Projeto

5.250 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto

  1. 1. PROJETO BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS DE ONTEM E HOJE EMEB Camila Tomashinsky Período de duração: anual Público alvo: alunos do Berçario, Maternal 1, Maternal 2, Etapa 1 e Etapa2 JUSTIFICATIVA: Acreditamos que o brinquedo e a brincadeira são ingredientes vitais para uma infância sadia e para um aprendizado significativo, já que o brincar estimula o desenvolvimento intelectual da criança, como também ensina os hábitos necessários ao seu crescimento. Assim, proporcionar as crianças momentos de convivência saudável, amiga, criativa e construtiva; pois através da brincadeira a criança atribui sentido ao seu mundo, se apropria de conhecimentos que a ajudarão a agir sobre o meio em que ela se encontra, reconhecendo a cultura brasileira, resgatando brincadeiras, jogos e cantigas de roda. OBJETIVOS GERAIS 1. Desenvolver um trabalho interdisciplinar de maneira prazerosa partindo da construção de brinquedos com diversos materiais. 2. Resgatar culturalmente alguns brinquedos e brincadeiras esquecidos. OBJETIVOS ESPECÍFICO 1. Aumentar o repertório de brincadeiras infantis; 2. Participar de situações de socialização; 3. Participar de jogos que sejam trabalhadas regras em grupo; 4. Registrar de diferentes formas o brincar. MOVIMENTO Objetivo: • Desenvolver a comunicação e expressão através de jogos e brincadeiras, ampliando as possibilidades expressivas do próprio corpo. • Aprender a brincar respeitando regras e limites. Conteúdos conceituais:
  2. 2. • Velocidade, direção, equilíbrio, orientação espacal e temporal, expressão corporal, agilidade, percepção; regras, flexibilidade, coordenação, atenção, lateralidade, locomoção. Conteúdos procedimentais: • Utilização expressiva intencional do movimento nas situações cotidianas e em suas brincadeiras. • Percepção de estruturas rítmicas para expressar-se corporalmente por meio de brincadeiras. • Brincadeiras com diversos materiais: bola, bambolês, corda, sucatas • Brincadeiras de faz de conta (jogo simbólico); • Brincadeiras de percurso, tabuleiro, ludo gigante; • Brincadeiras tradicionais – corrida do saco, corrida de ovos, pescaria, arremesso de bolas, boca do palhaço, etc; • Gincana; • Brincar espontaneamente. Conteúdos atitudinais: Interação, participação, autoestima, respeito NATUREZA E SOCIEDADE Objetivo: • Resgatar a cultura lúdica e tradições diversas com brincadeiras tradicionais e costumes que passam de geração a geração. • Estabelecer algumas relações entre o modo de vida característico de seu grupo social e de outros grupos. • Participar de diversas situações de intercambio social. • Resgatar o brincar espontâneo como elemento essencial para o desenvolvimento integral da criança, de sua criatividade e socialização, mantendo viva as tradições e a cultura dos povos traduzidos nos brinquedos e nas brincadeiras populares. Conteúdos conceituais:
  3. 3. • História dos brinquedos; • Brinquedos e brincadeiras dos pais; • Brinquedos da zona rural e zona urbana; • Brinquedos e brincadeiras de outras regiões, de outras comunidades (indígenas). • Brinquedos artesanais e brinquedos produzidos por industrias; • Brincadeiras de todos os tempos; • Brincadeiras tradicionais; • Linha do tempo; • Parque de diversões (Exposição); • Cultura brasileira. Conteúdos procedimentais: • Visitar uma fábrica de brinquedos (Para realmente entender como funciona e como são produzidos os brinquedos); • Visitar uma loja de brinquedos; • Mostrar através de figuras ou painéis como eram as cidades antes e como estão hoje. • Pesquisa com os pais de brincadeiras e brinquedos que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos; • Pesquisa junto às famílias sobre as brincadeiras da infância. • Pesquisa em livros e na internet sobre a origem de alguns dos brinquedos e brincadeiras.; • Criar um mascote de pelúcia por turma; • Montagem de uma brinquedoteca. • Dia do Brinquedo. • Brincar e dividir o brinquedo com outras turmas Conteúdos atitudinais: socialização, interesse, compartilhar descobertas. MUSICA
  4. 4. Objetivos: • Ampliar a comunicação e expressão através de músicas e de jogos orais. • Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com outros. • Criar e inventar outras cantigas de roda. Conteúdos conceituais: • Som, ritmos; • Percepção; • Produção musical; • Interpretação; • Cantigas de Roda. Conteúdos procedimentais: • Brincadeiras cantadas – Se eu fosse um peixinho, Tororó, Passa –passa cavaleiro, Eu sou pobre pobre, Ciranda cirandinha, A canoa virou, Terezinha de Jesus, O cravo brigou com a rosa, Tango-Tango,, Carangueijo não é peixe, Escravos de Jó e outras; • Confecção de instrumentos musicais com sucata; • Karaokê; • Paródias, rimas; • Gestos, mímicas; • Concurso de dança; • Músicas ouvidas e cantadas (anexo 1); • Brincadeira Dicionário musical: escolhe-se algumas músicas, conhecida das crianças, uma uma as músicas são tocadas e se faz uma parada a criança deverá continuar cantando a música onde esta parou. • Organizar um pequeno livro com as cantigas de roda com as letras e ilustradas pelas crianças;
  5. 5. • Confeccção de cartazes com as músicas tradicionais. Conteúdos Atitudinais: apreciação, sensibilidade, imaginação, criação ARTES Objetivos: • Estimular a comunicação e expressão através de jogos e brincadeiras, desenvolvendo o pensamento, a criatividade a imaginação a percepção. • Produzir trabalhos de arte utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da colagem e da construção. • Realizar trabalhos criativos e interessantes. Conteúdos conceituais: • Linha, forma, cor, textura, espessura; • Obras de arte – Portinari (Meninos pulando carniça (1957), Moleques pulando sela (1958) , Gruegel (Brincadeira sem fim), Roda (Milton da Costa) - Anexo2 • Percepção visual Conteúdos procedimentais: • Confecção de brinquedos utilizando materiais recicláveis (bilboquê, peteca, vai e vem, pião, cavalo de pau, bola de meia e outros.). • Confecção de brinquedos com a colaboração de um pai voluntário (pipa, capucheta, ioiô, pé-de-lata, confecção de bonecas, etc) • Brincar com brinquedos de sua própria construção; • Oficinas de brincadeiras; • Construção de maquetes; • Apreciação, releitura de obras de arte. • Exploração de pinturas com perguntas como: “ Que cores aparecem mais em cada obra”, “ Como são as crianças representadas em cada
  6. 6. pintura”, “De qual pintura mais gostaram”, “Por que?” “Conhecem essa brincadeira?” • Realizar as brincadeiras que encontrar nas obras de arte; • Brincadeiras com sombras – formas de bichinhos com as mãos, um tenta pisar na sombra do outro; também pode usar o retroprojetor para fazer atividades com sombras – teatro de sombras na sala de aula; • Brincadeiras Bolha de sabão coloridas – papel na parede (pardo) acertar as bolhas coloridas para pintar a mesma formando desenhos. • Confecção de um quadro (tela) Brinquedo ou brincadeira preferido; • Produção de massinha de modelar; • Confecção de cartazes com os jogos, brincadeiras que as crianças conhecem; • Vestir as roupinhas nos bonequinhos (xerografados); • Desenhar os brinquedos que há na sua escola. Conteúdos atitudinais: Olhar estético, gosto pelas artes, cuidado e respeito pelo processo de produção e criação. LINGUAGEM ORAL E ESCRITA Objetivos: • Desenvolver a curiosidade pela linguagem escrita através de brincadeiras e jogos orais; • Criar situações lúdicas de aprendizagem significativa em relação aos brinquedos e brincadeiras populares. • Estimular a oralidade para conversar e brincar. Conteúdos conceituais: • Alfabeto das brincadeiras; • Nome dos brinquedos e brincadeiras; • Comunicação verbal e oral • Identidade;
  7. 7. • Nomes de brincadeiras diferentes dependendo da região em que vive. • Brincadeiras cantadas; • Textos informativos e instrucionais (regras) Conteúdos procedimentais: • Conversas informais – rodinha de conversa (sobre a invenção dos brinquedos e sua utilização); • Panfletos – anúncios – brinquedos que gostaria de ter; • Lista de brinquedos e brincadeiras preferidos pelos pais e alunos – No meu tempo de criança ...; • Letras de cantigas de roda; • Parlendas; • Histórias, dramatizações; • Declamação de poesias – O saco de brinquedos (Carlos Urbim), A boneca (Olavo Bilac) • Sacolinha surpresa com brinquedos (cada semana uma criança é responsável por trazer um brinquedo e as demais deverão adivinhar através das pistas); • Escrever junto com as crianças regras de algumas brincadeiras para confecção de um livro de brincadeiras para acervo da escola. (texto coletivo). • Assistir os DVDs Toy Store 1 e 2, A loja Mágica de Brinquedos e outros. • Construção de livro de brinquedos coletivo ou individual; • Construção de livro de brincadeiras coletivo ou individual; • Coletânea de jogos e brincadeiras com as regras e ilustrações realizadas individualmente. • Bilhete – Cole o bilhete (folha sulfite) que levou para casa comunicando o dia do brinquedo. (portador de texto) Conteúdos atitudinais: O gosto e o prazer pela leitura e escrita; interação e cumplicidade com o mundo da leitura e escrita, cooperação.
  8. 8. MATEMÁTICA Objetivos: • Desenvolver o raciocínio lógico, respeitando a etapa do desenvolvimento individual de cada criança. • Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, processos utilizados e resultados encontrados em situações problema; • Identificar as noções de tempo (dia, semana, mês, ano, ontem, hoje amanhã); • Analisar, interpretar e construir gráficos e tabelas. Conteúdos conceituais: • Números e sua função social; • Espaço e forma; • Grandezas e medidas; • Formas geométricas; • Classificação, comparação e seriação. Conteúdos procedimentais: • Brincadeira dos números vizinhos (sucessor e antecessor); • Brincadeira de pesca com peixinhos numerados; • Sequencia numérica através de brincadeiras como Amarelinha, Caracol, Senhor rato está? e outros; • Montagem de gráficos a partir de determinada situação ou contexto trabalhado em sala de aula. • Exploração de diferentes procedimentos para comparação de grandezas (maior, menor, alto, baixo etc) • Confecção de jogo da memória, bingo, dominó dos números e quantidades, boliche, quebra-cabeça, jogo das argolas, jogo de palitos (churrasco); • Classificar os brinquedos por tamanho, tipo de brinquedo etc.
  9. 9. • Organização de album de figurinhas, coleções; • Comparação de brinquedos antigos e brinquedos modernos; • Formar figuras geométricas com a brincadeira do elástico • Brincadeira Quente-frio com brinquedos. Conteúdos atitudinais: Vivência, exploração, interesse. RECURSOS: • Papéis coloridos diversos, lápis de cor, giz de cera, tintas, pincéis; telas; tesoura, colas, linhas, lãs, barbantes, materiais recicláveis, CDs, DVs, computador; fantoches, maquiagens diversas, materiais pedagógicos, cartazes, gravuras ilustradas; livros de histórias, gibis, retroprojetor, panfletos, fantasias, brinquedos. AVALIAÇÃO: • Ocorrerá em todos os momentos através da observação, da participação dos alunos nas atividades propostas, interesse e também mudanças de atitude quanto a incorporação de valores, grau de motivação e entusiasmo. CULMINÂNCIA: • Exposição dos trabalhos produzidos pelas crianças; • Exposição de fotos; • Arrecadação de brinquedos para a festa junina. • Arrecadação de brinquedos em bom estado para serem doados em outubro (dia das crianças). • Dia do brinquedo ou brincadeira com o responsável.
  10. 10. “Há em nossa alma cansada, mesmo sendo a vida atroz, criança eterna e levada que brinca dentro de nós.” (Alberto F. Bastos)
  11. 11. A origem dos brinquedos Um brinquedo é um objeto ou uma atividade lúdica, voltada única e especialmente para o lazer , e geralmente associada a crianças, também usada por vezes para descrever objetos com a mesma finalidade, voltada para adultos. Na pedagogia, um brinquedo é qualquer objeto que a criança possa usar no ato de brincar. Alguns brinquedos permitem às crianças divertirem-se enquanto, ao mesmo tempo, as ensinam sobre um dado assunto. Brinquedos muitas vezes ajudam no desenvolvimento da vida social da criança, especialmente aquelas usadas em jogos cooperativos. Os brinquedos são de vital importância para o desenvolvimento e a educação da criança, por propiciar o desenvolvimento simbólico, estimular a sua imaginação, a sua capacidade de raciocínio e a sua auto-estima. Podem ser utilizados em tratamento psicoterapêutico na Ludoterapia, com crianças com problemas emocionais causados por fatores variados, ou que apresentam distúrbios de comportamento ou baixo rendimento escolar. Caminhõezinhos, carrinhos em miniatura, bonecas, bolas, ursos de pelúcia, ioiôs e action-figures são exemplos de brinquedos. O ato de brincar em si, geralmente não exige um brinquedo, que seja um objeto tangível, pode acontecer como jogos simbólicos (faz-de-conta). Desde os tempos antigos que os brinquedos tiveram um importante papel na vida das crianças. Por milhares de anos crianças brincaram com brinquedos dos mais variados tipos. Bolinhas de gude foram usadas por crianças no continente africano há milhares de anos. Na Grécia Antiga e no Império Romano, brinquedos comuns eram barquinhos e espadas de madeira, entre os meninos, e bonecas entre as meninas. Durante a Idade Média, os fantoches eram brinquedos muito comuns entre as crianças. Os brinquedos chegaram ao Brasil pela família lusitana Rebelo. O Sr. Manoel Rebelo foi o pioneiro em lojas especializadas no Brasil, ao abrir no bairro do Jabaquara, em São Paulo, a loja que viria a ser o centro de referência do assunto no Brasil. A Rebelos' Funhouse é hoje a loja mais visitada na América Latina e tem um estoque e acervo invejável à qualquer loja na Europa e EUA. Até o final do século XIX, a maioria dos brinquedos era fabricada em casa, ou fabricada artesanalmente. Atualmente, a grande maioria dos brinquedos são fabricados em massa, e comercializados. A partir da segunda metade do século XX, vários países criaram leis que proíbem a venda de brinquedos considerados perigosos - por exemplo, por conterem materiais tóxicos ou partes que se soltam facilmente - ou que não possuem claros avisos - por exemplo, não recomendado para menores de três anos de idade por conter materiais que podem ser engolidos pela criança. Tais leis também dão ao governo o direito de recolher do mercado todos os produtos que não atendem às especificações necessárias. Os fabricantes de brinquedos fabricam milhares de brinquedos diferentes diariamente. Vários destes brinquedos são similares entre si - ou seja, são da mesma categoria, como uma boneca, por exemplo - mas são fabricados por diferentes empresas, e possuem direitos autorais e certas diferenças básicas entre si. Por exemplo, no caso das Bonecas,
  12. 12. duas marcas de bonecas famosas são a americana Barbie e a brasileira Susi. A criança brinca com brinquedos gradualmente mais sofisticados, à medida que a criança cresce. Os brinquedos mais comuns para bebês entre zero a doze meses são brinquedos musicais simples e móbiles, ou brinquedos de berço, objetos que ficam pendurados sob o berço do bebê. Estes brinquedos estimulam a coordenação motora, a visão e a audição do bebê. Após o primeiro ano de vida, blocos que podem ser encaixados entre si e animais de pelúcia também passam a interessar o bebê. Um espelho resistente ajuda estas crianças a reconhecerem-se a si mesmas. Outros brinquedos incluem , pequenos e simples quebra-cabeças e livros ilustrados. Bonecas passam a atrair a atenção das crianças por volta do segundo ano de vida. Entre os dois aos seis anos de idade, a criança torna-se mais interessada em explorar o mundo à sua volta. Alguns brinquedos como triciclos (ou quadriciclos), vagões, bolas e blocos de montar ajudam a fortalecer os músculos da criança. A criança desta faixa etária é altamente imaginativa, e muito desta imaginação é direcionada aos brinquedos - bonecos tornam-se amigos ou super-heróis e blocos de montar transformam-se em cidades. A partir do sexto ano de vida, os brinquedos começam a fazer parte de brincadeiras mais elaboradas e/ou "faz-de-conta". Ao brincar com bonecas, as crianças fazem de conta que são pais, e fazem uso de vários artifícios de brinquedo - carrinhos e berços, por exemplo. Bonecos de ação - robôs, super-heróis e vilões - ainda interessam crianças até por volta do décimo ano de vida. À medida que a criança cresce, ela pode participar em jogos mais elaborados - como quebra cabeças complicados ou jogos de tabuleiro, por exemplo. Por volta do décimo ano de vida, muitas crianças interessam-se por brinquedos muito elaborados tais como verdadeiros kits de construção. Tais kits ensinam à criança paciência e dedicação. Crianças que se interessam por ciência podem passar horas brincando com kits especializados ou um microscópio, por exemplo. Vários pré-adolescentes perdem interesse em todo tipo de brinquedo infantil após o décimo segundo ano de vida; porém, outros continuam a gostar de um brinquedo em particular, como, no caso de muitas adolescentes, bonecas e animais de pelúcia, tanto por gosto quanto por valor sentimental. Outros são influenciados por um dado tipo de brinquedo quando crianças, a tal ponto que esta pessoa passa a manter um hobby relacionado com esse brinquedo quando adulto, como é o caso de várias pessoas interessadas em aeromodelismo. Muitos pesquisadores têm buscado através de pesquisas em objetos, fotografias e pinturas a origem dos brinquedos. Alguns museus têm exemplares de brinquedos encontrados em escavações em diversas partes o mundo, oriundos de épocas bastante remotas. Com os dados encontrados, é possível tentar interpretar e explicar o fenômeno brinquedo e o ato de brincar no contexto histórico dos diversos grupos sociais. Bonecas articuladas que podiam mover-se com barbantes, semelhantes ao atuais fantoches, eram utilizadas por crianças da Grécia e de Roma antigas, bem como modelos diminutos de cadeiras, mesas, jarros e outros objetos da vida cotidiana. Bolas (algumas de couro e cheias de crina, palha e outros materiais), e bonecas de madeira ou barro cozido também foram encontradas.
  13. 13. O cavalo de pau, cataventos, pássaros presos por um cordão e bonecas multiplicaram-se principalmente a partir do século XV e alguns deles nasceram do espírito de imitação das crianças. Elas imitavam as atividades dos adultos, reduzindo-as à sua escala, como foi o caso do cavalo de pau, numa época em que o cavalo era o principal meio de transporte e de tração. O fato de terem sido encontradas bolas, bonecas, chocalhos, piões e peça de jogos desde as mais remotas idades, demonstra que muitas brincadeiras infantis mantém-se durante o passar dos tempos. Na Idade Média, a fabricação de brinquedos assumiu importância na vida econômica de algumas cidades e países. No século XV os fabricantes de Nurenberg começaram a ficar famosos por seus brinquedos. Nos séculos XVI e XVII Ulm e Augburg, também na Alemanha, reuniam os fabricantes de casas de bonecas, miniaturas de instrumentos musicais e peças de mobiliário que se constituíram em obras primas de artesanato. Atualmente a indústria de brinquedos existe no mundo todo e movimenta valores econômicos muito elevados. A evolução tecnológica permitiu a criação de um grande número de brinquedos que encantam as crianças, pelo menos por algum tempo, até serem esquecidos. Na verdade, nenhum deles substitui o encanto de brinquedos simples como uma bola ou uma boneca, os quais permitem o pleno desenvolvimento da imaginação. Com a crescente industrialização do brinquedo, cada vez mais "aumenta" as opções de brincar. Em contrapartida, cada vez menos dá-se espaço à criatividade e a imaginação. O brinquedo já vem pronto e com todas as instruções de uso, bastando segui-las. No artigo de Gildo Volpato ("Do brinquedo e do brincar – um pouco da história") – encontra-se uma ótima revisão sobre a vinculação da cultura de uma sociedade e os fatores históricos que propiciaram o surgimento dos brinquedos. Muitos deles foram utilizados no trabalho, em atividades artísticas, místicas, sacras, antes de serem considerados brinquedos. A maioria deles era partilhada por adultos e crianças, não havendo também preocupação em separar "brinquedos de meninas" e "brinquedos de meninos". Esta separação começa a ocorrer principalmente no decorrer do século XVIII, com o início da fabricação dos brinquedos infantis. Com o advento do capitalismo, o brinquedo torna-se uma mercadoria a ser comercializada. A partir daí, os objetivos do brinquedo começam a se afastar de sua origem". Como surgiu cada brinquedo e brincadeira BONECAS As primeiras estatuetas de barro podem ter sido feitas pelo Homo sapiens há 40 mil anos, na África e na Ásia, com propósitos ritualísticos. No Museu de História Natural de Viena, na Áustria, encontra-se uma das mais antigas figuras humanas conhecida, a Vênus de Willendorf (25 mil-20 mil a.C), uma pequena estatueta de formas arredondadas. A transição das bonecas como ídolos para brinquedos provavelmente ocorreu no Egito, há 5 mil anos.
  14. 14. BICHOS DE PELÚCIA Foram inventados no século XIX. O mais famoso deles, nos Estados Unidos, é o urso Teddy Bear. TRENS Um dos admiradores dos trenzinhos foi Napoleão III, sobrinho de Napoleão Bonaparte, eleito presidente da França em 1848 e que três anos depois tornou-se imperador. O primeiro trem elétrico em miniatura foi feito em 1835 ,por um ferreiro nova-iorquino. CARROS Os carrinhos apareceram simultaneamente aos carros originais, nos primeiros anos do século 20. Já o autorama foi inventado na Inglaterra, em 1956. BICICLETA Leonardo da Vinci já tinha estudos sobre a bicicleta, mas sua história oficial começou em 1790, quando um conde francês chamado Sivrac criou o "Celerífero" (celer = rápido, fero = transporte). Era uma bicicleta de madeira, que ainda não tinha pedais nem correntes e era empurrada com os pés no chão. MONTANHA-RUSSA Como o nome já diz, nasceu na Rússia. As primeiras surgiram nos séculos 15 e 16, como um esporte de inverno. Tanto as pistas como os carrinhos eram feitos de gelo, o que forçava os aventureiros a se sentarem em blocos com assentos escavados e recobertos de palha. O trenó com rodas surgiu em 1784, em São Petersburgo. PIÃO Cerca de 3 mil anos a.C, na Babilônia, já existiam os piões, feitos de argila e com as bordas decoradas com formas de animais e humanas ou relevos. CAIXINHAS DE MÚSICA Os suíços criaram as primeiras caixinhas de música em torno de 1770. Utilizando o conhecimento que tinham na arte da relojoaria, criaram um mecanismo em que um pente com dentes de metal dedilhava sobre um cilindro que girava, movido por peças de relógio. CHOCALHO Os primeiros chocalhos surgiram no Egito por volta de 1360 a.C. Vários deles podem ser vistos em museus, com formatos variados: de pássaros, porcos, ursos etc. http://pt.wikipedia.org/wiki/Brinquedo http://www.ebrinquedo.com/152/index.php? option=com_content&view=article&id=45:origem&catid=35:brinquedos&Itemid= 59

×