EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O ALUNO COMO SUJEITO DE SUA
PRÓPRIA APRENDIZAGEM NA BUSCA PARA VENCER AS
BARREIRAS DO ENSINO.
Ângela...
INTRODUÇÃO
1. Educação à distância: Uma modalidade de Ensino
Segundo expressa Moran (2002) Educação a distância é o proces...
Como explica Moran (2002) as grandes universidades ainda não entraram para valer em
EAD. Estão começando a oferecer alguns...
encontramos várias formas de facilidades para fazermos cursos superiores, pós-
graduação, mestrado e até mesmo doutorado.
...
Para Moran (2002) “o processo de mudança na educação à distância não é
uniforme nem fácil.” Podemos perceber que aos pouco...
Essa modalidade de ensino permite uma eficaz combinação de estudo e trabalho,
garantindo a permanência do aluno em seu pró...
ficando sem nota. O desempenho é deve ser bastante, havendo muitos trabalhos,
pesquisas.
Segundo Explica Moran (1999), uma...
as leis - e praticam outra, deixando confusos os alunos e levando-os a imitar mais tarde
esses modelos.
O educador autênti...
que muitos são ainda os desafios a ser enfrentada pelos alunos no ensino a distância.
Cabe a eles estarem conscientes dest...
IARALHAM, Luciano Caricol. Contribuição da tecnologia da informação na educação
à distância no instituto universal brasile...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busca para vencer as barreiras do ensino.

1.028 visualizações

Publicada em

Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busca para vencer as barreiras do ensino.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.028
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
199
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação a distância o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem na busca para vencer as barreiras do ensino.

  1. 1. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O ALUNO COMO SUJEITO DE SUA PRÓPRIA APRENDIZAGEM NA BUSCA PARA VENCER AS BARREIRAS DO ENSINO. Ângela Maria Baumgarten Dilza Netto Evanice Gonçalves Coelho Giovana Barbosa de Oliveira Margarete Teresinha Madalosso Maria Eliane Ferreira Tádia Regina Pelissari Ivone Salete Gugel Dal Magro Paulo Roberto Coelho Solange Zarth Resumo Este artigo tem a finalidade de revelar-se a trajetória que facilita estudar á distancia. Não importa se é um curso técnico de educação à distância, em nível médio, superior ou até mesmo pós-graduação, mas que seja voltado o Ensino aprendizagem. Mas mostra a importância, o caminho percorrido pelo aluno, o papel fundamental de estudar á distancia e também as dificuldades encontradas pelo aluno no fazer pedagógico. Enfim queremos ressaltar a necessidade que hoje vivenciamos no espaço escolar e também considerarmos o aprendizado que temos na vida, ao estuda e o conhecimento adquirido á distancia como se fosse à mesma trajetória que fazem os alunos em escola normal. Com as facilidades adaptadas pelas tecnologias de informação e comunicação, destacou-se nas universidades brasileiras a modalidade de Educação a Distância, principalmente, para aquelas pessoas que não têm tempo de frequentar uma universidade presencial. Carecido desta modalidade, os desafios são melhorar a confiabilidade e a qualidade do ensino superior no Brasil.
  2. 2. INTRODUÇÃO 1. Educação à distância: Uma modalidade de Ensino Segundo expressa Moran (2002) Educação a distância é o processo de ensino- aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente. Ainda Moran (2002) coloca que o ensino/aprendizagem onde professores e alunos não estão normalmente juntos, fisicamente, mas podem estar conectados, interligados por tecnologias, principalmente as telemáticas, como a Internet. Mas também podem ser utilizados o correio, o rádio, a televisão, o vídeo, o CD-ROM, o telefone, o fax e tecnologias semelhantes. A Educação a distância pode ter ou não momentos presenciais, mas acontece essencialmente com professores e alunos afastados fisicamente no espaço e ou no tempo, mas podendo encontrar-se juntos através de tecnologias de comunicação, facilitando aos educandos a possibilidades de conseguir um curso superior. Sabemos que a educação a distância está evoluindo cada vez mais no Brasil, possibilitando até mesmo o aluno ouvir através de tela e fazer as provas online. Segundo expressa sua analise sobre a Educação à distância Peters (1983), explica que, Estudo a distancia é um método racionalizado (envolvendo a definição de trabalho) de fornecer conhecimento que (tanto como resultado da aplicação de princípios de organização industrial, quanto pelo uso intensivo da tecnologia que facilita a reprodução da atividade objetiva de ensino em qualquer escala) permite o acesso aos estudos universitários a um grande número de estudantes independentemente de seu lugar de residência e de ocupação (PETERS, O – 1983, p.111). Podemos observar que Peters foi duramente criticado por relatar que a industrialização era uma forma de ocupar mão de trabalhadores que se destacavam por ter tido desenvolvido no conhecimento e principalmente, estudar a distância. O conceito de Educação a Distância está mudando velozmente. De cursos por correspondência ou somente baseado em textos está começando a organizar processos de aprendizagem com forte apoio da Internet, de interação mais constante com a massiva estudantil que por necessidade ou, por falta de tempo não conseguiu fazer sua faculdade ou mesmo seu Ensino Médio.
  3. 3. Como explica Moran (2002) as grandes universidades ainda não entraram para valer em EAD. Estão começando a oferecer alguns cursos, mas o foco principal continua sendo o atendimento aos alunos regulares presenciais. Ainda Moran (2002) descreve que a Lei de Diretrizes e Bases legitimou a educação à distância, ao conferir-lhe valor legal equivalente ao dos cursos Presenciais. Portanto podemos vivenciar aproximações significativas entre o presencial e a distância, onde teremos uma flexibilidade maior em fazer cursos, de ambientes de aprendizagem, semipresencial ou à distância. Vale ressaltar que estudar a distancia tem seu benefício, onde se abriu as portas para aquelas pessoas que não tinha como estudar, dando a oportunidade para o cidadão informar e exercer seu papel como educando, sendo assim tendo a possibilidade fundamental de ter uma mão qualificada para garantir o sustento familiar. Portanto vale ressaltar segundo expressa a Pedroza (2012), Que a aprendizagem de vida se dá em diferentes contextos como trabalho, a igreja, o grupo de amigos, os locais de diversão e a própria escola. Isso tudo mostra a necessidade de estarmos abrindo o espaço escolar a outros horizontes e sempre consideramos o aprendizado que temos na vida como importante. (PEDROZA, Regina Lucia S, 2012, p.70). È importante lembrarmos que estudar a distância utilizando os veículos de comunicação é um dos que traz informação e provoca o educando de ser torna uma pessoa, mais culto, refinado com uma preparação adequada a seu futuro trabalho. Portanto acreditamos que é de extrema importância pensar no papel que a mídia possibilita, contribui para uma consciência crítica de o processo educativo no fazer pedagógico dos educandos. Mas o que é Educação a Distancia? Como saber que estudar diretamente ligado apenas com os recursos da tecnologia terá uma metodologia, uma formação que realmente trará benefícios para os educandos? Falarmos de tecnologia da informação, da comunicação e sua importância são maravilhosos, tendo aí pontos positivos e negativos a quem consegue ou não manusear esta ferramenta que esta cada vez mais evoluída. Enfim falar da Educação a Distância, e falar de estudos que estão se tornado cada vez mais fácil para ter acesso, para aquelas pessoas que não consegue frequentar diariamente uma escola. Falar de Educação a distancia é expressa que esta modalidade de ensino esta ganhando cada vez mais espaço no mundo educacional. Onde
  4. 4. encontramos várias formas de facilidades para fazermos cursos superiores, pós- graduação, mestrado e até mesmo doutorado. A diferença que podemos encontrar entre a Escola e estudos á distancia é apenas que não estamos de corpo presente no estabelecimento, mas, a qualidade é extremamente suficiente que o educando possa assumir seu papel na profissão que escolheu. 2. Educação um caminho percorrido. Sabemos que hoje há várias formas de ensinar, mas, para isso iremos voltar um pouco na História da Educação à distância. Fazendo uma analise pertinente que mostra a educação á distancia extremamente adequada e desejável para atender os educandos que necessita. Na modalidade a distancia temos a globalização com ferramenta que trouxe mudanças radicais, gerando em todas as esferas educacionais. Essa tecnologia que mundialização o modo às informações estão sendo também aplicadas á aprendizagem aberta e a distancia, formalmente e informalmente através de sistemas como as mídias. Essas mudanças facilitaram o processo econômico, na organização e gestão do trabalho e também acesso ao mercado de trabalho. Se falar da possibilidade das culturas se transformarem cada vez mais e assim a educação assumi um novo papel na sociedade. Segundo coloca Moran (2002) conceito de curso, de aula também muda. Hoje, ainda entendemos por aula um espaço e um tempo determinados. Mas, esse tempo e esse espaço, cada vez mais, serão flexíveis. O professor continuará "dando aula", e enriquecerá esse processo com as possibilidades que as metodologias interativas adéquam para receber e responder mensagens dos alunos, criar listas de discussão e alimentar continuamente os debates e pesquisas com textos, páginas da Internet, até mesmo fora do horário exclusivo da aula. Há uma probabilidade cada vez mais exacerbada de estarmos todos os presentes em muitos tempos e espaços diferentes. Assim, tanto professores quanto alunos estarão motivados, entendendo "aula" como pesquisa e intercâmbio. Nesse processo, o papel do professor vem sendo redimensionado e cada vez mais. Ele se torna um supervisor, um excitante, um incentivador dos alunos na estimulante aventura do conhecimento.
  5. 5. Para Moran (2002) “o processo de mudança na educação à distância não é uniforme nem fácil.” Podemos perceber que aos poucos está mudando, em todos os níveis e modalidades educativas. Há uma grande disparidade econômica, de acesso, de amadurecimento, de motivação das pessoas. Alguns estão preparados para a mudança, outros muitos não, por isso muitos não conseguem ir lá do seu conhecimento. É difícil mudar padrões adquiridos no decorrer da vida, das organizações, governos, dos profissionais e da sociedade que interfere no cotidiano. E a maioria não tem acesso a esses recursos tecnológicos, que podem democratizar o acesso à informação. Por isso, é da maior relevância possibilitar a todos o acesso às tecnologias, à informação significativa e à mediação de professores efetivamente preparados para a sua utilização inovadora. Conforme cita (CARMO, 1997, KEEGAN, 1983, PERRIAULT, 1996 e BATES 1990b) que considerando a educação como instrumento de emancipação do individuo e das nações e a partir de uma perspectiva de democratização das oportunidades educacionais, nas sociedades da informação ou do saber, onde a formação inicial torna-se rapidamente insuficiente, as tendências mais fortes apontam para a educação ao longo da vida. 3. O Papel do aluno na Educação à distância Segundo coloca o portal da Educação, o Ensino a distância é uma ótima opção para estudantes que querem se especializar e valorizam seu tempo. O ensino a distância é uma modalidade de ensino que permite ao aluno administrar melhor o tempo dos estudos podendo fazê-lo em casa ou nos horários livres do trabalho. O ensino on-line difere do presencial pela ausência do contato direto e diário numa sala de aula. Mas tanto o presencial quanto o on-line cumprem o papel de ensinar e tornar o conhecimento mais acessível aos alunos. As vantagens de se fazer um curso a distância são diversas e têm feito com que a procura por esta modalidade de ensino aumente ano após ano. Entre elas está a flexibilidade de local e horário, ou seja, o aluno pode escolher o melhor horário para se dedicar ao estudo e ainda estudar onde quiser. Fato este que constitui uma vantagem significativa, pois os alunos podem ter acesso ao estudo em cidades que não contém com aquele determinado curso que no local onde vive não oferece vaga disponível. Consequente essa vantagem é que os cursos a distância que são mais baratos em ralação aos presenciais, além da economia de tempo e dinheiro gasto com transporte até o local de estudo.
  6. 6. Essa modalidade de ensino permite uma eficaz combinação de estudo e trabalho, garantindo a permanência do aluno em seu próprio ambiente, seja ele profissional, cultural e familiar. O aluno passa a ser sujeito ativo em sua formação (construção do conhecimento) e faz com que o processo de aprendizagem se desenvolva no mesmo ambiente em que se trabalha e vive alcançando assim uma formação entre teoria e prática ligada à experiência e em contato direto com a atividade profissional que se deseja aperfeiçoar. Ao contrário da educação presencial, na Educação a Distância é você quem decide quando, como e onde estudar (autodisciplina), mas para estudar a distância são necessárias que alguns itens sejam seguidos, como: ter disciplina para estudar, organizar o tempo para não acumula os exercícios e trabalhos, está inteirado do grupo de estudos, postar as resenhas ou avaliação no dia correto, enfim não existem barreiras para quem quer estudar, mas é importante saber como funciona a Educação a Distancia para conter todos os desenvolvimentos pedagógicos necessários. A Educação a Distância apresenta várias vantagens, uma dessa vantagem é concretização de suas finalidades e estão incluídas à abertura, flexibilidade, eficácia, formação permanente e personalizada, e à economia de recursos financeiros. Para averiguamos temos alguns itens de vantagens desta modalidade de ensino: Combinação entre estudo e trabalho, permanência do aluno em seu ambiente familiar, custo reduzido para o estudante; ter uma pedagogia inovadora, o aluno ser autônomo, materiais didáticos online e interação entre professores e colegas enfim possibilitando flexibilidade e aplicabilidade do conteúdo e como o educando poderá desenvolver seu conhecimento. De fato o Ensino a Distância exige uma dedicação considerável, bastante esforço, ter força de vontade, pois, tem que ler bastante e produzir conhecimentos do decorrer dos temas. 4. As dificuldades enfrentadas pelo aluno na Educação à Distância. As dificuldades encontradas pelos educandos que os cursos online exigem mais dedicação que a educação presencial. Para várias pessoas acham que o curso a distancia é ter um diploma fácil, rápido e sem grandes exigências, estão bastante enganados, pois é o que mais exigem dos educandos que necessita estudar e que não tem condições de está na universidade presencial. A modalidade á distancia exigem um nível maior de dedicação do que a presencial, as atividades devem ser postadas no portal no dia correto, se não acaba
  7. 7. ficando sem nota. O desempenho é deve ser bastante, havendo muitos trabalhos, pesquisas. Segundo Explica Moran (1999), uma das dificuldades atuais é conciliar a extensão da informação, a variedade das fontes de acesso, com o aprofundamento da sua compreensão, em espaços menos rígidos, menos engessados. Muitos têm informações demais e dificuldade em escolher quais são os cursos significa para si e conseguir integrá-las dentro da mente e da na vida. A aquisição da informação, dos dados dependerá cada vez menos do professor. As tecnologias podem trazer hoje dados, imagens, resumos de forma rápida e atraente. O papel do professor - o papel principal - é ajudar o aluno a interpretar esses dados, a relacioná-los, a contextualizá-los. Aprender depende também do aluno, de que ele esteja pronto, maduro, para incorporar a real significação que essa informação tem para ele, para congregar vivencialmente, emocionalmente. Enquanto a informação não fizer parte do contexto pessoal - intelectual e emocional - não se tornará realmente significativa, não será aprendida realmente. Para avançar mais pela educação positiva do que pela repressiva, é importante não começar pelos problemas, pelos erros, não começar pelo negativo, pelos limites. E sim começar pelo positivo, pelo incentivo, pela esperança, pelo apoio na nossa capacidade de aprender e de mudar. Auxiliar o aluno a que acreditar em si, que se sinta seguro, que se valorize como pessoa, que se aceite plenamente em todas as dimensões da sua vida. As dificuldades para mudar na educação, as mudanças adiarão mais do que alguns pensam, porque nos deparamos em processos desiguais de aprendizagem e evolução pessoal e social. Não temos muitas instituições e pessoas que desenvolvam formas avançadas de compreensão e integração, que possam servir como referência. Predomina a média, a ênfase no intelectual, a separação entre a teoria e a prática. As maiores dificuldades são no gerenciamento emocional, tanto no pessoal como no organizacional, o que dificulta o aprendizado rápido. São poucos os modelos vivos de aprendizagem integradora, que junta teoria e prática, que aproxima o pensar do viver. A moral continua contraditória entre a teoria e a prática. Os meios de convivência mostram com frequência como alguns governantes, empresários, políticos e outros grupos de elite agem impunemente. Muitos adultos falam uma coisa – respeitar
  8. 8. as leis - e praticam outra, deixando confusos os alunos e levando-os a imitar mais tarde esses modelos. O educador autêntico é humilde e confiante, mostra o que sabe e, ao mesmo tempo está atento ao que não sabe, ao novo. Manifesta para o aluno a complexidade do aprender, a nossa ignorância, as nossas dificuldades. Os grandes educadores atraem não só pelas suas ideias, mas pelo contato pessoal. Dentro ou fora da aula chamam a atenção. Há sempre algo surpreendente, diferente no que dizem, nas relações que estabelecem, na sua forma de olhar, na forma de comunicar-se, de agir. São importantes termos educadores que ajude nas dificuldades principalmente no manuseio das ferramentas, onde postar as atividades, para poder vencer esses obstáculos. 5. Conclusão Com as facilidades proporcionadas pelas tecnologias de informação e comunicação potencializou-se nas instituições brasileiras a modalidade de Educação a Distância, principalmente, para aquelas pessoas que não têm tempo de frequentar uma universidade presencial. Por outro lado, ainda existem muitos desafios que a Educação a Distância precisa enfrentar, como a comercialização do ensino, a capacitação de professores e tutores, exclusão digital, a falta de fiscalização do governo nos estabelecimentos de ensino e a criação de uma metodologia de estudos. Apesar de todos os avanços na área, o sucesso da Educação a Distância depende da criação de uma cultura do ensino a distância, da qualidade e credibilidade dos cursos e também do amadurecimento por parte dos usuários em relação à disciplina e motivação para estudar. Enfim, observa-se que a Educação a Distância pode ampliar os horizontes ao proporcionar novas formas de aprendizado, mas, é importante salientar que o ensino a distância não exclui o ensino presencial, na verdade, ambos de completam. Também queremos deixar claro que ao estudar pela modalidade a Distância não é nada fácil, creiamos que é mais difícil do que presencial, pois, o aluno praticamente estuda sozinho, buscando outros saberes, para completar sua modalidade. Estes desafios pode contribuir para a reflexão sobre o perfil do aluno que opta pelo curso a distância, evitando frustrações e até mesmo a evasão. Portanto, finalizamos
  9. 9. que muitos são ainda os desafios a ser enfrentada pelos alunos no ensino a distância. Cabe a eles estarem conscientes destes desafios para tirar o máximo proveito dessa modalidade, que pode ser uma grande aliada na democratização do ensino. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALVES, J. R. M. Pesquisas em educação à distância. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação, 1998. BELLONI M. L. Ensaio sobre a educação a distância no Brasil. Revista. Educação & Sociedade, nº 78, abril 2002. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Fundamentos da Pratica na EaD / Artemilson Alves de Lima, Edição revisada e atualizada. –Cuiabá: Universidade Federal do Estado do Mato Grosso/ Rede e- Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Funcionários de Escolas: Cidadãos, educadores, profissionais e gestores- 01/João Antonio Cabral de Molevade, 4ª Ed. Cuiabá: UFMT, Rede e-Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Educadores e educando: Tempos históricos 02/ Maria Abadia da Silva, - 4ª Ed. Atualizada e revisada –Cuiabá Universidade Federal do Estado do Mato Grosso/ Rede e- Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Homem, Pensamento e Cultura: Abordagem Filosófica e antropológica: Formação Técnica 03/ Dante Bessa, -- 4ª Ed. Atualizada e revisada – Cuiabá Universidade Federal do Estado do Mato Grosso/ Rede e- Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Relações interpessoais: abordagem Psicológica 04 / Regina Lucia Sucupira Pedroza, - 4ª Ed. Atualizada e revisada – Cuiabá Universidade Federal do Estado do Mato Grosso/ Rede e- Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Educação, sociedade e trabalho: abordagem sociológica da educação 05 / Ricardo Gonçalves Pacheco e Erasmo Fortes Mendonça, 4ª Ed. – Cuiabá Universidade Federal do Estado do Mato Grosso/ Rede e- Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Gestão em educação escolar / Luiz Fernandes Dourados, - 4ª Ed. – Cuiabá Universidade Federal do Estado do Mato Grosso/ Rede e- Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Informática Básica 07 / João Kerginaldo Firmino do Nascimento, 4ª Ed. Atualizada e revisada - Cuiabá: UFMT, Rede e-Tec Brasil, 2012. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Direito Administrativo e do Trabalho – 9/ Walter Cândido Borsato de Moraes, 4ª Ed. Cuiabá: UFMT, Rede e-Tec Brasil, 2012. Brasil. Lei nº 9.394, 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Brasil. Lei nº 9.424, 24 de dezembro 1996. Lei do Fundef. Brasil. Lei nº 10.172, 9 de dezembro 2001. Plano Nacional da Educação. Brasil. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar, 2003-2004 CHAVES, E. R. S. Ensino à distância 2001. Monografia (Curso de Docência do Ensino Fundamental e Médio) – Universidade Candido Mendes, Rio de Janeiro 2001.
  10. 10. IARALHAM, Luciano Caricol. Contribuição da tecnologia da informação na educação à distância no instituto universal brasileiro: um estudo de caso. 2009. Disponível em: Acesso em 12/05/2015 LANDIM, Claudia Maria Ferreira. Educação à distância: algumas considerações. Rio de Janeiro, s/n, 1997. LUCENA, Marisa. Um modelo de escola aberta na Internet: kidlink no Brasil. Rio de Janeiro: Brasport, 1997. MONLEVADE, João. Treze lições sobre fazer-se educador no Brasil. Brasília: IDEA, 2002. NISKIER, Arnaldo. Educação à distância: a tecnologia da esperança; políticas e estratégias a implantação de um sistema nacional de educação aberta e a distância. São Paulo: Loyola, 1999. VERGARA, S. C. Estreitando relacionamentos na educação à distância. Cadernos EBAPE.BR v.V. ed.especial, p. 1-8 jan.2007. Webgrafia http://www.prmt.mpf.mp.br/noticias/reincidente-fazendeiro-e-denunciado-pela- segunda-vez-por-trabalho-escravo-em-tapurah/#.Ue7Ja9I3v3U acessado18/05/2015. Página do Prof. Moran: www.eca.usp.br/prof/moran/textosead.htm acessado 18/05/2012. MORAN, Jose Manuel. O que é educação à distância. 2002. Disponível em: http://www.eca.usp.br/moran/textos.htm. Acesso em 12/05/2015 MORAN, Jose Manuel. Os modelos educacionais na aprendizagem on-line. 2007. Disponível em. Acesso em 12/05/2015 MORAN, Jose Manuel. A educação à distância como opção estratégica. 2011. Disponível em: Acesso em 12/05/2015 MORAN, Jose Manuel. Educação inovadora na sociedade da informação. 2011. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/23/textos/moran.PDF Acesso em 12/05/2015 http://www.portaleducacao.com.br/marketing/artigos/20603/a-importancia-do-ensino-a- distancia-no-pais#ixzz3ZwsLQYGD acessado em 18/05/2015 * Palestra proferida pelo Professor José Manuel Moran no evento “Programa TV Escola - Capacitação de Gerentes”, realizado pela COPEAD/SEED/MEC em Belo Horizonte e Fortaleza, no ano de 1999. http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/T6%20TextoMoran.pdf ACESSADO 12/05/2015

×