Levantamento de dados sobre cotas
Título:  Cotas  raciais  em  cartas  de  leitores  da  revista  Caros  Amigos:  uma  per...
de escolas  públicas na UFPA, porém,  também  evidenciam deformidades na adoção das
cotas para negros na Instituição.
Títu...
da questão social

Título: Perspectivas de estudantes em situação de vestibular sobre as cotas universitárias
Autor: Guarn...
afirmativas e prestações positivas. Aborda a origem das ações afirmativas nos Estados Unidos e na
França e as limitações e...
Título: Photoshop, Preconceito Escolar e Cotas Raciais
Autor: José Apostolo Netto
Assuntos: Desigualdade Social ; Cotas Ra...
ocorrido na própria Instituição, no contexto da discussão sobre o sistema de cotas, para evidenciar os
argumentos que aí e...
todos os cursos da Universidade Federal de Sergipe. Os resultados indicam forte rejeição às cotas,
sobretudo na universida...
das desigualdades historicamente construídas.
Título: O afro-brasileiro e o debate sobre o sistema decotas: um enfoque psi...
inócuo e as políticas universalistas são caracterizadas como suficientes para combater a desigualdade
entre negros e branc...
Levantamento sobre cotas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Levantamento sobre cotas

364 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
364
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Levantamento sobre cotas

  1. 1. Levantamento de dados sobre cotas Título:  Cotas  raciais  em  cartas  de  leitores  da  revista  Caros  Amigos:  uma  perspectiva dialógica Autor: Irene De Lima Freitas Assuntos: Dialogismo ; Discurso Jornalístico ; Cotas ;Interação Verbal Publicado em: Bakhtiniana : Revista de Estudos do Discurso, 2013, Vol.8(1), p.40 Resumo:  Neste  artigo  pretendemos  demonstrar  alguns  resultados  obtidos  em  nossa tese  de  doutorado  defendida  no  segundo  semestre  de  2011.  Na  pesquisa,  analisamos textos da  mídia impressa  inseridos em uma cadeia discursiva de conflitos e embates que polemizam  o  sistema  de  cotas  no  Brasil.  Nosso  objetivo  é  analisar  a  forma  como  são engendradas  as  interações  dialógicas  entre os participantes  do  evento  discursivo: como o autor  dialoga  com o objeto do discurso e com o destinatário, tomando  por base a teoria dialógica  do  discurso,  de  Bakhtin  e  o  Círculo.  Os   resultados  evidenciam  que  o posicionamento  assumido  pelos  interlocutores  é  construído  a  partir  do valor  que  o outro atribui à  sua  construção; o embate entre os interlocutores é constitutivo dos enunciados; e a  análise  dialógica  de  enunciados  da  mídia  contribui para uma  melhor compreensão da natureza social do discurso e dos temas relevantes para a sociedade, no caso das cotas. Título:  Reserva de vagas ensino superior: o processo de implementação das cotas raciais nos cursos de graduação da Universidade Federal do Pará Autor: MELO, Nairo Bentes de Assunto(s):  Racismo,  Ensino   superior,  Cota  racial,  Política  de   ação  afirmativa, Universidade Federal do Pará Publicado em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/2814 Resumo:  Esta  pesquisa  é  inserida na área de Políticas Públicas do Ensino Superior, nela tivemos  três objetivos:  1) Discutir  a instituição  da política  de cotas na Educação Superior brasileira;  2)  Verificar  seus  desdobramentos  na  Universidade  Federal  do  Pará;  e  3) Analisar os impactos que  a  política  de cotas  teve  no  ingresso de  alunos  pretos  e pardos nos  seus  cursos  de   graduação.  A  abordagem  metodológica  adotada  foi  de  cunho quanti­qualitativo,  tivemos como técnicas  de  coleta de dados  a  pesquisa  documental em diversificadas  fontes  e  a  realização  de  entrevistas  com integrantes do Grupo de Trabalho que  elaborou  a  proposta  oficial  de  ação  afirmativa  da  UFPA,  a  fim  de dialogar com  os dados documentais. A  perspectiva  de  análise que  nos  norteou  foi a Análise de conteúdo. Os  resultados  da  pesquisa  apontam  para  maior  inserção de estudantes  negros e alunos
  2. 2. de escolas  públicas na UFPA, porém,  também  evidenciam deformidades na adoção das cotas para negros na Instituição. Título:  Os  herdeiros  de  Ananse:  movimento  negro,  ações  afirmativas,  cotas  para  negros  na universidade Autor: DEUS, Zélia Amador de Assunto(s):  Racismo,  Política  de  ação  afirmativa,  Negro  (Raça),  Universidade,  Brasil  ­ País Publicado em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3060 Resumo:  Ananse,  a  metamorfose  em  aranha  da  deusa  Aranã,  procedente  da  cultura fanthi­ashanti,   da  região  do  Benin   na  África  ocidental,  configura­se,  neste  trabalho  na metáfora  símbolo  das  ações  de  resistência  empreendidas  pelos  africanos   seus descendentes  no  continente  americano,  particularmente  no,  Brasil.  Dessa  maneira, apresenta  um  relato  etnográfico da  saga  dos herdeiros da  deusa  Aranã em luta contra  o racismo.  A  estrutura  desta  narrativa  é  a  de  um  Auto  Teatral  em  que  o  personagem antagonista  é  o  Racismo  e  o  protagonista  são  os  herdeiros  de  Ananse.  A  composição dessa narrativa  parte  da  premissa  de que as  diversas  culturas trazidas pelo protagonista exerceram importância  fundamental, para alimentar a  luta dos africanos e seus herdeiros, frente à astúcia  de um antagonista capaz de se travestir, no tempo e no espaço, de várias personas  (máscaras)  para  desorientar  e  enfraquecer  os  discursos  do  protagonista. Entretanto,  o  protagonista  também  é  astucioso  na  elaboração  de  suas  teias.  No  tecido desta  narrativa  recupero  as  teias  elaboradas  por  este  personagem  para  inserir  na agenda  do  estado  brasileiro  o  reconhecimento  da  existência  do  racismo  e  da discriminação  racial,  na  sociedade.  e  as  políticas  públicas  de  ação  afirmativa,  em especial,  o  emprego  do  sistema  de cotas  para  negros  na universidade. O  embate é uma narrativa com características épicas que privilegia o papel do fio/ação movimento negro. Título: Política de cotas no Brasil: política social? Autor: Janete Luzia Leite Assunto(s):  Políticas Sociais ; Ações Afirmativas ; Cotas ;Brasil Publicado em: Revista Katálysis, 2011, Vol.14(1), p.23 Resumo:  Este artigo discute as políticas de ação afirmativas - notadamente a política decotas - como mais uma estratégia do capitalismo em seu estágio atual para passivizar a classe trabalhadora na luta pela ampliação de direitos sociais. Parte da hipótese de que segmentos historicamente explorados têm a sua não integração na sociedade como resultante da "questão social", e não de determinações particularistas. Para tanto, utiliza a teoria social crítica para analisar a emersão e o evolver das políticas sociais no Brasil e de que forma estas se metamorfoseiam sob a égide do governo Luís Inácio Lula da Silva. O sistema de cotas étnico-raciais para o ingresso no ensino superior público é aqui contrastado com a defesa de políticas públicas de caráter universal. Conclui que a assistencialização das políticas sociais é mais um instrumento para eliminar a luta política dos trabalhadores e escamotear as expressões
  3. 3. da questão social Título: Perspectivas de estudantes em situação de vestibular sobre as cotas universitárias Autor: Guarnieri, Fernanda Vieira ; Melo-Silva, Lucy Leal Assuntos: cotas universitárias ; ensino superior ; curso pré-vestibular, acesso à universidade Publicado em: Psicologia & Sociedade, 2010, Vol.22, p.486-498 [Periódico revisado por pares] Resumo: As Cotas Universitárias são medidas que visam a ampliar possibilidades de ingresso no ensino superior para grupos sociais específicos. É um tema abrangente que aborda desde a falta de vagas para o ensino superior, até aspectos que relacionam subjetividade e pertença étnico-racial. O objetivo do presente estudo consiste em investigar as opiniões de vestibulandos sobre as Cotas. Participaram do estudo 107 estudantes de cursos pré-vestibulares, distribuídos em Grupo A (cursinhos alternativos; n=53) e Grupo B (cursinhos particulares; n=54). O estudo foi realizado em duas etapas: (1) aplicação do Questionário COTAS e (2) realização de entrevista individual. Os resultados indicam que a temática CotasUniversitárias é explorada superficialmente e de modo estereotipado pelos estudantes. O critério social foi mais aceito pelos participantes do que o critério étnico-racial na definição de Cotas. Por fim, ressalta-se a necessidade de promover debates sobre Cotas universitárias, no intuito de regulamentar, fiscalizar e avaliar as medidas. Título: Pensando as cotas raciais no vestibular das universidades públicas Autor: Elizenda Sobreira Carvalho De Sousa ; Wilson Honorato Aragão Assuntos: Discriminação ; Preconceito ; Justiça ;Oportunidade. Publicado em: Revista Thema, 2011, Vol.8(Especial) Resumo: O presente artigo trata de uma reflexão sobre uma recente pesquisa de opinião realizada, com cento e trinta (130) cursistas do NEAD/CIPEAD/UFPR, nove (9) professores da UFPB e (90) noventa cursistas da Escola de Gestores de Educação Básica da Paraíba/UFPB, período (2011), em que buscamos saber, de acordo com suas ideias, palavras e expressões, o que pensam sobre “As Cotas Raciais no Vestibular das Universidades Públicas”, e almejamos chegar a uma representação social, embora que baseada apenas em uma amostragem, das Cotas Raciais nas Universidades Públicas. Devemos levar em conta a opinião daqueles que se dispuseram a responder a presente pesquisa. Como conclusão, as cotas raciais nas Universidades Públicas foram definidas pelos entrevistados de forma equilibrada, ou seja, para os respondentes que se posicionaram contra, as cotas raciais foram vistas como uma forma de discriminação e preconceito e, para os que se posicionaram a favor, como uma ação afirmativa elaborada para reparar as injustiças sociais. Título: Reflexões sobre a constitucionalidade das cotasraciais em Universidades Públicas no Brasil: referências internacionais e os desafios pós-julgamento das cotas Autor: Fátima Bayma Assuntos: Ações Afirmativas ; Cotas Raciais No Ensino Superior ; Experiências Nacionais E Internacionais; Raça E Classe Social No Brasil Publicado em: Ensaio, 2012, Vol.20(75), p.325 Resumo: Este artigo analisa questões relacionadas à constitucionalidade das cotas raciais no Brasil apresentando diversas contribuições e posicionamentos divergentes sobre o assunto. Conceitua ações
  4. 4. afirmativas e prestações positivas. Aborda a origem das ações afirmativas nos Estados Unidos e na França e as limitações em aplicar os respectivos modelos à realidade brasileira, apresenta considerações sobre o julgamento da constitucionalidade das cotas pelos ministros do Supremo Tribunal Federal e os principais desafios a serem enfrentados pelas universidades Título: Sistema de cotas: uma perspectiva de análise a partir do caso da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Autor: Ludmila Gonçalves Da Matta Assuntos: Cotas ; Desigualdades ; Discriminação Publicado em: Vértices, 2010, Vol.12(3), p.107 Resumo: Este trabalho tem por objetivo oferecer uma introdução à discussão sobre políticas de ação afirmativa e condição socioeconômica a partir da abordagem do caso específico da implementação da política de cotas para estudantes negros ou pardos na Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Neste trabalho, além da discussão teórica, realizamos um trabalho de pesquisa em que traçamos o perfil socioeconômico dos alunos beneficiados pelas cotas para negros e pardos, o qual foi analisado em termos comparativos com um estudo realizado na Universidade Federal Fluminense (UFF). Título: Desempenho dos candidatos no vestibular e o sistema de cotas na UERJ Autor: Alberto De Mello E Souza Assuntos: Ação Afirmativa ; Bônus ECotas ; Ambiente Familiar ; Grupo Focal Publicado em: Ensaio, 2012, Vol.20(77), p.701 Resumo: A reforma mais profunda ocorrida nas universidades públicas na última década diz respeito à introdução de programas de ação afirmativa, para ampliar as oportunidades de negros de ingressarem na universidade. Recentemente, está ocorrendo a preocupação de ampliar os beneficiários, incluindo os candidatos que tenham cursado o ensino médio em escolas públicas. Existe uma diversidade de programas, refletindo a autonomia das universidades em definirem, principalmente, o grupo focal e o mecanismo de favorecer os estudantes nesse grupo. Esse mecanismo pode ser o sistema de cotas ou o sistema de bônus. O sistema de cotas reserva um percentual das vagas em cada carreira para os candidatos cotistas classificados; já o bônus acresce à pontuação do candidato cotista um percentual que pode ser fixo ou variável. No caso do bônus, os beneficiários são estudantes que cursaram o ensino médio. É inevitável que haja um conflito entre eficiência e equidade na implantação de um sistema de cotas. A perda de eficiência está na seleção de candidatos com uma pontuação menor. Neste caso, a pontuação obtida no vestibular é vista como um indicador de desempenho no curso. O ganho na equidade reflete as maiores oportunidades de acesso para os cotistas. Os resultados empíricos reforçam a importância do ambiente familiar no desempenho dos candidatos. Ambiente familiar é retratado pela escolaridade paterna e pela renda familiar. O prestígio acadêmico, medido pela pontuação dos candidatos inscritos em cada carreira, também tem um comportamento expressivo e, ao que parece, representa o capital cultural exigido em cada carreira. Os candidatos que escolhem as carreiras de maior prestígio têm maiores chances de ser aprovados. Uma possível correlação entre as variáveis que representam dimensões do ambiente familiar, incluindo o prestígio das carreiras, não foi observada. Com respeito às variáveis da escola, somente o turno noturno mostrou-se significativo e com o sinal negativo esperado.
  5. 5. Título: Photoshop, Preconceito Escolar e Cotas Raciais Autor: José Apostolo Netto Assuntos: Desigualdade Social ; Cotas Raciais ; Educação ;Escola Publicado em: Revista Espaço Acadêmico, 2009, Vol.9(102), p.120 Resumo: O artigo aborda a questão da desigualdade social dos estudantes negros e pobres gerada pelo do preconceito étnico e racial na escola, bem como sugere que o sistema de cotas na universidade pública pode ser um reparador do desequilíbrio Título: Cotas para negros no Ensino Superior e formas de classificação racial Autor: Brandão, André Augusto ; Marins, Mani Tebet A. de Assuntos: Ensino Superior ; Cotas ; Classificações raciais Publicado em: Educação e Pesquisa, 2007, Vol.33, p.27-45[Periódico revisado por pares] Resumo: Este artigo apresenta e discute dados referentes à aplicação de um questionário voltado para variáveis de classificação racial e opinião sobre a política de cotaspara negros em uma amostra de 476 alunos do último ano do Ensino Médio da rede pública de um município periférico da região metropolitana do Rio de Janeiro. Buscamos compreender os elementos que informam as classificações de cor ou raça, bem como o posicionamento que esses alunos tomavam frente à política decotas que poderia beneficiá-los no acesso a uma universidade pública. Deve-se ressaltar que os alunos entrevistados estariam em breve frente à possibilidade de disputar uma vaga no Ensino Superior em um vestibular com cotas raciais numa universidade pública que mantém um campus no próprio município onde estudam e residem. Essa problemática e esse tipo de investigação nos parecem fundamentais na atualidade, pois as cotas para negros que vêm sendo implantadas desde 2003 em várias instituições de Ensino Superior têm sofrido críticas e atravessado controvérsias jurídicas também por conta das formas de classificação propostas. Na pesquisa realizada, foi possível avançar na discussão de como as opções de classificação racial até o momento utilizadas nessas políticas se relacionam com os formatos de auto-identificação e de identificação do outro, comumente presentes no cotidiano das escolas pesquisadas, bem como verificar como a idéia de cota racial é avaliada pelos seus possíveis beneficiários. Título: Sistema de cotas: um debate. Dos dados à manutenção de privilégios e de poder Autor: Delcele Mascarenhas Queiroz ; Jocélio Teles Dos Santos Assuntos: Cotas ; Ensino Superior ; Universidade Federal Da Bahia Publicado em: Educação & Sociedade, 2006, Vol.27(96), p.717 [Periódico revisado por pares] Resumo: Este artigo analisa o impacto da implantação do sistema de cotas em uma universidade federal, a UFBA. Inicialmente, compara os resultados de duas pesquisas realizadas pelo DataFolha, em distintos momentos, para apontar a mudança ocorrida na percepção dos brasileiros sobre as relações raciais no país e, conseqüentemente, no debate sobre a questão. Num segundo momento, se detém no debate
  6. 6. ocorrido na própria Instituição, no contexto da discussão sobre o sistema de cotas, para evidenciar os argumentos que aí emergiram. Examina os dados de desempenho dos estudantes nos vestibulares de 2005 e 2006, e também do seu desempenho durante o curso, nos dois primeiros semestres de 2005, comparando os cotistas e os não-cotistas, para argumentar em favor do sistema de cotas, evidenciando seu efeito para ampliar o acesso de estudantes negros oriundos do sistema público de ensino à Universidade Título: Política de cotas raciais, os "olhos da sociedade" e os usos da antropologia: o caso do vestibular da Universidade de Brasília (UnB) Autor: Marcos Chor Maio ; Ricardo Ventura Santos Assuntos: Antropologia ; Brasil ; Cotas Raciais ; Educação Superior ; Anthropology ; Brazil ; Higher Education ; Racial Quota System Publicado em: Horizontes Antropológicos, 2005, Vol.11(23), p.181 [Periódico revisado por pares] Resumo:A Universidade de Brasília (UnB) foi a primeira instituição de ensino superior federal a adotar um sistema de cotas raciais para ingresso através do vestibular, a partir do segundo semestre de 2004. A iniciativa da instituição, devido sobretudo à estratégia de estabelecer uma comissão para homologar a identidade racial dos candidatos a partir da análise de fotografias, gerou um intenso debate na sociedade, que se estendeu para muito além da comunidade universitária. Sugerimos que ao lidar com uma questão sociopolítica, ou seja, procurar estabelecer um privilégio para determinado grupo com o intuito de corrigir injustiças históricas e, ao mesmo tempo, controlar os potenciais "burladores raciais", o aparato acadêmico-burocrático da UnB, em aliança com o movimento negro, buscou mobilizar parâmetros supostamente objetivos. Esses critérios, afeitos a uma sorte de anátomo-psicologia racial, geraram uma temporada de disputas científico-políticas de amplo espectro, na medida em que os próprios critérios estabelecidos foram objeto de controvérsias. Um aspecto particularmente significativo é que no caso UnB há o acionamento de temas caros à reflexão antropológica, ou seja, no plano das técnicas, chegou a envolver a prática da antropologia enquanto atividade de "peritagem racial". Nosso intuito nesse trabalho é refletir sobre esse contexto, particular em suas especificidades, mas de considerável abrangência no que tange ao envolvimento (e aos usos) da antropologia na dinâmica de processos contemporâneos. Título: Percepções de justiça social e atitudes de estudantes pré-vestibulandos e universitários sobre as cotaspara negros e pardos nas universidades públicas Autor: Lima , Marcus Eugênio O. ; Paulo S. C. Neves Assuntos: Justiça Social ; Cotas E Atitudes Publicado em: Revista Brasileira de Educação, 2007, Vol.12(34), p.17 Resumo: Percepções de justiça social e atitudes de estudantes prévestibulandos e universitários sobre as cotas para negros e pardos nas universidades públicas Um dado novo nas relações racializadas no Brasil nos últimos anos tem sido o das políticas de ação afirmativa para minorias étnicas. A política de cotas de acesso para negros e pardos nas universidades públicas tem gerado um intenso debate sobre questões de discriminação e de identidade racial que antes não pareciam pertinentes no país que possui a maior população negra vivendo fora da África. A fim de analisarmos a relação entre as percepções de justiça social e os posicionamentos de estudantes sobre as cotas, realizamos dois estudos em Aracaju envolvendo estudantes de dois cursinhos pré-vestibulares (um público e um privado) e estudantes de
  7. 7. todos os cursos da Universidade Federal de Sergipe. Os resultados indicam forte rejeição às cotas, sobretudo na universidade. Pensamos que essa resistência pode indicar tanto uma recusa a uma transformação do modelo de justiça liberal, pautado no mérito individual, quanto uma resistência ao tipo de ação apenas midiática em que as cotas se estão transformando na sociedade brasileira. Título: Estudantes de cotas: um convite à reflexão Autor: Castro, Alba Tereza Barroso De Assuntos: Educação - Políticas Públicas ; Assistência Social - Brasil Publicado em: Textos & Contextos (Porto Alegre), 2006, Vol.5(1), p.Dados+elet Resumo: O trabalho aborda as Políticas de Cotas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, partindo-se da premissa que o problema não é apenas o difícil acesso à universidade de oriundos de escolas públicas e afro-descendentes, mas a permanência destes no ensino superior. As análises sobre os significados, as polêmicas, os alcances e os limites do universo de cotas terão por base estudos documentais e bibliográficos, bem como os dados da pesquisa: “As Políticas de Assistência aos estudantes cotistas em andamento na Faculdade de Serviço Social (FSS) junto a alunos de cotas do curso de Serviço Social”. A partir da constituição de um grupo de dez alunos, foi realizada uma oficina-piloto de escuta, debates e troca de experiências sobre as trajetórias destes alunos, procurando analisar as suas dificuldades para entrar e se manter na universidade. Procurou-se, também, conhecer as estratégias que os alunos desenvolvem para tentar driblar os problemas vivenciados. Os dados coletados revelam uma tendência de crescente precarização das condições de ensino e aprendizagem entre os alunos de cotas, no âmbito de um já reconhecido campo de educação com limites e problemas. A Política de Cotas da UERJ esconde, sob o propagado discurso de reversão da histórica dívida para com os afro-descendentes, um perfil populista, pois não prevê e nem dimensiona um efetivo programa de acompanhamento e apoio aos estudantes de cotas. Título:Mitos e controvérsias sobre a política de cotas para negros na educação superior Autor: Bittar, Mariluce ; Almeida, Carina E. Maciel de Assuntos: política de cotas ; educação superior ; acesso e permanência ; politic of quotas ; higher education ; access and permanence Publicado em: Educar em Revista, 2006, p.141-159 Resumo: Neste texto, analisa-se o processo de implantação da política de cotas para negros na educação superior, tomando como base a implementação dessa política na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS. Investigou-se, também, em que medida o sistema de reserva de vagas para negros pode ser considerado uma estratégia de acesso e permanência dos estudantes negros na educação superior. Para atingir tal objetivo, foram entrevistados alunos que ingressaram, pelo sistema de cotas para negros, no Processo Seletivo de 2004 da UEMS nos cursos de Direito e Enfermagem e analisados documentos e legislações referentes à implantação desse sistema na UEMS. Os dados revelaram que os alunos negros compreendem o sistema de cotas como um direito e que a permanência nos cursos depende de ações efetivas, por parte da Universidade, como bolsas de estudo e apoio pedagógico. As cotas representam uma ação afirmativa no sentido de se garantir o respeito à diversidade racial e a superação
  8. 8. das desigualdades historicamente construídas. Título: O afro-brasileiro e o debate sobre o sistema decotas: um enfoque psicossocial Autor: Ricardo Franklin Ferreiras ; Ricardo Mendes Mattos Assuntos: Afro-brasileiro ; Sistema De Cotas ; Identidade ;Ações Afirmativas ; Emancipação Humana Publicado em: Psicologia : Ciência e Profissão, 2007, Vol.27(1), p.46 Resumo:Tendo como base o debate sobre o sistema de cotas para negros nas universidades públicas, o presente artigo tem por objetivo explicitar os vários argumentos que configuram o campo de discussões acerca da implantação desse sistema, que constitui uma forma de ação afirmativa, visando a possíveis efeitos favoráveis dessa medida para o processo de construção da identidade do afro-brasileiro. Para tanto, recorreu-se à análise de diversos artigos e matérias publicadas pela imprensa escrita. Verificou-se a concentração dos debates, tanto das pessoas favoráveis ou contrárias às cotas, em seis esferas: ético/jurídica, étnica, político/assistencial, ideológica, pedagógica e das relações raciais. Por fim, concluiu-se que o debate sobre o sistema de cotas inaugura uma fase de discussões mais explícitas sobre as questões raciais, o que favorece a transformação do afro-descendente no sentido de atuar de forma crítica e emancipatória na conquista de seus direitos. Título: Um raio em céu azul: reflexões sobre a política de cotas e a identidade nacional brasileira Autor: Pereira, Amauri Mendes Assuntos: pensamento social brasileiro ; negros ; cotas ;ação afirmativa ; desigualdades sociais Publicado em: Estudos Afro-Asiáticos, 2003, Vol.25, p.463-482 [Periódico revisado por pares] Resumo: O texto aborda o pensamento social brasileiro com o propósito de contribuir para a elucidação do "choque social" provocado pelas propostas governamentais de cotase ações afirmativas. Argumenta que a razão fundamental de tais propostas impactarem a opinião pública e terem sido vistas como um absurdo, um "raio em céu azul", é o fato da questão racial no Brasil vir sendo relegada a segundo plano no âmbito acadêmico do pensamento social - com a intelectualidade, em geral, patinando no senso comum gerando desinformação e precária reflexão a respeito das desigualdades raciais. Como tem sido sempre intensa, rica e controvertida a interação de setores acadêmicos com a luta anti-racista, discute-se, então, sobre responsabilidades no quadro atual, em que o nível do debate social em torno dascotas e medidas de ação afirmativa é sintoma e resultado de escolhas investigativas, omissões e distorções na trajetória de instituição das Ciências Sociais no Brasil. Título: A mobilização do discurso da democracia racial no combate às cotas para afrodescendentes Autor: Oliveira Filho, Pedro de Assuntos: Racismo ; Relações raciais ; Psicologia social ;Racism ; Race relations ; Social psychology Publicado em: Estudos de Psicologia (Campinas), 2009, Vol.26, p.429-436 [Periódico revisado por pares] Resumo: Este estudo abordou o uso do discurso da democracia racial em argumentações utilizadas por brancos para combater à adoção de cotas raciais no Brasil. Destacam-se as funções ideológicas desse discurso. Foram entrevistados 60 sujeitos brancos, residentes em Campinas (SP). O artigo mostra temas e argumentos retirados do discurso nacional sobre raças, o tema da miscigenação, a crítica ao diferencialismo racial, entre outros, usados com notável eficácia retórica contra a utilização de cotas como forma de combate à desigualdade racial. Nesses discursos o racismo brasileiro ou é inexistente ou é
  9. 9. inócuo e as políticas universalistas são caracterizadas como suficientes para combater a desigualdade entre negros e brancos.

×