Jornal do Cariri - 30 de Setembro a 06 de Outubro de 2014.

501 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal do Cariri - 30 de Setembro a 06 de Outubro de 2014.

  1. 1. Rock alternativo Cômodo Marfim prepara gravação de seu primeiro disco epa | pág. 7 O periódico do Cariri independente esporte Torcedores sofrem com desempenho do Verdão na Série B apito | pág. 8 De 30 de Setembro a 06 de Outubro de 2014 Ano 16 Número 2659 Preço: R$1,50 www.jornaldocariri.com.br > > > > > > > > > > > > > > > urnas 201 4 Governador do Cariri sairá em eleição histórica A menos de uma semana para a eleição de 5 de outubro, a região do Cariri se prepara para um dos pleitos mais importante da sua história políti-ca. Além do grande número de candidaturas proporcionais, os caririenses terão, pela primeira vez, a oportunidade de escolher entre dois filhos da região para governar o Estado. Com propostas semelhantes, os principais candidatos, Eunício Oliveira (PMDB) e Camilo Santana (PT), promete-ram melhoramentos na saúde, educação e segurança, bem como apoio ao desenvolvimento industrial e das zonas rurais. Já nas candidaturas pro-porcionais, a região vê o surgimento de novas lideranças e o aumento das opções, principalmente, para deputado estadual. política | pág. 3 Prefeitura retém R$ 800 mil e servidores ameaçam greve Saiba mais MP oferece denúncia contra vereadores afastados Depois de um ano de investi-gação da Polícia Civil, o Mi-nistério Público do Estado encaminhou ação contra os acusados no “Escândalo das Vassouras”, em Juazeiro do Norte. São citados os dois ve-readores afastados, Antônio de Lunga e Ronnas Motos, e mais sete envolvidos, entre funcionários, empresários e “laranjas”. O promotor Gus-tavo Henrique Catanhêde Morgado, da 1ª Promotoria Criminal, pediu a condena-ção dos envolvidos por im-probidade administrativa e, ainda, o ressarcimento dos valores ao erário. As investi-gações identificaram, entre outras irregularidades, frau-des em licitações para com-pra de material de limpeza, expediente e alimentação para a Câmara. política | pág. 4 GREVE NACIONAL Serena Morais SEM TRANSPORTE Estudantes andam 2 km até chegar em creche Solidariedade Campanha arrecada brinquedos para crianças Crianças andam no meio do sol quente para chegar até a escola, por falta de transporte e escola na comunidade rural No Sítio Taquari, localizado na zona rural de Barbalha, as crianças que frequentam a creche Maria Noete Filgueira se deslocam a pé, diariamente, por falta de transporte escolar. Segundo os pais, a topique que fazia o transporte dos estudantes até o Sítio Correntinho, onde fica localizada o estabelecimento, deixou de passar na comunidade há cerca de dois meses. A secretária municipal de Educação afirmou que o problema deve ser solucionado nos próximos meses. METROPOLITANA | pág. 5 Até o dia 12 de outubro, a Campanha Bochecha Rosa arrecada brinquedos e livros para fazer a alegria da criançada. Com pontos de arrecadação na Loja Dona Rosa Bijoux, Gráfica Via Silk e Sesc Juazeiro do Norte, as doações serão voltadas às crianças e adolescentes da região. EPA | pág. 7 Bancários do Cariri aderem à paralisação de atividades Após discussões com sindicatos de todo o Brasil, tem início, nesta terça-feira (30), a greve nacional dos bancários. A decisão veio após recusa de proposta salarial e não tem previsão de encerramento. Os sindicalistas aguardam retomada nas negociações e nova proposta por parte da Federação Nacional dos Bancos. últimas | pág. 8 Divulgação CALOR INTENSO Umidade do ar deve ficar abaixo de 30% no Cariri Municípios do Sul do Ceará devem registrar wumidade relativa do ar abaixo de 30% nos próximos meses, segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). METROPOLITANA | pág. 5 caso das vassouras metropolitana | pág. 5 gratificações em BARBALHA > > > > > > > > > > > > > > > > diocese Dom Panico dá adeus ao Crato em outubro coluna rebate | pág. 3
  2. 2. Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO 2 a 06 de OUTUBRO de 2014 Eu e cerca de 20 mães, todos os dias, temos que levar nossos filhos a pé porque não tem transporte escolar nessa comunidade de Barbalha. As crianças chegam suadas na escola e com os pés sujos da poeira. É um sacrifício. Damiana de Sousa - BARBALHENSE “ “ Opinião O CARIRI NO CENTRO DA DISPUTA ELEITORAL SEXTILHA Por que estou nesta terra? Qual é a minha missão? O dinheiro não preenche O vazio do coração... Só em deus encontraremos Plena realização. WeLINGTON COSTA CARTA Eu preciso fazer um exame de eletrocardiograma há nove meses. Mas, até agora, a solicitação da Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte ainda não chegou à minha casa. Já fui ao órgão várias vezes e só me pedem para aguardar mais um pouco. E o prefeito Raimundão ainda tem coragem de falar que 2014 é o ano da saúde no município. Que ridículo! Cícero Alves, Juazeiro do Norte As eleições aproximam-se. No domingo, a população brasileira depositará seu voto nas urnas e expressará, de modo democráti-co, sua vontade soberana quan-to à indicação das pessoas que a representarão no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional, nos governos dos Estados e nas assembleias estaduais. No Ceará, a disputa está acirradíssima. Ao longo da se-mana, novas pesquisas deverão indicar as tendências do eleito-rado cearense quanto à entrega do poder estadual. Dois grupos antagonizam a disputa. O sena-dor da República Eunício Oli-veira, do PMDB histórico, lidera a oposição e concorre contra o grupo que lidera o Estado há 8 anos. Sua candidatura venceu a inércia e a incompetência dos grupos opositores, ao se mostrar ARANHA NÃO É MACACO Diretor-presidente: Donizete Arruda Diretora de Redação: Jaqueline Freitas Diretoria Jurídica: Vicente Aquino Diagramação: Evando F. Matias Fotos: Serena Morais Editorial Fundada em 5 de setembro de 1997 O Jornal do Cariri é uma publicação da Editora e Gráfica Cearacom Ltda CNPJ: 15.915.244/0001-71 Conselho Editorial Geraldo Menezes Barbosa, Francisco Huberto Esmeraldo Cabral, Napoleão Tavares Neves e Monsenhor Gonçalo Farias Filho. Palavra de Fé Pr. Jecer goes Administração e Redação Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Ceará - Fone 88 3511.2457 Departamento Comercial | comercial@jornaldocariri.com.br Redação | jornaldocariri@jornaldocariri.com.br Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905 - sala 05 - Fone: 85 3462.2600 Sucursal Brasília: Edifício Empire Center Setor Comercial Sul - sala 307 -Brasília - DF. Os artigos assinados são de responsabilidade dos seus autores. Fale conosco O MUNDO PRECISA DE PAZ Romanos 12:18 – Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. A paz é o estado mais desejado e ansiado pelo homem. Há carência de paz coletiva e in-dividual. Há carência de paz subjetiva e objetiva. Há carência de paz orgânica e mecânica. Há carência de paz material e espiritual. Porque lutamos tanto em busca desse estado o qual cha-mamos de paz? - Ora, porque a paz é um São João 14:27: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vô-la como o mundo a dá”. Estado de calma e tranquilidade. Livre de agitação e conflito; um estado de harmonia, de ordem mantida sem violência; um estado de amizade e de acordo’. A paz significa liberdade de espírito. No hebraico, shalom, significando “Felicidade, tranquilidade, saúde e prosperidade”. Teologicamente, a paz é um dos aspectos do fruto do espírito, como diz o apóstolo São Paulo, no livro bíblico de Gálatas, 5:22 - “Mas o fruto de uma vida espiritual condi-cionada a Cristo é Amor, alegria, paz, longanimidade, bondade e fidelidade”. Ao discursar para os romanos, o apóstolo ensinava que a paz é um estado que conduz o ser humano a um processo de justificação. É o que está exarado no livro de Romanos 5:1 - “Justifica-dos, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Ser justifi-cado, significa tornar-se ‘justo’. O profeta Isaias, 750 A.C, delineou como deveria ser o homem jus-to, afirmando: “O efeito da justiça será a paz e a operação da justiça, será o repouso e segurança para sempre” (Isaias 32:17). Horizontalmente falando, nós humanos temos uma tendência para acharmos que a paz existe quando estou bem de saúde; quando meus negócios estão em plena atividade; quando não há falta de numerários em minha conta bancária, etc. Bem, tudo isso é muito bom. A questão é que nada disso produz paz. A paz tem uma origem, uma fonte. No livro de Efésios, 2:14, nos diz: “Porque Cristo é nossa paz...” . No grego, é escrito literalmente assim: “Ele mesmo é a nossa paz”. Isso quer dizer que a paz a nós conferida, é oriunda de uma ‘pessoa’ e que ele se concretiza “em uma pessoa”. – Portanto, isso deve incluir o conceito de “comunhão mística” com o Senhor, de tal modo que todos partici-pem dessa comunhão, isto porque, essa pessoa, obedeceu à um processo, a um sacrifício, e deu sua vida para que os homens, ao valorizarem-no, tivessem paz. Em colossenses, 1:20, há uma verdade espetacular a respeito desse contexto, diz assim: “E por Cristo, foi feito a paz, pelo seu sangue na cruz, e por meio dele, reconciliasse todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus”. Isto, é, foi o sangue que Jesus Cristo derramou na cruz que satisfez e satisfaz a exigência da santidade de Deus, estabelecendo um acordo de paz com quem recebe-o e declara seu amor e temor à sua palavra. Essa é a leitura que o evangelista São João faz em seu escrito, afirmando que a verdadeira paz é sim a ‘espiritual’, que, uma vez adquirida, produz consolo e força para se viver. O mundo tem criado muitas teorias sobre como obter a paz. Algumas dessas teorias são ‘grosseiras’, outras ‘re-finadas’. Santo Agostinho experimentou todos os meios disponíveis neste mundo para livrar-se do espinho da tentação e ficou intranquilo e vencido. Ai escreveu em confissões: “Tu nos fizeste para ti mesmo ó Deus. E nossos corações ficam agitados enquanto não repousam em ti”. Essa confissão de Agostinho, nos deixa confortável, porque, ter paz, não significa que estaremos vi-vendo num paraíso, num eldorado, não. O próprio Cristo experimentou tristezas semelhantes às nossas. Lutou contra os mesmos adversários que temos de combater, no entanto, ‘triunfou’. Essa é a diferença. Esse mesmo modelo Ele deixou para nós, conforme está registrado no evangelho de São João, 16: 33, que diz: “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz, no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo”. O Senhor está nos consolando ao afirmar que, mesmo em meio a guerra, podemos ter paz na alma, chancelada através do que está escrito em Romanos, 8 e 28: “Todas as coisas aconte-cem para o bem daqueles que amam a Deus e os quais Deus tem um propósito, um decreto”. Veja como é nítida a existência e a diferença entre os dois mundos, o espiritual e o material. Quando faço a leitura correta do mundo espiritual, administrarei com eficiência os problemas do mundo material, porém, se não, serei derrotado nos dois. Há, na bíblia, uma promessa que considero mais do que espetacular, está registrada no livro de Filipenses, 4:7 – “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus”. – Já em Colossenses, 3:15, nos diz: “E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações e sede agradecidos”- Veja que quando temos a paz de Deus de forma empírica em nossa vida, nossos sentimentos que são responsáveis por nossos comportamentos, são completamente transformados, modificados, inclinados à uma nova maneira de ser e de agir. O que me fascina mesmo é que essa paz é oferecida a todos, em todos os lugares, a todas as raças e povos. Ninguém pode dizer que não tem acesso, direito de alcançá-la, não. A morte de Cristo no calvário foi exatamente para nos proporcionar este benefício, basta tão somente termos disposição para recebê-la. Em apocalipse, capítulo 3, versículo 20, diz: “Eis que estou à porta (cora-ção) e bato; se alguém ‘ouvir’ a minha voz e abrir, entrarei e cearei com ele e ele comigo.” – Veja que é condicional. Depende de você. É só você ter sensibilidade para valorizar o chamado de Deus à sua alma, obedecendo assim a sua pedagogia. Que o mundo tenha paz, que a família tenha paz, que os tenham paz. Deus te abençoe! CHARGE Aranha é um animal (muitos imagi-nam erroneamente tratar-se de um inseto) pertencente à família dos aracnídeos. É um ser peçonhento, mas estudos científicos comprovam que as toxinas extraídas do seu veneno podem ser eficazes no tratamento da pressão arterial. Por sua vez, o macaco pertence à espécie dos primatas antropoi-des, não é peçonhento e tem sido, ao longo de décadas, objeto de debates científicos, principalmente após o pai da Teoria da Evolução Charles Darwin ter afirmado que homem e macaco têm ancestral comum. Mas é de toda a obviedade que não preten-demos alongar o debate sobre a Teoria da Evolução nem dissertar sobre as toxinas das aranhas neste espaço e sob este título. O nome aranha, como está no título desta crônica, não se refere a nenhum aracnídeo e está às ocultas, embora, precedido do artigo “o”, porque refere-se ao “Aranha”, goleiro do Santos, time do estado de São Paulo. É ainda bem presente na memória da torcida brasileira o episódio envolvendo o referido goleiro (quem sabe o nome próprio dele?) e uma torcedora gaúcha por ocasião de uma partida de futebol entre as equipes gremista e santista, realizada no “estádio” do Grêmio (em “arena” não se joga futebol), em Porto Alegre, oportunidade em que o arqueiro paulista esboçou reação ao ser chamado de macaco de forma acintosa e vilipendiante. A irritação da torcedora se deu em ra-zão das eficientes intervenções do goleiro santista, cujas defesas impediam a conse-cução dos objetivos da agremiação azul. Ao ouvir os gritos de macaco, repetidamente pronunciados pela torcedora do Grêmio, o goleiro e alguns jogadores do time pau-listano chamaram a atenção do árbitro e a partida foi interrompida. A torcedora, identificada pelo monitoramento televi-sivo do estádio, foi afastada do emprego e o Grêmio eliminado da competição. Não é demais lembrarmos aqui as tragé-dias sofridas pela humanidade em face de odientos e inaceitáveis preconceitos. Não é possível olvidar as barbáries praticadas por um facínora contra seis milhões de seres humanos, simplesmente por serem consi-derados inferiores, como o são, ainda hoje, assim considerados os negros, por um se-guimento sórdido dessa sociedade enfer-miça. E não apenas no Brasil remanescem esses grupos mesquinhos. Em países ditos de cultura avançada jogam-se bananas das arquibancadas para dentro do campo de jogo. Uma astúcia demoníaca e condená-vel. No México, onde atualmente está jo-gando, Ronaldinho gaúcho foi alvo de vili-pêndio desse jaez, em razão da cor da pele. Quando o futebol, impropriamente cha-mado de esporte bretão começou a ser prati-cado no Brasil, os negros não podiam atuar porque eram negros. Não imaginavam os brancos despudorados de então, que logo o futebol se tornaria arte nos pés de um criou-lo chamado Leônidas da Silva, o “Diamante Negro”. A partir daí, não demoraria muito tempo e outro negro, Edson Arantes do Nas-cimento, o Pelé, mostraria ao mundo a sua arte e conquistaria com inigualável garbo o título de “rei do futebol”. É bem verdade que o rei do futebol, ao que parece, não entendeu a dimensão que podem ter as ofensas aos negros se não forem prontamente rebatidas. Talvez, por isso, tenha sido omisso quanto à repulsa que dele se esperava quando se ma-nifestou sobre as ofensas ao jogador Aranha. Não é apenas a pecha de macaco que estig-matiza. É a subestimação que ela esconde, é a demonstração de desrespeito e desprezo e, principalmente, o perigo que esses sen-timentos representam. Quem chama a um negro (um ser humano) de macaco, tem- -no como um animal inferior, do tipo que melhor se faria eliminando-o. É imperioso não esquecer a dívida impagável que temos para com os negros do mundo, os mortos e os vivos, entre outros: Leônidas da Silva, o “Diamante Negro”, Francisco José do Nas-cimento, o “Dragão do Mar”, Grande Otelo, Martin Luther King, Nelson Mandela, Ed-son Arantes do Nascimento, “Pelé”, Milton Nascimento e o grande ex-ministro Joaquim Barbosa. Termino essa crônica simples com uma linda frase identificadora da rigidez de caráter de um imortal: “Se alguém varre as ruas para viver deve varrê-las como Miche-langelo pintava; como Bethovem compu-nha; como Shakespeare escrevia” (Martin Luther King). Josival Silva uma alternativa viável ao gover-no, que conquistou hegemonia inédita nos segmentos políticos. Não existia oposição na Assem-bleia Legislativa e o governador Cid Gomes mantinha um arco amplíssimo de coalização par-tidária. O nome do senador Eu-nício Oliveira teve a força para catalisar os descontentes com o atual modelo, além de ser fun-damental salientar sua coragem de ir de encontro ao arranjo de poder que lhe entregaria minis-térios e a presidência do Banco do Nordeste do Brasil. O segundo grupo é o lidera-do pela família Ferreira Gomes, especialmente os irmãos Cid, Ciro e Ivo. Alavancados pelo prestígio das administrações de Cid Gomes, em Sobral, que foram marcantes na história do município, e pela força política nacional de Ciro Gomes, o clã sobralense conseguiu ocupar a cena política do Estado com inegável maestria. Seu mode-lo de gestão e sua política para o Ceará encontram-se, agora, sob o escrutínio do povo com o nome de Camilo Santana como seu candidato à sucessão go-vernamental. Camilo é filho do deputado Eudoro Santana, uma tradicional e histórica liderança do Cariri. A força do Governo do Estado, que sempre mereceu avaliação positiva da maior par-te da população, aliada ao apoio de prefeitos municipais, trans-feriram para Santana, um nome pouco conhecido, uma enorme vantagem, que vem crescendo nas últimas semanas. Independentemente do re-sultado, o certo é que após as eleições, com ou sem segundo turno, o Palácio Abolição será ocupado em 2015 por um filho do Cariri. Eunício, natural de Lavras da Mangabeira e cidadão honorário do Crato, e Camilo, natural do Crato, são os nomes que colocaram o Cariri de novo no centro da política e do poder no Ceará. Ambos os candidatos, independentemente de seus mé-ritos pessoais, têm por si a espe-rança do povo caririense. Desde o governador Adauto Bezerra, o Cariri não ostenta uma posição de tal relevância no quadro po-lítico local. A presença de um filho do Cariri no núcleo do poder cen-tral em Fortaleza é algo a ser comemorado, pois é uma espe-rança de maior atenção e uma distribuição justa de recursos para uma região tão abandona-da pelo Governo do Estado. Eunício, natural de Lavras da Mangabeira e cidadão honorário do Crato, e Camilo, natural do Crato, são os nomes que colocaram o Cariri de novo no centro da política e do poder no Ceará. Ambos os candidatos, independentemente de seus méritos pessoais, têm por si a esperança do povo caririense. Desde o governador Adauto Bezerra, o Cariri não ostenta uma posição de tal relevância no quadro político local. Jurista e Fil ósofo
  3. 3. Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO a 06 de OUTUBRO de 2014 3 Eunício e Camilo travam uma dura batalha. Camilo é o candidato Política da continuidade, que tenta mostrar aos caririenses não haver necessidade de mudanças. Apenas ajustes de rumos.No campo oposto, o senador Eunício Oliveira é o candidato. Faz críticas à segurança e à saúde do Ceará. Se propõe a romper o atual ciclo da violência, que assola o interior. GOVERNO DO ESTADO Polarização marca reta final das eleições 2014 Madson Vagner A região do Cariri fina-liza seus preparativos diante de uma das mais importantes eleições da sua história política. A menos de uma semana para o pleito de 5 de outubro, os caririenses veem a oportunidade de esco-lher entre quatro candidatos, pela primeira vez, dois legíti-mos filhos da região a dispu-tar diretamente o comando do Governo do Estado. O professor da Univer-sidade Regional do Cariri (Urca), José Rubens, mestre e doutor em Ciência Política, pela Universidade Federal do Pernambuco, avalia a dispu-ta para o governo do Estado polarizada entre o cratense, radicado em Barbalha, Cami-lo Santana (PT), e o lavrense, Eunício Oliveira (PMDB). Os candidatos apresenta-ram, durante os três meses de campanha, várias pro-postas de governo para os setores da saúde, educação, segurança e desenvolvimen-to industrial e rural. Eunício Oliveira e Camilo Santana, inclusive, foram os que mais visitaram a região durante o período eleitoral. Camilo iniciou a cam-panha pela cidade de Bar-balha, seu berço político, e esteve em todos os municí-pios da região, em reuniões, caminhadas, carreatas e co-mícios. No mesmo ritmo, Eunício, cumpriu agendas movimentadas. Os caririen-ses disputam o mais alto cargo do Palácio da Abolição com Eliane Novais (PSB) e Ailton Lopes (Psol). Segundo as assessorias dos candidatos, nessa últi-ma semana, as campanhas devem ser feitas pelos can-didatos proporcionais e cor-religionários. Mesmo sem a presença dos candidatos majoritários, as assessorias garantem que as campanhas serão intensificadas. No último fim de semana, o candidato Eunício Oliveira esteve nas cidades de Auro-ra, Caririaçu, Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Camilo Santana se dedicou às agen-das na região norte e capital. Propostas Com propostas seme-lhantes, os dois candidatos se revezaram na garantia de erradicar as casas de taipa na zona rural, investir em pro-gramas de moradias popula-res e fomentar o desenvolvi-mento industrial da região. Nesse ponto, Eunício destaca a importância dos distritos industriais de Crato e Juazei-ro, enquanto Camilo ressal-tou o de Missão Velha. Outro ponto em comum entre os candidatos é a continuação do investimento na escola em tempo integral. A segurança foi um dos temas mais conflitantes. Eu-nício defendeu abertamente a ampliação do “Raio” (Polícia Especializada) para o inte-rior, como forma de melhorar o combate ao crime organiza-do e o tráfico. Eunício não fa-lou em acabar com o Ronda, mas criticou a maneira como é conduzido, segundo ele, desvalorizando o policial. A candidata Eliane Novais destacou a região com poten-cial extraordinário a precisar de mais atenção em todos os setores. Já Ailton Lopes, res-salta que nenhum desenvol-vimento proposto ao Cariri pode acontecer sem respeito ao meio ambiente. Entre as suas propostas mais claras para a região, está o repasse integral de 5% dos impostos estaduais à Urca e às outras Universidades Estaduais. Proporcionais Nesta reta final da campa-nha, os caririenses estão per-cebendo, ainda, o surgimento de novas propostas políticas, através da apresentação de novas lideranças. Entre os nomes em maior evidência, Anderson Palácio (PSDC) e Tales Macedo (PSD), que acabam confrontando outras como as de Manoel Santana (PT) e Vasques Landim (PR). Todos eles, candidatos a de-putado estadual. No Crato, a competição acaba sendo interna, onde várias candidaturas da ci-dade disputam a represen-tação do município. Os cra-tenses Zé Ailton Brasil (PP), Ely Aguiar (PSDC), André Barreto (Pros), Raimundo Filho (PPS) e George Macá-rio (PDT) disputam a pre-ferência do eleitorado local, ao lado do deputado radica-do no Crato, Sineval Roque, este, ainda, sem autorização definitiva do Tribunal Su-perior Eleitoral (TSE) para sua candidatura. Entre os federais, radica-dos e filhos do Cariri, se des-tacam o atual deputado e candidato à reeleição Arnon Bezerra (PTB) e o vereador de Juazeiro, Normando Só-racles (PSL). Biometria Além polarização das can-didaturas ao governo e acir-radas disputas à Assembleia e a Câmara dos Deputados, os eleitores do Cariri terão a primeira eleição com o recur-so da biometria. Segundo o cartório eleitoral de Juazeiro do Norte, primeira cidade a experimentar o sistema no Cariri, mais de 70% dos elei-tores juazeirenses foram re-cadastrados. O TRE informa que os mesários estão trei-nados para receber os quase 300 mil eleitores de Crato, Juazeiro e Barbalha, maiores colégios eleitorais do Cariri. Rebate Doni zete Arr uda Quem será o grande vencedor No domingo, 5, o Ceará elegerá um filho do Cariri para governar os destinos do nosso Es-tado. A previsão é de que não haja segundo turno e o vitorioso seja conhecido no mesmo dia. Eunício Oliveira e Camilo Santana travam uma dura batalha. Camilo é o candidato da continuidade, que tenta mostrar aos caririenses não haver necessidade de mudan-ças. Apenas ajustes de rumos, que ele se propõe a fazer contando com o respaldo de seu padrinho, o governador Cid Gomes. No campo oposto, o senador Eunício Oliveira é o candidato. Faz críticas à segurança e à saúde do Ceará. Se propõe a romper o atual ciclo da violência, que assola o interior. Ele também assume o compromisso de mudar a qualidade dos serviços de saúde oferecidos à nossa gente. O eleitor que vai às urnas irá definir o seu futuro. Que tenha juízo e escolha o melhor. Uma coisa é certa: o Cariri terá, após 32 anos, um Governador do Ceará. Sogro de Cid é barrado em comitê Grande articulador e coordenador geral nas duas campanhas vitoriosas do governador Cid Gomes no Cariri, o seu sogro, Dr. Francisco Leitão, passou a ser uma figura isolada no comando da campanha de Camilo Santana no Cariri. Estranhamente, Dr. Leitão acabou sendo barrado, no início da semana passada, no comitê central do candidato do PT ao Governo do Ceará, que tem o apoio de seu genro em Juazeiro do Norte. O mal estar foi gerado quando Dr. Leitão chegou com um caminhão para separar placas e colocá-las em locais estratégicos do Crajubar. Ao chegar com o veículo e ajudantes, o sogro do governador foi impedido de levar as placas sem a autorização de Fernando Santana, pessoa da extrema confiança de Camilo no Cariri. Os presentes no comitê telefonaram na hora para Fernando e, nem assim, as placas foram liberadas. O promotor aposentado Dr. Leitão se retirou e apenas lamentou o fato. Teria comentado, com pessoas próximas, que o material armazenado e não exibido publicamente não ganha eleição, além de ser dinheiro jogado fora. Experiente, ele não quer polêmicas. Entrou pesado na briga por votos O prefeito do Crato, Ronaldo Mattos, esqueceu as desavenças com seu antecessor Samuel Araripe e, juntos, dividiram o mesmo carro, ao lado de Eunício e Tasso Jereissati, na carreata que fizeram no sábado, 27, para tentar conquistar o voto cratense. Ronaldo reconhece que, no Município, a situação de Eunício era desfavorável diante de Camilo. Resolveu virar o jogo. Trouxe quatro vereadores e, sem querer ser dono da vitória, soma apoios de todos os lados sob a justificativa de que o importante é Eunício vencer. Camilo, ciente da força de Ronaldo e de Samuel Araripe, vai intensificar sua presença no Crato, nessa reta final de campanha. Raimundão não toma jeito Para quem viu o prefeito Raimundo Macedo, ainda, no início da campanha eleitoral, reunir toda a sua base política para anunciar o voto aos candidatos Arnon Bezerra e Vasques Landim, estranhou e muito a última reunião que ele promoveu na casa da vereadora Mara Torres. Lá, Raimundão ao lado da parlamentar, reuniu vários ocupantes de cargos comissionados da Prefeitura e pediu votos para deputada federal e candidata à reeleição Gorete Pereira, do PR. No encontro, o prefeito reiterou o apoio à essa candidatura. Quem compareceu às duas reuniões, acabou não entendo mais nada. Raimundão apoia oito candidatos a deputado federal em Juazeiro do Norte. A opção Arnon Bezerra foi para o final da fila e quem tem, hoje, a preferência de Raimundão é o candidato Macedão, do PSL, cuja campanha é coordenada no Município por Davi Macedo, filho do prefeito. Desculpa usada para a traição O apoio de Raimundão a Arnon Bezerra foi rompido, segundo interlocutor do prefeito juazeirense, porque o vice-prefeito Luiz Ivan não anunciou publicamente sua desistência da corrida à Prefeitura em 2016. Diante dessa atitude, Raimundão se viu desobrigado em votar e pedir votos para Arnon. A seus aliados, o prefeito justificou que Arnon alegou não ter o controle sobre a vontade. Essa conversa é para boi dormir. Dom Panico vai deixar o Crato Depois de muitos pedidos e apelos de padres e fieis católicos do Cariri, o bispo Dom Fernan-do Panico, finalmente, vai deixar a Diocese do Crato. A decisão deve ser anunciada pela Igre-ja em outubro deste ano, após o Jubileu da Diocese. A decisão foi motivada pelos incidentes envolvendo negociatas de terrenos e casas. Isso provocou a perda de autoridade do bispo sobre seus fiéis. Inicialmente, Dom Panico seria transferido para a Diocese de Manaus, no Amazonas. Porém, lá, a comunidade se rebelou com sua nomeação por seu envolvimento em escândalos. Resultado: foram formados movimentos para barrar a sua indicação. Ciente das resistências, a Igreja articula, com a comunidade da capital amazonense, a possibili-dade de Dom Panico assumir a Diocese por apenas dois anos e depois pedir aposentadoria. Mesmo por esse curto tempo, não há apoio à sua nomeação. Quem perde com Dom Panico fora A saída do bispo Dom Fernando Panico é motivo de desespero para os seus dois princi-pais articuladores na região: o coordenador da Missão Resgate e diretor da Rádio Educa-dora, Geraldinho Correa Braga, e o vigário da Catedral da Sé e diretor do Colégio Pequeno Príncipe, Edmilson Neves Ferreira. Eles são os homens de confiança e a tropa de choque para respaldar os negócios do bispo. Hoje, ocupam cargos privilegiados por indicação de Dom Panico. Com a saída dele, Geraldinho, hoje, arrendatário da Rádio Educadora, deve ter o contrato rescindido, além de perder a coordenação da Missão Regate, que já agoniza, desde a divulgação do escândalo envolvendo o bispo. Já o vigário Edmilson, construiu muitos inimigos e, agora, ficará sem defesa, devendo perder o comando do Colégio e da Catedral. Claro, que existe a possibilidade dos dois acompanharem Dom Panico, se ele conseguir ser nomeado bispo de Manaus. Disse me disse Cheiram mal as negociações antecipadas durante a campanha de 2012 pelo prefeito Antonio Filho, de Antonina do Norte, com um ex-oficial PM e empresário de Juazeiro. A Polícia Federal investiga esse oficial da PM que largou a farda e ingressou na vida empresarial. Porém, seus métodos são considerados lesivos ao patrimônio público. Indiferente à essas investigações, o prefeito Antonio Filho deve ficar de olho aberto. A PF pode decretar sua prisão. No entanto, o gestor não teme isso. Na Expocrato, o seu camarote era um dos mais concorridos da festa e, toda às noites, Antonio Filho distribuía 100 cortesias para os shows, sempre regado a bom whisky e farto em guloseimas. Sineval Roque comemorou a decisão do ministro do TSE, Henrique Neves da Silva, que concedeu liminar garantindo ao deputado o direito de concorrer à reeleição. O risco que Sineval Roque corre é que a decisão monocrática precisa ser apreciada, ainda, pelo Pleno do TSE. Se perder, mesmo que tenha sido eleito, não assumirá e seus votos serão anulados. Embora ciente de que sua candidatura é uma opção de risco, Sineval Roque recorreu ao governador Cid e ao irmão Ciro Gomes na esperança de vencer também no Plenário do TSE. Vereador Helder França (Guer) apoiando a reeleição de Sineval Roque. Cunhado de Samuel Araripe e seu principal articulador, expõe a pretensão do ex-prefeito em 2016: voltar ao Palácio Alexandre Arrais, com o apoio de Roque. Desculpe a ignorância, façam suas apostas: quem será o novo governador do Ceará? caririenses, Camilo Santana e Eunício Oliveira polarizam a disputa ao cargo de governador do estado do Ceará Leia rápido O vereador Antônio Marcos (PMDB) relatou o descaso por parte dos motoristas de caminhões com a Zona Marrom, que foi sancionada pelo prefeito Ronaldo Mattos. Segundo ele, os comerciantes e o trânsito de Crato são os mais prejudicados com a carga e descarga fora do prazo fixado, entre 17h e 21h. Os agentes de saúde de Barbalha se fizeram presentes na Câmara Municipal, na semana passada, como forma de pressionar os edis para aprovação do piso salarial da categoria. Por unanimidade, o subsídio dos servidores de endemias e comunitários da saúde ficou estabelecido em R$ 1.014. Em Várzea Alegre, o vereador Luiz do Conselho (PRB) afirmou que a saúde no município está precária. Ele diz que as consultas demoram até um ano para serem feitas, ressalta, ainda, remédios em falta e ausência de material básico para os atendimentos. O Secretário da pasta, Fernando Fernandes, rebateu as críticas dizendo que há municípios em situações mais graves. Praças sem internet Prefeitura do Crato denuncia débito da gestão Samuel Araripe Devido a uma dívida de mais de R$100 mil, dei-xada pela gestão anterior do Crato junto à empresa responsável pela disponi-bilização de internet nas praças do município, os serviços de wifi gratuitos foram bloqueados e vêm sendo objeto de críticas e reclamações por parte da população. A declaração é do prefeito Ronaldo Gomes de Matos, explicando que a Prefeitura não tem recur-sos financeiros para pagar o débito, embora considere o projeto importante e de longo alcance social. O prefeito não descar-tou a possibilidade da re-ativação do sistema com mais abrangência e dina-micidade, tão logo sejam resolvidas as pendências existentes. Segundo ele, no momento, sua gestão está priorizando a implantação de internet nas escolas, postos de saúde e demais equipamentos municipais. Em nota, a assesso-ria do ex-prefeito Samuel Araripe, assinada por Davi F. Araripe Cariri, escla-rece que o argumento do atual gestor não condiz com a verdade e que o ex- -prefeito Samuel Araripe deixou de restos a pagar, processados, recursos no valor de R$7.668.847,33 e um montante de R$9.999.997,73, com dis-ponibilidade de caixa. Um crédito, portanto, de R$2.331.150,04. A internet pública e gratuita no Crato está le-galizada por Lei Munici-pal. Inicialmente, foi ins-talada nas Praças da Sé, Siqueira Campos, Juarez Távora e Largo da RFFSA e, posteriormente, exten-siva à toda cidade com a finalidade de melhorar as condições de mobilidade e acesso às informações pelo cidadão.
  4. 4. 4 Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO a 06 de OUTUBRO de 2014 Política mp reconhece formação de quadrilha e suposto esquema montado no Escândalo das Vassouras ESCÂNDALO DAS VASSOURAS MP apresenta denúncia contra Lunga e Ronnas Madson Vagner O Ministério Público do Estado (MPCE), através do promotor Gustavo Henrique Catanhê-de Morgado, da 1ª Promoto-ria Criminal, apresentou, no último dia 03 de setembro, ação contra os vereadores afastados da Câmara de Ju-azeiro do Norte, Antônio Al-ves de Almeida (Antônio de Lunga) e Ronaldo Gomes de Lira (Ronnas Motos), além de outros sete envolvidos no “Es-cândalo das Vassouras”. Na ação, baseada no In-quérito Policial, com relatório concluso pela Delegacia dos Crimes Contra a Administra-ção Pública, em Fortaleza, o promotor reconhece como cri-me de formação de quadrilha, o suposto esquema montado pelo então presidente da Câ-mara, Antônio de Lunga. Segundo a ação, além do ex-presidente, também es-tão envolvidos no esquema o então tesoureiro, vereador Ronnas Motos, e mais os ser-vidores Solange Cavalcante de Alencar, José Lindimar Figueiredo Calou e Maria das Graças Tavares de Sousa, to-dos pertencentes à Comissão de Licitação da Câmara que, segundo as investigações, fraudaram o certame que teria favorecido as empresas “S da S Sousa – ME” e “Priscila Cardo-so da Rocha Parente – ME”. Entre os funcionários ouvi-dos nas diligências propostas pela justiça e efetuadas pela Polícia Civil, o promotor con-sidera decisivo o depoimento da funcionária Maria Moema Leite Novais Rodrigues, res-ponsável pelo Almoxarifado da Câmara. No depoimento, ela disse jamais ter solicita-do ou recebido a mercadoria comprada pela presidência. A investigação da Polícia Civil apurou a compra abu-siva e injustificável de mate-riais de expediente, limpeza e escândalo das vassouras ganhou repercussão nacional em 2013 e levou ao afastamento de dois vereadores alimentos para a Câmara. Ela cita, ainda, os empresários Cícero Jackson Pereira Maia e Marcos Raniere Parente, administradores das empre-sas, e mais os “laranjas” Pris-cila Cardoso da Rocha Paren-te, Silvando Alves de Sousa e Sirley da Silva Sousa. Segundo o relatório do Tribunal de Contas dos Mu-nicípios do Ceará (TCM), ane-xado à ação do MP, as empre-sa chegaram a receber, juntas, cerca de R$ 63 mil, mas com potencial contratual para ar-recadar cerca de R$ 190 mil. O TCM identificou, ainda, aquisições falsas com notas frias, produtos com validade vencida, falso recebimento das mercadorias, fraude na contratação de armazém para estocagem, entre outros. O TCM reconhece o caso como improbidade administrativa. Na ação, o promotor pede a condenação de todos os de-nunciados, com penas pre-vistas na Lei. Pede, ainda, a fixação de valor mínimo para a reparação ao erário públi-co. O processo corre na 1ª Vara Criminal da Comarca de Juazeiro do Norte, sob o júri da juíza Ana Raquel Co-lares dos Santos Linard. A juíza titular da Vara ainda não marcou audiência para julgamento da ação. Outros desdobramentos Na mesma Vara Crimi-nal, existe uma ação inci-dental, com pedido para que sejam revogadas as medidas cautelares contra os verea-dores. A juíza Ana Raquel Colares também deve ana-lisar o pedido. Em nível de Superior Tribunal Justiça (STJ), existem duas ações ordinárias com mandado de segurança e Habeas Corpus, ambos na 8ª turma do Tri-bunal e que devem ser julga-das no início de outubro. Escândalo ainda prejudica a Câmara Segundo o atual presidente da Casa, vereador Capitão Viei-ra Neto (PTN), Escândalo das Vassouras continua fazendo estragos na Câmara. O legisla-tivo juazeirense enfrenta sérias dificuldades para conseguir fornecedores. “Estamos com os trabalhos prejudicados em vá-rias áreas por que nenhum em-presário quer participar das li-citações. Estamos organizados, temos dinheiro em caixa, mas não conseguimos fazer os inves-timentos,” avaliou Vieira Neto. Na última quinta-feira (25), mais uma licitação não aconteceu por falta de con-correntes. Há meses, existe a tentativa frustrada de licitar o valor de R$ 83 mil para uma campanha de comunicação, nos meses de outubro, novem-bro e dezembro. Segundo o presidente da Comissão, An-dré Pither, o mesmo acontece com vários outros certames. Pither observa que, recen-temente, foi tentado licitar um Buffet, mas o certame acabou sendo cancelado por falta de propostas. Capitão Vieira destaca que a falta do serviço está impossibilitando alguns eventos, como a entre-ga de títulos de cidadania. Chapada Madson Vagner Uma eleição diferenciada A eleição de 2014, com certeza, ficará na memória do Cariri. Neste ano, os caririenses poderão escolher entre dois candidatos da região que disputam o Governo do Estado. Por todos os municípios, prefeitos, vereadores e outras lideranças políticas se revezam na realização de grandes eventos para impulsionar as candidaturas de seus preferidos. Mas, o que tem de satisfação com a disputa acirrada para o Governo do Estado há de reclamação nas disputas proporcionais. É grande o descontentamento de eleitores e lideranças com os chamados “forasteiros”. Prefeitos e lideranças que os apoiam justificam que os candidatos da região pouco ajudam na organização e custeio das campanhas. Por isso, a escolha dos nomes de fora. Agora, é aguardar a voz das urnas. Roque respira, mas não se livra Apesar da festa dos correligionários do deputado Sineval Roque (Pros), com a decisão de um Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em deferir a sua candidatura, ele não está livre da acusação, no TRE, de doação à campanha acima do limite legal. Ou seja, Roque ainda pode ter a candidatura e/ou seu mandato cassado. A verdade é que o ministro Henrique Neves tomou a de-cisão de forma monocrática e o recurso pedindo a liberação da candidatura deve ser julgado pelo pleno do Tribunal. Outro fator que pesa contra o depu-tado é que a Procuradoria Geral Eleitoral já se manifestou contrário ao recurso. Na verdade, a publicidade dada pelo deputado é apenas uma tentativa de tranquilizar o eleitor acerca do voto útil. Mas, é bom ressaltar que o eleitor de Roque ainda poder perder o voto. A angústia continua. Reta final e nervos à flor da pele É natural que em toda reta final de campanha eleitoral, tanto nas eleições gerais quanto nas municipais, os nervos de políticos e correligionários fiquem à flor da pele. O problema é que, em alguns casos, são cometi-dos excessos. Na última semana, os ex-prefeitos de Assaré, Evanderto e Oliveira, resolveram tensionar durante uma atividade de campanha no município. Apoiando o mesmo candidato contra o atual prefeito Samuel Freire, os dois, que disputam o mérito pelos votos de Eunício Oliveira no município, acabaram passando dos limites, disputando espaço no palan-que. Evanderto quis expulsar Oliveira e tudo virou um tremendo mal estar. A questão acabou sendo resolvida, mas ficou o exemplo dado pelos dois líderes, de como não se faz política eleitoral. Lamentável. A nova dor de cabeça de Samuel Freire Além de estar sendo cobrado pela cúpula petista por mais empenho na campa-nha estadual, o prefeito de Assaré, Samuel Freire, agora tem uma dor de cabeça ainda maior. É que o Ministério Público do Estado, através do promotor Lucas Aze-vedo, entrou com uma ação civil pública, onde o prefeito é acusado de improbi-dade administrativa. Na ação, o promotor requereu o imediato bloqueio dos bens do gestor para garantir ressarcimento aos cofres públicos. O prefeito e a secretária de Educação são responsabilizados por gastos com a pintura de escolas e muros, além da confecção de fardamento dos alunos, privilegiando as cores do seu par-tido, o PT. Ele esqueceu que é permitido apenas o uso das cores do município. É o princípio da impessoalidade. Vai pela falta de conhecimento. Mauriti na propaganda eleitoral O município de Mauriti foi destaque na propaganda eleitoral da última sema-na. Na verdade, o prefeito Evanildo Simão viu seu município aparecer como exemplo negativo no programa do candidato Eunício Oliveira. O programa mostrou várias casas na zona rural em situação precária, onde foram prome-tidos banheiros que nunca chegaram. O programa visitou vários moradores que fazem suas necessidades em sacos plásticos ou buracos. A moradora Maria das Graças disse que foram feitos os cadastros e nada de chegarem os banheiros. Nas praças e estabelecimentos, o destaque no programa é moti-vo de vergonha. Segundo eleitores locais, o mesmo foi prometido pelo atual prefeito, que é da zona rural. O problema é que, até agora, nada de banheiro, nem do Governo do Estado, nem da Prefeitura. Decisão inusitada em Nova Olinda Depois de quase dois anos, quem teve um alívio quanto ao processo de cassação foi o prefeito de Nova Olinda, Ronaldo Sampaio. É que o Tribunal Regional Elei-toral (TRE) julgou uma ação em que ele é acusado de compra de votos nas elei-ções de 2012. Segundo a denúncia, Ronaldo Sampaio teria sido favorecido com a contratação de funcionários no período eleitoral, o que é proibido por lei. O in-teressante na decisão é que o Tribunal reconheceu como procedente a denúncia de compra de voto e, mesmo assim, avaliou que a contratação não interferiu no resultado da eleição. Ou seja, nesse caso, a ação foi julgada improcedente. Não convencido da decisão, o diretório do PSB, que fez a denúncia, promete recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). É possível que o prefeito termine o mandato sem uma decisão definitiva. Coisa de Brasil. Enquanto isso... ... O secretário de Agricultura de Altaneira, Ceza Cristovão, denunciou o grande desperdício de água sob responsabilidade da Cagece no município. Ele identificou vários vazamentos em uma adutora do Açude Valério. Isso tira água do consumo humano para irrigar lavouras. A denúncia merece atenção. ... Ainda em Altaneira, o juiz Antônio Vandemberg deferiu pedido do ve-reador Deza Soares, nomeado secretário municipal, para optar pela remu-neração do legislativo. Os vereadores de oposição chegaram a aprovar uma Emenda à Lei Orgânica proibindo a escolha. Mesmo assim, a decisão judicial foi favorável ao vereador. ... Quem continua empenhado na candidatura do petista Camilo Santana é o casal Fernando e Analeda. Ele ex-prefeito e ela atual prefeita de Jardim se desdobram para mostrar trabalho e se credenciar junto à cúpula do PT es-tadual. Já se comenta que o PT local ficará na base de Analeda nas eleições municipais. É o preço a pagar. ...Chamaram atenção os números da última pesquisa O Povo/Datafolha, onde 54% dos eleitores cearenses admitiram o desconhecimento da legen-da dos candidatos escolhidos. Acredita-se que, no Cariri, a tendência é o nú-mero ser maior, pois com dois candidatos da região há uma tendência do critério ser de afinidade e não o partido. Serena Morais Leia rápido Os profissionais da rede ensino pública de Barbalha decidiram pela continuidade do movimento paredista. Na última quarta-feira (24), a categoria se reuniu com a administração municipal, que ofertou um reajuste de apenas 5% como Gratificação de Regência de Classe. A Câmara de Juazeiro do Norte deixou de realizar sessão por falta de quórum, na última terça-feira (23). Dos 21 parlamentares, apenas nove compareceram na Casa, sendo a maioria da oposição. A população especula que a ausência dos edis da situação seja proposital, como forma de evitar a CPI das obras. O presidente do Legislativo juazeirense, Capitão Vieira Neto, deverá exonerar parte dos 80 assessores nomeados por ele para atender a da Lei de Responsabilidade Fiscal. O inchaço na folha de pagamento inviabiliza o pagamento do 13º salário dos os servidores concursados da Casa. Na Câmara de Crato, o vereador Amadeu de Freitas (PT) solicitou a realização de uma audiência pública para discutir a questão da tributação das micro e pequenas empresas no município. Para a ocasião, o parlamentar sugere a presença da Secretaria de Finanças, Sebrae e comerciantes de pequeno porte. JUAZEIRO DO NORTE Ministro promete mais empenho nas obras do Aeroporto Regional Amanda Salustiano A conclusão dos Módulos Operacionais (MOPs) no Ae-roporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Nor-te, ganhou nova data de con-clusão. Durante visita técnica, o ministro Moreira Franco anunciou que o prazo de en-trega, que se encerraria nesta terça-feira (30), fora adiado para o próximo dia 31 de ou-tubro. Além da estrutura pro-visória, que pretende dobrar a capacidade do terminal de pas-sageiros, o secretário disse que viabilizará mais investimentos para as obras de ampliação do pátio e pista. Moreira Franco discorreu sobre a importância do equi-pamento para o desenvolvi-mento turístico e econômico local. Ele defendeu os termi-nais provisórios como solu-ções de engenharia de cons-trução rápida e segura, com excelente custo-benefício para ampliar a capacidade de ter-minais de passageiros. “Essas estruturas podem ser utiliza-das em operações de embar-que, desembarque e check-in. Os módulos oferecem o mes-mo conforto dos terminais convencionais”, citou. Ele lembra que o processo de desapropriação está resol-vido e, assim que a área for in-tegrada pela Infraero, o Minis-tério destinará recursos para ampliação do pátio e pista, que atualmente não oferece estru-tura para a circulação aviões de grande porte. Conforme o coordenador Municipal de Turismo, Rober-to Celestino, a obra prevista para o início de 2016 precisa ser efetivada o quanto antes, pois, segundo ele, em 2017, a empresa Avianca estará reco-lhendo os aviões maiores por impossibilidade de operar na malha do Cariri. Ele ressalta a perda do voo à cidade de Recife, anunciada semana passada pela da Gol Linhas Aéreas, também pelo mesmo motivo. “A empresa tem 35 aeronaves de pequeno porte, uma das quais opera em Juazeiro, e 150 de grande por-te, que só podem circular aqui, quanto tiver suporte na pista. Irei a Diretoria de Planejamen-to instituição, nesta semana, para tentar reverter o quadro. Sabemos que não é culpa das empresas e que a expansão da pista e pátio é uma necessidade tanto para dar vazão aos passa-geiros quanto as mercadorias do Polo Industrial do Cariri. Regionalização Sobre o plano de regio-nalização dos aeroportos, o ministro Moreira Franco foi reticente. Mesmo reconhe-cendo a necessidade de am-pliar o número de voos para os interiores, além de capi-tais, o secretário enfatizou a importância de um médio e longo prazo para que sejam feitos os terminais aeroportu-ários. “Claro que isso dificulta uma pessoa sair de Juazeiro para a localização, que não capital. Porém, essas alterna-tivas de voos dependerão das demandas de mercados, que pelo que observo está cada dia mais crescente”, conclui.
  5. 5. Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO a 06 de OUTUBRO de 2014 5 legisla-tivo sérias conseguir os vá-rias em-presário li-citações. organizados, mas inves-timentos,” feira não con-correntes. a o uma comunicação, novem-bro o An-dré acontece recen-temente, licitar certame por Capitão do impossibilitando entre-ga Prefeitura de Barbalha segura cerca de R$ 800 mil de incentivos destinado aos agentes de saúde Metropolitana BARBALHA Sem gratificação, agentes de saúde cogitam greve nos PSF’s Amanda Salustiano Outra greve está prestes a eclodir em Barbalha. Desta vez, são os profissionais da saúde que ameaçam para-lisar atividades em todos os postos municipais de saúde. O motivo seria a retenção, por parte da administração municipal, de várias parce-las de gratificações, que de-veriam ser pagas às equipes médicas da Atenção Básica. O benefício repassado pelo governo federal, por meio do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Bási-ca (Pemaq), está acumulado em mais de R$ 800 mil nos cofres do município. De acordo com a presi-dente do Sindicato dos Ser-vidores Públicos de Barba-lha (Sindmub), Jacqueline Filgueiras, o montante é referente aos repasses dos anos de 2013 e 2014, que foram liberados apenas neste ano, porque, à época, o Ministério Público inves-tigava ZONA RURAL irregularidades no convênio com a Prefeitura. Mas, segundo ela, a secre-tária da pasta, Desirée de Sá Barreto, não está gerando os pagamentos às equipes, sob justificativa de cumprir a data de um decreto, bai-xado pelo prefeito Zé Leite, somente em 17 de junho, oficializando a criação da gratificação para a catego-ria, no município. Conforme Jacqueline, o acordo realizado entre a Prefeitura e os servidores da saúde antecedeu, cerca de dois anos, a data do decreto. Portanto, as gratificações de R$ 400,00 para cada pro-fissional da área devem ser pagas aos trabalhadores, principalmente porque os mesmo cumpriram com a sua parte do contrato. O en-fermeiro Leonardo Ferreira explica que as equipes dos 11 postos da atenção básica re-alizam um atendimento sa-tisfatório à população, para que também recebam ava-liação positiva do Ministério da Saúde. Somente quando Atendimento nos PSF’s pode ser suspenso, caso seja deflagrada a greve dos servidores bem avaliados é que o go-verno dispensa o recurso do Pmaq aos municípios. O enfermeiro adverte, ainda, os transtornos de-correntes de um movimento grevista nas unidades bási-cas de atendimento. “Uma Serena Morais paralisação geral é a última opção que queremos, pois sabemos o sofrimento da população carente. Mas o município precisa cumprir seus acordos de valorização dos profissionais da saúde até porque também esta-mos vulneráveis às doenças infecciosas e virais. Se um dinheiro é destinado para a categoria e a gestora não paga, o que será feito com ele?”, questiona. Diante da situação, uma comissão de parlamentares foi montada no intuito de facilitar um diálogo entre os servidores e Administra-ção. Entre eles, estão os ve-readores Rildo Teles, Bosco Vidal e Epitácio Pessoa. O Sindmub comunicou aguar-dar por novidades até esta terça-feira (30). Passando disso, uma greve estaria in-cluída nas pautas das reuni-ões da categoria. A equipe de reportagem do Jornal do Cariri tentou agendar entrevistas pesso-almente, por ligações e até mensagens telefônicas com a secretária Desirée de Sá Barreto, mas, até o fecha-mento desta edição, ela não se pronunciou sobre o caso. Crianças andam 2 km para chegar à escola Serena Morais Crianças andam sob o sol escaldante para chegar até a escola no Sítio Correntinho, em Barbalha ximos meses. TEMPO SECO A falta de transporte es-colar e o fechamento de di-versas escolas na zona rural estão dificultando a rotina de muitas famílias de Bar-balha. No Sítio Taquari, a creche da comunidade foi fechada e, há cerca de dois meses, as crianças precisam ir a pé até uma unidade lo-calizada no Sítio Correnti-nho. Diariamente, os estu-dantes com idade entre três e sete anos fazem um per-curso de dois quilômetros caminhando, por falta de transporte escolar. A dona de casa Damia-na de Sousa, mãe da pe-quena Bruna, de três anos, fala das dificuldades que enfrenta. “Eu e cerca de 20 mães, todos os dias, temos que levar nossos filhos a pé porque não tem transporte. As crianças chegam suadas na escola e com os pés sujos da poeira. É um sacrifício. Crianças tão pequenas não mereciam passar por uma situação como essa. Isso é um desrespeito”, desabafa Damiana. Maria Ivaneide de Lima, mãe da Flaviana de quatro anos, conta que o proble-ma começou no início do ano. “Tudo começou com o fechamento da creche aqui da comunidade. A creche ficava bem perto das nos-sas casas não tinha preo-cupação. Até que veio uma pessoa da Secretaria de Educação e disse que o lo-cal iria ser fechado para a passagem de um rio e que as crianças seriam direcio-nadas para a creche Maria Noete, no Correntinho. No início, eles colocaram uma ‘topique’, mas agora a gen-te tem que ir a pé”, explica Maria Ivaneide. A secretária de Educa-ção do Município informou que o transporte que levava as crianças do Sítio Taqua-ri para o Sítio Correntinho foi cortado por falta de re-cursos, mas que o problema deve ser resolvido nos pró- Baixa umidade provoca altas temperaturas Samylla Alves A baixa umidade relativa do ar vem contribuindo com o aumento da temperatura em municípios como Juazei-ro do Norte, Crato, Barbalha e Iguatu, aonde os termôme-tros beiram os 40ºC. A escas-sez de chuva reduz a umidade disponível no ar e contribui para a sensação de descon-forto térmico. De acordo com a Fundação Cearense de Me-teorologia e Recursos Hídri-cos (Funceme), a umidade do ar na região é de 30%, po-dendo chegar até a 15%. O meteorologista Le-andro Valente diz que altas temperaturas são provoca-das por vários motivos. “Nós estamos em um período que marca a transição do sol do hemisfério Norte para o he-misfério Sul, o que significar dizer que até dezembro nós teremos maior incidência de raios solares. O fato dos municípios do Sul do Ceará estarem afastados da região litorânea também aumenta a sensação de desconforto tér-mico”, explica. Durante esse período em que a temperatura aumen-ta, o corpo transpira mais e perde mais líquido. “A baixa umidade pode causar resse-camento de mucosas do nariz e garganta, nariz entupido, sangramento, espirros, tosse, dificuldade para respirar, ri-nite e crises de asma, além do aumento do risco de infecções respiratórias, além de pio-rar as doenças respiratórias pré-existentes, como bron-quite, asma, enfisema, rinite e outras”, explica a médica Lorena Morais. A especialis-ta lembra, ainda, que é mui-to importante ingerir muita água, principalmente idosos, crianças e pessoas que ficam muito tempo em ambientes com ar-condicionado. Calor aquece vendas Com o aumento da tem-peratura em toda região, a corrida para aquisição de aparelhos de ar-condicionado e ventiladores apresentaram uma elevação considerável nos últimos dias em todo o Cariri. A procura é tanta que algumas lojas estão tendo que repor o estoque, semanalmen-te, para suprir a demanda. Para os comerciantes, a época é produtiva. Uma loja no centro de Juazeiro do Norte dobrou as vendas esse mês e, em duas semanas, repôs cinco vezes o estoque de ventiladores e aparelhos de ar-condicionado. “Nesse período, a tendência é as lo-jas se prepararem para isso, porque a procura é bastan-te”, afirma o subgerente do estabelecimento, José Gui-lherme Souza. Em busca de um ventila-dor para fugir do calor inten-so, a professora Edna Teixeira disse que só com muito líqui-do e procurando se refrescar para aguentar as altas tempe-raturas. “Estou pesquisando os preços para ver onde está mais acessível para meu bol-so. Com esse calor, não está dando para ficar dentro de casa sem um aparelho de ven-tilação”, explicou. Clima quente e seco exige cuidados redobrados, segundo especialistas Serena Morais
  6. 6. Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO 6 a 06 de OUTUBRO de 2014 Querer ser um doador de órgãos é o primeiro passo de um lindo gesto que salvará outras vidas. Depois, é preciso ter uma conversa baseada em amor, confi ança e respeito com a sua família. No momento certo, são eles que decidirão respeitar o seu desejo. SEJA DOADOR DE ÓRGÃOS E AVISE À SUA FAMÍLIA. SUA FAMÍLIA É A SUA VOZ. Saiba como. Acesse facebook.com/doacaodeorgaos #ddooeeoorrggaaooss
  7. 7. Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO a 06 de OUTUBRO de 2014 7 ROCK ALTERNATIVO Cômodo Marfim prepara gravação do 1º disco (1)MEDICINA Andréa Miranda é a mais nova médica do pedaço. Depois de concluir a graduação, são muitos os motivos para comemorar. (2)HOMENAGEM A gerente do Sine/IDT de Juazeiro do Norte, Conceição Araújo, recebeu homenagem em solenidade comemorativa, no último dia 24, pelos 49 anos de criação da profissão do administrador. Parabéns e sucesso na carreira! (3)Bem -vindo , miguel ! O pequeno Miguel chegou para completar a felicidade de Diego Oliveira e da nossa querida Waleska Marrocos. Parabéns à família! (4)PARABÉNS! Laíssa Fernandes, filha de Cássia Holanda e Felipe Fernandes, aproveitou a passagem do seu aniversário para receber seus amigos. (5)CASÓRIO Wanessa Guimarães e Alexandre Melo celebram a sua união, no último dia (20). Felicidades ao casal! (6)ANIVERSÁRIO O pequeno Breno Eurico de Alencar, filho de Norma Duarte e Flaciano Alencar Júnior, soprou velinha acompanhado dos seus coleguinhas e familiares. Vida longa e de sucesso! (7)EM FAMÍLIA As irmãs Bruna e Camilen Amaral são empresárias no setor de jóias e estão pra lá de satisfeitas com o sucesso de suas lindas peças. (8)MAIS UMA PRIMAVERA O Jornal do Cariri tem a honra de parabenizar o professor Renato Casimiro, pelos seus 65 anos de vida, no último dia 26. Felicidades! 1 2 3 Banda Cômodo Marfim volta aos estúdios para gravar álbum 6 8 4 5 7 Joaquim Júnior Depois de lançar recen-temente o seu EP com três faixas, que pode ser adquirido gratuitamente por meio de download, a ban-da Cômodo Marfim se pre-para para entrar novamente em estúdio e iniciar a grava-ção de seu primeiro disco. O grupo de rock alternativo, que vem se destacando no cená-rio independente caririense e atraindo um grande público em suas apresentações, tem influências do indie rock e perpassa por diferenciados estilos, inovando sem se ater a conceitos pré-definidos. A ideia de formar a banda veio quando cinco amigos do ensino médio decidiram unir suas composições, acrescentar arranjos e mostrar suas pro-duções às pessoas. Já o nome surgiu em uma conversa infor-mal entre os integrantes. “Cô-modo Marfim apareceu como ideia, pois queríamos um nome composto que tivesse uma sonora marcante e autên-tica”, explicam os integrantes da banda, composta por Filipe Lisboa, Demógenes Siquei-ra, Gabriel Machado, Alberto Dias e Lázaro Omena. Todos do grupo possuem composições, que vão de olha-res que analisam o cotidiano às críticas sociais. As músicas falam, inclusive, sobre situ-ações, sentimentos e amores vividos ou idealizados. “Acre-ditamos que essa temática nunca sai de moda e sempre tem alguém precisando ouvir exatamente o que você tem para falar. Sempre há quem se identifique”, enfatizam. Cenário Independente Conforme a banda, ainda há poucos espaços para a di-fusão da música autoral na re-gião do Cariri, principalmen-te para músicos inseridos em gêneros que não fazem parte da preferência popular regio-nal. “Poucos são os órgãos que fomentam a arte e cultura na região do Cariri e muitos são os artistas que querem apre-sentar os seus trabalhos, o que torna ainda mais difícil todo o processo para que, fi-nalmente, o artista possa ter um contato com o público”, explicam. Eles acreditam que, para mudar a cena atual, são necessárias novas iniciativas, como a criação de espaços que alavanquem a música independente, propiciem a difusão de outros gêneros e valorizem o trabalho autoral, que é único e merece ser reco-nhecido como tal. MÚSICA INDEPENDENTE Dia das Crianças CONCEIÇÃO ARAÚJO Gerente do Sine/IDT representa administradores em solenidade Campanha “Bochecha Rosa” arrecada livros e brinquedos A proximidade do Dia das Crianças, comemorado no dia 12 de outubro, dá início às campanhas de arrecadação de brinquedos, livros e obje-tos voltados para contribuir com a inclusão social. Entre aqueles que defendem tais ações, a Loja Dona Rosa Bi-joux lança o projeto Boche-cha Rosa que, até o dia 12, recebe doações em suas lojas. A empresa percebeu a im-portância que brinquedos, jogos e a leitura exercem na formação social de crianças e adolescentes e observou que, por questões sócio-econômi-cas, muitas vezes estes ficam sem acesso a materiais funda-mentais para sua educação e seu desenvolvimento. Por tal motivo, idealizou o projeto, com o intuito de unir forças com parceiros para reduzir este fato na região do Cariri. Além das lojas Dona Rosa Bijoux, em Juazeiro do Norte e Crato, a Gráfica Via Silk e o Sesc Juazeiro do Norte estão entre os pontos de arrecada-ção. Através do material re-cebido, a Campanha Boche-cha Rosa pretende diminuir as distâncias sociais e ajudar na formação de cidadãos mais solidários e conscientes do seu papel social. Serviços Campanha Bochecha Rosa / Locais de arrecadação: Dona Rosa Bijoux; Gráfica Via Silk; Sesc Juazeiro / Período: até 12 de outubro A banda lançou recentemente um EP com três faixas, disponíveis para download Leia rápido Nesta terça (30), Camila Jourdan, doutora em filosofia e coordenadora de pós-graduação da UERJ, estará presente no Mediações Culturais da UFCA, para potencializar sua voz e debater sobre Perseguições Políticas e Anarquismo Hoje. O início está marcado para as 19h e ocorre no auditório da Universidade. Nesta quarta-feira (01), o Teatro do Sesc Crato recebe, às 20h, “Sorrisos de Elis”, espetáculo musical inspirado nas canções interpretadas por Elis Regina. Compositores como Edu Lobo, João Bosco, Ivan Lins e Milton Nascimento ficaram marcados na voz dessa cantora, considerada uma das maiores do Brasil. Fatinha Gomes e Fabrício da Rocha trazem essa proposta em novos arranjos de canções. Ingressos - R$10,00 (inteira), R$5,00 (meia). O projeto Circulação de Luxo, da trupe curitibana O Estábulo de Luxo, realizou curta temporada em Juazeiro, com apresentação de quatro espetáculos do repertório do núcleo. Nestes, as discussões de gênero e identidade são filtros de leitura para textos clássicos da literatura e dramaturgia mundial. Uma nova leitura do clássico “A bela e a fera” chegou aos cinemas na última semana. O filme, que permanece em exibição, tem o francês Christophe Gans como diretor e é estrelado pelos atores Vincent Cassel e Léa Seydoux. Para ver a programação completa, acesse o site do Cariri Garden Shopping ou da Orient Cinemas. Êxpo Zeneide Araujo zeneidearaujo.jc@gmail.com Daiany Ribeiro Divulgação
  8. 8. Região do cariri, de 30 DE SETEMBRO 8 a 06 de OUTUBRO de 2014 Toque de Primeira Cícero nic ássio VERMELHO Após o fracasso na Copa Fares, o Guarani fechará para balan-ço e, como sempre, vai terminar no vermelho. O presidente Anchieta Borges e o vice Mário Filho têm outubro e novembro para organizar o Conselho Deliberativo do Clube e dar início à pré-temporada em dezembro. O Campeonato Cearense de 2015 terá início na primeira semana de janeiro. Mais uma vez, a diretoria partirá da estaca zero. Até quando a torcida do Guarani vai ver o time sem calendário, ou melhor, sem rumo? GOL ÚNICO O centro-avante Zulu, que fez oito jogos pelo Icasa e não marcou gol, foi para o Fortaleza e, depois de muito tempo, marcou o quarto gol na goleada sobre o Treze, que terminou em 4 a 0. Não aceito quando alguns cronistas esportivos dizem com a boca cheia: centroavante vive de gols. Porque não colocar na conta dos meias essa responsabilidade. E dos volantes, que entram na área como elemento surpresa? Aca-bou o tempo que os centroavantes eram artilheiros de um campeonato com mais de 30 gols. Os campeonatos eram longos e enfadonhos. TROFÉU Saíram os confrontos do mata-mata da Copa Fares Lopes. A Federação tratou de colocar Icasa e Iguatu, eliminando assim um time da nossa região, pois os últimos dois cam-peões da Fares Lopes são do Cariri, Guarani em 2012 e Bar-balha em 2013. Com a conquista da Fares Lopes, além de ter o direito de disputar a Copa do Brasil no ano seguinte, a Federação dá, de quebra, um carro zero como troféu. A conquista vale a pena. Dois grandes Dois grandes times do futebol brasileiro vivem a mesma situ-ação: Palmeiras e Botafogo, que estão na zona do rebaixa-mento. A série B não é nenhum monstro que assuste tanto, mas gera um desconforto para o torcedor, que é apegado ao passado de um time vencedor como Botafogo e Palmeiras. Ainda há tempo para uma reviravolta. paralisação Bancários decretam greve após recusa de proposta n SEGURANÇA ELETRÔNICA n PORTARIA n ZELADORIA n TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS Travessa Slino Duda, 59 - Bairro Santa Teresa - Juazeiro do Norte - CE Peça já seu orçamento sem compromisso Últimas Serena Morais Má fase ameaça Icasa na Série B Mesmo depois de ganhar no Supe-rior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) o direito de disputar nor-malmente a competição nacional, pelo menos até o julgamento do caso, o Ica-sa permanece ameaçado no torneio. A campanha do clu-be no Campeonato Brasileiro não está entre as melhores já vista pela torcida, que se de-sespera com a possível queda do elenco para a Série C. Com pouco mais de 10 partidas para acabar a Série C, o time alviverde até que tenta sair da zona da morte, melhorando, inclusive, o de-sempenho técnico da equipe em campo, como destacam os dirigentes do Icasa. Mas a sequência de derrotas e empates dificultam a perma-nência na Série B e o matem na zona de rebaixamento. A contratação de profissionais, por sua vez, tem sido estra-tégia comum adotada pelos treinadores, como opção de sair do perrengue. Desta vez, a diretoria re-forçou o time com mais dois jogadores. O atacante Nilson e o volante Felipe Guedes. O primeiro começou no Vasco e acumula passagens por Cri-ciúma, Paraná, Bragantino e Boa Esporte. Já o segundo es-tava no Grêmio. Ambos serão liderados pelo o técnico Vladi-mir de Jesus, que substitui o jovem Leandro Sena durante as duas competições que o clu-be disputa este ano. A situação tem mexido com a confiança dos torcedo-res da Fúria, que, na maioria das vezes, responsabilizam a diretoria icasiana pelo péssi-mo desempenho do time na competição mais importe do Verdão. “É vergonhosa a pos-tura dos dirigentes do Icasa, que deixam os salários dos jo-gadores atrasados.”, lamenta o torcedor Jorge Neri. A assessoria do clube afir-ma que continuará brigando pela permanência na compe-tição. De acordo com o órgão, a atual posição do Verdão na tabela da Série B deve-se ao desgaste físico dos atletas tan-to por conta das viagens quan-to por disputar dois torneios simultâneos. Sobre os atrasos nos pagamentos dos atletas, o órgão informa que, em breve, será regularizado. Fares Lopes Enquanto a campanha na Série B está capenga, na Fares Lopes, o time vem cumprindo a promessa da diretoria quando afirmou que, em 2014, o clube alçaria vôos maiores na competição regional. Único elenco do Cariri a resistir na competi-ção, o Icasa está prestes a se classificar na fase semifinal. Desde 2010, o alviverde vinha demonstrando desinte-resse na competição regional devido a sua prioridade em subir na tabela da Série B. Embora o vice-presidente do clube, Facundo Neto (Zinho), tenha afirmado que o Verdão tinha condições de brigar pe-los dois títulos, os torcedores dizem desacreditar na ressur-reição do elenco na Série B. ZONA DA MORTE Dirigentes apostam na recuperação do Icasa na Série B Joaquim Júnior Os sindicatos de bancá-rios brasileiros declararam greve por tempo indetermi-nado a partir desta terça-feira (30). A decisão veio após rea-lizarem assembleias por todo país. De acordo com Reginal-do Soares de Sousa, diretor do Conselho Financeiro do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancá-rios do Cariri, além do pedido de reajuste salarial, também compõe a pauta de reivindi-cações o aumento de inves-timentos na segurança e na contratação de mais funcio-nários, entre outros. A decisão da greve foi feita após recusa de proposta apre-sentada pela Federação Na-cional dos Bancos (Fenaban), que propôs reajuste de 7% nos salários e 7,5% no piso. Segundo Reginaldo, a cate-goria pede reajuste de 12,5%, piso do Dieese (próximo aos três mil reais) e PLR de três salários mais um valor adicio-nal de R$ 6.247. Conforme enfatizou, a reivindicação dos bancários tanto luta por me-lhorias para os profissionais da área como para aqueles que utilizam o serviço. Segundo Carlos Cordei-ro, presidente da Confedera-ção Nacional dos Trabalha-dores do Ramo Financiado (Contraf-Cut) e coordena-dor do Comando Nacional dos Bancários, dentre as demandas estão avanços no emprego e condições de saúde e segurança, além de igualdade de oportunidades. “Reivindicamos o fim das demissões imotivadas, da rotatividade e das ter-ceirizações, bem como o fim das metas abusivas, do assédio moral e das discri-minações, além de mais segurança contra assaltos e sequestros, entre outros pontos”, complementa.

×