Análise de óleo

1.358 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.358
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise de óleo

  1. 1. Análise de ÓleoFerrografia
  2. 2. • O uso da análise de óleo como técnica de manutenção começou a ser aplicada na década 50.• A análise de óleo é aplicada como técnica de manutenção para os sistemas de lubrificação, sistemas hidráulicos e equipamentos elétricos e pode ser utilizada para a avaliação das condições do equipamento.• As principais técnicas disponíveis são: espectrometria e ferrografia.INTRODUÇÃO
  3. 3. • A ferrografia é uma técnica de avaliação das condições de desgaste dos componentes de uma máquina por meio da quantificação e observação das partículas em suspensão no lubrificante.FERROGRAFIA
  4. 4. • Toda máquina se desgasta antes de falhar.• O desgaste gera partículas.• A quantidade e o tamanho das partículas são diretamente proporcionais à severidade do desgaste.• Os componentes de máquinas que sofrem atrito normalmente são lubrificados e assim as partículas resultantes do desgaste ficam em suspensão no lubrificante durante algum tempo.• Como as máquinas e seus componentes são feitos de ligas de ferro parte das partículas encontradas nos lubrificantes são provenientes dessas ligas.PRINCÍPIOS BÁSICOS DAFERROGRAFIA
  5. 5. • FerrógrafoPROCEDIMENTOS
  6. 6. • Esquema de deposição do fluido e das partículas sobre o vidroPROCEDIMENTOS
  7. 7. • Lâmina preparadaPROCEDIMENTOS
  8. 8. • Com a evolução do ferrógrafo, chegou-se ao ferrógrafo de leitura direta, que permite quantificar as partículas grandes e pequenas de modo rápido e objetivo.FERROGRAFIAQUANTITATIVA
  9. 9. • Esquema do Ferrógrafo de leitura diretaFERROGRAFIAQUANTITATIVA
  10. 10. • A identificação das causas de desgaste é feita por meio do exame visual da morfologia, cor das partículas, verificação de tamanhos, distribuição e concentração no ferrograma.FERROGRAFIA ANALÍTICA
  11. 11. CLASSIFICAÇÃO DAS CAUSAS PARTÍCULAS Ferrosas Esfoliação; corte por abrasão; fadiga de rolamento; arrastamento; desgaste severo por deslizamento. Não-ferrosas Metais brancos; ligas de cobre; ligas de metal patente ou antifricção. Óxidos de ferro Óxidos vermelhos; óxidos escuros; metais oxidados escuros. Produtos da degradação Corrosão; polímeros de fricção. do lubrificante Contaminantes Poeira de estrada; pó de carvão; asbesto; material de filtro; flocos de carbono.FERROGRAFIA ANALÍTICA
  12. 12. • FerrogramaFERROGRAFIA ANALÍTICA
  13. 13. • Para se ter um óleo ideal para análise, deve-se conhecer os pontos indicados do equipamento a se fazer a coleta.• As partículas que interessam para análise devem ser aquelas recém produzidas.• São necessários pelo menos 100 ml de amostra.COLETA DO ÓLEO PARAANÁLISE
  14. 14. • Procedimentos em uma máquina com válvula de coleta• Bomba de coleta• Coleta com lubrificante em constante agitaçãoMÉTODOS DE COLETA

×