Psicopatologia da Infância e Adolescência

4.378 visualizações

Publicada em

Introdução à Psicopatologia da Infância e Adolescência. Transtornos mentais que podem iniciar na infância, nova classificação pelo DSM-5.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.378
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
402
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicopatologia da Infância e Adolescência

  1. 1. Psicopatologia da Infância e Adolescência Dra. Claudia Paola Carrasco Aguilar Psiquiatra - ABP Médica de Família e Comunidade CRM 15022
  2. 2. Psicopatologia
  3. 3. "A criança chega ao médico pelo encaminhamento escolar (ou familiar) a partir de duas queixas básicas: déficit de aprendizado ou alterações de conduta. Nenhuma delas aponta, obrigatoriamente, para a presença de psicopatologia infantil." Psiquiatria, Associação Brasileira de. PROPSIQ Ciclo 2 Volume 1. SEMCAD, 10/2012. <vbk:223744260201#page(87)>.
  4. 4. Onde pode estar o problema? Criança • Doenças clínicas; • Transtornos mentais; Família • Disfuncional; • Negligência, maus tratos; Escola • Adequação.
  5. 5. Como identificar?
  6. 6. O Normal e o Patológico • Ausência de doença; • Ideal; • Estatística; • Bem estar (WHO); • Funcional; • Processo; • Subjetiva; • Liberdade; • Operacional;
  7. 7. "O psiquiatra só pode conceber e investigar o que se nos tornou objetivo. A alma não é de forma nenhuma objeto, torna-se objeto através daquilo em que ela se mostra perceptível no mundo: fenômenos somáticos concomitantes, nas expressões inteligíveis, no comportamento, nas ações. ” (Dalgalarrondo, 2011)
  8. 8. Diagnóstico Psicopatológico O diagnóstico psicopatológico repousa na totalidade dos dados clínicos, momentâneos (exame psíquico) e evolutivos (anamnese, história dos sintomas e evolução dos transtornos). É essa totalidade clínica que, detectada, avaliada e interpretada com conhecimento (teórico e científico) e habilidade (clínica e intuitiva) conduzem ao diagnóstico psicopatológico.
  9. 9. Entrevista “A primeira impressão tem o seu valor próprio e dificilmente poderá ser recapturada em ocasiões posteriores...” (Mayer-Gross, Slater e Roth, 1976).
  10. 10. Avaliação da Criança
  11. 11. E a avaliação da criança?
  12. 12. Importante considerar Os sintomas podem ser confundidos facilmente com o desenvolvimento normal; Extremamente sensíveis a interferências do ambiente;
  13. 13. Desenvolvimento Normal da Criança Fatores determinantes Genéticos Ambientais Nutricionais Atividade física Neuroendócrinos
  14. 14. Desenvolvimento Cerebral
  15. 15. “A criança não é um adulto em miniatura e a doença não deve ser privilegiada em detrimento do indivíduo” (ASSUMPÇÃO, 2012) É importante lembrar que… Aliviar o sofrimento da criança é infinitamente mais importante do que insistir em enquadrá-la em algum transtorno.
  16. 16. Transtornos Mentais na Infância e Adolescência São frequentes: (20%, segundo OMS); São graves: suicídio é a terceira causa de morte entre os adolescentes.
  17. 17. Idade e Sexo A prevalência de transtornos mentais aumenta com a idade; Transtornos externalizantes são mais comuns em meninos e transtornos internalizantes mais comuns em meninas; Início precoce é fator prognóstico de problemas crônicos e graves na adolescência e idade adulta.
  18. 18. Comorbidades 38 – 68% com pelo menos 1 comorbidade Homotípica: comorbidades entre transtornos do mesmo agrupamento diagnóstico (ex: TAG e Pânico) Heterotípica: comorbidade entre transtornos de agrupamentos diferentes (ex: depressão e TC)
  19. 19. Transtornos Mentais na Infância e Adolescência – DSM 5 • T. do Neurodesenvolvimento; • T. Motores; • Espectro da Esquizofrenia e outros T. Psicóticos; • T. Bipolar e T. relacionados; • T. Depressivos; • Transtornos da Ansiedade;
  20. 20. Transtornos Mentais na Infância e Adolescência – DSM 5 • T. Obsessivo Compulsivo e T. relacionados; • T. Relacionados a Trauma e a Estressores; • T. Dissociativos; • T. Sintomas Somáticos e T. Relacionados;
  21. 21. Transtornos Mentais na Infância e Adolescência – DSM 5 • T. Alimentares; • T. Eliminação; • T. Sono-Vigília; • Disfunções Sexuais; • Disforia de Gênero;
  22. 22. Transtornos Mentais na Infância e Adolescência – DSM 5 • T. Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta; • T. Relacionados a Substâncias e T. Aditivos.
  23. 23. Transtornos do Neurodesenvolvimento Deficiências Intelectuais Transtornos da Comunicação Transtorno do Espectro Autista
  24. 24. Transtornos do Neurodesenvolvimento Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) Transtorno Específico da Aprendizagem
  25. 25. Déficit Intelectual ■Habilidades intelectuais abaixo da média 1 a 2% da população; M>F Leve: QI entre 50 e 70 (85%) Moderada: QI entre 35 e 49(10%) Grave: QI entre 20 e 34 Profunda: QI abaixo de 20
  26. 26. Transtornos da Comunicação • T. Linguagem • T. Fala • T. Fluência com Início na Infância • T. Comunicação Social • T. Comunicação NE
  27. 27. Transtornos do Espectro Autista 1:68 Maior em meninos Detecção precoce Interação Social Comunicação Interesses restritos
  28. 28. Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) 2 a 5 % Atenção Hiperatividade Impulsividade
  29. 29. Transtorno Específico da Aprendizagem ■ Com prejuízo na leitura: • Dislexia; ■ Com prejuízo na expressão escrita: • Disortografia; ■ Com prejuízo na matemática • Discalculia;
  30. 30. Dislexia “O cachorro fugiu. A dona foi procurar, mas não encontrou.” “O cajorro vugiu. A doma foi pocurar, mas não encontou.” “O cachoco fugio. A poua voi porcurar, mas não encontorl.
  31. 31. Disortografia
  32. 32. Discalculia
  33. 33. Transtornos Motores • Transtorno do Desenvolvimento da Coordenação • Transtorno do Movimento Estereotipado • Transtorno de Tique
  34. 34. Tiques Motores; Vocais; S. Tourette Culpa Baixa autoestima Suporte emocional Reduzir o estresse Reduzir o bullying Medicação
  35. 35. Espectro da Esquizofrenia
  36. 36. Espectro da Esquizofrenia e outros T. Psicóticos Esquizofrenia; Transtorno Psicótico Breve; Pensamento desagregado Delírios Alucinações Visuais Auditivas
  37. 37. T. Bipolar e T. relacionados TAB Distimia
  38. 38. Transtorno de Humor Bipolar 0,5 %, M > F Mudanças súbitas de humor Diculdade nos relacionamentos
  39. 39. Transtorno de Humor Bipolar Hipersexualidade Grandiosidade Pensamento e fala acelerados Necessidade de aparecer Irritabilidade explosiva
  40. 40. T. Bipolar e T. relacionados
  41. 41. Depressão 1 % Pré escolar, 2% Escolar e 6% Adolescentes! 70% sem dx e tx! Tristeza Isolamento Falta de motivação Queixas físicas Sentimentos de culpa Irritabilidade Pensamentos recorrentes de morte
  42. 42. Transtornos da Ansiedade Fobias Específicas e Fobia Social Ataques de Pânico Síndrome do Pânico Transtorno Obsessivo-Compulsivo Transtorno de Ansiedade Generalizada Transtorno de Estresse Pós-Traumático Ansiedade de separação
  43. 43. TA’s 8 a 12% História familiar Psicoterapia – TCC
  44. 44. Fobia Fobias simples com inicio antes dos 20 anos, geralmente melhoram espontaneamente.
  45. 45. Fobia Social Raramente incapacitante Mais comum em meninos Evolução crônica Mais frequente após a puberdade Alto índice de comorbidade, inclusive depressão e abuso de substâncias (Hovens, 1994) Maior relação com a fobia social do adulto do que com outros quadros de ansiedade
  46. 46. Transtorno De Ansiedade Generalizada Preocupação excessiva, com prejuízo funcional, em vários aspectos como segurança pessoal, interação social, eventos futuros e passados Sintomas físicos com frequência estão associados ( cefaléia, dor de estômago) Prevalência entre 2 e 4% Mais comum em meninas
  47. 47. Ansiedade De Separação 3 e 5% Entre 7 e 9 anos Ansiedade excessiva e inapropriada quando separada dos pais ou longe de casa 50% das crianças apresentam comorbidade psiquiátrica
  48. 48. Ansiedade De Separação Relação com Síndrome do Pânico no adulto; Atitude dos pais é fundamental para o alívio ou piora dos sintomas
  49. 49. Síndrome Do Pânico 0,7% F e 0,4% M Recorrência inesperada de ataques de pânico, durante pelo menos um mês Pode vir acompanhado de agorafobia Início entre 3 anos e adolescência Hx familiar Pronto Socorro
  50. 50. Transtorno Obsessivo-compulsivo 2,8 a 4% Com frequência traz grandes prejuízos no desempenho escolar, vida social, familiar Tempo médio entre o início dos sintomas e diagnóstico: até 10 anos!
  51. 51. Transtorno Obsessivo-compulsivo Início dos sintomas ente 9 e 12 anos Paciente tem critica e vergonha em relação aos sintomas Característica familiar
  52. 52. Transtorno De Estresse Pós - Traumático Após exposição ao estressor Exemplos: ataques de animais, assaltos, cenas de violência, relatos de casos de agressividade Sintomas podem ser agudos ou crônicos
  53. 53. Transtorno De Estresse Pós - Traumático Início tardio quando os sintomas iniciam após 6 meses do evento traumático Pode estar camuflado a outros sintomas de ansiedade
  54. 54. T. Dissociativos
  55. 55. T. Sintomas Somáticos e T. Relacionados T. sintoma somático; T. ansioso da doença; T. conversivo (transtorno do sintoma neurológico funcional); Fatores psicológicos que afetam outras condições médicas; Transtorno factício;
  56. 56. Transtornos Alimentares Anorexia 0,5 a 4 % F 5 a 15% morrem! Distorção imagem corporal. Tratamento Multi disciplinar
  57. 57. Bulimia 1 a 4,2% F Compulsão Purgação Culpa
  58. 58. Transtorno do Comer Compulsivo 2,5% Compulsão Culpa TCCN Responde bem à medicação
  59. 59. T. Eliminação
  60. 60. T. Sono-Vigília
  61. 61. Disfunções Sexuais
  62. 62. Disforia de Gênero
  63. 63. T. Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta
  64. 64. Transtorno Opositor Desafiante 6%, M>F Padrão recorrente de comportamento negativista, desafiador, desobediente e hostil para com figuras de autoridade, que persiste por pelo menos 6 meses. Comorbidade
  65. 65. Transtorno Opositor Desafiante perder a paciência discutir com adultos desafiar ativamente recusar-se a obedecer a solicitações ou regras dos adultos deliberadamente fazer coisas que aborrecem outras pessoas
  66. 66. Transtorno Opositor Desafiante responsabilizar outras pessoas por seus próprios erros ser suscetível ou facilmente aborrecido pelos outros Enraivecido, ressentido, rancoroso ou vingativo
  67. 67. Transtornos de Conduta Desrespeitam os direitos básicos dos outros, tais como integridade física e a propriedade (mentiras, fuga de casa, roubo, crueldade com animais e pessoas, ausências não autorizadas da escola, abuso sexual).
  68. 68. TOD e TC Importância das regras Imponha limites Castigo x Consequências Ordens simples Não discutir ou ameaçar Reforçar bom comportamento Identificar talentos Ignorar comportamentos impróprios
  69. 69. T. Relacionados a Substâncias e T. Aditivos
  70. 70. Idade de primeiro consumo 12,5+2,1 12,8+2,1 13,1+2,2 13,4+2,2 13,4+2,4 13,5+2,1 13,8+2,2 13,9+1,8 14,4+2,0 11,5 12 12,5 13 13,5 14 14,5 15 Álcool Tabaco Solventes Anfetamínicos An colinérgicos Ansiolí cos Crack Maconha Cocaína

×