A relação entre decoração de interiores e sustentabilidade
ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 5...
comprar um novo, mas existem outras maneiras de renovar a decoração sem gastar
tanto ou até sem custo-benefício e com um p...
necessária a busca de novas fontes de iluminação artificiais. Ao surgirem as lâmpadas
incandescente e fluorescente, a ilum...
atuais, para que haja uma redução nos impactos ambientais causados pela ação
humana.
Sabe-se que a necessidade de se prese...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A relação entre decoração de interiores e sustentabilidade

162 visualizações

Publicada em

A relação entre decoração de interiores e sustentabilidade

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A relação entre decoração de interiores e sustentabilidade

  1. 1. A relação entre decoração de interiores e sustentabilidade ISSN 2179-5568 – Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 5ª Edição nº 005 Vol.01/2013–julho/2013- Conceito sustentável na decoração de interiores julho de 2013 Visando a busca de possíveis novos caminhos para o desenvolvimento sustentável, aconteceu em junho deste ano na cidade do Rio de Janeiro, o evento Rio+20, realizado pela Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Umas das propostas do evento foi discutir a relevância da proposição de novos paradigmas para Arquitetura e o Design. Para o Design de interiores esta questão vem a ser um fator importante, pois a proposta de se buscar alternativas que associe o menor impacto ambiental possível sem renunciar a tecnologia pode ser a principal diferença em projeto de interiores. Em 1987, através do Relatório Brundtland ou nosso futuro comum (Our Common Future), foi formado por uma comissão composta por ONGs e cientistas do mundo inteiro e este defende o desenvolvimento sustentável. O relatório também aponta a incompatibilidade existe entre produção, consumo e desenvolvimento sustentável, lembrando-se da necessidade do homem em ter uma nova relação com meio ambiente. Baseado neste principio o relatório defende: “o atendimento das necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem as suas próprias necessidades” (WCED,1991). A decoração de interiores, de um modo geral, está relacionada a escolha de cores, iluminação, materiais ou mobiliários mais adequado para cada ambiente, revelam também nossa personalidade eConceito sustentável na decoração de interiores a forma como pensamos. Podem ser aplicados tanto para o ambiente interno como para ambientes externos (terraço e sacadas). De acordo com o designer de interiores Maxwell Gillingham-Ryan (2007), “decorar a casa é muito mais do que simplesmente comprar móveis e objetos e distribuí-los pelos ambientes. É preciso fazer isso de uma maneira que torne a vida das pessoas que viverão ali mais gostosa, confortável, aconchegante e feliz”. Quando nos referimos a projetos de interiores, a funcionalidade, estética e conforto são questões que devem ser levadas para a concepção do projeto e a questão ecológica muitas vezes é esquecida, portanto cabe ao designer de interiores ou ao arquiteto conscientizar o cliente sobre a importância do uso de objetos, materiais e produtos que empregam o conceito sustentável. BOFF(2004) cita: “o modo de vida sustentável parte de uma sociedade orientada para novo sentido de viver e de trabalhar, de produzir e preservar”. Olhar para a própria casa e conseguir enxergar possibilidades para uma decoração com conceito sustentável já é um grade passo. Sabemos que muitas vezes a reforma de um objeto pode se tornar mais caro do
  2. 2. comprar um novo, mas existem outras maneiras de renovar a decoração sem gastar tanto ou até sem custo-benefício e com um pouco de criatividade, o que já possuímos pode ser uma ferramenta para a sustentabilidade. Ser sustentável é pensar no melhor para nós, as gerações futuras e para o meio ambiente, é preciso utilizar-se dos recursos da natureza com consciência. A sustentabilidade é o equilíbrio dinâmico entre muitos fatores, incluindo os requisitos básicos do componente social, cultural e econômico, e da necessidade imperativa de salvaguardar o ambiente natural da qual a humanidade é parte. De fato, a sustentabilidade implica numa equação entre demandas ambientais e as necessidades de desenvolvimento. (MALHAS,2001,p.15) Quando se pensa em decoração de interiores sustentável, vem em mente uma decoração com custo elevado dos produtos, mas com criatividade e alternativas simples como uso do artesanato local para peças de decoração, reciclagem ou reaproveitamento do objeto que já temos em casa, podemos transformar um ambiente. O reaproveitamento de alguns objetos ou a utilização de itens feitos de materiais reciclados, além de economia é sinônimo de sustentabilidade, pois ao se optar por um projeto de interiores sustentável estaremos não só contribuindo para a redução do impacto ambiental, mas também estaremos melhorando a qualidade de vida do usuário e das gerações futuras. Ao fazer uma análise da aplicação da sustentabilidade, NUNES(2009), ressalta: Aplicar a sustentabilidade em casa é acessível a qualquer um e por meio de medidas como essas simples e com menor custo, é possível levar algum tipo de pratica sustentável para o lar. Nem todos podem ter uma casa totalmente sustentável. Mas qualquer que seja a contribuição para dar às residências um perfil mais sustentável já é atitude sustentável. Verifica-se que algumas alternativas, já estão sendo adotado por profissionais do ramo, para deixar os ambientes mais bonitos, aconchegante e ecológico, como o reaproveitamento das sobras de madeiras da obra, bambu, materiais alternativos como pneus e vidros reciclados, caixotes de madeira, além do uso de peças do artesanato local, já como opção de mobiliários podemos encontrar os que são feitos de fibras naturais ou madeira com certificado FSC e outros produtos como papel de parede ecológico, lâmpadas LEED ou fluorescente, luminária ecológica e produtos de cooperativas. Se o uso de objetos decorativos sustentáveis pode trazer inúmeros benefícios, a necessidade de iluminação natural ou artificial também influencia na decoração, ao proporcionarem bem-estar e saúde. Ao se tratar de iluminação, podemos dizer que por um longo período o aproveitamento da luz natural foi deixado de lado. Com a revolução Industrial e os novos métodos de trabalho foi
  3. 3. necessária a busca de novas fontes de iluminação artificiais. Ao surgirem as lâmpadas incandescente e fluorescente, a iluminação natural ficou em segundo plano, mas em 1973 com a crise do petróleo , houve uma preocupação mundial com os recursos naturais renováveis e não- renováveis ocasionando um racionamento do consumo de energia e com isso o melhor aproveitamento da luz natural. O aproveitamento da luz natural sem ocasionar a elevação de temperatura do ambiente ou ofuscamento se torna benéfico, saudável e econômico, além da ótima reprodução das cores naturais. Ao se pensar em iluminação artificial sustentável ou “iluminação verde” para ambientes internos, encontramos como opção os Leds, que proporcionam uma economia de até 80% de consumo, ótima qualidade de luz e permitem funcionalizar o ambiente, ou seja, permite através da iluminação artificial nos sentirmos em um local agradável sem que seja necessário forçarmos a visão. As lâmpadas fluorescentes também são bem aceitas, e podem ser utilizadas em qualquer ambiente, além de econômicas são muito eficientes e consideradas ecologicamente corretas, pois reduzem a exploração dos recursos naturais. Buscando-se alternativa para iluminação, através do aproveitamento da luz natural criou-se a iluminação com garrafas PET colocando-se água dentro, que são aplicadas diretamente no telhado, proporcionando economia, uso desnecessário de iluminação artificial, responsabilidade social e o reaproveitamento das garrafas. Sobre as características da luz sob o espaço construído Barnabé (2007) conclui: A luz pode revelar ou desmaterializar formas; relacionar uma obra de acordo com seu contexto físico-cultural, clima e orientação; promover a percepção do tempo com dinâmicos efeitos cinéticos; conectar ou separar o interior do exterior; unir, diferenciar, conectar ambientes; bem como dirigir e orientar, estabelecendo pontos focais, hierarquias e movimentos dinâmicos; enfatizar no espaço um sentido de verticalidade ou horizontalidade; juntamente com a sombra, modificar proporções óticas do conjunto edificado, promovendo efeitos de leveza ou peso? assim como reforçar volumes e perfis, marcar acessos, articular superfícies e projetar rendilhados; criar atmosferas, podendo simbolizar ou representar uma ideia, um conceito, um valor como o cosmos, a vida, a morte, o sagrado e o profano; bem como promover associações, podendo expressar sentimentos. Se a iluminação pode despertar em nós sensações, assim como os objetos, pode-se então tirar proveito dessa sensação ao se ter a consciência de que a utilização de produtos que traz beneficio para nós, as gerações futuras e ao planeta, provoca sentimentos bons, pois quando se tem a consciência de estar contribuindo para uma vida mais saudável, o ser humano se sente mais útil, sensível e solidário. Uma das maneiras de reverter a insustentabilidade é através da educação ambiental, sendo assim, a decoração sustentável é uma ferramenta de grande importância nos dias
  4. 4. atuais, para que haja uma redução nos impactos ambientais causados pela ação humana. Sabe-se que a necessidade de se preservar o meio ambiente para garantir os recursos naturais para o futuro, só será alcançada se for colocada em prática ações que visam a sustentabilidade, e estas iniciativas devem ser praticadas tanto em nossos lares como fora. Ações sustentáveis mesmo que lentamente praticadas, podem ajudar a diminuir os estragos provocados pelo desenvolvimento industrial.

×