Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 06 fameg processos

1.090 visualizações

Publicada em

Qualidade; Controle; Estruturação; Feigenbaun; Controle da Qualidade; Gestão da Qualidade; Administração da Qualidade

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.090
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 06 fameg processos

  1. 1. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 1 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton UNIASSELVI – FAMEG Fevereiro de 2013 Prof. Claudio Bernardi Stringari Guaramirim, 13 de Março de 2013. GESTÃO DA QUALIDADE DO PRODUTO E PROCESSO http://www.texwrap.com/
  2. 2. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 2 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Conteúdo 1. CONCEITOS DE CONTROLE DA QUALIDADE 1.1 Qualidade e controle da qualidade 1.2 A organização da qualidade 1.3 Princípios de Organização para a qualidade 1.4 As subfunções do controle da qualidade 2. APLICAÇÃO DO CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL 2.1 Função controle da qualidade. 2.2 Garantia ou controle da qualidade. 3. PROCESSO E CONTROLE DO PROCESSO 3.1 Ciclo de controle do processo - PDCA 3.2 Ciclo de manutenção do processo - SDCA 3.3 Controle do processo por meio de indicadores 3.4 Itens de controle e de verificação do processo 3.5 Gerenciamento pelas diretrizes e BSC
  3. 3. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 3 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Conteúdo 4. CONTROLE DO PRODUTO 4.1 Inspeção e ensaio na produção 4.2 Análises de produto (produção piloto, material recebido, garantia da qualidade, ensaio da produção, variação do processo, refugo e retrabalho, etc.) 4.3 Auditoria da qualidade (auditoria de produto, de procedimentos, do sistema da qualidade, de outras áreas da qualidade, etc.) 5. SISTEMAS DE GESTÃO 5.1 da Qualidade. 5.2 do Meio Ambiente CARGA HORÁRIA TOTAL EM SALA: 48 Horas
  4. 4. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 4 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton 2 Aplicação do Controle da Qualidade Industrial
  5. 5. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 5 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Função Controle da Qualidade • São dois os princípios fundamentais da organização para a qualidade: – A qualidade pode ser atribuída a todas; – Como a qualidade é tarefa de todos, pode tornar-se tarefa de ninguém!
  6. 6. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 6 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Segundo Princípio – Responsabilidade e Autoridade Fundamentais para a Qualidade • Três são as responsabilidades da qualidade na organização: – Responsabilidade pelos negócios; – Responsabilidade pelos sistemas; – Responsabilidade técnica. • O conjunto das três responsabilidades mostram uma função qualidade muito mais proativa e abrangente;
  7. 7. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 7 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Estruturando a organização para a qualidade...
  8. 8. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 8 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Estruturando para a qualidade • A estrutura organizacional para a qualidade deve estar documentada de forma nítida e específica; • O responsável por esta divulgação é a alta direção da empresa; • A forma mais comum de visualizar esta estrutura é por meio de um manual da qualidade.
  9. 9. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 9 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Para que serve a estruturação formal pro meio de documentos? • Para que todos os envolvidos entendam claramente: – Sua responsabilidade com os resultados específicos da qualidade perante o consumidor; – A forma pela qual estes resultados serão medidos e controlados; – Como funciona a interação entre as áreas principais do trabalho em equipe e a relação entre os diversos colaboradores e grupos eu deverão trabalhar para solucionar problemas do sistema de gestão da qualidade.
  10. 10. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 10 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton As subfunções da qualidade • São três: – Engenharia da qualidade – Engenharia de controle do processo – Engenharia de equipamentos de informática para a qualidade
  11. 11. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 11 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Gerência da Qualidade Engenharia da Qualidade Engenharia do Equipamento de Informática para a qualidade Engenharia de controle de processo Inspeção e Ensaios As subfunções da qualidade Nível de negócios Nível de sistemas Nível técnico Segundo Princípio – Responsabilidade e Autoridade Fundamentais para a Qualidade!
  12. 12. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 12 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Organizando para a qualidade! • As empresas não são todas iguais! • Existem variações quanto à: – Produtos – História – Mercados – Cultura • Portanto, é importante variar o modelo descrito no slide anterior!
  13. 13. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 13 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Organizando para a qualidade! • Como se organizar para a qualidade? • Devemos centralizar ou descentralizar a função qualidade? • A quem a qualidade deverá se reportar? • Devo separar garantia da qualidade do controle da qualidade? Não deveria ser gestão da qualidade?
  14. 14. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 14 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Organizando para a qualidade! • Posso seguir seis etapas para planejar qualquer estrutura confiável da organização para o controle da qualidade!
  15. 15. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 15 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Seis etapas do planejamento da qualidade de Feigenbaum! • 1 Definir os propósitos da qualidade • 2 Definir objetivos (mensuráveis) da qualidade • 3 Identificar atividade básicas e classificá-las
  16. 16. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 16 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Seis etapas do planejamento da qualidade de Feigenbaum! • 4 combinar estas etapas em definições de função que passem no teste das sete perguntas: – O cargo compreende campo lógico e isolado de responsabilidade? – O cargo é perfeitamente definido segundo escopo, propósito, objetivos e resultados a serem atingidos? – Um colaborador qualquer pode ser considerado responsável e conhecer as regras pelas quais é julgado? – As funções estão correlacionadas e possuem afinidade? – Possui autoridade correspondente à sua responsabilidade? (instrumento para obter resultados) – O cargo pode manter relações fáceis e harmoniosas com outros cargos na organização? – É possível que o número de pessoas se reportam ao portador da posição sejam genuinamente supervisionadas?
  17. 17. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 17 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Seis etapas do planejamento da qualidade de Feigenbaum! • 5 Consolidar as funções definidas num componente ou componentes da organização que se ajustem de forma adequada às exigências específicas da empresa. • 6 Posicionar o componente definido no segmento apropriado da organização da empresa, para que atinja seus objetivos com o máximo de eficiência e o mínimo de atrito.
  18. 18. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 18 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Questões fundamentais para a organização da estrutura • A função da qualidade deveria ser centralizada ou descentralizada? • Como o componente da qualidade poderia ser estruturado? • A função controle da qualidade propriamente dita deve ser centralizada ou descentralizada: garantia, gestão ou controle da qualidade?
  19. 19. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 19 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Descentralizar ou não descentralizar, eis a questão!
  20. 20. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 20 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Antes de tudo, é preciso entender que: • Existem elementos de trabalho para a qualidade fixos e variáveis. • Elementos Fixos: Sempre retidos dentro da subfunção qualidade • Elementos variáveis: que podem ser descentralizados para componentes da produção.
  21. 21. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 21 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Elementos Fixos... • Função engenharia da qualidade: – Objetivos da Qualidade. – Definição da qualidade na fase de pré-produção, incluindo confiabilidade, segurança e características associadas da qualidade. – Prescrever o plano de controle da qualidade: onde, quando, quem, como e quanto inspecionar e ensaiar, por exemplo. – Análise do custo da qualidade. – Treinamento em controle da qualidade. – Realimentação da informação sobre qualidade. – Diagnóstico dos problemas na qualidade .
  22. 22. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 22 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Elementos Fixos... • Função Engenharia do Equipamento da Informática da Qualidade: – Projetar e fornecer equipamento da informação da qualidade, – Mecanização e automação do equipamento de medição da qualidade. – Desenvolvimento da medição .
  23. 23. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 23 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Elementos Fixos... • Engenharia de Controle do Processo: – Interpretar e implementar o plano de controle da qualidade. – Auditoria da qualidade. – Estudos de capacidade do processo. – Manutenção de equipamento de controle da qualidade. – Inspeção e ensaio de recebimento. – Inspeção e ensaio finais.
  24. 24. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 24 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Elementos Variáveis... • Função engenharia da qualidade: • Nenhum elemento variável! • Função Engenharia do Equipamento da Informática da Qualidade: • Nenhum elemento variável! • Engenharia de Controle do Processo: – Inspeção e ensaio em processos. – Registro de dados. – Planejamento operacional.
  25. 25. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 25 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Elementos Variáveis... • Válidos principalmente para empresas com organização do controle de qualidade satisfatoriamente estabelecida e de eficácia comprovada. • Podem ser atribuídos pela criação de tarefas rotineiras de inspeção e ensaios na produção; • Só podem se tornar efetivos se a função de engenharia de controle do processo realmente existir e for atuante na interface com a produção.
  26. 26. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 26 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Malha fechada de realimentação na organização para a qualidade • Grande parte das atividades da qualidade estão no seu elemento fixo. • Isto ocorre porque a função qualidade é formada primeiramente por um processo de planejamento, controle e realimentação.
  27. 27. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 27 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Malha fechada de realimentação na organização para a qualidade Planejamento (O que deveria ser feito) Medição (Se está sendo executado) Análise (Como aperfeiçoar o plano)
  28. 28. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 28 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Nesta Estrutura... • As partes fixas da função qualidade exigem responsabilidades perfeitamente definidas; • O gerente da qualidade pode Contribuir diretamente para a qualidade do produto na empresa, por meio de suas responsabilidades quanto a: – Garantir o fornecimento ao cliente com a qualidade adequada, e – Manter o custo da qualidade num nível apropriado
  29. 29. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 29 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Ciclo de realimentação para componentes divididos da qualidade Gerência de suprimentos Gerência da Qualidade Gerência de Processos Supervisor A Supervisor B Engenharia da Qualidade A Inspeção A Ensaio B Inspeção B Inspeção Planeja mento Medição Medição Análise
  30. 30. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 30 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Ciclo de realimentação para componentes centralizados da qualidade Gerência de suprimentos Gerência da Qualidade Gerência de Processos Supervisor A Supervisor B Engenharia da Qualidade Inspeção Avaliação Planeja mento MediçãoAnálise
  31. 31. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 31 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Problemas dos modelos apresentados • Tendência a respostas mais lendas da realimentação da qualidade. • Oscilações de responsabilidade (“Ajeita que eu chuto”, ou “passando o macaco”)
  32. 32. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 32 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Consequências dos Problemas (Efeitos)... • Descontentamento do pessoal da empresa com a equipe da qualidade; • Desaparecimento gradual da relação representada pelas linhas de responsabilidade dividida • Perda da função de realimentação fundamental para o funcionamento da qualidade. • Execução isolada de itens individuais das subfunções da qualidade.
  33. 33. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 33 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Como estruturar o componente do controle da qualidade? • Critérios de estruturação: – Manter as camadas de decisão em nível mínimo = linhas de comunicação rápidas; – Amplitude da supervisão da qualidade deve ser a maior possível. • Amplitude = número de pessoas que se reportam diretamente para o chefe ou gerente. – Atribuir tarefas similares a uma descrição de função que possa ser manipulado pro uma única pessoa no cargo considerado
  34. 34. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 34 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Final da primeira aula
  35. 35. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 35 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Organização da Qualidade • Tipos de estruturação: – Planta com muitos produtos; – Planta com linha básica de produto em um único local; – Diferentes linhas de produto numa mesma e única planta; – Número de seções produtivas diferentes na planta, com tecnologias especializadas; – Empresa de pequeno porte; – Planta altamente automatizada; – Situação com múltiplas plantas; – Empresa multinacional.
  36. 36. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 36 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Planta com muitos produtos Gerência da Qualidade Engenharia da Qualidade Inspeção e ensaio – Linhas A e B Inspeção e ensaio – Linha C Inspeção e ensaio de recebimento • Três produtos fabricados em linhas diferentes; • Todas as subfunções da qualidade em uma única função • Inspeção e ensaio decentralizados • Linhas A e B = fabricações semelhantes; • Linha C = fabricação específica; • Recebimento: materiais e componentes para A, B e C.
  37. 37. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 37 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Planta com linha básica de produto em um único local Gerência da Qualidade Engenharia da Qualidade Engenharia do Controle do Processo Inspeção da usinagem Inspeção e ensaio de recebimento Inspeção do Polimento Eng. De Equip. de TI para a qualidade Fundição Inspeção e ensaio (I&E) Enrolamento – I&E Montagem – I&E • Um único produto fabricado em uma única planta. • A operação envolve operações integradas, com tecnologias especializadas; • O componente da qualidade planeja a qualidade de todos os processos; • Cada processo possui seu componente individual de inspeção e ensaios.
  38. 38. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 38 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Diferentes linhas de produto numa mesma e única planta Gerência da Qualidade Engenharia da Qualidade Eng. De Equip. de TI para a qualidade Engenharia do Controle do Processo Engenharia do Controle do Processo Engenharia da Qualidade Engenharia do Controle do Processo Engenharia do Controle do Processo Linhas A e D Todas as Linhas Linhas B e C Recebimento Linhas B e C Linha A Linha D
  39. 39. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 39 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Diferentes linhas de produto numa mesma e única planta • Planta com vários produtos de conteúdo técnico elevado, resulta em descentralização da engenharia de controle de processo por linha de produto (de A a D); • A engenharia da qualidade também é distribuída por linhas. • Os equipamentos de TI para a qualidade são centralizados.
  40. 40. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 40 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Número de seções produtivas diferentes na planta, com tecnologias especializadas Gerência da Qualidade Engenharia da Qualidade Engenharia do Controle do Processo Eng. De Equip. de TI para a qualidade Engenharia do Controle do Processo Engenharia da Qualidade Engenharia da qualidade Engenharia do Controle do Processo Análise estatística Laminações Linhas B e C Recebimento Planejamento da qualidade Material recebido – equipamentos adquiridos Isoladores Engenharia do Controle do Processo Isoladores Fabricante de equipamentos pesados
  41. 41. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 41 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Número de seções produtivas diferentes na planta, com tecnologias especializadas • Componentes fabricados em subplantas. • Tecnologias do processo diferem bastante: – Caldeiraria, solda, pintura, decapagem quimica, etc) • Um engenheiro de controle de processo é alocado por subplanta; • Engenharia da qualidade, organizada funcionalmente em um único componente (Planejamento e análise).
  42. 42. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 42 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Empresa de pequeno porte Gerência da Qualidade Eng. Da qualidade Eng. de equip. Ti para a qualidade Eng. de controle do processo • A dimensão física da planta influencia na organização da qualidade. • Três funções são associadas a um componente. • A função de suporte técnico da fábrica reporta-se à gerência da qualidade e presta apoio contínuo à fábrica.
  43. 43. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 43 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Empresa de Grande Porte Gerência da Qualidade Adm. Do controle da Qualidade Inspeção e ensaio finais Eng. De Equip. de TI para a qualidade Engenharia do Controle do Processo Pré- Engenharia da Qualidade Planejamento dos sistemas da qualidade Inspeção e ensaio do material recebido Engenharia da qualidade Manutenção do equipamento da qualidade Adm. da Engenharia do Controle do Processo Adm. da Engenharia de campo Adm. Do laboratório de Controle da qualidade Adm. Eng. De Equip. de TI para a qualidade = Funcionários
  44. 44. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 44 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Empresa de Grande Porte • Maior numero de operações especializadas • Maior número de linhas de produto • Grau de automação cada vez maior • Para manter a amplitude da gerência da qualidade adequada, é necessária a delegação de atividades a administradores específicos que se reportam à gerência da qualidade.
  45. 45. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 45 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Fábrica Altamente Automatizada • Aumento da necessidade de equipamentos de TI para a qualidade • Diminui a necessidade dos demais componentes da qualidade. • Exemplos: – Reatores de processamento químico; – Refinarias de petróleo; – Fundições automatizadas.
  46. 46. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 46 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Situação com múltiplas plantas Direção Staff da Qualidade Gerente Divisão A Controle da Qualidade Outros componentes funcionais Gerente Divisão B Controle da Qualidade Outros componentes funcionais Gerente Divisão C Controle da Qualidade Outros componentes funcionais Resp. funcionais Resp. profissionais
  47. 47. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 47 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Empresa multinacional • A organização para a qualidade nestas plantas serve para uniformizar a responsabilidades em todos os locais; • Normalmente possuem uma pessoa responsável pela coordenação e monitoração internacional do controle da qualidade. • O gerente local da qualidade estará ligado funcionalmente ao executivo da planta local e indiretamente com o gestor internacional da qualidade.
  48. 48. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 48 UNIASSELVI – FAMEG GESTÃODAQUALIDADEDOPRODUTOEPROCESSO By Kroton Até a próxima aula!

×