A seca

215 visualizações

Publicada em

Excelente

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A seca

  1. 1. Seca Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Nota: Para outros significados, veja Seca (desambiguação). A grande seca Dust Bowl em Dallas (Dakota do Sul), 1936. A seca ou estiagem é um fenômeno climático causado pela insuficiência de precipitação pluviométrica, ou chuva numa determinada região por um período de tempo muito grande1 2 . Existe uma pequena diferença entre seca e estiagem pois estiagem é o fenômeno que ocorre num intervalo de tempo ou seja a estiagem não é permanente, já a seca é permanente. Este fenômeno provoca desequilíbrios hidrológicos importantes. Normalmente a ocorrência da seca se dá quando a evapotranspiração ultrapassa por um período de tempo a precipitação de chuvas. A diminuição do volume de água no Mar de Aral é considerado um dos maiores desastres ambientais e humanos da história, que produziram uma situação de seca. Índice  1 Tipos de secas  2 Causas  3 Secas na Índia  4 Referências  5 Ver também Tipos de secas As secas podem ser geradas pelos mais diversos fenômenos climatológicos, em função disto, criou-se uma tipologia da seca:
  2. 2. Solo seco  A seca permanente: É caracterizada pelo clima desértico, onde a vegetação se adaptou às condições de aridez, inexistido cursos de água. Estes só aparecem depois das chuvas que via de regra são fortíssimas tempestades. Este tipo de seca impossibilita a agricultura sem irrigação permanente.  Seca sazonal: A seca sazonal é uma particularidade de regiões onde o clima é semi-árido. Nestas a vegetação reproduz-se porque os vegetais adaptados geram sementes e morrem em seguida, ou mantém a vida em estado latente durante a seca. Nestas regiões os rios só sobrevivem se a sua água for oriunda de outras regiões onde o clima é úmido. Este tipo de seca possibilita o plantio desde que em períodos de chuvas, ou por irrigação.  Seca irregular e variável: A seca irregular pode ocorrer em qualquer região onde o clima seja úmido ou sub-úmido e caracterizado por apresentar variabilidade climática do ponto de vista estatístico. Estas, são secas cujo período de retorno é breve e incerto. Normalmente são limitadas em área, e não em grandes regiões, não ocorrem numa estação definida e inexiste previsibilidade de sua ocorrência, isto é, não há um ciclo bem definido. Trata-se de um fenômeno estatístico (ou estocástico), cuja estrutura de eventos pode ser descrita por uma teoria mais geral que o cálculo de médias e desvios, por exemplo pela teoria da Cadeia de Markov, aplicando ordem superior e um grupo de quantis: extremamente seco, muito seco, seco, normal, húmido, muito úmido, extremamente úmido, separando classes de mesma probabilidade de ocorrência. Acredita-se que a estação de verão favoreça as secas pois existe um grande aumento da evapotranspiração devido ao incremento da irradiância solar incidente, sobretudo quando as taxas de precipitação estão abaixo do quantil seco ou muito seco. Assim, várias variáveis meteorológicas devem ser consideradas na definição da ocorrência das secas, não somente a taxa de precipitação, mas também a temperatura, a umidade do solo, o grau de verdejamento da vegetação, a radiação solar incidente etc. A região NE do Brasil apresenta variabilidade climática.  Seca "invisível": De todos, este tipo de seca é o pior, pois a precipitação não é interrompida, porém, o índice de evapotranspiração é maior que o índice
  3. 3. pluviométrico causando um desequilíbrio da umidade regional. Este desequilíbrio gera uma redução da umidade do ar que por sua vez aumenta o índice de evapotranspiração, que por sua vez realimenta a perda de umidade subterrânea para a atmosfera, que devolve esta em forma de chuva, que porém não é suficiente para aumentar a umidade do solo. Geralmente, a precipitação está relacionado com a quantidade e ponto de orvalho [determinada pela temperatura do ar] de vapor de água transportado pelo atmosfera regional, combinado com a força ascendente da massa de ar que contém vapor de água. Se estes factores combinados não suportam volumes de precipitação suficientes para atingir a superfície, o resultado é uma seca. Isso pode ser provocado pelo elevado nível de luz reflectida, [alto albedo], e acima de prevalência média de elevados sistemas de pressão , ventos que transportam continental, em vez de massas oceânicas de ar (isto é, conteúdo de água reduzido), e cumes de áreas de alta pressão a partir de condutas que impedir ou restringir o desenvolvimento de atividade de tempestade ou de chuva, em uma determinada região. Oceânicas e atmosféricas ciclos climáticos como o El Niño- Oscilação Sul (ENOS) fazer uma seca característica regular recorrente das Américas ao longo do Centro-Oeste e Austrália. Guns, Germs, and Steel autor Jared Diamond vê o impacto de forma dramática a ENSO multi-ano ciclos sobre os padrões climáticos na Austrália como um dos principais motivos que aborígenes australianos permaneceram uma sociedade de caçadores-coletores , em vez de adotar a agricultura. [36] Outra oscilação climática conhecida como a Oscilação do Atlântico Norte foi amarrado a secas no nordeste da Espanha. [37] Causas A atividade humana pode desencadear diretamente agravantes, como sobre a agricultura, irrigação excessiva, [38] o desmatamento e erosão afetar negativamente a capacidade da terra para capturar e reter a água. [39] Enquanto estes tendem a ser relativamente isolado em seu âmbito, as atividades resultando em global mudança climática são esperados para provocar secas com um impacto substancial sobre a agricultura [40] em todo o mundo, e especialmente nos países em desenvolvimento . [41] [42] [43] No geral, o aquecimento global vai resultar em chuvas mundo aumentou. [ 44] Junto com a seca em algumas áreas, inundações e erosão vai aumentar em outras. Paradoxalmente, algumas propostas de soluções para o aquecimento global com foco em técnicas mais ativos, gestão de radiação solar através do uso de um guarda-sol espaço para um, também podem levar com eles aumentou as chances de seca. [45]
  4. 4. Meio-Ambiente Secas, falta e mau uso da água A humanidade está cada vez mais preocupada com a deterioração que sofre o planeta, pela falta de responsabilidade de muitos na utilização de suas riquezas naturais em função da saúde, da sobrevivência. Há muitos países que não souberam avaliar o que representa o cuidado e o uso adequado da água; é desperdiçada, contaminada, e os efeitos a longo prazo são fatais já que é um elemento determinante em nossa vida. Há nações que têm problemas com a água, com sua escassez, além dos grandes períodos de secas e da deterioração das grandes florestas. Comentou-se muito, como relata o portal "proyectopv.org", que a seca provoca efeitos devastadores nos países que a sofrem. Atualmente, muitos têm menos água do que precisam. No início do próximo século, um terço das nações terá escassez de água de modo permanente. A primavera é cada vez mais pobre como conseqüência da derrubada das florestas e da mudança climática. Os lagos subterrâneos, que datam de tempos pré-históricos, estão se esgotando rapidamente. Destacamos também que o ser humano considera o solo, que normalmente chama terra, como algo morto, onde pode colocar, acumular ou jogar qualquer produto sólido ou liquido que já não é mais útil ou que sabe perfeitamente é tóxico. A humanidade obtém a maior quantidade de água dos rios, mas quase todos se encontram inservíveis por causa da contaminação.A água de mar dessalinizada é uma fonte potencial, mesmo que o custo do processo seja dez vezes maior. A inércia política agrava a crise da água. A crise mundial deste elemento nos próximos anos será cobrado em proporções sem precedentes e aumentará a crescente escassez por falta de água nas regiões carentes dos inúmeros países subdesenvolvidos. Os recursos hídricos diminuirão continuamente por causa do crescimento da população, da contaminação e da mudança climática. É válido quando se destaca que a falta de consciência sobre a magnitude do problema, a inércia dos dirigentes e as atitudes e condutas inapropriadas, explicam a deterioração progressiva da situação e a razão porque não se adotam as medidas necessárias. Em meados deste século bilhões de pessoas sofrerão escassez de água em todo mundo. Calcula-se que 20% do aumento e da escassez mundial serão devidos à mudança climática. Nas zonas úmidas é bem provável que as precipitações aumentem, enquanto em muitas zonas propensas à seca e, inclusive em algumas regiões tropicais e subtropicais, diminuirão e serão mais irregulares. A qualidade da água piorará com a elevação de sua temperatura e com o aumento dos índices de contaminação. Já nos últimos anos tornou-se evidente uma importante diminuição na sua qualidade. E os mais afetados continuam sendo os pobres, já que 50% da população dos países subdesenvolvidos está exposta ao perigo que representam as fontes de
  5. 5. água contaminada. Não nos surpreende, portanto, como indica o portal de ecologia "ecoportal.net", que em 2017, de acordo com a ONU, cerca de 70% da população global terão problemas para ter acesso à água doce. E em 2025, aproximadamente 40% viverão em regiões onde a água escasseará. Mas enquanto os políticos, autoridades públicas e líderes da indústria discutem na Semana Mundial da Água, que está sendo realizado na Suécia, como melhorar o acesso à água e frear a fome que provoca nas nações pobres. As advertências feitas por diferentes países mostram que a falta de água não é um problema futuro. Muito interessante e significativo são os dados que indicam que cerca da metade dos distritos da Índia está sofrendo uma seca que poderia afetar a produção de arroz. A temporada das monções trouxe menos chuva (29% ) que o habitual, o que poderia reduzir a produção deste grão em 10 milhões de toneladas. As chuvas das monções são críticas para o futuro da produção agrícola, que representa a sexta parte do que o país produz. Enquanto em Andhra Pradesh, um dos estados afetados, a polícia investiga o suicídio de 20 camponeses cujas mortes podem estar relacionadas com a falta de água. Destacam que no Quênia, na África, a seca já está gerando escassez de alimentos nas regiões semiáridas do sudeste e no centro do país. O correspondente da BBC na África Oriental, Will Ross, comenta que as colheitas não foram boas e os camponeses lutam para manterem seus animais vivos. Segundo o Programa Mundial de Alimentos da ONU, "as pessoas estão dizendo que é a pior seca desde 2000". Relatórios indicam que muitos camponeses começaram a abandonar as zonas rurais –onde sobrevivem graças à ajuda humanitária– para mudar-se para as já congestionadas favelas das cidades. Chama atenção, como destaca o portal de ecologia "ecoportal.net", que as chuvas deste verão no México serão inferiores à média histórica, o que provocará seca muito parecida às secas de 1982 e 1997, de acordo com as fontes oficiais. De acordo com as informações da coordenação geral do Serviço Meteorológico Nacional (SMN), julho foi o segundo mês com menos chuvas no território nacional em 58 anos. Até agora o nível das represas está com uma média de 60% , embora algumas já estejam vazias e as do sistema Cutzamala, que abastece o vale do México, estão com 42%. Por sua vez, na Guatemala os camponeses perderam até 80% da safra de milho e na capital vários relatórios indicam que pelo menos 60 pessoas foram diagnosticadas com desnutrição e 17 morreram. Especialistas indicam que a seca que está afetando a América Latina se deve à presença do fenômeno meteorológico conhecido como El Niño, que ocorrre quando aumenta a temperatura das águas superficiais do Pacífico Central. A Organização Meteorológica Mundial advertiu que emborao fenômeno El Niño esteja fraco, este ano, poderia desencadear padrões climáticos anormais em muitas regiões, provocando chuvas em algumas regiões e secas em outras. Considera-se muito a contribuição do portal "proyectopv.org": no mundo há mais de 2,2 milhões
  6. 6. de pessoas que morrem anualmente, devido às doenças causadas pela água potável contaminada e pelo saneamento deficiente. Uma grande parte dessas mortes se deve às doenças causadas pela água. Aproximadamente um milhão de pessoas morrem anualmente de malária e mais de 200 milhões sofrem de esquistossomose, uma doença conhecida também como bilharziose. Todas estas terríveis desgraças, bem como os sofrimentos e perdas envolvidas, podem ser evitadas. Atualmente a indústria utiliza 22% da água consumida no mundo. Nos países ricos essa porcentagem sobe para 59%, enquanto nos países pobres chega somente a 8%. Em 2025 essa proporção atingirá 24%. Calcula-se que nesse momento serão gastos 1.170 Km. de água anual para uso industrial. Outro aspecto a ser considerado é quando se indica que também existe o risco de se privatizar a produção de água potável, sua distribuição e preço. Nesta situação os pobres é que sofrerão mais, pois têm menos acesso ao abastecimento de água e devem pagar proporcionalmente mais por ela. Por exemplo, em Nova Delhi, Índia, a água é vendida aos pobres por 4,89 dólares por metro cúbico, enquanto as famílias que possuem água corrente domiciliar pagam somente 0,01 dólares pela mesma quantidade. Em Vientiane, República Democrática Popular Lao, os vendedores cobram 14,68 dólares por metro cúbico, enquanto a tarifa municipal é somente de 0,11 dólares. A população pobre que vive essa situação nas cidades é a primeira vítima das afecções causadas pela falta de saneamentos, pelas inundações e, inclusive, por doenças provocadas pela água como a malária, que se tornou uma das principais causas de morte em muitas áreas urbanas. ___________________ Carlos Mora Vanegas. Engenheiro industrial-administrador, advogado EGADE (ITESM), UC. Mestrados em Administração de empresas em mercados, recursos humanos; Qualidade e Produtividade e educação. Doutorado em Educação, Professor titular e Pesquisador Área de Pós-graduação de Faces UC. Coordenador Programa de pós-graduação gerência de qualidade e produtividade, Faces, UC Cátedras: Tópicos gerenciais; comportamento organizacional; mercadotecnia; comércio internacional. Consultor-assessor empresarial DEPROIMCA.

×