Jornal digital 4635_qui_26032015

346 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal digital 4635_qui_26032015

  1. 1. www.grupocorreiodosul.com.br ANO XXIV EDIÇÃO Nº 4.636 QUINTA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2015 R$ 2,00 Grupo 30º 20º Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite. Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense C Slassi ul te ej moH Geral Policial ProjetodoJudiciário rende novosfrutos Bandidosexplodem caixadoBradesco Sombrio Meleiro 5Página Policial Donodebaré assaltadoeagredido Maracajá 13Página 7Página Rapazquecaiudo cavaloprecisadeajuda Mãe Implora 3Página C M Y CM MY CY CMY K Rodape_Jeronimo.pdf 3 03/03/2015 15:34:31
  2. 2. Política Jarbas Vieira Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 jarbas@grupocorreiodosul.com.br (48) 9966.5326 CHARGEPor:CAZO “O Governador Raimundo Colombo tem a grande oportunidade de quebrar um paradigma, e diminuir de uma vez só as Secretarias Regionais, como sugere o TCE. É momento de reduzir custos”. Ele disse: ‘ ‘Deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) defendendo o enxugamento das SDR’s. Para Daminelli, PPS não tem nada a temer! V ice-prefeitodeSombrio, ValmirDaminelli(PPS), dizqueseupartidoestá tranquilo com relação a uma possível mudança na legislação eleitoral,quevenhaaproibirasco- ligaçõesnaschapasproporcionais. Para ele, o PPS de Sombrio tem totaiscondiçõesdeelegervereado- resnestanovaconfiguração.Prova disso foi o desempenho da sigla na última eleição. Juntos, Daniel BitencourtCardoso(eleito)eJoel- moSilveira(suplente)margearam a casa dos 1.100 votos. Como são onze vereadores eleitos, estima-se que o quociente eleitoral de 2016 Prefeito de Sombrio, Zênio Cardoso (PMDB), e os verea- dores Lucas Coelho (PMDB) e Nego Gomes (PMDB), finali- zaram ontem seu roteiro pela Capital Federal. Nas várias reuniões, os mesmos objetivos: liberação de mais recursos para obras de mobilidade e estrutu- ração do Município, ou agilida- de nos pagamentos para que as obras em andamento como as construções das Unidades Bá- sicas de Saúde (quatro novas estarão prontas em 2015) e das escolas (três já em construção), sejam concluídas. “Nossa agen- da se encerrou com saldo po- sitivo. Obviamente não temos Zênio e vereadores finalizam roteiro (48) 3522-3777 fique entre 1.500 e 1.600 votos. “Somos a terceira força política de Sombrio e estamos nos prepa- rando para isso. Se o pleito fosse Emenda garantida Prefeito de Balneário Arroio do Sil- va, Evandro Scaini (PSD), em viagem à Brasília, está em busca de novas con- quistas para o município. Em visita ao gabinete da deputada federal Geovânia de Sá (PSDB), ontem, uma boa notícia já vem na bagagem. A deputada de Criciúma assumiu o compromisso de liberarumaemendaparaaáreadasaú- de. “Uma emenda importante e que irá contribuir para a melhoria dos serviços prestados no nosso município”, ressal- tou Scaini que agradeceu a recepção e o empenho da deputada. O prefeito Evandro Scaini foi à Brasília na terça- -feira e retorna hoje ao Arroio do Silva. hoje teríamos uma nominata com 15 bons nomes para concorrer, o que nos garantiria a eleição de pelo menos um vereador, embora nossa meta seja dois”, comenta. Independente da mudança ser aprovada no Congresso Nacional em tempo hábil para valer em 2016,DaminellidizqueoPPSestá se preparando para concorrer iso- ladamente na proporcional. “Esta- mos trabalhando fortemente essa ideia.Oresultadodasduasúltimas eleições (municipal e estadual) nos credencia a isso”, completa. Obviamente que o vice-prefeito sabe que a segurança que o PPS Possibilidades Em sua passagem por Som- brio, Dóia Guglielmi mostrou confiança no seu retorno a As- sembleiaLegislativa.Sãotrêspos- sibilidades: apuração dos votos daurnadeIçara(aindapleiteada na justiça); embarque do PSDB no governo Colombo (em nego- ciação);eaeleiçãodeumtucano como prefeito em 2016. de Sombrio possui não se repete em outras praças. Porém, decisões com relação a fusões com outras siglas só podem ser tomadas pelo alto comando do partido. respostas e liberações imediatas porque não é assim que funcio- na o poder público no Brasil, a burocracia emperra. Mas saímos cientes de que teremos novidades muito boas para os sombrienses em breve e daremos continuida- de a obras como as do Pacs, que estão a pleno vapor por todo o município”, disse o prefeito que na imagem aparece em uma reunião na Secretaria de Articu- lação Nacional, comandada por Acélio Casagrande (PMDB). www.vitaanalise.lablaudo.com.br
  3. 3. Ana Maria está vi- vendo um misto de sen- timentos, nenhum deles agradável. É sofrimento pela dor do filho, medo de perdê-lo,indignaçãoporele não ter se cuidado e ansie- dadeintensapornãopoder proporcionar tudo que ele precisapelospróximostrês meses. Desde o primeiro graveacidentedeCisso,em que também ficou à beira da morte, a mãe começou a ter ataques de pânico e depressão profunda, já tendo tentado o suicídio. Agora, diante da sombra da morte novamente, ela clama por ajuda. “Tenho um casal de fi- lhos.Amoça já está casada e trabalhando, sempre me obedeceu. Mas esse... nun- ca me ouviu. Eu trabalhei a minha vida toda, mesmo Geral 3Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 No entanto, dessa vez não havia muito a ser fei- to. Cisso quebrou a bacia e três vértebras da coluna, ficando à base de morfina, para anestesiar a dor, sem poder fazer cirurgia. Foi mandado para casa, já que não havia mais nada que o hospital pudesse fazer. A mãe, a faxineira aposentada por invalidez Ana Maria Luiza Salazar, de 54 anos, precisa de ajuda. A recomendação mé- dica é de que Cisso fique deitado sobre um colchão ortopédico,emrepousoab- soluto por três meses, sem usar sequer travesseiro. Se a recuperação for boa, ainda assim ele nunca mais vai poder trabalhar. Na tarde de segunda-feira eletevetevealtadoHRAe voltou para a casa da mãe, na Vila São José, ainda com muita dor, tossindo e vomitando sangue. muito fragilizado. Porém, 15 anos depois, Cisso con- tinuava andando a cava- lo, até o último sábado. Eram 13 horas, quando o rapaz montou um cavalo de corrida de prado, que veio de São Paulo para ser revendido na região.A tarefa era levar o animal do bairro Coloninha até a VilaSãoJosé,ondeorapaz mora com a mãe e a filha de 11 anos. Logo na saí- da, na rua Joana Pereira Nazário, Cisso instigou o animal a galopar - sem rédeas de freios. Acostu- mado a correr em campo aberto, o animal disparou eemmenosdecemmetros estava a uma velocidade de aproximadamente cem quilômetros por hora. E corria em direção ao muro de uma casa na esquina da rua Alagoas. A dona da casa estava sentada na varanda e viu quando o cavalo se aproximou. Segundo ela, o cavaleiro tentou pular para evitar a colisão, já que não con- seguia fazer o bicho parar nem mudar de direção. Cisso caiu do cavalo e bateu com as costas. O impacto foi tão forte que chegou a quebrar o muro. O Corpo de Bombeiros foi chamado e, ao chegar ao local, viu a vítima imóvel, deitada de barriga para baixo, sangrando pela boca, com suspeita de he- morragia e traumatismo. Cisso foi levado para o Hospital Regional e aca- bou sendo atendido pelo mesmo médico de 15 anos atrás. > ARARANGUÁ Odomador Alisson dos Santos, o Cis- so, de 33 anos, conseguiu quebrar uma mureta com as próprias costas ao cair de um cavalo, no bairro Coloninha,emAraranguá, natardedoúltimosábado. Ele vinha galopando um cavalo recém adquirido, em alta velocidade, quan- do perdeu o controle e caiu. Este foi o segundo graveacidentequeorapaz sofreu em 15 anos, e agora está entre a vida e a mor- te. Dor e sofrimento para a mãe, uma faxineira já aposentada por invalidez, quenãotemcomoajudaro filho acamado e que agora chora pedindo ajuda. Além de trabalhar comopedreiro,carpinteiro e eletricista, Cisso ainda faz bicos como domador desde a adolescência. Ca- valos sempre foram a pai- xão do rapaz que queria ser jóquei profissional. O sonho foi interrompido logo aos 18 anos de ida- de, quando galopava no acostamento da BR101 e foi atingido por um cami- nhão. Cisso teve hemor- ragia interna, fratura de ossos, três paradas cardí- acas e acabou tendo que extrair um rim e o baço, após 21 dias internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Na época, o médico disse que ele teria que evitar qualquer batida, porque seu corpo estava Domador sofreu um acidente grave, quase ficou paraplégico, sem receber nenhum benefício e mãe aposentada clama por auxílio para cuidar do filho ³Mãe mostra atestado de que Alisson deve permanecer 90 dias imóvel, dependendo da sua aposentadoria Depressão profunda Djonatha Geremias Rapaz que caiu de cavalo pede ajuda Desespero sendo pobre e solteira, fa- zendo faxina, para dar o melhor possível para eles. Eufiqueitãotraumatizada com o primeiro acidente que não consegui mais trabalhar bem como antes, e precisei me aposentar”, conta a mulher. O rapaz não tem em- prego formal nem carteira assinada, trabalhava por conta própria e não era contribuinte da Previdên- ciaSocial.Amãerecebeum salário mínimo de aposen- tadoria e ainda cria a neta de 11 anos.Além de ter que comprar um colchão caro e medicamentos para o filho, ela inda tem dificuldades para cuidar dele em casa, como, por exemplo, ajudá- -lo a fazer as necessidades. Tudoissolidandocomapró- priadepressãoesofrimento. Quem quiser ajudar a família, inclusive com uma cadeira para banho, pode entraremcontatopelotele- fone96155059,oupormeio da Redação do Correio do Sul,pelotelefone88021060, ambos da operadora Tim.
  4. 4. nova escola administrada pelo estado. Este terreno é de propriedade da Cohab e fica situado no lado es- querdo da BR101, sentido Araranguá-Sombrio, no mesmo bairro. De acordo com Rony, a solução do problema não é simples, já que pelo plano inicial, este terreno da Cohabseriautilizadopara construção de moradias populares,maspordecisão dos próprios moradores, o projeto foi cancelado. A área mede 50,74m por 51,23. A questão é que para construção da escola a legislação exige um ter- renocommedidasde100m por 100m. O consenso é que o melhor caminho é formalizar o pedido do terreno junto à Cohab e tentar fazer permuta comalgumproprietáriode terreno situado no sentido oposto da rodovia que pos- sua a dimensão territorial definida por lei. Adiretora Maria José, aZeza,lembrouqueonovo prédio não pode ser cons- truído no atual terreno da escola por dois motivos: primeiro, porque é preciso regularizar a parte do- cumental já que existem nove escrituras, porém o prédio não está aver- bado e segundo porque o total da área não atende a legislação. “No dia 31 estaremosrealizandouma Geral4 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 Da redação Rafael Andrade Escola se mobiliza por novo prédio Mais Uma > ARARANGUÁ Dispostos a contri- buirpararesolver o impasse envolvendo a falta de uma área de terra adequada para a cons- trução do novo prédio da EscoladeEducaçãoBásica Professora Neusa Osteto Cardoso, o presidente da Câmara Rony da Silva, o vereador Adair Jordão e o prefeito Sandro Roberto Maciel participaram na tarde de ontem de uma reunião com a diretora Maria José Barbosa Viei- ³Reunião na escola discutiu a necessidade de construção de um novo prédio ³Falta de ponte dificulta a vida dos agricultores Pais, direção e professores da EEB Neusa Osteto cobram melhorias e com apoio de vereadores e prefeitura negociam doação de terreno pela Cohab ra,integrantesdaAssocia- ção de Pais e Professores (APP) e comunidade. O encontrou foi reali- zado na sede da escola, no bairro Polícia Rodoviária, e prefeito e vereadores apresentaram o resultado dasreuniõesrealizadasem Florianópolissobreotema. Uma das conversas foi com o presidente da Com- panhia de Habitação do Estado de Santa Catarina (Cohab/SC), Ronélio Hei- derscheidt,quefoisensível as reivindicações dizendo que é possível viabilizar a doação de uma área de terraparaaconstruçãoda competente, ficará a pé e terá o veículo guinchado. Pegamos muitos casos assim”, informa Adilson. Como as máquinas não são emplacadas, não é possível aplicar notifica- ção ou multa. Existe uma lei em tramitação no Con- gresso para que este tipo de veículo receba placas, o que ainda está longe de ocorrer devido à com- plexidade do assunto e o envolvimento de milhões de brasileiros. Algumas colheitadei- ras chegam a ocupar as duas faixas da rodovia devido ao tamanho, o que obviamente prejudica o fluxo de outros veículos. Esta situação já se ar- rasta desde o Furacão Catarina, em março de 2004, quando uma ponte sobre o Itoupava foi ar- rastada pela água. Então o maquinário invadiu às rodovias. “Precisamos dar uma volta de 20 qui- lômetros, que demora duas horas, para escoar a nossa colheita. Cinco são pelo asfalto, o que gera este conflito com a polícia estadual. Tudo devido à falta de uma ponte”, re- clama o agricultor Ângelo Simon. > ERMO A situação para dezenas de agriculto- res de Ermo e Turvo parece estar cada vez mais difícil na questão do transporte dos pro- dutos. A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) de Içara, responsável pela fiscalização na SC 285, intensificou a fiscaliza- ção aos condutores de veículos agrícolas. Boa parte são moradores da comunidade rural de Turvo Baixo, que curiosamente pertence ao município de Ermo, onde há uma imensa área de plantação de arroz. Eles pedem mais tolerância à polícia e uma solução à prefeitu- ra para que uma ponte seja construída sobre o rio Itoupava, o que po- deria diminuir o trânsi- to pela SC. É proibido o tráfego de veículos agrícolas e de terraplanagem em rodovias. O sargento Adilson de Oliveira, do posto da PMRv de Içara, explica que há uma fiscalização mais branda, mesmo assim alguns condutores se- rão punidos. “Sabemos que é uma região de lavouras e há a neces- sidade de escoamento dos alimentos. Ainda toleramos em alguns casos e orientamos. No entanto, o condutor de maquinário agrícola que passar na rodo- via sem a habilitação Comunidade pede construção de ponte A antiga traves- sia foi construída por meio de uma parceria entre as prefeituras de Ermo e Turvo, e a comunidade. O prefeito de Ermo, Aldoir Cado- rin, o Zica, reconhece a necessidade e garante que a obra faz parte do seu planejamento. “No entanto, empacamos em duas questões: uma discussão ambiental e a principal, que é a falta de recursos. Ten- tamos a viabilização com o deputado José NeiAscari e outras fon- tes. É preciso primeiro efetuar um projeto e depois correr atrás de parcerias e parceiros”, resume Zica. São qua- se 50 metros de ponte. O prefeito completa que a administração municipal não tem di- nheiro em caixa para esta obra. “Temos ou- tras prioridades. Esta não foi uma pauta de administrações ante- riores, mas já faz parte de conversações deste mandato. Sabemos das imensas dificuldades e entendemos o anseio daquela comunidade”, finaliza Zica. assembleia entre pais e professores. Este assunto será novamente aborda- do”, afirmou. A Neusa Osteto fica na rua Eduardo Generoso Pereira, na Polícia Rodo- viária, e apresenta pro- blemas como infiltrações, rachaduras, falhas no piso, problemas no telha- do, na instalação elétrica e hidraúlica já não atende a crescente demanda de estudantes. Hoje, à Escola Estadual atende aproxi- madamente 600 alunos do ensino fundamental e médio, ministrando aulas nos turnos da manhã, tar- de e noite. A construção do novo prédio foi garantida junto ao Governo do Estado em parceria com Governo Federal em 2014, atra- vés de ações do deputado estadual Manoel Mota. Na obra estão previstos investimentos na ordem de quase R$ 8milhões. Pelo projeto o prédio terá 5.956,08 m2.
  5. 5. Política Rolando Christian Coelho Geral 5Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 PP adia convenções. Sasso concorda Jovens recebem nova oportunidade Qualificação De infratores, 13 adolescentes passam a ser bons profissionais depois de passar por projeto do Judiciário P artido Progressista optou por adiar suas convenções em nível nacional, estadual e municipal, queestavammarcadasparaomês quevem.Paraocoordenadorregionaldasigla, José Hilson Sasso, a medida é acertada, face a turbulênciainternaporquepassaopartido,em decorrência dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Com a decisão, que foi imposta pela exe- cutivanacional,todososatuaisdiretórioseseus comandos permanecerão como estão pelos próximos seis meses. Somente em setembro é que se promoveriam as eleições internas do PP. Ainda que concorde com a decisão, Sasso, quealémdecoordenadorregionalétambémo presidente do partido em Araranguá, diz que consultará o PP Estadual sobre a possibilidade de realizar a convenção em seu município em abril, como estava agendado. “Se for possível gostaria que fosse mantido o calendário para o qual estávamos programados ao menos em Araranguá, mas se a prorrogação tiver que ser seguida a risca vamos acatar sem problemas”, comenta.Ocoordenadortambémdissequevai consultar as demais executivas do PP de nossa região para saber suas posições individuais. Um dos problemas de se marcar as novas convenções do PP para setembro está ligado a exiguidade de tempo para novas articulações, com vistas a 2016. É que no início de outubro desteanoseencerraoprazoparatransferências partidárias.Osnovosdiretórioseexecutivasdo PP teriam pouquíssimo tempo para um traba- lho mais profundo junto as bases políticas dos municípios. Especialmente em municípios de pequeno e médio porte como são os de nossa região, dependendo de quem seja o presidente de um partido os aliados ou desafetos podem mudar radicalmente. AsituaçãodoPPémaiscomplicadaainda se levarmos em conta a real possibilidade do fim das coligações proporcionais. Muitos filia- dos de pequenas siglas, que querem disputar ano que vem com chances de vitória, podem querer procurar abrigo no ninho progressista, mas isto só deverá acontecer em setembro. Sem saber quem será o comandante do PP diante do pleito de 2016, a tendência é que os filiados das pequenas siglas acabem olhando commelhoresolhesparaaquelespartidosque já têm seu futuro definido. Coligações proporcionais (I) Coligação proporcional em 2012 viabili- zou a eleição de quase a metade da Câmara Municipal de Praia Grande. Quatro dos nove vereadoressóseelegeramporcontadacarona da legenda de outras siglas. Edimiter Aguiar (PCdoB),CleidimilsoRauppdeSouza(PSD) e Wanderléia Fregulia Reos (PT) garantiram suascadeirasnolegislativoporcontadeuma coligação com o PP. Já Volney da Silva Mellos (PSDB) se elegeu graças a aliança que seu partidofezcomoPMDB.SeaPECqueacaba com as coligações proporcionais estivesse em vigor em 2012 nenhum deles teria sido eleito. Diante da iminente aprovação da PEC o dilema agora é saber qual o futuro político de todos. Coligações proporcionais (II) No caso dos eleitos pelo PC do B, PT e PSD de Praia Grande, a situação é bem mais complicada do que se possa imaginar. Com a aprovação da PEC que põe fim as coligações proporcionais eles têm dois caminhos: ficar onde estão e correrem o risco de não se re- elegerem, ou saírem do partido e correrem o risco de serem cassados por infidelidade partidária. A única saída legal sem maiores consequências seria a renúncia de seus man- datos até setembro deste ano, e a filiação a outrasiglatradicional,ondealegendaécerta. Há também a possibilidade de concorrerem mesmo sem coligação, indo para o tudo ou nada. Já o PSDB de Praia Grande não alcan- çou legenda sozinho em 2012, mas chegou muitopróximodisto,oquedáaentenderque opartidopodeelegeraomenosumvereador, mesmo concorrendo sem coligação. Valdinei Nichele > SOMBRIO Odiretor do foro da comarca de Som- brio, juiz Evandro Volmar Rizzo,reuniumaisumavez colegas do Judiciário, re- presentantes do Ministério Público,poderesExecutivo, Legislativo, empresários e famílias no final da tarde de ontem para a entrega de certificados a participantes do projeto ‘Oficinas profis- sionalizantes para adoles- centes em cumprimento de medidas socioeducativas’, reconhecido como referên- ciapeloTribunaldeJustiça de Santa Catarina. Prestigiaram o encer- ramento do 2º ciclo do pro- jeto o juiz Stefan Moreno; Alexandre Takashima, juiz corregedor do TJSC, a pro- motora Elizandra Sampaio Porto, o vice prefeito de Sombrio Valmir Daminelli, a vice prefeita de Balneário Gaivota Terrimar Ramos ³Juiz Evandro (direita) ouve os elogios do corregedor pelo sucesso do projeto Pereira, o presidente da CâmaradeSombrioDaniel Bitencourt, representan- tes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e de entidades que atuam na proteção dos direitos da criança e do adolescente. A solenidade serviu para entrega de certifica- dos a nove dos 13 jovens que concluíram cursos de Vendas, Informática e Cos- tura.“Éumprojetoquedeu certopelocomprometimen- to de todos os envolvidos, que serviu inclusive para demonstrar a estes adoles- centes que há pessoas e en- tidades preocupadas com o futuro deles, garantindo que tenham oportunidade de seguirem no caminho correto”, declarou Evandro que coordenou as ações do projeto desde o seu início, em 2014. Aos poucos, os jovens que concluem os cursos profissionalizantes estão sendo recebidos em em- presas, que manifestaram apoio ao projeto e satis- fação com a atuação dos novos contratados. “Vocês não têm ideia do quanto representam no Estado. Já se tornaram referência e já fazem a diferença na vida de muitas pessoas”, declarou o corregedor. Antes do início da ce- rimônia, juiz Evandro informou da possibilidade de integrar o projeto do Judiciário com os cursos que devem ser oferecidos a partir da vinda do Senai para Sombrio. “Tivemos uma reunião há alguns dias e foi levantada essa possibilidade. Seria uma forma de fortalecer ain- da mais esse trabalho”, explicou. Dos 13 jovens que rece- beram certificados, três já estãoempregados.“Apartir de amanhã já faremos visi- tas às empresas em busca de novas vagas para estes adolescentes”, informaram as profissionais da Vara da Infância e Juventude. ADVOCACIA EMPRESARIAL FONE: (48) 3533-0145 Quase intrigados ComentáriosemBrasíliadãocontadeque relaçãopessoalentreapresidentaDilmaRous- seff (PT) e o ex-presidente Lula da Silva (PT) estáporumfio.Omotivoésimples:Dilmanão acata um conselho sequer de seu antecessor. UmexemploemblemáticoéatentativadeLula de fazer com que Dilma desista de aprovar o ajuste fiscal no Congresso Nacional. Na visão deleoatualmomentopolíticodogovernonão éfavorávelaisto.Dilma,noentanto,insisteno ajuste,semostrandomaispreocupadacomas contas do governo do que com a recuperação da imagem de seu mandato, que seria ainda mais abalado com novos impostos. A presi- denta, de fato, parece ter sofrido um apagão de sensatez. Das antigas PrefeitodeJacintoMachado,Antôniode Fáveri,umdosmaisantigospetistasdenossa região,dizqueéplenamentefavorávelacon- denação e expulsão dos quadros do partido daqueles envolvidos nos recentes escândalos em nível nacional, que tiverem suas culpas comprovadas.“OPTfoifundadocombasenos princípiosdamoralidadeedaéticanapolítica. Eu penso que não podemos abrir mão desta linha em hipótese alguma”, ressalta. De todo modo, o prefeito diz achar estranho o fato do PTestarsendomassacradoemnívelnacional quasedeformaisolada,tendo-seemvistaque a maioria dos políticos envolvidos nos escân- dalossãodeoutrospartidos.“Nãoquerocom isto dizer que há uma campanha midiática contra o PT, mas os pesos e as medidas pare- cemquenãoestãosendoequivalentesnoque diz respeito às responsabilidades”, comenta.
  6. 6. Fundado em 5 de Junho de 1990 - Dia Mundial do Meio Ambiente Jornalista Rolando Christian Sant’ Helena Coelho - Fundador Jornal Correio do Sul Publicações legais: Tomaz Fonseca Selau l48l 9985.8573 tomaz@grupocorreiodosul.com.br Financeiro Joice Ramos l48l 8802.5883 financeiro@grupocorreiodosul.com.br Comercial: Igor Borges l48l 9968.6084 comercial@grupocorreiodosul.com.br Diretor Geral Jabson Muller l48l 9955.5313 jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br Diagramação/Arte: Cristian Mello l48l 3533-0870 correiodosul@grupocorreiodosul.com.br Sul Gráfica Junior Muller l48l 9931.4716 sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br Redação: Marivânia Farias l48l 9995.9290 editor@grupocorreiodosul.com.br Política: Jarbas Vieira l48l 9966.5326 jarbas@grupocorreiodosul.com.br Radio 93FM Cássia Pacheco l48l 9912.9588 radio93fm@grupocorreiodosul.com.br Circulação/Assinatura l48l 3533.0870 assinaturas@grupocorreiodosul.com.br Rua João José Guimarães,176, Centro - Sombrio/SC - Fone: (48) 3533 0870 Editora: J. R. Pereira - ME CNPJ 17.467.695/0001-19 C.S. Empresa Jornalística LTDA. Geral6 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 Parabenizo e agradeço o empenho e desempenho de todos que contribuíram para que Santa Catarina apresente os melhores índices na Operação Veraneio. Hoje, 12% da nossa economia é decorrente do turismo, um vetor importante para o nosso desenvolvimento. Governador Raimundo Colombo, durante a apresentação dos resultados da Operação Veraneio 2014/15 “ ” Celesc vai inaugurar subestação PeloEstado N o dia 1º de abril, a Celesc vai inaugurar uma nova subestação em Mondaí, no Oeste do Estado. É a primeira subestação do muni- cípio, antes atendido por Palmitos, e terá capacidade instalada inicial de 26,6 Megavolt ampère (MVA), beneficiando não só Mondaí, mas também os vizinhos Iporã D´Oeste e Riqueza. A companhia investiu pouco mais de R$ 2 milhões na obra. Na apresentação dos resultados da Operação Veraneio 2014/2015, ontem pela manhã, em Florianópolis, o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, explicou que, para melhorar a confiabilidade, foram investidos R$ 120 milhões na expansão do sistema. A empresa atuou em duas outras frentes para evitar desligamentos no período considerado o mais crítico do ano: podas e roçadas, que exigiram quase R$ 12 milhões em recursos, e reforço no atendimento, com a con- tratação de 32 equipes de eletricistas. O resultado do esforço foi positivo na avaliação de Siewert, sem o registro de pontos de sobrecarga no siste- ma elétrico, apesar das altas temperaturas, do crescimento de 25% no nú- mero de visitantes e das ocorrências climáticas, especialmente descargas elétricas e ventos, mais frequentes e intensos que em anos anteriores. Regionais Deputado Rodrigo Minotto (PDT) reconheceu, ontem, que a política de descentralização buscava atender o cidadão na região onde ele vive. “Sem dúvida, uma forma de governar mais democrática e republicana.” Entretanto, para ele existem secretarias de Desen- volvimento Regionalizado (SDRs) que “não fazem mais sentido” por serem “inoperantes”. Realinhamento Da Tribuna da As- sembleia, disse que faltam condições orçamentárias e também eficiência na execução de tarefas. Minotto propôs um realinhamento dessas estruturas, poten- cializando as eficientes e eliminando as que não dão respostas efetivas à popu- lação. “O Executivo tem que trazer essa discussão à baila, quem sabe na reforma administrativa que vem anunciando e que ainda não conhecemos. Nem uma linha!”, reclamou. Recurso O advogado Rafael Maia entrou ontem mesmo com um recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na ten- tativa de reverter a cassação do prefeito de Brusque, Paulo Eccel (PT), e seu vice, Evandro farias (PP). Maia combinou o recurso com pedido de medida cautelar para que Eccel e Farias permaneçam nos cargos até o final do julgamento. O pro- cesso foi motivado por gastos com pu- blicidade e estava nas mãos do ministro Gilmar Mendes desde o início de 2013. Feira O Sebrae-SC, por meio do Pro- grama Sebrae Beleza & Bem Estar, está apoiando a ida de 15 empresas catari- nenses à maior feira de estética da Amé- rica Latina, Hair Brasil, entre 28 e 31 de março, em São Paulo. A participação das empresas catarinenses é importante para fortalecer e dar visibilidade nacional à produção do estado, que atualmente conta quase cem empresas do setor. Andréa Leonora �lorian��olis ���lorian��olis �� 26Mar15 Regulamentaçãofundiária Já em casa, mas fora de qualquer ati- vidade por, pelo menos, mais 15 dias, o senador Paulo Bauer (PSDB) recebeu outra boa notícia após o sucesso da ci- rurgia cardíaca que enfrentou. A Co- missão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou parecer favorável à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 71/2011 de Bauer que cria um marco regulatório para a regulamentação fundiária no país. O projeto prevê a indenização para proprietários cujas terras forem consideradas indígenas a partir da Constituição de 1988. O relatório, do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), reconhece o mérito da matéria que obriga a indenização para os colonos sobre as melhorias efetuadas por eles nas propriedades e define também que o valor da terra nua seja acrescido ao valor indenizado. A PEC foi aprovada com entusiasmadas declarações dos demais senadores. Todos unânimes ao indicar que a proposta de Bauer dá segurança jurídica e promove a paz no campo. O texto agora está pronto para ser votado em Plenário. Se aprovado, seguirá para a Câmara dos Deputados. ArturHugen/Arquivo-2012 DIVERSÃOELAZERGARANTIDOS QUARTA,SÁBADOEDOMINGO BR101-KM413-ARARANGUÁ
  7. 7. Polícia 7Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 Rafael Andrade ³Apesar do estrago, caixa resistiu e não se rompeu ³Carga ficou diante dos olhos gulosos do povo Ladrões de banco agem novamente Posto de atendimento foi alvo dos criminosos. Bananas de dinamite foram utilizadas e destruíram vidros e uma porta Bradesco > MELEIRO Meleirotemsetemil habitantes, mas está longe de ser uma típica cidadezinha brasileira do interior, que vê o tempo pas- sar sem que os moradores se preocupem com a crimi- nalidade. A insegurança, porém, não é exclusividade do município. Vagabundos desocupados estão à solta por todas as regiões do país. Nesta madrugada, por volta das3horas,oalvofoioposto deatendimentodoBradesco, na rua 7 de Setembro, no Centro,aoladodaprefeitura. O único caixa eletrônico do local foi danificado por umaexplosãoprovocadapor uma quadrilha em atuação no sul do estado desde o início do ano, que a polícia ainda não conseguiu pegar. O aparelho foi totalmente danificado, mas os ladrões fugiramcomasmãosvazias, jáqueocofredocaixarápido não foi atingido. O gerente do posto, Taylor Facchini, informa que há vários correntistas no município e o serviço de caixa ficará interrompido por cerca de 20 dias, até que acentraldoBradescorecolha oequipamentoatingidopela explosão e o substitua por um novo. Diferente do que ocorreu em Ermo. No dia 30 de janeiro deste ano, uma quadrilha, possivelmente a mesma, agiu na cidade vizi- nha a Meleiro, também em um posto de atendimento do Bradesco. Da mesma forma utilizaram dinamite, mas não conseguiram acessar o cofre. O posto de Ermo foi completamente destruído e o serviço não será retomado. Alémdecaixaeletrônico para serviços de saque, de- pósitos e cheques, o posto do BradescodeMeleiromantém o atendimento aos clientes das 10 horas às 12h30min, edas13h30minàs15horas. “Apesar dos estragos, o ser- viço de abertura de conta, financiamento e emprésti- mosestãoemcurso”,garante Taylor,quefoiavisadodaex- plosãoàs3h30mindeontem, portanto, 30 minutos após a ação criminosa. Um inquérito foi ins- taurado na Polícia Civil de Meleiro, mas o caso irá cor- rer pela equipe de Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Criciúma. “Vamos levantar todos os detalhes possíveis sobre a explosão e encaminhar para Criciú- ma. Não temos efetivo para trabalhar nesta tentativa de furto no banco. Além deste motivo, acredita-se que a quadrilha que agiu na rua 7 de Setembro foi a mesma que atuou em duas recentes ações criminosas do gênero, umaexplosãoaumcaixaele- trônicodeNovaVenezaeou- tra em Siderópolis”, informa o policial civil Joel De Luca, responsávelpeladelegaciade Meleiro. Logo após a fuga do crimemalsucedido,aPolícia Militar realizou diversas rondas para tentar localizar os bandidos,sem sucesso. A suspeitaéqueobandoestava fortemente armado e tenha fugido em direção à antiga Capital do Carvão. Nãohácâmeras de monitoramento no posti- nho, nem na rua por onde os assaltantes possam ter passado. Isto pode dificultar muito o trabalho da polícia. Daniele Roma Agnelli, que mora a duas quadras do banco, disse que chegou a ouvir o estrondo, mas vol- tou a dormir pensando que fosse um rojão. “Isso deixa qualquerumassustado,pois podem ocorrer troca de tiros comapolíciaeumabalaper- didaatingiralguminocente”, preocupa-se. Duplaépresaemãepededroga PMimpedesaquedecargadePepsi > ARARANGUÁ Dois rapazes foram pegos no fim da tarde de ontem traficando um tor- rão grande de maconha na garagem de um super- mercado, em Araranguá. Um deles, que assumiu ser o dono da droga, é filho de um traficante da cidade, já falecido. No celular do rapaz,amãedelepediaque ele trouxesse um pouco da droga para casa. ADivisãodeInvestiga- çãoCriminal(DIC)daPolí- cia Civil recebeu denúncia > SANTA ROSA DO SUL Altair Rogério de Oli- veira, de 47 anos, conduzia uma carreta carregada de Pepsi próximo ao Morro do Português, em Santa Rosa do Sul, quando a barra de direção quebrou, perdeu o controle e tombou o veículo na marginal da rodovia.As 29 toneladas do refrigeran- te não chegaram a se espa- lhar na pista, mas ficaram mostra para saqueadores, que se aglomeraram com rapidez. Omotoristasofreuape- nas arranhões nas pernas e não quis atendimento de urgência dos bombeiros de Sombrio, que estiveram no local. A carga foi protegi- da pela Polícia Militar de Santa Rosa do Sul até a chegada da Polícia Rodovi- áriaFederaldeAraranguá. Otrânsitonaviamarginal, de que o tráfico aconteceria nagaragemdosupermercado no fim da tarde. Às 18 horas, os agentes já estavam em prontidão, esperando pelos jovens, e foi quando flagra- ram a tentativa de venda da droga.Osdoissãoconhecidos da polícia e portavam um torrão de maconha pesando 48 gramas. AislamFelicidade,de18 anos, teve a infelicidade de cair nas mãos da polícia de novo. Ele já tem passagens por tráfico de drogas. Seu parceiroéMárioConstantino FidelisJunior,18.Segundoo próximo à comunidade de São Cristóvão, em direção norte, foi totalmente blo- queado até a retirada do refrigerante.Acarreta deve serguinchadasomentehoje. Parte do guardrail ficou destruído. Altair pegou a carga na cidade gaúcha de Sapucaia do Sul e seguia em direção a Criciúma. “Esta parte da BR-101 é muito ruim. Tem alguns pontos com elevação. Após delegado cooordenador da DIC, Jorge Giraldi, o pai de Junior era um grande traficanteejáfaleceu.Pelo celular a mãe dele pedia, pelo aplicativo WhatsApp, que o filho trouxesse um pouco da droga para ela. Aislam estava na posse o torrão grande de maconha, mas Junior as- sumiu a propriedade. O delegado decidiu abrir inquérito para averiguar melhor a história. Em se- guida,elesforamliberados e vão ser investigados em liberdade. ter passado em um deles, abarradedireçãoquebrou e acabei tombando. Ain- da bem que ninguém foi atingido. Foram apenas danos materiais”, detalha o motorista. Ele dirige há 15 anos e denuncia já ter passado por vários cami- nhoneiros com problemas nos veículos justamente neste trecho. O condutor temfériasagendadaspara começar hoje.
  8. 8. Entretenimento Novelas - Horóscopo - Diversão Cruzadinha Novelas Sete Vidas -18h Alto Astral -19h Babilônia -21h N ildes revela a Laura que o acidente de Gustavo e Caíque foi planejado por Marcos e mostra a gravação para a jor- nalista. Tina conta a verdade sobre Pedro para Nicolas. Laura procura Marcos e mostra a gravação que comprova sua armação no acidente com Caíque e Gustavo. Bélgica e Gustavo escutam uma conversa de Suzana e Gaby sobre a morte de Oscar. Scarlett questiona Adriana sobre seus interesses em sua herança. Laura briga com Marcos. B ernardo é solidário a Pedro. Júlia afirma a Elisa que não considera mais Laila como irmã. Vicente conversa com Pedro sobre seu relacionamento com Júlia. Vinícius consegue marcar um encontro com Irene. Luís tenta levar Laila com ele de volta para São Paulo. Júlia faz as pazes com Edgard. Bernardo questiona Pedro sobre seu sentimento por Júlia. Durval convida Marlene para sair. Júlia conta para Laila que se casará e ela tenta falar com Pedro. R egina ofende Inês, que finge indignação e deixa o escritório de Beatriz. Vinícius repreende Regina por falar com Beatriz sozinha. Murilo cozinha para Alice. Norberto garante a Clóvis que fará Luís Fernando voltar para a casa de Karen. Regina fala de Vinícius para Dora. Aderbal tenta seduzir Rosângela. Regina afirma a Dora que descobrirá quem assassinou seu pai. Rapidinhas Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 Áries 21/03 a 20/04 É hora de agir com responsabilidade e maturidade, valori- zandoconquistassólidas.Nãodeveagirapenasporimpulso, mas manter o foco e a constância. Benefícios relacionados à estudos e viagens que lhe capacitam. Leão 21/07 a 20/08 Sagitário 21/11 a 20/12 Enfim,ummomentoemquevocêtendeasesentirmais seguroesereno.Éhoradeimportantesreavaliaçõessobre o amor e também sobre o que você quer estruturar. Ma- turidadeesobriedadesãoessenciaisàssuasrealizações. Gêmeos 21/05 a 20/06 Momento que pode estruturar e consolidar parcerias e relações. Uma fase benéfica para tudo o que envolve as outraspessoas,geminiano.Momentodedesenvolverpro- jetosinteressantesquepossambeneficiarmuitaspessoas. Libra 21/09 a 20/10 Um dia importante para consolidar relacionamentos e situações, libriano. É necessário que aprimore conheci- mentos e a sua capacidade expressão e comunicação. Poderá receber o auxílio de pessoas por quem tem admiração. Aquário 21/01 a 18/02 Iniciativas que não perdem o fôlego, aquariano. É hora de dar andamento a recentes projetos, energia favorável. Momento de estabilização e de consolidação de objetivos. Touro 21/04 a 20/05 Fasedeumacompreensãomaisprofundaeespiritualsobrea realidade.Momentoemqueémuitoimportanteoqueocorre nosbastidoresedentrodevocê.Reflexõessobreosaspectos mais cruciais da vida humana, taurino. Virgem 21/08a20/09 Fase oportuna para negócios, especialmente se en- volvem familiares. Momento de reavaliações sobre os alicercesemocionais,familiaresefinanceiros.Mudanças que podem ser estruturadas com mais serenidade. Capricórnio 21/12 a 20/01 Um momento em que você tende a saber mais, exatamente, o que quer. Fase oportuna para o seu desenvolvimento interno, emocional e subjetivo. A contemplação e a reflexão ajudam nas decisões e atitudes importantes. Câncer 21/06 a 20/07 Excelentemomentoprofissionalaoscancerianos;denovas iniciativaseconhecimentos.Tendeasesentirmaismaduro e estável em termos de carreira. É hora de dar andamento a projetos que vão ampliar os seus horizontes. Escorpião 21/10 a 20/11 Um excelente dia para o trabalho e as finanças dos escorpianos. Tendência a se sentir mais motivado e tambémmaduronoquequerempreender.Éumafase interessante para desenvolver novos objetivos ligados ao trabalho e ao cotidiano. Peixes 19/02 a 20/03 Umdiamuitoimportanteepositivoaotrabalhoeasfinanças. Odesenvolvimentodenovashabilidadespodeserreconhe- cido profissionalmente. É hora de reavaliar as suas ambições e projetos mais significativos. Horóscopo Poderosasliçõesemocionaisocorrendocomosleoninos. É hora de compreender o significado mais profundo de amaredeserelacionar.Oauxíliodaféedaespiritualidade émuitoimportantenestemomento. Exibido no último sábado (21), o quadro em que Grazi Masafera reviveu alguns fatos de seu passado, emocionou. Na ocasião, a atriz lembrou que, quando aindamoravanumahumildecasaemJaca- rezinho, no Paraná, e seu quarto tinha um buraco imenso que a atrapalhava dormir, por conta da claridade que entrava por ali, pediu ao seu primeiro amor, da época, que ele tapasse o tal buraco, como presente de aniversário. A coluna Retratos da Vida, do jornal Extra, foi atrás desse antigo amor de Grazi e descobriu que ele se chamava Michel Marques e trabalhava como segurança em Curitiba até o ano passado, quando morreu num acidente de carro, aos 38 anos. Um dos principais assuntos da entre- vista que Fernanda Montenegro deu para a revista Contigo!, que chegou às bancas nesta quarta-feira (25), foi o beijo gay que ela protagonizou na novela Babilônia, exi- bida em horário nobre. Na ocasião, a veterana, que está interpretando a personagem Teresa, que tem como par romântico Estela, vivida pela também renomada atriz Nathália Timberg, fez questão de se posicionar sobre a cena, que, mesmo durando menos de 10 segun- dos, gerou total comoção. “Não posso acreditar que ainda se espantem com a homossexualidade. Não acredito que,depois de tantas novelas com estatemática,aindatenhaesseescândalo. É uma bobagem”, disse Fernanda para a publicação, afirmando ainda que não se preocupa com quem está se incomodando com a orientação sexual das personagens. “A responsabilidade do ator é a mesma de um cidadão comum. Temos de tomar vergonha na cara. É mais uma demonstração, em primeiro lugar, de que existem pares na vida”, falou ela, defen- dendo completamente a trama que estreou recentemente no horário nobre.
  9. 9. Genésio e Bruna, os felizes proprietários da Charmosa, loja plus size que inaugurou essa sema- na no Travessia Shopping e já conquistou clientes de toda região. Look da Semana Alice de Souza divando essa semana no "7 looks, 7 days" do papodeguria. Vem pro blog espiar! Equipe da Cacau Show Araranguá esperando vocês para lhes apresentar as famosas e delicio- sas novidades em chocolates. Vale uma visita! Nova diretoria do Sindicont presidida pela Gabriele Gio Gomes em dia de festa. Na ocasião, tam- bém aconteceu a entrega do certificado do curso Programa Contabilizando com IFRS e SPED, turma de Araranguá. Grêmio Fronteira será palco de um grande show romântico no dia 9 de abril, com o cantor Cristiano Nichelle. Para os apaixonados de plantão, os ingressos já estão sendo vendidos na Panificadora Santa Clara. Papo de Guria By Vanessa Bertoncini Correio do Sul Quinta-feira, 26 de Março de 2015 @papodeguria facebook.com/papodeguria Papo de Guria By Vanessa Bertoncini Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 @papodeguria facebook.com/papodeguria
  10. 10. Publicidade10 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015
  11. 11. Geral 11Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 Djonatha Geremias Djonatha Geremias Covardia > MARACAJÁ/ARARANGUÁ Eram 22h40min da noite de terça- -feira, quando um senhor de 60 anos, dono de um conhecido bar na Vila Be- atriz, em Maracajá, quase morreu, vítima de uma covardia. Já na reta final para fechar o estabeleci- mento,eleestavadecostas para a porta, sozinho (sua família tinha acabado de sair), quando dois homens de capacete chegaram e o acertaram na cabeça com um revólver. O homem caiu e con- tinuou sendo agredido, sangrando bastante. Um pedaço da arma chegou a quebrar com os golpes. Os bandidos levaram a car- teira da vítima, com apro- ximadamente R$ 150,00 e fugiram em um Palio branco. Momentos antes, a família da vítima havia visto o veículo se aproxi- mar do estabelecimento e já ficou alerta. A Polícia Militar de Maracajá levou o homem até a Unidade de Pronto- -Atendimento, onde ele recebeu nove pontos na cabeça, que inchou bas- tante. Enquanto isso, o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) foi para o trevo de acesso ao bair- ro Barranca, pela antiga BR101.Ali, avistou o Palio fazendoocontorno.Porém, ao receber o comando de parada, o Palio continuou Homem éagredido embar seguindo pela rodovia, em direção sul, segundo o sar- gento Guizzo. Mais três guarniçõesmilitaresforam acionadas e fizeram uma barreira na rodovia, na Cidade Alta. Ali, o carro foi obrigado a parar. Nele estavam quatro pessoas, sendo três homens (todos com passagem policial) e uma adolescente de 15 anos, namorada de um deles. Todos foram levados à Central de Polícia. > ARARANGUÁ Para tentar enganar a polícia, os bandidos fazem de tudo, inclusive fingir uma relação homoafetiva. Foi o que aconteceu no início da madrugada de ontem, em Araranguá, próximo ao Ginásio Bolha. Quando a Polícia Militar entrou em uma construção em que adolescentes assaltantes haviam acabado de se es- Bandidos dormem ‘de conchinha’ conder, encontraram os dois deitados, abraçados de con- chinha, alegando estarem apenas dormindo.Ahistória foi desmentida quando as vítimas do assalto, que havia acontecido a menos de cinco minutos, reconhe- ceram a dupla. O fato começou à 0h50min de ontem, quan- do um casal de rapazes estava caminhando pela avenida Quinze de No- vembro, próximo ao giná- sio, e foi abordado pelos assaltantes armados com facas de cozinha. Uma das vítimas conseguiu fugir, mas a outra ficou com um dos bandidos, com a faca encostada na barriga. A vítima que conseguiu fugir ligou para a PM, que enviou o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT). Ao ouvirem que a polí- cia tinha sido chamada, os assaltantes fugiram para se esconder em uma constru- ção ao lado do ginásio. Em menos de cinco minutos, a ³Ladrões fugiram mas foram detidos pela PM, enquanto vítima enfaixava a cabeça O trio é Alexsandro Custódio Gaspar, de 32 anos, Marlon de Souza Emídio,23,eomotoristado carroPauloSérgioAlvesde Oliveira, de 20 anos, todos de Maracajá.Após ser libe- rado da UPA, o idoso foi à CP e não conseguiu iden- tificar os bandidos porque, segundo ele, “na hora foi tudo muito rápido”. Tendo o bar há 25 anos, ele conta que nunca foi assaltado, emboraolocaljátenhasido 5ª SESSÃO ORDINÁRINA: Na sessão da última segunda-feira (23), houve leitura e aprovação daAta da sessão do dia 16/03/2015 pelos vereadores, expediente e ordem do dia, conforme segue abaixo. EXPEDIENTE DA SESSÃO Secretário da Câmara IvanorCarlessi, fez a Leitura do Requerimento nº 01/2015 e Requerimento nº 02/2015. ORDEM DO DIA Na Ordem do Dia da Sessão deste dia 23de março, dois Projetos de Lei encaminhados pelo Poder Executivo de Turvo, foram aprovados por unanimidade. PROJETO DE LEI Nº 006/2015 Fica o Poder Executivo Municipal, autorizado a repassar contribuição financeiraa Cooperativa Turvense de Irrigação – COOTIL, no valor de R$ 15.000,00 sendo sete (7) parcelas de R$ 2.000,00 e uma (1) parcela de R$ 1.000,00, durante o exercício de 2015, para aplicação de recursos na manutenção de suas atividades estatutárias. PROJETO DE LEI Nº 007/2015 Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a abrir no orçamento do Município de Turvo, crédito adicional ESPECIAL, no valor de R$ 179.300,00, para ser utilizado na transferência ao CIASS - Consórcio Intermunicipal de Assistência Social e Saúde de Turvo e Municípios Limítrofes, na prestação de serviços sócio assistencial de saúde na modalidade de abrigo institucional para crianças e adolescentes, que tenham seus direitos ameaçados e violados. Este valor estará disponível no exercício de 2015 para despesas e investimentos que ocorrer no CIASS, no que compete ao município de Turvo. Este Consórcio irá proporcionar a implantação da casa de abrigo em Turvo, abrangendo os municípios de Ermo, Jacinto Machado, Meleiro, Timbé do Sul e Morro Grande. A casa irá abrigar crianças de 0 a 16 anos em situações de risco, quando encaminhadas através do Serviço Social destes municípios. USO DA TRIBUNA Após leitura e aprovação da Ata da Sessão anterior, leitura do Expediente da Sessão e Ordem do Dia, o presidente Esio Simão (PMDB), convidou o vereador Lindomar Baesso (PP) e a vereadora, Gizeli Estevam Baesso (PMDB), para fazer uso da palavra. PARTICIPE: • Venha participar todas as SEGUNDAS-FEIRAS, a partir das 19 horas, da SESSÃO na Câmara de Vereadores de Turvo, na Avenida Municipal, bairro Cidade Alta. • Todas as TERÇAS-FEIRAS, no Café com Notícias às 9h30min, na Rádio Imigrantes AM de Turvo, acompanhem o Programa “Tribuna do Vereador”, com o resumo da sessão. • Visite nosso site: www.CAMARATURVO.com.br INFORMATIVO DA CÂMARAMUNICIPAL DEVEREADORESDETURVO arrombado algumas vezes. No interrogatório para odelegadoplantonistaJair Pereira Duarte (que tam- bém o responsável pela delegacia de Maracajá), os quatroficaramemsilêncio. Com eles, foram encontra- dosodinheiroeumrevólver comumapontaquebrada,e aarmafoireconhecidapela vítima. Três deles foram presos e a adolescente foi encaminhada a um centro de internação provisória. guarnição adentrou o local e flagrou os dois assaltan- tes deitados de conchinha, ainda ofegantes da corrida. Eles alegaram que estavam dormindo juntos, mas as vítimas os reconheceram. Inclusive, estavam com as facas. Identificados, os as- saltantes eram dois ado- lescentes de 16 anos. Um é do Paraná, e outro é de Sombrio. Ambos já tem di- versas passagens policiais e são usuários de crack.
  12. 12. 12 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 Publicidade
  13. 13. Polícia 13Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 ³TV foi furtada em Sombrio e levada para Araranguá ³Início da construção foi retratada em 2014 outro indiciado por recep- tação e outros dois vão ser investigados em liberdade. ATVhaviasidofurtada por volta das 10h30min de terça, no bairro Raizeira, em Sombrio. A vítima deu falta ainda de um video- game X-Box 360 e de um relógio. Para conseguir furtar, o bandido precisou arrancar a grade da janela da cozinha. Para o delegado Jair Pereira, o ladrão é André Carlos de Oliveira, de 24 Djonatha Geremias Negócio Sujo > SOMBRIO/SANTAROSA APolíciaMilitarcon- seguiu recuperar dez quilos de carne e cho- colates furtados de um supermercado em Santa Rosa do Sul e identificar no interior de um veículo um televisor roubado em Sombrio, que seria trocado por drogas emAraranguá. A 2ª Companhia da PMchecouasfilmagensdo supermercado e conseguiu identificar dois suspeitos. Na casa de um deles, os militares encontraram a carne furtada e também chocolates.Dosupermerca- do,tambémforamroubado alguns bolos. O homem confessou que já tinha tro- cado outras mercadorias por drogas em Araranguá. APM foi até o local indica- do e encontrou os objetos furtados. Carne e TVpara trocar por drogaTudo foi recolhido e os doisladrõesencaminhados à delegacia de Passo de Torres, indiciados por furto e receptação. O dono do carro envolvido no assalto foi abordado em casa. Lá, a PM encontrou uma espin- garda de porte não auto- rizado. O homem também foi levado à delegacia, mas pagou fiança e foi liberado. Aproveitando a ‘boa sorte’ da noite, a PM ain- da avistou em seguida no bairro Polícia Rodoviária um veículo suspeito e fez a abordagem. Tratava-se de um Fiat Palio em cujo inte- rior estava uma televisão da marca Philco, de 32’. A PM já estava ciente de que esse aparelho havia sido furtado de uma residência em Sombrio. Os militares prende- ram quatro homens que estavamnocarrocomaTV e os conduziram à Central de Polícia de Araranguá. Um foi preso por furto, > ARARANGUÁ Asecretária municipal de Saúde de Araranguá, Rosane Kochann, denun- ciou ontem o descaso da operadora responsável pelosistemaADSL–Linha Digital Assimétrica para Assinante; que ao tomar conhecimentodeumapane na conexão com a internet em todos os computadores da Secretaria de Saúde, Unidade Bom Pastor, com os demais postos de saúde do município. “Tão logo ini- ciou o blecaute abrimos um Pane prejudica sistema de saúde protocolo de reclamação a OperadoraOI,noentanto eles responderam que os problemas poderão ser solucionados somente num prazo de 24 horas, quando deveria priorizar a solução, pois a saúde não pode esperar”, disse indignada. Devido ao problema, solucionado 29 horas de- pois, a Secretaria de Saú- de ficou sem condições de receber as informações dos postos de saúde, como agendamento de consul- tas e outros encaminha- mentos. anos, de Sombrio. Após ter roubado, ele procurou Ronaldo Porto Prudêncio e os dois abordaram outros dois homens que estavam de carro, Isac Porto Je- rônimo Varela,19, e Erik SantosdosSantos,24,para transportar a televisão até Araranguá,ondetrocariam por drogas. Segundo Jair, os dois últimos rapazes não tive- ram participação do crime diretamente, mas foram avisados de que a TV era furtada.“Aindaassim,eles conscientementeajudaram a transportar o televisor, e isso configura receptação”, explica o delegado, que preferiu investigá-los em liberdade. Já Ronaldo fi- cou detido, mas a família pagoufiançadeumsalário mínimo. André continuou preso até o fechamento desta edição.
  14. 14. Publicações Legias14 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março 2015 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 PUBLICAÇÕES LEGAIS 11 1 COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS LITORÂNEA – SICOOB/SC- CREDIJA Rua Dona Helena Cechinel, 317– Jacinto Machado – SC - CNPJ: 85.291.086/0001-01 Demonstrações Contábeis em 31/12/2014 e 31/12/2013 BALANÇO PATRIMONIAL A T I V O Em Reais Descrição 31/12/2014 31/12/2013 Circulante 218.135.929,05 167.533.600,18 Disponibilidades 7.769.031,70 7.259.984,47 Disponibilidades 7.769.031,70 7.259.984,47 Títulos e Valores Mobiliários 86.418.501,62 72.339.342,55 Centralização Financeira - Conta Vinculada 83.484.963,88 67.208.308,82 Vinculado a Prestação de Garantias 2.933.537,74 5.131.033,73 Relações Interfinanceiras 36.752.821,83 6.066.317,00 Centralização Financeira - Cooperativas 36.752.821,83 6.066.317,00 Operações de Crédito 86.786.139,92 81.337.335,91 Operações de Crédito 89.177.816,11 83.072.228,45 (-) Provisão Operações Crédito Liq. Duvidosa (2.391.676,19) (1.734.892,54) Outros Créditos 274.198,11 419.186,12 Rendas a Receber 154.014,66 128.421,99 Diversos 146.063,32 304.578,53 (-) Provisão Outros Crédito Liq. Duvidosa (25.879,87) (13.814,40) Outros Valores e Bens 135.235,87 111.434,13 Outros Valores e Bens 5.186,65 70.760,34 Despesas Antecipadas 130.049,22 40.673,79 Não Circulante 69.221.251,78 60.494.222,57 Realizável a Longo Prazo 55.445.089,35 48.957.002,83 Títulos e Valores Mobiliários 2.095.864,31 1.694.932,60 Vinculado a Prestação de Garantias 2.095.864,31 1.694.932,60 Operações de Crédito 53.266.094,69 47.168.223,66 Operações de Crédito 53.266.094,69 47.168.223,66 Outros Créditos 83.130,35 81.035,35 Diversos 83.130,35 81.035,35 Outros Valores e Bens 0,00 12.811,22 Outros Valores e Bens 0,00 12.811,22 Investimentos 6.823.258,78 5.868.145,23 No País 333.470,87 218.522,32 Outros Investimentos 6.482.358,00 5.642.193,00 Outros 7.429,91 7.429,91 Imobilizado de Uso 6.929.869,24 5.625.186,58 Imóveis de uso 5.068.052,89 3.758.552,89 Outras Imobilizações de Uso 4.800.022,17 4.371.205,35 (-) Depreciações Acumuladas (2.938.205,82) (2.504.571,66) Diferido 0,00 203,92 Gastos de Organização e Expansão 5.000,00 36.108,72 (-) Amortização Acumulada (5.000,00) (35.904,80) Intangível 23.034,41 43.684,01 Direitos de Uso 29.310,90 76.659,29 (-) Amortização Acumulada (6.276,49) (32.975,28) Total do Ativo: 287.357.180,83 228.027.822,75 Wolni José Walter Lucas Cardoso Tramontin Presidente Contador CPF: 344.681.539-20 CRC/SC 034973/O-2 COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS LITORÂNEA – SICOOB/SC- CREDIJA Rua Dona Helena Cechinel, 317– Jacinto Machado – SC – CNPJ: 85.291.086/0001-01 Demonstrações Contábeis em 31/12/2014 e 31/12/2013 BALANÇO PATRIMONIAL P A S S I V O Em Reais Descrição 31/12/2014 31/12/2013 Circulante 223.160.943,79 182.326.821,10 Depósitos 202.440.750,75 159.904.924,96 Depósitos a Vista 34.797.278,17 33.864.763,38 Depósitos a Prazo 167.643.472,58 126.040.161,58 Relações Interfinanceiras 5.955,04 4.263,08 Correspondente 5.955,04 4.263,08 Relações Interdependências 12.455,58 7.684,77 Recursos em Trânsito 12.455,58 7.684,77 Obrigações Por Empréstimos 17.088.284,99 18.954.516,09 Empréstimos no País - Outras Instituições 17.088.284,99 18.954.516,09 Outras Obrigações 3.613.497,43 3.455.432,20 Cobrança e Arrecadação De Trib. e Assemelhados 105.736,90 145.072,93 Sociais e Estatutárias 1.358.784,43 922.849,06 Fiscais e Previdenciárias 337.552,16 248.942,14 Diversas 1.811.423,94 2.138.568,07 Não Circulante 9.963.668,69 2.485.297,62 Exigível a Longo Prazo 9.963.668,69 2.485.297,62 Obrigações Por Empréstimos 9.820.788,00 2.274.511,93 Empréstimos no País - Outras Instituições 9.820.788,00 2.274.511,93 Outras Obrigações 142.880,69 210.785,69 Diversas 142.880,69 210.785,69 Patrimônio Líquido 54.232.568,35 43.215.704,03 Capital Social 30.414.604,81 25.657.786,21 Capital de Domiciliados 30.625.767,25 25.928.951,64 (Capital a Realizar) (211.162,44) (271.165,43) Reserva de Sobras 17.125.306,32 13.221.256,29 Reserva Legal 15.501.215,66 12.154.887,06 Outras 1.624.090,66 1.066.369,23 Sobras a Disposição da Assembleia 6.692.657,22 4.336.661,53 Sobras Disposição da Assembleia no Ano 6.692.657,22 4.336.661,53 Total do Passivo: 287.357.180,83 228.027.822,75 Wolni José Walter Lucas Cardoso Tramontin Presidente Contador CPF: 344.681.539-20 CRC/SC 034973/O-2 3 COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS LITORÂNEA – SICOOB/SC- CREDIJA Rua Dona Helena Cechinel, 317– Jacinto Machado – SC - CNPJ: 85.291.086/0001-01 Demonstrações Contábeis em 31/12/2014 e 31/12/2013 Demonstração do Resultado do Exercício Em Reais Descrição 2 Semestre 2014 31/12/2014 31/12/2013 1. Receitas de Intermediação Financeira 18.884.069,68 36.171.435,02 27.908.866,72 (+) Rendas Operações de Crédito 12.896.493,16 25.490.085,31 21.374.729,99 (+) Resultado Operações Títulos Valore Mobiliários 5.987.576,52 10.681.349,71 6.534.136,73 2. Despesas de Intermediação Financeiras (9.371.875,04) (16.675.748,70) (10.705.836,11) (-) Operações de Captação no Mercado (8.174.384,09) (14.736.227,17) (8.584.404,69) (-) Operações de Empréstimo e Repasse (471.224,42) (923.346,74) (767.257,34) (-) Provisão de Credito de liquidação Duvidosa (726.266,53) (1.016.174,79) (1.354.174,08) 3. Resul. Bruto Intermediação Financ (1+2) 9.512.194,64 19.495.686,32 17.203.030,61 4. Outras Receitas / Despesas Operacionais (2.653.988,26) (7.841.411,96) (9.704.490,99) (+) Receitas de Prestação de Serviços 1.206.771,05 2.320.352,49 1.930.911,40 (+) Rendas de Tarifas Bancárias 792.746,37 1.491.729,09 1.299.495,48 (+) Resultado Parti. Colig. Control 24.243,06 24.243,06 25.445,21 (+) Outras Receitas Operacionais 4.054.610,50 4.663.587,33 824.649,42 (-) Despesas de Pessoal (4.282.946,33) (7.671.241,04) (5.967.373,57) (-) Outras Despesas Administrativas (4.186.303,02) (8.140.539,85) (6.745.205,08) (-) Despesas Tributárias (80.257,35) (176.395,54) (148.663,26) (-) Outras Despesas Operacionais (182.852,54) (353.147,50) (923.750,59) 5. Resultado Operacional (3+4) 6.858.206,38 11.654.274,36 7.498.539,62 6. Outros Resultados (1.012,26) 35.169,76 18.361,02 7. Resultado Antes da Tributação Sobre Lucro (5+6) 6.857.194,12 11.689.444,12 7.467.775,83 Resultado com Associados 0,00 11.119.258,92 7.257.085,80 Resultado com Não Associados 0,00 535.015,44 240.006,62 Outros Resultados 0,00 35.169,76 (29.316,59) 8. Imposto De Renda e Contribuição Social (121.873,63) (216.915,68) (81.645,07) Provisão para Imposto de Renda (73.038,44) (126.572,30) (42.028,17) Provisão para Contribuição Social (48.835,19) (90.343,38) (39.616,90) 9. Resultado Depois Trib. S/Lucro (7+8) 6.735.320,49 11.472.528,44 7.386.130,76 Resultado com Associados 0,00 11.119.258,92 7.257.085,80 Resultado com Não Associados 0,00 318.099,76 158.361,55 Outros Resultados 0,00 35.169,76 (29.316,59) 10. Sobras Liquidas do Período 6.735.320,49 11.472.528,44 7.386.130,76 Wolni José Walter Lucas Cardoso Tramontin Presidente Contador CPF: 344.681.539-20 CRC/SC 034973/O-2 COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS LITORÂNEA – SICOOB/SC- CREDIJA Rua Dona Helena Cechinel, 317– Jacinto Machado – SC - CNPJ: 85.291.086/0001-01 Demonstrações Contábeis em 31/12/2014 e 31/12/2013 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Em Reais Eventos Capital Social Reservas Sobras a Disposição da AGO Total Legal Fundo de Estabilidade SALDO EM 31/12/2012 20.765.679,77 9.986.556,30 704.980,77 4.006.163,29 35.463.380,13 MUTAÇÕES EM 2013 4.892.106,44 2.168.330,76 361.388,46 330.498,24 7.752.323,90 Integralização de Capital 2.580.271,10 0,00 0,00 0,00 2.580.271,10 Devolução de Capital (863.162,72) 0,00 0,00 0,00 (863.162,72) Incorporação das Sobras 3.174.998,06 0,00 0,00 (3.174.998,06) 0,00 Utilização Reservas 0,00 0,00 0,00 (831.165,23) (831.165,23) Resultado Cooperado 0,00 0,00 0,00 7.257.085,80 7.257.085,80 Resultado Não Cooperado 0,00 0,00 0,00 158.361,55 158.361,55 Outros Resultados 0,00 0,00 0,00 (29.316,59) (29.316,59) Destinações 0,00 2.168.330,76 361.388,46 (2.529.719,22) 0,00 Fates Ato Não Cooperado 0,00 0,00 0,00 (158.361,55) (158.361,55) Fates Ato Cooperado 0,00 0,00 0,00 (361.388,46) (361.388,46) SALDO EM 31/12/2013 25.657.786,21 12.154.887,06 1.066.369,23 4.336.661,53 43.215.704,03 MUTAÇÕES EM 2014 4.756.818,60 3.346.328,60 557.721,43 2.355.995,69 11.016.864,32 Integralização de Capital 2.538.438,59 0,00 0,00 0,00 2.538.438,59 Devolução de Capital (1.250.949,21) 0,00 0,00 0,00 (1.250.949,21) Incorporação das Sobras 3.469.329,22 0,00 0,00 (3.469.329,22) 0,00 Distribuição de Sobras 0,00 0,00 0,00 (867.332,31) (867.332,31) Resultado Cooperado 0,00 0,00 0,00 11.119.258,92 11.119.258,92 Resultado Não Cooperado 0,00 0,00 0,00 318.099,76 318.099,76 Outros Resultados 0,00 0,00 0,00 35.169,76 35.169,76 Destinações 0,00 3.346.328,60 557.721,43 (3.904.050,03) 0,00 Fates Ato Não Cooperado 0,00 0,00 0,00 (318.099,76) (318.099,76) Fates Ato Cooperado 0,00 0,00 0,00 (557.721,43) (557.721,43) SALDO EM 31/12/2014 30.414.604,81 15.501.215,66 1.624.090,66 6.692.657,22 54.232.568,35 Wolni José Walter Lucas Cardoso Tramontin Presidente Contador CPF: 344.681.539-20 CRC/SC 034973/O-2
  15. 15. Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março 2015Publicações Legias 15Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 PUBLICAÇÕES LEGAIS12 5 COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS LITORÂNEA – SICOOB/SC- CREDIJA Rua Dona Helena Cechinel, 317– Jacinto Machado – SC - CNPJ: 85.291.086/0001-01 Demonstrações Contábeis em 31/12/2014 e 31/12/2013 Demonstrativo do Fluxo de Caixa Em Reais Descrição 31/12/2014 31/12/2013 1 - Sobras Líquidas Antes da Tributação e Destinação 11.689.444,12 7.467.775,83 Resultado do Exercício 11.689.444,12 7.467.775,83 2 - Ajuste Por 35.486.135,40 (7.761.427,96) Depreciação / Amortização 376.030,57 599.078,34 (Aumento) ou Diminuição dos Tit. e Valores Mobil. Acima 90 Dias 3.892.428,59 (4.476.571,48) (Aumento) ou Diminuição das Operações de Créditos (11.546.675,04) (38.941.174,34) (Aumento) ou Diminuição das Outros Créditos 142.893,01 (21.737,98) (Aumento) ou Diminuição dos Outros Valores e Bens (10.990,52) 219.235,80 (Diminuição) ou Aumento em Depósitos 42.535.825,79 33.502.796,02 (Diminuição) ou Aumento em Relações Interfinanceiras 1.691,96 3.029,47 (Diminuição) ou Aumento em Relações Interdependentes 4.770,81 5.225,37 (Diminuição) ou Aumento em Outras Obrigações 90.160,23 1.348.690,84 3 - Caixa Proveniente das Operações (1+2) 47.175.579,52 (293.652,13) 4 - Tributação do Resultado Antes da Destinação das Reservas (216.915,68) (81.645,07) Imposto de Renda e Contribuição Social Pagos (216.915,68) (81.645,07) 5 - Caixa Liquido Proveniente das Atividades Operacionais (3+4) 46.958.663,84 (375.297,20) 6 - Fluxo de Caixa das Atividades de Investimento (3.070.637,38) (530.108,60) Investimentos (955.113,55) (505.898,77) Ativo Imobilizado / Diferido (1.659.859,71) (390.402,97) Integralização de Capital 2.538.438,59 2.580.271,10 Fates (557.721,43) (361.388,46) Fates Não Associados (318.099,76) (158.361,55) Devolução de Capital (1.250.949,21) (863.162,72) Utilização de Reservas 0,00 (831.165,23) Distribuição de Sobras (867.332,31) 0,00 7 - Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamento 5.680.044,97 6.155.492,18 (Diminuição) ou Aumento em Obrigações Por Empréstimos 5.680.044,97 6.155.492,18 8 – Variação no Caixa (5+6+7) 49.568.071,43 5.250.086,38 Aumento Líquido de Caixa e Equivalente de Caixa 49.568.071,43 5.250.086,38 Caixa e Equivalente de Caixa no Início do Período 80.534.610,29 75.284.523,91 Caixa e Equivalente de Caixa no Fim do Período 130.102.681,72 80.534.610,29 Wolni José Walter Lucas Cardoso Tramontin Presidente Contador CPF: 344.681.539-20 CRC/SC 034973/O-2 6 COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS LITORÂNEA – SICOOB/SC- CREDIJA Rua Dona Helena Cechinel, 317– Jacinto Machado – SC - CNPJ: 85.291.086/0001-01 Notas Explicativas sobre as Demonstrações Contábeis para o período findo em 31 de dezembro de 2014 NOTA 01 – DA COOPERATIVA E SEUS OBJETIVOS A Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA instituição financeira não bancária, de direito privado, regida pela legislação do Sistema Cooperativo do Brasil, Lei 5.764/71, Lei 4.595/64 que criou o Sistema Financeiro e Resolução 3859 do Conselho Monetário Nacional. Têm por objetivo propiciar, através da mutualidade, a assistência financeira e prestação de serviços, tipicamente bancários, aos associados. NOTA 02 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, considerando as Normas Brasileiras de Contabilidade, especificamente aquelas aplicáveis às entidades cooperativas, a Lei do cooperativismo nº 5.764/71, a Lei Complementar 130/09, normas e instruções do Banco Central do Brasil - BACEN e apresentadas conforme o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF. As principais práticas contábeis adotadas na elaboração dessas demonstrações contábeis estão definidas a seguir: a) Apuração do Resultado As Receitas e Despesas são apropriadas mensalmente, pelo regime de competência, em cumprimento a normas de contabilidade e normas do BACEN. b) Operações Ativas e Passivas As operações Ativas e Passivas com encargos pós-fixados são registradas pelo valor principal, com acréscimo dos respectivos encargos pactuado inclusive atualização monetária, observada a periodicidade da capitalização contratual. Aqueles com encargo financeiro prefixado estão registrados a valor futuro, retificado por contas de rendas a apropriar ou despesas a apropriar, em contas de subgrupos internos em conformidade ao previsto no COSIF 1.1.10.6. c) Provisão Para Operações de Crédito Foi constituída com base nos parâmetros das Resoluções 2.682/99, levando-se em consideração o risco da operação, com base nos critérios de consistência, realizações e informações internas e externas. d) Ativo Imobilizado Estão demonstrados ao custo de aquisição e corrigidos monetariamente até 31/12/1995, conforme estabelece Lei 9.249/95, deduzido conforme o caso as provisões para perdas nos investimentos e depreciação/amortização para os imobilizados e diferidos. As depreciações e amortizações são calculadas pelo método linear com base em taxas determinadas pelo prazo de vida útil estimado, levando em conta as seguintes taxas anuais: * Instalações, móveis e equipamentos de uso - 10% a.a * Sistema de transporte e equipamentos de Proc. de Dados - 20% a.a * Bens imóveis sujeitos a depreciação - 04% a.a 7 NOTA 03 – APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS As aplicações interfinanceiras de liquidez são avaliadas ao custo de aquisição, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço, deduzidos de eventuais provisões para desvalorização, quando aplicável. a) De Títulos e Valores Mobiliários Em Reais Tipo de Aplicação Curto Prazo Longo Prazo Total Livres Títulos de Renda Fixa RDC 83.484.963,88 2.095.864,31 85.580.828,19 Outros 2.933.537,74 0,00 2.933.537,74 Total 86.418.501,62 2.095.864,31 88.514.365,93 NOTA 04 – RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS Atendendo ao estabelecido na Circular 3.238/04 do Bacen, foi contabilizado no subgrupo Centralização Financeira – Cooperativas, do grupo relações interfinanceiras, referente à disponibilidade financeira da cooperativa, proveniente do saldo mantido em conta de depósito junto a Cooperativa Central de Crédito de Santa Catarina. Em Reais Tipo de Aplicação Total Centralização Financeira - Cooperativas 36.752.821,83 Total 36.752.821,83 NOTA 05 – OPERAÇÕES DE CRÉDITO a) Por Atividade Econômica: Em Reais Tipo de Atividade Total Pessoa física 67.745.939,35 Comércio 35.870.181,34 Indústria 16.958.503,23 Serviços 21.869.286,88 TOTAIS 142.443.910,80 b) Por Vencimento: Em Reais Prazos Operações de Crédito Vencidas 2.244.689,46 A Vencer até 180 dias 27.625.701,20 A Vencer de 181 à 360 dias 59.307.425,45 A Vencer acima 360 dias 53.266.094,69 Totais 142.443.910,80 c) Oscilação do Prejuízo: Em Reais Tipo Valor Levados à Prejuízos no Período 301.085,88 Recuperados de Prejuízos (265.288,17) Variação do período 35.797,71 8 NOTA 06 – PROVISÕES PARA OPERAÇÕES DE CRÉDITO De conformidade com as Resoluções n° 2.682/99 e 2.697/00, está sendo procedida a Provisão para Operações de Créditos. Na forma que estabelece o citado instrumento, a seguir demonstramos o volume de recursos e o valor da provisão, conforme nível de risco. Em Reais Nível de Provisão Operações Normais Atraso até 14 Dias Atraso Superior a 14 Dias Total das Operações Valor Provisão AA 2.810.587,74 56.176,84 0,00 2.866.764,58 0,00 A 117.445.669,19 865.006,61 84,31 118.310.760,11 (591.555,93) B 14.237.207,14 239.980,21 48.508,90 14.525.696,25 (145.256,96) C 3.505.959,07 51.077,68 259.295,21 3.816.331,96 (114.489,96) D 971.048,94 27.306,63 125.620,42 1.123.975,99 (112.397,60) E 323.830,25 8.092,64 103.277,80 435.200,69 (130.560,21) F 53.040,54 1.323,41 27.601,99 81.965,94 (40.982,97) G 59.726,07 209,43 29.340,23 89.275,73 (62.493,01) H 792.152,40 15.367,33 386.419,82 1.193.939,55 (1.193.939,55) Totais 140.199.221,34 1.264.540,78 980.148,68 142.443.910,80 (2.391.676,19) NOTA 07 – OUTROS CRÉDITOS Em Reais Discriminação Curto Prazo Longo Prazo Valor Rendas a Receber  Serviços Prestados a Receber 8.633,95 0,00 8.633,95  Outras Rendas a Receber 145.380,71 0,00 145.380,71 Diversos  Adiantamentos e Antecipações 12.031,79 0,00 12.031,79  Adiantamentos de Nossa Conta 100,00 0,00 100,00  Pagamentos a Ressarcir 16.109,40 0,00 16.109,40  Devedores Por Depósitos em Garantia 0,00 83.130,35 83.130,35  Impostos e Contribuições a Compensar 6.207,58 0,00 6.207,58  Títulos e Créditos a Receber 13.168,34 0,00 13.168,34  Devedores Diversos - País 98.446,21 0,00 98.446,21  (-) Provisão Para Outros Créditos (25.879,87) 0,00 (25.879,87) Totais 274.198,11 83.130,35 357.328,46 NOTA 08 – OUTROS VALORES E BENS Em Reais Descrição TOTAL Outros Valores e Bens  Processamento de Dados 12.811,14  Almoxarifado 5.186,65 Diversos  Prêmios de Seguros 22.280,90  Outros 94.957,18 Total 135.235,87
  16. 16. Publicações Legias16 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março 2015 Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 PUBLICAÇÕES LEGAIS 13 9 NOTA 09 – INVESTIMENTOS Em Reais Investida Tipo Quantidade Valor Atual Investido % No Capital da Investida Sicoob Central – SC Cotas Partes 1.998.585 6.482.358,00 4,10490% Bancoob Ações – PN 135.343 333.470,87 0,0363% Outras 7.429,91 Totais 6.823.258,78 NOTA 10 – IMOBILIZADO DE USO Em Reais Discriminação Valor Acumulado Depreciação Acumulada Residual Terrenos 2.142.500,00 0,00 2.142.500,00 Edificações 2.925.552,89 (343.776,47) 2.581.776,42 Móveis e Equipamentos 1.691.352,35 (709.295,30) 982.057,05 Sistema de Comunicação 48.889,40 (17.561,26) 31.328,14 Processamento de Dados 2.115.391,21 (1.383.334,29) 732.056,92 Sistema de Segurança 615.766,95 (303.718,68) 312.048,27 Sistema de Transportes 328.622,26 (180.519,82) 148.102,44 TOTAIS 9.868.075,06 -2.938.205,82 6.929.869,24 NOTA 11 – OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS E REPASSES Compostas, substancialmente, por recursos captados em outras Instituições Financeiras, repassando aos associados, sujeitos á correção de encargos como segue: a) Empréstimos e repasse: Em Reais Instituições Finalidade Vencimento Final Valor Totais Curto Prazo Longo Prazo Sicoob Central Capital de Giro Diversos 1.728.451,23 0,00 1.728.451,23 Sicoob Central Repasse Diversos 0,00 3.962.146,73 3.962.146,73 Bancoob Repasse Diversos 15.309.902,11 5.858.641,27 21.168.543,38 Banco HSBC S/A Repasse 19/10/2015 49.931,65 0,00 49.931,65 Totais 17.088.284,99 9.820.788,00 26.909.072,99 As obrigações são atualizadas com variações de juros entre 0,08% a.m até 6,75% a.a. NOTA 12 – OUTRAS OBRIGAÇÕES Em Reais Discriminação Curto Prazo Longo Prazo Valor Cobrança e Arrec. Tributos e Assemelhados 105.736,90 0,00 105.736,90 Sociais e Estatutárias 1.358.784,43 0,00 1.358.784,43 Fiscais e Previdenciárias 194.671,47 142.880,69 337.552,16 Diversas  Obrigações por Prestação de Serviços 76.690,57 0,00 76.690,57  Despesas de Pessoal 546.305,60 0,00 546.305,60  Outras Despesas Administrativas 271.551,29 0,00 271.551,29  Outros Pagamentos 47.496,80 0,00 47.496,80  Provisões Passivas Contingentes 142.880,69 0,00 142.880,69  Credores Diversos – País 869.379,68 0,00 869.379,68 Totais 3.613.497,43 142.880,69 3.756.378,12 NOTA 13 – PATRIMÔNIO LÍQUIDO a) Capital Social O Capital Social está representado pela participação de 24.575 (vinte e quatro mil, quinhentos e setenta e cinco) associados, atingindo o montante de R$ 30.414.604,81 (trinta milhões quatrocentos e quatorze mil seiscentos e quatro reais e oitenta e um centavos). b) Das Reservas b.1) Fundo de Estabilidade Financeira – F.E.F. Constituído de acordo com o previsto em regulamento próprio, o fundo de estabilidade financeira, tem como objetivo suprir eventuais obrigações financeiras no caso de perda de receitas. Está contabilizado no subgrupo “Outras” do grupo “Reservas de Sobras”, o valor de R$ 1.624.090,66, (Um milhão seiscentos e vinte e quatro mil noventa reais e sessenta e seis centavos). b.2) Fundo de Reserva Legal Constituído de acordo com o previsto na Lei 5.764/71 e no Estatuto Social. Está contabilizado no subgrupo “Reserva Legal” do grupo “Reserva de Sobras”, o valor de R$ 15.501.215,66 (quinze milhões quinhentos e um mil duzentos e quinze reais e sessenta e seis centavos). c) Do Resultado do Exercício Em Reais Descrição Valor Resultado Depois da Tributação Sobre Lucro 11.472.528,44 Resultado com Associados 11.119.258,92 Resultado com Não Associados 318.099,76 Resultado Não Operacional 35.169,76 Destinações Estatutárias (4.779.871,22) (-) Fates Resultado com Não Associados (318.099,76) (-) Fates (557.721,43) (-) Reserva Legal (3.346.328,60) (-) FEF (557.721,43) Sobras Líquidas do Período 6.692.657,22 Entre o ano de 2002 até abril de 2014 o Sistema de Cooperativismo de crédito, SICOOB/SC possuía o Fundo Garantidor de Crédito de Santa Catarina-FGCOOP/SC que tinha como objetivo garantir os depósitos dos associados das cooperativas de crédito filiadas até o valor de R$ 70.000,00 (setenta mil reais). Todos os meses as Cooperativas de Crédito do SICOOB/SC contribuíam para formar este fundo e com isso geravam uma despesa. Em abril de 2014 o Banco Central do Brasil-BACEN e o Conselho Monetário Nacional-CMN instituíram o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCOOP a nível nacional conforme resoluções 4.150 de 2012 e 4.284 de 2013 do BACEN. Desta forma, O FGCOOP/SC foi extinto e os valores arrecadados foram atualizados e devolvidos as Cooperativas de Crédito. Por sua vez a SICOOB/SC CREDIJA recebeu em setembro de 2014 o montante bruto de R$ 3.160.539,81 (três milhões, cento e sessenta mil, quinhentos e trinta e nove reais e oitenta e um centavos), sendo que este valor foi incorporado às sobras de 2014 que será levado a Assembleia Geral. 11 NOTA 14 – DA TRIBUTAÇÃO DOS RESULTADOS a) Com Atos Cooperativos Sendo nosso objetivo social regulamentado pela Lei 5.764/71, e possuirmos operações, ativas e passivas somente com associados, procedemos os cálculos de tributação de Imposto e Contribuição, conforme prevê o artigo 182 do Decreto 3.000/99 – Regulamento do Imposto de Renda – RIR e artigo 30 da Lei 11.051/04 – PIS e COFINS. b) Com Atos Não Cooperativos As receitas apuradas com prestação de serviços a não associados, prevista no artigo 86 da Lei 5.764/71, estão sendo tributadas conforme determina o artigo 183 do Decreto 3.000/99 e Lei 8.212/91. NOTA 15 – PASSIVOS CONTINGÊNTES As contingências com o PIS existentes até dezembro/2004 acham-se cobertas por depósitos judiciais específicos, no valor de R$ 82.880,69 (oitenta e dois mil oitocentos e oitenta reais e sessenta e nove centavos), julgados suficientes à cobertura de eventuais desembolsos. A Cooperativa mantém provisionado o montante de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), como contingência trabalhista, julgados suficientes à cobertura de eventuais desembolsos. NOTA 16 – RESUMO DA DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO SISTEMA DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO DO BRASIL – SICOOB a) Risco Operacional O gerenciamento do risco operacional da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA, objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco operacional, por meio da adoção de boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída na Resolução CMN 3.380/2006. Conforme preceitua o artigo 11 da Resolução CMN 3.721/2009, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA aderiu à estrutura única de gestão do risco operacional do Sicoob, centralizada na Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. (Sicoob Confederação), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. O processo de gerenciamento do risco operacional está estruturado com base no preenchimento de Listas de Verificação de Conformidade (LVC), baseadas na metodologia Controll Self Assessment (CSA), processo por meio do qual, sob a responsabilidade da Diretoria Executiva e a coordenação do Agente de Controle Interno e Risco, são identificadas situações de risco que são avaliadas quanto ao impacto e à probabilidade de ocorrência, de forma padronizada. Para as situações de risco identificadas são estabelecidos planos de ação, com a aprovação da Diretoria Executiva, que são registrados em sistema próprio para acompanhamento, pelo Agente de Controle e Risco. Da mesma forma, perdas operacionais ocorridas têm as causas e as ações de mitigação identificadas, sendo as informações devidamente registradas em sistema informatizado, para acompanhamento pelo Agente de Controle e Risco. Não obstante a centralização do gerenciamento do risco operacional, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA possui estrutura compatível com a natureza das operações, a complexidade dos produtos e serviços oferecidos e é proporcional à dimensão da exposição ao risco operacional. b) Risco de Mercado O gerenciamento do risco de mercado da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco de mercado, por meio das boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída na Resolução CMN 3.464/2007. Conforme preceitua o artigo 11 da Resolução CMN 3.721/2009, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA aderiu à estrutura única de gestão do risco de mercado do Sicoob, centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. No gerenciamento do risco de mercado são adotados procedimentos padronizados de identificação de fatores de risco, de classificação da carteira em trading e banking, de mensuração do risco de mercado (Value at Risk – VaR), de estabelecimento de limites de risco, de testes de estresse e de aderência do modelo de mensuração de risco (backtesting do VaR). Para as situações de risco identificadas são estabelecidos planos de ação, com a aprovação da Diretoria Executiva, que são registrados em sistema próprio para acompanhamento, por parte do Agente de Controle e Risco. Não obstante a centralização do gerenciamento do risco de mercado, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA, possui estrutura compatível com a natureza das operações, a complexidade dos produtos e serviços oferecidos e é proporcional à dimensão da exposição ao risco de mercado da entidade. c) Risco de Crédito O gerenciamento de risco de crédito da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA objetiva garantir a aderência às normas vigentes, maximizar o uso do capital e minimizar os riscos envolvidos nos negócios de crédito por meio das boas práticas de gestão de riscos. Conforme preceitua o artigo 10 da Resolução CMN 3.721/2009, Cooperativa de Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA aderiu à estrutura única de gestão do risco de crédito do Sicoob, centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. Compete aos responsáveis pela estrutura centralizada de riscos a padronização de processos, de metodologias de análises de risco de clientes e de operações, de criação e de manutenção de política única de risco de crédito para o Sicoob, além do monitoramento das carteiras de crédito das cooperativas. Não obstante a centralização do gerenciamento de risco de crédito, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA possui estrutura compatível com a natureza das operações, com a complexidade dos produtos e serviços oferecidos e é proporcional à dimensão da exposição ao risco de crédito da entidade.
  17. 17. Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março 2015Publicações Legias 17Correio do Sul Quinta-feira, 26 de março de 2015 PUBLICAÇÕES LEGAIS12 13 NOTA 17 – RESUMO DA DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL DO SISTEMA DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO DO BRASIL – SICOOB. A estrutura de gerenciamento de capital da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco de insuficiência de capital para fazer face aos riscos em que a entidade está exposta, por meio das boas práticas de gestão de capital, na forma instruída na Resolução CMN 3.988/2011. Conforme preceitua o artigo 9º da Resolução CMN 3.988/2011, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Litorânea – SICOOB/SC- CREDIJA aderiu à estrutura única de gerenciamento de capital do Sicoob, centralizada na Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. (Sicoob Confederação), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. O gerenciamento de capital centralizado consiste em um processo contínuo de monitoramento do capital, e é realizado pelas entidades do Sicoob com objetivo de: a) avaliar a necessidade de capital para fazer face aos riscos a que as entidades do Sicoob estão sujeitas; b) planejar metas e necessidade de capital, considerando os objetivos estratégicos das entidades do Sicoob; c) adotar postura prospectiva, antecipando a necessidade de capital decorrente de possíveis mudanças nas condições de mercado. Adicionalmente, são realizadas também simulações de eventos severos em condições extremas de mercado, com a consequente avaliação de seus impactos no capital das entidades do Sicoob. Wolni José Walter Lucas Cardoso Tramontin Presidente Contador CPF: 344.681.539-20 CRC/SC 034973/O-2 ESTADO DE SANTA CATARINA SAMAE ÁGUA DOS CANYONS PRAIA GRANDE TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO Nº 08/2015 –DL Nº 03/2015 CONTRATADO: PAVIMENTADORA JEREMIAS LTDA DO OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA PAVIMENTAÇÃO COM BLOCOS DE CONCRETO NO ACESSO À ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DO SAMAE- ETA. DO VALOR:R$ 14.567,00(quatorze mil, quinhentos e sessenta e sete reais). Do Fundamento Legal: Artigo 24, inciso IV da Lei nº 8.666/93. JUSTIFICATIVAS:ADispensa de Licitação justifica-se em virtude de se tratar de uma obra p/ serviços de engenharia com valor inferior a R$ 15.000,00(quinze mil reais) e o Preço praticado pela empresa ser compatível com o valor de mercado. DA VIGENCIA: 24/03/2015 a 30/06/2015. Watson Luiz R da Cruz - Diretor do SAMAE EDITAL DE INTIMAÇÃO ARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Tabelião do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS desta Comarca de Sombrio, situado na Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP 88960- 000, faz saber na forma da Lei aos que o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido o prazo legal, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos responsáveis estão abaixo discriminados. PROT. APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJ Prot: 133646; Dev:ANAPAULATEIXERA- 15.455.064/0001-54; Ced: CARLOSALBERTO PORTINHO PIROTTI; Sac: CARLOS ALBERTO PORTINHO PIROTTI; Tit: 092-1 ; Apr: BANCO SANTANDER SA; VEN: 18/03/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 630,00+Juros Legais; Emol.: 46,96. Prot: 133626; Dev: CARLA TEREZINHA DUARTE - 051.695.649-37; Ced: COTIPEL COM TINTAS PEÇAS LTDA; Sac: COTIPEL COM TINTAS PEÇAS LTDA; Tit: 172263/01 ;Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN: 10/03/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 184,34+Juros Legais; Emol.: 46,96. Prot: 133608; Dev: CLAUDINEIAMANENTI - 938.099.219-04; Ced: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 1437004 ; Apr: FCDL; VEN: 20/02/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 306,00+Juros Legais; Emol.: 46,96. Prot: 133627; Dev: CLEBERSON COELHO - 057.299.119-39; Ced: COTIPEL COM TINTAS PEÇAS LTDA; Sac: COTIPELCOM TINTAS PEÇAS LTDA; Tit: 172264/01 ;Apr: BANCO DO BRASILSA; VEN: 10/03/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 389,03+Juros Legais; Emol.: 46,96. Prot: 133630; Dev: FABIANE LUCAS DA SILVA - 740.079.980-00; Ced: COTIPEL COM TINTAS PEÇAS LTDA; Sac: COTIPEL COM TINTAS PEÇAS LTDA; Tit: 172453/01 ; Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN: 10/03/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 236,37+Juros Legais; Emol.: 46,96. Prot: 133609; Dev: MARCOS SPELOCIN DE LIMA - 054.159.669-19; Ced: GAIVOTA COMERCIO MATERIAL DE CONSTRUCAO LTDA; Sac: GAIVOTA COMERCIO MATERIAL DE CONSTRUCAO LTDA; Tit: 646952 ; Apr: FCDL; VEN: 06/05/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 226,75+Juros Legais; Emol.: 46,96. Prot: 133603; Dev: NATAN MARTINS GOMES - 064.231.209-51; Ced: LOJAS SOMBRA RIO; Sac: LOJAS SOMBRA RIO; Tit: 6998 ; Apr: FCDL; VEN: 26/10/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 425,34+Juros Legais; Emol.: 46,96. Sombrio - SC, 26/03/2015 - ARLINDO EDÍLIO DA ROSA AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL Nº 08/2015 - MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL OBJETO: Aquisição de 01 veiculo automotivo 0KM potencia mínima de 1.8 cv ano/ modelo 2015/2015 ou 2015/2016 a ser usado para atendimento às famílias cadastradas no cadastro único, cujas as especificações encontram-se detalhadas no termo de referência anexo ao edital de licitação. TIPO DA LICITAÇÃO: Menor Preço por Item ENTREGA DOS ENVELOPES: Até às 13h45min; do dia 10 de abril de 2015, no Serviço de Protocolo Geral da Prefeitura, sito à Rua Dr. Virgulino de Queiróz, 200, centro. ABERTURA DOS ENVELOPES: As 14h00 do dia 10 de abril de 2015, na sala de reuniões do Departamento de Licitações da Prefeitura. REGIMENTO: Leis Federais 8.666/93 e 10.520/02, Lei Complementar 123/2006 e Decreto Municipal nº 2.676/05. EDITAL COMPLETO E INFORMAÇÕES: Está à disposição dos interessados no horário de expediente da Prefeitura, no endereço eletrônico; www.ararangua.sc.gov.br, e afixado no mural, localizado no hall de entrada da sala do Departamento de Licitações da Prefeitura. Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone (fax) 0XX48 3521.0929 ou pelo e-mail: licitacao@ararangua.sc.gov.br Araranguá, SC, 25 de março de 2015. Sandro Roberto Maciel Prefeito Municipal ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARANGUÁ

×