De acordo com Pedro Demo existe uma falsa ideia de que
quanto mais aulas mais aprendizagem;
Diante desse pensamento alguma...
Até 1996 A LDB definia o ano letivo com 180
dias, após diversos debates, a partir de 1997 o ano
letivo ganhou 20 dias e pa...
Dados do SAEB de 1995 até 2005
demonstram que essas mudanças não trouxeram
nenhum benefício à aprendizagem, pois de
acordo...
Outra questão a ser considerada é o fato de o
professor acreditar que a aula é vital para o aluno. É
errado pensar assim, ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Texto - Não se aprende sem estudar

353 visualizações

Publicada em

PROGETEC Andrea Larraia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
353
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Texto - Não se aprende sem estudar

  1. 1. De acordo com Pedro Demo existe uma falsa ideia de que quanto mais aulas mais aprendizagem; Diante desse pensamento algumas alterações no âmbito escolar ocorreram na tentativa de melhorar o ensino aprendizagem, entre elas destacam-se: • Ampliação do calendário escolar para 200 dias letivos; • Criação do nono ano no Ensino Fundamental; Não se aprende sem estudar Pedro Demo
  2. 2. Até 1996 A LDB definia o ano letivo com 180 dias, após diversos debates, a partir de 1997 o ano letivo ganhou 20 dias e passou a ter 200 dias letivos. Tudo isso com objetivo de melhorar a educação. Outra tentativa de melhora no ensino foi a criação do nono ano que surgiu em 2006 com objetivo de garantir a todas as crianças um tempo maior de convivência escolar, mais oportunidades de aprender e, com isso, uma aprendizagem com mais qualidade.
  3. 3. Dados do SAEB de 1995 até 2005 demonstram que essas mudanças não trouxeram nenhum benefício à aprendizagem, pois de acordo com Pedro Demo aumentar a quantidade de aulas não significa um aumento de aprendizagem do aluno. Podemos dizer então que não falta aulas, mas falta aprendizagem e essa, por sua vez, está relacionada a questões sociais como pobreza e falta de compromisso dos pais.
  4. 4. Outra questão a ser considerada é o fato de o professor acreditar que a aula é vital para o aluno. É errado pensar assim, pois o processo de aprendizagem é inerente ao aprendiz, ou seja, parte de dentro para fora do indivíduo Diante disso entendemos que o aluno deve e pode ser tratado como sujeito construtor de seu próprio conhecimento, sendo um sujeito ativo e não simplesmente passivo. O aluno precisa aprender a estudar, pois não se aprende sem estudar (DEMO, 2008)

×