Trabalho de historia da educacao

126 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
126
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de historia da educacao

  1. 1. HISTORIA DA EDUCACAO I E IIA historia da educação e muito importante no ensino profissional.Para Marx, historia e um campo aberto de possibilidades. Um dos pressupostos de sua teoriada historia e o de que os sujeitos atuam com determinadas intenções e finalidades, mas oprocesso histórico em si mesmo carece de intencionalidade, pois não existe nele umdeterminismo, uma finalidade imanente. Asinstituições, como fenômenos singulares, só existem historicamente no interior de umadeterminada formação econômica-social. Quanto o desenvolvimento político-social, ainstituição escolar, via de regra, funciona como um aparelho de reprodução das relaçõesideológicas. A concepção marxista da historia parte dopressuposto de que a dependência das instituições superestruturais, em relação a baseeconômica que garante a existência material da sociedade, não deve ser compreendida deforma simplista, como um mecanismo que atua automaticamente. BASES METODOLOGICAS A HISTORIA DA EDUCACAO IA quantidade de uma pesquisa cientifica em educação e histórico-educacional dependetambém da carência do pesquisador na medida em que sua fundamentação teórica estejacoerente com o método cientifico. Mas para que o método determine o referencial teórico epreciso distinguir claramente a diferença entre técnicas de pesquisas de pressupostometodológico. A teoriamarxista está fundamentada num pressuposto materialista, numa teoria histórica e em atuallogica dialética analise de Marx e ENGELS sobre a organização da sociedade demonstra que aparte do surgimento da propriedade privada dos meios de produção, a historia tem sidomarcado sucessivamente pela luta de classes. Dai a informação de que a historia de todas associedades que já existiram e a historia de luta de classe.Engels (1991) define o estado com um poder publico especial, distinto do conjunto doscidadãos que o compõem. O controle do Estado possibilitou a burguesia transformar suavontade em vontade politica materializada no ordenamento jurídico burguês. Ambos osmétodos são fundamentais e mutuamente dependentes. Uma pesquisa que não explicitassecoerentemente o fenômeno investigado não seria conhecida e tampouco utilizada.TEORICOS DA HISTORIA DA EDUCACAO IA preocupação com o ato de educar não e um assunto nascido na contemporaneidade. já nosanos entre 469 a 347 a.C, o filosofo grego Sócrates, contrariando a filosofia que procuravaexplicar o mundo baseado na observação da natureza, defendia a tese de que o ser humanodeveria conhecer a si mesmo.Aristóteles, por sua vez, cuja teoria foi dos anos 384 a 322 a.C, indiretamente teve grande
  2. 2. importância na educação. Acreditava que a educação era caminho para uma vida publica,cabendo a ela a formação do caráter do aluno.A HISTORIA DA EDUCACAO IIA historia da educação no Brasil iniciou-se com a chegada dos padres jesuítas em 1549. Visandoa propagação da fé, lançaram as bases de u vasto sistema educacional, que se desenvolveuprogressivamente com a expansão territorial da colônia.No sistema de ensino dos jesuítas, ao curso de humanidades seguia-se o de artes (filosofia eciência). Os cursos que preparavam para as profissões liberais só existiam na Europa, e osestudantes brasileiros procuravam geralmente a Universidade de Coimbra, formosa pelos cursode ciências jurídicas e teológicas, e que teve, por isso, grande importância na formação da elitecultural brasileira. Com a proclamação darepublica, a política educacional não se modificou, pelo menos ate a primeira guerra mundial. Otipo de mentalidade formado no período colonial e no império persistiu. o mesmo gosto pelaliteratura e retorica, o mesmo formalismo. O movimento de reformaseducacionais desse período era apenas um aspecto do processo revolucionário que sedesencadeou nos pais a partir de 1924, eclodindo em 1930. A primeira universidade criadadentro do espirito de reforma Francisco Campos foi a de São Paulo, em 1934, contando comuma faculdade de filosofia, ciências e letras.PERIODO AUTORITARIO (1964-1984)O ensino no Brasil era organizado em níveis. Primário, médio e superior. Pela lei 5.692, o ensinode nível primário fundiu-se ao antigo ginásio e passou a constituir e ensino de 1 grau, o ensinomédio transformou-se em ensino de 2 graus. A filosofia educacional foi objeto de intensosdebates na Assembleia Nacional Constituinte. Os defensores da democratização do ensinotentavam garantir proteção constitucional para uma educação leiga, universal e gratuita, comforte ênfase no ensino publico, admitindo o privado sem direito a verbas publicas e sujeito acontrole do poder publico.A NOSSA POLITICA DE EDUCACAO ATUAL COM BASE NA CONSTITUICAO DE 1988 E LDB/1996.Podemos dizer que a politica de educação que desenvolvemos atualmente tem como marcolegal a Constituição de 1988 e a lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB/1996).Vingamos de u período de exceção, de ditadura, marcado por uma profunda centralização depoder e de formulação de politicas, para entrar em um novo momento, com forte influencia demovimentos populares e de descentralização. A nova CF afirmouque a educação e direito de todos e dever do estado, portanto, cabe a ele oferecer educaçãopublica de qualidade. O artigo211 de CF, em modificação proposta pela Emenda Constitucional 14, de 1996 e a lei de
  3. 3. Diretrizes e Bases da Educação (LDB/1996) em seus artigos 8 a 20 explicitaram o principio doregime de colaboração, dizendo que a União será responsável pelo sistema federal de ensinode exercera a funcao redistributiva e supletiva.

×