Artigo6

449 visualizações

Publicada em

artigo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
449
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
160
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo6

  1. 1. LINGUAGEM CORPORAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL EDNILSA TEIXEIRA DE SOUZA ENICE LAZARETTI MIRANDA MARCIA FABIANA DE OLIVEIRA SANDRA APARECIDA LORENZON SOLANGE ZARTH RESUMO Considerando a importância da linguagem corporal para a aprendizagem das crianças, para assim desenvolver o potencial da inteligência, da sensibilidade e buscar na linguagem corporal brincadeiras lúdicas para a convivência no seu dia a dia, ampliando sua compreensão de mundo, os educadores devem proporcionar atividades por meio das quais a criança se movimente e desenvolva o controle do seu próprio corpo, deixando acontecer, criando, a partir de estímulo gerador de interesse na criança, situações onde estes elementos poderão ser explorados, visto que o equilíbrio está sempre presente nos movimentos de estabilidade, locomoção e manipulação que a criança executa tarefas que fazem parte do seu cotidiano no espaço familiar, bem como nos demais espaços freqüentados por elas. Conclui-se que os educadores devem pesquisar e conhecer o desenvolvimento infantil a fim de poder organizar atividades onde a criança possa experimentar situações das mais diversas, que possam lhe proporcionar atividades lúdicas para a criança desenvolver sua autonomia, e cooperação com outras pessoas, crianças e adultos. PALAVRAS-CHAVE: corpo, movimento, lúdico, criança.
  2. 2. RESUME Considering the importance of body language to children's learning, so as to develop the potential of intelligence, sensitivity and search the body language playful banter for coexistence in their day to day, increasing their understanding of the world, educators must provide activities for through which the child moves and develop control of your own body, letting it happen, creating, from generator stimulate interest in the child, situations where these elements can be explored, as the balance is always present in the stability movements , locomotion and manipulation that the child performs tasks that are part of everyday life in the family sphere as well as in other areas frequented by them. We conclude that educators should research and understand child development in order to organize activities where children can experience situations of diverse, that can provide you with fun activities for children to develop their autonomy, and cooperation with others, children and adults. KEYWORDS: body, movement, playful, child. INTRODUÇÃO Considerando a importância da linguagem corporal para a aprendizagem das crianças, para assim desenvolver o potencial da inteligência, da sensibilidade e buscar na linguagem corporal brincadeiras lúdicas para a convivência no seu dia a dia, ampliando sua compreensão de mundo, os educadores devem proporcionar atividades por meio das quais a criança se movimente e desenvolva o controle do seu próprio corpo, deixando acontecer, criando, a partir de estímulo gerador de interesse na criança, situações onde estes elementos poderão ser explorados, visto que o equilíbrio está sempre presente nos movimentos de estabilidade, locomoção e manipulação que a criança executa tarefas que fazem parte do seu cotidiano no espaço familiar, bem como nos demais espaços freqüentados por elas. REFERENCIAL TEORICO Os movimentos corporais por nós realizados transmitem formas de ser e estar, e podem ser interpretados por aqueles que nos cercam independente de nossa intencionalidade de comunicação conforme Porto (1995) diz que:
  3. 3. Quando a criança está correndo, saltando e saltitando pelo espaço, O corpo como um todo expõe perante todo e todas. De modo transparente, o corpo revela uma exploração de sentimentos. E emoções que podem variar desde alegria, prazer e satisfação, até excitação, frustração, insatisfação entre outros. E o professor, por sua vez considerando que o diálogo corporal é fundamental para a criança o desenvolvimento, deverá contemplar com todo empenho esta liberação de expressões e gestos que a criança manifesta, criando diálogos que permitam comunicação satisfatória e envolvente. (PORTO, 1995, p.97) Segundo Piaget (1971) ao aparecer à linguagem oral por volta dos dois anos, é chegada à fase pré-operatória que permite a criança dispor além, da inteligência, a possibilidade de desenvolver esquemas de ação interiorizada que são os esquemas simbólicos. Este período conforme é salientado por Piaget vai dos 02 aos 07 anos aproximadamente. A criança deixa-se levar pela aparência, sem relacionar aspectos. O pensamento é centrado em si mesmo, não se conseguindo colocar no lugar do outro. Percebe-se que Piaget associa o desenvolvimento humano articulado aos fatores biológicos do indivíduo. Também as faixas etárias deste desenvolvimento podem variar, não obedecendo rigidamente às idades. O auxilio do professor é de fundamental importância para que a criança possa construir uma imagem de si mesmo mediante a exploração de diferentes movimentos e postura do corpo, que seja despertada sua curiosidade estimulando novas descobertas assim como simbolizar sua experiência e expressar o que sente sobre ela. A construção do esquema corporal levará a criança à imagem, ao uso e ao controle do corpo e acontece a partir de uma relação contínua da criança com o mundo dos outros e dos objetos. O equilíbrio está sempre presente nos movimentos de estabilidade, locomoção e manipulação que a criança executa tarefas que fazem parte do seu cotidiano no espaço familiar, bem como nos demais espaços freqüentados por elas. O equilíbrio é a condição de a criança manter determinada posição ou postura corporal no espaço em relação à ação da força de gravidade. Este equilíbrio poderá ser estático, sem movimento corporal, ou dinâmico, com o corpo em movimento. Enquanto o tônus apresenta-se como uma tensão dos músculos de nosso corpo, regula e controla a atividade postural e dá suporte ao movimento,
  4. 4. ele surge como uma função que assegura a preparação da musculatura para múltiplas e variadas formas de atividades motoras. Segundo Cordeiro, Ribeiro e Morais (2008), o corpo da criança está presente em tudo o que faz, pois ela vivencia seu corpo e sente, usa sua motricidade para extrapolar espaço, tempo e o movimento que ela executa O desenvolvimento da motricidade infantil envolve elementos perceptivos, esquemáticos, tônus, lateralidade, orientações temporais e espaciais, e o movimento do corpo é um recurso para externação de sentimentos, emoções e estados íntimos. Os autores apresentaram alguns aspectos do tônus que são: aspecto motor onde o tônus assegura o equilíbrio do corpo em cada uma de suas partes; na sensibilidade, as estruturas neurológicas que regulam a função tônica recebem a estimulações de todas as superfícies de excitação, tanto internas como externas; já nas emoções, o tônus está na base da manifestação das emoções, sendo que no relacional, a função Tônica do corpo é a mais primitiva e fundamental forma de comunicação e intercâmbio e assegura que no princípio, a criança vive e sente seu corpo somente em relação com o outro. O conceito de motricidade infantil é a qualidade de força motriz, conjunto de funções nervosas e musculares que permite os movimentos voluntários ou automáticos do corpo. CONCLUSÃO Conclui-se que através de estudos com o corpo a criança é capaz de ouvir, falar, perceber e sentir as coisas. O relacionamento com os outros se dá pela linguagem corporal na qual é um meio de transmissão de informações e de comunicação com o mundo. Percebe-se através das atividades a oportunidade de aprofundar os conhecimentos sobre a expressão corporal, pois esta é primordial para o desenvolvimento das crianças e fundamental nas atividades de educação infantil e a interação entre ambos, e muito importante também para desenvolver um bom trabalho. E o espaço precisa ser organizado e preparado de modo a propiciar a independência da criança no acesso e manipulação dos materiais disponíveis do trabalho.
  5. 5. E através dos conhecimentos adquiridos, procuramos tanto mediar os conhecimentos que possuímos como também aprender com as crianças os conhecimentos que já estão interiorizados. É de extrema importância trabalhar a expressão corporal com crianças pequenas e este é um passo inicial e importante para podermos relacionar a teoria com a prática. É importante ressaltar que a criança utiliza a linguagem corporal como forma de interagir com os outros e com o meio produzindo cultura e identidade. A criança se expressa com o seu corpo, as praticas escolares devem respeitar compreender e acolher o universo cultural infantil.
  6. 6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CORDEIRO, Celso Alberto da Cunha. Linguagem na Educação Infantil VI: linguagem corporal / Celso Alberto da Cunha Cordeiro, Claudia Maria Ribeiro, Fernando César de Carvalho Moraes. _ _ Cuiabá: EdUFMT, 2008. PIAGET, J; SZEMINSKA. A gênese do número na criança. Trad de Christiano Monteiro OITICICA. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1971. PORTO, Eliane Terezinha Rosane. Mensagens Corporais na Pré-Escola: um discurso não compreendido. In: MOREIRA Wagner Wey (org.) Corpo presente. Campinas: Papirus. 1995.

×