2010  Delimitação da Reserva Ecológica Nacional          no Concelho das Caldas da Rainha                                 ...
ÍndiceIntrodução ............................................................................................................
IntroduçãoPretende-se com este trabalho mostrar em geral que componentes sãoprecisas para a delimitação da Reserva Ecológi...
movimentos de massa de vertentes, contribuindo para a adaptação aosefeitos das alterações climáticas e acautelando a suste...
das administrações de região hidrográfica (ARH), em articulação com osmunicípios da área territorial abrangida.A elaboraçã...
As delimitações da REN são depositadas na Direcção-Geral doOrdenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (DGOTDU) edi...
Situação ActualDe acordo com os dados que nos são fornecidos pela DGOTDU, o planoque nos pode fornecer a informação da del...
Metodologia         FluxogramasFluxograma representativo das variáveis utilizadas     8    Delimitação da Reserva Ecológic...
Tabela de Informação                                                                                           Sistema    ...
Constituição da RENPor definição, a REN - Reserva Ecológica Nacional constitui uma estruturabiofísica básica e diversifica...
d) Cabeceiras dos cursos de água definidas a partir da linha de cumeadade separação de rios e ribeiros até à rede hidrográ...
Estruturação da Base de Dados                                   A base de dados que criamos para realização               ...
ProcedimentosEm primeiro lugar efectuámos a Criação da nossa Database como descritono Capitulo Anterior, de forma a organi...
Feito isto, fomos recolher a informação que necessitávamos.Começámos pela informação disponibilizada pelos professores, (C...
Layout do IDW gerado.Tinha-mos então o ficheiro base criado para gerar as curvas de nivel, paratal foi utilizada a extençã...
Exemplo da ferramenta utilizada para gerar as curvas de nível.Exemplo da ferramenta Simplify Line.    16    Delimitação da...
Temos então todas as condições para puder gerar o nosso modelode terreno em 3 dimensões que nos vai permitir calcular os d...
Layout do Modelo Digital de Terreno “TIN” (Fig.)      Efectuado o Modelo “TIN” foi necessário calcular os níveis dedeclive...
(Fig. Layout, Mapa de Declives)       Seguidamente, após efectuado o mapa de declives, é necessárioutilizar a ferramenta “...
(Fig. Layout, Mapa de Declives Reclassificado)       Por fim, de modo a extrair os declives superiores a 25% deinclinação,...
(Fig. Layout, Mapa de Declives Superiores a 25%)       Realizado este passo final, foi feita a extracção desta informaçãop...
• NDVI=Float([L5204033_03320070722_B40.TIF] -     [L5204033_03320070722_B30.TIF]) /     ([L5204033_03320070722_B40.TIF] + ...
DESCRIÇÃO                                                                     Solo nu                                     ...
Layout correspondente ao Solo nu existente.Estes últimos procedimentos explicados forma importantíssimos paraencontrar as ...
(Fig. Layout, Mapa de Varáveis “Solo Nu” e “Declives”)      Com a intersecção destas duas variáveis obtemos então o nossoM...
Passamos então á extracção dos Regadios do COS’90. A variável regadiosvai ser preponderante para mais tarde calcular as ár...
Estando as cartas já todas juntas, procede-mos então á extracçãodos regadios, no menu “Selection     Select By Attributes”...
Em seguida utilizamos a ferramenta “CLIP” do ArcToolbox, estaferramenta serve para ficarmos apenas com os regadios que per...
Layout correspondente as áreas de infiltração máximaLayout que demonstra que os aquíferos correspondem na maior parte das ...
Estão reunidas então todas as condições para encontrar as Áreas em Riscode Inundação, para encontrar estas áreas foi neces...
Ecossistemas Interiores:        Lagoas, incluindo uma faixa de 100 m para além do limite máximo        de alagamento, incl...
Para a obtenção desta área REN, não é necessária a utilização de nenhumaferramenta específica do ArcGIS, pois todos os lei...
De forma a obter esta área, fomos utilizar novamente a ferramenta“Buffer” de modo a calcular uma faixa de 100m e 50m ás Au...
esta ordem que permite obter o melhor contraste para a separaçãoTerra/Água.   Feito isto, fomos delimitar a zona máxima de...
Instrumentos e MeiosHardware        É vital para a elaboração deste trabalho a utilização de um                computador,...
• Zonas de declives superiores a 25%   • Buffer de 500m realizado na linha de costaEstas serão as variáveis que vão integr...
Conclusões tiradas após a Delimitação daREN      Terminada a delimitação da REN no nosso concelho, verificámosque não exis...
Bibliografiahttp://www.ccdr-lvt.pt/content/index.php?action=detailfo&rec=1345&t=Reserva-Ecologica-Nacional-RENhttp://www.d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha

1.941 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.941
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha

  1. 1. 2010 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha Miguel Rodrigues Bruno Ferreira 05-03-2010Curso de Especialização TecnológicaSistemas de Informação Geográfica
  2. 2. ÍndiceIntrodução ..................................................................................................................................... 3Situação Actual .............................................................................................................................. 7Situação na perspectiva do SIG ..................................................................................................... 7Metodologia .................................................................................................................................. 8Fluxogramas .................................................................................................................................. 8Tabela de Informação ................................................................................................................... 9Legislação Implicada...................................................................................................................... 9Constituição da REN .................................................................................................................... 10Estruturação da Base de Dados................................................................................................... 12Procedimentos ............................................................................................................................ 13Instrumentos e Meios ................................................................................................................. 35Resultados ................................................................................................................................... 35Conclusões tiradas após a Delimitação da REN .......................................................................... 37Bibliografia .................................................................................................................................. 38 2 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  3. 3. IntroduçãoPretende-se com este trabalho mostrar em geral que componentes sãoprecisas para a delimitação da Reserva Ecológica Nacional (REN)nomeadamente no concelho das Caldas Da Rainha, concelho esse, situadono distrito de Leiria, região Centro e sub-região do Oeste. Com 16freguesias e um total de 255,87 km² de área e 52.587 habitantes (INE,2007). É importante que qualquer concelho tenha actualizado a Carta daREN. A REN, é uma estrutura biofísica que integra o conjunto das áreasque pelo seu valor e sensibilidade ecológicos ou pela exposição esusceptibilidade perante riscos naturais são objecto de protecção especial.A REN é uma restrição de utilidade pública a que se aplica um regimeterritorial especial, o qual estabelece condicionamentos à ocupação, uso etransformação do solo e identifica os usos e as acções compatíveis com osobjectivos desse regime para os vários tipos de áreas que a integram eque prevalece sobre os regimes de uso, ocupação e transformação do soloestabelecidos.A REN visa contribuir para a ocupação e o uso sustentáveis do território etem por objectivos:a) Proteger os recursos naturais água e solo, bem como salvaguardarsistemas e processos biofísicos associados ao litoral e ao ciclo hidrológicoterrestre, que asseguram bens e serviços ambientais indispensáveis aodesenvolvimento das actividades humanas;b) Prevenir e reduzir os efeitos da degradação da recarga de aquíferos, osriscos de inundação marítima, de cheias, de erosão hídrica do solo e de 3 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  4. 4. movimentos de massa de vertentes, contribuindo para a adaptação aosefeitos das alterações climáticas e acautelando a sustentabilidadeambiental e a segurança de pessoas e bens;c) Contribuir para a coerência ecológica da Rede Fundamental deConservação da Natureza;d) Contribuir para a concretização, a nível nacional, das prioridades daAgenda Territorial da União Europeia nos domínios ecológico e da gestãode riscos naturais.Delimitação da REN: A delimitação da REN compreende dois níveis: o nível estratégicoque é concretizado através de orientações estratégicas de âmbito nacionale regional e o nível operativo, concretizado para o território municipalatravés da delimitação das áreas integradas na REN, baseada nasorientações estratégicas de âmbito nacional e regional. A concretização deambos os níveis faz-se em concordância com os critérios de delimitaçãoconstantes do anexo referido no ponto anterior. As orientaçõesestratégicas de âmbito nacional e regional são aprovadas pelo Governo.As orientações estratégicas de âmbito nacional são elaboradas pelaComissão Nacional da REN (CNREN) com a colaboração das Comissões deCoordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), sendo as orientaçõesestratégicas de âmbito regional elaboradas pelas CCDR com a colaboração 4 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  5. 5. das administrações de região hidrográfica (ARH), em articulação com osmunicípios da área territorial abrangida.A elaboração de propostas de delimitação da REN a nível municipal écompetência da respectiva Câmara Municipal (CM), cabendo à CCDRassegurar, assídua e continuadamente, o seu acompanhamento técnico.A elaboração de propostas de delimitação da REN a nível municipal podeocorrer em simultâneo com a formação de planos especiais deordenamento do território (PEOT) e de planos municipais de ordenamentodo território (PMOT). No primeiro caso, a delimitação incide apenas sobrea área de intervenção do plano, sendo elaborada pela entidaderesponsável pela elaboração do PEOT, a qual assegura também a suapublicação, em sequência de sua aprovação pela CCDR competente. Nosegundo caso, após proceder à aprovação, a CCDR envia a proposta parapublicação.A delimitação da REN a nível municipal é obrigatória. As áreas nelaintegradas são identificadas nas plantas de condicionantes dos PEOT e dosPMOT e constituem parte integrante das estruturas ecológicas municipais.Na elaboração dos PMOT, as áreas integradas na REN são consideradaspara efeitos de estabelecimentos de mecanismos de encargos e benefíciosentre os proprietários na medida em que contribuam para a valorizaçãodos terrenos com capacidade edificatória, sendo obrigatória a sua inclusãonas respectivas unidades de execução. 5 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  6. 6. As delimitações da REN são depositadas na Direcção-Geral doOrdenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (DGOTDU) edisponibilizadas na Internet através do Sistema Nacional de InformaçãoTerritorial (SNIT).Na elaboração da proposta de delimitação da REN a nível municipal deveser ponderada a necessidade de exclusão de áreas com edificaçõeslegalmente licenciadas ou autorizadas, bem como das destinadas àsatisfação das carências existentes em termos de habitação, actividadeseconómicas, equipamentos e infra-estruturas.As áreas que tenham sido excluídas da REN são reintegradas, no todo ouem parte, quando as mesmas não tenham sido destinadas aos fins quefundamentaram a sua exclusão, nos termos previstos no Decreto-Lei n.º166/2008, de 22 de Agosto.No prazo de três anos a contar da publicação das orientações estratégicasdeve ser efectuada a elaboração ou alteração da delimitação da REN anível municipal. O não cumprimento deste prazo condiciona oprocedimento de revisão dos planos directores municipais, que nãopoderão ser aprovados, sob pena de nulidade.Até à data indicada no ponto anterior, continuam a vigorar asdelimitações efectuadas ao abrigo do Decreto-Lei n.º 93/90, de 19 deMarço, considerando-se a correspondência estabelecida no anexo IV aoDecreto-Lei n.º 166/2008, de 22 de Agosto. 6 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  7. 7. Situação ActualDe acordo com os dados que nos são fornecidos pela DGOTDU, o planoque nos pode fornecer a informação da delimitação da REN no concelhode Caldas da Rainha é referente ao ano de 2002, ou seja, já se encontramuito desactualizado.O concelho encontra-se inserido na Região Oeste, fazendo fronteira com omar a Oeste, com o concelho de Alcobaça a Norte, a Este com o concelhode Rio Maior e a Sul com os Concelhos de Cadaval, Bombarral e Óbidos.Pertence ao Distrito de Leiria do qual dista (da cidade) aproximadamente50 km, e encontra-se a 60 km de Lisboa. O município das Caldas da Rainhaestá inserido na circunscrição do Ribatejo Oeste e Área Metropolitana deLisboa.Situação na perspectiva do SIGEste projecto tem como output final um plano da REN em suporte digital,actualizado do concelho de Caldas da Rainha de forma a melhorar aqualidade de informação que pode ser disponível ao público e a contribuirpara a criação de uma rede nacional de áreas REN que mais tarde ou maiscedo terá de ser criado, e como esse projecto (rede nacional de áreasREN) implica uma colaboração intermunicipal, em que se todos osmunicípios tivessem o seu plano actualizado e em formato digital, esseprojecto seria muito mais rápido, barato, já que a informação analógicateria de passar por técnicos que a teriam de a passar para digital, sendoassim este nosso projecto será muito prestável para o município de Caldasda Rainha e acima de tudo para nós que o vamos realizar, ganhandoconhecimento e experiencia. 7 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  8. 8. Metodologia FluxogramasFluxograma representativo das variáveis utilizadas 8 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  9. 9. Tabela de Informação Sistema Carta NºFolha Escala Entidade Formato de Produtora CoordenadasTopografia ou Relevo/ 316/326/327 HayfordOrografia Militar 338/339/350 1/25 000 IGEOE Digital Gauss 351 Datum LisboaÁreas de Infiltração HayfordMáxima 1/25 000 *** Digital Gauss Datum 73Recursos Biológicos/ 316/326/327 HayfordVegetação COS`90 338/339/350 1/25 000 IGP Digital Gauss 351 Datum LisboaPontos Cotados Hayford 1/25 000 *** Digital Gauss Datum 73Rios / Lagoas Hayford 1/25 000 *** Digital Gauss Datum 73Estradas Hayford 1/25 000 *** Digital Gauss Datum 73Áreas em Risco de HayfordErosão 1/25 000 *** Digital Gauss Datum 73Áreas em Risco de HayfordInundação 1/25 000 *** Digital Gauss Datum 73*** - Bruno Ferreira e Miguel RodriguesTabela que contem informações relativamente os dados utilizados e obtidos.Legislação ImplicadaPara a realização deste trabalho é preciso ter em atenção um aspectomuito importante, o que nos permite saber quais as áreas abrangidas naReserva Ecológica Nacional? Pois o que nos permite saber essas áreas estaestipulado nos decretos-lei nº 321/83 de 5 de Julho e nº 93/90 de 19 deMarço, é com base na informação residente nestes documentos quepodemos começar a definir essas áreas. 9 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  10. 10. Constituição da RENPor definição, a REN - Reserva Ecológica Nacional constitui uma estruturabiofísica básica e diversificada que, através do condicionamento àutilização de áreas com características ecológicas específicas, garante aprotecção de ecossistemas e a permanência e intensificação dos processosindispensáveis ao enquadramento equilibrado das actividades humanas.Nas áreas incluídas na REN são proibidas as acções de iniciativa pública ouprivada que se traduzem em operações de loteamento, obras deurbanização, construções de edifícios, obras hidráulicas, vias decomunicação, aterros, escavações e destruição do coberto florestal.Ecossistemas costeiros:a) Praias;b) Primeira e segunda duna fronteiras ao mar;c) Arribas, incluindo uma faixa até 200 m para o interior do território apartir do respectivo rebordo;d) Quando não existirem dunas nem arribas, uma faixa de 500 m paraalém da linha máxima de praia-mar de águas vivas;e) Estuários e rias, englobando uma faixa de 100 m para além da linhamáxima de praia-mar de águas vivas;f) Ilhas, ilhotas e rochedos emersos no mar ao longo do litoral.Ecossistemas interiores:a) Lagoas, incluindo uma faixa de 100 m para além do limite máximo dealagamento, incluindo as faixas amortecedoras;b) Albufeiras e uma faixa de 100 m para além do regolfo máximo;c) Leitos normais dos cursos de água, zonas de galeria e faixasamortecedoras, além das suas margens naturais; 10 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  11. 11. d) Cabeceiras dos cursos de água definidas a partir da linha de cumeadade separação de rios e ribeiros até à rede hidrográfica;e) Encostas de declive superior a 25%;f) Escarpas e faixa envolvente de 3 vezes a sua altura para além da base erebordo da escarpa;g) Áreas de infiltração máxima definidas pela sua natureza geológica;h) Áreas abandonadas devido a acentuada erosão superficial ou a anteriorexploração de inertes;i) Uma faixa de 100 m para além das bermas das auto-estradas e viasrápidas e de 50 m para além das bermas das restantes estradas nacionais;j) Uma faixa de 200 m ao longo de toda a costa marítima natural, nosentido do oceano, definida a partir do limite da linha de baixa-mar deáguas vivas. 11 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  12. 12. Estruturação da Base de Dados A base de dados que criamos para realização do projecto encontra-se ao lado retratada, tem como nome “CR_REN”, é constituída por oito Feature Dataset, Altimetria, CAOP, Cartograma, COS, Geodesia, Hidrografia, Rede Viária e REN, todas as Feature Class iam sendo introduzidas na base de dados á mediada que iam sendo criadas, por uma questão de organização da informação criada e para balanço de informação existente e informação que ate a data não se tivesse obtido.Imagem que corresponde a estrutura da base de dados criada no ArcCatalog. 12 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  13. 13. ProcedimentosEm primeiro lugar efectuámos a Criação da nossa Database como descritono Capitulo Anterior, de forma a organizar toda a Informação que iríamosobter. O sistema de coordenadas que escolhemos foi o Datum 73 HayfordGauss.Utilizamos as cartas Militares 316/326/327/338/339/350/351 a 1/25k doIGEOE correspondente á “Topografia ou Relevo/ Orografia” e oprocedimento a ser utilizado foi o seguinte: • Proceder às suas projecções para o sistema de coordenadas Hayford Gauss Datum 73. • Efectuar a georreferenciação das mesmas.Nas cartas 316/326/327/338/339/350/351 do COS`90 pertencentes ao IGPa 1/25K, que correspondem a “Recursos Biológicos/Vegetação”, oprocedimento a ser utilizado foi o seguinte: • Efectuar a projecção das cartas para o sistema de coordenadas Hayford Gauss Datum 73, sabendo de ante mão que as cartas se encontram no sistema de coordenadas Hayford Gauss Datum Lisboa. • Proceder á georreferenciação das cartas.World Imagery Utilizamos esta fonte de informação online fornecidapelo IGP, em que temos acesso a imagens de satélite mais recentes doque as cartas militares utilizadas como base de vectorização, pois comestas imagens podemos corrigir algumas falhas de informação existentesnas cartas, por exemplo a existência de um auto-estrada no concelho, eque nas cartas ainda não estava representada, e a partir das imagens desatélite pudemos corrigir essa falha, entre outras estradas que entretantoforam construídas e são das mais importantes vias de circulação doconcelho. 13 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  14. 14. Feito isto, fomos recolher a informação que necessitávamos.Começámos pela informação disponibilizada pelos professores, (CAOP,Cartograma 25K e Vértices Geodésicos) fizemos um “select by atributes”de forma a só ficarmos com os dados do nosso conselho (Caldas daRainha). De Seguida, fomos inserir a Informação na Database, ondecarregámos os dados que já tínhamos disponíveis, (CAOP, VérticesGeodésicos, Cartograma 25k. Seguidamente, procedemos a vectorização dos Pontos cotados detodo o conselho, tarefa essa que foi longa, cerca de 2 semanas, passandotambém pela vectorização rios, lagoas. Feito isto, realizamos igualmente avectorização das estradas principais do conselho. Estes eram dadosessenciais ao nosso projecto que nós não iríamos conseguir arranjar emformato digital, à nossa escala de trabalho para o nosso projecto.Tendo já todos os dadas necessários vectorizados precisávamos então decurvas de nível para mais tarde elaborarmos o nosso Modelo digital deTerreno (TIN), primeiramente geramos o nosso IDW para isso foinecessária a utilização desta extensão “3D Analyst” do ArcMAp utilizandoa ferramenta “Interpolate To Raster Invers Distance Weighted (IDW)para a criação de um raster, este procedimento serviu para gerar ummodelo digital de terreno suficientemente fidedigno para que em seguidase possa obter uma boa rede de curvas de nível. 14 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  15. 15. Layout do IDW gerado.Tinha-mos então o ficheiro base criado para gerar as curvas de nivel, paratal foi utilizada a extenção do ArcMap “3D Analyst Surface AnalysisContour. A criação das curvas de nível é um passo essencial para que maistarde possamos ter esta variável para a geração do nosso TIN, mas antesde integrar as curvas de nível no nosso TIN tivemos de utilizar aferramenta do ArcToolbox “Simplify Line”, esta ferramenta serve parasimplificar as linhas, removendo pequenas flutuações ou curvas estranhas,mas sempre preservando a sua forma original, foi necessária a suautilização porque ao utilizar a ferramenta “Topo To Raster”(mais à frenteserá explicada) dava um erro nesta variável porque continha muitosíndices, então utilizando o Help do ArcGis, esta era a ferramenta quepoderia resolver isso, e assim foi. 15 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  16. 16. Exemplo da ferramenta utilizada para gerar as curvas de nível.Exemplo da ferramenta Simplify Line. 16 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  17. 17. Temos então todas as condições para puder gerar o nosso modelode terreno em 3 dimensões que nos vai permitir calcular os declives donosso concelho, para tal procedemos á criação de um “TIN” utilizando aferramenta “Topo to Raster” Esta ferramenta permite efectuar o modelo, adicionando variáveis,biofísicas do terreno, que nos permitem obter um modelo na perfeita dascondições e muito fidedigno, nesta situação inserimos as variáveis quetinham sido vectorizadas previamente: • Curvas de Nível, como “Contour” • Rios, como “Stream” • Lagoas, como “Lake” • Limite de Concelho, como “Boundary” • Pontos Cotados como, “PointElevation”Exemplo das variáveis a serem inseridas na ferramenta “Topo To Raster” 17 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  18. 18. Layout do Modelo Digital de Terreno “TIN” (Fig.) Efectuado o Modelo “TIN” foi necessário calcular os níveis dedeclive no nosso Concelho. Para efectuar este cálculo, fomos utilizar aferramenta “Slope” no nosso modelo de terreno, obtendo o seguintemapa de Declives: 18 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  19. 19. (Fig. Layout, Mapa de Declives) Seguidamente, após efectuado o mapa de declives, é necessárioutilizar a ferramenta “Reclassify”, de forma a obter apenas 2 valores dedeclives, já que o pretendido era encontrar os declives acima de 25% deinclinação, segue o exemplo abaixo: 19 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  20. 20. (Fig. Layout, Mapa de Declives Reclassificado) Por fim, de modo a extrair os declives superiores a 25% deinclinação, foi utilizada a ferramenta “CON” que extrai através de umaQuery, os valores que quisermos, no nosso caso extraímos todos os pixéisclassificados como superiores a 25% de inclinação. É a partir desta ferramenta que se obtém o Mapa final de Declivesque irão ser utilizados para obter a variável “solo em risco de erosão”. 20 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  21. 21. (Fig. Layout, Mapa de Declives Superiores a 25%) Realizado este passo final, foi feita a extracção desta informaçãopara uma Shapefile (.shp) seguidamente esta informação irá ser cruzadacom as localizações de Solo nu, de forma a obter as áreas REN de solo emrisco de erosão. Zonas de solo nu, esta variável será muito importante para quepossamos calcular as áreas em risco de erosão, e para encontrar-mosestas áreas achamos que a melhor maneira seria gerar um índice devegetação, para tal utilizamos as bandas 3 e 4 do satélite Landsat, a razãopela escolha destas bandas é que mostram a vegetação verde, densa euniforme, apresenta bom contraste entre diferentes tipos de coberturavegetal apresenta sensibilidade à rugosidade da copa das florestas assimcomo sensibilidade à morfologia do terreno, permitindo a obtenção deinformações sobre Geomorfologia, Solos e Geologia. Servem para análisee mapeamento de feições geológicas e estruturais e para separar emapear áreas ocupadas com pinus e eucalipto. Para realizar esta operaçãoutilizamos a extensão “Spatial Analyst Raster Calculater” onde se usoua seguinte expressão: 21 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  22. 22. • NDVI=Float([L5204033_03320070722_B40.TIF] - [L5204033_03320070722_B30.TIF]) / ([L5204033_03320070722_B40.TIF] + [L5204033_03320070722_B30.TIF]) Exemplo da expressão a ser aplicada no raster calculater. Tendo o índice de vegetação gerado efectuamos umareclassificação, já que o que foi gerado os pixéis contem valores entre -1 e1 e entre estes valores é possível determinar o que é vegetação, solo núou áreas sociais. 22 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  23. 23. DESCRIÇÃO Solo nu Vegetação Vegetação Muito densa Água / Zonas Urbanas Exemplo do índice de vegetação gerado e já reclassificado.Em seguida utilizamos a ferramenta CON, esta ferramenta serviu para quepudéssemos extrair apenas os valores correspondentes a “Solo nu” doraster acima apresentado, e em seguida utilizou-se a ferramenta “ExtractBy Mask” que serviu para ficarmos apenas com as áreas de “Solo nudentro do nosso concelho, esta ferramenta é idêntica ao CLIP, só que suafuncionalidade é apenas aplicada aos Raster, por fim utilizamos umaúltima ferramenta que serviu para eliminar alguns pixéis soltos e agruparalguns pixéis que estavam perto um dos outros, a ferramenta queutilizamos foi “Majority Filter” 23 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  24. 24. Layout correspondente ao Solo nu existente.Estes últimos procedimentos explicados forma importantíssimos paraencontrar as zonas em risco de erosão, solo nu e declives superiores a25%, pois é com base nestas variáveis que se pode calcular estas áreas,para isso, utilizámos a Ferramenta “Intersect” de modo a intersectar asduas variáveis: 24 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  25. 25. (Fig. Layout, Mapa de Varáveis “Solo Nu” e “Declives”) Com a intersecção destas duas variáveis obtemos então o nossoMapa final de áreas com Risco Elevado de Erosão já preparado para serintroduzido na nossa delimitação da REN: (Fig. Layout, Mapa de Áreas com Elevado Risco de Erosão) 25 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  26. 26. Passamos então á extracção dos Regadios do COS’90. A variável regadiosvai ser preponderante para mais tarde calcular as áreas com risco deinundação, área essa muito importante para integrar na REN, inicialmentecomo já foi explicado acima as cartas COS’90 foram georreferenciadas, epara que possamos ter essa informação tudo junta e pronta para efectuara extracção, para isso utilizamos a ferramenta “Merge” do ArcToolBox. Exemplo de como foi feito o Merge as cartas COS’90. 26 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  27. 27. Estando as cartas já todas juntas, procede-mos então á extracçãodos regadios, no menu “Selection Select By Attributes”, onde aqui seseleccionou com base nesta expressão: • "LEG" LIKE CC2 OR "LEG" LIKE CC3 OR "LEG" LIKE G__ Esta expressão selecciona todos os polígonos que contenham oscódigos ‘CC2’ ’CC3’ ’G__’, a coluna LEG contem os códigos que contemdesignações de diversas definições tais como zonas agrícolas, áreassociais, as que nos interessam são os regadios. Exemplo do procedimento para encontrar os regadios. 27 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  28. 28. Em seguida utilizamos a ferramenta “CLIP” do ArcToolbox, estaferramenta serve para ficarmos apenas com os regadios que pertencemao concelho em estudo, para isso fizemos um CLIP pelo nosso limite deconcelho gerado num dos passos acima. Layout dos RegadiosÁreas de máxima infiltração que são aquelas que, devido à natureza dosolo e do substrato geológico e ainda às condições de morfologia doterreno, a infiltração das águas apresenta condições favoráveis,contribuindo, assim, para a alimentação dos lençóis freáticos. Por Normaestas zonas são delimitadas excluindo previamente todas as zonas ondenão existam aquíferos, no caso deste concelho, grande parte das áreas deinfiltração máxima correspondem a locais onde existem aquíferos, o quesignifica que os aquíferos em rochas carbonatadas de elevada carsificaçãoe em aquíferos não consolidados com ligação hidráulica com as águassuperficiais. 28 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  29. 29. Layout correspondente as áreas de infiltração máximaLayout que demonstra que os aquíferos correspondem na maior parte das vezes a áreas deinfiltração máxima. 29 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  30. 30. Estão reunidas então todas as condições para encontrar as Áreas em Riscode Inundação, para encontrar estas áreas foi necessário cruzar duasvariáveis muito importantes, regadios e áreas de infiltração máxima, comesta informação é nos possível encontrar essas áreas para integrar nasáreas REN, para a obtenção dessas utilizou-se a ferramenta “Erase” doArcToolbox onde consideramos como áreas de risco todas as áreas quenão forem comuns aos regadios e às áreas de infiltração máxima, e eis oresultado obtido: Layout de Áreas em Risco de Inundação.Calcular Áreas Pertencentes á REN consoante a Legislação em Vigor: Seguindo a Legislação em vigor para a delimitação da REN emecossistemas Interiores e Costeiros, fomos aplicar as Leis consoante asvariáveis que tínhamos vectorizados previamente: 30 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  31. 31. Ecossistemas Interiores: Lagoas, incluindo uma faixa de 100 m para além do limite máximo de alagamento, incluindo as faixas amortecedoras:Para realizar este cálculo, utiliza-se a Ferramenta “Buffer” para delimitaruma faixa de 100m para além das Lagoas do Concelho, obtendo assim estavariável da REN e consequentemente o seguinte Mapa: Leitos normais dos cursos de água, zonas de galeria e faixas amortecedoras, além das suas margens naturais: 31 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  32. 32. Para a obtenção desta área REN, não é necessária a utilização de nenhumaferramenta específica do ArcGIS, pois todos os leitos dos cursos de água jáforam vectorizados previamente, logo para definir está área, basta colocaros cursos de água que já estavam vectorizados, obtendo assim este Mapade Rios: Uma faixa de 100m para além das bermas das auto-estradas e vias rápidas e de 50m para além das bermas das restantes estradas nacionais: 32 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  33. 33. De forma a obter esta área, fomos utilizar novamente a ferramenta“Buffer” de modo a calcular uma faixa de 100m e 50m ás Auto-Estradas eEstradas Nacionais respectivamente, feito isto obtemos o Seguinte Mapacom as Variáveis Delimitadas:Ecossistemas Costeiros: Quando não existirem dunas nem arribas, uma faixa de 500m para além da linha máxima de praia-mar de águas vivas: De acordo com a Legislação, tem de existir, para os ecossistemascosteiros uma Faixa de 500m ao longo de toda a linha de costa, visto isto,Procedemos á vectorização dessa mesma linha de Costa a partir deImagens de Satélite “LandSat”. Para começar, efectuámos o “Download” das nossas imagens no portal“www.glcfapp.glcf.umd.edu” e procedemos á utilização da Ferramenta“Composite Bands” com a seguinte ordem de bandas RGB 4-3-2. Pois é 33 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  34. 34. esta ordem que permite obter o melhor contraste para a separaçãoTerra/Água. Feito isto, fomos delimitar a zona máxima de praia-mar, e vectorizar anossa Linha de Costa definitiva. Seguidamente realizámos então com aferramenta “Buffer” uma faixa de 500m ao longo da Linha máxima depraia-mar, obtendo assim o mapa Final da REN para sistemas Costeiros: (Fig. Layout, mapa REN para Ecossistemas Costeiros) 34 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  35. 35. Instrumentos e MeiosHardware É vital para a elaboração deste trabalho a utilização de um computador, e como se pode observar no decorrer do mesmo uma digitalizadora, para podermos efectuar a digitalização das informação analógica.Software Software em que prevemos toda a elaboração do projecto. Neste software procedemos a criação da base de dados, assim como efectuamos as projecções necessárias e a gestão de toda a informação/dados. Software utilizado para a vectorização das cartas, assim como a sua georreferenciação.Recursos Os recursos humanos precisos neste projecto somos nósHumanos próprios assim como alguns professores, já que este trabalho incide numa vertente mais técnica e não num trabalho que dependa de um grupo de pessoas externas a nós.ResultadosPara obtermos o nosso resultado final basta juntar todas as variáveis quese esteve a trabalhar, e que integrem na reserva ecológica nacional: • Rios • Buffer de 100 metros realizado a lagoas • Buffer de 50 metros realizados a todas as estradas • Áreas em risco de Inundação • Áreas em risco de erosão • Áreas de infiltração máxima 35 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  36. 36. • Zonas de declives superiores a 25% • Buffer de 500m realizado na linha de costaEstas serão as variáveis que vão integrar na reserva ecológica nacional doconcelho de caldas de rainha.Layout Final que define a REN no concelho de Caldas da Rainha. 36 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  37. 37. Conclusões tiradas após a Delimitação daREN Terminada a delimitação da REN no nosso concelho, verificámosque não existem muitas diferenças com a REN delimitada no ano de 2002,mas que para alguns concelhos um atraso de aproximadamente umadécada pode trazer alguns riscos, principalmente para ecossistemascosteiros, onde devido á acção do Mar a erosão é um factor implacável, eo recuo da orla costeiro vai proporcionar igualmente um recuo da REN. Verificámos igualmente que este tipo de trabalho foi fundamentalpara adquirir técnicas de vectorização mais aprofundadas, já que grandeparte dos dados foram produzidos por nós com base nas cartas militares,e vectorizados de raiz, adquirimos também grande experiencia em gerarmodelos digitais de terreno, assim como o cruzamento de sertãs variáveispara obter sertãs áreas de risco, como por exemplo o calcular áreas emrisco de inundação e me risco de erosão, de acrescentar que com estetrabalho aprofundamos o conhecimento em adquirir informaçãorelacionada com este tema, o que nos será benéfico certamente no futurocaso realizemos algum trabalho deste tipo, num todo o projecto correubem apenas salientar que não exploramos uma variável muito importanteque seria os tipos de solo, geologia, mas certamente que não voltaremos acometer o mesmo erro pois é uma variável preponderante para oresultado final de uma reserva ecológica nacional. 37 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha
  38. 38. Bibliografiahttp://www.ccdr-lvt.pt/content/index.php?action=detailfo&rec=1345&t=Reserva-Ecologica-Nacional-RENhttp://www.dre.pt/http://www.dgotdu.pt/http://www.igeo.pt/http://www.igeoe.pt/http://www.hidrografico.pt/http://biblioteca.universia.net/http://www.ineti.pt/http://www.rotaterrafria.com/pagegen.asp?SYS_PAGE_ID=844383http://www.arhcentro.pt/website/LinkClick.aspx?fileticket=cEM4ubKMMo0=&tabid=285 38 Delimitação da Reserva Ecológica Nacional no Concelho das Caldas da Rainha

×