PATENTES NA SAÚDE E NO ESPORTE:
COMO A ENGENHARIA CONTRIBUI
PARA O DESENVOLVIMENTO
TECNOLÓGICO?

SEMANA C&T
OUTUBRO - 2013
O QUE É A CIT?
1.

A Coordenação Geral de Inovação Tecnológica do
CEFET-MG é o setor responsável pela gestão e
execução da...
E AS ENGENHARIAS?
A alta produção de tecnologia nos cursos do CEFETMG, especialmente nas engenharias estimulou esta
aprese...
PATENTE CURIOSA
George de Mestral filed in 1952 a
US patent application related to a
velvet type fabric. This fabric
compr...
PATENTES NO ESPORTE
PATENTES NO ESPORTE
PATENTES NO ESPORTE
PATENTES NO ESPORTE
PATENTES NA SAÚDE
PATENTES NA SAÚDE
PATENTES NA SAÚDE
BUSCA DE ANTERIORIDADE
Realizar uma busca de anterioridade - não só nas
bases de periódicos e artigos científicos, mas tam...
BUSCA DE ANTERIORIDADE
Como fazer: Combinar palavras-chave com
classificações internacionais de patentes (IPC), datas
de d...
ONDE REALIZAR A BUSCA
Para buscar documentos de patentes depositadas no Brasil
http://www.inpi.gov.br/index.php/patente/bu...
INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA
Conceito de informação tecnológica: “É todo tipo de
conhecimento sobre tecnologias de fabricação, d...
INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA
Monitoramento Tecnológico “consiste em coletar, analisar e
validar informação sobre desenvolvimento...
INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA
Onde usar as informações do sistema de patentes nos
Estudos de Monitoramento Tecnológico?
Visão est...
INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA
Outros levantamentos possíveis:

• mapeamento da evolução de tecnologias;
• identificação de novos ...
A CIT EM NÚMEROS:
A CIT EM NÚMEROS:
A CIT EM NÚMEROS:
A CIT EM NÚMEROS:
EXEMPLOS DE MARCAS DO CEFET-MG
EQUIPE E CONTATOS
Equipe:
Nilton Maia: Coordenador
Laura Alice Souza: Gestora de Informação

Renata Werneck: Assessora Jur...
Palestra Semana T&T 2013 - Sala 204
Palestra Semana T&T 2013 - Sala 204
Palestra Semana T&T 2013 - Sala 204
Palestra Semana T&T 2013 - Sala 204
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra Semana T&T 2013 - Sala 204

135 visualizações

Publicada em

Palestra realizada no dia 22/10/2013, durante a IX Semana de Ciência e Tecnologia, sobre "as patentes na área da saúde e do esporte: como a engenharia contribui para o desenvolvimento tecnológico"

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra Semana T&T 2013 - Sala 204

  1. 1. PATENTES NA SAÚDE E NO ESPORTE: COMO A ENGENHARIA CONTRIBUI PARA O DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO? SEMANA C&T OUTUBRO - 2013
  2. 2. O QUE É A CIT? 1. A Coordenação Geral de Inovação Tecnológica do CEFET-MG é o setor responsável pela gestão e execução da política de Propriedade Intelectual e Inovação do CEFET-MG; 2. É o NIT do CEFET-MG (Lei de Inovação Nº 10.973); 3. É o setor que faz proteção intelectual (patentes, registro de marcas e softwares, desenho industrial e afins); 4. Dissemina a cultura da proteção intelectual e da inovação tecnológica. 5. Fica na sala 111B do Campus I e atende todos os campi.
  3. 3. E AS ENGENHARIAS? A alta produção de tecnologia nos cursos do CEFETMG, especialmente nas engenharias estimulou esta apresentação. O objetivo é mostrar aos alunos do CEFET-MG que a produção de documentos de patentes no CEFET-MG poderia ser muito maior. Além de estimular a produção e proteção formal de novas tecnologias, a CIT pretende mostrar que as informações contidas no documento de patentes podem ser utilizadas estrategicamente para determinados fins.
  4. 4. PATENTE CURIOSA George de Mestral filed in 1952 a US patent application related to a velvet type fabric. This fabric comprised two surfaces, one of velvet type and the other provided with hooks. This fabric is now known as VELCRO®, a composition of the French words "velour" (velvet) and "crochet" (hook). The patent was granted in September, 13th, 1955 and was published as US- 2.717.437.
  5. 5. PATENTES NO ESPORTE
  6. 6. PATENTES NO ESPORTE
  7. 7. PATENTES NO ESPORTE
  8. 8. PATENTES NO ESPORTE
  9. 9. PATENTES NA SAÚDE
  10. 10. PATENTES NA SAÚDE
  11. 11. PATENTES NA SAÚDE
  12. 12. BUSCA DE ANTERIORIDADE Realizar uma busca de anterioridade - não só nas bases de periódicos e artigos científicos, mas também nos bancos de patentes - é fundamental antes do início da pesquisa. Desta forma, o pesquisador/inventor garante que não estará “reinventando a roda”. A busca de anterioridade facilita o levantamento do Estado da Técnica, dando acesso a documentos de patentes que devem ser citados na redação do pedido. Neste pedido de patente, que deverá ser depositado pela CIT no INPI, o pesquisador deverá descrever a inovação introduzida no seu produto/processo em relação aos que já estão compreendidos no Estado da Técnica.
  13. 13. BUSCA DE ANTERIORIDADE Como fazer: Combinar palavras-chave com classificações internacionais de patentes (IPC), datas de depósito, depositantes, inventores, etc. Ou seja, toda informação relativa ao pedido de patente pode facilitar a recuperação de documentos relevantes para sua redação. Estrutura do pedido de patente (documentação técnica): Redação, contendo estado da técnica, descrição detalhada da invenção, campo de aplicação; reivindicações; resumo; desenhos (quando for necessário para melhor compreensão da invenção).
  14. 14. ONDE REALIZAR A BUSCA Para buscar documentos de patentes depositadas no Brasil http://www.inpi.gov.br/index.php/patente/busca Documentos de patentes na base europeia: http://worldwide.espacenet.com/advancedSearch?locale=e n_EP Base de patentes americana: http://patft.uspto.gov/netahtml/PTO/search-bool.html Para buscar patentes de diversos países: http://patentscope.wipo.int/search/en/search.jsf Dentro do CEFET, através do acesso ao portal CAPES é possível acessar o Derwent Index Innovation – DII: http://www.periodicos.capes.gov.br.ez107.periodicos.capes .gov.br/index.php?option=com_phome
  15. 15. INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Conceito de informação tecnológica: “É todo tipo de conhecimento sobre tecnologias de fabricação, de projeto e de gestão, que favoreça a melhoria contínua da qualidade e a inovação no setor produtivo.” Fonte: Glossário Geral de Ciência da Informação . Brasília: CID/UNB, 2004. As informações de patentes podem ser coletadas na bases de patentes e, a partir dos dados constantes no documento de patente pode-se realizar o monitoramento tecnológico de determinada área de interesse.
  16. 16. INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Monitoramento Tecnológico “consiste em coletar, analisar e validar informação sobre desenvolvimentos científicos e tecnológicos em uma área de interesse definida, para dar suporte a uma ação ou decisão específica. Pode ser um estudo isolado que é iniciado e concluído em poucos meses ou um esforço contínuo e interativo” (CGEE, 2008). O Monitoramento Tecnológico por meio de patentes tem se constituído em potente ferramenta de apoio à decisão, tendo em vista a riqueza de informação contida neste tipo de documento, que permite identificar: •tecnologias relevantes; •parceiros; •nichos de mercado para atuação; •inovações incrementais; •movimentos de concorrência (ex. gestão de processos e produtos, novas linhas de P&D e fusões e aquisições); entre outros aspectos. (Fonte: Canongia, 2004)
  17. 17. INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Onde usar as informações do sistema de patentes nos Estudos de Monitoramento Tecnológico? Visão estratégica: • visão do presente o estado da técnica o identificação de novos mercados o rastreamento de capacitação tecnológica o estratégias de patenteamento das empresas. o identificação dos principais atores (por localização, por tecnologia) •visão do futuro o identificação de tecnologias emergentes. o previsão de novos produtos Gestão estratégica •Monitoramentos de mudanças tecnológicas •Monitoramento da mobilidade dos pesquisadores nas empresas.
  18. 18. INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Outros levantamentos possíveis: • mapeamento da evolução de tecnologias; • identificação de novos mercados; • identificação de tecnologias emergentes; • previsão de novos produtos; • definição de potenciais rotas para aperfeiçoamentos em produtos e processos existentes; • rastreamento de capacitação tecnológica; • identificação de fontes de licenciamento etc. Fonte: INPI – Eduardo Bemfica. 2013
  19. 19. A CIT EM NÚMEROS:
  20. 20. A CIT EM NÚMEROS:
  21. 21. A CIT EM NÚMEROS:
  22. 22. A CIT EM NÚMEROS:
  23. 23. EXEMPLOS DE MARCAS DO CEFET-MG
  24. 24. EQUIPE E CONTATOS Equipe: Nilton Maia: Coordenador Laura Alice Souza: Gestora de Informação Renata Werneck: Assessora Jurídica Douglas Sthéfanno: Estagiário Contatos: cit.cefetmg.br facebook.com/pages/Citcefet 31 – 3319-7173

×