Informática para concursos públicos completa

10.693 visualizações

Publicada em

Apostila de Informática Preparatória Concursos

Publicada em: Educação
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
167
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.182
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Informática para concursos públicos completa

  1. 1. APOSTILA INFORMÁTICA PARA CONCURSOS
  2. 2. com várias etapas tecnológicas, como por exemplo, na tabela que segue: HARDWARE É a parte física do computador, por exemplo, o teclado, mouse, monitor, disco rígido, etc. Geração Definição de Informática Segunda É a ciência que estuda a coleta das informações (dados) de forma organizada, tratadas e comunicadas, ou seja, busca meios para aumentar a rapidez e eficiência na proteção dos dados. Terceira Primeira Quarta Anos Década de 50 Início dos anos 60 Meados dos anos 60 até meados dos anos 70 Meados dos anos 70 até hoje Circuitos Válvula a vácuo Transistor Circuitos integrados Microprocessador Tabela demonstrativa da evolução dos computadores O computador É uma máquina (equipamento eletrônico) que realiza o processamento dos dados digitais em um menor espaço de tempo com a maior segurança possível. Assim, atualmente, existem vários tipos de computadores no mercado empresarial, assim como, na área residencial, como veremos a seguir. Princípios da Computação Moderna Tipos de computadores Existem vários tipos de computadores no mercado atual, de diversos tamanhos. Alguns utilizados para uso pessoal e outros para uso coorporativo. Veremos alguns deles a seguir. Na segunda guerra mundial, o exército americano teve a necessidade de criar um computador para calcular as trajetórias dos mísseis, daí surgia o primeiro computador digital do mundo o ENIAC. Ø Embora o exército americano tenha iniciado a sua construção, o computador só foi concluído após 1946, ou seja, depois do término da guerra. Computador Pessoal Computador Desktop. - PC – É uma ferramenta poderosa para o uso pessoal ou para a área coorporativa e o mesmo é utilizado para calcular, desenhar, digitar textos, etc. ENIAC – 1º Computador digital do mundo Computador Desktop - PC O ENIAC utilizou 17.480 válvulas a vácuo e tinha 3,3 metros de altura, 1 metro de largura, 33,3 metros de comprimento e pesava 30 toneladas. Ø Com a evolução da tecnologia, foi criado o Notebook, pois os empresários e as pessoas em geral tiveram a necessidade de utilizar um computador portátil capaz deve ser movimentado de um lado para o outro com maior rapidez e agilidade, satisfazendo também as As gerações do computador Os computadores atuais evoluíram, com o passar do tempo, de forma gradual e Informática Todos os direitos reservados ®. Notebook - Laptop 2
  3. 3. necessidades do seu trabalho e/ou estudo da mesma forma que um PC. Com isso, nasceu o Notebook. centralizar as informações dos seus clientes e/ou produtos. Notebook - Computador Portátil Imagem do Mainframe O Laptop foi a primeira geração do Notebook, que é a denominação atual, o mesmo pesava em torno de 12 Kg e o monitor vinha separado do restante do computador, era necessário “montá-lo” sobre uma mesa. Atualmente, é conhecido como Notebook e pesa em torno de 1,4 Kg e não é “montável”. Ø Os bancos, por exemplo, utilizam este tipo de computador para verificar o saque, o depósito, a transferência de dinheiro entre contas e outras operações de seus clientes. Assim, o mesmo administra de melhor forma possível as rotinas eletrônicas dos bancos. Handheld – Computador de Mão Ø Considerado atualmente como minicomputador, é utilizado como uma “super-agenda”, e também para calcular, anotar e até enviar os dados através da Internet para os fornecedores, fabricantes e/ou empresas em geral. Workstation (Estação de Trabalho) São computadores produzidos para a área comercial e são utilizados em rede para facilitar a troca de informações dentro da empresa, havendo um compartilhamento entre os dados dos mesmos. Estação de trabalho (Workstation) Ø Supercomputador Handheld – Computador de Mão São computadores ultra-rápidos desenvolvidos para uma quantidade muito grande de processamento de dados científicos, pois o mesmo é capaz de efetuar 3 trilhões de instruções de programa por segundo. É equipado com 2,5 terabytes de memória. É muito utilizado por empresas de bebidas e alimentos em suas vendas, pois os clientes podem solicitar os produtos de forma on- line, utilizando a Internet, o que torna a transação comercial bem mais rápida. Ø Mainframe São computadores de grande porte utilizados pelas corporações para Informática Todos os direitos reservados ®. 3
  4. 4. Linguagem do Computador- (Digital) O tipo de linguagem dos computadores é conhecido como linguagem de máquina ou sistema binário que permite a execução de tarefas que são solicitadas ao computador pelo homem. São conhecidos por dois números o 0 (Zero) de desligado e o 1 (Um) de ligado sendo a menor unidade de informação do computador. Veja a figura abaixo. Supercomputador Representação digital X analógica Existem dois tipos de computadores no mercado: o digital e o analógico. Os computadores digitais representam os seus dados através de dígitos, ou seja, com dois valores distintos e invariáveis o 0 (Zero) e o 1 (Um), que estudaremos a seguir. Exemplo dos dígitos binários Os números (0 e 1) são dígitos binários conhecidos como BIT que é representado pela letra b minúscula. É a menor unidade de medida do computador. A junção de 8 bits é igual a 1 Byte = 1 Caractere (letras, símbolos, número, marcas de pontuação e espaços em branco entre as palavras e/ou letras) que é representado pela letra B (maiúscula). Exemplo da variação digital Os computadores analógicos utilizam dados de forma variável como, por exemplo, o mercúrio e o termômetro para medir uma tarefa em andamento. São muito utilizados em laboratórios científicos e comercias, ou seja, bombas de gasolina computadorizadas. Temos como outro exemplo o som da natureza, que é distribuída pelo ar de forma variável e dissipável ao longo do percurso até o seu destino. Conjunto de 8 bits = 1 Byte Mas por quê? 1 Byte só pode ter 8 bits? Por conseqüência de termos 256 variações de números cujo cálculo 8 matemático é 2 (dois elevado a oitava potência ) , chegando ao resultado de 256 variações. Este é o “alfabeto” do computador. O primeiro número desta variação é 0 (Zero) e o último é 255 (Duzentos e Cinqüenta e cinco), tendo um total de 256 variações. Exemplo da variação analógica Informática Todos os direitos reservados ®. 4
  5. 5. Graças à tabela ASCII, utilizada para computadores do tipo PC, com a EBCDIC (lê-se, e-bê-cê-dic) da IBM, utilizada nos computados Macintosh, ambas trabalham, atualmente, com 8 bits, mas diferem a posição dos caracteres por não serem tabelas padronizadas. ü Sistema Octal (base 8): trabalha com 8 dígitos ( 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 ) ü Sistema Decimal (base10): trabalha com 10 dígitos ( 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9); ü Sistema Hexadecimal (Base 16): trabalha com 16 dígitos ( 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, A, B, C, D, E, F). Sistema de Capacidade de armazenamento Decimal 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 Como já vimos, cada caractere ocupa 1 Byte. Para trabalharmos com grandes quantidades de caracteres, temos a mensuração desses valores através de um “sistema de medidas” do computador. Veja a tabela abaixo. Medida Usual Quantidade (bytes) Kilobyte (KB) 2 10 = 1.024 Megabyte (MB) 2 20 = 1.048.576 Gigabyte (GB) 2 30 = 1.073.741.824 Terabyte (TB) 2 40 = 1.099.511.627.776 Petabyte (PB) 2 60 = 1.152.921.504.607.870.976 Zetabyte (ZB) 2 70 = 1.180.591.620.718.458.879.424 Yottabyte (YB) Octal 0 1 2 3 4 5 6 7 10 11 12 13 14 15 16 17 Hexadecimal 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 A B C D E F 2 50 = 1.125.899.906.843.624 Hexabyte (HB) Binário 0 1 10 11 100 101 110 111 1000 1001 1010 1011 1100 1101 1110 1111 2 80 = 1.208.925.819.615.701.892.530.1976 Fonte: “Informática para Concursos”. Octávio, Luiz. Este assunto é normalmente solicitado pela ESAF, portanto, iremos demonstrar os cálculos para a conversão dos sistemas. ü O núme ro bi ná rio 1 110 0 0=0x2 1 1=1x2 2 1=1x2 3 1=1x2 1º Passo: Calcular a partir da direita para a esquerda; Estudos de Sistemas Exemplo: 1110 Iremos estudar os tipos de sistemas utilizados pelos computadores, pois não existe apenas, o sistema binário. Vejamos abaixo quais os existentes: 2º Passo: Elevar o 1º número da base 2 a potência Zero, o 2º número da base a 1ª potência, o 3º número da base a 2ª potência, o 4º número da base a 3ª potência; 3 2 1 0 Exemplo: 2 2 2 2 Sistema Binário (base 2): trabalha com 2 dígitos ( 0 e 1 ); Informática Todos os direitos reservados ®. = 0x 1 = 0 = 1x 2 = 2 = 1x 4 = 4 = 1x 8 = 8 Tota l = 14 = 1110B = 14D Para calcularmos é necessário seguirmos os seguintes passos: Fonte: “Hardware: curso completo”. Torres, Gabriel. ü Binário para Decimal 5
  6. 6. 3º Passo: Multiplicarmos a partir do 1º número da direita pela respectiva base que é 2 (que se encontra elevado por uma potência), por conseqüência de ser um número binário. A final da multiplicação, o somar todos os resultados da mesma. 1º Passo: Dividir a número decimal por 2, pois a conversão está sendo feit a de decimal para binário, por isso, devemos dividir 10/2; 2º Passo: O resultado da 1ª divisão será dividido novamente até não poder ser mais dividido, ou seja, não podendo obter um resultado aproximado (decimal). Exemplo: O núme ro bi ná rio 1 110 0 0x2 1 1x2 2 1x2 3 1x2 ü 3º Passo: Para sabermos qual será o número binário é só pegarmos o último resultado com os restos no sentido de baixo para cima. =0x1=0 =1x2=2 =1x4=4 =1x8=8 Tota l = 14 = 1110B = 14D ü Octal para Decimal O núme ro Dec imal 1 63 4 1634 8 2 204 8 4 25 8 1 3 O núme ro Oc tal 3 14 2 0 2 = 2 x 8 = 2x 1 = 2 1 4 = 4 x 8 = 4 x 8 = 32 2 1 = 1 x 8 = 1 x 64 = 64 3 3 = 3 x 8 = 3 x 512 = 1536 Total = 163 4 = 3142O = 16 34D Resultado: 16 34D = 3142O ü É o mesmo raciocínio matemático do anterior para esta conversão de base. ü Decimal para Octal Decimal para Hexadecimal O núme ro Dec imal 6 42 02 Hexadecimal para Decimal 64202 16 10 4012 16 12 250 16 10 15 O núme ro Hex a dec imal F AC A 0 A = 10 x 16 = 10 x 0 = 0 1 C = 12 x 16 = 12 x 16 = 192 2 A = 10 x 16 = 10 x 256 = 2560 3 F = 15 x 16 = 15 x 4096 = 614 40 Total = 642 02 = FACAH = 64202D Resultado: 642 02D = FAC AH Funcionamento do Computador 1º Passo: Calcular a partir da direita para a esquerda, sabendo-se que a letra A= 10 em decimal, C= 12 em decimal e F= 15 em decimal. O computador executa quatro tipos de operações básicas, são elas: Exemplo:F=15, A=10, C=12, A=10 ü Entrada de dados; ü ü Processamento dos dados; ü Armazenamento dos dados; ü Saída dos dados. Decimal para Binário O núme ro Dec imal 1 0 10 2 0 5 2 1 2 2 0 1 Na primeira etapa (entrada dos dados) por meio do teclado, que é o principal dispositivo de entrada, as informações serão enviadas a CPU – UCP (Unidade Central de Processamento), que está localizada dentro do processador. Resultado: 10D = 1010B Informática Todos os direitos reservados ®. 6
  7. 7. A CPU é “os neurônios” do “cérebro” do computador, que por sua vez, é responsável pelo raciocínio lógico e aritmético do computador. Microprocessador (Visualização da parte Superior) A CPU está subdividida em duas partes a UC (Unidade de Controle) e a ULA (Unidade Lógica Aritmética). Todas as informações são enviadas a UC para que a mesma controle os dados recebidos e as repasse ou não a ULA, por exemplo, se a informação adquirida pela UC for um cálculo, o mesmo, transmitirá a tarefa para a ULA, se não, permanecerá momentaneamente na UC, até ser processada. Novo Microprocessador da INTEL, com plataforma “GRANTSDALE” Com isso, a informação será processada pelo processador, o “cérebro” do computador, e esta ficará registrada nos registradores do processador, sendo enviada a uma memória principal (Volátil) denominada RAM. Microprocessador (Visualização da parte Inferior) A INTEL lançou recentemente, Junho de 2004, os novos processadores da plataforma GRANTSDALE com as seguintes características (Veja na tabela abaixo): Assim, poderemos armazenar as informações de forma permanente em uma memória secundária, como por exemplo, no disco rígido, disquete, CD, DVD, etc. PROCESSADOR Processador Pentium 4 Pentium 4 Pentium 4 Pentium 4 Pentium 4 Celeron Armazenamento Principal - RAM Unidade Central de Processamento CLOCK Unidade de Controle Unidade Lógica Aritmética 1 Byte por Endereço de Memória Barramento de Dados Barramento de Endereço Barramento de Controle Dispositivo de Entrada Armazenamento Secundário Modelo 520 530 540 550 560 335 Clock 2,8 Ghz 3,0 Ghz 3,2 Ghz 3,4 Ghz 3,6 Ghz 2,8 Ghz Tabela dos novos modelos da INTEL, lançados em Junho de 2004. Dispositivo de Saída Todos esses novos processadores foram baseados no núcleo Prescott, com 1MB de CACHE L2. Esquema do funcionamento do computador O Micro processador Para computadores do tipo Workstation também existe um chipset indicado para o novo Pentium 4 Extreme Edition de 3,4 Ghz com 512 KB de CACHE L2 e 2 MB de CACHE L3. É o “ser pensante” do computador, ou seja, fazendo uma analogia, seria o nosso cérebro. É nele onde toda a operação lógica (“raciocínio”) é feita durante o processamento dos dados em conjunto com a CPU, como já vimos. As Instruções Existem várias marcas e modelos de processadores no mercado, e o mais citados em concursos públicos são os processadores da empresa INTEL de marca PENTIUM 4. É um conjunto fixo de operações que o processador executa. Cada processador tem conjuntos de instruções diferentes e é por isso que os programadores precisam desenvolver softwares para processadores específicos. Quando é lançado no mercado um novo processador, o mesmo é capaz de Informática Todos os direitos reservados ®. 7
  8. 8. trabalhar com um número maior de instruções , ou seja, o processador está mais “avançado”. eles: Pentium Pro, Pentium II, Celeron, Xeon, Pentium III, entre outros. Para efeito de concurso público, devemos aprender algumas características dessa geração de processadores da Intel, pois a CESPE/UNB e a ESAF, respectivamente, já utilizaram em suas provas. O Clock (Freqüência) do Processador Seria impossível para o microcomputador trabalhar de forma organizada se não fosse o clock. Não havendo um momento certo para cada informação ser processada e armazenada, haveria um grande congestionamento de informações nos barramentos, assunto que estudaremos posteriormente. Vejamos características: abaixo as suas ü ü São os processadores que utilizam a arquitetura P6, para os quais surgiram vários nomes comerciais diferentes, são Informática Todos os direitos reservados ®. 8 Cache L2 integrado ao processador: antigamente, esta memória era externa ao processador, sendo assim, o mesmo era mais lento. Após a 6ª geração a Cache L2 encontra-se dentro do processador, aumentando assim o seu desempenho (veremos esta memória posteriormente); ü História dos Processadores da 6ª Geração - INTEL Execução especulativa: o processador “antevê” as instruções dos programas em 50%, ou seja, verifica se o programa está tentando ser executado e toma uma “atitude” diante da “intenção” das instruções que poderão vir ou não para o processador; ü O mesmo é responsável pela a “harmonia” dos barramentos e suas respectivas placas. Este sincronismo é dado em uma velocidade de 3,6 GHZ (Gigahertz), ou seja, 3 bilhões e 600 milhões de oscilações por segundo. Este é o mais rápido, por enquanto, como visto na tabela anterior. Execução fora de ordem: o processador não aguarda as instruções dos programas, e sim vai até as mesmas para uma maior performance de processamento, ou seja, ele trabalha a todo o momento; ü Imagem do CHIPSET Arquitetura superescalar em tripla canalização: o processador é capaz de executar 3 (três) instruções simultaneamente; ü Atualmente este sincronismo se dá em um cristal localizado na placa-mãe denominada CHIPSET. Arquitetura CISC/RISC: o processador é compatível com todos os programas existentes no mercado; ü O Clock faz o sincronismo entre todos os circuitos que constituem o computador, ou seja, faz com que todos os dispositivos (placa de vídeo, placa fax/modem, memória RAM, disco rígido, etc) trabalhem em harmonia, não havendo assim, o chamado conflito. E também, é capaz de dar velocidade ao “raciocínio” do computador, ou seja, ao processador e a CPU. Acesso a 64 GB de memória: o processador passa a utilizar até 64 GB de memória diretamente; Multiprocessamento: agora é possível utilizarmos dois ou quatro processadores em uma única placamãe, daí teremos o processamento simétrico, ou seja, um “superprocessamento”.
  9. 9. OBS: Nos concursos, já foram solicitados às arquitetura s CISC/RISC e a memória CACHE L2. do processamento, sendo feito de uma forma mais “cômoda” e rápida. Esta união de arquiteturas surgiu a partir da 6ª geração dos microprocessadores da INTEL. Veja a figura exemplo abaixo. Arquitetura híbrida dos M icro rocessadores INTEL (CISC/RISC) Decodificador CISC Primeiramente, iremos verificar o significado das siglas CISC e RISC e as suas funcionalidades, respectivamente. ü ü CISC (Complex Instruction Set Computing – Computação Utilizando um Conjunto Complexo de Instruções): esta tecnologia é pouco utilizada pelo processador por conseqüência da lentidão que irá ocasionar ao mesmo, acarretando uma demora de 1 a 4 micro-ops. Apenas 20% das instruções dos softwares são desenvolvidas de forma complexa, tendo assim uma ociosidade de 80% da capacidade do processador. A partir daí houve a necessidade de construir um microprocessador com um conjunto reduzido de instruções para atender a esta demanda de programas “simples”, o RISC. Núcleo RISC Figura exemplo do Risc/Cisc OBS 1: os seguintes softwares utilizam a tecnologia CISC: DOS, WINDOWS 3.x, WINDOWS 9.x e OS/2. OBS 2: os seguintes softwares utilizam a tecnologia RISC: WINDOWS NT, UNIX e Mac OS. Memórias É o local para o armazenamento dos dados (informações) que é feito de forma temporária (no primeiro momento), podendo também ser (em um segundo momento), de forma permanente. RISC (Reduced Instruction Set Computing – Computação Utilizando um Conjunto Reduzido de Instruções): quando uma instrução é dada ao processador, através de um programa utilizando o RISC, o mesmo executará aquela instrução, que foi solicitada pelo programa, de modo mais rápido e mais simples, pois a sua demora é de apenas 1 micro-op. Atualmente há uma grande utilização desta arquitetura por conseqüência dos programadores em geral desenvolverem softwares mais “simples”, ou seja, com instruções menos complexas para o processador. Tipos de Memórias Existem vários tipos de memórias para diversas finalidades no computador. Temos aquela que armazena só quando há energia elétrica, ou quando o processador solicita uma informação, e aquela em que guardamos um dado de forma definitiva para o uso posterior. O Micro-op é a conversão do CISC para o RISC-equivalente, ou seja, é a “tradução” das instruções CISC para o RISC, pois é o único tipo de instrução que o núcleo do processador compreende. Atualmente, os processadores utilizam as duas arquiteturas, CISC/RISC, dentro do próprio processador, para haver uma maior compatibilidade com os programas e suas instruções no momento Informática Todos os direitos reservados ®. 9
  10. 10. São elas: Capa cidade da Principal - RAM MEMÓRIA PRINCIPAL MEMÓRIA AUXILIAR MEMÓRIA SECUNDÁRIA MEMÓRIA TERCIÁRIA Memória RAM E ROM Atualmente, são encontradas no mercado capacidades de 128 MB, 256 MB e 512 M B. Estes valores variam de acordo com a necessidade da funcionalidade do computador como, por exemplo, um computador usado na área gráfica requer maior capacidade de armazenamento de dados, mas para o uso doméstico não é necessário um computador de grande porte. CACHE UNIDADES UNIDADES DE BACKUP A memória RAM armazena 1 BYTE por endereço de memória, ou seja, 8 BITS por “quadradinhos”. Memória RAM (Memória Principal – Primária) . É considerada uma memória aleatória, randômica e volátil, pois só funciona na presença de energia elétrica, ou seja, quando o computador estiver ligado. Armazenamento Principal - RAM A memória RAM é encontrada acoplada à placa-mãe e pode ter a sua capacidade de armazenamento e stendida para satisfazer a necessidade do usuário para um determinado tipo de trabalho. 1 Byte por Endereço de Memória Endereços de Memória RAM Essa memória tem influência direta na velocidade de processamento do computador, pois a CPU a todo o momento solicita, à mesma, informações para processá-las. A CPU tem acesso direto e instantâneo à memória principal. Tipos de Memória RAM ü DRAM: memória dinâmica, que tem alto consumo de energia e de custo menor; ü SRAM: memória estática, que tem baixo consumo de energia e é extremamente rápida e de custo alto. É utilizada pela memória CACHE; ü VRAM: tipo de memória utilizada na placa de vídeo; Pente de memória RAM Funções da Memória RAM ü Armazenar as entradas dos dados até que sejam solicitados pelo processador; ü Armazenar os dados de saída que são resultados do processamento; ü Armazenar o conjunto de instruções a ser executado, ou seja, o programa. Informática Todos os direitos reservados ®. Tecnologias de Memória ü ü 10 SIMM -72: é um módulo de memória de 32 bits com capacidades de 4MB, 8 MB, 16 MB e 32 MB. Foi utilizado no processador 486 e Pentium. DIMM - 184: é um módulo de memória de 64 bits com capacidades de 64 MB, 128 MB, 256 MB e 512 MB. É comum nos processadores Pentium IV, Pentium XP e modelos AMD.
  11. 11. ü ü DDR SDRAM: é o módulo de memória mais utilizado, atualmente, possui o dobro de freqüência de clock em relação ao SDRAM. Memória ROM – Memória somente Leitura É considerada uma memória permanente, pois não podemos alterar os dados contidos nela, porque as informações são gravadas no momento de sua fabricação. Essa memória está localizada na placa-mãe. CMOS - SETUP (Atualização/Configuração): o CMOS atualiza a data e a hora do sistema operacional através de uma pilha acoplada à placa-mãe. O SETUP é um programa de configuração de hardware (para os componentes da placa-mãe) que, para utilizarmos, é necessário, normalmente, pressionar a tecla DEL do teclado. Etapas do POST Quando ligamos o computador, ele realiza as seguintes etapas: Ø Identifica a configuração instalada; Ø Inicializa o CHIPSET da placamãe; Ø Inicializa o vídeo; Ø Testa a memória; Ø Testa o teclado; Ø Carrega o sistema operacional para a memória principal; Ø Entrega o controle do microprocessador ao sistema operacional. CHIP de Memória ROM A memória ROM possui as informações técnicas do fabricante para um “teste” dos componentes físicos da placamãe, teclado, etc. Esse processo é realizado na inicialização do computador para o funcionamento do mesmo. Memória Auxiliar -CACHE A memória ROM é não-volátil, tem um alto custo e é mais lenta que a RAM. A partir dos processadores 386DX, houve uma grande necessidade de aumento de velocidade no processamento dos dados, surgindo assim a denominação cache de memória, ou seja, a utilização da memória estática dentro do processador. Programas da Memória ROM (Firmwares). Há basicamente três programas dentro da memória ROM que são conhecidos pela denominação firmware. ü BIOS (Sistema Básico de Entrada e Saída): “auxilia” o processador a trabalhar com os periféricos básicos do sistema, tais como a unidade de disquete e o vídeo. ü Essa memória é utilizada pela CPU para requisitar as últimas informações que o processador acessou na memória RAM, ou seja, se o usuário abrir pela 2ª vez (o mesmo arquivo, programa ou pasta), o processador irá buscar as informações na memória CACHE não precisando localizálas na memória RAM, obtendo assim o aumento da velocidade do processamento. POST (Autoteste ao Ligar): há um teste de memória sempre que o micro é ligado. Você já deve ter reparado que, quando ligamos o computador, o mesmo visualiza a numeração da capacidade da memória RAM, disco rígido, etc. Informática Todos os direitos reservados ®. Esse tipo de memória possui uma capacidade de armazenamento temporário de 512 KB, mas é mais rápida que a memória RAM que tem uma maior capacidade 256 MB de armazenamento temporário. 11
  12. 12. Quando o processador busca uma informação na CACHE e a mesma é localizada, dizemos que houve um acerto (hit) denominado CACHE HIT. programa ou gravar um arquivo. Temos também, o cluster, que é um “pequeno pedaço” do arquivo gravado dentro de um setor. Se o processador buscar uma informação na CACHE e a mesma não for localizada na memória, dizemos que houve um erro (miss) denominado CACHE MISS, pois o processador terá que trazer a informação da memória RAM. Níveis de Cache ü ü ü CACHE L1 (Cache Interna): é localizada dentro do processador fazendo o desempenho do micro aumentar bastante. Imagem interna das unidades CACHE L2 (Cache Interna ou Externa): tem a mesma finalidade do cache L1 que é antecipar as informações que o processador solicita. Atualmente, os processadores possuem a cache L2 interna, enquanto que antigamente o cache L2 era externo, isto é, localizado na placamãe. Disco rígido - H.D É o mais importante meio de armazenamento d dados, pois o mesmo e armazena o sistema operacional, aplicativos, utilitários e os arquivos em geral dos usuários. CACHE L3 (Cache Externa): como os processadores atuais utilizam a Cache L1 e L2 internas ao processador, os mesmos utilizam a cache de memória localizada na placa-mãe como um Cache L3. Memória Secundária É o meio de armazenamento permanente, cujos dados podem entrar e sair (serem gravados ou removidos), ou seja, periféricos de entrada e saída. São utilizados para guardar as informações para uso posterior. Disco rígido – H.D – Winchester O funcionamento do disco é feito através dos cabeçotes magnéticos de leitura/gravação, ou seja, o mesmo grava e lê na forma magnética. Estrutura das unidades (H.D, Disquete e CD) Possui uma velocidade de 7200 rpm (rotações por minuto), contendo também, duas ou mais lâminas verticalmente empilhadas com seus respectivos cabeçotes de leitura/gravação. Antes da utilização de um disco magnético ou óptico, o mesmo deve passar por um processo denominador formatação. Esse processo é necessário porque tipos de sistemas operacionais diferentes armazenam dados de forma diferente. Atualmente, podemos encontrar no mercado discos rígidos com capacidade de 150 GB. A unidade é composta de trilhas e setores, onde serão armazenados os dados quando o usuário instalar um Informática Todos os direitos reservados ®. OBS: Quando a memória RAM está preenchida em sua totalidade por 12
  13. 13. informações, será criada a memória virtual no disco rígido e a mesma terá um percentual de capacidade de armazenamento de dados definido pelo sistema operacional ou pelo o usuário. Disco ZIP São utilizados para criar backup por conseqüência da capacidade de armazenamento de 750 MB. Como o disco rígido pode falhar (surgir defeitos físicos), é necessário utilizarmos outro tipo de armazenamento de dados com maior capacidade que o disquete. Disquete 3 ½ Considerado disco flexível com gravação magnética com tamanho físico de 3 ½ polegadas e capacidade de armazenamento de dados de 1,38 MB (valor real), é muito utilizado para gravar pequenos arquivos para transporte dos mesmos de um computador para outro. Discos Zip de 750 MB com a unidade de leitura/gravação Para o disco armazenar as informações, é necessário a unidade de leitura/gravação do disco, que atualmente, pode vir incorporado ao gabinete do computador ou removível como na figura acima (mais utilizado). Disco flexível 3 ½ Capacidade Nominal 1,44 MB Capacidade Real 1,38 MB O valor de armazenamento nominal é de 1,44 MB, pois existe um sistema de arquivos denominado FAT (Tabela de Alocação de Arquivos), com capacidade de 0,06 MB, fazendo com que o valor real do disquete seja de 1, 38 MB. O tamanho da FAT varia de acordo com a unidade, ou seja, este valor (0,06 MB), é apenas para o disquete. Disco Compacto - CD É utilizado para armazenar as informações do disco rígido, gravar músicas, fotos, e arquivos em geral. Possui capacidade de armazenamento de dados de 650 MB ou 700 M B. OBS: O CESPE/UNB considera, apenas, o valor real do disquete em suas questões, ou seja, 1,38 MB. Disco JAZ São discos de 3 ½ com capacidade de armazenamento de dados de 1 e 2 GB. Disco Compacto de 700 MB Esse tipo de armazenamento de dados é feito na forma óptica, ou seja, através de luz, no que difere do disquete, que é magnético. Disco Ditto São discos de 3 ½ com capacidade de armazenamento de dados que variam entre 230 MB e 10 GB. A taxa de transferência de dados na gravação de um CD é de 150 KB/s (no CD de 650 MB) ou 171 KB/s (no CD de 700 MB). Esta taxa é representada por um “X” na unidade de CD como, por exemplo, um drive de 2X terá taxa de transferência de 300 KB. Super Disco São discos de 3 ½ com capacidade de armazenamento de 120 M B. Informática Todos os direitos reservados ®. 13
  14. 14. ser lido por praticamente todas as unidades de DVD. É o mais utilizado. M o d e l o s de C D ü CD-DA: é o CD de áudio que compramos nas lojas para escutarmos em um aparelho de som; ü DVD+RW: permite gravar e regravar,, possui capacidade de 2,8 GB, podendo ser lido por unidades Sony e Philips. ü CD-ROM: é o CD de dados utilizados no computador; ü ü CD-R (CD Gravável): é o CD virgem que compramos para gravarmos no computador. Essa gravação pode ser feita 1 vez, ou seja, utilizarmos toda a capacidade do CD ou por partes, conhecida como multissessão. Uma vez gravada uma determinada área do CD, o mesmo não poderá ser regravado. DVD-RAM: permite gravar e regravar, possui capacidade de 2,6 GB, utiliza tecnologia optmagnética e só pode ser lido por unidades DVD-RAM. ü Memória Terciária São as unidades secundárias, que armazenam os dados na forma de backup, ou seja, copiam os dados do disco rígido para serem guardados em outra unidade como, por exemplo, CD-ROM, DVD, FITA MAGNÉTICA (este último é mais utilizado para esta finalidade). CD-RW (CD Regravável): esse modelo é possível gravar e regravar, ou seja, possui uma semelhança com o disquete no que se refere à “colocação” de dados e a sua remoção, mas não quanto ao método de gravação, porque é realizado de forma óptica (o CD). Atualmente é possível regravarmos até 10.000 vezes. Disco DVD digital Versátil Fitas Magnéticas Essas fitas são mais utilizadas para servidores, ou seja, para computadores que “centralizam” as informações de uma rede. Vejamos alguns tipos abaixo: - ü É a mídia óptica mais recente que possui a mesma dimensão física de um CD (semelhante), tendo capacidade de armazenamento extremamente elevada. Veja a tabela abaixo. Padrão DVD – 5 DVD – 9 DVD – 10 DVD – 18 Capacidade 4,7 GB 8,5 GB 9,4 GB 17 GB Vídeo (Min) 133 240 266 480 QIC (Quarter Inch Cartidge): foi lançado pela empresa 3M em 1972 como um sistema de armazenamento de dados para a área de telecomunicações, que foi adotado pelos primeiros usuários de PC. Fisicamente aparenta uma fita cassete de áudio, sendo que as informações são gravadas de forma organizada (linearmente). A sua capacidade varia de 40 MB até 1,8 GB. Fonte: “Hardware: curso completo”. Torres, Gabriel. O DVD foi criado para várias aplicações: áudio, vídeo e dados. E atualmente é utilizado para a gravação de dados, além de vídeo, pois antigamente era mais utilizado para vídeo. Fita QIC de 1,8 GB da 3M Modelos de DVD ü ü DVD–R: permite regravar. ü DVD–RW: permite gravar e regravar, possui capacidade de 4,7 GB e pode gravar, Informática Todos os direitos reservados ®. mas não 14 DAT (Digital Áudio Tape): é descendente do vídeo cassete, o sistema DAT foi criado com um formato de gravação de áudio com qualidade de CD. A sua capacidade inicial era de 2 GB. Atualmente, existem modelos de até 70 GB.
  15. 15. teclado atual. O teclado que não possui a tecla Ç, é o teclado de layout ABNT. O ABNT2 é a nova tecnologia de teclado, que por sua vez apresenta a tecla Ç, e é utilizado para o idioma português do Brasil. Mouse (Dispositivo Entrada) Fita DAT de 70 GB Vídeo Touch Screen de É um dispositivo mecânico de entrada, equipado com um ou mais botões. Esses monitores possuem uma tela sensível ao toque (incorporado ao mesmo) para executarem tarefas, a partir do toque do dedo. Esse dispositivo é considerado de entrada e saída. Mouse Mecânico As funções padrões do mouse são: Touch Screen – Dispositivo de Entrada e Saída ü DISPOSTIVOS DE ENTRADA ü Teclado -Keybord ü É o principal dispositivo responsável pela entrada dos dados, cuja função é levar os dados para a CPU para serem processados. 1 clique com o botão esquerdo = selecionar; Duplo clique com o botão esquerdo = executa; 1 clique botão direito = atalho. Atualmente, existem no mercado, vários tipos de mouses com tamanho, design e conexões diferentes. Temos o mouse mecânico, óptico (não existe abaixo do mesmo a “bolinha”, e sim uma luz), e por infravermelho (sem fio). TrackBall Entrada) (Dispositivo de É como um mouse de cabeça para baixo que possui uma esfera na sua parte superior. A sua função é a mesma do mouse: mover o cursor na tela. Teclado – dispositivo de entrada Existem atualmente dois Layouts (tipos) de teclados utilizados pelos concursos. O ABNT e o ABNT2. O ABNT é o teclado mais antigo, foi um dos primeiros teclados, tinha o nome de DVORAK e era muito utilizado em bancos e no comércio em geral. O DVORAK era fisicamente menor que o Informática Todos os direitos reservados ®. Trackball – Dispositivo de Entrada 15
  16. 16. Touchpad Entrada) (Dispositivo de É muito utilizado, atualmente, nos Notebooks e fica em frente ao teclado. Podemos movimentar o dedo indicador sobre a base para mover o cursor na tela. Handheld com a caneta óptica Joysticks Entrada) (Dispositivo de É um dispositivo de entrada muito utilizado por fanáticos em jogos, para controlar robôs e até para simuladores de vôos. Touchpad – Dispositivo de Entrada Trackpoint (Dispositivo de Entrada) Antigamente, era muito utilizado nos Notebooks um botão localizado no centro do teclado, que tinha a função de um mouse. Joystick – Dispositivo de Entrada Scanner Entrada) (Dispositivo É um dispositivo de entrada de dados que captura/digitaliza a imagem por meio óptico. Trackpoint – Dispositivo de Entrada Tela sensíve l ao toque (Dispositivo de Entrada) A resolução do Scanner é igual ao da impressora, ou seja, DPI, que estudaremos mais adiante. Neste caso o monitor não é sensível ao toque, pois para torná-lo sensível, é necessária a utilização de uma tela sensível sobre o monitor. Assim, esta tela é considerada apenas, como dispositivo de entrada de dados Existe o Scanner de mão (Hand Scanner) e o de Mesa (Flatbed Scanner), e são esses os mais solicitados em concursos públicos. C a ne t a Ó p t i c a ( D i s p o s i t i v o de Entrada) A caneta óptica utiliza uma célula fotoelétrica (que é sensível à luz) para executar um comando direto na tela. Quem utiliza este recurso é o handheld. Informática Todos os direitos reservados ®. de Scanner de Mão – Hand Scanner 16
  17. 17. Scanner de Mesa – Flatbed Scanner Distância entre os pontos OCR – Reconhecimento Ótico de Caracteres OBS: O Dot Pitch é medido em milímetros. Para uma imagem com qualidade, o mínimo recomendado é o uso de monitores com Dot Pitch igual ou menor que 0,28 mm É um software (programa) do scanner, que permite resgatar o texto da imagem, transferindo-o para um processador de textos. A resolução dos monitores é feita através dos PIXELS, que é formada pela varredura do canhão sobre as linhas com pontos na horizontal e vertical do vídeo. DISPOSITIVOS DE SAÍDA Monitor (Vídeo) Caso a resolução seja de 800x600, por exemplo, significa que a tela possui 800 linhas na vertical e 600 linhas na horizontal, ou seja é um monitor SVGA. É o principal dispositivo de saída de dados, pois o mesmo apresenta os resultados dos processos do computador. Atualmente, temos monitores no tamanho de 14”, 15”, 17” e 21” (polegadas). Tipos de ( M o n i t o r) A função do monitor é interpretar os impulsos binários convertendo-os em sinais gráficos. Resoluções Veremos abaixo resoluções destacadas nos públicos: Os monitores possuem três cores primárias, são elas: RGB (Vermelho, Verde e Azul), também conhecidos, como TRÍADES. Cada ponto da tela consegue representar somente uma cor a cada instante algumas concursos CGA (Color Graphic Adapter): considerado de baixa resolução são monitores que representam até 200.000 pixels. VGA – 640 X 480 (Vídeo Graphic Adapter): considerado de média resolução são monitores que representam entre 200.000 e 400.000 pixels. SVGA (Super VGA) – 800 X 600: considerado de alta resolução são monitores que representam entre 400.000 e 800.000 pixels. Outra característica importante dos monitores é o DOT PITCH. Que é a distância entre dois pontos da mesma cor. Quanto menor esta distância melhor a imagem. Informática Todos os direitos reservados ®. XGA – 1024 X 768 (Extended Graphics Array): considerado de altíssima resolução são monitores que representam acima de 800.000 pixels. 17
  18. 18. Tipos de Monitores CRT (Cathode Ray Tube) significa que é um monitor de raios catódicos. São os mais utilizados por conseqüência do valor que é baixo. Monitor Não-Entrelaçado O monitor não-entrelaçado atualiza as informações no vídeo de uma só vez, ou seja, em uma única passagem do canhão de raios catódicos. Monitor CRT Monitores Entrelaçados N ã o -e n t r e l a ç a d o s e O LCD (Liquid Crystal Display): significa que é um monitor de cristais líquidos. Está começando a ser adquirido pelos usuários domésticos, pois ainda possui um valor elevado no comércio. O Entrelaçamento ou nãoentrelaçamento, é a forma de geração dos pixels no monitor, no sentido vertical e horizontal, no que difere na qualidade e velocidade da visualização gráfica das imagens no monitor. É encontrado, apenas, nos monitores do tipo CRT. Um monitor entrelaçado demora para “recarregar” a imagem na tela, pois o canhão de raios catódicos (responsável pela “criação” dos pixels na tela), tem que percorrer a tela de vídeo 2 vezes, ou seja, 2 passagens para 1 imagem. 1ª Passagem 2ª Passagem Monitor LCD - TFT TFT (Thin Film Transistor): matriz activa é uma tecnologia melhorada dos monitores LCD's, sobre a primeira tecnologia chamada de matriz passiva, estes já obsoletos I m p r e s s o ra s São dispositivos exclusivos de saída de dados, existindo vários tipos de impressoras que podem variar de velocidade e qualidade de impressão Monitor Entrelaçado Todas as impressoras possuem 4 cores primárias, são elas: CMYK (Ciano, Magenta, Amarelo e Preto). Estas cores independem da impressora ser monocromática ou colorida. Informática Todos os direitos reservados ®. 18
  19. 19. A qualidade da impressão é definida em DPI (Pontos por Polegada), pois as mesmas, passam a informação do computador para o papel em polegadas. Esta é a resolução da impressão, ou seja, quanto maior for o DPI, melhor será a qualidade da impressão. Impressora Matricial Impressora Jato de Tinta É uma impressora de impacto por conseqüência, de a agulha de impressão, tocar na fita de impressão, e, como resultado desta ação, a fita será pressionada sobre o papel. Atualmente, existe no mercado, impressora com: 1 cartucho, 2 cartuchos (Preto e Colorido) ou 4 cartuchos (Ciano, Magenta, Amarelo e Preto). É muito utilizada para imprimir NOTA FISCAL, pois o impacto da cabeça de impressão sobre a fita faz com que o carbono da nota tenha a sua função alcançada. Impressora Laser Esta trabalha com toner, que é um pó químico, cujo tambor atraí e mantém preso o toner. Quando uma página passa pelo tambor, a mesma “retira” o toner, fixando-o no papel. Depois a página recebe calor para fundir o toner ao papel. Existem impressoras laser monocromática ou colorida. Elas são de alta precisão e mais rápidas na impressão. Impressora Matricial – Epson LX-300+ Esse modelo de impressora (Epson LX-300+), é o mais utilizado atualmente. A finalidade da mesma é imprimir trabalhos burocráticos que não exijam imagens, ou seja, não seja necessário imprimir fotografias e trabalhos gráficos em geral. Impressora Laser Impressora Cera Essa impressora é monocromática ou colorida, dependendo da finalidade da impressão. Normalmente é utilizada para capas de revistas ou propagandas que exijam alta resolução gráfica. São lentas na impressão e o custo da manutenção é muito alto. Elas trabalham com uma fita saturada de cera em cores diferente, e na passagem da página a fita é aquecida. Impressora Jato de Tinta Essa impressora é formada por um cabeçote de impressão que possui um cartucho de tinta. Com o aquecimento ou vibração, a tinta evapora ocasionando minúsculas gotículas de tinta sobre o papel. A sua impressão, geralmente, é colorida, mas caso o usuário necessite de uma impressão monocromática, é só alterar as propriedades da impressora. Informática Todos os direitos reservados ®. 19
  20. 20. Modem Externo de 56 Kbps Modem ADSL Este modem é utilizado para a conexão banda larga (dedicada). Ele trabalha com uma linha telefônica digital assimétrica, tendo assim uma via de mão dupla, ou seja, utiliza dois canais diferentes: um para dados e outro para voz. Placa de vídeo – AGP Modem (Entrada e Saída) É um modulador e demodulador dos sinais digitais para o analógico (Viceversa). Quando estamos conectados a Internet, o mesmo transforma a linguagem de máquina em sinais analógicos, pois o sistema de telecomunicações, em geral, para a Internet, é analógico. Modem ADSL Temos os modens Interno e externo para a conexão telefônica, sendo que o segundo modelo, encontra-se em desuso. A taxa de transmissão de dados varia de 256 Kbps, 512 kbps e 1,54 Mbps. Depende da operadora contratada para a conexão. A taxa nominal de transmissão de dados de um modem por conexão discada é de 56 Kbps - Kilobits (56.600 bits por segundo). A velocidade real do modem é 33,6 Kbps, pois o mesmo ainda não supera esta velocidade. OBS:Este dispositivo necessita da placa de rede para fazer a conexão banda larga. Placa de Rede (Entrada e Saída) Os modems utilizam, atualmente, a tecnologia V.92 que incorporou um pouco mais de velocidade de transmissão de dados em relação aos seus antecessores. São dispositiv os utilizados para “vincular” os computadores entre si, ou seja, possibilitar a transferência de dados entre eles. É encontrado dentro do gabinete e possui uma taxa de transmissão de dados de 10/100 Mbps (no mínimo 10 Megabits até 100 Megabits). Modem Interno 56 Kbps Placa de Rede 10/100 Mbps Nos concursos públicos são utilizados os seguintes sinônimos para este dispositivo: placa Ethernet, NIC, Interface de rede, placa de rede , Ethernet 10/100 Mbps e adaptador de rede. Informática Todos os direitos reservados ®. 21
  21. 21. equipamento, sua principal desvantagem. Mas a sua grande vantagem é a velocidade de transmissão dos dados, que é feita de forma mais rápida. Existem também placas de rede que alcançam a velocidade de 1000 Mbps, é a placa denominada Gigabit Ethernet. Placa de Rede – Gigabit Ethernet P l a c a -M ã e ( M o t h e r b o a r d ) Neste dispositivo encontramos o processador, a memória, os barramentos, os circuitos de apoio e todos os demais componentes básicos do computador. Placa-mãe Off-Board A placa-mãe On-board possui vários dispositivos integrados à mesma como, por exemplo, o modem, placa de vídeo, placa de rede e placa de som. Vêm instalados de fábrica, e não precisamos adquiri-los posteriormente. Sua desvantagem é o comprometimento da velocidade da máquina em si, pois a transmissão dos dados é um pouco lenta. Barramentos Popularmente falando, o barramento é o caminho da comunicação do processador com os diversos componentes do microcomputador. Placa-mãe de um computador Pessoal - PC Divisões dos Barramentos Atualmente, no mercado, existe placa-mãe On-board, Off-board e “SemiOn-board”. ü ü Todos os direitos reservados ®. Barramento de controle: é por onde passam as informações de leitura, escrita, reinicialização, entre outros. Barramentos Internos É o conjunto de fios que interliga os componentes do computador a CPU. Em uma placa Off-Board, é necessário o usuário adquirir os dispositivos do computador, o que ocasionará o aumento do custo do Informática Barramento de endereços: é por onde passam as informações de endereço fornecidas pela CPU; ü Na figura acima, temos uma placamãe, “Semi-On-board”. Nela existem alguns dispositivos como, por exemplo, a placa de vídeo, placa de rede e placa de som. Vêm alguns itens instalados de fábrica, ou seja, precisamos adquirir o modem posteriormente, por exemplo. Sua desvantagem é a necessidade de adquirir mais um componente. Barramento de Dados: é por onde passam as instruções dos dados; 22
  22. 22. Existem vários tipos de barramentos internos, iremos estudar, alguns trabalhados em concursos. Barramento ISA Foi o primeiro barramento de expansão a aparecer. Era um barramento de dados de 16 bits e a sua freqüência de operação é de 8 MHz. Barramento IDE É utilizado para H.D, Unidade de CD, Unidade CD-RW, Unidade de DVD e uma unidade de DVD-RW. São encontrados duas IDEs na placa-mãe de um PC. Temos duas IDE a zero e a 1. Vejamos a seguir. Atualmente, não é desenvolvido pelos fabricantes de placa-mãe. A IDE 0 , também conhecida como IDE Primária, é para o disco rígido, ou seja, a configuração correta da montagem do micro é esta. Mas podemos aplicar a mesma IDE uma unidade de CD, o que ocasionará uma lentidão no disco rígido, quando estivermos utilizando a unidade de CD, pois a velocidade de transmissão de dados de um disco rígido é de 133 MB/s e a unidade de CD é de apenas 7,5 MB/s (se a leitura for de 50X). Barramento ISA Barramento PCI Criado pela INTEL, este barramento simples “assassinou” o barramento ISA. É um barramento de dados de 32 bits e a sua freqüência de operação de 33 MHz. Atualmente, é o mais utilizado. Podemos adicionar dois discos rígidos ao barramento IDE 0. O primeiro é definido como Master (Mestre), e o segundo disco, como Slave (Escravo). IDEO -0 (primária) na cor azul Barramento PCI A IDE-1, também conhecida como, IDE Secundária, è para as unidades de CD e DVD. Barramento AGP Foi criado para as aplicações 3D, pois a PCI não possui recursos técnicos suficientes para comportar tais programas. É um barramento de dados de 264 MB/s e a sua freqüência de operação é de 66 MHz. IDEO -1 (Secundária) Barramento AGP Informática Todos os direitos reservados ®. 23
  23. 23. Barramentos IrDA Existem 4 (quatro) faixas transferência de dados, são elas: ü Modo 2x: 528 MB/s; ü Modo 4x: 1 GB/s; ü É um barramento sem fios no qual a comunicação é feita através de luz infravermelha como, por exemplo, no controle remoto da TV. Podemos ter até 126 dispositivos IrDA, “dialogando” na mesma interface. A taxa de transmissão de dados é na ordem de até 4 Mbps na versão IrDA 1.1. Modo 1x: 264 MB/s; ü de Modo 8x: 2,1 GB/s. Barramento SCSI Barramentos Externos É utilizado em computadores de grande porte nas empresas. Portanto, um usuário doméstico “não” precisaria deste barramento. É o conjunto de cabos que interligam os diversos dispositivos do computador à CPU. São encontrados atrás do gabinete. A sua funcionalidade é o aumento da velocidade de transmissão de dados como, por exemplo, um H.D instalado na IDE-0 é extremamente lento comparado a um H.D- SCSI. Porta USB É a nova tecnologia, pois o mesmo é capaz de conectar 127 dispositivos em um único periférico externo (barramento externo USB). Com o melhoramento do Plug and Play dos Sistemas Operacionais, a criação deste barramento tem uma grande vantagem. É a possibilidade de instalar um novo dispositivo automaticamente, sem que haja conflito ou queima do equipamento. A taxa de transferência atual é de 480 Mbps (60 MB/s), ou seja,. è a USB 2.0. Controlador SCSI Porta Serial Para utilizarmos esta interface é necessário adquirirmos um controlador SCSI e instalarmos no barramento PCI. Na transferência de dados serial, o micro transmissor irá transferir o dado de 8 bits, mas transmitindo apenas 1 bit por vez para efetuar a transmissão de dados. É o processo mais lento de transmissão de dados dos barramentos externos existentes, ainda, no mercado.. Podemos utilizar vários dispositivos conectados à Interface SCSI, são eles: ü Discos Rígidos SCSI; ü Unidades de CD-ROM SCSI; ü Gravadores SCSI; ü Unidades de DVD SCSI; ü Jaz Drive SCSI; ü Fitas DAT; ü Scanners de mesa SCSI. Os dispositivos utilizados neste barramento são: mouse, modem e Webcam. Porta Serial – 9 Pinos (macho) A taxa de transferência de dados é de até 115 Kbps. Informática Todos os direitos reservados ®. 24
  24. 24. Porta paralela É mais rápida que a porta serial, pois a paralela envia 8 bits por vez e é utilizada para equipamentos que necessitem de um “grande” tráfego de dados. Mesmo tendo um maior desempenho de velocidade em relação ao serial, encontra-se, atualmente, “defasado”. Placa Fax/modem (Cartão PCMCIA). Porta Paralela – 25 pinos (fêmea) É utilizado para a impressora, scanner e zip drive. Porta PS/2 É encontrada nos computadores atuais, pois o mesmo, está inovando a antiga porta serial (são coloridos). Porta PS/2 É utilizado para acoplar o mouse e o teclado. Interface PCMCIA Utiliza cartão (PC CARD), que são modems, placas de rede ou cartão de memória, sendo acopladas em notebooks, handhelds e câmera digital. Placa Ethernet 10/100 (Cartão PCMCIA) Foi desenvolvido para satisfazer as necessidades dos equipamentos portáteis, cuja função é armazenar ou transmitir dados. Informática Todos os direitos reservados ®. 25
  25. 25. QUESTÕES DE CONCURSOS 3) (BB – 2003) 1) (MPU – 2004) Analise as seguintes afirmações relativas a hardware e software. I. Um bad block é um defeito físico na superfície magnética de um HD, normalmente causado pelo choque de partículas de poeira ou desgaste da mídia. II. Um Cache miss ocorre quando o dado não está no cache e o processador precisa acessá-lo na memória RAM. III. A memória Cache L1 é a primeira camada de cachê do sistema. Nos processadores Pentium está localizada dentro do próprio processador, trabalha sempre na mesma freqüência deste e possui tempos de latência extremamente baixos. IV. A memória Cache L3 é a mais antiga das memórias cache, tendo surgido com os processadores 386 onde era localizada dentro do próprio processador. Atualmente, esta memória cache vem sendo substituída gradativamente pelas memórias Cache L1 e L2 que são significativamente mais rápidas. Processador: Intel® Pentium® 4, Incluindo 512 kb de memória cache Sistema operacional: Microsoft® Windows® XP Memória: 128 MB DDR SDRAM Armazenamento: disco rígido de 30 GB Opções de drive: CD-ROM e CDRW/DVD Portas de E/S: oito portas USB 2.0 Modem: V.92 datafax, que suporta até 56 kbps Conectividade: rede integrada Intel Pro 10/100 Ethernet A partir dessas informações, julgue os itens que se seguem. As especificações apresentadas permitem concluir que o computador possui recursos de hardware adequados para ser conectado à Internet por meio tanto de uma rede ADSL, quanto de uma rede LAN (local área network ). A) Indique a opção que contenha todas as afirmações verdadeiras. a) I e II b) II e III c) III e IV d) II e IV e) I e III B) Como o computador especificado utiliza um processador Intel® Pentium® 4, é possível que ele tenha velocidade de clock superior a 2 GHz. 2) (MPU - 2004) Um Chipset é um conjunto de chips que forma o principal componente da placa-mãe. Ele contém, basicamente, C) As oito portas USB possibilitam acesso em banda larga à Internet por meio de até oito provedores simultaneamente. Esse recurso é o que vem sendo utilizado atualmente para permitir taxas de download da ordem de 2 Mbps na Internet. a) os drivers e os drives dos periféricos de entrada/ saída do computador. b) um conjunto de dispositivos de armazenamento denominados pentes de memória ou memória RAM. c) os controladores de acesso à memória, os controladores do barramento IDE, AGP e ISA, e vários outros componentes essenciais. d) um conjunto de dispositivos de armazenamento denominados BIOS ou memória ROM. e) o HD, a memória RAM e os conectores para mouse e teclado. Informática Todos os direitos reservados ®. 4) (BB –2003) Julgue os itens a seguir, acerca de conceitos de hardware e de software associados a um computador PC compatível. A) O sistema operacional Windows, a partir de sua versão 98, incorporou a ferramenta denominada BIOS, um software que, dependendo da sua configuração, garante que o computador não seja ligado por usuários não-autorizados. 26
  26. 26. B) O disco de vídeo digital (DVD) é um dispositivo de armazenamento de dados semelhante a um compact disc no que tange à leitura óptica, mas pode armazenar uma quantidade maior de dados que este último. computador, popularmente conhecida como memória DRAM, SDRAM ou simplesmente RAM, é: C) O slot PCMCIA pode ser utilizado para abrigar hardware cujo principal objetivo é aumentar a velocidade de processamento do computador. B) armazenar definitivamente dados e programas para uso da CPU C) servir como dispositivo de entrada e saída de informações D) fornecer uma interface consistente para o usuário humano E) servir como uma unidade de backup para arquivos de programas e dados. 5) (TRT 24ª Região – A) armazenar temporariamente dados e programas para uso da CPU; 2003) Primeiramente, o processador procurará os dados que necessita lendo o conteúdo 10) (TRE – RJ – 2001) Uma impressora deve ser conectada a um computador tipo PC através de uma interface: A) do cache L1, embutido no processador. B) do cache L2, embutido no processador. C) do cache L1, embutido na memória RAM. D) do cache L2, embutido na memória RAM. E) diretamente na memória RAM. A) B) C) D) E) 6) (TRT 24ª Região – 2003) A primeira camada de software microcomputador contém o de IDE PCI SCSI Paralela ISA um 11) Realiza uma intermediação na comunicação entre Processador e Memória RAM, a fim de tornar mais rápidas as operações repetidas, estamos falando de: A) Sistema Operacional. B) BOOT. C) CMOS. D) BIOS. E) Kernel. etapa, após a montagem dos componentes de hardware de um computador, deve ser A) B) C) D) A) formatação e particionamento do HD. B) configuração das opções básicas de CMOS Setup. C) instalação do sistema operacional. D) inicialização do sistema operacional. E) configuração plug and play do sistema operacional. 12) É um periférico de Entrada e saída que auxilia na comunicação com outros computadores através da linha telefônica, estamos falando de: 7) (TRT 24ª Região – 2003) A próxima A) B) C) D) 8) (TRT 24ª Região – 2003) As placas de rede normalmente utilizadas em notebooks e handhelds denominam-se A) ISA. B) PCI. C) PCMCIA. D) COMBO. E) AGP. Todos os direitos reservados ®. Fax Modem Placa de Rede Placa de Som 13) (TTN – 97) A unidade de medida da resolução de uma impressora é dada em: A) B) C) D) 9) (TRE – RJ – 2001) Uma das finalidade s da memória principal do Informática Disco rígido Memória Cache Antimemória Driver de Impressora 27 CPS PPM BPM DPI
  27. 27. 14) (PC – RJ – 2001) Qual unidade é usada para medir a velocidade de transmissão de dados digitais? A) B) C) D) Processador Intel Pentium 4 1,5 Ghz 128 Mb de memória RAM Monitor de 17” Floppy disk de 1,44 Mb de 3 ½” Winchester de 20 GB DVD 12x Placa de vídeo de 32 MB Placa de Fax/modem de 56 Kbps Interface de rede local 10/100 Chip Vps Bps Byte 15) (TRE – RJ – 2001) Em um computador tipo PC, na mesma Interface IDE que um HD (Hard Disk ou disco rígido), pode estar conectado (a) também: Acerca das especificações e da possibilidade de aquisição do computador da proposta acima, julgue os itens a seguir (V ou F): A) uma unidade de disco flexível (disquete) B) uma impressora C) uma unidade de CD-ROM D) um mouse E) um scanner A) dada a capacidade de memória do winchester, é possível dispensar a aquisição de memória RAM, barateando o preço do computado e mantendo as mesmas características de desempenho da configuração original apresentada acima. B) A especificação “DVD 12x” diz respeito a uma tecnologia multimídia que vem sendo, gradativamente, substituída pela revolucionária tecnologia conhecida como CD-ROM. C) A especificação “Interface de rede local” refere-se à placa de rede utilizada para conectar o computador do usuário a uma LAN (Local área network). 16) (SEFAZ – AL – 2001) Com referencia a hardware, julgue os itens (V ou F): A) Um computador que utiliza o processador Pentium III de 750 Mhz tem uma capacidade de memória necessariamente maio r que um computador que utiliza um processador Pentium III de 600 Mhz B) Discos Zip (zip disks) têm maior capacidade de armazenamento de dados que os disquetes de 3 ½” C) O scanner é um equipamento essencial para a conexão entre os computadores em uma rede local 18) (BANESE – 2002) Com relação a hardware de computadores pessoais, julgue os itens subseqüentes (V ou F). A) Os disquetes de 3 ½” possuem mecanismo para impedir a gravação e a exclusão de arquivos. B) A maioria dos mouses se conecta ao computador por meio da porta paralela do computador. C) Muitas impressoras do tipo jato de tinta utilizam cartuchos separados: um para a cor preta e outro para as demais cores. 17) (Banco do Brasil – 2001) Com o objetivo de adquirir um novo computador e com o auxílio de uma navegador, um usuário acessou um site de busca para selecionar sites especializados na venda e na compra de computadores via Internet, obtendo a seguinte proposta para a aquisição de seu novo computador: Hardware: Informática Todos os direitos reservados ®. 28
  28. 28. D) Os disquetes de 3 1/2” atuais são capazes de armazenar um número superior a um milhão de bytes E) Em geral, enquanto os scanners são conectados na parte traseira da caixa da CPU, os teclados de PCs conectam-se diretamente na parte traseira do vídeo. Informática Todos os direitos reservados ®. 29
  29. 29. GABARITO 11) Letra B, pois é considerada a memória auxiliar do processador. 1) Nenhuma letra. Os itens I, II e III estão corretos, infelizmente esta questão não tem resposta. 12) Letra B. 13) Letra D. 2) Letra C. O responsável pela transmissão de dados dos barramentos é o CHIPSET, pois o mesmo controla todo o tráfego das informações dos dispositivos para a CPU. 14) Letra C. 15) Letra C. 16) Letra A é falso, pois não podemos comparar computadores através de processadores, somente; 3) Letra A está errada, pois não podemos ter uma conexão ADSL, se não temos um modem ADS L (Externo); Letra B é verdadeiro, pois os discos zip armazenam 750 MB e o disquete apenas 1,44 MB (valor nominal). Letra B está correta, porque normalmente, os processadores pentium IV vêm com um clock superior a 2 Ghz; Letra C é falso, pois o scanner é utilizado para a digitalização das imagens, e não para redes. Letra C está errada, porque não podemos conectar a Internet através de 8 provedores, simultaneamente. 17) Letra A é falso, pois seria impossível ligar um computador sem a memória principal – RAM; 4) Letra A está errada porque a BIOS é um firmware (programa fixo) pertencente ao CHIP-ROM; Letra B é falso por conseqüência que está ocorrendo o contrário; Letra B está correta; Letra C é verdadeiro. Letra C está errada, pois não podemos aumentar a velocidade do processador através de um PCMCIA, ou seja, utilizando um PC-CARD (modem ou placa de rede). 18) Letra A é verdadeiro; Letra B é falso, pois o mouse pode se conectar à porta serial, PS/2 ou USB; 5) Letra A porque o processador procura, a princípio, os dados na cache de nível 1 – L1. Letra C é verdadeiro; Letra D é verdadeiro; Letra E é falso; 6) Letra C. 7) Letra B. 8) Letra C. 9) Letra A. 10) Letra D. Informática Todos os direitos reservados ®. 30
  30. 30. bordas e tabelas. Esse arquivo está entre um txt e um doc; SOFTWARE Ø DBF: Arquivo de banco de dados gerado pelo Dbase e que atualmente o Excel é capaz de originá-lo; Ø JPEG ou JPG: Arquivos de imagens que geralmente são encontrados na Internet. Possuem boa resolução (visualização da imagem) no monitor, mas peca na impressão; Ø PPT: Arquivos de Slides gerados pelo PowerPoint. Ø GIF: Pequenos arquivos de animações da Internet, mas fraco na resolução. Ø SWF: Arquivos gerados pelo programa Flash. São utilizados como animação de pequenas figuras ou de páginas da internet. Ø SCR: Arquivos de proteção de tela do Windows. Atualmente estão sendo “distribuídos” através da Internet na forma de vírus de computador. Ø Essas instruções (ordens) digitais que os programadores desenvolvem, são executadas pela CPU. DLL: Arquivo de biblioteca que “auxilia” um arquivo executável, pois alguns programas precisam de seus “assistentes” para funcionarem; Ø É a parte lógica do computador (é tudo aquilo que o usuário não pode tocar) como, por exemplo, música, fotografia, arquivos e programas. BMP: Arquivos gerados pelo programa Paint do Windows. São arquivos de imagens e/ou desenhos. Arquivos São todos os dados digitais salvos (gravados) com um nome e que recebem uma extensão por conseqüência do programa que o originou. Geralmente são gravados na memória secundária, por exemplo, disco rígido, disquete, CD, DVD, etc. Extensão É a terminação do nome de um arquivo após o ponto que identifica o tipo de arquivo. Vejamos alguns exemplos extensões que os concursos solicitam: de Ø DOC: Documento gerado pelo Word; Ø XLS: Pasta de trabalho do Excel; Ø EXE: Arquivo programa); Ø TXT: Arquivo de texto simples gerado pelo Bloco de Notas; Ø PDF: Arquivo no formato PDF (protegido), que só pode ser lido (aberto) pelo programa Adobe Acrobat Reader; Executável Pastas São locais “virtuais” condicionados nas unidades para armazenar os arquivos para uma melhor organização dos dados no computador. Também é conhecido como diretório. (um Ø HTM ou HTML: Internet - Web; Ø ZIP: Arquivo compactado (havendo diminuição do tamanho dos arquivos em bytes) pelo programa WINZIP; Ø RAR: Arquivo compactado (havendo diminuição do tamanho dos arquivos em bytes) pelo programa WINRAR; Ø MDB: Arquivo de banco de dados gerado pelo programa Access; Ø Vejamos abaixo um exemplo de unidade, pasta e arquivo: RTF: Arquivo de texto que trabalha com formatação negrito, itálico e sublinhado, mas não permite figuras, Informática Todos os direitos reservados ®. São páginas da Exemplo de unidade, pasta e arquivo O armário é a unidade C: (disco rígido), as gavetas são as pastas e o 31
  31. 31. arquivo (a “folhinha”) que está sendo colocada na gaveta. sistemas operacionais diferentes como, por exemplo, Linux e Windows. OBS: A pasta não possui tamanho, ou seja, é 0 (ZERO) Byte. Ambas as unidades geradas pelo particionamento serão independentes (salvo se o disco rígido se danificar). As unidades Funcionamento dos Programas É a representação das unidades através de letras do nosso alfabeto. São elas: Quando solicitamos a execução de um programa (através do clique do mouse ou enter), o mesmo terá uma parte copiada do disco rígido (H.D) para a memória RAM. Ø (C:)=> é o disco rígido representado pelo seguinte Windows) ícone abaixo (no Com isso a CPU será ativada para o reconhecimento das instruções (“ordem do programa”) . Vejamos abaixo um esquema de funcionamento de um programa no sentido horário. Exemplo da unidade (C:) (A:)=> é o disquete representado pela seguinte ícone abaixo (no Windows). H.D Barramento Ø Exemplo da unidade (A:) Ø Ø Ba rram ent o Processador/CPU (B:)=> é o disquete, mas só será representado pelo computador, caso o usuário instale ao mesmo uma segunda unidade de disquete. Memória RAM Esquema do funcionamento dos programas (D:)=> é a unidade “camaleão”, ou seja, dependendo de qual drive tenhamos instalado no computador essa unidade poderá ser: um CD-ROM, DVD-ROM, CD-RW, DVD-RW ou uma parte do disco rígido (o disco estando particionado). No primeiro momento é copiada parte do programa para a memória RAM e após esta etapa, o processador traduzirá (colocará em funcionamento) as instruções (ordens) do software que está na memória principal. Particionamento do Disco Rígido Sistemas de Arquivos (Tabelas) Define-se particionamento como a divisão de uma mesma unidade em várias partes iguais ou diferentes, gerando assim as divisões. Terão letras diferentes para cada “nova unidade”. Vejamos abaixo um exemplo de uma tabela de alocação de arquivos denominada FAT para compreendermos melhor a sua funcionalidade dentro das unidades secundárias. Se particionarmos um disco rídido (C:) em duas partes, o mesmo passará a ser (C:) e (D:). Qual a finalidade de “partir” um disco rígido? É simples. Para instalar dois Informática Todos os direitos reservados ®. 32
  32. 32. Mas também temos a gravação desfragmentada (organizada) apenas nas unidades de fita como, por exemplo, na fita DAT. Vejamos um exemplo de uma gravação Fragmentada Exemplo da FAT do disco rígido A FAT é uma tabela cuja finalidade é manter os registros vitais para mostrar onde um determinado arquivo foi armazenado. Essa tabela possui tamanho fixo como, por exemplo, FAT – 12 bits (utilizada pelo disquete), FAT – 16 bits (utilizada pelo DOS, Win 3.x e Win 9x) e finalmente a FAT – 32 bits (que pode ser utilizada pelo Win 95 e 98, e Win 2000). O número dos bits indica quantos são utilizados para armazenar as informações dos dados em cada posição da tabela. Fragmentação de um arquivo no H.D Os Softwares Com a evolução da informática, conforme as gerações de computadores ao passar dos anos, foi necessário criar programas para vários tipos de computadores e finalidades para os quais foram desenvolvidos. Com isso surgiram vários tipos de softwares. Existem várias desvantagens quando uma unidade é formatada com uma FAT, pois haverá desperdício de espaços, limites de 2 GB por partição e muita fragmentação dos dados. Ø Software Básico Para concursos públicos também é necessário o estudo de outra tabela denominada NTFS (Sistemas de arquivos NT), que possui grandes vantagens em relação à FAT. São os programas que ajudam o computador a funcionar corretamente são conhecidos como: Sistema Operacional, Linguagem de Programação e Tradutores (compiladores/ interpretadores). As principais vantagens de se formatar um disco com NTFS são: velocidade de acesso das informações na unidade; não há desperdício de espaços nas unidades; acessa diretamente discos de até 2 TB e não há problemas de fragmentação (as informações são mais organizados) e, principalmente, a segurança dos dados (que é um pouco maior em relação a FAT). Sistema Operacional=> são os programas que gerenciam o hardware (parte física) e o software (parte lógica) do computador. Os mais conhecidos no mercado atual são: ü ü Informática Todos os direitos reservados ®. Linux; ü OS/2; ü Todo arquivo é gravado de forma fragmentada (desorganizada) nas trilhas e setores das seguintes unidades : disco rígido, disquete, CD, DVD e disco ZIP. Microsoft Windows; ü Formas de Gravação de Arquivos nas Unidades MS-DOS; UNIX. Linguagens de Programação=> é uma linguagem artificial criada pelo homem para dizer ao computador o que fazer. É um 33
  33. 33. ü “idioma” que consiste em um vocabulário e um conjunto de regras denominado sintaxe. Vejamos algumas linguagens abaixo: Gráficos, (Desenhos ou seja, Vetorias desenhos geométricos fechados como, por exemplo, círculos); ü Fortran; ü COBOL; ü Ada; ü Visual Basic; ü Pascal ü PageMaker (Editor Eletrônico de Revi stas e Jornais); ü (primeira linguagem ü de Microsoft Access (Banco de Dados); Delphi ü C e C++; ü Java (para aplicações Internet); ü Java Script (desenvolvedor de programas). programação); (para Ø Software Utilitário São os programas que fazem a manutenção do computador e das unidades, a segurança do computador contra invasões e/ou vírus e até “aumentam” o desempenho da máquina. Esses programas são conhecidos como antivírus, desfragmentador de disco, scandisk, etc. aplicações Internet); ü CorelDraw ASP (para aplicações Internet); Tradutores=> são os interpretadores e os compiladores que traduzem as linguagens de programação para a linguagem de máquina (sistema binário) do computador. Sistemas Operacionais Os interpretadores são os programas => (criados pelos programadores) que possuem uma linha de código por vez (“ordem”), ou seja, quando o processador lê para executar o programa, o mesmo o fará de forma lenta, por conseqüência de uma leitura linha por linha, que, por sua vez, não resultará em erros (bugs) na execução do programa. • Criado pela empresa AT&T, no início dos anos 70, o UNIX é um sistema operacional pioneiro nas grandes corporações. Foi o primeiro sistema operacional multitarefa preemptiva projetado para trabalhar de forma eficiente em redes de computadores, centralizando a administração das mesmas e aumentando a segurança dos dados que nelas trafegam. Os Compiladores=> são os programas (criados pelos programadores) que possuem várias linhas de códigos em blocos (“várias ordens”), ou seja, quando o processador lê para executar o programa, o mesmo o fará de forma rápida por conseqüência de uma leitura por blocos que, por sua vez, trará vários erros (bugs) na execução do programa. O grande sucesso desse sistema está na computação cliente/servidor, ou seja, a parte do cliente são programas desktop que interagem com os usuários, e a parte servidora é o próprio sistema instalado em um computador centralizando para si todas as tarefas da rede (enviar os dados solicitados pelos usuários e transmiti-los pela rede). Ø Software Aplicativo São os programas desenvolvidos para trabalhos específicos como, por exemplo, o Microsoft Word para aplicações na área de processamento de textos ou AutoCAD para a área de arquitetura e engenharia. Vejamos alguns abaixo: ü Microsoft Excel (Planilha Eletrônica); ü Microsoft PowerPoint (Aprese ntação de Slides); Informática Todos os direitos reservados ®. UNIX 34
  34. 34. Sistema UNIX com Interface Gráfica Desktop KDE O primeiro sistema UNIX era monocromático e não tínhamos a possibilidade de trabalhar em multitarefa. Mas atualmente existem várias versões do UNIX de Interface Gráfica (multitarefa). Uma das principais vantagens desse sistema é o nível de segurança alto que o mesmo proporciona a uma rede de computadores. • LINUX O aparecimento do Sistema Operacional LINUX foi originado a partir do Sistema UNIX. Desktop GNOME O LINUX começou a ter vida em 1º de Janeiro de 1991 nas mãos de Linus Torvalds um Filandês que inicialmente tinha a criação do Sistema como um passatempo. Em 16 de Janeiro de 1992 o LINUX é oficialmente licenciado de acordo com a GNU (General Public License). Esse Sistema ganhou força na comunidade acadêmica por ser um software livre (gratuito) e de código aberto (“com a receita do bolo”) exposta para todos com os “ingredientes” para dar o “sabor” que o “cliente” desejar. Atualmente, é o único Sistema Operacional gratuito do mundo. Desktop WINDOW MAKER Aplicativos da Microsoft funcionam no LINUX? Atualmente sim. Podemos até ter o Windows dentro do Linux. Mas como? É simples. Existem programas que permitem o funcionamento do pacote OFFICE 2002 - XP da Microsoft dentro do LINUX, e o mesmo, denomina-se CrossOver ou Wine (de outro desenvolvedor). Mas a compatibilidade do Linux com o Windows era bem deficiente até surgir a ferramenta denominada VMware que permite ao usuário rodar todo o Windows dentro do Linux sem que seja necessário reiniciar o computador. O LINUX é diferente do Windows como, por exemplo, possui três desktops (área de trabalho) mais utilizadas atualmente pelos usuários do sistema são eles: KDE, GNOME e WINDOW MAKER. O “Office” do Linux é denominado Open Office e utiliza aplicativos parecidíssimos com os da Microsoft. Também é gratuito. Informática Todos os direitos reservados ®. 35
  35. 35. • O Windows 95 foi o primeiro Sistema Operacional da Microsoft com Interface Gráfica e com multitarefa preemptiva. Surgiu aqui um suporte automático de instalação de drivers (programas de instalação de hardware) para os usuários, denominado Plug and Play. MS-DOS Criado na década de 80, o DOS é um sistema operacional para comp utador pessoal baseado em processadores Intel, e utiliza uma Interface monocromática. O Plug and Play tem como finalidade a instalação de um novo equipamento físico sem que os usuários possuam conhecimentos técnicos avançados, ou seja, é um assistente de instalação de hardware. O Windows 98 foi lanç ado em 1998 sendo uma versão melhorada do Win 95, oferecendo melhor estabilidade, conectividade com a Internet e atualizações de drivers, ou seja, houve um melhoramento no Plug and Play. Possui uma FAT de 16 ou 32 bits. MS-DOS Infelizmente esse sistema só opera em microprocessadores de 16 bits utilizando uma FAT de 16 bits, assim, se o microprocessador fosse de 32 bits ocasionariam falhas no sistema. O Windows ME – Milênio foi lançado em 2000 e trouxe “dores de cabeça” para os usuários, pois o mesmo veio com várias falhas (bugs) o que tornava o sistema instável. Não houve grandes avanços nessa versão. Versões do Windows • Windows 3.x O Windows NT foi projetado para computadores de 32 bits especificamente para computadores cliente/servidor, o mesmo é formado por dois componentes o Windows NT Workstation e Windows NT Server. Foi a primeira versão do Windows que permitiu aos usuários utilizarem os processadores de 32 bits da Intel o 80386 (386), pois o DOS era incapaz de trabalhar com esta quantidade de bits. A partir desse momento veio a grande utilização da GUI (Interface Gráfica do Usuário) que revolucionou o mercado da Informática o Windows 3.0. O Win NT Workstation é utilizado nos computadores do tipo desktop individuais que estão conectados a uma rede na qual existe um servidor com o Win NT Server instalado. As versões do Microsoft Windows 3.0, Windows 3.11 e Windows for Workgroups 3.1 não são Sistemas Operacionais, ou seja, na realidade são aplicativos do DOS. Essas versões não possibilitam a multitarefa preemptiva (utilização de vários programas ao mesmo tempo pelo processador). • Era muito utilizado na área corporativa, pois o seu custo era menor em relação a uma implantação de rede com UNIX. O Windows CE foi projetado para o tipo de computador conhecido como HANDHELD ou popularmente chamado de Palmtop. É uma versão simplificada do Windows 95 e 98 que permite a criação de documentos simplificados (com o uso do “mini-Office” instalado) para transferir os dados para o computador e assim manipulá-los. Windows 9.x O Windows 95 é de fato um sistema operacional que permitia o processamento de dados de 16 bits (programas DOS), bem como novos programas de 32 bits. Possui uma FAT de 16 bits. Informática Todos os direitos reservados ®. 36
  36. 36. Windows XP É o mais utilizado atualmente, mas não é o mais novo. Por que a Microsoft já lançou uma versão beta (versão teste) para os Técnicos em Informática. Nos concursos públicos é muito utilizado pelo CESPE/UNB tanto para cargos de nível médio e superior. Conheceremos agora os recursos do Windows XP mais utilizados nas provas. Área de Trabalho – DESKTOP A denominação Desktop refere-se à idéia de uma mesa plana onde estarão disponíveis as ferramentas de trabalho do usuário. Menu Iniciar – Acessível quando clicado o Botão Iniciar (comando padrão) Nas provas do CESPE/UNB são exigidos do candidato o conhecimento de todos os elementos do Menu Iniciar, ou seja, todos os nomes e itens e ncontrados ou não no menu. É possível acionar o Menu Iniciar através das seguintes teclas de atalho: Desktop do Windows XP Teclas de Atalho CTRL + ESC Tecla Windows Essa área é composta dos seguintes elementos: plano de fundo (papel de parede), ícones, atalhos e barra de tarefas (com todos os seus elementos). Ação Abrir o Menu Iniciar Abrir o Menu Iniciar OBS: Podemos selecionar o botão iniciar utilizando a tecla TAB (apenas quando um dos elementos da área de trabalho estiver selecionado) e pressionar a tecla ENTER para acionálo. O Menu Iniciar Essa opção será acessível quando o usuário clicar sobre o botão iniciar. Veja figura abaixo. Esse menu da figura anterior é o Menu Padrão do Windows XP podendo ser modificado pelo o usuário a qualquer momento. Assunto que veremos a seguir. Barra de Tarefas É a barra horizontal que está localizada na parte inferior da área de trabalho do Windows que tem como finalidade principal demonstrar todos os programas que estão em execução (abertos) na forma de botão. Informática Todos os direitos reservados ®. 37
  37. 37. tenha utilizado o botão direito do mouse); Barra de Tarefas Aparecerá a seguinte caixa de diálogo: Essa barra possui vários itens que devemos estudar para os concursos, tais como: o botão iniciar, iniciar rapidamente e a área de notificação. Vejamos os itens da barra. Iniciar rapidamente (ao lado do botão iniciar) Área de Notificação (Systray) A barra é capaz de ser configurada pelo usuário para alterar as características do menu iniciar ou da própria barra como, por exemplo, exibir ou ocultar o iniciar rapidamente e/ou os elementos inativos da área de notificação. Propriedades da barra de tarefas ü Clique sobre a guia Menu Iniciar Aparecerá a seguinte caixa de diálogo: OBS: a barra de tarefas pode ser movida para os quatros lados (Superior, Inferior, Esquerda e Direita) da área de trabalho e també m pode ser redimensionada (aumentar o tamanho) até a metade do Desktop. Configurando a Barra de Tarefas (Menu Iniciar) Iremos começar pelo Menu Iniciar, ou seja, alteraremos o primeiro elemento da barra de tarefas, isto é, de Menu Padrão para Clássico seguindo as etapas: ü Clicar com o botão direito do mouse sobre um local vazio da barra de tarefas, ou Propriedades da barra de tarefas – Guia Menu Iniciar ü Botão Iniciar, Painel de Controle, Barra de Tarefas e Menu Iniciar; ü Clicar sobre a opção Menu Iniciar Clássico ü Aparecerá um menu suspenso, clique na opção Propriedades (caso Informática Todos os direitos reservados ®. ü Botão OK. 38
  38. 38. Vejamos abaixo o resultado configuração que acabamos de fazer. Atalho do ícone na área de iniciar rapidamente Siga os seguintes passos para desativar o iniciar rapidamente (desmarcando a opção mostrar barra “Inicialização Rápida”) ou ativando o recurso iniciar rapidamente (marcando a opção mostrar barra “Inicialização Rápida”): ü Clicar com o botão direito do mouse sobre um local vazio da barra de tarefas, ou ü Botão Iniciar, Painel de Controle, Barra de Tarefas e Menu Iniciar; ü Aparecerá um menu suspenso, clique na opção Propriedades (caso tenha utilizado o botão direito do mouse); Menu Iniciar Clássico (Estilo do Win 98) Aparecerá a seguinte caixa de diálogo: Configurando a barra de Tarefas (Iniciar Rapidamente) O elemento, iniciar rapidamente, só aparecerá na barra de tarefas s a e mesma se encontrar habilitada. Ela é utilizada para acrescentarmos atalhos que estão na área de trabalho no menu iniciar, pasta ou unidade. Veja a figura abaixo: Propriedades da barra de tarefas Configurando a barra de Tarefas (Área de Notificação - Systray) Ícone sendo arrastado para o iniciar rapidamente O resultante dessa ação é o acréscimo de um atalho à área. Veja figura abaixo: Informática Todos os direitos reservados ®. Essa área é responsável pela visualização dos programas antivírus, compactador de arquivo (Winzip), o 39
  39. 39. relógio, entre outros, que são executados automaticamente quando iniciado o sistema operacional. Todos são carregados na memória RAM gerando uma lentidão ao computador. Atalhos São “figurinhas” com “setinhas” cuja finalidade é apontar para os programas originais (ícones), ou seja, para os arquivos executáveis. No Windows XP esses tipos de programas, quando não utilizados durante um período pelo o usuário, são ocultos automaticamente. É possível o usuário configurar para que todos sejam visualizados independente de terem sidos acessados ou não. Siga os seguintes passos da figura anterior para habilitar ou desabilitar o relógio ou exibir/ocultar os programas da área de notificação. 3 Atalhos no Desktop do Win XP Quando for exibida a caixa de diálogo propriedades da barra de tarefas é só marcar ou desmarcar a opção desejada. Também são conhecidos nas provas de concursos pela denominação ícones de atalhos. As Janelas A maioria das aplicações Windows é visualizada na forma de janela e a mesma possui vários elementos que irei detalhar abaixo. Parte da caixa de diálogo propriedades da barra de tarefas Ícones São as “figurinhas” que estão na área de trabalho e nas janelas representando os programas, arquivos, pastas, músicas, fotos, etc. Janela Meu Computador Barra de Título: visualiza o nome da aplicação em execução e está localizada na parte superior da janela. É composta dos seguintes elementos: Menu de controle (“figurinha” do lado esquerdo) e os botões de redimensionamento (minimizar, maximizar/restaurar e fechar). 6 ícones no desktop do Win XP Informática Todos os direitos reservados ®. 40
  40. 40. OBS: a barra de título visualiza o nome do programa, a unidade e/ou a pasta com toda a sua linha de comando (caminho completo onde a pasta está guardada) caso esteja configurado pelo o usuário. Barra de Endereços: a finalidade desse item é “navegar” pelo Windows, ou seja, trocar de pasta ou unidade sem precisar fechar a janela. Basta clicar na seta ao lado para escolher o novo item que será acessado ou digitar. Barra de título Barra de Endereços Barra de Menu: contém todos os comandos necessários para o funcionamento da aplicação que está em execução. Podemos utilizar através da tecla de atalho ALT + Letra sublinhada. OBS: a barra de endereço visualiza o nome dos elementos Windows (Meu Computador, Lixeira e Meus Locais de Rede), a unidade e/ou a pasta com toda a sua linha de comando (caminho completo onde a pasta está guardada). Submenu: são os menus encontrados dentro dos menus, ou seja, quando clicamos em um menu poderá apresentar uma “setinha” apontando para a direita. Tarefas: apresenta alguns comandos padrão como, por exemplo, adicionar ou remover programas e detalhes do item selecionado na janela. Barra de menu Tarefas O item tarefas, ultimamente, está sendo utilizado pelo CESPE/UNB para os comandos padrão dos arquivos (mover, copiar, etc.) Exemplo de um submenu Barra de Ferramentas : são os botões que ficam abaixo da barra de menu trazendo comandos padrões do programa (que estão nos menus) como, por exemplo, voltar e avançar (que são utilizados no Internet Explorer). Podemos desativar ou ativar esse recurso da janela pela caixa de diálogo Opções de Pastas. Basta seguir as etapas: ü Menu ferramentas; ü Opções de pasta; Barra de Ferramentas Padrão Informática Todos os direitos reservados ®. 41
  41. 41. Apresentará a seguinte caixa de diálogo: Redimensionando Janelas Podemos alterar o tamanho da janela, mas é necessário sabermos que obrigatoriamente a mesma deve estar na forma restaurada. O processo é simples. Basta colocar o cursor do mouse sobre a borda da janela (em qualquer extremidade) para que o cursor se transforme em uma seta dupla na cor escura. Veja a figura abaixo (seta dupla a direita da janela). Opções de Pastas Na opção de pasta na guia geral, selecione a opção, usar pastas clássicas do Windows , para desativar esse recurso. Veja a figura abaixo. Exemplo de redimensionamento Podemos também utilizar o recurso denominado puxador que está localizado na extremidade direita da barra de status. Item tarefas Barra de Status: traz informações da janela ativa como, por exemplo, a quantidade de objetos. Puxador na barra de Status Movendo Janelas Barra de Status Os elementos (barra de ferramentas e barra de Status) poderão estar visíveis ou não, bastaria acessar o seguinte comando (veja janela abaixo): Podemos mover a janela colocando o cursor do mouse sobre a barra de título, segurar o clique e arrastar. Mas é necessário sabermos que obrigatoriamente a janela deverá estar na forma restaurada. Menu Exibir Colocar o cursor sobre a barra de título, clicar, segurar o clique e arrastar. Informática Todos os direitos reservados ®. 42
  42. 42. Podemos utilizar o botão maximizar localizado na barra de título da janela. Veja figura abaixo. Minimizando Janelas Minimizar significar diminuir visualmente o tamanho da janela para a mesma ser condicionada na barra de tarefas na forma de botão. Podemos utilizar o botão minimizar localizado na barra de título da janela. Veja figura abaixo. Botão Maximizar Se o usuário não tiver interesse em utilizar os botões restaurar e maximizar, o mesmo poderá dar um duplo clique na barra de título para efetuar a ação de restaurar ou maximizar a janela. Botão minimizar OBS: quando uma janela está maximizada o botão que aparecerá é o restaurar (o que possui dois “quadradinhos”), caso esteja a mesma restaurada aparecerá o botão maximizar (o que possui apenas um “quadradinho”). Quando uma janela está minimizada é possível visualizarmos toda a área de trabalho (caso não haja nenhuma outra janela aberta). Se o usuário não tiver interesse em utilizar o botão minimizar, basta d um ar clique sobre o botão da janela, para a mesma ser minimizada. Fechando janelas É o processo para finalizar um programa ou tarefa que está sendo executada por um programa Windows. É muito utilizado o botão fechar que é representado pela letra X. Restaurando janelas É a ação de reexibir uma janela minimizada ou trazê-la ao último tamanho do redimensionamento, ou seja, se o usuário redimensionou a janela para apresentação apenas dos ícones na mesma. Ao clicar no botão restaurar ela será visualizada no tamanho fornecido pelo último redimensionamento. Botão Fechar Além de utilzarmos o botão fechar podemos pressionar as teclas de atalho ALT + F4, ou um clique duplo no menu de controle e o menu arquivo. Quando uma janela está restaurada é possível visualizarmos parte da áre a de trabalho. Podemos utilizar o botão re staurar localizado na barra de título da janela. Veja figura abaixo. Clique duplo no menu de controle Botão Restaurar Se utilizarmos apenas um clique sobre o menu de controle o mesmo será aberto e apresentará a opção FECHAR. Podemos também, utilizar a tecla de atalho ALT + Barra de Espaço. Maximizando Janelas É o ato de expandir a janela ao tamanho máximo, ou seja, não será mais visualizada a área de trabalho. Informática Todos os direitos reservados ®. 43
  43. 43. Utilizando apenas um clique sobre o menu de controle ou a tecla de atalho. O recurso da tecla de atalho permite também mover, redimensionar (opção tamanho), maximizar e minimizar a janela. Duas Janelas abertas ao mesmo tempo Perceba que uma janela está sobreposta a outra, mas par organizá-las basta seguir o seguinte passo: ü Clicar com o botão direito do mouse sobre um local vazio da barra de tarefas ; Aparecerá o seguinte menu de atalho: Utilizando o menu arquivo para fechar a janela OBS: podemos fechar duas janelas ao mesmo tempo, basta dar um clique no botão da outra janela com a tecla CTRL pressionada (não é necessário que a janela esteja restaurada para esta ação funcionar). Menu de atalho da barra de tarefas As opções para organizar as janelas são: Janelas em Cascata, Janelas lado-a-lado horizontalmente e Janelas ladoa-lado verticalmente. Fechando duas ou m ais janelas ao mesmo tempo Veja as figuras janelas organizadas. Organizando Janelas exemplos Quando utilizamos mais de um programa é gerada uma “desorganização” muito grande. Mas no Windows podemos organizar as janelas para que as mesmas possam ser visualizadas de forma “agradável”. Vejamos na imagem abaixo um exemplo de duas janelas abertas ao mesmo tempo Janelas em cascata Informática Todos os direitos reservados ®. 44 das
  44. 44. Arquivo sendo enviado para a lixeira Mas não é preciso que o arquivo esteja armazenado no disquete, basta o usuário selecionar o item desejado e pressionando a tecla SHIFT + DELETE para que o mesmo seja excluído definitivamente. Janelas lado-a-lado horizontalmente Podemos alternar entre as janelas abertas através da seguinte tecla de atalho: ALT + TAB. Exclusão definitiva do arquivo Existem várias formas de exclusão de arquivos. Uma delas é arrastar o item desejado para cima do ícone da lixeira, ou clicar no botão excluir do Windows Explorer, ou botão direito do mouse em cima do item desejado. Janelas lado-a-lado verticalmente OBS: a tecla SHIFT funciona com todas as formas de exclusão. Lixeira É uma pasta de sistema que armazena todos os arquivos e pasta que foram excluídos pelo o usuário. Quando utilizamos o comando excluir dos programas em geral, todos os dados serão enviados para a lixeira (se o conteúdo pertencer ao disco rígido). Configurando a lixeira Podemos ativar ou desativar a lixeira ou até mesmo definir um novo tamanho percentual para a mesma. Mas atenção! Este tamanho depende da capacidade do disco rígido, ou seja, não existe um tamanho padrão de Bytes para a lixeira. Vejamos abaixo os passos para a configuração da lixeira: Ícone da lixeira ü Botão direito do mouse sobre o ícone da lixeira; ü Caso o usuário exclua um arquivo do disquete, o mesmo será excluir definitivamente. Por que a lixeira só armazena os dados do H.D. Clicar na opção propriedades; Aparecerá a seguinte caixa de diálogo: Informática Todos os direitos reservados ®. 45
  45. 45. Podemos esvaziar a lixeira apagando todos os itens definitivamente. Mas atenção! Antes de excluir o item desejado o usuário não poderá abrir o item que esta dentro da lixeira. Esvaziando a lixeira Será necessário o usuário abrir a lixeira e clicar no menu arquivo, opção esvaziar lixeira (não poderá estar nenhum item selecionado), Propriedades da lixeira A restauração dos arquivos armazenados na lixeira poderá ser solicitada a qualquer momento, pois a lixeira armazena os dados por tempo indeterminado. ü Abrir a lixeira com duplo clique, ou ü Selecionar a lixeira e ENTER; ü Clicar em cima do arquivo com o botão direito do mouse, ou ü Podemos pesquisar arquivos, pastas e computadores (estando em r ede) com grande facilidade. Basta sabermos um caractere (arquivos e pastas) ou o nome do computador (rede) para encontrá-los. Essa ferramenta era conhecida como LOCALIZAR nas versões anteriores ao Windows XP. Os procedimentos para a restauração do arquivo são: ü Ferramenta Pesquisar Selecionar o arquivo, menu arquivo e opção restaurar. Para acessar a ferramenta Pesquisar, basta clicar no botão iniciar e clicar na opção Pesquisar. Restaurando um arquivo com o botão direito do mouse Esse procedimento trará o arquivo para o local de origem, ou seja, do local onde o mesmo foi gravado. Mas podemos arrastar o item da lixeira para outro local, sendo assim, podemos destinar o arquivo para onde quisermos. Informática Todos os direitos reservados ®. Ferramenta Pesquisar Vejamos parte da janela dessa ferramenta em modo ampliado. 46
  46. 46. Opções para a pesquisa Perceba que podemos pesquisar diversos tipos de elementos como, por exemplo, músicas, documentos, computadores, etc. Itens da Opção Arquivos e Pastas Ao clicar na opção computadores e pessoas aparecerá a seguinte janela com as suas respectivas opções: Ao clicar na opção documentos aparecerá a seguinte janela com as suas respectivas opções: Itens da Opção Computadores e Pessoas Observamos que na ferramenta pesquisar é possível trabalharmos com critérios de pesquisa “avançados”, pois podemos definir o mês ou ano (da criação do arquivo), tamanho do arquivo (em bytes), tipo de arquivo (extensões), etc. Itens da Opção documentos Menu Executar Ao clicar na opção Todos os arquivos e pastas aparecerá a seguinte janela com as suas respectivas opções: Informática Todos os direitos reservados ®. do 47 Possibilita a abertura (execução) arquivo executável (programa) ou
  47. 47. arquivo de dados (textos, documentos, etc.) digitando o caminho (linha de comando) correto da localização do arquivo desejado. configurar o sistema, adicionar programas e impressoras, adicionar hardware, entre outros. Ele é capaz de alterar todas as características do sistema operacional Windows e até negar acesso aos usuários ao próprio painel de controle. Execução do aplicativo Excel Se o computador estiver em rede é possível solicitarmos um outro computador através do executar, basta digitar o caminho completo indicando a posição do computador na rede como, por exemplo, estação de trabalhopastaarquivos Painel de controle Esse menu também é utilizado para a instalação de programas. Os comandos padrão são: Vejamos alguns itens do painel de controle que são solicitados pelos concursos: ü D:install ou D:setup.exe => instalação a partir do CD-ROM; • ü A:install ou A:setup.exe => instalação a partir do disquete; Adicionar Hardware Esse item possibilita a instalação de um novo hardware através de um assistente (programa auxiliar) que auxilia o usuário na instalação do novo componente físico. Esse processo foi melhorado por conseqüência de um recurso do Windows denominado Plug and Play. Menu Documentos Recentes Armazena os últimos 15 arquivos que foram acessados pelo o usuário. É um ótimo atalho para a abertura de um arquivo. Atenção! Se o arquivo foi do disquete, será necessário que insira o disco novamente. Atualmente o usuário não precisa ter conhecimentos técnicos avançados. • Adicionar ou programas remover Essa opção permite a instalação e desinstalação dos softwares do computador. Além da sua função principal o mesmo é capaz de adicionar ou remover componentes do Windows, definir acesso aos programas (colocar um acesso restrito a um determinado programa) e criar discos de inicialização (disco de boot). Menu documentos Painel de Controle O programa painel de controle é um do Windows que permite Informática Todos os direitos reservados ®. 48
  48. 48. Adicionar ou remover programas • Propriedades da data e hora Barra de Tarefas e Menu Iniciar OBS: podemos atualizar a data e hora através do duplo clique s obre o relógio da barra de tarefas. É utilizado para ativar as propriedades da barra de tarefas, para configurarmos os itens do menu iniciar e da barra de tarefas como, por exemplo, desativar o relógio da barra. • Fontes Permite a instalação de novas fontes para os aplicativos instalados no computador. Por exemplo, uma gráfica normalmente instala várias fontes no computador, pois a mesma necessita utilizar uma grande quantidade de fontes que o Windows não possui. Propriedades da barra de tarefas • Data e hora Janela Fontes Permite atualizar a data/hora do sistema operacional, além de ajustar o horário automaticamente para horário de verão e a atualização sincronizada com a microsoft (atualizar a data e a hora através do site da microsoft). • Mouse Permite alterar as propriedades do mouse (comandos padrão – destro e canhoto) admitindo uma melhor comodidade ao usuário. Também podemos definir recursos de velocidade do ponteiro bem como configurá-lo para monitores de cristal líquido. Informática Todos os direitos reservados ®. 49
  49. 49. Opções de Acessibilidade Propriedades do mouse • • Impressoras Opções da Internet Podemos instalar uma ou mais impressoras definindo apenas um como padrão (ativação da impressora padrão a ser utilizada pelos programas quando solicitado o comando imprimir), o gerenciamento da impressão (pausar a impressão ou cancelar a mesma) e a remoção da impressora. Ativa as opções da Internet encontrado no menu ferramentas do Internet Explorer para definirmos a página inicial, limpar o histórico, etc. Assunto que será abordado na Internet. Janela de instalação das impressoras Propriedades da Internet • • Opções de Acessibilidade Opções de energia É utilizado para a economia de energia elétrica desligando o monitor e/ou computador em um determinado período de tempo (minuto ou horário programado pelo o usuário). Permite configurar o computador para os deficientes visuais, auditivos e/ou motores para utilização do mesmo. Esse recurso é apropriado para notebook e handheld para “aumentar” a Informática Todos os direitos reservados ®. 50
  50. 50. ü Botão iniciar; ü Painel de controle; ü durabilidade da bateria desses tipos de computadores. 1 clique duplo em opções regionais e de idioma; ü ü 1 clique sobre o botão detalhes; ü 1 clique sobre o botão adicionar; ü Selecionar o idioma de entrada; ü Selecionar o Layout do teclado. • Vídeo É utilizado para configurarmos o tema (antigo “temas para área de trabalho” do Win98), área de trabalho (papel de parede e itens da área), proteção de tela, aparência do Windows (esquema de cores) e configurações da placa de vídeo (resolução). Propriedades de Opções de energia • 1 clique na guia idiomas; Opções Regionais e de Idioma A novidade no Windows XP em relação aos seus antecessores é porque podemos ocultar alguns itens da área de trabalho como Meus Documentos, Meu Computador, Meus Locais de Rede e Internet Explorer. Permite a configuração dos padrões e formato do idioma referente ao país em que o sistema operacional foi desenvolvido. Através desse recurso podemos formatar a data e hora, moeda, números e até mesmo o teclado (novidade em relação ao Windows 9.x) Propriedades de Vídeo Vejamos os passos para ocultar/exibir os itens da área de trabalho. ü Vejamos configuração do Layout). Informática Todos os direitos reservados ®. 1 clique duplo em vídeo; ü 51 Painel de controle; ü os passos para a teclado (alteração do Botão iniciar; ü Opções regionais e de Idioma 1 clique na guia área de trabalho;

×