Manual monografia graduação e pós fpd

11.733 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
96
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual monografia graduação e pós fpd

  1. 1. F AC U L D AD E P A S C H O A L D A N T A S AUT OR IZ AD A PEL A PORT AR IA MEC Nº 10 5 DOU 18.01.2008MANUAL DE NORMAS BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO – TCC E MONOGRAFIA Elaboração: Profa. Dra. Dirce Encarnacion Tavares SÃO PAULO 2011
  2. 2. 2 (Modelo de Capa) F AC U L D AD E P A S C H O A L D A N T A S AUT OR IZ AD A PEL A PORT AR IA MEC Nº 10 5 DOU 18.01.2008 Nome do aluno (14 ou 16) PROFESSOR, EDUCADOR OU MESTRE? (16)A VISÃO DO DOCENTE DO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM (14) SÃO PAULO (14) 2011 (14)
  3. 3. 3 (Modelo de Folha de rosto) Nome do aluno (14 ou 16) PROFESSOR, EDUCADOR OU MESTRE?A VISÃO DO DOCENTE DO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM (14 ou16) Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a disciplina de Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa, da Faculdade Paschoal Dantas, como parte dos requisitos para obtenção do título de Licenciatura em Pedagogia (10 ou 11). Orientador (a): Prof.(ª) (titulação e nome completo) SÃO PAULO (14) 2011 (14)
  4. 4. 4 (Modelo de Ficha Catalográfica – verso da Folha de rosto)BARROS, José Adilson de. O papel dos instrumentos de avaliação de desempenho na enfermagem em umhospital privado / José Adilson de Barros – São Paulo, 2008. 20 f. Trabalho de conclusão de curso realizado no Centro Universitário Ítalo Brasileiro– Campus Cruz Vermelha Brasileira, como exigência parcial para obtenção do títulode especialista em Educação e Saúde. Orientadora: Profª. Drª. Dirce Encarnacion Tavares.1. Avaliação de desempenho 2. Enfermagem 3. Gestão (palavras-chave)
  5. 5. 5 (Modelo de Folha de Aprovação) FOLHA DE APROVAÇÃO (16) Nome do aluno (14 ou 16) PROFESSOR, EDUCADOR OU MESTRE? A VISÃO DO DOCENTE DO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM (14 ou 16)Trabalho de Conclusão de Curso depositado junto a Faculdade de Pedagogia daFaculdade Paschoal Dantas, no dia ------/------/2011. _______________________________________ _______________________________________
  6. 6. 6(Modelo de dedicatória – opcional) Dedicamos este trabalho a nossos pais, amigos e familiares que nos incentivaram em todos os momentos deste trajeto. (12)
  7. 7. 7 Modelo de Agradecimentos – opcional) AGRADECIMENTOS (16)Expressamos nossa gratidão ao Sr. ..........., especialmente pela atenção,cordialidade e profissionalismo com o que nos recebeu.Agradecemos a Sra. ........., pelas informações disponibilizadas.E finalmente, agradecemos ao Sr. ........., pelo empenho e dedicação prestadosdurante a fase final deste trabalho.
  8. 8. 8 (Modelo de epígrafe – opcional)Despertei... Sou um ser único... Desenvolvo minhas capacidades, minha inteligência, meu ser... Melhoro minha auto-imagem... Busco aplicar meus talentos para fins nobres e elevados. Ouço o melhor, falo no melhor, Penso no melhor. Trabalho, trabalho, trabalho na construção de um mundo melhor. O pensamento é vida... A velhice é vida... A vida é paixão... A vida é expansão... Coloco gotas diárias de alegria, otimismo, ideal, amor e confiança. Movimento tudo... Turbino minha vida; Desperto, vivo...revivo... Acredito, venço. Dirce Encarnacion Tavares - 2011
  9. 9. 9 RESUMO (16)Elemento obrigatório, que consiste na apresentação concisa dos pontos relevantesde um texto. O resumo deve dar uma visão rápida e clara do conteúdo e dasconclusões do trabalho; constitui-se de uma sequência corrente de frases concisase objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, sem recuo e semparágrafo, não ultrapassando 500 palavras (20 linhas), seguido, logo abaixo, daspalavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras-chave e/oudescritores, conforme a NBR-6028. (12)Palavras chave ou descritores:Veja a seguir um exemplo de resumo:
  10. 10. 10 (Modelo de resumo)TAVARES, Dirce Encarnacion (2011). A presença do aluno idoso nauniversidade contemporânea - Uma leitura Interdisciplinar. Monografia doCurso Graduação em ..., São Paulo: Faculdade Paschoal Dantas. RESUMOEste trabalho visa a uma possibilidade de enxergar o idoso pelas suas histórias devida e entender quais os fatores que o impulsionam a retornar aos estudos com 60anos e mais, após longo tempo afastado dos bancos escolares, e como eleaprende e se relaciona com os colegas em sala de aula e consigo mesmo. A partirdo método da escuta sensível foram realizadas sete entrevistas em duasfaculdades particulares da periferia da zona sul de São Paulo. Uma delasconfessional. Ambas possuem projetos e programas de atendimento ao idoso. Foiabordada e também analisada na pesquisa a necessidade de se construir umdiálogo mais amplo entre o idoso e o mundo moderno. Como linha principal foiescolhida a interdisciplinaridade, buscando compreender como o idoso concebe evive sua vida acadêmica, mediante a narração de suas histórias de vida. Foiconstante a preocupação com a compreensão e o respeito às formas de agir,sentir, pensar e expor do entrevistado. Concluiu-se que à medida que os idososcontavam suas histórias, foram detectadas razões fundamentais para se ter umenvelhecimento diferente e significativo por meio da construção de novos ideais. Avolta aos estudos mostrou que mesmo sendo idoso há vida, há sonhos, hápossibilidades. Inibi-los é morrer!Palavras–chave: Idosos. Educação superior. Histórias de vida. Interdisciplinaridade.
  11. 11. 11 (Modelo de abstract)TAVARES, Dirce Encarnacion (2011). The presence of the elderly pupil onhis return to the Contemporary University - An Interdisciplinar reading.Monografia do Curso de Pós Graduação em ..., São Paulo: FaculdadePaschoal Dantas. ABSTRACTThis work aims in one possibility of considering the elderly by his life stories andunderstand which factors took him back to class at 60 years or even older, after along period far from school and how he learns and gets along with his classmatesand himself. Making use of the sensible listening method, seven interviews weredone in two universities in the south zone of São Paulo. One of them isconfessional. Both have support programs for the elderly. It was also taken intoconsideration in the survey the need to build a wider communication between theelderly and the modern world. The interdisciplinarity was chosen as the main path,trying to understand how the elderly conceives and lives his academic life, throughde narrative of his life histories. The concern to understand and to respect the wayof acting, feeling, thinking and exposing of the interviewed was constant , too. Theconclusion was that as the elderly told his stories, It was detected fundamentalreasons for having a different and meaningful aging, through the building of newideals. The return to study has shown that even being elder, there is life, dreams,there are possibilities. To curb them means to die!Key words: elderly, higher education, lifes stories, interdisciplinarity
  12. 12. 12 (Modelo de Sumário) SUMÁRIO Página1. INTRODUÇÃO..................................................................................................XX1.1. Justificativa..................................................................................................XX1.2. Problema.....................................................................................................XX1.3. Objetivos......................................................................................................XX1.4. Hipótese......................................................................................................XX1.5. Metodologia.................................................................................................XX2. DESENVOLVIMENTO TEÓRICO......................................................................XX3. ANÁLISE, DISCUSSÃO E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS2. CONCLUSÕES..................................................................................................XX5. REFERÊNCIAS..................................................................................................XXANEXOS
  13. 13. 13 SUMÁRIO (DESTE MANUAL) Página1. INTRODUÇÃO...................................................................................................... 152. ESTRUTURA DO TRABALHO .......................................................................... 172.1. Elementos pré-textuais..................................................................................... 172.2. Elementos textuais............................................................................................. 202.2.1. Projeto de Pesquisa....................................................................................... 202.2.2. Monografia...................................................................................................... 212.2.3. Construção Lógica do Trabalho Científico ..................................................... 232.3. Elementos pós-textuais ...................................................................................... 272.3.1. Referências ................................................................................................... 272.3.2. Glossário ....................................................................................................... 302.3.3. Anexo(s) ....................................................................................................... 302.3.4. Índice(s) ........................................................................................................ 303. FORMATAÇÃO DO TRABALHO...................................................................... 31 - Material ........................................................................................................ 31 - Margens........................................................................................................ 31 - Espaçamento entre linhas e parágrafos....................................................... 31 - Escrita........................................................................................................... 31 - Impressão..................................................................................................... 31 - Titulação ou indicativos de seção................................................................. 31 - Numeração progressiva dos capítulos (NBR-6024)..................................... 32 - Citações e transcrições (NBR-10520) ......................................................... 32 - Paginação................................................................................................. 32 4. MODELOS PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO.................................. 33 - Lista de ilustrações ................................................................................... 34
  14. 14. 14 - Glossário ................................................................................................... 35 - Anexo(s) .................................................................................................... 36 - Índice(s) ...................................................................................................... 375. REFERÊNCIAS........................................................................................................ 38
  15. 15. 151. INTRODUÇÃO O objetivo deste manual é orientar alunos de graduação e pós-graduaçãosobre a elaboração de monografia. O Trabalho de Conclusão de Curso - TCC e a Monografia são um tipoespecial de introdução ao trabalho científico escrito sobre um tema e, uma vez queé elaborada no processo de ensino e aprendizagem, tem o sentido de estimular acuriosidade e o prazer da busca do conhecimento. A característica básica do TCC e da Monografia é que seu conteúdo é oresultado de um processo de pesquisa. O aluno vai anotando e organizando seupensamento, durante os anos de graduação. Vai tornando evidente o processo deconstrução do conhecimento e não apenas a valorização do produto final que é otrabalho pronto. Neste sentido o aluno estará caminhando na direção de suaautonomia de aprendizagem, libertar-se da dependência do professor de quem,tradicionalmente, foi feito refém, com a proposta de aprender a aprender. O ensino de graduação está profundamente enraizado no princípiopedagógico da relação linear entre ensinar e aprender como uma via de mão únicana qual o professor ensina e o aluno aprende. O aluno sente-se limitado econdicionado àquele saber que o professor lhe passa. Por tradição e porcomodismo, tanto ensino quanto aprendizagem, repete-se numa enfadonhasintonia de dar e receber conhecimento. Procurar, descobrir e aprenderconhecimento faz parte de uma nova perspectiva em educação, que estáestreitamente vinculada à pesquisa como possibilidade de ensino e aprendizagem. Em nossa cultura consideramos espontaneamente que o observador “gira” em torno do objeto, sendo este considerado como o que produz a observação, ao passo que o sujeito observante como essencialmente receptivo. A revolução copernicana consiste em deslocar o acento e dizer que a observação será antes de mais nada a construção do sujeito... (FOUREZ,1995, p. 59). Neste sentido, colocamos que a importância do TCC e/ou da Monografia é ade contribuir para que o estudante deixe de ser um observador passivo, que giraem torno dos conteúdos, como ser essencialmente receptivo, incapaz de criar, para
  16. 16. 16tornar-se sujeito do seu caminho de conhecimento com autonomia e segurança,capaz de dizer que rumo tomar no processo de aprendizagem. O TCC e/ou a Monografia tornam-se assim, também, uma proposta demetodologia de ensino, tendo em vista que, na aula, o professor apresenta suaexposição sobre o assunto, ou o tema, e cabe ao estudante ir mais além buscandooutros dados e novos argumentos para construir seu conhecimento sem dependerdo professor. Este, na verdade, fará o papel de orientador mostrando àquele oscaminhos do saber. É também uma possibilidade para o aluno aprender aorganizar o conhecimento, juntando, sistematizando, questionando e reconstruindoo saber fragmentado que lhe foi ensinado. A elaboração de um trabalho científico pressupõe, portanto, uma pesquisapara construção do conhecimento, produzindo saber com criticidade. O centro da pesquisa é a arte de questionar de modo crítico e criativo, para, assim, melhor intervir na realidade. Por isso, é principio educativo também. Como tal constitui-se na mola mestra de aprender a aprender. Em vez de decorar, saber pensar. Não se restringe à acumulação de mecânica de pedaços de conhecimentos, que permitem transitar respectivamente no cotidiano, mas gera a ambiência dinâmica do sujeito capaz de participar e produzir, de ver o todo e deduzir logicamente, de planejar e intervir (DEMO, 1993, p. 99). A partir dessa atitude, o estudante estará iniciando sua experiência nametodologia da pesquisa e da reflexão, pois é na graduação que a exploração dopatrimônio cultural e da realidade contextualizada torna-se uma exigênciaimprescindível ao processo pedagógico do ensino superior (SEVERINO, 1996:105).É também uma possibilidade de elaboração de melhores trabalhos acadêmicos quepor falta de orientação adequada não passam de colagens malfeitas de textosalheios. Com essa prática, a metodologia de ensino, sugerida pelo uso de um trabalhoescrito, possibilitará ao estudante a organização do seu conhecimento. Estedocumento foi elaborado tendo por base as normas da ABNT - AssociaçãoBrasileira de Normas Técnicas e autores nacionais consagrados.
  17. 17. 172. ESTRUTURA DO TRABALHO A estrutura do trabalho acadêmico – como Trabalho de Conclusão de Cursoe similares – definida na NBR-14724 (com vigência a partir de 29.09.2002), devecontemplar os elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais, conforme abaixo:Estrutura Elemento CondiçãoPré-textuais Capa obrigatório Folha de Rosto obrigatório Ficha Catalográfica obrigatório Errata opcional Folha de Aprovação obrigatório Dedicatória opcional Agradecimentos opcional Epígrafe opcional Resumo obrigatório Resumo em língua estrangeira obrigatório Sumário obrigatório Lista de Ilustrações opcional Lista de tabelas opcional Lista de abreviaturas e siglas opcional Lista de símbolos opcionalTextuais Introdução obrigatório Desenvolvimento obrigatório Conclusão obrigatórioPós-textuais Referências obrigatório Glossário opcional Apêndice opcional Anexo opcional Índice(s) opcional2.1. Elementos pré-textuaisCapa Externa (dura): é a proteção externa do trabalho, sobre a qual se imprimemas informações indispensáveis à sua identificação, na seguinte ordem: - Nome da instituição; - Nome do autor; - Título e subtítulo; - Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; - Ano de depósito (da entrega);Obs.: Cor da encadernação: AZUL, com a gravação em letras douradas.
  18. 18. 18Lombada ou Dorso da Capa Dura: (informações complementares podem serobtidas na NBR-12225) a) Nome do autor, impresso longitudinalmente e legível do alto para o pé da lombada. Esta forma possibilita a leitura quando o trabalho está no sentido horizontal, com a face voltada para cima; b) Título do trabalho, impresso da mesma forma que o nome do autor.Folha de Rosto (anverso): elemento obrigatório é a folha que apresenta oselementos essenciais à identificação do trabalho. Deve constar de: Nome do autor: responsável intelectual do trabalho; Título e subtítulo, sendo o primeiro em caixa alta; centralizados; Natureza (Trabalho de Conclusão de Curso - TCC ou Monografia) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido; área de concentração - justificado à direita; Nome do orientador, justificado à direita; Local e ano.Folha de Rosto (verso): deve conter a ficha catalográfica, conforme Código deCatalogação Anglo-Americano – CCAA2. Obs.: Encaminhamento ao acervo daInstituição (Biblioteca). O setor responsável elaborará a Ficha Catalográfica.Errata: elemento opcional. Trata-se de uma lista com a indicação das folhas elinhas em que ocorreram erros, com as correções necessárias. Em geral,apresenta-se em papel avulso, acrescido ao trabalho depois de impresso.Folha de aprovação: elemento obrigatório que contém autor, título por extenso esubtítulo, se houver, local e data de aprovação, nome e assinatura dos membroscomponentes da banca examinadora.Dedicatória: página opcional, em que o autor presta homenagem ou dedica seutrabalho. A dedicatória deve figurar à direita, na parte inferior da folha.Agradecimentos: página opcional, em que são registrados agradecimentos àspessoas e/ou instituições que cooperaram com o autor.Epígrafe: página opcional, em que o autor inclui uma citação, seguida deindicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho. Acitação deve figurar à direita, na parte inferior da folha.
  19. 19. 19Resumo: elemento obrigatório, que consiste na apresentação concisa dos pontosrelevantes de um texto. O resumo deve dar uma visão rápida e clara do conteúdo edas conclusões do trabalho; constituí-se de uma seqüência corrente de frasesconcisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, ou seja, deve-se acentuar as idéias mais importantes e mostrar as principais ligações que o autorestabelece entre elas. Para e chegar ao resumo, é necessária uma boa leituraexploratória (analítica), sendo, portanto, o resultado normal do trabalho de leitura.Em seguida, pode-se fazer uma boa síntese – com as palavras do autor ou doleitor, sem, contudo ferir a mensagem do escritor; deve-se também, se necessário,acrescentar referências bibliográficas e observações de caráter pessoal. Para serpossível elaborar um resumo de alta qualidade será necessário ler e reler o texto,procurando entendê-lo a fundo, procurar a idéia-tópico, relacionar e ordenar asidéias de cada parágrafo.O resumo deve conter no máximo 500 palavras, seguido, logo abaixo, daspalavras-chave, conforme a NBR-6028.Abstract ou Resumen: elemento obrigatório que consiste em uma versão doresumo em um idioma de divulgação internacional (inglês ou espanhol,respectivamente). Deve ser seguido das palavras-chave.Sumário: elemento obrigatório. É a relação das principais seções do trabalho, naordem em que se sucedem no texto e com indicação da página inicial. As seçõesdo trabalho devem ser numeradas, em algarismos arábicos. Elementos como listasde figuras, tabelas, abreviaturas, símbolos, resumos e apêndices não devemconstar do Sumário, mas sim das Listas (próximo item). A apresentação tipográficadas divisões e subdivisões no sumário deve ser idêntica à do texto. Para maisinformações, consultar NBR-6024.Listas: são itens opcionais, que relacionam elementos selecionados do texto, naordem da ocorrência, com a respectiva indicação de páginas. Pode haver uma listaúnica para todos os tipos de ilustrações ou uma lista para cada tipo. As listasdevem apresentar: o número da figura, sua legenda e a página em que seencontra.
  20. 20. 202.2. Elementos textuais O texto deve ser claro, objetivo e de fácil leitura, cuidando para que o textonão seja sucinto em demasia, pois o leitor não domina, necessariamente, osmesmos conhecimentos e informações do autor. Deve-se cuidar para que oreferencial teórico ofereça a sustentação adequada ao tema discutido. Apresentaremos abaixo os itens importantes que devem fazer parte doProjeto de Pesquisa, que será entregue ao final da disciplina de MetodologiaCientífica (das 80 h/a), e, em seguida, apresentaremos, as etapas da elaboraçãodo Trabalho de Conclusão de Curso (poderá ser escrito por 2 pessoas) ou deMonografia (escrito por apenas uma pessoa).2.2.1 - Projeto de pesquisa É uma proposta específica e detalhada da pesquisa, com o objetivo dedefinir uma questão e a forma pela qual ela será investigada, contendo: a) Indrodução/Tema – é o assunto, o conteúdo a ser desenvolvido. É uma declaração concisa, porém ampla, do que se vai tratar no trabalho científico; b) Justificativa – é essencial em um projeto. Por meio dela o pesquisador irá demonstrar o porquê de estar estudando determinado assunto. A justificativa não deve ter redação longa; c) Problema/Hipótese – é a focalização do tema. É a partir dele que se constrói o objeto da pesquisa. Pode ser traduzida em uma ou mais perguntas sobre o tema. Deve ser contextualizado de forma clara, concisa, coerente e, ao mesmo tempo, impactante. É o problema que vai definir o objetivo do trabalho; hipótese – a hipótese é a suspeita que o pesquisador lança sobre o seu objeto. Ou seja, é a idéia central a que o trabalho se propõe a demonstrar; d) Objetivo – a partir do problema definido, o objetivo vai indicar o propósito do trabalho e a contribuição pretendida, seja do ponto de vista técnico quanto social;
  21. 21. 21 e) Objeto – é algo mais restrito. É como se, a partir do tema, o foco do pesquisador fosse se fechando, até chegar ao objetivo do trabalho; f) Quadro referencial teórico – são os instrumentos teóricos a serem utilizados para tratar o tema. Neste caso, deve-se recorrer aos autores que desenvolveram tais instrumentos teóricos; g) Metodologia – indicação dos procedimentos metodológicos que serão adotados para tratar o tema. Também devem ser indicados os instrumentos a serem utilizados para a realização da pesquisa, inclusive para a coleta de dados. É aqui que o aluno diz como o trabalho será feito, passo a passo; h) Cronograma – distribuição das tarefas nos períodos do calendário. Previsão de prazos para a realização da pesquisa em suas etapas principais até a conclusão do trabalho; i) Referências – é a apresentação de todas as obras, artigos e documentos utilizados na pesquisa e/ou que são citadas no trabalho. Elas deverão estar de acordo com as normas mais recentes da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas NBR 6023, ago/2002.2.2.2 – Trabalho de Conclusão de Curso ou MonografiaEtapas da elaboração do trabalho: a) Determinação do tema do trabalho a ser desenvolvido Trata-se, num primeiro momento, de determinar o tema sobre o qual será desenvolvido o trabalho. A elaboração deve ter como ponto de partida um tema muito bem delimitado. Além disso, é preciso ter definida a perspectiva (ou enfoque) a partir da qual o trabalho será escrito. b) Problematização O desenvolvimento de um trabalho acadêmico só se torna possível se o tema for problematizado. Necessário formular questões sobre o tema escolhido, para que possam ser discutidas e aprofundadas no desenvolvimento do trabalho. Essas questões devem ser formuladas, tanto a partir das leituras feitas anteriormente, como também da reflexão realizada pelo aluno. Estas e vão orientar a elaboração do trabalho.
  22. 22. 22c) Levantamento bibliográfico Após a delimitação do tema, é necessário fazer o levantamento metódico da bibliografia (livros, revistas, boletins, documentos, filmes etc.) que vai ser utilizada no desenvolvimento do trabalho fazendo uma seleção do material que considerar mais importante para a elaboração do trabalho.d) Leitura e documentação A leitura da documentação da bibliografia selecionada é importante para registrar as pesquisas já realizadas na área e para a escolha dos referenciais teóricos que comporão a monografia. Isto é, o processo de registro de todos os dados que o autor considera importantes para a sua pesquisa. Esses dados podem ser transcritos nas fichas de documentação.e) Coleta de dados Segundo a metodologia anunciada no projeto de pesquisa segundo informações referentes ao tema e ao problema escolhidos que darão legitimidade ao trabalho. Deve se escolher instrumentos compatíveis a metodologia escolhida.f) Elaboração de um plano provisório da monografia O plano do trabalho é a estrutura que se pretende dar ao trabalho, a partir dos diversos aspectos escolhidos. Esse plano pode ser detalhado com subdivisões dos capítulos; isso facilita a elaboração da monografia.g) Redação do texto A redação é a expressão literária do raciocínio desenvolvido ao longo da pesquisa. Um autor não escreve o trabalho para si mesmo; todo trabalho é escrito para outros lerem e, por isso, o texto deve ser inteligível para aqueles que serão os seus interlocutores.
  23. 23. 232.2.3 - Construção lógica do trabalho científico É necessário destacar que o texto propriamente dito é formado por trêspartes: introdução, desenvolvimento e conclusão.Introdução A introdução é a apresentação do trabalho e deve ambientar o leitor aocontexto do trabalho, antecipando-lhe o propósito do mesmo. Deve aparecer deforma clara, embora sucintamente, respostas para as seguintes perguntas:  de que assunto trata o trabalho? (tema)  qual a importância – relevância – de se pesquisar o assunto? (justificativa)  qual ou quais os problemas que envolvem o assunto? (delimitações - problema)  qual ou quais os objetivos do trabalho? (isto é, o que se pretende demonstrar, qual a finalidade do trabalho - objetivo)  qual a solução do problema apresentado? (hipótese)  de que forma foi elaborada a pesquisa? (métodos/instrumentos empregados – metodologia). Na introdução não precisa aparecer citação de autores e outros trabalhos.Não se trata de fazer, nesse momento, uma revisão bibliográfica. Geralmente, aintrodução deve conter por volta de cinco páginas. A introdução deveria ser escritaapós a elaboração da conclusão do trabalho.Desenvolvimento Esta parte do trabalho tem o objetivo de desenvolver o tema principal dapesquisa, ressaltando os aspectos mais importantes, discutindo, analisando einterpretando os dados coletados, que conduzirão à construção de explicaçõesreferentes ao problema anunciado, dependendo do propósito de cada pesquisa.
  24. 24. 24Conclusão A conclusão tem a finalidade de reafirmar sinteticamente, a idéia central e ospontos mais importantes já expressos no corpo do trabalho; retomar o argumentodecisivo em seus delineamentos fundamentais, sem maiores análises oucomentários; ressaltar o alcance e as consequências das explicações construídas apartir da pesquisa e a possível contribuição de seus resultados, com indicações eabertura para novas pesquisas e sugestões. É o momento para o qual convergemos diversos passos da análise, da discussão, da demonstração, em um todo maior. É aqui que o pesquisador manifesta seu ponto de vista sobre os resultadosda pesquisa, sugerindo, propondo trabalhos futuros, por outros pesquisadores,para aprofundamento do tema, como também, especificar qual a contribuição ourelevância social do trabalho.Citações (bibliografias e outras) Deve-se cuidar para que as citações (menção, no texto, de uma informaçãoextraída de outra fonte), não sejam transcrições literais de outro autor. Há três tiposde citações: a. Citações diretas (transcrição textual dos conceitos do autor consultado; usa-se as mesmas palavras do autor e deve-se seguir os criteriosamente os exemplos abaixo); b. Citações indiretas (transcrição livre do texto do autor consultado trata-se de parafrasear, ou seja, o aluno explica o texto lido desenvolvendo-o); c. Citações de citações (transcrição direta ou indireta de um texto que não se teve acesso ao original. É recomendável que não se abuse deste tipo de citação, pois o mais correto é ir direto à fonte). As citações podem ser feitas de duas formas: no corpo do texto e/ou rodapé.Podemos utilizar as citações de rodapé apenas para notas explicativas,consideradas necessárias ao esclarecimento de aspectos e conceitos presentes notexto.
  25. 25. 25 Adotaremos as entradas das citações pelo sobrenome do autor ou dainstituição a quem é atribuída a autoria, ano da publicação e página. Quando osobrenome do autor estiver entre parênteses deverá estar escrito em letrasmaiúsculas e, quando estiver fora deles só a primeira letra do sobrenome deveráestar em maiúscula. O ponto final virá apenas após o fechamento dos parêntesesou quando terminar a frase com a citação, ele virá após as aspas.Exemplos de citações diretas:“O poeta é aquele que ouve uma linguagem sem entendimento” (BLANCHOT,1987, p. 45).ouBlanchot (1987, p. 45) diz que: “O poeta é aquele que ouve uma linguagem sementendimento”.As transcrições no texto de até 3 linhas devem estar encerradas entre aspasduplas. As aspas simples (uma) são utilizadas para indicar citação no interior dacitação, como por exemplo:Espírito Santo (2007, p. 33) descreve que: “conexões não diz respeito apenas a„conectar o Outro‟, [...] conectando os sons fazemos música; as palavras, umpoema; as tintas, um quadro, e assim por diante.”ou“Conexões não diz respeito apenas a „conectar o Outro‟, mas também a promoveroutras conexões: conectando os sons fazemos música; as palavras, um poema; astintas, um quadro, e assim por diante” (ESPIRITO SANTO, 2007, p. 33).ouSegundo Espírito Santo (2007, p. 33): “[...] conectando os sons fazemos música;as palavras, um poema; as tintas, um quadro, e assim por diante.”As citações no texto com mais de 3 linhas devem ser destacadas com o recuo de4 cm da margem esquerda, com letra/fonte em tamanho menor (geralmentetamanho 10 ou 11) que a do texto e sem as aspas no início e no final da citação. Esem itálico, como por exemplo:
  26. 26. 26 “ O b s e rv e - s e , po r o u t r o la d o , qu e n os sa p os s ib i l id a d e d e c o ne xõ es nã o d iz r e s p e it o a pe nas a „ c on ec t a r o O u t r o ‟ , m a s t a m b ém a p r om ov e r o u t r a s c one xõ e s : c on e c ta n do os s o ns f a ze m o s m ús ic a ; a s p a lav r as , u m po em a ; a s t in t a s , u m q u ad r o , e a ss im p o r d ia n t e ” ( E S PÍ R I TO S A N TO , 2 0 0 7 , p . 3 3 ) .Observações: no caso de outros itens, referentes a citações de textos, trabalhos em fase de elaboração entre outros, consultar diretamente as normas da ABNT NBR-10520 (2002).Exemplo de citações indiretas: Alonso e França (2002, p. 23-31) observam que a mensagem subliminarestá cada vez mais tomando espaço nos meios de comunicação. E, podemosentender que o consumismo selvagem está se aproveitando desse recurso parapersuadir, em especial, crianças e adolescentes.Exemplo de citações de citações: O mais comum é utilizar-se da expressão, em latim, apud (que significa,citado por, conforme, segundo), como por exemplo:Segundo Silva (1983 apud ABREU, 1999, p. 3) diz ser [...]ou“[...] o viés organicista da burocracia estatal e o antiliberalismo da cultura política de1937, preserva o modo encapuzado na Carta de 1946” (VIANNA, 1986, p. 172apud SEGATTO, 1995, p. 214-215).ou ainda, No modelo serial de Gough (1972 apud NARDI, 1993), o ato de ler envolveum processamento simples começa com uma fixação ocular sobre o texto,prosseguindo da esquerda para a direita de forma linear.Observação: para maiores detalhes consultar diretamente as normas da ABNT NBR-10520 (2002).
  27. 27. 272.3. Elementos pós-textuais2.3.1 - Referências Conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento,que permite sua identificação individual (relação de autores consultados ou citados,em ordem alfabética da palavra de ordem) - vide normas ABNT NBR-6023. Para efeito de maior clareza, cabe destacar o seguinte conjunto deinformações, de acordo com a NBR-6023 (2002, p. 2-3):  As referências são alinhadas somente à margem esquerda do texto e de forma a se identificar individualmente cada documento, em espaço simples e separado, entre si, por espaço duplo;  A pontuação segue padrões internacionais e deve ser uniforme para todas as referências;  O recurso tipográfico (negrito ou itálico) utilizado para destacar o elemento título deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento;  Os livros e artigos em coautoria devem figurar após os livros e artigos individuais. Os livros e artigos de um mesmo autor devem ser classificados por data de publicação, da mais recente para a mais antiga.Exemplos:ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação edocumentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.DEMO, Pedro. Pesquisa e construção de conhecimento. 2. ed. São Paulo: Atlas,1985.LAKATOS, Eva Maria e MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalhocientífico. São Paulo: Atlas, 1992.MARTINS, Gilberto de Andrade Martins. Manual para elaboração demonografias e dissertações. São Paulo: Atlas, 1994.SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. SãoPaulo: Cortez, 2001.
  28. 28. 28Observações: Para os livros de 1ª edição NÃO é necessário colocar: “1. ed.”; Usa-se letra maiúscula somente na primeira letra do título; Para títulos grandes, com subtítulos, acompanhados por dois pontos, NÃO será necessário usar o negrito após os dois pontos, como por exemplo: Metodologia do trabalho científico: um guia prático. 10ª. ed. São Paulo: ... As Referências, no final do texto, compreendem um conjunto de elementosque permitem a identificação, no todo ou em parte, de documentos impressos ouregistrados em diversos tipos de materiais ou suportes, ou seja, deverão serindicadas todas as fontes utilizadas na elaboração do trabalho. Estas referências deverão estar organizadas em ordem alfabética. Havendomais de uma obra de um mesmo autor, devem ser listados primeiro os livros eparte de livros em outros livros (capítulos) depois revistas, jornais, artigos e sites.Não se deve usar recuo na segunda linha das referências. Os elementos essenciais são: autor (es), título, subtítulo (se houver) edição,local, editora e data de publicação. - Livro SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Edição. Local: Editora, ano. - Parte de livro em outro livro SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. In: SOBRENOME, Nome. Título (em itálico) – Subtítulo. Edição. Local: Editora, ano, p. - Artigo de revista SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Nome da Revista, Local, n., p., ano. - Artigo de jornal SOBRENOME, Nome. Título. Nome do jornal. Local, dia, mês, ano. Número ou Título do caderno, seção ou suplemento, página inicial-final.
  29. 29. 29- Tese SOBRENOME, Nome. Título. Subtítulo, Ano e nº de páginas. (Dissertação de mestrado ou tese de doutorado. Universidade XXX, São Paulo).- Dicionário SOBRENOME, Nome. Título do dicionário. Edição. Local: Editora, Ano.- Documentos Nome do autor ou evento onde o documento foi elaborado. Título. Edição. Local: Editora, Ano.- Internet Os documentos e dados da Rede Internet devem constar na bibliografia com indicação dos sites, links e as especificações do trabalho: A NBR 6023:2002, p.4 no item 7.2 Monografia no todo em meio eletrônico, diz: Inclui os mesmos tipos indicados em 7.1, em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). As referências devem obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos no todo, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico. Exemplo: KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.). Enciclopédia e Dicionário digital 98. Direção geral de André Koogan Breikmam. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5 CD-ROM. Quando se tratar de obras consultadas online, também, são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão: Disponível em: a data de acesso ao documento, precedida da expressão Acesso em: opcionalmente acrescida dos dados referentes à hora, minutos e segundos.
  30. 30. 30 Exemplo: ALVES, Castro. Navio Negreiro [S.I.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: http://www.terra.com.br/virtualbooks/feedbook/port/Lport2/navionegreiro.htm. > Acesso em: 10 jan. 2002. A entrada deve ser pelo nome do autor e da matéria, quando existe. Caso não haja indicação de autor e matéria específica, deve-se dar a entrada pelo nome da entidade a que se liga a página. Exemplo: EDUCAÇÃO. <http://www.cortezeditora.com.br> Acesso em 28 nov. 1998.2.3.2 – Glossário Elemento opcional, que consiste em uma lista em ordem alfabética depalavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadasno texto, acompanhadas das respectivas definições.2.3.3 – Anexo (s) Elemento opcional que consiste em um texto ou documento não elaboradopelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Sãoidentificados por letras maiúsculas consecutivas, travessões e respectivos títulos.Exemplo: Anexo A -...... Anexo B -......2.3.4 – Índice (s) Elemento opcional que consiste na lista de palavras ou frases, ordenadasde acordo com determinado critério, que localiza e remete para as informaçõescontidas no texto. Para complementação, consultar NBR-6034.
  31. 31. 313. FORMATAÇÃO DO TRABALHOMaterial Capa: dura (cor azul e gravação letras douradas) Texto: papel A4 - 210x297mm - brancoMargens Superior e Esquerda: 3,0 cm Inferior e Direita: 2,0 cmEspaçamento entre linhas e parágrafos: O espaçamento entre linhas deve ser de 1,5 linha, correspondendo à cerca de 1,2 cm entre as linhas. É usual o espaçamento entre parágrafos deve ser o dobro do existente entre as linhas. No menu (Word), FormatarParágrafoRecuos e Espaçamentos, definir a medida 12 pontos DEPOIS. O início do texto de cada parágrafo deve ficar 1,5 cm, a partir da margem esquerda. As citações longas, as notas, as referências e os resumos em vernáculo e em língua estrangeira devem ser digitados em espaço simples.Escrita Recomenda-se utilização de Fonte ARIAL ou TIMES NEW ROMANtamanho 12 para o corpo do texto e tamanho 10 (ou 11) para citações longas(mais de 3 linhas) e notas de rodapé, bem como alinhamento Justificado.Impressão Deverá ser feita de um lado só do papel, exceto a folha de rosto –verso/anverso (quando houver).Titulação ou indicativos de seção Cada capítulo ou seção deve começar nova página, com cabeçalho ou títulocerca de 3 cm da borda superior; o texto se inicia cerca de 3 cm do título. Nota:essa recomendação se aplica apenas aos casos de mudança de capítulo ou seção.
  32. 32. 32Nos títulos, sem indicativo numérico, como lista de ilustrações, sumário, resumo,referências e outros devem ser centralizados, conforme NBR 6024.Numeração progressiva dos capítulos (NBR-6024) Consiste em uma sequência numérica, base decimal, que fornece umaexposição clara da divisão da matéria e localização imediata de cada parte e dasalterações eventualmente introduzidas no texto.Citações e transcrições (NBR-10520) Menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte devem ficarcerca de 4,0 cm para dentro da margem esquerda, entre aspas ou apresentadacom estilo de fonte diferente do texto – por exemplo, em itálico - quando forsuperior a três linhas. Em quaisquer dos casos, deve-se indicar a fonte. Poderão ocorrer: No texto: quando deverão ser indicadas entre parênteses,sumariamente. Em notas de rodapé: quando deverão ser numeradasconsecutivamente, dentro de cada seção ou capítulo; a indicação deve serprecedida do seu número de ordem escrito em cima da linha (sobrescrito). Como regra geral, a primeira citação de uma obra deve ter sua referênciabibliográfica completa e as subseqüentes podem ser referenciadas de formaabreviada, desde que não haja referências intercaladas de outras obras do mesmoautor. É usual, o emprego de expressões latinas, como por exemplo:  apud – citado por, conforme, segundo;  ibidem ou ibd. – na mesma obra;  idem ou id. – igual à anterior;  opus citatum ou op. cit. – obra citada;  sequentia ou seq. – seguinte ou que se seguePaginação Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadasseqüencialmente, mas não numeradas. A numeração é colocada, a partir daprimeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no canto superior da folha.
  33. 33. 334. MODELO PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO Com o objetivo de obter padronização de forma nas monografias doscursos de Graduação e Pós-Graduação desta Instituição de Ensino Superior,sugerimos os modelos a seguir para a digitação dos trabalhos. Neste documentoestão sugeridos: tipo e tamanho de fonte, posição e formato de títulos e seqüênciadas partes integrantes do trabalho. Cabe ressaltar que, conforme a NBR 14724, “oprojeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho”. Todavia, oselementos que são normatizados deverão ser atendidos. Obviamente os tamanhos das fontes sugeridos para capa e folha de rosto,especialmente para Nome do aluno e título e subtítulo do trabalho no referidomodelo, poderão ser adaptados, conforme o caso, devendo-se ter como regraessencial a distribuição estética do conteúdo no documento.
  34. 34. 34 (Modelo lista de ilustrações – opcional) LISTA DE ILUSTRAÇÕES (16) PáginaFigura 1. Exemplos de Formulações Corretas de Objeto e Tema da Pesquisa. XXFigura 2. Exemplos de Formulações Incorretas de Objeto e Tema da Pesquisa. XXFigura 3. Operacionalização da Pesquisa Bibliográfica....................................... XXFigura 4. Um Modelo de Fichamento................................................................... XXFigura 5. Tabela de Frequência: % de Assinantes de Jornal por Faixa Etária... XXFigura 6. América Latina: Indicadores Sociais, 2000........................................... XX
  35. 35. 35 GLOSSÁRIO (16) (opcional)Descrever e/ou definir as terminologias, siglas e/ou abreviaturas utilizadas.
  36. 36. 36APÊNDICE (16) (opcional)
  37. 37. 37ANEXO(S) (16) (opcional)
  38. 38. 384. REFERÊNCIAS (16)ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação edocumentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação edocumentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação edocumentação: Referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: apresentação deartigos em publicações periódicas. Rio de Janeiro, 1994.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12225: títulos delombada. Rio de Janeiro, 1992.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028: resumos. Rio deJaneiro, 1990.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6027: sumário. Rio deJaneiro, 1989.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6024: numeraçãoprogressiva das seções de um documento. Rio de Janeiro, 1989.BARROS, A. J. P., LEHFELD, N. A. S. Fundamentos de metodologia científica:um guia para a iniciação científica. São Paulo: Makron, 2001.BIANCHETTI, Lucídio e MACHADO, Ana Maria Netto (orgs). A bússola doescrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações.Florianópolis: Ed da UFSC; São Paulo: Cortez, 2002.DEMO, P. Introdução à metodologia da ciência. São Paulo: Atlas, 1996.SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 21ª. ed. São Paulo: Cortez,2001.UNIVERSIDADE DE SÂO PAULO. Instituto de Psicologia. Serviço de Biblioteca eDocumentação. Diretrizes para a elaboração de dissertações e teses. São Paulo,1998.ZAMPAULO, Jamil Rodrigues. Normas básicas para elaboração e apresentaçãode trabalhos acadêmicos (monografias, dissertações e teses). Apostila - SãoPaulo: UNICID, 2001.

×