 10 barreiras de arame farpado antes da primeira trincheira. </li></ul><ul><li>Se fosse uma zona constante de ataques e a terra ficava cheia de equipamento militar abandonado e cheio de corpos que com o tempo entravam em decomposição. </li></ul><ul><li>Trincheiras abandonadas </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Terra de ninguém </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Terra de ninguém </li></ul><ul><li>Era muito difícil atravessar a terra de ninguém, tinham que escapar as explosões e tinham que ultrapassar as inúmeras barreiras de arame farpado, as crateras cheias de água e de lama provocadas pelas bombas. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Gás venenoso </li></ul><ul><li>O gás venenoso já era conhecido antes da 1ªGuerra Mundial, mas os oficiais mostravam medo em os utilizar porque os consideravam uma arma incivilizada. </li></ul><ul><li>Muitos alemãs já disparavam estes gases tóxicos, que destruía os órgãos respiratórios e provocava morte por asfixia. Depois do primeiro ataque alemão com gás de cloro, as tropas aliadas eram prevenidas com máscaras de almofadas de algodão que iam sendo absorvidas em urina. </li></ul><ul><li> Foi descoberto que o amoníaco das almofadas consegue destruir o veneno, outros preferiam usar luvas, meias e cintos de flanela suspenso numa solução de bicarbonato de sonda atados á volta da boca e do nariz até que o cheiro do gás desaparecesse. </li></ul><ul><li>Este gás também tinha a sua desvantagem, porque o gás era lançado mas os soldados continuavam a combater, só morriam algum tempo depois. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Gás venenoso </li></ul><ul><li>Foi logo depois que se também começou a usar o fosgénio, precisava-se apenas de uma quantidade porque imobilizava logo o soldado inimigo de continuar a combater e provocava a sua morte em 48 horas. </li></ul><ul><li>Havia também um gás chamado mostarda que foi usado pela primeira vez no exército alemão. Era o mais perigoso dos venenos, quase não tinha cheiro, e demorava apenas 12 horas a produzir o efeito. </li></ul><ul><li> Era um gás muito forte eram precisas apenas pequenas quantidades para serem adicionadas nas bombas para produzirem logo o efeito. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Gás venenoso </li></ul>A Guerra das trincheiras custou milhares de mortos
  14. 15. <ul><li>Falta de comida </li></ul><ul><li>A falta de comida é um dos grandes problemas. </li></ul><ul><li> A comida era horrível, e ainda pior tendo cadáveres ao lado e sentindo aquele cheiro horrível era quase impossível se alimentarem. </li></ul><ul><li>Muitos dos soldados quando escreviam às famílias diziam as más condições de vida, e muitas vezes pediam que lhe enviassem alguma comida. </li></ul><ul><li>Além da comida ser muito pouca também era péssima. </li></ul><ul><li>Os soldados viviam de biscoitos e chá era a comida com que eles se alimentavam. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Falta de comida </li></ul>
  16. 17. <ul><li>Webgrafia </li></ul><ul><li>http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&q=guerra+das+trincheiras&btnG=Pesquisa+ Google&meta = </li></ul><ul><li>http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&q=guerra+das+trincheiras+sistema+terra+&meta= http://www.dw-world.de/popups/popup_lupe/0,,707336,00.html </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Primeira_Guerra_Mundial </li></ul><ul><li>etc.… </li></ul>

×