Ofic. escrita ou ficha leitª pª blog

713 visualizações

Publicada em

Ficha de leitura

Publicada em: Educação, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
713
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ofic. escrita ou ficha leitª pª blog

  1. 1. Escola Secundária/3 de Vila Azul CONTRATO DE LEITURA & OFICINA DE ESCRITAReferência Bibliográfica (ver Ficha Informativa!): ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, A Floresta, Figueirinhas, Porto.Informações sobre o(a) autor(a): Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu a 6 de Novembro de 1919 e foi uma das mais importantespoetisas do séc. XX. Foi a primeira mulher portuguesa a receber o “Prémio Camões”, em 1999. Faleceu a 2 de Julho de 2004, com 84anos.Resumo: Isabel morava numa quinta com lagos, fontes, pomares, numa floresta. Passou a vida a pensar em anões, adorava-os! Fezuma casa para anões, na esperança de que um aparecesse. Quando quase tinha desistido, um apareceu… Contou-lhe coisasfascinantes da sua vida: naquela floresta, bandidos faziam assaltos há muitos anos, com frades como seus curandeiros, até ficaremvelhos e tentarem assaltar um rico mercador. Só restou um velho capitão que, antes de morrer, concedeu as fortunas aos frades,para que eles as dessem a alguém que as merecesse. Os anões eram elais amigos dos frades; as fortunas estavam agora nas mãosdo anão que contava tudo a Isabel, pois após a morte dos fardes, ainda não as distribuíra.Isabel pensou em dá-las ao seu bondoso professor de música, o Cláudio. Ele não as aceitou, mas teve uma ideia: dar as moedas aoDoutor Máximo. Este, fez uma experiência: transformar pedras em ouro! Não estava a resultar, mas ele não sabia. O anão moldouentão as moedas para formas de pedras. O Doutor Máximo distribuiu-as pelo povo, tendo- se gerado numerosas complicações, porele supostamente ter descoberto a fórmula… Mas o seu laboratório incendiou-se. Como o Doutor Máximo era velho e já nãodecorava coisas, a fórmula ardeu, perdendo-se.Todas as pessoas ficaram satisfeitas, já não havia complicações e o Doutor Máximo ficou grato por isso, pois já estava farto…Infelizmente, o anão voltou para junto dos seus amigos anões que partiram para o Norte, já há mais de 200 anos.Citações (indicar páginas, p. f.): «Ora nós, os anões, amamos a liberdade e não nos podemos sentir presos.» (pp. 43, ll. 7-8); «No ar pairava um perfume de maçã de Outono.» (p. 69, linhas 1 e 2).Comentário: Um livro interessante, com algum mistério. É sobre algumas coisas estranhas, mas conta uma história bonita. Tempersonagens que podem existir ou não. Gostei de o ler, foi uma descoberta.Personagem seleccionada (breve caracterização e razões da escolha): O anão. Era pequeno e sabia falar todas as línguas. Escolhi-o,porque não é uma personagem que se encontra em todas as histórias. Ele sabe inúmeras coisas, que tem ouvido de geração emgeração. Ao princípio, ele tinha medo de Isabel, mas depois fizeram-se amigos.Próximo livro que pretende ler e razões da escolha: «Superputo.com e o pinta-paredes»Identificação do(a) aluno(a): Maria de Fátima da Silva Barros, Nº 14, 7º B Escola Secundária/3 da Vila Azul, Abril 2011.
  2. 2. Escola Secundária/3 de Vila Azul CONTRATO DE LEITURA & OFICINA DE ESCRITA
  3. 3. Escola Secundária/3 de Vila Azul CONTRATO DE LEITURA & OFICINA DE ESCRITA

×