Sangue - 8ª Série

3.143 visualizações

Publicada em

Material Professora Adriana Caetano

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.143
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.629
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sangue - 8ª Série

  1. 1. Colégio Espírito Santo Disciplina de Ciências – 8º ano Prof.ª Adriana Caetano Sarmento *Sangue Sistema Linfático
  2. 2. COMPONENTES DO SANGUE
  3. 3. O plasma sanguíneo é componente líquido do sangue, no qual as células sanguíneas encontram- se suspensas. Apresenta coloração amarelada e corresponde a aproximadamente 55% do volume sanguíneo total. As hemácias, também conhecidas como eritrócitos, são os glóbulos vermelhos do sangue. A hemácia é o elemento presente em maior quantidade no sangue. Existem cerca de 5 milhões de hemácias por milímetro cúbico, no sangue de um homem adulto e saudável (na mulher, cerca 4,5 milhões). A Hemoglobina é o principal componente das hemácias. De coloração avermelhada, ela possui a função de fazer o transporte de oxigênio pelos diferentes tecidos do corpo humano. Transporta também uma pequena quantidade de gás carbônico.
  4. 4. Os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, são células presentes no sangue e produzidas na medula óssea e no tecido linfático. São chamados de glóbulos brancos, pois, ao contrário das hemácias (glóbulos vermelhos), não possuem pigmentos. Função dos Leucócitos: - Realizar a defesa do organismo contra agentes infecciosos (vírus, bactérias e substâncias alergênicas). Este processo ocorre, pois os leucócitos possuem a capacidade de produzir anticorpos. No pus existe uma grande quantidade de leucócitos mortos, pois eles agiram na infecção e morreram. Logo, a existência de pus é um indicativo de que está ocorrendo um processo infeccioso no corpo e que o sistema imunológico, através dos leucócitos, está agindo Como todas as células sanguíneas, os leucócitos são produzidos na medula óssea. Eles originam-se de células precursoras (células-tronco) que se diferenciam e amadurecem em um dos cinco tipos principais de leucócitos: neutrófilos, eosinófilos, basófilos, monócitos e linfócitos.
  5. 5. A diapedese é a capacidade que determinadas células encontradas no sangue têm de atravessar paredes dos capilares sanguíneos, saindo do sistema circulatório para atuar em tecidos vizinhos. Este fenômeno é observado em glóbulos brancos e macrófagos. Antígeno é qualquer substância, normalmente proteínas, reconhecidas como estranhas pelo organismo, o qual arma uma resposta imune contra este antígeno. Os antígenos podem ser, por exemplo, uma proteína do envoltório viral ou da membrana de uma bactéria. Anticorpos são proteínas, da classe das imunoglobulinas, produzidas pelas células B do sistema imune do organismo para combater antígenos. Os anticorpos são específicos para um determinado antígeno e se ligam a ele de modo a sinalizar para a destruição por células do sistema imune, como macrófagos, para a liberação de substâncias que irão atacar o organismo- alvo, como as do sistema complemento, ou então neutralizam antígeno impedindo sua ação.
  6. 6. Leucócitos ou Glóbulos Brancos: Células que defendem o organismo contra invasores, produzindo anticorpos. Dependendo da função especifica que desempenha no organismo, são classificados em: *Eosinófilos, acidófilos e neutrófilos: relacionados às reações alérgicas. *Linfócitos B e T: responsáveis pela nossa imunidade, ou seja, à capacidade que temos de reagir a determinadas doenças, pela produção de anticorpos. *Monócitos e macrófagos: fagocitam microrganismos invasores. *Basófilos: liberam heparina e histamina, enzimas fundamentais para o processo de coagulação do sangue.
  7. 7. As plaquetas, também chamadas de trombócitos, são células sanguíneas produzidas na medula óssea e que atuam na formação de coágulos de sangue, a fim de impedir uma hemorragia sempre que houver necessidade.
  8. 8. Anemia é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal como resultado da carência de um ou mais nutrientes essenciais, seja qual for a causa dessa deficiência. As anemias podem ser causadas por deficiência de vários nutrientes como ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas. Porém, a anemia causada por deficiência de ferro, denominada Anemia Ferropriva, é muito mais comum que as demais (estima-se que 90% das anemias sejam causadas por carência de Ferro). O ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo. Leucemias são doenças malignas que acometem os leucócitos, os glóbulos brancos do sangue presentes nos gânglios linfáticos e na corrente sanguínea. Além de perder a função de defesa do organismo, os glóbulos brancos doentes produzidos descontroladamente reduzem o espaço na medula óssea para a fabricação das outras células que compõem o sangue e elas caem na corrente sanguínea antes de estarem preparadas para exercer suas funções. Hemofilia é uma doença genético-hereditária que se caracteriza por desordem no mecanismo de coagulação do sangue e manifesta-se quase exclusivamente no sexo masculino.
  9. 9. Durante a circulação do sangue, juntamente com alguns glóbulos brancos, sai dos vasos sanguíneos sob pressão, um pouco de líquido que entra no espaço entre as células corpóreas (espaços intersticiais), formando o chamado fluído intersticial ou líquido intercelular. Este fluído é uma solução aquosa clara e transparente presente entre as células de organismos multicelulares e é composto por aminoácidos, açúcares, ácidos graxos, coenzimas, neurotransmissores, sais, produtos residuais das células e também por hormônios. A composição do fluido depende das trocas entre as células do tecido biológico e do sangue. Isso significa que o fluido intersticial tem uma composição variada em diferentes áreas do corpo. A rede linfática origina-se nos capilares linfáticos. Os capilares são os menores vasos condutores linfáticos e possuem células endoteliais que sobrepõem em escamas, formando micro válvulas que se tornam pérvias, permitindo sua abertura ou fechamento, conforme o afrouxamento ou a tração dos filamentos de proteção.
  10. 10. A linfa é um fluido transparente, que impregna o corpo, que é produzido quando o sangue atravessa os vasos capilares e vaza para o corpo; os poros dos capilares são pequenos e não permitem a passagem dos glóbulos vermelhos, mas deixam passar o plasma sanguíneo, contendo oxigênio, proteínas, glicose e glóbulos brancos. Íngua é o termo popular para uma espécie de "carocinho" (linfonodo ou gânglio linfático) que aparece em determinadas partes do corpo, quando o organismo está com alguma infecção. Em geral, representa uma resposta de defesa do próprio organismo e, portanto, tem ação benéfica, uma vez que sua presença revela ao paciente que o corpo está combatendo a infecção. Sendo assim, quando o organismo se recupera, a íngua desaparece. Os linfonodos ou gânglios linfáticos são pequenos órgãos perfurados por canais que existem em diversos pontos da rede linfática, uma rede de ductos que faz parte do sistema linfático. Atuam na defesa do organismo humano e produzem anticorpos

×