O tipo e o horizonte temporal dos financiamentos III

251 visualizações

Publicada em

Uma das principais preocupações que deve ser tida ao negociar um financiamento com a Banca, passa pelo mesmo ter o tipo e o prazo adequado à necessidade em causa

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
251
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O tipo e o horizonte temporal dos financiamentos III

  1. 1. O Tipo e o Horizonte Temporal dos Financiamentos CJA Business Consulting FEV14 http://www.linkedin.com/pub/carlos-jeronimo-augusto/66/279/758 www.facebook.com/pages/CJA-Business-Consulting/308092695989242 www.cja-bc.com carlos.jeronimo.augusto@cja-bc.com TLM 911161776 O Tipo e o Horizonte Temporal dos Financiamentos III PARTE III Apoios de Tesouraria II O Crédito Comercial Por crédito comercial entende-se o crédito que tem subjacente uma transacção comercial especifica e a intervenção do cliente. Estamos a falar por exemplo de letras, cheques pré datados, remessas de documentos exportação ou factoring. Trata-se do tipo de crédito de tesouraria por excelência. Mas durante anos caiu em desuso. Caiu em desuso dado que com o crédito abundante, as empresas financiavam a sua tesouraria da forma mais simples e mais barata, as CCC. Outro factor fundamental para essa menor utilização foi o seu custo. Na busca de comissões os bancos sobrecarregaram de forma desapropriada este tipo de crédito. O facto de serem operações de curto prazo, fazia muitas vezes com que as comissões flat aplicadas, levassem a que os custos com as mesmas fossem maiores que os juros cobrados, levando a taxas efectivas inibidoras da sua utilização. Por ultimo, as empresas fugiam ao “trabalho administrativo” inerente as este tipo de crédito. O trabalho administrativo que é no fundo controlar prazos de pagamento de uma forma muito mais fiável, rigorosa e efectiva que em conta corrente… Mas o crédito comercial deve ser o crédito de tesouraria por excelência. Razões não faltam, ficam algumas: - A sua ligação às transacções que dão origem à necessidade - O estreito acompanhamento a que obriga das contas de clientes - A ajuda que pode advir da análise pelos bancos da qualidade de crédito dos cientes envolvidos - O maior comprometimento do cliente com a data de pagamento, comparativamente com a simples conta corrente
  2. 2. O Tipo e o Horizonte Temporal dos Financiamentos CJA Business Consulting FEV14 http://www.linkedin.com/pub/carlos-jeronimo-augusto/66/279/758 www.facebook.com/pages/CJA-Business-Consulting/308092695989242 www.cja-bc.com carlos.jeronimo.augusto@cja-bc.com TLM 911161776 - E muito importante, o facto de a empresa se estar a financiar “gastando” muito pouco da sua capacidade de endividamento, dado que existindo outros intervenientes e sendo por norma operações de curto prazo, os bancos não as consideram, ou consideram com um rácio baixo, na sua exposição. - Para os bancos são operações rentáveis e de mais baixo risco, dada a já referida intervenção de terceiros. Tendo tantas vantagens as razões para a sua menor utilização são as já abordadas. Os bancos já começaram a olhar mais para este tipo de crédito. Compete agora às empresas voltar a considerar como fonte de financiamento a antecipação de recebimentos de clientes. É disso que se trata, diminuição financeira do Prazo Médio de Recebimento, que é na esmagadora maioria das empresas, o grande responsável pelo aumento das necessidades de fundo de maneio. Como? - Negociando com os seus clientes condições de pagamento que incluam a titulação do crédito por meios que permitam a sua antecipação (cheques pré datados, letras ou aceitação do pagamento de facturas em factoring, entre outros) - Negociando com os bancos linhas para este tipo de produtos. Os bancos estão muito receptivos a estes negócios - Estabelecendo sistemas de controle integrados entre a gestão das contas de clientes e a componente financeira dessas contas, de molde a optimizar trabalho administrativo. Conseguir-se-ão - Melhores vendas, dado que se consegue transformar o seu produto em liquidez - Melhor risco de crédito da carteira de clientes, face ao maior acompanhamento - Melhor capacidade de endividamento, dado que a exposição em crédito financeiro directo que os bancos estão dispostos a ter na empresa não está a ser consumida pelo financiamento da tesouraria
  3. 3. O Tipo e o Horizonte Temporal dos Financiamentos CJA Business Consulting FEV14 http://www.linkedin.com/pub/carlos-jeronimo-augusto/66/279/758 www.facebook.com/pages/CJA-Business-Consulting/308092695989242 www.cja-bc.com carlos.jeronimo.augusto@cja-bc.com TLM 911161776 Só vantagens? Praticamente, mas um risco importante que não deve nunca ser descurado. Se bem que o dinheiro já tenha sido recebido o cliente ainda não pagou. O risco de crédito nesse cliente mantém-se e deve ser considerado os plafons estipulados pela empresa para cada cliente

×