A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE
EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSINO FUNDAMENTAL
Ednaldo dos Santos Júnior
edn...
jogos pré-desportivos na aprendizagem, tendo em vista a sua contribuição educativa, visando
também analisar o que vem send...
Participar de atividades corporais, reconhecendo e respeitando algumas de
suas características físicas e de desempenho mot...
jogo, a execução das principais ações técnicas e táticas e suas regras, pois será através deles o
professor começará a tra...
não adquiriram conhecimentos de todos os esportes de uma vez, mas sim aproveitam
conhecimentos de um e implantam em outros...
Nos jogos, ao interagirem com os adversários, os alunos podem
desenvolver o respeito mútuo, buscando participar de forma l...
Nestes eventos esportivos escolares há uma relação entre as modalidades esportivas e
os Jogos Desportos Coletivos (JDC) co...
FERRAZ, O. L. O esporte, a criança e o adolescente: consensos e divergências. In: DE ROSE
Jr., D. (Org.). Esporte e ativid...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSINO FUNDAMENTAL - Ednaldo dos Santos Júnior; Edmax Lynnicker da Hora de Jesus Silva; Nádia Popilnicki Tonial

9.394 visualizações

Publicada em

Tese.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
117
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSINO FUNDAMENTAL - Ednaldo dos Santos Júnior; Edmax Lynnicker da Hora de Jesus Silva; Nádia Popilnicki Tonial

  1. 1. A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSINO FUNDAMENTAL Ednaldo dos Santos Júnior ednaldo-dos@hotmail.com Edmax Lynnicker da Hora de Jesus Silva lynnicker_@hotmail.com Nádia Popilnicki Tonial nadiatonial@hotmail.com RESUMO Este trabalho contempla a importância dos jogos pré-desportivos nas aulas de educação física sendo concretizados como conteúdos de ensino sobre a mesma, contribuindo para cooperação e socialização no processo de iniciação esportiva. Os jogos pré-desportivos fazem com que os alunos passem pelos processos de iniciação esportiva de forma prazerosa, respeitando assim suas respectivas faixas etárias e desenvolvendo todas as habilidades necessárias para aquele esporte que se pretende e quer trabalhar, além de aprimorar outras habilidades específicas em outros esportes, que poderão ser passados para os discentes em um futuro próximo. PALAVRAS-CHAVE: jogos pré-desportivos; iniciação esportiva; educação física. RESUMEN En este trabajo se analiza la importancia de los juegos pre-deportivos en las clases de educación física están materializados como la enseñanza de contenidos de el mismo, lo que contribuye a la cooperación y la socialización en el proceso de iniciación deportiva. Los juegos pre-deportivos hacen que los estudiantes aprueben los procesos de iniciación deportiva de una manera agradable, respetando así sus respectivos grupos de edad y desarrollando todo lo necesario para que el deporte que se pretende y quiere trabajar, además de mejorar otras habilidades específicas contenidas en otros deportes, que se pueden pasar a los estudiantes en el futuro próximo. PALABRAS CLAVE: juegos pre-deportivos; iniciación deportiva; educación física. 1. INTRODUÇÃO Este estudo originou-se da curiosidade de se investigar a importância dos jogos pré- desportivos na iniciação esportiva e qual a contribuição dos mesmos na iniciação esportiva. Tem como objetivo analisar a educação física, na prática pedagógica pontuando a relação dos  Graduado em Educação Física – IBESA.  Graduado em Educação Física – IBESA.  Mestrandos em Educação – UNASUR; Especialista em Docência do Ensino Superior – CESAMA; Bacharel em Educação Física – FACEPAL.
  2. 2. jogos pré-desportivos na aprendizagem, tendo em vista a sua contribuição educativa, visando também analisar o que vem sendo estudado em relação às questões da competição na educação física, realçar as características dos jogos pré-desportivos na educação física escolar e observar se nas aulas de educação física a competição e socialização vem sendo abordadas pelos professores. Neste artigo visamos mostrar a importância dos jogos pré-desportivos nas aulas de educação física escolar, pois os mesmos inseridos nos currículos desenvolvem grandes conhecimentos nos aspectos cognitivos através das regras e estratégias que os alunos utilizam no decorrer dos jogos, no afetivo, utilizando-se da sociabilização e cooperação uns com os outros e no motor, desenvolvendo assim as habilidades motoras específicas do esporte além das manipulativas grossas, sendo assim, os jogos pré-desportivos podem fazer parte do conteúdo da educação física influenciando sempre no processo de ensino aprendizagem dos discentes. Na Iniciação Esportiva com alunos de 11 a 12 anos, desenvolve-se jogos coletivos, através de pequenos jogos (reduzidos) e jogos pré-desportivos. É importante ressaltar que o processo de ensino–aprendizagem–treinamento das capacidades físicas nesta fase, deve, impreterivelmente, estar adequado ao nível de desenvolvimento e de experiência da criança (GRECO, BENDA, 2001). Trata-se de uma pesquisa de caráter introdutório, mas que nos permite refletir sobre a nossa prática e pensar caminhos para aperfeiçoá-la. É um estudo de caráter bibliográfico. 2. CONTEÚDO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL E OS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS A Lei 11.274, de 6 de fevereiro de 2006, altera a redação dos artigos. 29, 30, 32 e 87 da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de nove anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos seis anos de idade. As etapas de ensino estão divididas em: Educação Infantil - Creche: Faixa etária até os três anos de idade; a Pré-escola: Faixa etária quatro e cinco anos de idade; Ensino Fundamental de nove anos até quatorze anos de idade. Anos iniciais: faixa etária de seis a dez anos de idade - duração cinco anos. Anos finais: faixa etária de onze a quatorze anos de idade - duração quatro anos. Espera-se que ao término do ensino fundamental os alunos estejam capacitados para:
  3. 3. Participar de atividades corporais, reconhecendo e respeitando algumas de suas características físicas e de desempenho motor, bem como as de seus colegas, sem discriminar por características pessoais, físicas, sexuais, ou sociais; Adotar atitudes de respeito mútuo, dignidade e solidariedade em situações lúdicas e esportivas, buscando solucionar os conflitos de forma não-violenta; Conhecer os limites e as possibilidades do próprio corpo de forma a poder controlar algumas de suas atividades corporais com autonomias e a valorizá-las como recursos para manutenção de sua própria saúde; Conhecer, valorizar, apreciar e desfrutar de algumas das diferentes manifestações da cultura corporal, adotando uma postura não preconceituosa ou discriminatória por razões sociais, sexuais ou culturais; Organizar jogos, brincadeiras ou outras atividades corporais, valorizando-as como recursos para usufruto do tempo disponível. (BRASIL, 1997, p.71, 72). O professor para atingir todos estes objetivos ao final do segundo ciclo terá que utilizar-se de todos os conteúdos da Educação Física com essencial proveito que são estes: Esportes, Jogos, Lutas, Ginástica, Atividades rítmicas e expressivas e Conhecimentos Sobre o Corpo. Todos estes conteúdos abordados são essenciais não só para atingir os objetivos da Educação Física, mas também para desenvolver as habilidades motoras básicas, específicas, as habilidades manipulativas grossas que são atividades como: lançar, arremessar, receber, etc. além das manipulativas finas que têm atividades como: Jogos de tabuleiro; a dama e o xadrez dentre outros, todas estas atividades são indispensáveis, além destes conteúdos trabalharem a sociabilização a cooperação no caso a relação eu com o outro, então é por todos estes motivos que os referidos conteúdos jamais podem deixar de serem transmitidos pelos docentes aos seus discentes, sem estes conhecimentos eles perderão boa parte de toda aprendizagem. Nesse contexto, professor é responsável pelas responsabilidades pedagógicas pelo presente e pelo futuro das crianças que lhe são confiadas (BENTO, 1989). O Professor é o mediador e ou facilitador dos conhecimentos, tendo como função principal a de educador/orientador. O professor de Educação Física deve auxiliar o aluno a compreender o seu sentir e o seu relacionar-se na esfera da cultura corporal de movimento (BETTI, ZULIANE, 2002). Têm uma grande responsabilidade na formação do cidadão crítico, criativo e autônomo para sociedade e deve sempre ajudar facilitando os caminhos necessários para que o aluno venha a trilhar sua vida, contribuindo para a formação de seu alunado. Os jogos pré-desportivos, são jogos cujo objetivo principal é ensinar os movimentos básicos das modalidades esportivas1 . É neles que os alunos irão conhecer os objetivos do 1 Disponível em: < http://educadorfisico.wordpress.com>. Acesso em: jun. de 2009.
  4. 4. jogo, a execução das principais ações técnicas e táticas e suas regras, pois será através deles o professor começará a trabalhar as principais habilidades, as necessárias para a aprendizagem futura de determinado esporte que queira ensinar. “Quem diz jogo, ao mesmo tempo esforço e liberdade, e uma educação pelo jogo deve ser fonte de dificuldade física da mesma maneira que a alegria moral.” (CHATEAU, 1997, p. 128). O jogo é um dos primordiais conteúdos da Educação Física, que traz a todos que o praticam durante as aulas ou no cotidiano de suas vidas, inúmeros benefícios tais como: uma alegria e uma liberdade que todas as pessoas demonstram durante sua prática. A iniciação esportiva é o período em que a criança inicia a prática regular e orientada de uma ou mais modalidades esportivas, sendo que o objetivo imediato é dar continuidade ao seu desenvolvimento de forma integral, não implicando em competições regulares. (SANTANA, 2005 p. 176). É na iniciação esportiva que se inicia a prática de diversos jogos influenciando desta forma na aprendizagem da modalidade esportiva que se pretende trabalhar. É neste período da iniciação esportiva que os jogos que serão utilizados pelos professores, devem estar adequados ao desenvolvimento da criança, se por acaso for implantado um jogo pré-desportivo acima deste nível de desenvolvimento pode afetar bastante o processo de aprendizagem dificultando assim a assimilação do jogo pelo aluno, onde tornará o processo de iniciação ainda mais longo e árduo tanto para os alunos como para o professor que está ministrando suas aulas. A introdução ao esporte se dá com estudantes entre onze e doze, aperfeiçoam-se os jogos coletivos, por meio de pequenos jogos (reduzidos) e jogos pré-desportivos. É central expor que o processo de ensino–aprendizagem–treinamento das capacidades motoras neste período, deve necessariamente estar acomodado ao estágio de desenvolvimento e de experiência da criança. Do 6º ao 9º Ano ocorre a iniciação aos esportes através de jogos pré- desportivos. Na primeira parte da aula, após o aquecimento, trabalha-se a técnica, os fundamentos, geralmente com metodologias analíticas. O mesmo acontece no segundo e no terceiro graus. O aluno está sempre em fase de iniciação ao esporte (iniciação à técnica, iniciação ao jogo) sem que exista o jogo propriamente dito, a aprendizagem, o prazer, enfim, o que é básico e necessário para o conhecimento de alguma forma dentro da paleta ampla da cultura corporal. (GRECO; BENDA, 2001, p.20) Todo o esporte para ser ensinado e para que a aprendizagem possa ocorrer em um extremo proveito, necessita passar pelo processo de iniciação esportiva e é por este motivo que o autor relata que o aluno sempre estará no processo de iniciação esportiva, pois os alunos
  5. 5. não adquiriram conhecimentos de todos os esportes de uma vez, mas sim aproveitam conhecimentos de um e implantam em outros, então será nesta forma de aprendizagem que os pequenos jogos e os jogos pré-desportivos entram auxiliando assim nesta grande etapa que é a iniciação esportiva na escola. “O aluno vivencia a situação de jogo e precisa entender a sua dinâmica, analisando sempre sua própria participação.” (GRECO; BENDA, 2001, p. 19). Assim, percebemos a grande importância que os jogos reduzidos e os jogos pré-desportivos podem ter, durante sua realização os alunos aprendem a importância que cada um tem no jogo e como também é essencial a sociabilização e cooperação de todos que estão presentes, para que a atividade ocorra prazerosamente, influenciando sempre com benevolências no processo ensino aprendizagem. Na realização dos jogos pré-desportivos nas aulas de educação física também ocorre a competição. Contudo, se nós professores passamos este conteúdo de forma adequada, com todo o embasamento teórico e prático serão adquiridos diversos valores como a cooperação e respeito mútuo que os alunos levarão para o resto de suas vidas, “o jogo visa às repetições de condutas (ações) que visam à superação do que está sendo colocado em jogo no momento, e também a busca de auto-superação que o próprio jogador se impõe.” (LEONARDO et al., 2009, p. 237). Na Educação Física Escolar os jogos pré-desportivos como conteúdo de ensino da Educação Física são realizados nas aulas práticas e nas gincanas escolares e nos torneios entre classes, ocorrendo competição entre os alunos participantes. A essência do lúdico nos jogos está contida na frase ‘há alguma coisa em jogo’, mas esse: ‘alguma coisa’, não é o resultado material do jogo como um prêmio, por exemplo, nem o fato de ter ‘acertado’, ou de ter ganhado o jogo, mas é uma não materialidade, seria mais a fascinação, a intensidade, a mágica que envolve os jogadores que a própria vitória. (HUIZINGA, 1973, p. 57). A vitória traz a todos que a detém um grande sentimento de prazer e satisfação, que é repassado para as pessoas que estão torcendo pela vitória. A derrota traz uma sensação de impotência, de ser o pior e de sofrer provocações dos adversários que foram os vencedores do determinado campeonato, torneio, gincana e etc. Nesse interim os professores em suas aulas devem trabalhar a sociabilização e o respeito mútuo, para promover que os alunos aprendam a respeitar a todos e ajudando a lidarem com as frustações da derrota.
  6. 6. Nos jogos, ao interagirem com os adversários, os alunos podem desenvolver o respeito mútuo, buscando participar de forma leal e não violenta. Confrontar-se com o resultado de um jogo e com a presença de um árbitro permitem a vivência e o desenvolvimento da capacidade de julgamento de justiça (e de Injustiça). Principalmente nos jogos, em que é fundamental que se trabalhe em equipe, a solidariedade e dignidade, nos momentos em que, por exemplo, quem ganha é capaz de não provocar e não humilhar, e quem perde pode reconhecer a vitória dos outros sem se sentir humilhado. (BRASIL, 1997, p. 30) A vitória e a derrota são consequências dos resultados dos jogos de competição então cabe aos participantes deste jogo entender, aceitar e respeitar a vitória e a derrota, pois tanto os vitoriosos como os derrotados terão uma grande aprendizagem com estes dois grandes sentimentos e uma melhor maturidade pessoal que utilizarão em toda a vida. Os jogos pré-desportivos fazem partes das aulas práticas e das atividades que os alunos praticam em seu cotidiano e em vários jogos pré-desportivos ocorre a competição de quem irá fazer mais pontos, os atacantes e os defensores e as estratégias utilizadas nos jogos “a competição em si não é boa ou má, ela é o que fazemos dela” (FERRAZ, 2002, p. 37). Nos jogos pré-desportivos ocorrem a competição, mas juntamente com ela pode vir o cooperativismo com os companheiros para se chegar aos resultados esperados, utilizando-se das estratégias que planejaram para conseguir executar os jogos, como o jogo dos 10 passes onde é necessário observar a situação do jogo, dos companheiros e adversários para executar o passe. O queimado, por sua vez, é útil para manter o controle da bola com seus companheiros. Desta forma se demonstra que na competição também ocorre à cooperação e sociabilização de todos os envolvidos nestas atividades educativas. Os jogos se-fazem presente nas aulas práticas abordados pelos professores em suas salas, nos campeonatos escolares, nas gincanas e nos jogos interclasses envolvendo nestes eventos a competição, mas também cooperativismo e respeito mútuo. Nestes acontecimentos, os alunos têm suas torcidas, uniformes, treinadores que são os próprios professores de Educação Física da escola, além da arbitragem destas competições que se passam no ambiente educativo. A comunidade escolar dedica, em seu calendário escolar anual, entre cinco a dez dias dos duzentos dias letivos para a realização destes grandes eventos, em que todos os integrantes daquela param para contemplar e participar desta grande festividade e abordagens de conhecimentos. Entendemos que mais importante que tentar compreender a competição, é compreender o sujeito participante, assim como os sujeitos que especificam seus fins.
  7. 7. Nestes eventos esportivos escolares há uma relação entre as modalidades esportivas e os Jogos Desportos Coletivos (JDC) como futsal, basquetebol, handebol e voleibol além daquelas modalidades individuais. Tais eventos trazem consigo a competição e cooperação dos jogadores, mas também a sociabilização dos torcedores, o cooperativismo dos realizadores do evento e o inter-relacionamento cultural de todos que estão participando desta grande gama de conhecimentos que são proporcionados nestes eventos desportivos. 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta pesquisa concluímos que, os jogos pré-desportivos fazem parte dos conteúdos de ensino da educação física escolar. Percebemos sua importância no processo de iniciação esportiva, no desenvolvimento das habilidades motoras e específicas dos esportes que os docentes pretendem trabalhar em suas aulas com seus discentes, onde estes trazem bons resultados coerentemente com os objetivos que pretendemos atingir, devendo ser abordados pelos professores em seu amplo embasamento: teoria e prática, pois será desta forma que os objetivos serão atingidos corretamente e não só aprimorando as habilidades específicas no processo de iniciação esportiva. Mas também com lições que os alunos levarão por toda a vida como: o cooperativismo, a sociabilização e o respeito mútuo, com todos que fazem o processo de ensino aprendizagem, ocorrendo, desta forma, a contribuição deste conteúdo de ensino na formação de um cidadão consciente, crítico, criativo e autônomo de seus deveres para com a sociedade. REFERÊNCIAS BENTO, J.O. A criança no treino e desporto de rendimento. Revista Kinesis. Centro de Educação Física e Desportos. Universidade Federal de Santa Maria: Santa Maria, v. 5, n. 1, p. 001-160, jan./jul. 1989. BETTI, Mauro; ZULIANE, Roberto Luiz, Educação física escolar: uma proposta de diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. Universidade Estadual Paulista: Bauru, v. 1 n. 1, p. 73-81, jun./set. 2002. BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares Nacionais - Ensino Fundamental: Educação Física. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental. 1997. CHATEAU, Jean. O Jogo e a criança. 4. ed. São Paulo: Sumus, 1987.
  8. 8. FERRAZ, O. L. O esporte, a criança e o adolescente: consensos e divergências. In: DE ROSE Jr., D. (Org.). Esporte e atividade física na infância e na adolescência: Porto Alegre: Artmed, 2002. GRECO, Pablo Juan; BENDA, Rodolfo Novelino, Iniciação esportiva universal. 1. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001. HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1973. LEONARDO, L.; SCAGLIA, A. J.; REVERDITO, R. S. O ensino dos esportes coletivos: metodologia pautada na família dos jogos. Revista Motriz. Rio Claro, v. 15, n. 2, p. 236-246, abr./jun. 2009. REVERDITO, Riller Silva et al. Competições escolares: reflexão e ação em Pedagogia do Esporte para fazer a diferença na escola. Revista Pensar a Prática. Universidade Federal de Goiás: v.11 n. 1,p. 37-45, jan./jul. 2008. SANTANA, Wilton Carlos. Uma proposta de subsídios pedagógicos para o futsal na infância. Revista virtual EFArtigos. Natal, v. 3, n. 4, jun. 2005.

×