Lasanha Assassina

1.254 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.254
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
178
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lasanha Assassina

  1. 1. Relatório de aula: A lasanha assassina Os alunos, inicialmente, assistiram na sala de tecnologia a exibição em data show de uma curta metragem. O curta foi exibido a partir do site www.portacurtas.com.br.
  2. 2. O filme faz parte do gênero animação e tem uma duração de oito minutos. Nele os alunos conheceram uma lasanha que foi esquecida no interior de um congelador com defeito, a baixa temperatura e os gases do aparelho causaram uma mutação e lhe deram vida, transformando-a em um monstro cheio de revolta! O que poderia deter uma criatura como esta?! Os alunos entraram no mundo do terror de uma maneira hilária, "A Lasanha Assassina" é uma sátira cheias de citações ao Cinema de Horror. A história é apresentada por ninguém menos que Zé do Caixão, em sua versão desenho animado.
  3. 3. Depois da exibição do filme, os alunos fizeram com a ajuda da professora uma interpretação oral do texto expressando suas opiniões. Identificaram o conflito gerador do enredo, os elementos que construíram a narrativa e as marcas lingüísticas.
  4. 4. Na seqüência produziram uma narrativa ficcional, em duplas, com base no curta que assistiram. No texto, eles puderam dar vida a qualquer coisa: material escolar, brinquedos, computador, roupas, sapatos, celulares, bicicletas e outros. Depois, com o auxílio da professora fizeram a correção do texto e a digitação final.
  5. 5. Alguns dos textos produzidos :
  6. 6. O livro que desapareceu Eu tinha um livro que quando ganhei só queria ficar lendo. Com o tempo, aquilo foi me enjoando. Eu tinha cansado, não queria mais o livro. Mas também, não queria jogar fora. Ele era bem especial, porque eu havia ganhado de uma tia que foi pro céu. Um dia fui limpar o meu quarto e fui jogando umas coisas fora. Até que percebi que o livro não estava mais lá. E disse: - Mas como, não o tirei de lá? Quando olhei para o canto da parede, lá estava ele. Chorando, triste, com muitas lágrimas no rosto. Quando fui pegá-lo, ele disse: - Sai daqui! Não quero que você leia as minhas frases.
  7. 7. Eu perguntei: - Mas você fala? Ele respondeu: - Claro, ora! Eu disse: - Mas você é um livro!? Ele perguntou: - Ou você queria que eu fosse um livro qualquer? - Mas porque você está chorando?
  8. 8. - Porque você me deixou de lado. - É como eu não pensei nisso?Eu não podia ter feito isso! - Já sei o que eu vou fazer, vou te dar para uma pessoa que vai te usar e muito. - Oba! Nem acredito que vou deixar de viver no canto do armário. - Vem, vamos até um lugar. Chegando lá na casa de uma amiga ela disse: - Bom dia, como vai você? - Vou bem, eu só vim te trazer um presente. - Ai que legal! - Bom, eu trouxe pra você porque você vai fazer mais proveito do que eu! - Ah! Pode deixar comigo! Eu vou cuidar bem dele! Tainá e Francieli
  9. 9. O sapo e o amor Era uma vez um sapo que morava na escola. Um dia ele estava passeando na escola e um raio caiu sobre ele. Ele se transformou em um lindo rapaz que conquistava todas as meninas. A cada beijo que ele dava nas meninas elas se transformavam em sapos. Elas encontraram um livro que era de magia e feitiços. Elas leram no livro que se elas quisessem quebrar e tirar o feitiço elas tinham que encontrar sua alma gemia para beijá-las e tirar o feitiço. Mais elas também sabia que se matasse o rapaz, e ele se transformaria em sapo novamente elas voltaria a ser meninas . Elas escolheram o caminho mais simples que é o caminho do amor. Cada uma delas encontrou o seu amor verdadeiro e voltaram a ser meninas. MORAL: O amor vence qualquer barreira! Tamires e Márcia
  10. 10. A bicicleta Certo dia Júlio e seus amigos foram de bicicleta ao campo perto da casa deles. Chegando lá Júlio pegou sua bicicleta e jogou no muro. Eles jogaram por muito tempo e na saída ele foi pegar sua bicicleta e ela estava toda arranhada. Ele pegou – a e foi para sua casa. Lá ele fez do mesmo jeito. Muitos dias se passaram e a bicicleta ficava lá triste e suja. Num outro dia caiu uma chuva e lavou a sujeira da bicicleta, ela ficou brilhante, alegre e ela ganhou vida. Júlio pegou – a e foi ao campo outra vez. Chegando lá, ele ia jogar a bicicleta de novo. Mas ela não foi no muro, mas sim ficou em pé. Ela falou para o menino que tudo na vida tem que ter carinho, até com os brinquedos da gente. Marcus Vinicius

×