2 e inclusão augusto albuquerque

260 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
260
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
64
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A revisão da DAE publicada em 18 de Dezembro de 2012 identifica 7 áreas de investimento para estimular as condições para criar crescimento e emprego:
  • 2 e inclusão augusto albuquerque

    1. 1. Por uma política de inclusão inteligente e personalizadaAugusto de AlbuquerqueAugusto.dealbuquerque@eeas.europa.euMinistro Conselheiro para Sociedade de Informação e MediaDelegação da União Europeia no Brasil
    2. 2. AGENDA DIGITAL PARA A EUROPA• A Agenda Digital para a Europa estabelece um plano para reativar a economia europeia e ajudar os cidadãos e empresas a obter máximos benefícios das tecnologias digitais. É a primeira de sete “flagships” da iniciativa Europa 2020, a estratégia da UE para crescimento sustentável e inclusivo.• A economia digital está crescendo a uma taxa sete vezes superior ao resto da economia.
    3. 3. As 7 Áreas da Economia Digital para criar crescimento e emprego• 1. Criar uma nova e estável regulação para Banda Larga.• 2. Uma nova infraestrutura para serviços digitais usando empréstimos da Facilidade para Conectar a Europa (CEF)• 3. Lançar uma Grande Coligação para Competências e Emprego na Economia Digital• 4. Propôr uma estratégia e Diretiva de segurança Informática• 5. Actualizar o Quadro Legal de Direitos de Autor• 6. Acelerar a computação em nuvem através de compras do setor público• 7. Lançar uma nova estratégia industrial para electrónica
    4. 4. COLIGAÇÃO para EMPREGOS DIGITAIS• A implementação da Agenda Digital faria crescer o PIB 5%, ou 1500€ por pessoa, nos próximos 8 anos, aumentando o investimento em TICs, melhorando o níveis de competência digital na força de trabalho, potenciando inovação no setor público, e reformando as condições de enquadramento da economia da Internet. Em termos de emprego, a UE arrisca-se a ter uma falta de um milhão de trabalhadores em 2015 para as profissões necessitando de competências digitais.• Isto levou a CE a lançar a grande Coligação para competências e educação para empregos digitais (4 de Março de 2013)
    5. 5. E-Inclusão• As TIC desempenham um papel cada vez mais importante na nossa vida numa sociedade digital.• São usadas no trabalho, para contatar a família, para relacionamento com serviços públicos, para tomar parte em atividades culturais, entretenimento, divertimento e diálogos políticos
    6. 6. E-Inclusão, objetivos• O objetivo é que ninguém fique para trás, que todos usufruam os benefícios das TIC• Quer dizer não só TIC inclusivas, mas também o uso de TICs para obter objetivos de inclusão mais alargados.• Foca a participação de todos os indivíduos e comunidades na sociedade de informação• Portanto reduzir os fossos em uso de TIC e promover o uso de TIC para vencer a exclusão e melhorar a performance económica, oportunidades de emprego, qualidade de vida, participação e coesão social
    7. 7. CONNECT/G4 “Inclusão, Competências & Juventude"• Directoria G Media & Dados• Educação, formação e competências mais acessíveis• Pesquisa sobre aprendizagem potenciada por tecnologia• Melhor Internet para a juventude• Inclusão e Acessibilidade (projetos de PDT e CIP).
    8. 8. Continuidade / pontes para H2020•“TIC para inclusão inteligente e personalisada noprograma de trabalho para 2011-12 de TICs•“TIC Accessível e assistencial” no programa detrabalho 2009-10
    9. 9. Resultados pretendidos• Soluções acessíveis e intuitivas para interfaces personalisados para ambientes inteligentes e serviços inovativos• Ações de coordenação e suporte para BCI, mercado para a componente de e-inclusão, eAcessibilidade (media web e audio-visual)
    10. 10. Interfaces Personalisados– design para todos• Foco: TICs globalmente acessíveis e utilizáveis - em dispositivos, aplicações, serviços e ambientes inteligentes.• Alvo: pessoas em risco de exclusão - nomeadamente pessoas com incapacidades, com fracos níveis de literacia / competência digital, idosos;• Domínios de Aplicação : educação, saúde, casa e entretenimento, trabalho, mobilidade e atividades de• communicação
    11. 11. OBJETOS DE PESQUISA• Técnicas inovadoras de interação – Baseadas em tecnologias tais como jogos, realidade virtual / aumentada, crowd-sourcing, inteligência ambiente, interfaces persuasivos e afetivos.• Monitoração em tempo real das necessidades dos usuários – Para melhorar a experiência do usuário e potencial de aprendizagem e adaptar conteúdos e interfaces.• Ecosistema de acessibilidade e usabilidade (funções para desenho de uma cadeia completa de acessibilidade) – Estabelecendo ligações entre desenvolvedores de interfaces, fabricantes de dispositivos, fornecedores de serviços, desenhadores de ambiente, comunidades de usuários. Assegurando interoperabilidade – Especificações de infraestrutura e início de padronização.
    12. 12. Elementos• Princípios, enquadramentos e arquiteturas – Para fornecer serviços e ambientes inclusivos globalmente através de diferentes infraestruturas, dispositivos pessoais e aplicações;• Repositórios de perfis de usuários e mecanismos inovadores para adaptação de interfaces para acessibilidade e usabilidade personalisada;• Ferramentas para facilitar a integração de soluções em aplicações do dia a dia.
    13. 13. Instrumentos / OrçamentoIP/STREP•EUR 16.5 milhões, com o objetivo de dar suporte apelo menos um IP.
    14. 14. Ações de Coordenação e Suporte (CSA)
    15. 15. B1) BNCI – FOCOConsolidação (global) de resultados recentes emInteração Computacional Cérebro Neuronal (BrainNeural Computer Interaction - BNCI) ePesquisa de novas atividades BNCI e sinergias comcampos relevantes levando à melhoria das funçõeshumanas em relação a incapacidades motoras,sensoriais e mentais.Deverá basear-se em atividades de mapas de rotapassadas e recentes em BNCI.
    16. 16. B1) BNCI – IMPACTO E INSTRUMENTO• Síntese de resultados na área de BNCI na UE e além, and fornecimento de ideias para futuras atividades a ser suportadas por Horizonte 2020 e que posicionarão os pesquisadores e indústria da UE numa posição de liderança nesta área.• Até uma CSA com máxima duração de 24 meses e máximo financiamento da CE de EUR 1 milhão• Obs. Lançamento da FET Flagship Cérebro Humano com financiamento de EUR 1 bilhão.
    17. 17. B2) Mercado de componentes e serviços para eInclusão - FOCO• FOCO: Estratégias industriais e avaliação de mercados potenciais para componentes e serviços de eInclusão, em particular para o web (incluindo TV conectada ), telecomunicações, e terminais públicos interactivos.
    18. 18. B2) Mercado de e-Inclusão componentes e serviços – IMPACTO & INSTRUMENTOS• Demonstração de valor e boas práticas para que entidades públicas e privadas adoptem einclusão.• Até um máximo de uma CSA duração máxima de 24 meses e financiamento máximo da CE de EUR 0,5 milhões.
    19. 19. B3) e-Accessibilidade FOCO• Coordenação e harmonisação de desenvolvimento, avaliação e monitoramento de modelos para e-accessibilidade (incluindo design para todos e usabilidade), tendo como alvo o web e os media audio-visuais.• Métodos e técnicas deverão incluir crowdsourcing de reparação de conteúdo (sub-títulos), produção de componentes re-utilizáveis (widgets) e observação (surveillance) em larga escala.
    20. 20. B3) eAccessibilidade IMPACTO & INSTRUMENTOS• Estratégias para melhores políticas com vista a• - adoção de práticas de e-Accessibilidade, e• - produção de componentes, ferramentas, infraestruturas/arquiteturas compatíveis, e integração de serviços pelo mercado, em particular para novas tecnologias e canais (web sobre movél, DTV, terminais públicos , etc).• Máximo uma CSA com uma duração máxima de 24 meses e financiamento máximo de CE de EUR 1 milhão
    21. 21. QUO VADIS BRASIL-UE em eInclusão?• IBE• Mas também• M-INCLUSION• -Centro de Tecnologia de Saúde – CETES• -Laboratório de Computação Científica• de UFMG• -INdT
    22. 22. • VUMS cluster - http://www.veritas-project.eu/ • AEGIS (http://www.aegis-project.eu/) and Accessible (http://www.accessible-eu.org/) • Cloud4All (http://www.cloud4all.info/ ) • eAccess+ http://www.eaccessplus.eu/ and • WAY-Act www.w3.org/WAI/ACT/Overview.html#about • MEAC Study http://www.eaccessibility- monitoring.eu/ • FUTURE-BNCI http://future-bnci.org/ • TOBI http://www.tobi-project.org/http://ec.europa.eu/information_society/activities/einclusion/index_en.htm

    ×