Programas sócio torcedor

1.236 visualizações

Publicada em

Programa Sócio Torcedor

Gerar maior envolvimento dos torcedores com a marca
Aumentar a frequência do torcedor no estádio
Aumentar o consumo de produtos licenciados
Incentivar o torcedor a acompanhar o time nos jogos
Diferenciar o torcedor fiel
Fomentar o senso de “comunidade” e a valorização de pertencer
Cativar o torcedor oportunista
Aumentar a interação dos consumidores com a marca

Publicada em: Marketing
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.236
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Programas sócio torcedor

  1. 1. Resultados rápidos, efetivos e simples! ! Programas Sócio Torcedor! Importante:  Fotos  desta  apresentação  foram  2radas  do  Google  Image  
  2. 2. Modelo para o planejamento! Strategic  Discovery   Definição  de  Obje7vos   Definição  do  ‘Target’   Desenho  da  Estratégia   Desenho  da   Mecânica   Diretrizes  de   Comunicação   Implementação  e  Gestão   Viabilidade   Financeira  
  3. 3. Modelo para o planejamento! 1. Strategic Discovery 2. Definição dos Objetivos 3. Definição do Target 4. Desenho da Estratégia 5. Resultados esperados
  4. 4. Modelo para o planejamento! 1. Strategic Discovery 2. Definição dos Objetivos 3. Definição do Target 4. Desenho da Estratégia 5. Resultados esperados
  5. 5. Levantamento de hipóteses e necessidades! •  “Uma listagem de clientes, tão fieis quanto apaixonados vale ouro, ainda mais considerando o tamanho que podem atingir as listas de torcedores / consumidores envolvidos em um programa ST” •  “O Programa é a oportunidade de rentabilizar o nosso maior patrimônio – o torcedor” •  “Não há necessidade do torcedor estar associado de fato, basta ele ter se cadastrado e se tronado, a partir de então um consumidor em potencial dos mais diferentes produtos” •  “O programa é uma oportunidade de mostrar ao mercado publicitário o que podem oferecer...suporte na condução das negociações de patrocínio e de ações de marketing, não só na prospecção e no fechamento mas estendendo ao longo do tempo, cuidando da manutenção e evolução da pareceria” •  “Para encantar de ser um programa diferente dos outros, com algo inesperado” •  “Esta é a oportunidade de ‘conhecer’ o torcedor” •  “Precisamos fazer um programa relevante, encantador e que nào gere frustração para o torcedor” •  “O Programa deve ser simples e claro”  
  6. 6. Objetivo programa ST! Gerar receitas e envolvimento da marca com seus torcedores INFLUÊNCIA  DOS  STAKEHOLDERS  NO  MERCADO   FIFA   Muita  influência   Alguma  influência   Pouca  influência   CONCORRÊNCIA   TORCEDORES  
  7. 7. Programa sócio-torcedor! Intenção •  Gerar maior envolvimento dos torcedores com a marca •  Aumentar a frequência do torcedor no estádio •  Aumentar o consumo de produtos licenciados •  Incentivar o torcedor a acompanhar o time nos jogos •  Diferenciar o torcedor fiel •  Fomentar o senso de “comunidade” e a valorização de pertencer •  Cativar o torcedor oportunista •  Aumentar a interação dos consumidores com a marca
  8. 8. Benchmark : São Paulo! Série  A  Brasileirão    
  9. 9. Benchmark : Grêmio! “Compram produtos licenciados acreditam estar ajudando o time”
  10. 10. Benchmark : Internacional! “O sucesso do programa ocorre porque o clube consegue transformar o torcedor de arquibancada em um SÓCIO PRESENTE, que mantem o clube e que se sente, de fato parte do clube, gerando assim fidelização e receita” - Dirigente do Clube
  11. 11. Benchmark : Vitória!
  12. 12. Benchmark : Avaí!
  13. 13. Benchmark : Palmeiras!
  14. 14. Benchmark : Ponte Preta!
  15. 15. Benchmark : Barcelona!
  16. 16. Manchester United! Comunidade Relação preço-benefício Experiência
  17. 17. Clubes Europeus! Empreendedorismo em gestão dos clubes das marcas futebolísticas trazem resultados •  Modelos estruturados de gestão •  Fontes novas de receitas •  Fidelização dos torcedores •  Boas parcerias •  Excelentes times •  Títulos •  Capital para investir
  18. 18. Modelo para o planejamento! 1. Strategic Discovery 2. Definição dos Objetivos 3. Definição do Target 4. Desenho da Estratégia 5. Resultados Esperados
  19. 19. O PROGRAMA DE SÓCIO TORCEDOR DE UM CLUBE SÓ DEVE SERVIR PARA AQUELE CLUBE E NENHUM OUTRO
  20. 20. Ações estimulo programa! •  Reformulação dos planos do programa •  Estímulos ao plano torcedor Kids •  Acampamento de Férias •  Clinica de Futebol •  Promoção “Dia do Jogador” •  Reformulação do site •  Criação da Revista Sócio-torcedor
  21. 21. Modelo para o planejamento! 1. Strategic Discovery 2. Definição dos Objetivos 3. Definição do Target 4. Desenho da Estratégia 5. Resultados Esperados
  22. 22. Premissa para o sucesso do Programa ST! Conhecer bem o seu torcedor: perfil demográfico ORIGEM   IDADE   CLASSE   18-­‐30   0-­‐12   >  45   GENERO   C   fatores econômicos do estado determinam a sua participação nas receitas do futebol nacional 12-­‐18   30-­‐45  
  23. 23. Concorrência para o programa ST! A concorrência se divide em 2 estágios: o da “pré-escolha do time” e após “a definição do time”
  24. 24. Concorrência genérica! A escolha de alocação de renda disponível. Opções que motivam as pessoas a acompanhar ou não o esporte ALOCAÇÃO  DE  RENDA     EXEMPLO  MERAMENTE  ILUSTRATIVO   80%   70%   60%   50%   40%   30%   20%   10%   0%  
  25. 25. Modelo para o planejamento! 1. Strategic Discovery 2. Definição dos Objetivos 3. Definição do Target 4. Desenho da Estratégia 5. Resultados Esperados
  26. 26. Reformulação dos Planos ! •  Re-balanceamento da proposta preço-benefício dos planos com base estudo de concorrência, renda disponível para futebol, estudo do custo da experiência de ir ao estádio, modelo de segmentação e modelo de RFV •  Obtenção de maior receita com o público das classes A/B •  Adequação do proposta de valor para as classes C/D com o objetivo de aumentar a lotação dos estádios, engajar o público, apoiar o time, e indiretamente atrair patrocinadores interessados •  Estimulo à participação de agregados (ex. público feminino, 3ª idade)
  27. 27. Premissa para o sucesso do Programa ST! Perfil comportamental ; maximizando o acerto das escolhas e do mix mercadológico SEGMENTAÇÃO   EXEMPLO  MERAMENTE  ILUSTRATIVO   ESCADA  DO  ENVOLVIMENTO   DOS  TORCEDORES   FANÁTICOS   CONHECEDORES   AGREGADORES   GASTADORES   CURIOSOS   INDIFERENTES   Fonte:  Marke2ng  Espor2vo  a   reinvenção  do  esporte  na  busca  por   torcedores   Diferentes tipos de torcedores exigem diferentes formas de abordagem do clube para que assim possam se relacionar mais com a marca e consigam tornar cada um de seus torcedores o mais RENTÁVEL possível
  28. 28. Reformulação dos Planos ! MODELO  RFV   EXEMPLO  MERAMENTE  ILUSTRATIVO  
  29. 29. Plano torcedor Kids! “Pré-escolha do time” : a maioria dos torcedores não muda de time após a passagem da infância
  30. 30. Reformulação do site! Mais do que informação Conhecimento Vendas Serviço Novos produtos
  31. 31. Programa sócio-torcedor! Campanhas integradas com soluções analíticas e ações real-time
  32. 32. Programa sócio-torcedor! Mobile
  33. 33. Os melhores programas ST são! 1.  2.  3.  4.  5.  Uma extensão da marca A melhor forma de relacionamento marca - cliente Personalizados Geram valor para o sócio e para a marca Torcedores ganham descontos e outros benefícios, preferencias, experiências especiais 6.  Torcedor elegíveis devem possuir o cartão 7.  A regra de elegibilidade ou acúmulo de benefícios é sempre relativa ao gasto Em alguns programas existem aceleradores em campanhas pontuais. 8.  Acompanhamento e gestão online do programa 9.  Comunicação relevante, personalizada e digital (“paperless”) 10.  Presença em mídias sociais 11.  Mobile loyalty
  34. 34. Modelo para o planejamento! 1. Strategic Discovery 2. Definição dos Objetivos 3. Definição do Target 4. Desenho da Estratégia 5. Resultados esperados
  35. 35. Objetivos! Mais valor para os torcedores 1.  Maximizar a satisfação dos torcedores 2.  Otimizar a “experiência” 3.  Melhorar a qualidade e rapidez dos serviços 4.  Ajudar canais e parceiros a ganhar tempo 5.  Melhorar o acesso a produtos e serviços 6.  Criar uma comunidade 7.  Estabelecer uma estrutura de Marketing Colaborativo
  36. 36. Objetivos! Maior eficiência operacional 1.  Reduzir o custo das ações de marketing e vendas 2.  Otimizar ações promocionais 3.  Reduzir o custo do atendimento ao torcedor 4.  Enriquecer os resultados e/ou reduzir o custo das Pesquisas de Mercado 5.  Aumento na captura de dados de torcedores, possibilitando a construção de databases e de modelos de segmentação e rfv que multiplicam a efetividade das ações de Marketing 6.  Melhorar o desenvolvimento de produtos 7.  Melhorar o planejamento estratégico e as decisões de negócios
  37. 37. Objetivos! Crescimento de receitas 1.  Ampliar a base de torcedores e sócio-torcedores (atrair novos) 2.  Aumentar a reativação de sócio-torcedores perdidos 3.  Ampliar a retenção dos sócio-torcedores lucrativos 4.  Reduzir a taxa de perdas (churn, atrito) 5.  Ampliar a frequência de uso 6.  Obter maior índice de recompra 7.  Aumentar a migração de clientes para uma compra múltipla 8.  Obter maior índice de cross-sell 9.  Elevar o ticket médio de clientes 10.  Aumentar o share-of-wallet de clientes
  38. 38. Executivos! Christiano Ranoya! •  Diretor da INDICO|U-NEAR. Professor do Curso de Marketing Direto na ABEMD há 12 anos. Ex-professor de graduação da ESPM. MBA em Finanças e Marketing Internacional pela Califórnia State University com pós-graduação em Marketing pela Califórnia State University e bacharel em Economia pela PUC-SP. Nos últimos anos desenvolveu, implementou e gerenciou mais de 60 programas de relacionamento, DBM e fidelidade. Experiência profissional no Brasil e no exterior em empresas como MarketData, MarketSystem, Banco Santander, Lacta, Votorantim Celulose e Papel, e Biokinetics (EUA), entre outras. Seis anos de experiência internacional (EUA e Suíça).! Luiz Panareli! •  Diretor da INDICO|U-NEAR. Formado em Análise de Sistemas pela Universidade Paulista, formado em Marketing pela Universidade Metodista e com MBA em Marketing pela FGV-SP. Possui mais de 20 anos de experiência nos mercados de tecnologia, DBM e Customer Business Intelligence. Liderou grandes projetos em empresas conceituadas como Banco Santander, Banco Abn Amro Real, Aymoré, C&A, Serasa e Banco Itaú. Em 2009, empreendeu e construiu a MyDBM, onde desenvolveu tecnologia proprietária para soluções de enriquecimento de dados, dirigiu implantações de importantes projetos de DBM, Customer Business Inteligence e CRM.!
  39. 39. Endereços! Rua Dr. Renato Paes de Barros, 717 4º. Andar – São Paulo! Rua do Russel, 270 – 2º. Andar – Rio de Janeiro!
  40. 40. Chris  Ranoya   chris2ano.ranoya@indico.unear.net   +55  11  99231-­‐0501    

×