Imperialismo e neocolonialismo no século xix

760 visualizações

Publicada em

imperialismo,partilha da africa, fardo do homem banco

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
760
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Imperialismo e neocolonialismo no século xix

  1. 1. História por Nilton RibeiroHistória por Nilton Ribeiro Visite: segundosssa.blogspot.com.br/
  2. 2. IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NOIMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO SÉCULO XIX.SÉCULO XIX. Professor: Raphael “Cazuza” BremenkampProfessor: Raphael “Cazuza” Bremenkamp
  3. 3. CONTEXTOCONTEXTO  Segunda metade do século XIX quando aSegunda metade do século XIX quando a expansão dos países europeusexpansão dos países europeus industrializados leva a partilha dos continentesindustrializados leva a partilha dos continentes africano e asiático;africano e asiático;  Também EUA e Japão exercem atividadesTambém EUA e Japão exercem atividades imperialistas em suas respectivas regiões deimperialistas em suas respectivas regiões de influência.influência.
  4. 4. ““QUINTALDO MUNDO”QUINTALDO MUNDO”
  5. 5. CAUSASCAUSAS  Segunda Revolução Industrial (motor aSegunda Revolução Industrial (motor a combustão interna);combustão interna);  Busca de matéria-prima;Busca de matéria-prima;  Conquista de mercados-consumidores;Conquista de mercados-consumidores;  Acomodação de excedentes populacionaisAcomodação de excedentes populacionais (secundário);(secundário);  Estruturação de bases estratégicasEstruturação de bases estratégicas (neutralizando a concorrência).(neutralizando a concorrência).
  6. 6. JUSTIFICATIVASJUSTIFICATIVAS 1.1. Missão civilizadora:Missão civilizadora:  O literato inglês Rudyard Kipling (1865-1936)O literato inglês Rudyard Kipling (1865-1936) forneceu amplo material de apoio aoforneceu amplo material de apoio ao imperialismo de seu país. Para ele a Inglaterraimperialismo de seu país. Para ele a Inglaterra podia suportar como nenhuma outra nação “opodia suportar como nenhuma outra nação “o fardo do homem branco”; em sua obra ,fardo do homem branco”; em sua obra , TheThe White man’s burdenWhite man’s burden, destaca o dever à, destaca o dever à filantropia da ação colonizadora inglesa, comofilantropia da ação colonizadora inglesa, como se constata nos versos:se constata nos versos:  ““Assumi o fardo do homem branco, enviai os melhoresAssumi o fardo do homem branco, enviai os melhores dos vossos filhos! Condenai vossos filhos ao exíliodos vossos filhos! Condenai vossos filhos ao exílio para que sejam os servidores de seus cativos.”para que sejam os servidores de seus cativos.”
  7. 7. “Tomai o fardo do Homem Branco - Envia teus melhores filhos Vão, condenem seus filhos ao exílio Para servirem aos seus cativos; Para esperar, com arreios Com agitadores e selváticos Seus cativos, servos obstinados, Metade demônio, metade criança.”
  8. 8.  ““De que trata esse poema? O poetaDe que trata esse poema? O poeta britânico Rudyard Kipling, em 1899,britânico Rudyard Kipling, em 1899, publicou esse poema intitulado “O fardopublicou esse poema intitulado “O fardo do homem branco”, sobre a conquista dosdo homem branco”, sobre a conquista dos Estados Unidos sobre as Filipinas. ApesarEstados Unidos sobre as Filipinas. Apesar de seu poema alertar os perigos e osde seu poema alertar os perigos e os custos envolvidos na ação de conquista,custos envolvidos na ação de conquista, tornava-a, ao mesmo tempo, um nobretornava-a, ao mesmo tempo, um nobre empreendimento, sob o ponto de vista daempreendimento, sob o ponto de vista da “missão civilizatória da raça branca”.“missão civilizatória da raça branca”.
  9. 9. JUSTIFICATIVASJUSTIFICATIVAS 2.2. Darwinismo social:Darwinismo social:  Segundo Spencer, a Teoria da Evolução de Darwin,Segundo Spencer, a Teoria da Evolução de Darwin, podia ser perfeitamente aplicada à evolução dapodia ser perfeitamente aplicada à evolução da sociedade, assim como existia uma seleção naturalsociedade, assim como existia uma seleção natural entre as espécies, com o predomínio dos animais eentre as espécies, com o predomínio dos animais e plantas mais capazes, ela existia também naplantas mais capazes, ela existia também na sociedade.sociedade. A luta pela sobrevivência entre os animaisA luta pela sobrevivência entre os animais correspondia à concorrência capitalista; a seleçãocorrespondia à concorrência capitalista; a seleção natural não era mais nada além da livre troca dosnatural não era mais nada além da livre troca dos produtos entre os homens; a sobrevivência do maisprodutos entre os homens; a sobrevivência do mais capaz, do mais forte era demonstrada pela formacapaz, do mais forte era demonstrada pela forma criativa dos gigantes da indústria, que engoliam oscriativa dos gigantes da indústria, que engoliam os competidores mais fracos, em seu caminho para ocompetidores mais fracos, em seu caminho para o enriquecimento.enriquecimento.
  10. 10. FORMAS DE DOMÍNIOFORMAS DE DOMÍNIO  DIRETADIRETA – Com agentes metropolitanos ocupando os principaisCom agentes metropolitanos ocupando os principais cargos governamentais.cargos governamentais. – Ex: Inglaterra na Índia.Ex: Inglaterra na Índia.  INDIRETAINDIRETA – Aliança com elites locais, mantendo uma aparenteAliança com elites locais, mantendo uma aparente independência política.independência política. – Ex: EUA na América CentralEx: EUA na América Central
  11. 11. COLONIALISMO X NEOCOLONIALISMOCOLONIALISMO X NEOCOLONIALISMO  COLONIALISMO:COLONIALISMO: 1.1. Capitalismo ComercialCapitalismo Comercial (mercantilismo);(mercantilismo); 2.2. Objetivos: especiarias,Objetivos: especiarias, produtos tropicais eprodutos tropicais e metais preciosos;metais preciosos; 3.3. Continente Americano;Continente Americano; 4.4. Expansão impulsionadaExpansão impulsionada pelo Estado;pelo Estado; 5.5. Ideologia legitimadora:Ideologia legitimadora:  Fé católicaFé católica  NEOCOLONIALISMO:NEOCOLONIALISMO: 1.1. Capitalismo industrial e financeiro;Capitalismo industrial e financeiro; 2.2. Objetivos: mercadosObjetivos: mercados consumidores de manufaturas econsumidores de manufaturas e fornecedores de matérias-primas;fornecedores de matérias-primas; busca de colônias para excedentebusca de colônias para excedente populacional europeu; áreas depopulacional europeu; áreas de investimento de capitais e áreasinvestimento de capitais e áreas estratégicas para proteção doestratégicas para proteção do comércio marítimo.comércio marítimo. 3.3. Continente africano, Asiático eContinente africano, Asiático e Oceania;Oceania; 4.4. Expansão impulsionada pelaExpansão impulsionada pela burguesia européiaburguesia européia 5.5. Ideologia legitimadora:Ideologia legitimadora: – Missão Civilizadora (Fardo doMissão Civilizadora (Fardo do Homem branco) e DarwinismoHomem branco) e Darwinismo Social.Social.
  12. 12. CONFERÊNCIA DE BERLIMCONFERÊNCIA DE BERLIM (1884 -1885)(1884 -1885)  Objetivo:Objetivo: 1.1. Elaboração de um conjunto de regras queElaboração de um conjunto de regras que dispusessem sobre a conquista da África pelasdispusessem sobre a conquista da África pelas potências coloniais da forma mais ordenada possível.potências coloniais da forma mais ordenada possível.  Beneficiados:Beneficiados: 1.1. Inglaterra e França. (Maior porcentagem dosInglaterra e França. (Maior porcentagem dos territórios)territórios)  Mapa Cor de Rosa:Mapa Cor de Rosa: 1.1. Ultimato Britânico de 1890.Ultimato Britânico de 1890.
  13. 13. IMPÉRIOS NEOCOLONIAISIMPÉRIOS NEOCOLONIAIS
  14. 14. –A América não é dos americanos? –Claro que é! Mas vocês são sul- americanos...
  15. 15. IMPERIALISMOIMPERIALISMO ESTADUNIDENSEESTADUNIDENSE  Doutrina Monroe em 1823.Doutrina Monroe em 1823.  Corolário Roosevelt ou Big StickCorolário Roosevelt ou Big Stick Policy(1901-09) (política do grandePolicy(1901-09) (política do grande porrete):porrete): Intervenção dos EUA nos países daIntervenção dos EUA nos países da América Latina.América Latina.  Guerra Hispano Americana (1898).Guerra Hispano Americana (1898).  Emenda Platt: Dá o direito de intervençãoEmenda Platt: Dá o direito de intervenção estadunidense na Ilha de Cuba.estadunidense na Ilha de Cuba.  Em 1898 anexa a ilha de Porto Rico.Em 1898 anexa a ilha de Porto Rico.  Obtém territórios no Pacífico como o Hawai.Obtém territórios no Pacífico como o Hawai.
  16. 16. ERA MEIJI – JAPÃOERA MEIJI – JAPÃO  Isolado até 1542.Isolado até 1542.  A chegada da fé cristã leva cerca de 37 milA chegada da fé cristã leva cerca de 37 mil cristãos japoneses a morte.(1616)cristãos japoneses a morte.(1616)  Em 1648, o Japão fecha totalmente seus portosEm 1648, o Japão fecha totalmente seus portos e passa a viver em um regime feudal.e passa a viver em um regime feudal. (feudalismo japonês ou xogunato)(feudalismo japonês ou xogunato)  Através da diplomacia do canhão, os EUAAtravés da diplomacia do canhão, os EUA abrem os portos japoneses em 1854.abrem os portos japoneses em 1854.  Ocidentalização da cultura (militar).Ocidentalização da cultura (militar).  É despertado um forte nacionalismo pósÉ despertado um forte nacionalismo pós abertura dos portos.abertura dos portos.
  17. 17. ERA MEIJI – JAPÃOERA MEIJI – JAPÃO  União de clãs rivais ao xogunato envolta doUnião de clãs rivais ao xogunato envolta do Imperador.Imperador.  A vitória do imperador sobre o Xogum centralizaA vitória do imperador sobre o Xogum centraliza a política japonesa dando início a partir de 1868a política japonesa dando início a partir de 1868 ao industrialismo e modernização do Japão,ao industrialismo e modernização do Japão, conhecido como ERA MEIJI.conhecido como ERA MEIJI.  Após a rápida industrialização começa a políticaApós a rápida industrialização começa a política imperialista sobre a China, objetivando posse daimperialista sobre a China, objetivando posse da Manchúria.Manchúria.  Em 1904 ocorre a GUERRA RUSSO-Em 1904 ocorre a GUERRA RUSSO- JAPONESA. Vitória japonesa e assinatura doJAPONESA. Vitória japonesa e assinatura do TRATADO DE PORTSMOUTH.TRATADO DE PORTSMOUTH.
  18. 18. RESISTÊNCIA AORESISTÊNCIA AO IMPERIALISMOIMPERIALISMO Guerra do Ópio (1841- 1842)Guerra do Ópio (1841- 1842)  Local: ChinaLocal: China  Motivos:Motivos: A dominação inglesa sobre a produção do ópioA dominação inglesa sobre a produção do ópio força o mercado chinês a absorver o produto. O vícioforça o mercado chinês a absorver o produto. O vício dissemina se entre a população forçando as autoridadesdissemina se entre a população forçando as autoridades chinesas a proibir o comércio do ópio e apreender a cargachinesas a proibir o comércio do ópio e apreender a carga pertencente a Inglaterra. É exigida pelos ingleses umapertencente a Inglaterra. É exigida pelos ingleses uma indenização que não é paga e assim ocorre o conflito.indenização que não é paga e assim ocorre o conflito.  Conseqüências:Conseqüências: Assinatura do TRATADO DEAssinatura do TRATADO DE NANQUIM, que abria cinco portos chineses ao livre comércio,NANQUIM, que abria cinco portos chineses ao livre comércio, abolia a fiscalização chinesa e entregava a Ilha de Hongabolia a fiscalização chinesa e entregava a Ilha de Hong Kong a domínio inglês. Em 1860 é assinado o TRATADO DEKong a domínio inglês. Em 1860 é assinado o TRATADO DE PEQUIM que abre mais sete portos ao comércioPEQUIM que abre mais sete portos ao comércio internacional.internacional.
  19. 19. Flor da Papoila
  20. 20. RESISTÊNCIA AORESISTÊNCIA AO IMPERIALISMOIMPERIALISMO Guerra dos Cipaios (1857-58)Guerra dos Cipaios (1857-58)  Local: ÍndiaLocal: Índia  Motivos:Motivos: Após 1848, os ingleses intensificaram oApós 1848, os ingleses intensificaram o controle sobre a região impondo uma administração britânica.controle sobre a região impondo uma administração britânica. A crescente presença britânica desperta o nacionalismo naA crescente presença britânica desperta o nacionalismo na região. A revolta é sufocada violentamente pelos ingleses noregião. A revolta é sufocada violentamente pelos ingleses no ano de 1858.ano de 1858.  Conseqüências:Conseqüências: Após a revolta, a Índia passa a serApós a revolta, a Índia passa a ser colônia britânica(DIPLOMACIA DO CANHÃO).colônia britânica(DIPLOMACIA DO CANHÃO).
  21. 21. RESISTÊNCIA AORESISTÊNCIA AO IMPERIALISMOIMPERIALISMO Guerra dos Boêres (1899-1902)Guerra dos Boêres (1899-1902)  Local: Colônia do Cabo (África do Sul).Local: Colônia do Cabo (África do Sul).  Motivos:Motivos: Atrito entre holandeses e alemães que viviam naAtrito entre holandeses e alemães que viviam na região de Joanesburgo. Após a descoberta de ouro eregião de Joanesburgo. Após a descoberta de ouro e diamantes na região houve uma grande migração para adiamantes na região houve uma grande migração para a área. O forte interesse inglês na região e a resistência doárea. O forte interesse inglês na região e a resistência do africânderes faz o conflito eclodir.africânderes faz o conflito eclodir.  Consequências:Consequências: Vitória inglesa e fundação da UniãoVitória inglesa e fundação da União Sul Africana no ano de 1910 sob controle britânico.Sul Africana no ano de 1910 sob controle britânico.
  22. 22. Mulheres e crianças bôeres em campo de concentração inglês.
  23. 23. RESISTÊNCIA AORESISTÊNCIA AO IMPERIALISMOIMPERIALISMO Guerra dos Boxers (1900)Guerra dos Boxers (1900)  Local: ChinaLocal: China  Motivos:Motivos: Forte nacionalismo chinês com o objetivo deForte nacionalismo chinês com o objetivo de livrar a China das influências estrangeiras. Uma rebeliãolivrar a China das influências estrangeiras. Uma rebelião mata inúmeros estrangeiros que tem como represália amata inúmeros estrangeiros que tem como represália a formação de uma Força Expedicionária Internacionalformação de uma Força Expedicionária Internacional composta por Inglaterra, França, Alemanha, EUA, Rússia ecomposta por Inglaterra, França, Alemanha, EUA, Rússia e Japão.Japão.  Consequências:Consequências: A F.E.I subjuga a China e força oA F.E.I subjuga a China e força o reconhecimento das concessões anteriores.reconhecimento das concessões anteriores.
  24. 24. Bóxers 

×