Vera_Prescricao_atividade_fisica

6.032 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.032
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.777
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
103
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 150 minutos por semana de intensidade moderada ou 75 minutos por semana de atividade aeróbica física vigorosa ou uma combinação equivalente de os dois
  • Vera_Prescricao_atividade_fisica

    1. 1. Prescrição de Atividade Física para Pessoas com Diabetes
    2. 2. Como a AF beneficia o paciente diabético? Entendendo as adaptações Fisiológicas da AF no paciente com DM •Aumento da ação da insulina •Glicotransportadores (GLUT4) •Sensibilidade à insulina •Reposição do glicogênio pelas células •Glicose: substrato predominante durante o exercício (durante ± 30 min)
    3. 3. Como a AF beneficia o paciente diabético? Entendendo as adaptações Fisiológicas da AF no paciente com DM •Aumento da ação da insulina •Glicotransportadores (GLUT4) •Sensibilidade à insulina •Reposição do glicogênio pelas células •Glicose: substrato predominante durante o exercício (durante ± 30 min) Melhora do controle glicêmico
    4. 4. Como a AF beneficia o paciente diabético? Alguns outros benefícios/efeitos da AF no paciente com DM
    5. 5. Ao prescrever Atividade Física para Diabéticos atentar para: • TIPO DE DIABETESTIPO DE DIABETES - Para diabetes tipos 2: investigar fatores associados Averiguar a necessidade de exames complemantares - Para insulino-dependentes: orientar sobre a aplicação da insulina (local e pico de absorção) Evitar a aplicação na musculatura a ser trabalhada O pico de absorção não deve coincidir com o período da AF • CONTROLE DA GLICEMIACONTROLE DA GLICEMIA - Mensurar a glicemia capilar antes do exercícios Evitar exercício quando glicose > 250 mg/dl Ingerir carboidrato se glicose < 100 mg/dl • ALIMENTAÇÃO E AFALIMENTAÇÃO E AF - Consumo de carboidratos adequados antes, durante a após a sessão de Atividade Física - Carboidratos ao alcance durante o exercício (evitar a hipoglicemia)
    6. 6. Ao prescrever Atividade Física para Diabéticos atentar para:
    7. 7. Outros números referentes ao pico de absorção da insulina O artigo completo está disponível no acervo do curso! Tabela: tipos de Insulina e atividades. Adaptado de SCHMID, 2007.
    8. 8. Informações Adicionais: Evitando a hipoglicemia Para pacientes usuários de insulina, é fundamental evitar a hipoglicemia durante e após a atividade física. Neste sentido, as recomendações são: - Indicar o consumo de 15 g de carboidratos, se a duração da atividade prescrita tiver duração superior a 60 min, ou na presença de sintomas; - Não permitir a prática de exercícios físicos em jejum. Caso a última refeição tenha acontecido a mais de 120 min, orientar para que seja feito um lanche rápido; - Se a atividade física for realizada no período noturno, orientar para que seja feito um lanche antes do repouso; isto evita a hipoglicemia tardia; - Oriente a hidratação durante os exercícios, principalmente nas atividades físicas de longa duração.
    9. 9. Informações Adicionais: De olho nos pés Como vimos em material específico, portadores de diabetes podem apresentar problemas com os pés devido à neuropatia diabética. Ao prescrever atividade física, portanto, indique o uso de um calçado confortável, do tipo tênis, de preferência sem costuras grossas internas, além do uso de meias, pois elas protegem ainda mais os pés. Caso haja alguma lesão nos pés, suspenda a prescrição de atividades como caminhadas ou corridas. O mais prudente, neste caso, é esperar a cicatrização da lesão.
    10. 10. Informações Adicionais: Complicações Crônicas - Na presença de Doenças Cardíacas: solicitar ECG de esforço antes da prescrição de atividade física. Em caso: - Nefropatia: evitar estímulos de alta intensidade - Retinopatia diabética proliferativa ou retinopatia grave não- proliferativa: evitar exercícios aeróbicos vigorosos, de alto impacto, e que elevem a PA; evitar exercícios resistidos com cargas altas (Justificativa: risco de hemorragia vítrea ou do descolamento de retina). - Neuropatia autonômica: evitar movimentos bruscos devido a hipotensão ortostática, monitorar a frequência cardíaca , PA e a hidratação (Justificativa: Aumento do risco de eventos cardiovasculares; problemas com a termorregulação). - Identificando a diminuição da sensibilidade dolorosa: priorizar exercícios que não envolvam sobrecarga de peso em membros inferiores.
    11. 11. Para outras informações, consulte: -American Diabetes Association: physical activity/exercise and diabetes (position statement). Diabetes Care. 2004;27 Suppl 1:S58. Disponível em: http://care.diabetesjournals.org/content/27/suppl_1/s58.full.pdf -Boulton AJ, Vinik AI, Arezzo JC, Bril V, Feldman EL, Freeman R, et al. Diabetic neuropathies: a statement by the American Diabetes Association. Diabetes Care. 2005;28:956-62. Disponível em: http://care.diabetesjournals.org/content/28/4/956.long
    12. 12. Solicitar o TESTE ERGOMÉTRICO para encaminhamento do paciente diabético para programas de AF em casos de: _ indivíduos diabéticos sedentários com risco cardiovascular moderado (Framinghan ≥ 10 % em 10 anos); _ indivíduos com DM tipo 1 com mais de 30 anos de idade ou com a patologia há mais de 15 anos; _ indivíduos com DM tipo 1 com mais de 35 anos de idade e com doença há mais de 10 anos; _ na presença de doença microvascular; _ na presença de doença vascular periférica; _ na presença de disfunção autonômica (ex: angina silenciosa); _ indivíduos com DM tipo 1 ou 2 e um ou mais fatores de risco para doença coronariana. Pinto e Tavares (IN: BRASIL, 2011)
    13. 13. - glicemia abaixo de 100 mg/dl ou acima de 250 mg/dl; - cetose urinária; - doença infecciosa ou outras; - hemorragia retiniana ativa ou terapia com laser recente; Pinto e Tavares (IN: BRASIL, 2011) Orientar o paciente NÃO SE EXERCITAR na presença dos sintomas:
    14. 14. Que tal garantir um espaço para um bate- papo antes do início das atividades do grupo? Sempre sinalize a importância dos pacientes referirem seus sintomas e se mostre acessível a sanar outras dúvidas.
    15. 15. FONTE: BRASIL, 2014, P. 132.
    16. 16. FONTE: Pinto e Tavares (IN: BRASIL, 2011), P.127.
    17. 17. Legenda: SBD = Sociedade Brasileira de Diabetes ADA = American Diabetes Association. Recomendações de Atividade Física para Diabéticos
    18. 18. Recomendações sobre Atividade Física Outras informações relevantes (ACSM, 2001): • Normas para condução de um grupo de AF para Diabéticos: Monitoração da glicose antes, durante e depois do exercício Mudança da insulina ou alimentação de acordo com o treino Comparar diferentes respostas glicêmicas ao longo dos treinos e durante os mesmos, se pertinente
    19. 19. • AMERICAN DIABETES ASSOCIATION. American Diabetes Association: Physical activity/exercise and diabetes (position statement). Diabetes Care. 2004;27 Suppl 1:S58. • AMERICAN DIABETES ASSOCIATION. Standards of Medical Care in Diabetes—2012. Disponível em: http://care.diabetesjournals.org/content/35/Supplement_1/S11.full • Boulton AJ, Vinik AI, Arezzo JC, Bril V, Feldman EL, Freeman R, et al. Diabetic neuropathies: a statement by the American Diabetes Association. Diabetes Care. 2005;28:956-62. • BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Grupo Hospitalar Conceição. Gerência de Saúde Comunitária A organização do cuidado às pessoas com Diabetes Mellitus tipo 2, em serviços de atenção primária à saúde. Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição, ago. 2011. p. 156. • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção À Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. (Caderno de Atenção Básica, n. 36). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_diabetes_mellitus _cab36.pdf • SCHMID, Helena. Novas opções na terapia insulínica. J. Pediatr. (Rio J.), Porto Alegre, v. 83, n. 5, Nov. 2007. • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2009. 3ª ed. Itapevi, São Paulo. A: Araújo Silva Farmacêutica, 2009. 400p. Referencias Bibliográficas
    20. 20. Este trabalho está licenciado sob uma licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

    ×