Seu SlideShare está baixando. ×
0
Cirurgias de mamas   Silvilena Bonatti          2013
Histórico                  MAMAS        FEMINILIDADE, SENSUALIDADEPadrão de beleza:- São influenciadas por tendências da m...
HistóricoPadrão de beleza:     - Atualmente = tendência em direção ao meio   termo, com visual baseado em linhas anatômica...
AnatomiaLocalização anatômica:- Superiormente, entre a 2 e a 3                                               toraxcostela;...
Anatomia          tecido mamário                                              Ligamentos                                  ...
AnatomiaA mama é composta:- 20 lóbulos, que desembocam pelos ductos no mamilo.- Desenvolvimento: em resposta a alterações ...
Anatomia  -Constantes alterações fisiológicas devido a cicloshormonais, gravidez variações do peso corporal, idade        ...
Anatomia                 Ação                    Perda de resistência             gravitacional                     da pel...
Anatomia Hipomastia: mamas pequenasGigantomastia: mamas muito volumosas
Mamoplastia Redutora         E     Mastopexia
Mamoplastia redutora                               Objetivos:- Reduzir o volume das mamas;- Retirar o excesso de pele;- Co...
Mamoplastia redutora                            Objetivos:- Aliado à obtenção de forma e simetria adequada das mamas;- Com...
Mamoplastia redutora                             Indicações:- IDADE para a realização da cirurgia:- A partir dos 15 anos d...
ConceitoMASTOPLASTIA / MAMOPLASTIA REDUTORA: redução do volume dasmamas e correção da queda                   Cicatriz T i...
Conceito MASTOPEXIA: correção da queda das mamas e da flacidez da pele.
Mastopexia areolar: pouca flacidez, pequena sobra de pele
Conceito         MASTOPEXIA COM PRÓTESE - Só a pexia ou só a inclusão de próteses não são suficientes para solucionar a au...
MASTOPEXIA COM PRÓTESE- Na atualidade, as brasileiras desejam mamas maiores- Quando apresentam pouco volume associado à mé...
MASTOPEXIA COM PRÓTESE- Bom resultado estético com cicatrizes peri areolares maisverticais, podendo concluí-la com T inver...
Prótese retromamária, subfascial e retromuscular      Retromuscular   Subfascial   Retroglandular
Técnicas cirírgicas             Escolha da técnica cirúrgica adequadaExame dos tecidos                       Suas possibil...
Cirurgia: pré-operatórioAvaliação pré-operatória:- Desvio postural;- Assimetria mamária;- Volume mamário;- Gordura lateral...
Orientações pré-operatórias:- Parar de fumar 30 dias antes da cirurgia;- Evitar bebidas alcoólicas e refeições fartas na v...
Cirurgia-Tipo de anestesia: geral ou peridural alta com sedação- Duração do ato cirúrgico: média é de 2 a 4 horas.- Períod...
Técnicas cirírgicasT INVERTIDO: ressecção glandular (Ivo Pitanguy, 1960)- A evolução da cirurgia reduziu as cicatrizes tor...
Técnicas cirírgicasPERIAREOLAR:- Cicatriz ao redor da aréola;- Indicada nas pequenas e médias hipertrofias e flacidez;- A ...
Técnicas cirírgicasPERIAREOLAR:Complicações:- Achatamento da eminência mamaria;- Alargamento da cicatriz;- Ptose precoce p...
Técnicas cirírgicasCICATRIZ EM L:- Cicatrizes localizam-se ao redor da aréola, do seu pólo inferior até osulco infra-mamár...
Técnicas cirírgicasMASTOPEXIA VERTICAL- Cicatrizes ao redor da aréola e de seu pólo inferior até o sulco infra-mamário;- E...
Complicações- Necrose do complexo aréolo-mamilar CAM;- Perda da sensibilidade: de caráter reversível;- Hematomas: geralmen...
ComplicaçõesHEMATOMA e HEMORRAGIAS: quando ocorre, deve-se retirar aprótese, coagular o vaso sangrante e reintroduzir a pr...
Complicações- Cicatrizes exuberantes: pode estar associado a fatores como tensãona sutura da pele e uso inadequado de fios...
ComplicaçõesÁrea de sofrimento = isquemia = deiscência
Complicações
Complicações                 Pioderma gangrenoso:-Auto-imune e não-infecciosa- Rara- Lesão cutânea avermelhada = evolui p/...
ComplicaçõesNecrose e deiscência
Cuidados- Curativos: Curativos elásticos especialmente adaptados a cada tipode mama, trocados periodicamente.-Pontos:-São ...
Cuidados- Exames: Mamografias; US preventivos.- Lactação:• As técnicas cirúrgicas visam preservar a lactação;• A diminuiçã...
Fases do pós-operatório1 - PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia- Forma ainda está além do resultado planejado- Geralmente, ...
Fases do pós-operatório2 - PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 8º mês.- Mama começa a apresentar uma evolução que tende ...
Fases do pós-operatório3 - PERÍODO TARDIO: Vai do 8º ao 12º mês.- Mama atinge seu aspecto definitivo(cicatriz, forma, cons...
VÍDEOS
Cirurgias de mamas    Silvilena Bonatti           2013
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

Cefai mastoplastia e mastopexia

2,389

Published on

0 Comentários
0 pessoas curtiram isso
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Be the first to like this

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2,389
No Slideshare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Curtidas
0
Incorporar 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Cefai mastoplastia e mastopexia"

  1. 1. Cirurgias de mamas Silvilena Bonatti 2013
  2. 2. Histórico MAMAS FEMINILIDADE, SENSUALIDADEPadrão de beleza:- São influenciadas por tendências da moda;- Nos anos 20 as mulheres ressaltavam suas mamas;- Nos anos 40, as mamas mais volumosas eram aspreferidas;- Na década de 60, um visual menor foi o popular.
  3. 3. HistóricoPadrão de beleza: - Atualmente = tendência em direção ao meio termo, com visual baseado em linhas anatômicas naturais = proporçãoPadrão de beleza x Midia
  4. 4. AnatomiaLocalização anatômica:- Superiormente, entre a 2 e a 3 toraxcostela; mm.peitorais- Inferiormente, entre a 7 e a 8; Gll. mamárias- Lateralmente, pela linha axilar Mamilo - CAPanterior;- Medialmente pela linhaparaesternal. Ductos mamarios Tecido Pele gorduroso
  5. 5. Anatomia tecido mamário Ligamentos de Cooper sustentado por ligamentos (de Cooper) fixam ao músculo peitoral e a pele permitem movimento das gll. mamárias e dão suporte para a mama.
  6. 6. AnatomiaA mama é composta:- 20 lóbulos, que desembocam pelos ductos no mamilo.- Desenvolvimento: em resposta a alterações hormonais queocorrem nas mulheres, entre os 12 e os 18 anos deidade, dependendo da herança genética de cada uma.
  7. 7. Anatomia -Constantes alterações fisiológicas devido a cicloshormonais, gravidez variações do peso corporal, idade - Falta de desenvolvimento -Modificações no volume e na forma; - mamas pequenas, volumosas, ou flácidas.
  8. 8. Anatomia Ação Perda de resistência gravitacional da peleFrouxidão Perda de Processo natural de envelhecimentoligamentar elasticidade Ptose mamária Emagrecimentos Redução pós- abruptos lactação Falência ovariana com o advento da menopausa
  9. 9. Anatomia Hipomastia: mamas pequenasGigantomastia: mamas muito volumosas
  10. 10. Mamoplastia Redutora E Mastopexia
  11. 11. Mamoplastia redutora Objetivos:- Reduzir o volume das mamas;- Retirar o excesso de pele;- Corrigir a queda da mama;- Resultando em um equilíbrio entre o conteúdo (tecido mamário) e ocontinente (pele).
  12. 12. Mamoplastia redutora Objetivos:- Aliado à obtenção de forma e simetria adequada das mamas;- Com cicatrizes mínimas e imperceptíveis;- Aspectos funcionais: melhora da postura e dores na coluna.
  13. 13. Mamoplastia redutora Indicações:- IDADE para a realização da cirurgia:- A partir dos 15 anos de idade, desde que as mamas não estejamaumentado de tamanho e a paciente esteja com o peso corporaladequado.-70% com menos de 40 anos e 30% entre 20 e 30 anos. (na prática)
  14. 14. ConceitoMASTOPLASTIA / MAMOPLASTIA REDUTORA: redução do volume dasmamas e correção da queda Cicatriz T invertido
  15. 15. Conceito MASTOPEXIA: correção da queda das mamas e da flacidez da pele.
  16. 16. Mastopexia areolar: pouca flacidez, pequena sobra de pele
  17. 17. Conceito MASTOPEXIA COM PRÓTESE - Só a pexia ou só a inclusão de próteses não são suficientes para solucionar a ausência de volume associada à flacidez. - Quando se realiza ressecção de pele e inclusão de próteses, estas projetam o volume mamário no sentido póstero-anterior e a proteção delas na área do sulco mamário é formada apenas por pele e subcutâneo.
  18. 18. MASTOPEXIA COM PRÓTESE- Na atualidade, as brasileiras desejam mamas maiores- Quando apresentam pouco volume associado à média ou grandeflacidez, a maioria não deseja apenas o aumento de volume, mastambém a correção da flacidez.
  19. 19. MASTOPEXIA COM PRÓTESE- Bom resultado estético com cicatrizes peri areolares maisverticais, podendo concluí-la com T invertido no sulco mamário, com oramo horizontal da cicatriz de extensão variável em acordo com o graude flacidez.
  20. 20. Prótese retromamária, subfascial e retromuscular Retromuscular Subfascial Retroglandular
  21. 21. Técnicas cirírgicas Escolha da técnica cirúrgica adequadaExame dos tecidos Suas possibilidades
  22. 22. Cirurgia: pré-operatórioAvaliação pré-operatória:- Desvio postural;- Assimetria mamária;- Volume mamário;- Gordura lateral da mama;- Qualidade da pele: estrias, retrações, cicatrizes.
  23. 23. Orientações pré-operatórias:- Parar de fumar 30 dias antes da cirurgia;- Evitar bebidas alcoólicas e refeições fartas na véspera da cirurgia- Parar com medicamentos para emagrecer, diuréticos easpirina, ginko biloba, arnica 10 dias antes da cirurgia;- Levar roupas para o hospital com abertura frontal;- Repouso por 3 semanas;- Proibida atividades domésticas por 3 a 4 semanas;- Proibido de dirigir por 30 dias.
  24. 24. Cirurgia-Tipo de anestesia: geral ou peridural alta com sedação- Duração do ato cirúrgico: média é de 2 a 4 horas.- Período de internação: 24 horas.
  25. 25. Técnicas cirírgicasT INVERTIDO: ressecção glandular (Ivo Pitanguy, 1960)- A evolução da cirurgia reduziu as cicatrizes tornando-as mais curtas;- Não atinge regiões axilares e esternais;- As cicatrizes localizam-se ao redor da aréola e de seu pólo inferior atéo sulco infra-mamário, sendo a técnica mais freqüente.
  26. 26. Técnicas cirírgicasPERIAREOLAR:- Cicatriz ao redor da aréola;- Indicada nas pequenas e médias hipertrofias e flacidez;- A maior dificuldade reside na obtenção de mamas projetadas e decicatrizes esteticamente aceitáveis;
  27. 27. Técnicas cirírgicasPERIAREOLAR:Complicações:- Achatamento da eminência mamaria;- Alargamento da cicatriz;- Ptose precoce pela falta de sustentação;- Para evitar a ptose, coloca-se uma lâmina de poliuretano em torno damama, no plano subcutâneo fixando-a na fascia peitoral anterior.
  28. 28. Técnicas cirírgicasCICATRIZ EM L:- Cicatrizes localizam-se ao redor da aréola, do seu pólo inferior até osulco infra-mamário;- E lateralmente no sulco infra-mamário.- Elimina a parte medial da cicatriz em T invertido.
  29. 29. Técnicas cirírgicasMASTOPEXIA VERTICAL- Cicatrizes ao redor da aréola e de seu pólo inferior até o sulco infra-mamário;- Elimina a parte medial e lateral da cicatriz em T invertido
  30. 30. Complicações- Necrose do complexo aréolo-mamilar CAM;- Perda da sensibilidade: de caráter reversível;- Hematomas: geralmente ocorre em pacientes que fazem o uso demedicamentos do grupo dos salicilatos e dipironas;
  31. 31. ComplicaçõesHEMATOMA e HEMORRAGIAS: quando ocorre, deve-se retirar aprótese, coagular o vaso sangrante e reintroduzir a prótese.SEROMA: quando ocorre, deve-se retirar a prótese, limpar a cavidade ereintroduzir a prótese; ou punção guiada por US.INFECÇÃO: a prótese deve ser removida, drenar e iniciarantibioticoterapia.Recolocar a prótese após 3 a 6 meses.
  32. 32. Complicações- Cicatrizes exuberantes: pode estar associado a fatores como tensãona sutura da pele e uso inadequado de fios;- Fatores predisponentes também influenciam- Dismorfias: achatamento do cone mamário ou assimetrias sãopassiveis de correção.
  33. 33. ComplicaçõesÁrea de sofrimento = isquemia = deiscência
  34. 34. Complicações
  35. 35. Complicações Pioderma gangrenoso:-Auto-imune e não-infecciosa- Rara- Lesão cutânea avermelhada = evolui p/ necrose
  36. 36. ComplicaçõesNecrose e deiscência
  37. 37. Cuidados- Curativos: Curativos elásticos especialmente adaptados a cada tipode mama, trocados periodicamente.-Pontos:-São retirados em torno do 7º ao 10º dia.-Retorna a atividade física:- Geralmente após 90 dias. Cola cirúrgica + microporagem
  38. 38. Cuidados- Exames: Mamografias; US preventivos.- Lactação:• As técnicas cirúrgicas visam preservar a lactação;• A diminuição da lactação é comum• A função reaparece mesmo após ressecções das áreas delactogênese ou secção de sua continuidade com a lactopoiese.• Até nas enxertias do complexo areolomamilar, ocorre recanalizaçãoductal e excreção láctea.
  39. 39. Fases do pós-operatório1 - PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia- Forma ainda está além do resultado planejado- Geralmente, nenhuma mama fica perfeita no pós-operatório imediato- Dor, edema,
  40. 40. Fases do pós-operatório2 - PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 8º mês.- Mama começa a apresentar uma evolução que tende à formadefinitiva;- Forma definitva após o 6º a 8º mês;- Insensibilidade do mamilo;- Maior ou menor grau de edema até 4º a 6º mês;
  41. 41. Fases do pós-operatório3 - PERÍODO TARDIO: Vai do 8º ao 12º mês.- Mama atinge seu aspecto definitivo(cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade);- Fotografias do aspecto definitivo;- Compará-los com o aspecto pré-operatório de cada paciente;- Tem grande importância, no resultado final, o grau de elasticidade dapele das mamas e o volume conseguido.- O equilíbrio entre ambos varia de caso para caso.
  42. 42. VÍDEOS
  43. 43. Cirurgias de mamas Silvilena Bonatti 2013
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×