ANO IX - N.o 220 www.fb.com.br/FolhaItaimCuruca | raleste@gmail.com | Tel.: (11) 2031-2364 1ª QUINZENA DE SETEMBRO DE 2014...
Campanha contra o HPV deve imunizar 940 mil meninas em SP 
SUB PREF. DO ITAIM PAULISTA 
Av. Marechal Tito, 3012 
Itaim Pau...
1ª QUINZENA DE 
setembro de 2014 Comunidade 
Famílias do Copa do Povo desocupam terreno em Itaquera 
Céu Curuçá 
As famíli...
1ª QUINZENA DE 
setembro de 2014 Política 
Marina Silva visita Casa de Isabel no Itaim Paulista 
Nesta última quarta-feira...
1ª QUINZENA DE 
setembro de 2014 
Cotidiano 
Atividade física deve ser recomendada 
como tratamento e prevenção de doenças...
1ª QUINZENA DE 
setembro de 2014 Variedades 
Jô Soares volta a gravar o “Programa do JÔ” 
De volta ao ‘Programa do 
Jô”, a...
1ª QUINZENA DE 
setembro de 2014 Mulher 
Rede Hora Certa 
Móvel em 
Guaianases 
realiza uma 
média de 7.000 
exames por mê...
1ª QUINZENA DE 
setembro de 2014 Mulher
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Folha 220

122 visualizações

Publicada em

Folha do Itaim

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
122
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folha 220

  1. 1. ANO IX - N.o 220 www.fb.com.br/FolhaItaimCuruca | raleste@gmail.com | Tel.: (11) 2031-2364 1ª QUINZENA DE SETEMBRO DE 2014 Marina Silva visita Casa de Isabel no Itaim Paulista Nesta última quarta-feira (10) Mariana Silva acompanhada por seu candidato a vice, Beto Albuquerque e sua coordenadora de campanha Luiza Erundina visitou a Casa de Isabel, entidade filantrópica fundada em 2001 pela Advogada Sonia Maurelli para garantir o acesso ao aten-dimento ademyrrodrigues - julho de 2014 de advogados e terapia para cidadãos pobres e vitimas de violência doméstica e familiar, com prioridade para mulheres e crianças, adolescentes, idosos e pessoas com necessidades especiais, localizada no Itaim Paulista A candidata à Presidência da República, Marina conheceu as dependências da casa, cumpri-mentou a todos os presentes, conversou com a diretoria da casa de Isabel. Para a candidata, “unidades como essa podem ser espalha-das pelo país inteiro em parceria com o poder público, levan-do atendimento não apenas a mulheres que são vítimas de violência, mas também um tra-tamento que é feito aqui com os agressores, porque a violência é um processo que acontece no seio do núcleo familiar”. Marina disse que é preciso que as mulheres vítimas de violência possam estudar e tra-balhar para ganhar autonomia financeira, serem empoderadas dentro de seus... Leia na pág 04 Famílias do Copa do Povo desocupam terreno em Itaquera As famílias que ocu-pavam desde o início de maio um terreno no bairro Itaquera, deixaram neste domingo o local com a promessa de que pode-rão voltar depois que um conjunto habitacional for construído no lugar. Para a retirada das barracas de lona, o Movimento dos Tra-balhadores. Leia na pág 03 Zé Gustavo, o único candidato do partido da Marina reúne lideranças na REDE Único candidato a deputado federal da Rede Sustentabilidade em São Paulo, Zé Gustavo par-ticipa de evento com candidatos estaduais Evento foi organizado por Walter Feldman, ex-deputado e coordenador da campanha de Marina Silva e contou com mais de 100 pessoas Único candidato da Rede Sustenta-... Leia na pág 04
  2. 2. Campanha contra o HPV deve imunizar 940 mil meninas em SP SUB PREF. DO ITAIM PAULISTA Av. Marechal Tito, 3012 Itaim Paulista-SP BANCA DO VALDO Av. Marechal Tito, 4800 Itaim Paulista-SP BANCA PRAÇA SILVA TELES Pç Silva Teles, s/n Itaim Paulista-SP BANCA KM 28 Av. Marechal Tito, 5868 Itaim Paulista-SP BANCA MARECHAL 4400 Av. Marechal Tito, 4400 Itaim Paulista-SP BANCA NAGUMO Pç Francisco Pereira, 80 Vl Curuçá-SP REVISTARIA CAVOA Av. Cavoá, 425 Vl. Curuçá-SP BANCA PÇA SILVA TELES Pç Silva Teles, s/n Itaim Paulista-SP Um veículo do GRUPO ACONTECE de Jornais e Revistas A marca Folha do Itaim existe a 42 anos, sendo 9 anos sob a direção do Grupo Acontece de Jornais e Revistas. CIRCULAÇÃO: Itaim Paulista, Vl Curuçá, Jd Robrú, Alto Tiete (Itaquá, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Suzano) 35 mil exemplares Diretor Executivo: Jornalistas (fl): Designer Gráfico Reporter Fotográfico: Redes Sociais: Revisora: Gerente Financeiro: Comercial Distrib./Logistica: Divaldo Rosa Silmara Galvão Nunes-MTb 51.096 Ademir Rodrigues Eduardo Rocha Bruno Barreto Rosa Prof. Suseli Corumba Rosa Ademir Rodrigues Ariane Andrade MULTI - Distrib. de Jornais e Folhetos REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: 2031-2364 / 2513-0928 Av. dos Guachos, 166 - 08030-360 - Vila Curuçá – SP www.aconteceagora.com.br | E-mail: raleste@gmail.com As matérias publicadas são de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e não representam necessariamente a opinião do Jornal. Os nomes dos colaboradores e representantes comerciais não mantém vínculo empregatício com a empresa. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Atualidade Não é à toa que Marina Silva já esteja sendo chamada de candidata ioiô. Depois de defender a criminalização da homofobia e voltar atrás, con-denar a produção de transgê-nicos e voltar atrás, discursar contra o agronegócio e voltar atrás, a candidata também recuou no que diz respeito à exploração de petróleo na camada pré-sal. É importante que todos saibam os riscos de colocar o pré-sal em segundo plano. Como deputado fede-ral, pude me debruçar larga-mente sobre o tema ainda em 2009, quando fui relator do caderno “Os desafios do pré- -sal”, publicado pelo Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica da Câmara com coordenação do consultor le-gislativo Paulo César Ribeiro Lima. Em seguida, apresentei ao Governo Federal a pro- A campanha nacional da segunda dose de vaci-na contra o papiloma vírus humano (HPV) ocorre, em São Paulo, em 4,7 mil postos de saúde, das 8h às 17h. A meta é imunizar 942 mil meninas com idade entre 11 e 13 anos, em todo o estado. Segundo a Se-cretaria de Saúde, na pri-meira etapa de vacinação, a cobertura do público-alvo alcançou 99%. Para garantir a eficácia da proteção, as adoles-centes terão de tomar três doses do medicamento. O intervalo da primeira para a segunda soma seis meses e, entre a segunda e a terceira, cinco anos. É Com fim da Copa, indústria do Brasil volta a crescer em agosto após 4 meses Aumento da produção com o fim da Copa do Mundo influenciou no resultado A atividade da indústria brasileira voltou a mostrar expansão em agosto após quatro meses de contração, favorecida pelo aumento da produção com o fim da Copa do Mundo e pela atividade de compras, de acordo com o Índice de Gerentes de Com-pras (PMI, na sigla em inglês) divulgado no dia 1º. Em agosto, o PMI da in-dústria apurado pelo Markit subiu a 50,2 contra 49,1 em julho, voltando a ficar acima da marca de 50 que separa crescimento de contração pela primeira vez desde mar-ço. Segundo o economista- -chefe do HSBC André Loes, o índice sugere que a ativida-de melhorou modestamente em agosto. — No que pode ter sido uma recuperação após os impactos provocados pela Copa do Mundo. Os PMIs em junho e julho mostraram que a Copa do Mundo afetou a atividade industrial. Mas com a conclu-são do Mundial, a indústria aumentou a produção em agosto, bem como garantiu a assinatura de novos acordos importante levar a cader-neta de vacinação. A partir da próxima campanha, poderão ser vacinadas as garotas com idade entre 9 anos e 11 anos. De acordo com a secre-taria, em um prazo de cinco anos, o Brasil deverá ter autossuficiência na produ-ção da vacina – desenvolvi-da em parceria do Instituto Butantan com o laboratório farmacêutico MSD. A diretora de Imuniza-ção da Secretaria, Helena Sato, alerta que o vírus causa lesões de pele e mucosas e se não tratado corretamente pode levar ao câncer de colo do útero. “Já a eficácia da vacina a ser aplicada é superior a 95%. Ao alcançar a cobertura vacinal entre a população- -alvo, observaremos, con-sequentemente, uma maior proteção contra a incidên-cia do câncer de colo do útero”, conclui. HPV é um vírus transmi-tido pelo contato direto com a pele ou mucosas infec-tadas por meio de relação sexual. Ele também pode ser transmitido da mãe para o filho no momento do parto. Estimativas da Orga-nização Mundial da Saúde estimam que 290 milhões de mulheres em todo o mundo estejam infectadas. Por que o Pré-Sal não pode ficar em segundo plano posta de substituir o sistema de concessão pelo sistema de partilha, o que garantiu ao Estado a manutenção da propriedade do petróleo ex-plorado e maior controle sobre o ritmo de produção. Essa experiência me per-mite afirmar que, se o pré-sal não for priorizado, não haverá Plano Nacional de Educação, por exemplo. Essa importan-te conquista minguará por inanição sem o devido aporte de receitas proveniente dos royalties do petróleo. O baque não se resume a isso. Com o pré-sal ignorado ou colocado em segundo plano, o Brasil será duramente afetado em pelo menos sete eixos estra-tégicos. Vamos a eles: 1. Educação: Legislação específica definiu que 75% dos royalties do pré-sal des-tinados à União devem ser usados exclusivamente na Educação. Isso significa qua-se R$ 200 bilhões nos próxi-mos 10 anos, sem os quais será inviabilizada boa parte dos avanços previstos no Plano Nacional de Educação. 2. Saúde: Os 25% dos royalties do pré-sal destina-dos por lei à Saúde permitem recompor as perdas orçamen-tárias provocadas pelo fim da CPMF. 3. Indústria Naval: Os con-tratos já firmados de explora-ção do pré-sal provocaram a ressurreição da indústria naval brasileira nos últimos anos. Há mais de 10 estalei-ros funcionando a todo vapor na produção de embarcações utilizadas no transporte de pessoal e carga entre as plataformas. Ficarão sem demanda. 4. Tecnologia. Com a mu-dança do regime de conces-são para regime de partilha, proposto por mim na Câmara, ficou estabelecido um mínimo de 60% de componentes na-cionais na atividade de explo-ração do pré-sal, o que ajuda a alavancar a transferência de tecnologia para o Brasil, além de trazer mais empresas e mais empregos. 5. Municípios. Após o lon-go processo de negocia-ções que culminou com a redistribuição dos royalties do petróleo entre os diferentes Estados e Municípios, e não mais somente para as locali-dades onde é feita a extração, deixar o pré-sal em segundo plano significa tirar recursos principalmente das prefeitu-ras. Pode ser fatal para muitos municípios. 6. Fronteiras. Desmobilizar a estrutura policial e demais forças de vigilância perma-nentemente instaladas nas porções da costa brasileira onde há plataformas de pe-tróleo significa fragilizar o con-trole sobre nossas fronteiras molhadas. 7. Meio ambiente. Por mais que o Brasil invista em fontes alternativas de energia, a principal matriz mundial continuará sendo o petróleo, que terá de ser produzido em algum lugar. O pré-sal implica menos impacto ambiental do que a exploração do petróleo pesado na Venezuela, das areias oleosas no Canadá ou do gás de folhelho (ou xisto) nos Estados Unidos. Em resumo, o pré-sal é um dos maiores patrimônios e uma das maiores conquistas do Brasil. Graças ao pré-sal, a produção de petróleo cresceu 14,8% em 12 meses e atingiu o recorde de 2,267 milhões de barris por dia em julho. A expectativa é de que a pro-dução chegue a 5 milhões de barris diários em 2020, e que sua exploração traga mais de R$ 1 trilhão para o país nas próximas três décadas. Seu impacto será enorme, não apenas na indústria de combustíveis, mas também na produção de plástico, tin-tas, pneus, medicamentos e muitos outros produtos deri-vados do petróleo. Nada mais coerente do que continuar a explorá-lo, sempre em para-lelo com o aproveitamento cada vez maior das fontes alternativas de energia, como a solar e a eólica, hoje em plena expansão. PAULO TEXEIRA, Deputa-do Federal Paulo Teixeira comerciais, segundo o Markit. O maior aumento da pro-dução foi registrado pelo sub-setor de bens intermediários, enquanto a indústria de bens de capital teve ligeira queda. Por sua vez, a atividade de compra cresceu pelo segundo mês seguido, e no ritmo mais rápido desde março. Todas as categorias registraram aumento, sendo o mais forte entre os produtores de bens de investimento. Por outro lado, o volume de novos negócios perma-neceu inalterado em agosto, sendo que a subcategoria de bens de capital registrou redução. Embora o resultado geral tenha interrompido qua-tro meses seguidos de queda, Lóes destacou que os novos pedidos ficaram praticamente estáveis em relação ao mês anterior, sugerindo que “o ce-nário para o setor permanece fraco”. O PMI indicou recuo na força de trabalho, com as em-presas apontando a ausência de demanda como causa, após modesta criação de va-gas em julho. “No entanto, a taxa de cortes foi fracionária, de um modo geral, com mais de 99% dos entrevistados relatando uma ausência de mudanças nos números de funcionários” disse o relatório. Os produtores de bens in-termediários foram os únicos a apontar queda no número de funcionários, sendo que os produtores de bens de consu-mo e de bens de investimento indicaram leves aumentos. Em relação às pressões in-flacionárias, estas persistiram em agosto, porém fracas. Os custos dos insumos aumenta-ram, mas a uma taxa marginal e bem abaixo da média de longo prazo para as séries. Consequentemente, os pre-ços cobrados aumentaram pelo terceiro mês seguido. As perspectivas para o setor industrial brasileiro nes-te ano, em que a presidente Dilma Rousseff tenta a reelei-ção, são negativas. Segundo dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados na sexta- -feira (29), o setor fechou o segundo trimestre com retração de 1,50% sobre os três meses anteriores, prejudi-cando a atividade econômica, que encolheu 0,6% no perío-do. Com isso, o Brasil entrou em recessão econômica no primeiro semestre. A indústria não tem con-seguido se desvencilhar do baixo nível de confiança, que em agosto caiu pelo oitavo mês seguido, e a contração do setor neste ano já é dada como certa. Economistas consultados na pesquisa Fo-cus do Banco Central veem retração de 1,70%.
  3. 3. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Comunidade Famílias do Copa do Povo desocupam terreno em Itaquera Céu Curuçá As famílias que ocupa-vam desde o início de maio um terreno no bairro Itaque-ra, deixaram neste domingo o local com a promessa de que poderão voltar depois que um conjunto habitacio-nal for construído no lugar. Para a retirada das barra-cas de lona, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que organiza a ocupação, promoveu um ato público. No início da tar-de, manifestantes seguiram em caminhada em direção à Avenida Radial Leste. A organização estimou que 2 mil pessoas participaram da atividade. De acordo com o movi-mento, mais de 4 mil famí-lias foram cadastradas na ocupação Copa do Povo. O nome foi escolhido em re-ferência aos jogos da Copa do Mundo de Futebol, que ocorreram um mês após a montagem da ocupação, a cerca de quatro quilômetros O trânsito e a poluição do ar de São Paulo po-dem afetar a saúde dos ciclistas que percorrem a cidade? Médicos do Insti-tuto do Coração, ligado à Faculdade de Medicina da USP, tentarão responder a esta pergunta fazendo um levantamento de usuários de bicicleta da capital. A iniciativa depende de ciclistas voluntários que aceitem responder a questionários disponíveis no site do hospital a partir de segunda-feira (1º). O Projeto Pedal tem do Estádio do Corinthians. “Essa desocupação é vo-luntária e vitoriosa. Aqui as famílias fizeram uma luta brava, uma resistência vito-riosa, que culminou em um acordo para que essa saída seja provisória”, comemorou Guilherme Boulos, um dos coordenadores do movi-mento. A expectativa de Boulos é que sejam construídas entre 3 mil e 3,5 mil apar-tamentos na área que tem aproximadamente 150 mil metros quadrados. “Depen-de da aprovação do projeto de engenharia e arquitetura da obra, que já começou a ser feito”, explicou. O empre-endimento será construído por meio do Programa Mi-nha Casa, Minha Vida em parceria com o MTST. Isso foi possível porque a dona do terreno, a empresa Inpar Projeto 47 (Viver Incorpo-radora), se comprometeu a vender a área em uma audiência de conciliação na justiça. O acordo firmado entre a União, os governos estadual e municipal, além da empre-sa e do MTST foi objeto de questionamento pelo Minis-tério Público de São Paulo. No final de julho, uma ação civil pública movida pelo promotor Maurício Ribeiro Lopes, da Promotoria de Justiça de Habitação e Urba-nismo da Capital, disse que o movimento é “oportunista” e tem sido privilegiado pela prefeitura na fila por habita-ção da cidade. Boulos ques-tiona a existência dessa fila. “O movimento trabalha com um programa legal e legítimo que é o Minha Casa, Minha Vida. Muitas familas da ocu-pação estavam cadastradas há 20 anos. O movimento está fazendo a fila andar”, declarou. Os critérios a serem usa-dos para atendimento das famílias são os que já estão definidos no programa fede-ral, como renda familiar de até R$ 1,6 mil, prioridade para mulheres chefes de família, idosos e deficientes. Além desses, o MTST adota o critério de envolvimento dos sem-teto nas atividades do movimento. Estudo vai medir impacto da poluição na saúde de ciclistas de SP como objetivo traçar um perfil dos ciclistas por ida-de, residência, trajetos percorridos e históricos de acidentes de trânsito e de doenças. As informações serão usadas em pesqui-sas sobre a saúde e condi-ção física dos ciclistas pau-listanos. Não há limite de participantes e os nomes e informações pessoais não serão revelados. “A ideia é que possamos conhecer o perfil desses ci-clistas, ver qual é o impacto da poluição na saúde deles e estabelecer os riscos”, afirma o pneumologista do Incor Ubiratan de Paula Santos, coordenador do projeto. Os questionários pode-rão ser atualizados sempre que o participante tiver alguma novidade em seu histórico, seja um acidente de trânsito ou melhora na saúde por causa do hábito de pedalar. À medida que forem agrupadas informações, o Incor poderá selecionar grupos que serão monito-rados com equipamentos para medir a poluição que enfrentam durante suas pedaladas. Poluição Estudos internacionais indicam que, embora o contato contínuo com a poluição possa trazer pro-blemas respiratórios e car-díacos, o hábito de pedalar traz tantos benefícios que compensa a exposição. No Brasil, não há pes-quisa que mostre esse impacto. “O ciclista respira mais vezes por minuto e mais profundamente e, assim, inala mais poluentes. Para uma pessoa saudável, ainda é melhor pedalar com poluição do que ficar sedentária. Mas há estu-dos que sugerem maior risco de crises asmáticas e infarto entre pessoas com problemas respiratórios e cardíacos que pedalam diante da poluição”, diz o pneumologista. O projeto também tem como objetivo incentivar as pedaladas e disseminar informações de segurança para usuários de bicicleta, sejam aqueles que fazem uso da bicicleta diaria-mente ou os que encaram a atividade como lazer, segundo Santos.
  4. 4. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Política Marina Silva visita Casa de Isabel no Itaim Paulista Nesta última quarta-feira (10) Mariana Silva acompanhada por seu candidato a vice, Beto Albu-querque e sua coordenadora de campanha Luiza Erundina visitou a Casa de Isabel, entidade filan-trópica fundada em 2001 pela Advogada Sonia Maurelli para garantir o acesso ao atendimen-to de advogados e terapia para cidadãos pobres e vitimas de violência doméstica e familiar, com prioridade para mulheres e crianças, adolescentes, idosos e pessoas com necessidades especiais, localizada no Itaim Paulista A candidata à Presidência da República, Marina conheceu as dependências da casa, cum-primentou a todos os presentes, conversou com a diretoria da casa de Isabel. Para a candidata, “unidades como essa podem ser espalha-das pelo país inteiro em parceria com o poder público, levan-do atendimento não apenas a mulheres que são vítimas de violência, mas também um tra-tamento que é feito aqui com os agressores, porque a violência é um processo que acontece no seio do núcleo familiar”. Marina disse que é preciso que as mulheres vítimas de violência possam estudar e tra-balhar para ganhar autonomia financeira, serem empoderadas dentro de seus lares e de suas comunidades. Outra demanda identificada por ela no local foi a “moradia digna, que uma grande quantidade delas ainda não conseguiu”. Ela apontou a importância das casas abrigo, porque muitas mulheres correm o O combate ao narcotráfico, com foco no crack, e a neces-sidade de reestruturação do sistema tributário foram alguns dos temas abordados pelo can-didato ao Senado, José Serra (PSDB), em encontro com jornais de bairro da cidade de São Paulo na terça-feira, 9 de setembro. O primeiro suplente José Aníbal, os vereadores Andrea Matarazzo e Adolfo Quintas também acompanha-ram a entrevista coletiva do ex-governador à imprensa re- Zé Gustavo, o único candidato do partido da Marina reúne lideranças na REDE Único candidato a deputado federal da Rede Sustentabilida-de em São Paulo, Zé Gustavo participa de evento com candi-datos estaduais Evento foi organizado por Walter Feldman, ex-deputado e coordenador da campanha de Marina Silva e contou com mais de 100 pessoas Único candidato da Rede Sustentabilidade a disputar uma vaga na Câmara Federal, Zé Gustavo participou na noite de ontem de um encontro com outros candidatos à deputado estadual da Rede e políticos. Evento foi organizado pelo por Walter Feldman, ex-deputado e coordenador nacional da campanha de Marina Silva. O encontro contou com mais de 100 pessoas na sede estadual da Rede Sustentabilidade em São Paulo. Durante o encontro, Feld-man apresentou os candidatos aos convidados e destacou a candidatura de Zé Gustavo, que classificou como “inovadora e necessária”. “O Zé Gustavo representa o novo, essa neces-sidade de renovação na política de que tanto precisamos”, disse Feldman. “Estou aqui dedicado ao debate e a construção de uma nova forma de fazer política. A política foi sequestrada de nós pelas instituições. Precisamos retomar a política e derrubar esse muro que nos separa do Congresso Nacional”, disse Zé Gustavo, em sua fala durante o encontro. Durante sua fala, Zé Gusta-vo também explicou um pouco mais sobre suas bandeiras de campanha, entre elas o chama-do para que a população Ocupe a Política e a sua proposta de nova tecnologia social, a dos Codeputados, que tem como objetivo aproximar a sociedade da política, a proposta de um mandato colaborativo por meio dos codeputados estabelece a participação deles na co-criação de projetos de leis e posiciona-mentos políticos do mandato de Zé Gustavo. Além disso, cada um desses representantes será responsável pela mobilização e articulação em suas redes para se envolverem e participarem como interlocutores junto a uma determinada região ou área temática em que atuam. Além disso, o codeputado representará o mandato do deputado como porta-voz junto à sociedade. A participação é de forma voluntária, ao contrário dos cabos eleitorais e assessores po-líticos, que recebem por isso. Para aderir a esse projeto, a pessoa precisa estar disposta a ser um mobilizador da cam-panha, encampar as bandeiras de luta e estar sintonizado com os posicionamentos políticos da proposta. Siga o Zé Gustavo www.zegustavo.com.br www.facebook.com/zegustavo-favaro Walter Feldman - Coordena-dor Geral da Marina José Anibal - Senador Suplente José Serra participa de encontro com Jornais de Bairro de São Paulo Divaldo Rosa gional, que contou com mais de 50 jornais e revistas da capital. Além da Associação de Jornais de Bairro da Zona Leste e do Sindicato dos Jornais e Revis-tas de Bairro que representam o seguimento. Nesta eleição, São Paulo irá escolher um novo senador para representar o estado em Brasília. Se eleito, Serra tam-bém quer liderar uma grande campanha nacional contra as drogas. “Hoje você abre o jornal, liga o rádio ou a TV e não vê nenhuma campanha do governo federal contra as dro-gas. É um absurdo. Temos que mostrar para os nossos jovens, pessoas que já enfrentaram o vício e conseguiram vencê-lo falando sobre como a droga é destruidora. Destrói vidas e famílias. Se você me perguntar qual é o inimigo público número 1 do Brasil, eu respondo na hora: as drogas - sobretudo, o crack”, afirmou. “Atualmente, 42% da arre-cadação do Governo Federal é feita em São Paulo e apenas 10% voltam para o Estado. Isso tem que mudar,” disse o ex-governador do Estado, José Serra. Outra preocupação é a reforma política. José Serra acredita que o sistema eleitoral precisa ser revisto, e defende o voto distrital como exemplo. “O voto distrital seria aplicado, inicialmente, nas cidades com mais de 200 mil eleitores. Em São Paulo são 55 vereadores, o que daria 55 distritos. Fun-cionaria assim: cada região da cidade formaria um distrito. E cada distrito escolheria um vereador. Ou seja, o vereador não andaria pedindo votos pela cidade inteira. Faria isso apenas no seu bairro. O custo da campanha cairia cinco vezes e o eleitor poderia cobrar o vere-ador, pois estaria mais próximo dele”, explicou. Serra defende ainda uma reformulação na política da Saúde. “O Governo Federal diminuiu os investimentos, por isso as Santas Casas estão em crise. Temos que recuperar os investimentos com urgência.” Ele também defende mais rapidez para a aprovação de novos genéricos: “Quando eu estava no Ministério da Saúde, a gente levava cinco meses para aprovar. Hoje, leva até dois anos e meio! É muito tempo. Vou propor uma lei para que o limite máximo para avaliação seja de seis meses”, declarou o candidato ao Senado pelo PSDB. risco de vida quando denunciam as agreções sofridas. “Nossa proposta é combinar as políticas sociais já existentes do Minha Casa Minha Vida, do Bolsa Família, com outras po-líticas que possam favorecer a profissionalização, a urbanização dos lotes onde essas mulheres vivem. E que a gente possa ter uma política integrada voltada para que elas saiam da situação do risco e da violência.” Na ocasião Marina fez ques-tão de receber a imprensa que lhe aguardava do lado de fora da entidade. Perguntada sobre o resultado das últimas pesquisas divulgados ontem pela CNT- -MDA, após dizer que “reflete o momento dos eleitores que foram entrevistados”, mandou um recado aos adversários: “Gostaria muito que estivessem fazendo o mesmo que nós, tives-sem apresentado um programa para ser debatido, estivessem conversando, dialogando com os diferentes setores da sociedade para enriquecer cada vez mais esse programa, feito a escolha de que não podemos nos conformar de que as crianças continuem sem creche, que se tenha 8 mi-lhões de jovens e adolescentes analfabetos”. Marina, mais uma vez re-lembrou os problemas que a indústria está enfrentando, o desemprego, o insucesso da polí-tica atual de redução da inflação, a política de juros altos, a crise de credibilidade pela qual o país está passando, enfatizando “que aqueles que negam a realidade não se credenciam para corrigir os problemas, porque partem do princípio de que basta ter tempo de televisão para mostrar uma realidade que não combina com a realidade dessas pessoas que a gente encontra no dia a dia, que não são atendidas na saúde, na educação, vivem na violência e não têm a sua casa digna para morar”. Ela comentou também sobre a realização do segundo turno das eleições, afirmando que o povo tem sabedoria e que uma eleição em dois turnos pode es-timular um debate mais profundo e com tempo igual de televisão para todos os partidos. “Eu sinto que há um desejo muito grande de mudança. A sociedade bra-sileira está dando uma grande demonstração de que quem está renovando a política é a própria sociedade. Ela está mostrando para os partidos, para as lideran-ças que não quer mais saber do embate, da fofoca, quer saber do compromisso e avaliar as ideias, as trajetórias. E, em cima disso, vai formar a sua opinião.” Ela lamentou “que estejam sendo vocalizadas mentiras, ampliadas mentiras”. E que isso está perturbando o processo democrático em que o leitor tem direito de, com base na verdade, formar a sua opinião. Sobre a independência do Banco Central, Marina disse que isso sempre foi um consenso desde o Plano Real. “Eu não ouvi nenhum partido dizendo que é contra a autonomia do Banco Central. E o presidente Lula até fez uma carta aos brasileiros dizendo que se comprometia em manter os instrumentos da política macroeconômica do governo Fernando Henrique, a autonomia do Banco Central, a responsabilidade fiscal e o controle da inflação.” Tudo isso, criticou ela, “foi negligenciado no governo da presidente Dilma a tal ponto que hoje a realidade que temos é que a autonomia de fato foi corroída na prática”. Ela afirmou que o Brasil precisa voltar a ter credibilidade. E, para isso, o Banco Central necessita de autonomia. “Não se pode permitir que o Banco Central fique ao sabor dos inte-resses da lógica do poder pelo poder dos grupos políticos para favorecer a sanha de ganhar as eleições em prejuízo do futuro do país. O Banco Central autônomo é para controle da inflação, ad-quirir credibilidade para o país voltar a crescer, para preservar o emprego”. Ao comentar os ataques que vem recebendo dos seus adversários políticos durante a campanha, a candidata finalizou: “Vamos responder a altura apre-sentando as nossas propostas, falando a verdade. Os brasileiros estão cansados da polarização, de não se fazer o debate, mas só o embate, desconstruindo um ao outro. Nós estamos fazendo um esforço muito grande para cons-truir uma vitória programática”.
  5. 5. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Cotidiano Atividade física deve ser recomendada como tratamento e prevenção de doenças Apesar de a prática de exercício físico regular trazer inúmeros benefí-cios à saúde e ser um dos métodos preventivos mais eficientes contra muitas doenças, segundo a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), o sedentaris-mo é uma das principais causas das 300 mil mortes anuais por doenças cardí-acas do país. Para o cardiologista e médico do esporte Daniel Kopiler, a atividade física deveria ser recomendada como medicação. “O maior desafio é tornar a atividade física uma prioridade para melhorar a saúde da popu-lação e reduzir os riscos de doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, entre outras”, defende. De acordo com o espe-cialista, “o exercício físico diminui em cerca de 30% os riscos de desenvolver doença coronariana, e reduz aproximadamen-te em 50% os riscos de ‘Baile Black Brother’ relembra sucessos dos anos 70 e 80 Relembrando os ‘Bai-les Black’ que eternizaram artistas como Ray Charles, Stevie Wonder, Tim Maia e Jorge Bem, evento conta com discotecagem moderna e resgata clima dos bailes que marcaram época! As Fábricas de Cultura terão um evento especial no mês de Setembro que promete ar nostálgico para quem curtia grandes Bailes Black, com a energia con-tagiante dos passinhos ao som de Soul, Funk e Samba Rock dos anos 70 e 80. Com apresentação de banda, discotecagem no início e fim do evento e apresentação especial do cantor Kaion, filho de Carlos Alexandre Rodrigues – antigo mem-bro da banda “Pau-Brasil”, sucesso dos anos 70 e 80 -, serão atrações que irão contagiar o público amante do estilo musical. A discote-cagem ficará por conta do DJ Kool, que selecionará grandes clássicos das pistas para ninguém ficar parado. A atração especial do evento, o cantor Kaion se apresenta ao público através de uma linguagem de música atual, mas que resgata o clima da época dos bailes blacks. Formado em música pela Faculdade paulista de Artes, o cantor já trabalhou ao lado de cantores consagrados como Emicida, MV Bill, Rap-pin Hood, Thaíde e DJ Hum. Kaion busca a musicalidade brasileira com inflluências da Black Music de raiz, para proporcionar bons momen-tos a todos seus ouvintes. Os bailes acontecerão em todas as unidades da Zona Leste das Fábricas de Cultu-ra neste mês de Setembro. O primeiro baile será na Fábrica de Itaim Paulista, no dia 06. Na semana seguinte, a Fábrica de Sapopemba realiza o Baile Black Brother no dia 13. Já no dia 20 será a vez da Fábrica de Vila Curuçá promover o baile. Na Fábrica Pq. Belém os amantes da música black contarão com o evento no dia 21 e encerrando o ciclo de apresentações, A Fábrica Cidade Tiradentes promove o Baile Black Brother no dia 27. Todos os encontros culturais serão gratuitos e terão cerca de 2 horas de duração. A faixa etária é livre para todos os públicos e serão distribuídos gratui-tamente 290 ingressos na recepção das Fábricas de Cultura uma hora antes das apresentações. SERVIÇO Fábrica de Cultura Vila Curuçá Baile Black Brother Dia: 20 de setembro Horário: a partir das 19h Endereço: Rua Pedra Dou-rada nº65 (Jd.Robru) Tel: (11) 2016-3316 Horário de funcionamento: terça a sexta das 9h às 21h Sábados das 10h00 às 21h00 e Domingos das 10h00 às 17h00 Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes Baile Black Brother Dia: 27 de setembro Horário: a partir das 19h Endereço: Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 hipertensão”. Segundo Kopiler, um levantamento realizado com cardiolo-gistas nos EUA mostrou que apenas 15 em cada 100 médicos reforçavam voluntariamente a impor-tância da atividade física para seus pacientes em reabilitação cardíaca. “Há muitas pesquisas sobre novos medicamentos, mas o melhor deles, o mais antigo e democrático, tem sido preterido. Todos os profissionais de saúde de-veriam recomendar ativida-de física para tratamento e prevenção de doenças”, recomenda. Um estudo realizado em 2002 pelo pesquisador Jonathan Myers (Universi-dade Stanford, EUA) com-parou a aptidão física entre homens até 70 anos com e sem doença cardiovascu-lar. As pessoas sem doen-ça cardiovascular que não tinham preparo físico ade-quado apresentaram risco de mortalidade duas vezes maior do que o grupo que ti-nha doença cardiovascular e ótimo preparo físico. “Há outros estudos comparan-do pessoas apenas com hipertensão e hipertensos com outros fatores de risco, como diabetes e colesterol elevado. Os resultados mostra-ram que os com melhor preparo físico conseguiram diminuir o impacto dos outros fatores de risco”, conta Kopiler. Segundo um estudo de 2012, liderado por I-Min Lee, na América Latina, o estilo de vida se-dentário é responsável por 11,4% de todas as mortes por doenças como diabe-tes, problemas cardíacos e câncer de mama e do có-lon. busca por alternativas para estimular a população a ter uma vida mais ativa será discutida por profissio-nais de saúde da América Latina na Série Científica Latino-Americana 2014, em Buenos Aires, nos dias 11 e 12 de setembro
  6. 6. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Variedades Jô Soares volta a gravar o “Programa do JÔ” De volta ao ‘Programa do Jô”, apresentador brincou com as mentiras inventadas a seu respeito durante internação Se ainda havia alguma dú-vida sobre a recuperação do apresentador Jô Soares, que passou cerca de um mês inter-nado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, nesta segunda- -feira (8) ela foi esclarecida. De volta à Rede Globo para gravar seu primeiro Programa do Jô desde que recebeu alta, o humorista aproveitou a grava-ção para agradecer o carinho que recebeu dos fãs e fazer piada com os boatos sobre a sua morte. 1. “Vale a pena morrer só pra ver isso” Emocionado com as de-monstrações de carinho que recebeu enquanto estava in-ternado. “Eu recebi um banho de carinho. Foram mais de 3 Médica explica conse-quências e alerta para uso rotineiro de cosméticos nos filhos Muitas crianças experi-mentam as makes dos adul-tos e começam a ganhar esses cosméticos de pre-sente. Mas o uso desses produtos pode colocar a saúde dos filhos em risco, segundo a doutora Martha Shimizu, da Equipe de Der-matologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Mas afinal, qual mulher nunca colocou o sapato de salto da mãe? As bijuterias? Ou até a maquiagem? O sentimento de admiração ao verem as mães se arrumando para o trabalho ou para uma festa é comum. A mãe vira um ponto de referência da vida adulta e vaidade. Confira a seguir o que pode e o que não pode. Com que idade a criança pode começar a usar ma-quiagem? É difícil determinarmos uma idade a partir da qual a Pesquisa também mostrou que as mulheres conseguem descansar mais do que os homens durante as viagens a lazer Não há melhor momento para se desligar do trabalho e descansar do que as férias, mas uma pesquisa aponta que mais da metade das pessoas Devido a grande procura, o Museu da Imagem e do Som (MIS) estendeu o prazo de visitação da mostra sobre o Castelo Rá-Tim-Bum. Agora, até 16 de novembro, fãs do programa poderão ver peças do acervo, fotografias e figu-rinos dos personagens. Junto com a retrospectiva de Yayoi Kusama, a exposi-ção sobre o Castelo Rá-Tim- -Bum é uma das grandes atrações do ano. Em 45 dias, a mostra recebeu cerca de 90 mil visitantes. Para se ter uma ideia, o público da final da Copa, no Maracanã, foi de 74.738 torcedores. A mostra foi concebida pela equipe do MIS, com apoio da TV Cultura. Foi divida em duas partes. Na primeira, estão objetos de mil mensagens, desejando a minha recuperação”, lembrou o apresentador. Depois de agra-decer o sexteto e seus teles-pectadores, Jô brincou, dizendo que valeria a pena morrer para sentir o quanto é querido. 2. “Minha internação rende-ria um livro” Divertindo-se com a quan-tidade de boatos que surgiram sobre seu diagnóstico, Jô citou uma série de doenças que te-riam sido atribuídas a ele, como “ espinhela caída, andaço, dor incausada, quebranto e beribé-ri”. Tudo menos a verdadeira, pneumonia, que ele fez questão de explicar que é curada com o uso de antibiótico. 3. “Só uma pessoa não se manifestou, a Dona Lúcia, do Felipão e do Parreira” Como esquecer a cartinha enviada pela Dona Lúcia ao ex-técnico da Seleção Brasi-leira depois do vexame contra a Alemanha durante a Copa? Jô aproveitou a piada pronta para dizer que sentiu falta de uma mensagem da “brasileira anônima”, que se dizia não muito conhecera de futebol, mas profunda admiradora da integridade e competência de Luiz Felipe Scolari. “Tudo vai passar e ficará bem”, diria a senhora. “Disseram que eu tive uma parada cardíaca depois da morte” Mais uma das notícias fal-sas e absurdas serviu de piada para Jô. “Entre todas as doen-ças que me atribuíram, teve uma que, com certeza, ganhou o prêmio de originalidade: disseram que eu havia sofrido uma parada cardíaca depois de morto. Quer dizer, virei zumbi”, brincou o apresentador, que ainda imitou um morto-vivo. 5. “Só espero que meu obi-tuário seja solto em 20 anos” Entre as falsas notícias que saíram a seu respeito, Jô ponderou pelo menos alguns obituários traziam belos textos sobre sua carreira. No entanto, ele espera que o público se emocione com sua trajetória só daqui duas décadas. 6. Pelo menos um café “Um repórter ligou para o Dráuzio perguntando se valia a pena mandar equipe para cobrir minha saída do hospital. Ele disse que sim, e que tinha um botequim servia um café ótimo atrás do hospital. Eu já estava em casa”, ainda brincou o apre-sentador, que na ocasião havia saído pela porta dos fundos do Sírio-Libanês, sem atrair aten-ção dos carros de emissoras estacionados na porta principal. Museu da Imagem e do Som SP prorroga exposição Mesmo em férias, 52% das pessoas checam e-mails do trabalho cenas, trechos consagrados do programa, como o do rati-nho que se lavava ao som de “Lavar as mãos”. Na segunda parte, dez ambientes foram recriados. O visitante pode então, adentrar ao saguão e a biblioteca do Castelo. Museu da Imagem e do Som (MIS) - Av. Europa, 158 - Pinheiros, São Paulo Terça-feira à sexta-feira: 12h às 21h; sábado: 10h às 22h e domingos e feriados: 10h às 20h. R$ 30, 00 (inteira), R$ 15,00 (meia). 16/07/2014 a 16/11/2014 verifica ou troca e-mails profis-sionais durante uma viagem a lazer. Dados de uma agência turística mostram que 52% das pessoas checam os e-mails relacionados ao trabalho e 26% respondem às mensagens mesmo durante as férias. Quando o assunto foi des-canso, as mulheres mostraram que conseguem aproveitar mais do que os homens, já que 54% das entrevistadas não chegam nem perto dos e-mails profissionais nas férias, en-quanto apenas 42% do público masculino têm o mesmo hábito. O levantamento, que con-tou com 1 mil trabalhadores de escritório no Reino Unido, mostrou também que 70% das mulheres se incomodam quando o parceiro tem esse costume, enquanto 58% dos homens reclamam quando viajam com alguém que não consegue se desligar dos as-suntos profissionais. Além disso, 44% dos en-trevistados com idade entre 35 e 44 anos conseguiam desapegar das mensagens pro-fissionais nas férias, mas esse número caiu para 29% quando se tratava do público com idade entre 45 e 54 anos. Cuidado! Maquiagem em crianças pode causar danos à pele criança pode usar maquia-gem. Nesta época a pele é mais seca, pela menor pro-dução hormonal, e também mais fina, sendo, por isso, mais sensível, absorvendo com facilidade os produtos nela utilizados. Portanto, recomendamos que se evite o uso rotineiro de produtos cosméticos em crianças. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) lançou novas regras para cosméti-cos infantis e alguns deles até podem ser usados a partir dos três anos, desde que aplicados por um adulto. No entanto, as crianças peque-nas não têm entendimento suficiente para utilizar tais produtos e podem ingeri-los, ou esfregar os olhos, causan-do alergias ou consequências mais sérias. Se começar a usar antes da hora, o que pode acon-tecer? A pele da criança é fina e delicada, absorvendo com fa-cilidade os produtos químicos presentes nos cosméticos. Assim podem ocorrer aler-gias e irritação da pele em alguns casos. A maquiagem pode conter corantes, con-servantes e aromatizantes artificiais, fixadores e álcool, que podem irritar a pele e causar processos alérgicos. Os pais devem ler a com-posição do produto? Os pais devem estar aten-tos, precisam verificar princi-palmente se os produtos são hipoalergênicos, se foram testados e aprovados pela Anvisa para uso infantil e se a composição dos mesmos é livre de álcool. Existe maquiagem própria para criança? Existem maquiagens tes-tadas pela Anvisa quanto à toxicidade e liberadas para uso infantil. Estas informa-ções se encontram nas em-balagens dos produtos. É correto remover a ma-quiagem com demaquilante ou existe uma maneira mais eficaz? A maquiagem infantil deve ser livre de álcool e facilmen-te removível com água.
  7. 7. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Mulher Rede Hora Certa Móvel em Guaianases realiza uma média de 7.000 exames por mês O prefeito Fernando Ha-ddad visitou na manhã desta quinta-feira (4) as instalações do Hora Certa Móvel, instala-do desde maio junto ao CEU Jambeiro, em Guaianases. Desde que iniciou o atendi-mento no bairro até a primeira quinzena de agosto, a unida-de realizou 21.551 exames, o equivalente a uma média de 7.000 exames por mês. “Nós ainda temos fila de consulta, mas a fila de exa-mes está caindo drasticamen-te. A fila de exames já está controlada em São Paulo. Se as pessoas não faltarem, essa fila vai diminuir ainda mais”, disse o prefeito. De acordo com os dados da Secretaria Municipal da Saúde, entre 12 de maio e 20 de agosto, 7.805 pacientes não compareceram na uni-dade, mesmo diante do aviso antecipado feito pelo call cen-ter da equipe do Hora Certa. Entre os exames oferecidos pela unidade móvel, estão os de colonoscopia, endos-copia, eletroneuromiografia, ultrassom, nasofibroscopia e ecocardiograma. A dona de casa Kátia Sirlene, 45, realizou nesta manhã um exame de naso-fibroscopia, necessário para o tratamento da rinite crônica que possui. Entre a sua pas-sagem pela UBS da região e a realização do exame, passaram-se apenas 20 dias. “O encaminhamento foi bem rápido. Além disso, como te-mos hora marcada aqui, mal precisamos esperar. Cheguei e em menos de 20 minutos fui atendida”, disse.
  8. 8. 1ª QUINZENA DE setembro de 2014 Mulher

×