Folha 231

337 visualizações

Publicada em

Folha do Itaim

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folha 231

  1. 1. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO DE 2015ANO IX - N.o 231 Tiragem 35 Mil | www.fb.com.br/FolhaItaimCuruca | raleste@gmail.com | Tel.: (11) 2031-2364 O reajuste foi deter- minado pela Agência Na- cional de Energia Elétrica (Aneel), para todas as distribuidoras; decisão é fruto de uma revisão extra- ordinária na tarifa e uso de termoelétricos As tarifas de energia elétrica ficam em média 32% mais cara em São Paulo, segundo a Agên- cia Nacional de energia Elétrica (Aneel), contra- riando a promessa da Presidente Dilma de não promover aumentos de tarifas de energia em 2015. O reajuste foi deter- minado pela Aneel, para todas... Leia na pág 05 Turma do Mickey e Transformes dão as boas vindas aos alunos do “Villa dos Idiomas” Leia na pag. 02 Leia na pag. 05 Leia na pag. 08 No mês de fevereiro, a escola de idiomas “Villa dos Idiomas” abriu suas portas para a volta às aulas de uma maneira bastante descontraída. A presença de persona- gens de desenhos famosos tais como transformers e a turma do Mickey foi uma das surpresas garantidas 8 erros que afastam você de qualquer entrevista de emprego para os alunos do Villa. Além de alegrar os alu- nos, os pais também foram pegos de surpresa e a di- versão acabou sendo para a família toda. Exemplo disto foi a ma- mãe e ex-aluna do Villa, PatríciaAlves da Silva que, ao trazer a pequena filha Rosangela... Leia na Pág08 Ano novo: afaste o sedentarismo e de um “up” no estilo de vida Turma do Mickey e Transformes dão as boas vindas aos alunos do “Villa dos Idiomas” Práticas simples ajudam a conscientizar crianças e adolescentes. Escolas públicas e par- ticulares do Itaim Paulista, Vila Curuçá e São Miguel mudaram hábitos para economizar água. Corpo docente... Leia na pag 03 Escolas do Itaim Paulista e região mudam hábitos para economizar água Após diversas reclama- ções e até mesmo algumas sugestões, a Praça Ja- guamitanga, na Vila Curu- çá, mais conhecida como Praça do Shinquichi Agari, Praça da Vila Curuçá melhora após reclamações nas últimas semanas tem passado por uma ampla reforma, novos brinque- dos foram instalados, gra- mas aparadas e quadras pintadas. A Praça chegou a ser matéria em nossas edições recentemente anteriores, onde foram relatadas as reclamações de vizinhos e frequentadores,Leianapág03 No último sábado (28) a Igreja Evangélica Plenitude do Espírito Santo de Deus promoveu o primeiro “Chá de Mulheres”. O evento foi realizado na Vila Curuçá Igreja Plenitude realiza primeiro “Chá de Mulheres” na Vl.Curuçá e teve como tema princi- pal: “Relacionamento com Deus e Busca de Sabedo- ria para Edificar o Lar”. Sobre a coordenação pastoral do casal Robson Lapa e Márcia Lapa, este foi o primeiro Chá das Mu- lheres há ser realizado pela congregação. Cerca de 100 mulheres participaram do evento. Leia na pag 07 Alckmin inaugura, o maior Centro de Simulação Realística do SUS Robôs de alta tecnologia são destinados ao treina- mento de profissionais para simular situações reais de atendimento O governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta quinta-feira, 26, um dos maiores Centros de Simu- lação Realística em Saúde (CSRS) do país, voltado para o ensino dos profis- sionais da área oncológica. Com investimento de R$ 1,5 milhão, a nova área, instalada no Instituto do Câncer (Icesp), ligado à Secretaria da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, beneficiará pro- fissionais de toda a Rede Oncológica... Leianapág04 Conta de luz fica mais cara hoje no Brasil; em SP, alta é de 32% Mesmo após promessas feitas em 2013, Jardim Romano e Vila Itaim conti- nuam sendo afetados com enchentes Desde as fortes chuvas que atingiram o Jardim Romano e a Vila Itaim, moradores das áreas mais afetadas... Leia na pág 05 Moradores do Jardim Romano e Vila Itaim voltam a sofrer com as fortes chuvas
  2. 2. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Atualidade Diretor Executivo: Jornalistas (fl): Designer Gráfico Reporter Fotográfico: Redes Sociais: Revisora: Gerente Financeiro: Comercial Distrib./Logistica: 35 mil exemplares Divaldo Rosa Silmara Galvão Nunes-MTb 51.096 Ademir Rodrigues Eduardo Rocha Bruno Barreto Rosa Prof. Suseli Corumba Rosa Ademir Rodrigues Ariane Andrade MULTI-Distrib.Jornais e Folhetos As matérias publicadas são de exclusiva responsabilidade dos colabo- radores e não representam necessariamente a opinião do Jornal. Os nomes dos colaboradores e representantes comerciais não mantém vínculo empregatício com a empresa. REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: 2031-2364 / 2513-0928 Av. dos Guachos, 166 - 08030-360-Vl.Curuçá–SP www.aconteceagora.com.br | E-mail: raleste@gmail.com A marca Folha do Itaim existe a 42 anos, sendo 9 anos sob a direção do Grupo Acontece de Jornais e Revistas. CIRCULAÇÃO: Itaim Paulista, Vl Curuçá, Jd Robrú, Alto Tiete (Itaquá, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Suzano) Um veículo do GRUPO ACONTECE de Jornais e Revistas SUB PREF. DO ITAIM PAULISTA Av. Marechal Tito, 3012 Itaim Paulista-SP BANCA DO VALDO Av. Marechal Tito, 4800 Itaim Paulista-SP BANCA PÇA SILVA TELES Pç Silva Teles, s/n Itaim Paulista-SP SEBO PAPEL & CANETA R. Pedro Andrade, 221 São Miguel-SP www.papelcaneta.com.br BANCA KM 28 Av. Marechal Tito, 5868 Itaim Paulista-SP BANCA MARECHAL 4400 Av. Marechal Tito, 4400 Itaim Paulista-SP BANCA NAGUMO Pç Francisco Pereira, 80 Vl Curuçá-SP REVISTARIA CAVOA Av. Cavoá, 425 Vl. Curuçá-SP BANCA FLOR DAS OLIVEIRAS R. Manoel L. Silva, 158 Jd das Oliveiras-SP CADASTRO ou ATUALIZAÇÃO de banca financeiro.grupoacontece@hotmail.com BANCA NAGUMO Pç Francisco Pereira, 80 Vila Curuçá-SP A postagem em um Tumblr fez a internet en- louquecer na discussão sobre a cor de um vestido Todo mundo sabe que a internet adora uma dis- cussão no estilo “FlaxFlu” e o assunto da vez é um vestido azul e preto (ou seria branco e dourado?). Desde que foi postada em um Tumblr, a imagem Educação não deve se basear em punição, mas em tornar claro para a criança que seus atos têm consequências Se antigamente o casti- go era visto como requisito básico para alcançar a boa disciplina, hoje é item quase proibido quando o tema é educação. Os especialistas acreditam que é fundamental dar limites, orientar e fazer a criança perceber que suas atitudes produzem reações. E se o comportamento não for legal, a consequência também não vai ser. Já as mães mostram que, embora a palavra em si tenha ficado associada a técnicas vio- lentas e antiquadas, castigo ainda existe, mas com outro nome – e muito diálogo. Os adultos não devem ‘castigar’e sim ‘educar’, levar a criança a uma reflexão sobre o resulta- do dos seus atos. Se os pais observam, pontuam o que está errado e dão limite, não vão precisar dar castigo. É importante mostrar que cada ato provoca algo em mim, no meio e na própria criança. So- zinha, uma criança pequena não tem condições de rever o que houve e chegar à con- clusão de que não agiu certo. Mudança de foco Se os pais vêm uma ati- tude errada da criança, não precisam bater nem gritar. Cris Poli sugere que eles interrompam a ação e colo- quem a criança sentada em um cantinho predeterminado, que pode ser o degrau de uma escada ou um tapetinho. A intenção é que ela pare e pense sobre o que está acon- tecendo. Qual a cor do vestido que gerou tanta polêmica na internet? acima tem virado ponto de discórdia nas redes sociais, já que algumas pessoas - como eu - enxergam tudo em azul e preto, porém, tem gente vendo o vestido como branco e dourado. A diferença na visão de cada um pode ser explica- da da forma que o cérebro interpreta a informação e da sensibilidade de cada pessoa à luz que entra nos olhos.Acor original do ves- tido é azul e preto, mas se você está vendo em branco e dourado não se preocu- pe, é apenas o seu cérebro pregando uma peça em você. “O que está aconte- cendo é que seu sistema visual está olhando para essa vestido e você está tentando descontar o viés cromática do eixo de luz do dia”, disse o neurocientista Bevil Conway em entre- vista à Wired. Segundo os cientistas, os humanos evoluíram para ver a luz do dia, mas, a luz do dia muda de cor, variando do rosado ao amanhecer, passando pelo azul e branco do meio- -dia e depois volta para o avermelhado do crepús- culo. Ou seja, dependendo da luminosidade que seu olho está recebendo ao longo do dia, é normal ele compensar ao ver imagens como a do vestido, daí ilu- são de ótica. Castigar os filhos é mesmo coisa do passado? Especialistas recomen- dam sugere um minuto no cantinho para cada ano de vida da criança. Assim, se a criança tem três anos, ela deverá ficar três minutos pen- sando no que fez de errado. O objetivo não é castigar por castigar e sim levar a criança a um raciocínio. Conforme a criança vai crescendo, o cantinho da disciplina já não faz mais sentido, pois ela se acostuma a entender as con- sequências de seus atos. Aí, deixar sem TV ou videogame pode ser uma boa medida. Mas novamente, a criança deve entender claramente que estas privações são con- sequência de suas atitudes. Não é a mãe que deixa sem TV, mas a conduta ruim da própria criança. É preciso mudar o foco. Sempre que possível, a criança deve ser envolvida na remediação do seu ato. Se ela riscou a pa- rede, deve ajudar o adulto a limpá-la. Funciona? Não há dúvida de que castigo funciona, mas não é necessariamente a melhor forma de ter uma relação de respeito com os filhos. Eu pre- firo confiar que a criança seja inteiramente capaz de fazer o que é pedido e depois esperar até que ela perceba que não têm outra opção senão fazer o que é dito. Algumas crianças ficam muito ressentidas de serem castigadas. Por isso ela pre- fere deixar que elas resolvam os conflitos internamente e não briguem com os pais. Para outro especialista pior do que o castigo é a ameaça, geralmente não cumprida ou afrouxada no meio do cami- nho. Hoje os pais trabalham longas horas fora de casa e sentem uma culpa enorme de dizer ‘não’. Deixam de castigo, mas ficam com pena. O limite de até onde a criança pode ir tem que estar claro, assim com suas consequên- cias. Por isso, os pais devem propor algo que possam cum- prir. Uma semana sem com- putador é difícil de manter? Diminua para dois dias, mas cumpra o prometido. E o mais importante: quem decide as regras são os pais, e não a criança. Os mundos dos adultos e das crianças não podem se misturar. Essa divisão vai ajudar, inclusive, na hora de reforçar a auto- ridade do adulto. A falta de parâmetros e de “nãos” pode criar problemas no futuro. As crianças viram jovens inca- pazes de aceitar frustrações e não respeitam hierarquias, atrapalhando as relações no trabalho, onde não há tanta flexibilidade como em casa. Para ajudar seu filho, faça com que as regras sejam cumpridas. Passaram as festas de final de ano, ba- gunças e encontros com os amigos, agora é momento de refazer a rotina e acrescentar mais qualidade de vida em seu estilo. Com a correria do dia a dia nem sempre é fácil manter uma alimentação saudável e ter o habito de praticar atividades físicas, porém isto é mais que necessário para nutrir a saúde do corpo e da mente sempre em forma. Ano novo: afaste o sedentarismo e de um “up” no estilo de vida Para muitos, a falta de tem- po, os horários irregulares dos trabalhos, as obrigações com os afazeres domésticos, os cuidados com os filhos são as principais queixas dos se- dentários. Segundo especialistas no assunto o primeiro passo é re- conhecer que o tanto o cérebro como o corpo estão sedentário, ou seja, uma série de pesquisas sobre este assunto determina a eficácia de se praticar alguns exercícios para tirar o cérebro da preguiça e agregar, além de melhorias nos aspectos ligados a agilidade de pensamento e raciocínio lógico, muito mais qualidade de vida. Para a professora de educa- ção física Monica Freitas, mui- tos acabam se acostumando com a situação atual e sempre vão deixam de lado a ideia dar inicio as atividades físicas. “Sempre escuto dos alunos quase a mesma coisa: - não tenho tempo, já sou casado (a) não preciso mais cuidar do cor- po, vou começar na segunda- -feira e vários blá blá blá...O que eles esquecem é que com isto, tanto o corpo como todo o metabolismo acabam se acos- tumando com a situação, com isto, infelizmente entram para o grupo de pessoas sedentárias”, frisa a profissional. Sendo assim, veja dicas para vencer a preguiça e come- çar a praticar exercícios: Comece devagar Nos primeiros dias de exer- cício, o corpo vai ficar dolorido. A dorzinha passa logo, mas pode ser o suficiente para des- motivá-la. “Para começar, meia hora por dia, duas vezes por semana, está ótimo”, ensina a personal trainer Camila Lopes. Crie metas realistas Emagrecer 30 kg ou ter a barriguinha seca da Claudia Leitte são metas impossíveis a curto prazo. Mantenha o obje- tivo de longo prazo em mente, mas crie metas mais imediatas, como eliminar 1 kg ou perder 1 cm de barriga em algumas semanas. Encaixe o exercício físi- co na sua rotina Se ama ver novela, não adianta fazer exercícios nesse horário. É mais fácil adquirir um hábito novo quando ele se encaixa no seu dia a dia. Se vai entrar numa academia, escolha uma perto da sua casa ou do trabalho. Segundo es- pecialistas no assunto o pri- meiro passo é reconhecer que o cérebro como o corpo estão sedentário.
  3. 3. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Comunidade A escola infantil Raio de Sol, localizada na Rua Ga- ropá, na Vila Curuçá, nos últimos dias foi alvo de críticas e preocupações para alguns moradores da região. Tudo se deu pela escola possuir um lago artificial que fica na entrada da instituição de ensino, porém por falta de informação necessária, alguns moradores inquietados acham que o tanque artificial poderia vir a se tornar um as- sento do mosquito da dengue. A diretora da escola, em entrevista ao jornal Folha do Itaim & Curuçá, garantiu que o tanque é muito bem tratado, possui todo o equipamento necessário tais como: filtro e bomba, e explicou que a água fica em constante movimento atrás de uma cascata também construída sobre o tangue, além de haver seres viventes que ali habitam como peixes e tartarugas. “Lidamos todos os dias com crianças, jamais sería- mos negligentes a este ponto. O que acontece é a falta de in- formação da população, onde há peixes não tem dengue. O tangue artificial é uma forma das próprias crianças terem um pouco de contato com a natureza, além do laguinho, Práticas simples ajudam a conscientizar crianças e adolescentes. Escolas públicas e par- ticulares do Itaim Paulista, Vila Curuçá e São Miguel mudaram hábitos para econo- mizar água. Corpo docente e demais funcionários adotaram práticas simples de economia. Por outro lado, em sala de aula, os alunos recebem dos professores informações para a conscientização. Com algu- mas transformações na estru- tura, um colégio particular da região chegou a economizar 40% no valor da conta de água em janeiro deste ano, em comparação com o mes- mo período de 2014. Os governos estadual e municipal, por meio de suas secretarias de Educação, também enviaram orienta- ções para as escolas para que elas adotem ações e projetos de combate ao desperdício. São dicas e orientações so- bre como fazer a economia, além de um pedido de que atividades sejam feitas com os alunos para sobre o uso consciente da água. A ideia é que ações sejam realiza- das durante todo o ano. As mudanças devem passar até mesmo pela limpeza das ins- tituições. Entre as orientações está a utilização de baldes ao invés de mangueiras e, ao lavar as louças, a dica é abrir menos as torneiras e fazer o enxague de uma só vez. A escola Sinquichi Agari também precisou mudar seus hábitos e a pedido do diretor Roberto Gonçalves foi convo- cada uma reunião com pais e alunos, para esclarecer as novas normas do colégio. “Fizemos um novo proce- dimento da caixa de água e implantamos um novo méto- Após diversas reclamações e até mesmo algumas suges- tões, a Praça Jaguamitanga, na Vila Curuçá, mais conheci- da como Praça do Shinquichi Agari, nas últimas semanas tem passado por uma ampla refor- ma, novos brinquedos foram instalados, gramas aparadas e quadras pintadas. A Praça chegou a ser maté- ria em nossas edições recente- mente anteriores, onde foram relatadas as reclamações de vizinhos e frequentadores, solicitando reforma, limpeza e cuidados com a segurança do local. Após as reivindicações dos moradores, a subprefeitura do Itaim Paulista e Vila Curuçá prontamente ouviu as queixas dos moradores e implantou no- vos equipamentos e deu início à reforma das quadras. Porém, lamentavelmente em menos de duas semanas Praça Jaguamitanga, limpa, porém falta muito de reforma, vândalos já tive- ram a iniciativa de quebrar os novos brinquedos instalados no parque. “Isto é um absurdo. Do que adianta reclamar com os órgãos responsáveis se a própria população faz questão de destruir os equipamentos novos, claro que é a minoria, são os “famosos” vândalos que saem por ai destruindo tudo. Isto não me deixa revoltada e sim com vergonha”, esbravejou Marta Lima, frequentadora da Praça. Os usuários ouvidos pela equipe de reportagem, em sua maioria, gostaram e elo- giaram a limpeza e a reforma, porém, acham que deveria ser feita em intervalos menores, para assim evitar o acúmulo de lixo e que, talvez a instalação de mais lixeiras possa ajudar. Outra sugestão foi a instalação de um abrigo para os animais abandonados que circulam na praça, “fico muito satisfeita quando vejo a subprefeitura dando ouvido a nós moradores, mas ainda tenho uma sugestão (risos), bem que poderia ser criado um cantinho próprio para os bichanos que passam por aqui, nós mesmos moradores iríamos cuidar dando alimen- to, são tantos os cachorros e gatos sem donos que circulam por aqui que chega a dar dó”, sugeriu a estudante Mariana Gomes. Escolas do Itaim Paulista e região mudam hábitos para economizar água do do encanamento fazen- do com que nossa caixa de água pudesse abastecer os bebedouros, o que antes vi- nha direto da rua. E com isto, não tivemos problemas com falta de aula, outro método foi conscientizar pais, alunos e funcionários e logo no começo deste ano tivemos uma reu- nião e chegamos a um acordo no qual cada aluno trará sua própria água de consumo”, diz ele. Outra instituição, a escola Engenheiro Pedro Virato Pa- rigot também pratica à risca as orientações passadas pela Secretaria de Educação. A proposta é efetivar as ações de preservação, conservação e utilização da água no espa- ço escolar, estendendo-se aos horários depois da aula. Para isso, avisos sobre economia estão espalhados por toda a escola, porém mesmo com uma caixa de 63 mil litros houve problemas em manter os alunos em meio período durante dois dias. “Desde o ano passado, os profes- sores vêm trabalhando em sala de aula com os alunos, mostrando a importância da água e a falta que ela faz. Assim que começou a crise da água só tivemos proble- mas duas vezes em meio período, onde tivemos que dispensar os alunos por falta de água. Infelizmente não tenho como utilizar a água da chuva, porque não temos equipamentos para colher a água. Nosso pátio escolar é enorme para limpar, usamos baldes quando é preciso fazer a higiene do local, isto já tem colaborado muito”, explica o diretor Gilberto Tambosi. Além dos alunos, a lição foi aprendida também pelos funcionários das escolas, em geral eles estão cuidando da limpeza e substituindo a man- gueira pelo balde. “Lavo com um balde, um pano e com o mínimo de água possível”, contou a funcionaria Lurdes de Souza. Além das atividades, a rede estadual de ensino pre- vê ainda novas medidas de redução do uso da água, com novas políticas definidas pelo Governo do Estado, para que a meta de redução de pelo menos 30% do consumo seja atingida. temos uma horta também. Temos visita da vigilância sa- nitária que fica a 100 metros de nossa escola, e tudo está correto. Nosso tanque tem manutenção sempre, duas vezes por ano trocamos toda a água, temos todo um cuida- do para com os peixes e as tartarugas que criamos aqui”, explica a diretora Glaucia Pedrogan de Moura. Mesmo com um cartaz ex- plicando claramente sobre a não poluição do lago artificial, ainda assim a escola tem sido vítima de pessoas leigas no assunto. A diretora Lorrivania Meneses da Costa aconselha aos moradores que possuem algum tipo de dúvida ou receio que se informe na própria ad- ministração da escola, “nossa escola estará de portas aber- tas para receber a todos da comunidade, e fazemos ques- tão de esclarecer qualquer tipo de dúvidas a respeito deste assunto, gostamos do nosso lago artificial, isto é um atrativo a mais para nossos alunos e não pretendemos causar medo ou espanto; apenas colaboramos com o meio ambiente e ensinamos isto para nossos alunos tam- bém”, frisa ela. Lago artificial da escola Raio de Sol na Vila Curuçá não possui dengue
  4. 4. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Política ITAIM PAULISTA - F.: 2025-7777 - AV. MARECHAL TITO, 7003 ALPHAVILLE / BARUERI / CAMBUCI / CARAPICUÍBA / CENTRO / FRANCISCO MORATO / FRANCO DA ROCHA / ITAQUERA / JABAQUARA / LIBERDADE / MAIRIPORÃ / MAUÁ / GUARULHOS / PIRITUBA / SANTO AMARO / SANTO ANDRÉ / VILA MARIA Todos juntos fazem um trânsito melhor. CG 150 ESDI 14/15 valor à vista R$8.139, ou entrada R$3.500,+48x R$199, total a prazo R$13.052,.Bros 160 ESDD 14/15 valor à vista R$11.029, ou entrada R$3.000,+48x R$332, total a prazo R$18.936,.CB 300 14/15 valor à vista R$13.860, ou entrada R$4.500,+48x R$382, total a prazo R$22.836,.Banco Bradesco c/ juros 2,55% a.m. (35,35% a.a.).CET máximo 46,97% a.a.PCX 14/15 á vista R$9.840,.Tabela sujeita a alteração sem prévio aviso, conforme política de comercialização da fábrica.Consulte todas as informações em nosso showroom. Promoções válidas somente para os modelos anunciados até o término do estoque (2 unidades de cada).Ofertas não cumulativas com outras.Imagens ilustrativas.Reservamos o direito de corrigir possíveis erros gráficos e de digitação. CB 300R MENSAIS R$ 382, + ENTRADA JAPAUTO! CORRA PRA JAPAUTOJAPAUTOwww.japauto.com.br BROS 160 ESDD MENSAIS R$ 332, + ENTRADA LANÇAMENTO PCX 150 CONSULTE O MELHOR NEGÓCIO FAN 150 ESDI MENSAIS R$ 199, + ENTRADA Robôs de alta tecnologia são destinados ao treina- mento de profissionais para simular situações reais de atendimento O governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta quinta-feira, 26, um dos maio- res Centros de Simulação Realística em Saúde (CSRS) do país, voltado para o ensino dos profissionais da área on- cológica. Com investimento de R$ 1,5 milhão, a nova área, instalada no Instituto do Câncer (Icesp), ligado à Secretaria da Saúde e à Fa- culdade de Medicina da USP, beneficiará profissionais de toda a Rede Oncológica do Estado. “Esse centro será funda- mental para a formação de São Paulo, a exemplo de outros grandes centros urbanos mundo afora, não pode prescindir de uma rede própria para os ciclistas. No entanto é muito preocupante a forma improvisada com que a criação de ciclovias e ciclo- faixas na cidade vem sendo conduzida pela prefeitura que, deixando o planejamento de A rede de ônibus da ma- drugada da capital começa a funcionar neste sábado (28). Chamado de Noturno, o ser- viço funcionará da meia-noite às 4h, com 151 linhas que atenderão toda a cidade. O funcionamento da nova rede foi apresentado hoje na 11ª reunião do Conselho Munici- pal de Trânsito e Transporte, na sede da Prefeitura. Duran- te o evento, o prefeito Fer- nando Haddad afirmou que o transporte noturno oferece garantia de direitos. “É uma medida simples que vai atender milhares de trabalhadores que dependem do transporte noturno para ir para suas casas. É um com- promisso feito que estamos cumprindo. O fato de ter uma rede da madrugada com mais regularidade, melhora naturalmente a questão da segurança e, mais do isso, garante um direito constitu- cional para o trabalhador”, disse Haddad.Aimplantação do Noturno atende à meta 95 do Programa de Metas 2013-2016. O serviço noturno funcio- nará com 50 linhas estrutu- rais, nos grandes corredores, e 101 linhas locais, nos bair- ros, que passarão por 32 ter- minais e 160 conexões. Nas linhas estruturais, o intervalo entre os ônibus será de 15 minutos, enquanto nas linhas locais será de 30 minutos. To- das as informações sobre as linhas estão disponíveis na página da SPTrans. Haverá também painéis informativos nas estações de metrô e nos pontos atendidos. Outra alternativa para saber os horários e linhas disponíveis é utilizar o aplica- Transparência nas ciclovias lado, optou, equivocadamen- te, por ações pulverizadas em diversos órgãos que não se comunicam entre si. Isso é fato incontestável. Com a adesão de 23 ve- readores, protocolei no dia 10 de fevereiro pedido de cons- tituição de Comissão Par- lamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de investigar a implantação de ciclovias e ciclofaixas pela Prefeitura de São Paulo. A partir de agora o reque- rimento será submetido a aprovação dos vereadores. Se aprovada, a Comissão Parlamentar de Inquérito das Ciclovias será constituída por nove membros, e durará por um período de 120 dias corridos. É preciso que não apenas a Câmara Municipal, a quem cabe fiscalizar as ações da prefeitura, mas a população como um todo (usuários ou não de bicicletas) tenham acesso a um conjunto indis- pensável de informações: valor da implantação; modo Andrea Matarazzo Alckmin inaugura, no Instituto do Câncer, o maior Centro de Simulação Realística do SUS recursos humanos de exce- lência, unindo alta tecnologia e humanização”, explicou Alckmin. As simulações de atendimento vão utilizar ce- nários clínicos num ambiente controlado e seguro, onde os profissionais terão as mesmas dificuldades encontradas em um caso real. Os bonecos usados, de alta tecnologia, imitam os mesmos sintomas e sinais vitais de um ser hu- mano, como abertura ocular espontânea, sons cardíacos, movimento pulmonar, poden- do ainda transpirar, tossir e vomitar. Além dos robôs de última geração, que respondem a estímulos como um paciente, o CSRS ainda conta com outros equipamentos de trei- namento, entre manequins adultos, jovens, bebês e par- tes do corpo humano. Com isso, torna-se possível realizar simulações de procedimentos de alta complexidade como intubação, manipulação de cateteres, ressuscitação car- diopulmonar, administração de medicação intravenosa e outros procedimentos. As salas de treinamento são idênticas aos leitos do próprio hospital, os consultó- rios médicos e até os banhei- ros. Dentro dos cenários de atendimento, o profissional vi- vencia o stress da tomada de decisão que enfrentará no dia a dia. As cenas geradas são revistas e debatidas em gru- po, possibilitando o aprendi- zado a partir das discussões. de contratação dos projetos; quais os impactos no trânsito; se houve ou não consulta à população das áreas de im- plantação; quais os impactos no comércio, entre outras questões. Vale lembrar, ainda, que Tribunal de Contas do Mu- nicípio de São Paulo, outro órgão de controle do Executi- vo, já questiona a Prefeitura em relação a alguns desses aspectos. O requerimento de uma CPI para as ciclovias não é umabandeira política. O objetivo desta Comissão Par- lamentar de Inquérito é sim- plesmente esclarecer todos os pontos do confuso progra- ma de ciclovias adotado pela prefeitura. Afinal, é preciso responsabilidade nos gastos do dinheiro público, além de competência e transparên- cia na execução de obras e serviços. Andrea Matarazzo é ve- reador e líder do PSDB na Câmara Municipal Rede de ônibus da madrugada começa a funcionar tivo Coletivo da Madrugada, já disponível para download. Pelo celular, é possível con- sultar o ponto de ônibus mais próximo, o horário que cada linha passará pelo local e os ônibus que circulam pela re- gião em tempo real. O down- load é gratuita e é compatível com celulares com sistema Android. O planejamento da rede privilegiou locais que abrigam serviços públicos 24horas, como hospitais e delegacias, e regiões que concentram oferta de entretenimento, como casas de espetáculos, bares e restaurantes. Tam- bém servirá trajetos feitos pelas linhas de metrô. “Hoje quem trabalha à noite chega a esperar mais de uma hora no ponto de ônibus. Nos corredores definidos pela rede, agora a frequência está garantida. Vamos monitorar o comportamento das empre- sas, ouvir os usuários para ter uma rede bem ajustada”, afirmou Haddad. Foram estabelecidos pro- cedimentos operacionais que serão controlados pela SP- Trans, que acompanhará os veículos por GPS, inclusive para a coordenação das par- tidas. Nos terminais, haverá uma reserva operacional de veículos tripulados para substituir ônibus que passem por algum problema. Serão utilizados 454 veículos e mais 88 coletivos de reserva. Se- gundo a SPTrans, no projeto piloto com 12 linhas, realizado desde 2014, as partidas tive- ram cumprimento de 100% e a pontualidade foi atendida em 90% dos casos. “A rede da madrugada é um piloto do que nós quere- mos na cidade de São Paulo: operação assistida, controla- da, o usuário saber o horário que o ônibus vai sair do termi- nal, o horário que vai estar no ponto de ônibus e a qualidade do ônibus. Nós vamos aumen- tar uma vez e meia a oferta de ônibus na madrugada, com regularidade”, disse o secretário Jilmar Tatto (Trans- portes). A secretaria também estuda implantar redes neste formato para os sábados, os domingos e para os horários de pico e entrepico. “O transporte 24horas contempla a juventude. Quem gosta de sair à noite, ir para uma balada, agora pode voltar de ônibus, com segurança e sem gastar muito”, disse o conselheiro Greg Barbosa, que representa os jovens no Conselho Municipal de Trân- sito e de Transporte. A operação do Noturno contará com o apoio da Com- panhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Guarda Civil Metropolitana (GCM). O Departamento de Ilumina- ção Pública (Ilume) também trabalhará na parceria com o reforço de iluminação em 160 pontos de conexão. A reunião do conselho contou também com a pre- sença dos membros do grupo de trabalho de mobilidade do Conselho da Cidade e dos conselhos gestores da Companhia de Engenharia de Tráfego e da São Paulo Transportes. Também acom- panharam a reunião os se- cretários Alexandre Padilha (Relações Governamentais), Fernando de Mello Franco (Desenvolvimento Urbano) e o controlador geral do Roberto Porto.
  5. 5. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Cotidiano Pequenos detalhes são cruciais para que seu cur- rículo não vá para o lixo da empresa para a qual você sonha trabalhar Erro gramatical é fatal em qualquer candidatura de emprego Dói no coração ser rejei- tado em uma candidatura de emprego que gostaríamos de obter, ou passar horas se candidatando a um trabalho e nunca ser chamado. Afinal de contas, é difícil não levar para o lado pessoal e começar a duvidar da nossa capacidade. Mas às vezes as razões pelas quais sua candidatura é sempre rejeitada não tem a ver com suas habilidades. Muitos outros fatores podem influenciar, especialmente quando um recrutador tem em mãos vários currículos para escolher. Considera algumas das razões a seguir paraa re- jeição ao seu currículo e tente tomar providências para evitá- -las no futuro, de acordo com Bernard Marr, do Linkedin: 1. Não seguir as regras da candidatura: Currículos não são o lugar ideal para soltar a criatividade. Geralmente o recrutador mostrará os cami- nhos para se candidatar com o exato propósito de avaliar se cada candidato pode se- guir as regras. Tenha certeza de ter lido as instruções com muito cuidado e responda – incluindo o currículo e uma carta de apresentação – espe- cificamente para o emprego ao qual você está se candi- datando.Até um pequeno erro pode ser fator de eliminação. 2. Deixar campos em bran- co: Profissionais de recursos humanos gastam muito tempo formulando fichas de candida- tura, então eles possuem uma razão para pedir cada detalhe de informação. Quanto menos 8 erros que afastam você de qualquer entrevista de emprego informação você dá, menos o recrutador sabe de você em relação a outros candidatos. Isso pode ser visto como falta de atenção aos detalhes. 3. Submeter a candidatura à pessoa errada: Você pode pensar que está sendo esper- to em pular o departamento de RH e enviar seu currículo diretamente para o departa- mento no qual quer trabalhar, mas você pode estar dando um tiro no pé. Isso pode ser visto como falta de habilidade para seguir as regras, e não há garantia de que o chefe do departamento vai encaminhar seu currículo ao RH. Pesquise primeiro e envie o CV para onde a empresa quer que seja enviado. 4. Um endereço de email nada profissional: Pode soar banal, mas quando um recru- tador tem que digitar o email “partygirl53 @ gmail.com”, ele vai fazer julgamentos sobre você e sua personalidade. É fácil criar um novo, mais profissional, apenas para a busca do emprego – só não esqueça de checá-lo para ver as respostas. 5. Ignorar longos lapsos no histórico profissional: Você pode ter um lapso em seu his- tórico de carreira por qualquer razão legítima, mas ignorá-lo pode enviar a mensagem errada ao recrutador. Em vez de apenas torcer para ele não perceber, adicione uma linha explicando o lapso da forma mais breve possível, como “Deixei a posição para cuidar de parentes idosos durante um ano” 6. Considerações de diver- sidade: Grandes empresas têm cotas que o RH precisa preencher em novas contra- tações. Uma minoria, uma mulher, ou um veterano com a mesma qualificação pode ser mais desejado por essas razões. 7. Erros gramaticais e de ortografia: Em tempos de computadores e corretores ortográficos, não há desculpa para erros em um currículo, e deixá-los à mostra evidencia falta de atenção aos detalhes. Tenha certeza de checar pala- vras. Se você está preenchen- do um formulário, considere responder em um editor de texto, revisar, e então copiar e colar. 8. Escrever “veja em ane- xo” no formulário: Em mui- tos casos, recrutadores têm muitos, muitos candidatos à mesma vaga e usam o for- mulário para uma filtragem inicial. Eles podem nunca ler a informação anexada. Então tente ser breve e colocar toda a informação no formulário. Se absolutamente necessá- rio, indique que você ficará feliz em dar mais informações ao pedido do recrutador. O reajuste foi deter- minado pela Agência Na- cional de Energia Elétrica (Aneel), para todas as dis- tribuidoras; decisão é fruto de uma revisão extraor- dinária na tarifa e uso de termoelétricos As tarifas de energia elétrica ficam em média 32% mais cara em São Paulo, segundo a Agência Nacional de energia Elé- trica (Aneel), contrariando a promessa da Presidente Dilma de não promover aumentos de tarifas de energia em 2015. O reajuste foi deter- minado pela Aneel, para todas as distribuidoras. A decisão é fruto de uma revisão extraordinária na tarifa (RTE) e da entrada de novos valores das ban- deiras tarifárias, sistema de cobrança que reflete o custo real de geração de energia. Conta de luz fica mais cara hoje no Brasil; em SP, alta é de 32% Segundo aAneel, a revi- são leva em consideração diversos fatores, como o orçamento da CDE deste ano, o aumento dos custos com a compra de energia da Usina de Itaipu (causa- do pela falta de chuvas), o resultado do último leilão de ajuste (que levou as distribuidoras a buscar energia no mercado livre e de curto prazo). Os impactos da revisão tarifária extraordinária são diferentes conforme a re- gião onde a distribuidora atua. Para as concessioná- rias que atuam nas regiões Sul, Sudeste e Centro- -Oeste, o impacto médio, ponderado pela receita das distribuidoras, será de 28,7% e, para as dis- tribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste, o impacto médio será de 5,5%. Em São Paulo, seca eleva demanda por energia de termoelétricas A AES Eletropaulo in- forma que a correção em São Paulo inclui a revisão extraordinária e bandei- ras tarifárias decorrente da utilização de energia originada por usinas ter- moelétricas, que geram custos adicionais no preço da energia para suprir a demanda do país. “Esse cenário é resulta- do da escassez de chuvas que comprometeu a recom- posição dos reservatórios das usinas hidrelétricas, principal fonte de geração de energia do Brasil. Houve impacto no custo, também, devido ao reajuste da tarifa de Itaipu, em 46%, em dó- lar. Dos 31,9% de índice médio do reajuste extra- ordinário, 8,17% referem- -se ao custo de geração”, informa aAES Eletropaulo. Mesmo após promessas feitas em 2013, Jardim Roma- no e Vila Itaim continuam sen- do afetados com enchentes Desde as fortes chuvas que atingiram o Jardim Ro- mano e a Vila Itaim, morado- res das áreas mais afetadas estão tendo de conviver com diversas rachaduras nas ca- sas, que vêm crescendo em tamanho e em número a cada dia. Alguns até abandonaram as casas com medo de que uma tragédia ocorra. Uma das pessoas que vem convivendo com o risco é a Moradores do Jardim Romano e Vila Itaim voltam a sofrer com as fortes chuvas dona de casa Ivone Lurdes. Na residência onde mora, ela conta que os estragos podem ser vistos do lado de fora e em alguns cômodos internos. “A gente vai olhando, fica assustado e com medo de vir abaixo tudo isso em cima da gente”, disse. Outro morador atingido pela enchente foi o comer- ciante Carlos que só este ano chegou a ter um prejuízo de cerca de 10 mil reais “todo ano é a mesma coisa, basta chover um pouco que alaga tudo aqui, e quem sofre com ra e totalmente frágil com o ocorrido, a moradora Danuza Dias lamenta que todo ano tenha de passar pela mesma situação, “nem sei mais o que dizer e o que fazer, vivemos de promessas, nunca a culpa é de alguém, e nós vamos perdendo as coisas a cada ano, nem vontade de limpar nada eu tenho mais, já perdi cama, fogão, geladeira e guarda roupa, chego a entrar em depressão de tanto des- gosto, do que adianta eles (órgãos públicos) só olharem para nós nesta época”, frisa emocionada a dona de casa. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emer- gências (CGE), a região faz divisa com o município de Ita- quaquecetuba, bairro Jardim Fiorelo, e os seus moradores também estão sofrendo com os alagamentos. A prefeitura de São Pau- lo informou, em nota, que o projeto de construção do pôlder (terreno protegido por diques contra inundações) da isto somos nós moradores. Ficamos tão assustados que basta uma pequena garoa que nós moradores já tiramos os carros e motos e deixamos em um local seguro para não perder nas enchentes, só que muitos aqui chegam a perder tudo dentro de suas casas”, lamenta ele. Vila Itaim é responsabilidade do governo do estado. “Em 2013, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad estiveram juntos no local e anunciaram as obras do pôlder. Entretanto, até o momento o governo do estado não apresentou o projeto da obra, a despeito de inúmeras Ainda devido às fortes chuvas, uma pessoa foi ele- trocutada numa área alagada no Jardim Helena. A Polícia Militar (PM) informou que o acidente ocorreu em uma área energizada em razão da enchente que tomou conta da região. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima foi encaminhada à Unidade de Atenção Primária à Saúde Santa Marcelina, no bairro de Itaim Paulista. Um trecho alagado na Rua Ambua, bairro de Vila Itaim, permaneceu intransitável durante quase um dia todo. Algumas casas foram inva- didas pela água e os mora- dores precisaram suspender os móveis. O alagamento foi provocado pela cheia do Rio Tietê. A região da subprefeitura de São Miguel Paulista, que inclui o Jardim Helena, Vila Romano e Vila Itaim, entre outros, permanece em es- tado de alerta, na ocasião foi instalada uma barraca da Defesa Civil com botes e coletes salva vidas para um caso de emergência, sem contar na ambulância que fica localizada logo na entrada da Vila, para possíveis primeiros socorros e até esclarecimen- tos aos moradores. Sem esperança de melho- reuniões realizadas e de ape- los insistentes da Prefeitura.” A prefeitura afirmou que, sem o projeto, não há como remover as famílias do local. “São duas as razões: primeiro não há como remover toda a população da Vila Itaim. É preciso saber o tamanho e o local do pôlder para remover apenas as famílias atingidas. E, depois, se a população for retirada muito antes da realização das obras, outras famílias ocuparão aquelas habitações”, completa. O governo do estado res- pondeu, em nota, que a inun- dação de hoje na Vila Itaim é resultado da ocupação indevida da várzea do Tietê, área sempre ocupada pelo rio nas cheias. De acordo com o texto, o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) firmou convênio com a prefeitura para construção de um sistema de pôlder, com reservatório e bombas, a fim de diminuir os riscos de enchentes. “A obra aguarda o reassentamento, pela prefei- tura, de 280 famílias de áreas invadidas. O projeto básico está pronto e foi entregue ao município em 2013. No Jardim Romano, o pôlder feito pelo Daee em operação desde 2011 evitou inundações.”
  6. 6. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Variedades Enrolar o cabelo ainda úmido pode danificar os fios e talvez você não consiga o efeito desejado. Veja mais dicas! Conseguir o efeito dos cachos maravilhosos de Gi- sele Bündchen pode ser fácil em meio a tantos aparelhos eletrônicos que temos à nossa disposição. Mas saiba que imitar o cabelo “despojado chic” da top model brasileira requer alguns cuidados e atenção na hora de cachear as madeixas. Até porque não adianta ter um lindo penteado se os fios forem agredidos, concordam? Antes de tudo, a boa notícia é que os fios ondulados funcionam tanto para quem tem as madeixas longas, como para as donas de um cabelo de comprimento médio ou curto. Estar sempre linda tem um custo, que não é apenas financeiro. Enquanto os saltos altos são de tirar o fôlego de tão bonitos e sensuais, eles também podem acabar com o conforto de um look, podendo causar incômodo, bolhas e dores indesejadas. Em primeiro lugar, identifi- que o seu tipo de pé. O melhor é marcar uma consulta com um podólogo para que ele possa avaliar o formato do seu pé e te indicar o melhor tipo de sapato. Pés mais gordinhos, por exemplo, se ajeitam melhor em sandálias abotinadas; já os que têm o peito do pé alto devem optar por sapatos mais abertos, como scarpins. Pode parecer bobo, mas use sempre um sapato do seu tamanho. Infelizmente as marcas não são padronizadas à risca, então não se prenda a um número. Na hora de comprar, sempre experimente os dois pés e ande pela loja. Se não estiver confortável, não se intimide e peça um número maior. Saltos mais grossos são mais confortáveis. Isso por- Erros comuns ao usar o babyliss para cachear os fios Largura do babyliss Existem diferentes tama- nhos do aparelho. Para fazer cachos, ou se o seu cabelo for curto, por exemplo, o ideal é optar por um babyliss de lar- gura mais fina. Mas caso seu cabelo seja longo, ou você queira conquistar o efeito ondulado, escolha o modelo mais grosso, ele vai deixar as pontas curvadas e o cabelo com um estilo ‘surfista chic’. Como usar o babyliss? O correto é dividir mechas de espessura média. Depois, enrole uma de cada vez no babyliss. Prenda o resto do cabelo para não correr o risco de alguns fios entrarem junto com a outra parte. A dica é sempre começar com as mechas que ficam debaixo do cabelo. Temperatura ideal do babyliss Você deve mantê-lo em uma temperatura quente o bastante para enrolar o seu cabelo, mas não para danifi- cá-lo. Para madeixas finas e fragilizadas, use a opção de calor mais baixa disponível. Se você ainda não tem um babyliss, compre aquele com múltiplas opções de aqueci- mento e evite adquirir os que têm apenas os botões de ligar e desligar. Além disso, não deve-se manter a mecha mais tempo do que o necessário no aparelho, ou seja, 5 a 10 segundos são suficientes. Como enrolar os fios? Você deve enrolar o cabe- lo deixando uma certa distân- cia do seu rosto. Se você for fazer o lado direito da cabeça, por exemplo, enrole os fios em direção a este lado. Faça isso sempre no sentido ‘para dentro’ (como na foto acima). A mesma regra vale para a parte esquerda e a de trás. Babyliss no cabelo úmido ou molhado É mais fácil estragar os fios quando eles estão molha- dos do que secos. Mesmo que o cabelo esteja úmido, você trará danos a ele caso use o babyliss. Então, espere o cabelo secar completamente ou use o secador. Algumas pessoas acham que é melhor esperar um dia após secá-lo para usar o babyliss do que tentar fazer as ondas ou ca- chos no cabelo recém-seco. Mas experimente as duas opções para descobrir o que é melhor para você. Dicas para usar salto alto sem dor que eles garantem um su- porte melhor na hora de caminhar. O material também conta bastante: escolha os saltos feitos com madeira ou que sejam mais maciços. Materiais sintéticos não dão tanta firmeza para a pisada. Solas finas tendem a cau- sar dor na planta do pé por conta da pressão. Prefira as solas mais grossas, como a meia-pata, que além de diminuir essa pressão tam- bém minimizam a curvatura do arco, garantindo maior conforto. Palmilhas almofadadas podem ser suas melhores amigas. Elas minimizam a pressão do calcanhar e di- minuem o atrito direto com a sola mais rígida. Os modelos de silicone transparentes são coringas para qualquer sapato ou sandália. Sempre que tiver uma oportunidade, descanse seus pés! Naquele momento pro- pício, desencaixe os pés dos sapatos para dar aquela esti- cada nos dedos e tornozelos. Isso também ajuda a evitar o inchaço que causa atrito e bolhas. ...saiba que imitar o cabe- lo “despojado chic” da top model brasi- leira requer alguns cuida- dos...
  7. 7. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Mulher No último sábado (28) a Igreja Evangélica Plenitude do Espírito Santo de Deus promoveu o primeiro “Chá de Mulheres”. O evento foi realizado na Vila Curuçá e teve como tema principal: “Relacionamento com Deus e Busca de Sabedoria para Edificar o Lar”. Sobre a coordenação pas- toral do casal Robson Lapa e Márcia Lapa, este foi o primei- ro Chá das Mulheres há ser realizado pela congregação. Cerca de 100 mulheres parti- ciparam do evento. Segundo a pastora Már- cia Lapa, o principal objetivo do encontro de mulheres é promover união, amizade, compartilhar experiências de mulher para mulher, trazer instrução e conhecimentos no mundo feminino, tais como: moda evangélica, cuidados com a saúde, dicas de beleza, etiquetas e principalmente propagar a palavra de Deus. “Este Chá de Mulheres é o primeiro de muitos que ire- mos promover. Nossa idéia é proclamar a palavra de Deus para todas as mulheres.Atrás da palavra de Deus e dos aconselhamentos procura- mos instruir a vida destas mulheres virtuosas. Saímos daqui renovadas para lidar com a vida familiar, como instruir nossos filhos, como nos cuidar fisicamente e emo- cionalmente, como nos com- portarmos diante de algumas situações em nossos lares e principalmente como nos amar, tanto interiormente como exteriormente”, explica Márcia. Com um toque de leveza, clamor e elegância, na me- dida em que as convidadas chegavam ao encontro já eram recebidas pelas lideres evangélicas de uma forma Igreja Plenitude realiza primeiro “Chá de Mulheres” na Vl.Curuçá Percentual de conflitos aumenta para 23% entre ca- sais inadimplentes. Educador financeiro afirma que o melhor caminho é o da transparência. Pesquisa mostra que 16,7% dos brasileiros casa- dos declaram que a maneira como eles gastam o próprio dinheiro é motivo de briga dentro de casa. O percentual de conflitos sobe para 22,7% quando analisados somente os casais inadimplentes. Ao analisar apenas os entrevista- dos que não estão com contas em atraso, o percentual cai para 10,7%. Os números mostram que grande parte dos problemas de relacionamento começa quando o assunto é dinhei- ro, mas nem sempre isso é percebido claramente pelos casais. Na maioria dos casos, o dinheiro vem disfarçado nas discussões. Se falta dinheiro para uma saída, o problema pode ser percebido como falta de romantismo. Se não sobra dinheiro para comprar roupas 17% dos casais brigam quando o assunto é dinheiro, diz pesquisa novas, o problema pode ser entendido como desleixo do parceiro. Se não há dinheiro para levar os filhos ao cinema, o conflito pode ser percebi- do como falta de carinho e atenção. Se falta dinheiro para uma saída, o problema pode ser percebido como falta de ro- mantismo. Se não sobra di- nheiro para comprar roupas novas, o problema pode ser entendido como desleixo do parceiro. O excesso de dinheiro também pode se tornar pro- blema. Quando a renda do ca- sal é farta, dificilmente os dois chegam a um consenso sobre os hábitos de consumo de um e de outro e também sobre a melhor forma de administrar as finanças da família. O homem reclama dos gastos supérfluos da mulher, que por sua vez acha que as con- quistas do casal estão sendo adiadas pelo desperdício ou pela ‘pão durice’ do marido. O estudo mostra que a fal- ta de transparência pode re- sultar em superendividamento e acabar em inadimplência. Um em cada 10 entrevistados (10,1%) afirma que não con- segue ceder à pressão dos filhos e acabam endividados. Os filhos precisam ter conhe- cimento da situação financei- ra da família e participar das decisões para compreender até onde vai o limite do cartão do pai. O educador financeiro afirma que o melhor caminho é o da transparência, segui- do de traçar objetivos e de fazer um bom planejamento financeiro. A família precisa parar e sentar para conversar sobre as finanças. Uma rela- ção franca pode revelar que o verdadeiro problema não é a falta de amor, mas sim a de dinheiro. Saber qual é a renda da casa, quem tem dívidas em atraso e principalmente quais são os sonhos e os objetivos de cada um é fundamental para o sucesso financeiro e do relacionamento bastante acolhedora. Asegunda pastora Cristina Santos, também uma das lide- ranças à frente deste trabalho, em entrevista com o Jornal fo- lha do Itaim & Curuçá, frisou a importância deste Chá, “aqui é uma maneira diferente de ministrar a palavra do Senhor para nós mulheres. Hoje nós teremos orientações com a preletora Rose, que através dos ensinamentos bíblicos iremos aprender como uma mulher sabia pode edificar seu lar”. Com sucesso de público, o Chá das Mulheres foi aber- to para a comunidade tanto cristã como não. Na ocasião, as convidadas tiveram além de um apetitoso chá da tarde, um curso de auto maquiagem com produtos importados e sorteio de brindes.
  8. 8. 2ª QUINZENA DE FEVEREIRO de 2015 Cultura Surpreenda-se! Faça Villa dos Idiomas e conquiste o mundo! No mês de fevereiro, a es- cola de idiomas “Villa dos Idio- mas” abriu suas portas para a volta às aulas de uma maneira bastante descontraída. A presença de persona- gens de desenhos famosos tais como transformers e a turma do Mickey foi uma das surpresas garantidas para os alunos do Villa. Além de alegrar os alunos, os pais também foram pegos de surpresa e a diversão aca- bou sendo para a família toda. Exemplo disto foi a mamãe e ex-aluna do Villa, Patrícia Alves da Silva que, ao trazer a pequena filha Rosangela de 08 anos, também ficou emocionada com a surpresa, “muito divertido aprender com tanto entusiasmo, já fui aluna daqui e hoje tenho o privilégio de trazer minha filha para estudar”. Questionada sobre o que a escola apresenta de qualidade, a ex-aluna não poupou nos elogios, “Aqui o estudo é inovador, fantás- tico, as aulas são bastante dinâmicas e o conteúdo é de primeira, os professores de ótima qualidade e a escola bastante acolhedora, sinto como se estivesse nos EUA”, declara ela. Com uma estrutura físi- ca privilegiada, a Villa dos Idiomas conta com espaços especialmente pensados para proporcionar aos alunos uma aprendizagem dinâmica e diferenciada. Um espaço que reúne Biblioteca, Videoteca, Auditório, Cozinha Experi- mental e Espaço Kids! Lá os alunos têm a apren- dizagem do segundo idioma por computadores, ou seja, no laboratório os alunos realizam primordialmente atividades de aperfeiçoamento de pronún- cia e de compreensão auditi- va. A Villa dos Idiomas conta não somente com a tecnolo- gia de lousa digital aplicada aos cursos de Idiomas, mas com a tecnologia CANADEN- SE de lousas digitais. Essa tecnologia acelera o aprendi- Turma do Mickey e Transformes dão as boas vindas aos alunos do “Villa dos Idiomas” zado de um segundo idioma e alinha-se com a modernidade do mundo digital presente nos dias atuais. Com o sucesso de público, a Villa dos Idiomas chegou até a receber visitas de algumas escolas concorrentes. Para nós, cada aluno é único e traz consigo uma história, valores, crenças, que não podem ser ignorados na sala de aula. Hoje podemos dizer que esta- mos na vanguarda do ensino de idiomas mirando sempre à frente da concorrência. Já verificamos diversas ações e mudanças de outras es- colas de línguas claramente espelhadas e inspiradas na Villa dos Idiomas. Frequen- temente recebemos visitas de concorrentes “disfarçados” a fim de descobrirem mais sobre a nossa escola. Isso nos deixa lisonjeados, pois percebemos que somos referência inclusive para grandes redes de franquias. A grande questão é que a Villa dos Idiomas foca seu tempo e energia nas necessidades e formação de seus alunos e cola- boradores e não se “disfarçando” para descobrir os “segredos” da concorrência. Entendemos que somos todos profissionais e o respeito é a base de todas as relações”, orientou Claudia uma das diretoras da escola. Funda- da em 1999, com aulas que vão do português ao Inglês, Espa- nhol, Francês e Italiano, a Villa dos Idiomas é reconhecida pela sua qualificação profissional, tornou-se referência e já é considerada “top” no ensi- no de línguas estrangeiras para os alunos da região. “Ficamos felizes por trazer o que há de melhor para a região do extremo leste de São Paulo.Acreditamos que, independente da loca- lização geográfica de suas residências ou da condição socioeconômica, todas as pessoas querem e mere- cem ter o melhor! “Somos gratas aos pais, alunos e às pessoas do Itaim Pau- lista, que há 16 anos nos acolheram e confiaram em nosso trabalho”, frisam as diretoras do Villa dos Idiomas Cláudia e Célia Fernandes.

×