your text Frevo  Gabriela R.  N°14  &  Nathalia K.. N° 27  Turma: 703
<ul><li>Origem do Frevo:   </li></ul><ul><li>Em Pernambuco, entre os anos de 1910 e 1911, ocorreu o aparecimento de um rit...
Características Musicais É nele que o compositor vem demonstrar todo o seu conhecimento musical, a sua forma de compor e d...
Sua orquestra é composta de Pau e Corda: violões, banjos, cavaquinhos, etc. Nas últimas três décadas observou-se a introdu...
Dança de rua e de salão, é a grande alucinação do carnaval pernambucano. Trata-se de uma marcha de ritmo sincopado, obseda...
Lua Nossa
Carabina
7 http://pt.scribd.com/doc/231555/Dancas-Frevo http://www.baraoemfoco.com.br/barao/portal/cultura/folclore/frevo.htm http:...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Frevo gabriela e nathalia

3.463 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre FREVO realizado pela turma 703 da Unidade Engenho NOvo do Colégio Pedro II

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.463
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.574
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Frevo gabriela e nathalia

  1. 1. your text Frevo Gabriela R. N°14 & Nathalia K.. N° 27 Turma: 703
  2. 2. <ul><li>Origem do Frevo: </li></ul><ul><li>Em Pernambuco, entre os anos de 1910 e 1911, ocorreu o aparecimento de um ritmo carnavalesco bastante animado e que é famoso até hoje: o frevo. A palavra frevo vem de ferver, uma vez que, o estilo de dança faz parecer que abaixo dos pés das pessoas exista uma superfície com água fervendo </li></ul>
  3. 3. Características Musicais É nele que o compositor vem demonstrar todo o seu conhecimento musical, a sua forma de compor e de criar frases utilizando-se dos metais (trombones, trompetes, tubas) em constante diálogo com as palhetas (clarinetos, requinta, sax o fones) de uma orquestra de ritmos carnavalescos. Acompanhando o seu andamento e fraseados, bem como os cantos e contracantos entre palhetas e metais, o passista (dançarino do frevo) cria, no ato, a sua coreografia própria, sem, contudo, agredir o que o compositor escreveu na pauta musical, segundo ensina Guerra-Peixe, “é a única dança que o dançarino dança a orquestração”¹. O frevo tem de abraçar uma linguagem de música instrumental, uma dança que nasceu junto com a música instrumental, e de se espalhar em duas vertentes: o frevo canção e o frevo de bloco. Vassourinha
  4. 4. Sua orquestra é composta de Pau e Corda: violões, banjos, cavaquinhos, etc. Nas últimas três décadas observou-se a introdução de clarinete, seguida da parte coral integrada por mulheres. O frevo-canção ou marcha-canção tem vários aspectos semelhantes à marchinha carioca, um deles é que ambas possuem uma parte introdutória e outra cantada,
  5. 5. Dança de rua e de salão, é a grande alucinação do carnaval pernambucano. Trata-se de uma marcha de ritmo sincopado, obsedante, violento e frenético, que é a sua característica principal. E a multidão ondulando, nos meneios da dança, fica a ferver. E foi dessa idéia de fervura (o povo pronuncia frevura, frever, etc.) , que se criou o nome de frevo. A primeira coisa que caracteriza o frevo é ser, não uma dança coletiva, de um grupo, um cordão, um cortejo, mas da multidão mesma, a que aderem todos que o ouvem, como se por todos passasse uma corrente eletrizante. I gualmente é dançado em salão, como marcha, sem embargo de que, por vezes, os pares se desfaçam em roda, a cujo centro fica um dançarino, obrigado a fazer uma letra (um passo ou uma gatimônia qualquer) depois do que é substituído por outro e assim sucessivamente
  6. 6. Lua Nossa
  7. 7. Carabina
  8. 8. 7 http://pt.scribd.com/doc/231555/Dancas-Frevo http://www.baraoemfoco.com.br/barao/portal/cultura/folclore/frevo.htm http://www.revivendomusicas.com.br Fontes:

×