Aula casos hipogonadismo - Dr Conrado Alvarenga USP

1.117 visualizações

Publicada em

Casos de Hipogonadismo- Hospital das Clinicas da USP-SP - Dr Conrado Alvarenga

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.117
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
703
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 22 % ficam sem causa estabelecida
  • Aula casos hipogonadismo - Dr Conrado Alvarenga USP

    1. 1. Avaliação inicial dos casos de hipogonadismo + disfunção sexual HCFMUSP Dr. Conrado Alvarenga Médico da Divisão de Urologia HC-FMUSP
    2. 2. Avaliação inicial dos casos de hipogonadismo + disfunção sexual HCFMUSP •LEVANTAMENTO DE JANEIRO DE 2012 A JANEIRO DE 2014 •64 CASOS HOMENS COM DISFUNCAO SEXUAL •EXCLUIDOS 3 CASOS DE HIPO HIPO – SIND KALLMAN •EXCLUIDOS 4 CASOS – INFERTILIDADE •EXCLUIDOS 5 CASOS JA EM TRT – ENDOCRINO ( POS CIRURGIA DE HIPOFISE ) •52 FINAIS EM SEGUIMENTO – 13 meses
    3. 3. Avaliação inicial dos casos de hipogonadismo + disfunção sexual HCFMUSP •QUEIXAS PRINCIPAIS DE TODOS OS 52 CASOS •DISFUNCAO ERETIL E BAIXA LIBIDO •2 casos com Ejaculação Precoce com testo abaixo de 300 – sem DE ou BL •3 casos em TRT - 3 anos pós PRR ICESP
    4. 4. Variáveis analisadas em 52 casos
    5. 5. Variáveis analisadas em 52 casos IDADE / IMC HAS/DM OUTRAS COMORBIDADES NUMERO MEDICACOES CAUSA PRINCIPAL ESTADO CIVIL TEMPO ENTRE PRIMEIRA DOSAGEM – HOJE SINTOMA PRINCIPAL ( DE/LIBIDO) - IIEF TT, TL, ESTRADIOL, PSA, COLEST, TRIG, GLI, HB GLICADA, RELACAO T/E TESTE NEURO PSICO (21 – TODOS A PARTIR DE AGOSTO DE 2013 ) FERTILIDADE ERECAO MATINAL CONDUTA – TRT OU NAO 6 MESES POS
    6. 6. IDADE Média - 57 anos ( 33 a 81 anos ) 48/52 CASADOS OU PARCEIRA FIXA 33 – Orquiectomia linfoma + QT IMC Médio 27,2 (22 a 34) HAS/DM 46% Hipertensos 56% Diabéticos 12/52 IAM prévio – 23% OUTRAS COMORBIDADES 62% com outras comorbidades (ICC,ICO,DLP, CORTICOIDES, OBESIDADE) 1 APENAS SEM COMORBIDADES – 276 TT NUMERO MEDICACOES 3,4 medicações
    7. 7. Variáveis analisadas em 52 casos CAUSA PRINCIPAL Frequência Sindrome metabólica ( obesidade, sedentarismo, DLP, DM2) 36% Pós QT 12% Corticóides longo prazo 14% Pós orquiectomia Uni 8% - 4 DM - 1 30%
    8. 8. Variáveis analisadas em 52 casos TRATADOS DE CANCER DE PROSTATA 3/52 – ICESP – COM MAIS DE 3 ANOS DE TTO PSA estável – Pacientes Pontes/ Rafael/ Omar Seguimento de 5 a 8 meses TRT TEMPO ENTRE PRIMEIRA DOSAGEM – HOJE Entre 4 e 17 meses – Média 9 meses SINTOMA PRINCIPAL ( DE/LIBIDO) – IIEF 73% ambos – DE e baixa libido - 38 80% Zero de ereção Matinal – 42 Todos os diabéticos – ambos
    9. 9. Variáveis analisadas em 52 casos PRE 3 MESES 6 MESES TT 212 612 (28) 700 (12 casos) ESTRADIOL 32 29 30 T/E 6,6 21,1 23 COLEST T 245 212 220 TRIG 190 185 160 GLI 105 102 100 HB GLICADA 5,9 5,8 PSA PRE 0,6 0,84 0,74 HDL PRE 32 36
    10. 10. Variáveis analisadas em 52 casos TESTE NEURO PSICO ( 21 – TODOS A PARTIR DE AGOSTO DE 2013 ) FERTILIDADE 5 com preocupação fértil – Indux 50 mg em dias alternados TT média - 294 – 560 em 6 meses ERECAO MATINAL 92% não tinham mais ereção matinal
    11. 11. Citrato de Clomifeno 50mg – 3 anos TT e DO controle
    12. 12. Variáveis analisadas em 52 casos 3 meses Pós TRT TT média - 612 (28) 6 meses Pós TRT TT média - 700 (12 casos) 2 elevações de PSA – suspenso 0,7 – 2,9 – 3,1 – Bx negativa – 1,2 PSA
    13. 13. Integração da Sociedade Americana 1. Guidelines da Sociedade Int. Andrologia (ISA) 2. Sociedade Européia de Urologia (EAU) 3. ISSAM 1. Sociedade Americana de Andrologia (ASA) 2. EAA ( Academia e. Andrologia) Consenso publicado Euro J Urology e Euro J. Endrocrinol – Tampa 2008
    14. 14. IMPORTANCIA NO BRASIL 1. Crescimento exponencial de homens > 60 anos – como PEA 2. Vida sexual ativa prolongada > 60/70 anos 3. Crescimento do país = > poder aquisitivo 4. Maior exigência de performance Sub Avaliados
    15. 15. Definição DAEM PODE SER CONSEQUENCIA DE DIVERSOS NIVEIS DE ALTERACAO NO EIXO HHT OU CONSEQUENCIA DE ALTERACAO DA BIODISPONIBILIDADE DA TESTOSTERONA
    16. 16. De 32 sintomas possivelmente associados à queda dos níveis de testosterona, 9 confirmaram guardar relação direta com ela Ligados à sexualidade (frequência diminuída de ereções matinais espontâneas, de pensamentos eróticos e disfunção erétil), Físicos (dificuldade de praticar exercícios como correr ou levantar objetos pesados, incapacidade de andar mais de 1 km e de ajoelhar e levantar sem ajuda) “psicológicos” (falta de energia, fadiga e tristeza).
    17. 17. Diagnóstico de DAEM • Testosterona Total ( 7 - 11h da manhã) • > 350/380 – sem indicação de reposição, qual a crítica a este critério? • < 260 – reposição em todos • 260 – 350 = avaliar caso a caso e pede SHBG = Testosterona livre calculada – teste 3 a 6 meses • Cuidado com obesos – importância de T livre biodisponivel (SHBG reduzido) • T livre < 65 = reposição
    18. 18. Diagnóstico Patologias Agudas Podem suprimir temporariamente os niveis de Testosterona Total Patologias crônicas DM, DPOC, OBESIDADE, SIND METABOLICA + Fatores de Risco para DAEM
    19. 19. NERI Hypogonadism Screener 2012 18 itens funcionais Agrupados em 5 sub grupos - Sexual - Humor - Memória - Fadiga - Sono ADAM, AMS, MMAS – Pouco específicos
    20. 20. Exames pré reposição Hemograma completo e coagulograma PSA total e livre (TR) Densitometria óssea ( > 65 anos ) Testosterona total, T livre, glicemia, TSH, T4 livre, creatinina, SHBG, prolactina, FSH e albumina. Colesterol T e F
    21. 21. Diagnóstico de DAEM • T livre salivar = substituto independe dos niveis de albumina e SHBG (+ independente do ritmo circadiano ) Testosterona livre tem atividade biológica mas ligada a SHBG não Homens com hipogonadismo geralmente tem SHBG elevado ( disf hepática e hipertireoidismo tb)
    22. 22. METAS NA REPOSICAO HORMONAL Massa Muscular e osséa comprovados por densitometria (nivel 1a) e medidas antropométricas Efeitos sobre melhora DM e resistência a insulina nivel 1a Libido comprovado (nivel 1b) Disposição fisica e melhora do humor Aumento mortalidade cardio-vascular Em ICO / Retrospectivos NIH ESTUDO PARA 2014 - IMPORTANTE
    23. 23. Contra Indicações • Apnéia do sono não tratada • Insuficiência Cardiaca CF II – médios esforços • Ht > 52% • Hiperplasia prostática benigna ( relativa – depende dos sintomas HPB ) • História de CA próstata já tratado – !!!!!!! ***** • Levar em conta HX familiar de Ca próstata
    24. 24. Acompanhamento PSA e TR semestrais Densitometria anual Hematócrito semestral (eritrocitose – homens acima de 70 com injetáveis) Elevação de PSA = biópsia PR ( e implante? )
    25. 25. RESULTADOS JANEIRO 2014 INICIAR SEGUIMENTO PARA HOMENS EM TRT AVALIAR COMPLICACOES RESPONDER QUESTOES AINDA POLEMICAS SERVIR COMO BASE PARA RCT – CEGO INSERÇAO MEDIA DE 3 CASOS MES

    ×