Ecologia	
  e	
  comportamento	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
da	
  capivara

Ka#a	
  Ferraz	
  –	
  ESALQ/USP
Quarta...
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Problemas	
  com	
  capivaras	
  relacionados	
  às	
  
áreas	
  alteradas	
  (antrópicas)	
  !
Quarta-feira, 16 de Outubr...
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Habitat	
  ó4mos!

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
A	
  capivara	
  em	
  um	
  contexto	
  de	
  paisagem

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
A	
  capivara	
  em	
  um	
  contexto	
  de	
  paisagem

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Dinâmica	
  populacional?
Formação	
  de	
  grupos?
Uso	
  de	
  recursos	
  e	
  do	
  espaço?

Quarta-feira, 16 de Outub...
Caracterização	
  da	
  situação	
  -­‐	
  diagnósFco

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
DiagnósFco	
  inicial	
  (2003/2004)

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
DiagnósFco	
  inicial	
  (2003/2004)

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Monitoramento

Fundamental	
  para	
  manejo

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
A	
  capivara	
  em	
  um	
  contexto	
  de	
  paisagem

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
• Ausência	
  de	
  predadores
• Baixa	
  pressão	
  de	
  caça
• Habitats	
  óFmos	
  (alta	
  capacidade	
  de	
  suport...
Habitat	
  natural

Llanos,	
  Venezuela

Pantanal,	
  Brasil
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Habitat	
  antrópico

Habitat	
  agrícola

Habitat	
  urbano

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Habitat	
  antrópico

Habitat	
  agrícola

Habitat	
  urbano

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13

ELEMENTO
HUMANO
A	
  capivara	
  em	
  um	
  contexto	
  de	
  paisagem

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Habitat	
  ó4mos!

Grandes	
  grupos
Altas	
  taxas	
  reproduFvas
“RelaFva”	
  proteção
Estreita	
  proximidade	
  humana...
Situação	
  
de	
  conflito...

Potencial de adaptação
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Vizinhança	
  indesejada	
  
O	
  ambiente	
  alterado	
  pelo	
  homem	
  transforma	
  a	
  capivara	
  numa	
  praga
22...
Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

DOMESTICAÇÃO	
  –	
  grande	
  proximidade	
  com	
  o	
  homem
Quarta-feira, 16 de Outubro de...
Potencial	
  de	
  adaptação
• Grande	
  herbívoro	
  com	
  pouca	
  exigência	
  
ambiental	
  (habitat	
  e	
  recursos...
Hábitos	
  alimentares

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13

Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

Herbívo...
Recursos	
  alimentares	
  –	
  ambiente	
  natural
• Gramíneas	
  de	
  alto	
  valor	
  protéico	
  

Panicum laxum
Hyme...
Recursos	
  alimentares	
  –	
  ambiente	
  antrópico
• Culturas	
  agrícolas	
  –	
  dano	
  agrícola

Milho

Outros	
  i...
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

Foto...
Foto:	
  Gabriel	
  Brejão

Como	
  minimizar	
  
o	
  impacto	
  da	
  
capivara?

Como	
  resolver	
  o	
  problema	
  d...
Ações	
  a	
  curto	
  
prazo....	
  .....medidas	
  apenas	
  
paliaFvas	
  (não	
  resolvem	
  os	
  

Foto:	
  Alex	
  ...
Atenção	
  para	
  não	
  ocasionar	
  outros	
  
impactos!
Isolamento	
  de	
  APP
Fluxo	
  gênico

Quarta-feira, 16 de O...
Ações	
  com	
  resultados	
  a	
  médio-­‐longo	
  prazo....

ADEQUAÇÃO AMBIENTAL
Plantio de vegetação ciliar na margem d...
Ações	
  com	
  resultados	
  a	
  médio-­‐longo	
  prazo....

Manejo	
  de	
  controle	
  
da	
  capivara
(se	
  necessár...
ATENÇÃO
Manejo	
  (reFrada	
  de	
  indivíduos)	
  esFmula	
  crescimento	
  da	
  população!
Quarta-feira, 16 de Outubro ...
Ações	
  com	
  resultados	
  a	
  médio-­‐longo	
  prazo....

PLANO	
  DE	
  AÇÃO
Workshop capivara-carrapato-febre
macul...
Manejo
reprodutivo

Resultados	
  esperados

tempo

t0
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13

t1

t2

T3...n
Manejo
reprodutivo

Resultados	
  esperados

tempo

t0
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13

t1

t2

T3...n
Manejo
reprodutivo

Resultados	
  esperados

Riquetsemia!

Sem susceptíveis -> estabiliza circulação de riquetsia -> menor...
Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
O	
  que	
  necessitamos?
• Implementação	
  de	
  diagnósFcos	
  e	
  programas	
  
de	
  monitoramento	
  connnuos
• Abo...
Desafio
Diagnóstico e
Monitoramento
Populacional

Ações
Abordagem	
  
experimental

Avaliação
do impacto

População
problem...
Agradecimentos
• Prof.	
  Tarcízio	
  Antonio	
  Rêgo	
  de	
  Paula,	
  UFV
• Prof.	
  Marcelo	
  Labruna,	
  FMVZ/USP
• ...
OBRIGADA!

KaFa	
  Ferraz
(kaFa.ferraz@usp.br)

Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ecologia e comportamento da capivara

875 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
875
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ecologia e comportamento da capivara

  1. 1. Ecologia  e  comportamento                   da  capivara Ka#a  Ferraz  –  ESALQ/USP Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  2. 2. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  3. 3. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  4. 4. Problemas  com  capivaras  relacionados  às   áreas  alteradas  (antrópicas)  ! Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  5. 5. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  6. 6. Habitat  ó4mos! Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  7. 7. A  capivara  em  um  contexto  de  paisagem Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  8. 8. A  capivara  em  um  contexto  de  paisagem Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  9. 9. Dinâmica  populacional? Formação  de  grupos? Uso  de  recursos  e  do  espaço? Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  10. 10. Caracterização  da  situação  -­‐  diagnósFco Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  11. 11. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  12. 12. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  13. 13. DiagnósFco  inicial  (2003/2004) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  14. 14. DiagnósFco  inicial  (2003/2004) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  15. 15. Monitoramento Fundamental  para  manejo Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  16. 16. A  capivara  em  um  contexto  de  paisagem Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  17. 17. • Ausência  de  predadores • Baixa  pressão  de  caça • Habitats  óFmos  (alta  capacidade  de  suporte) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  18. 18. Habitat  natural Llanos,  Venezuela Pantanal,  Brasil Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  19. 19. Habitat  antrópico Habitat  agrícola Habitat  urbano Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  20. 20. Habitat  antrópico Habitat  agrícola Habitat  urbano Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 ELEMENTO HUMANO
  21. 21. A  capivara  em  um  contexto  de  paisagem Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  22. 22. Habitat  ó4mos! Grandes  grupos Altas  taxas  reproduFvas “RelaFva”  proteção Estreita  proximidade  humana Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 CONFLITO
  23. 23. Situação   de  conflito... Potencial de adaptação Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  24. 24. Vizinhança  indesejada   O  ambiente  alterado  pelo  homem  transforma  a  capivara  numa  praga 22/09/2009  -­‐  14:44 Terra  da  Gente  -­‐  Maura  Campanili Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  25. 25. Foto:  Gabriel  Brejão DOMESTICAÇÃO  –  grande  proximidade  com  o  homem Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  26. 26. Potencial  de  adaptação • Grande  herbívoro  com  pouca  exigência   ambiental  (habitat  e  recursos  alimentares) • Alta  capacidade  reproduFva • Sem  predadores  naturais • Grande  oferta  de  alimento  (itens  agrícolas) • Grande  disponibilidade  de  novos  habitats   (açudes  arFficiais) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  27. 27. Hábitos  alimentares Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 Foto:  Gabriel  Brejão Foto:  Gabriel  Brejão Herbívoro Pastador  (grazer) Comportamento  alimentar  sazonal SeleFvo  quando  há  disponibilidade Generalista  em  épocas  de  escassez Foto:  Gabriel  Brejão • • • • •
  28. 28. Recursos  alimentares  –  ambiente  natural • Gramíneas  de  alto  valor  protéico   Panicum laxum Hymenachne amplexicaulis Leersia hexandra Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  29. 29. Recursos  alimentares  –  ambiente  antrópico • Culturas  agrícolas  –  dano  agrícola Milho Outros  itens:  arroz,  banana,  abóbora,  etc. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 Cana-de-açúcar
  30. 30. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 Foto:  Gabriel  Brejão Foto:  Gabriel  Brejão Foto:  Gabriel  Brejão Foto:  Gabriel  Brejão • Plantas  de  área  de  mata  –  dano  ambiental
  31. 31. Foto:  Gabriel  Brejão Como  minimizar   o  impacto  da   capivara? Como  resolver  o  problema  da  alta   densidade  populacional  de  capivaras   em  áreas  antrópicas? Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  32. 32. Ações  a  curto   prazo....  .....medidas  apenas   paliaFvas  (não  resolvem  os   Foto:  Alex  Bovo problemas  associados  às  altas   densidades) sinalização Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 Foto:  Alex  Bovo Foto:  Alex  Bovo Foto:  Alex  Bovo Implantação  de  barreiras  msicas
  33. 33. Atenção  para  não  ocasionar  outros   impactos! Isolamento  de  APP Fluxo  gênico Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  34. 34. Ações  com  resultados  a  médio-­‐longo  prazo.... ADEQUAÇÃO AMBIENTAL Plantio de vegetação ciliar na margem dos corpos d’água substituindo as culturas agrícolas e pastagens ↓ Capacidade de suporte do habitat ↓ Densidade de capivaras ↓ Situação de conflito Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  35. 35. Ações  com  resultados  a  médio-­‐longo  prazo.... Manejo  de  controle   da  capivara (se  necessário) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 Atenção  especial  às  áreas   endêmicas  à  febre   maculosa!
  36. 36. ATENÇÃO Manejo  (reFrada  de  indivíduos)  esFmula  crescimento  da  população! Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  37. 37. Ações  com  resultados  a  médio-­‐longo  prazo.... PLANO  DE  AÇÃO Workshop capivara-carrapato-febre maculosa (2012) Diretrizes - Portaria da USP (2013) MANEJO DE CONTROLE REPRODUTIVO DA CAPIVARA (2013 - ) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  38. 38. Manejo reprodutivo Resultados  esperados tempo t0 Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 t1 t2 T3...n
  39. 39. Manejo reprodutivo Resultados  esperados tempo t0 Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 t1 t2 T3...n
  40. 40. Manejo reprodutivo Resultados  esperados Riquetsemia! Sem susceptíveis -> estabiliza circulação de riquetsia -> menor risco de infecção humana Infecção humana tempo t0 Quarta-feira, 16 de Outubro de 13 t1 t2 T3...n
  41. 41. Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  42. 42. O  que  necessitamos? • Implementação  de  diagnósFcos  e  programas   de  monitoramento  connnuos • Abordagem  experimental  e  busca  de   alternaFvas • Maior  interação/colaboração  entre   especialistas  de  áreas  disFntas  –  abordagem   mulFdisciplinar • Proposta  de  um  Plano  de  Manejo  Regional Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  43. 43. Desafio Diagnóstico e Monitoramento Populacional Ações Abordagem   experimental Avaliação do impacto População problema Minimização dos impactos ocasionados -­‐  Manejo  do  ambiente        (adequação  ambiental) -­‐  Manejo  da  espécie      (manejo  de  controle) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  44. 44. Agradecimentos • Prof.  Tarcízio  Antonio  Rêgo  de  Paula,  UFV • Prof.  Marcelo  Labruna,  FMVZ/USP • Luana  Amorim • João  Carlos  Z.  Gebin • Adriano  Pinter,  SUCEN • LEMaC/LCF/ESALQ/USP • Departamento  de  Ciências  Florestais,  ESALQ/USP • Diretoria  da  ESALQ • Prefeitura  do  campus  “Luiz  de  Queiroz”  (PUSP) • Plano  Diretor  Sócio-­‐Ambiental  do  campus  LQ • Superintendência  de  Gestão  Ambiental  (SGA/USP) • Secretaria  de  Estado  do  Meio  Ambiente  de  São  Paulo • SUCEN Quarta-feira, 16 de Outubro de 13
  45. 45. OBRIGADA! KaFa  Ferraz (kaFa.ferraz@usp.br) Quarta-feira, 16 de Outubro de 13

×