ENCOAD 2015: Empresas Familiares: Crise x Perpetuação

809 visualizações

Publicada em

Objetivos da Palestra

O Brasil está vivendo uma crise, manter sua empresa familiar sólida no mercado tem sido um desafio muito complexo para os gestores de pequenas. Diante desse quadro de incertezas na economia brasileira, muitas empresas têm buscado alternativas que garantam a boa gestão do seu negócio sem causar grandes prejuízos. Algumas ações, podem contribuir para a criação de um ambiente de confiança, competitivo e ainda ajudar a traçar a melhor estratégia para driblar a crise econômica. Venha para o Encoad 2015 e descubra como.

Palestrantes:
Adm. Sandra Regina da Luz Inácio
Adm. Silvia Helena Carvalho Ramos Valladão de Camargo
Luiz Fidelis Barreto Junior
Adm. Leila Speeden

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
809
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
314
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ENCOAD 2015: Empresas Familiares: Crise x Perpetuação

  1. 1. EMPRESAS FAMILIARES: CRISE x PERPETUAÇÃO Grupo de Excelência em Empresas Familiares: Leila Speeden Luiz Fidelis Barreira Jr. Sandra Regina da Luz Inácio Silvia H. Carvalho Ramos Valadão de Camargo
  2. 2. Empresas Familiares Empresa brasileira Desde 1846 - 167 anos de existência Por quantas crises já passou? Como a empresa se consolidou?
  3. 3. Sucessão na empresa familiar • Num processo sucessório tipicamente familiar, a partir de 1924, foi passando de pai para filho, sem esquecer, porém, a necessidade de introdução de constantes inovações no processo de produção e de envasamento do produto, destacando-se, aqui, a introdução do engenho de ferro fundido, o engarrafamento em litros com bico dosador (1924), envelhecimento em tonéis de madeira (bálsamo), que permitem a estocagem da aguardente por mais de 2 anos, e a embalagem confeccionada em palha de carnaúba. • Nos anos 50 a marca se consolidou - “No lar. No bar. Em todo lugar. Ypióca”. • A YPIÓCA conquistou o mercado internacional - Foi a primeira empresa a exportar aguardente de cana no mercado europeu ao levar o produto, já em 1968, para a Alemanha. • Nos anos seguintes a tradicional cachaça seria introduzida em outros mercados internacionais como Espanha, Itália, Estados Unidos, França, Grécia e Japão. • Nesta época a empresa já produzia 2.5 milhões de litros anualmente.
  4. 4. VICTORINOX Quando meu bisavô Karl Elsener abriu uma oficina de cutelaria para produzir um canivete de soldado para o exército Suíço em 1884, ele teve em mente uma ideia revolucionária. Ele estava procurando um canivete compacto e firme, que oferecesse várias funções combinadas em uma única ferramenta. O que ele inventou há muito tempo tornou-se uma lenda: o Original Canivete do Exército Suíço. Ao longo dos anos, as necessidades dos clientes e a tecnologia mudaram. O Canivete do Exército Suíço evoluiu respondendo a essas necessidades, enquanto permaneceu como uma ferramenta essencial na qual os clientes podem confiar.
  5. 5. VICTORINOX • Com a morte da mãe em 1909 e o aumento da popularidade do aço inoxidável, matéria-prima indispensável à produção dos canivetes, Karl Elsener criou a marca Victorinox, que resulta da junção do nome Victoria à palavra inox. • E após o fim da II Guerra Mundial, a marca tornou-se mundialmente conhecida, graças aos soldados americanos que disseminaram sua fama pelo mundo. • A Victorinox é gerenciada pela quarta geração da família - categorias de produtos, (malas, pastas, mochilas, carteiras e acessórios de viagem). • Por seguir a rígidos padrões de qualidade e princípios, a marca é reconhecida por milhões de pessoas em todo o mundo por valores tipicamente suíços, como inovação, confiabilidade, funcionalidade e qualidade.
  6. 6.  Com estilo e elegância, Gabrielle "Coco" Chanel revolucionou a década de 20, libertando a mulher dos trajes desconfortáveis e rígidos do final do século 19.  Um verdadeiro mito, Chanel reproduziu sua própria imagem, a mulher do século 20, independente, bem- sucedida, com personalidade e estilo. "Eu criei um estilo para um mundo inteiro. Vê-se em todas as lojas "estilo Chanel". Não há nada que se assemelhe. Sou escrava do meu estilo. Um estilo não sai da moda; Chanel não sai da moda." Coco Chanel Símbolo de status
  7. 7. Símbolo de status A bolsa com alças de corrente dourada, o colar de pérolas, o tailleur e o vestido preto são os símbolos de elegância e status que marcaram para sempre a história da moda. Mas foi o seu perfume, o Chanel nº 5 - tido como o mais vendido no mundo -, que a tornou milionária. O perfume foi criado em 1921 por Ernest Beaux a pedido de Gabrielle Chanel, que sugeriu: "Um perfume de mulher com cheiro de mulher". Dentro de um frasco art déco - que foi incorporado à coleção permanente do Museu de Arte Moderna de Nova York em 1959 -, o Chanel nº 5 foi o primeiro perfume sintético a levar o nome de um estilista. Disponível em: <http://almanaque.folha.uol.com.br/chanel.htm>. Acesso em: 26 ago. 2014. 00:18:32.
  8. 8. • Com estilo e elegância, Gabrielle "Coco" Chanel revolucionou a década de 20, libertando a mulher dos trajes desconfortáveis e rígidos do final do século 19. • Um verdadeiro mito, Chanel reproduziu sua própria imagem, a mulher do século 20, independente, bem-sucedida, com personalidade e estilo. "Eu criei um estilo para um mundo inteiro. Vê-se em todas as lojas "estilo Chanel". Não há nada que se assemelhe. Sou escrava do meu estilo. Um estilo não sai da moda; Chanel não sai da moda." Coco Chanel
  9. 9. Gestão da empresa familiar – família
  10. 10. Conflito de Interesses • Disciplina; • A preparação dos sucessores; • O processo sucessório; • Quem deve sair e quem deve ficar no comando?
  11. 11. Governança Corporativa? • Distinção clara entre propriedade e gestão; • Preservação dos princípios e valores da família – ética; • Definição de limites; • Critérios; • Relacionamentos.
  12. 12. EMPRESAS FAMILIARES: GESTÃO EMOCIONAL versus GESTÃO PROFISSIONAL
  13. 13. Existe um padrão histórico: FASE INICIAL: de crescimento e expansão, sob a direção de seu criador. SEGUNDA GERAÇÃO: que pode ser chamada de “ADMINISTRADORES DO SUCESSO”. TERCEIRA GERAÇÃO: é a dos administradores da estagnação.
  14. 14. FALTA DE GESTÃO FALTA DE PLANEJAMENTO FALTA DE PREPARAÇÃO/FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONFLITOS DE INTERESSES DA FAMÍLIA E OS DA EMPRESA ADMINISTRAÇÃO FAMILIAR Pontos Fracos
  15. 15. ADMINISTRAÇÃO FAMILIAR Pontos Fracos FALTA DE COMPROMISSO DOS HERDEIROS DESCAPITALIZAÇÃO da empresa Situações em que PREVALECE O EMPREGO DE PARENTES CONTROLES CONTÁBEIS IRREAIS
  16. 16. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO A missão do Conselho de Administração é PROTEGER o patrimônio e maximizar o retorno do investimento dos proprietários, AGREGANDO VALOR AO EMPREENDIMENTO. O Conselho de Administração deve ZELAR pela manutenção dos VALORES DA EMPRESA, CRENÇAS E PROPÓSITOS DOS PROPRIETÁRIOS
  17. 17. GESTÃO Executivo Principal e Diretoria Transparência O executivo principal deve PRESTAR TODAS AS INFORMAÇÕES de real interesse, obrigatórias ou espontâneas, para os proprietários e para todas as partes interessadas. O relatório anual deve conter uma declaração a respeito de quais práticas de GOVERNANÇA CORPORATIVA são cumpridas.
  18. 18. “A empresa e a família só sobreviverão e se sairão bem se a família servir à empresa. Nenhuma das duas se sairá bem se a empresa for dirigida para servir à família”. PETER DRUKER PROFISSIONALIZAÇÃO – O DILEMA
  19. 19. SUCESSÃO Fontes comuns de conflito Quem ficará encarregado? Quando acontecerá? Como ocorrerá?
  20. 20. COMO PERPETUAR O Processo de sucessão deve iniciar cedo e com a participação do fundador; Crie, ou contrate, uma competente estrutura para gerir o patrimônio de forma profissional e buscando atender o interesse coletivo; Desenvolva um clima de diálogo para tratar dos conflitos já existentes e dos que podem aparecer. Separe claramente os conceitos de: Família, Propriedade e Empresa.
  21. 21. CONSELHO DE FAMÍLIA Assegurar a permanente unificação da família, seus princípios e valores éticos; Assegurar o controle societário através dos grupos familiares; Estabelecer um código de conduta e ética que regulamente o relacionamento entre empresa, sócios, herdeiros, sucessores e administradores;
  22. 22. MODELO DE ACORDO COM A GOVERNANÇA CORPORATIVA
  23. 23. COMITÊS O Comitê é órgão colegiado de assessoramento criado pelo Conselho de Administração da Companhia e é responsável por: - Supervisionar os processos de controles internos e de gerenciamento de riscos da Companhia e da área a qual foi criado. - Avaliar a qualidade e integridade da finalidade para que foi criado.
  24. 24. CONSELHOS COMO TENTAR SAIR DA ATUAL CRISE?
  25. 25. MUITO OBRIGADO!!!

×