Apostila de esportes

3.552 visualizações

Publicada em

Formação de Educação Física para professores da Rede Municipal de Araucária realizado em 14 de Maio de 2013 com o Tema: Novas possibilidades de esportes escolares.
Coordenação Professor Cassio Trevisan

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.552
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
181
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila de esportes

  1. 1. APOSTILA DE ESPORTES Formação de Educação Física Maio 2013 Cassio Trevisan
  2. 2. CARACTERÍSTICAS DOS ALUNOS NAS DIFERENTES FAIXAS ETÁRIAS Faixa etária: 10 a 12 anos *Período desigual no crescimento. *Maior velocidade, são ideiais as corridas de revezamento. *Querem jogos mais vigorosos, de maior coordenação motora e rapidez de reação. *Gosto imenso por trabalhos em grupo e em equipes. *Aceita regras mais complicadas. *Aumenta a resistência ao cansaço e a fadiga. *Importante período de desenvolvimento intelectual. Atividades adequadas: • Trabalhar destrezas mais acentuadas. • Iniciação esportiva: alcanço da forma técnica inicial. • Jogos competitivos, por equipe, constituem o centro de atração deste nível. • Exercícios de velocidade, por permitirem a descarga de energia e agressividade. Faixa etária: a partir de 12 – 13 anos • Período de difícil caracterização pela chegada da puberdade. • Após um período de crescimento lento, ela se vê surpreendida pelo aumento de peso e por muitas mudanças corporais. • O desenvolvimento rápido traz-lhe, frequentemente, a sensação de cansaço. Atividades adequadas: • Requer atividades que exigem mais habilidades. • Como tem boa memória e atenção prolongada, aplicam-se atividades com regras mais complexas. • Mostram-se dispostos a “sacrifícios pelo bem da equipe”.
  3. 3. • Os meninos preferem atividades mais violentas, que ofereçam oportunidade de desenvolver força, a agilidade e a resistência. • As meninas apreciam atividades mais delicadas. • Os jogos devem exigir esforço mental e desenvolver atitudes sadias em relação à saúde, ao grupo e ao sexo oposto. Sugestão de Esportes Por que trabalhar o esporte Dodgeball no 6ºAno (10 e 11 anos ). • Familiaridade com o caçador ou a queimada. • Variação de um esporte. • Maior participação dos grupos. • Regras permitem meninos e meninas jogarem juntos. • Gosto pelas atividades em grupo. • Facilidade das regras, porém mais amplas que a do caçador. • Possibilidade de trabalhar mídia e esporte (por estar no contexto de um filme) • Possibilidade de trabalhar agilidade, estratégias, trabalho em equipe. • Esporte que envolve maior coordenação motora e rapidez de reação. • Materiais e espaços acessíveis para a elaboração da aula. Pode ser utilizada a quadra de Vôlei ou espaço livre demarcado com corda ou fita. História e Regras do Dodgeball Uma breve história do Dodgeball O Dodgeball é um jogo que surgiu por volta de 4000 anos antes de Cristo, criado por chineses, que ao invés de usarem uma bola de borracha, jogavam cabeças decapitadas nos outros. Ainda bem que o negócio evoluiu e o Dodgeball, no ano de 1833, através de Hagerson Augustus, foi modernizado e acabou tornando-se o jogo como conhecemos hoje. Muito praticado nos Estados Unidos, o Dodgeball possui competições oficiais, do qual, todas elas são regidas pela National Amateur Dodgeball Association (NADA). Aqui no Brasil, este esporte não é oficial, porém, é muito praticado nas escolas. Nas diversas regiões do país, o Dodgeball recebe vários nomes como, por exemplo, “Jogo da Queimada” e “Caçador”. A quadra de Dodgeball
  4. 4. A quadra de Dodgeball tem formato retangular e mede 65 metros de comprimento por 30 metros de largura, dividida em duas partes iguais por uma linha de centro e pelas linhas de ataque (linhas pontilhadas da foto) de 3 metros, paralelas à linha central. A bola oficial de Dodgeball possui 20,32 centímetros de diâmetro, revistada de borracha especial que não machuca os jogadores. As equipes Cada equipe no Dodgeball é composta de 6 a 10 jogadores, sendo que, seis deles estarão em quadra e os outros quatro serão os reservas. Para iniciar uma partida, cada equipe deve ter no mínimo quatro jogadores em quadra. Os reservas somente poderão entrar na partida durante o tempo limite de jogo ou em caso de lesão. Importante ressaltar que cada equipe deve ter o mesmo número de homens e mulheres no mesmo jogo. O jogo de Dodgeball começa com os seis jogadores de cada equipe colocados atrás da linha do fundo da quadra, tocando a parede com as mãos. Quando o juiz sinalizar o início do jogo, os jogadores de ambas as equipes correm em direção da linha central de quadra onde estarão colocadas 6 bolas, no qual, os jogadores pegam para dar início a partida. Assim que os jogadores pegam a bola, eles não podem jogar contra o adversário sem antes estarem atrás da linha de ataque (linha pontilhada da quadra). O objetivo do Dodgeball é eliminar todos os jogadores adversários de quadra. Isto pode acontecer da seguinte maneira: 1) Acertar a bola no adversário abaixo da linha dos ombros. 2) Pegar a bola sem a deixar cair no chão, eliminando assim o arremessador. 3) Ser atingido na cabeça pelo arremessador faz com que o mesmo seja eliminado. Uma observação bastante importe é que quando o jogador consegue agarrar a bola sem a deixar cair no chão, além de eliminar o arremessador, pode trazer de volta um jogador da sua equipe, caso este esteja fora de jogo. Durante o jogo, todos os jogadores devem permanecer em suas áreas, ou seja, os que ficam mais ao fundo da quadra só poderão sair deste espaço se for para recuperar uma bola perdida. Nenhum jogador pode pisar sobre a linha central. O arremesso só pode ser feito antes da linha de ataque (linha pontilha da foto mais acima). A primeira equipe que eliminar todos os jogadores adversários será declarada a vencedora. Na partida, serão dados 5 minutos de limite de tempo e se nenhuma destas equipes for
  5. 5. totalmente eliminada até o final destes 5 minutos, o time que tiver mais jogadores em quadra é o vencedor. No caso das duas equipes terem o mesmo número de jogadores, uma prorrogação com morte súbita de 1 minuto é realizada com os restantes dos jogadores em quadra e o primeiro que conseguir eliminar um adversário é o vencedor. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS - SITE: National Amateur Dodgeball Association - http://www.dodgeballusa.com/ - SITE: National Dodgeball League - http://www.thendl.com/ - SITE: National College Association - http://www.ncdadodgeball.com/ Por que trabalhar o esporte Futsac no 7ºAno (11 e 12 anos ). O Futsac é um esporte simples nas suas regras, onde mistura conceitos e fundamentos de vários esportes e exige muito a coordenação motora e rapidez de reação. Este esporte apresenta uma dificuldade inicial a seus praticantes, porém com algumas aulas é possível ter rápido avanço e se chegar a um nível básico de habilidade. O material utilizado tem baixo custo e pode ser utilizado em espaços alternativos. Jogos competitivos, individual ou em duplas, constituem o centro de atração deste nível. Os jogos em rodas permite a melhoria da técnica para execução dos movimentos e a integração. História do Futsac O Futebol de Saco, ( também referido pelo acrônimo Futsac) é uma modalidade de esporte criada em Curitiba no Paraná pelo curitibano Marcos Juliano Ofenbock. Marcos Juliano começou a desenvolver o esporte em 2002, a idéia veio em 1998 em um intercâmbio na Austrália quando conheceu o Footbag, um esporte em que a pessoa faz malabarismos com os pés, com uma pequena bolinha cheia de pequenos grãs plásticos. No Brasil, Marcos Juliano começou a adaptar a bolinha de Footbag para um jogo mais competitivo e inicialmente batizou o esporte de footsack, termo este que viria a abrasileirar-se como Futsac inclusive começou a costurar as primeiras bolinhas de Futsac. O primeiro campeonato de Futsac aconteceu em 2007 em Curitiba no PR.
  6. 6. No ano de 2008 o Futsac foi reconhecido pela prefeitura de Curitiba, como um esporte oficialmente criado na cidade e o primeiro campeonato nacional foi realizado com atletas do Paraná e Santa Catarina. Em 2009 foi criada a Federação Paranaense de Futsac e o esporte começou a ser mais difundido na cidade de Curitiba. Em 2010 foram construídas as primeiras quadras públicas de Futsac no Parque Barigui em Curitiba. Em 2011 foi realizada uma cerimônia oficial nestas quadras públicas para reconhecimento do Futsac como um esporte oficialmente Paranaense. Em 2012 foi criada a Confederação Brasileira de Futsac - CBFSAC, com sede na cidade de Curitiba e o esporte se preparara para ser oficialmente reconhecido pelo ministério do Esporte, como um esporte oficialmente brasileiro. Fonte: http://www.futsac.com/futsac/historia#sthash.UpPzrduV.dpuf Por que trabalhar o esporte Orientação no 8ºAno (12 e 13 anos ). • A orientação exige habilidades de leitura e interpretação de mapas, fazendo a corrida algo novo, interessante e motivante. • Este esporte tem regras mais complexas, exigindo um aprimoramento intelectual e até a interdiscipinariedade com a geografia, matemática, português. • Pode ser realizado individual ou em equipes, inclusive com grupos mistos. O que é Corrida de Orientação? A Corrida de Orientação, ou simplesmente ORIENTAÇÃO é uma moderna modalidade desportiva que usa a própria natureza como campo de jogo. É um desporto em que o praticante tem que passar por pontos de controle (PCs) marcados no terreno, no menor tempo possível, com o auxilio de um mapa e de uma bússola. Cada praticante escolhe o seu ritmo em função dos desafios que determinou. O início da competição Na partida, cada praticante recebe um mapa onde estão marcados pequenos círculos que correspondem aos PCs, que são materializados no terreno por “prismas” (quadrados de 30 cm de lado em tecido, metade na cor laranja e metade na cor branca), que estão acompanhados de um pequeno picotador. Recebe
  7. 7. também um cartão de controle onde comprova a sua passagem por cada PC através da marca (picote) feito com o auxílio do picotador. O mapa de Orientação O mapa de orientação é um mapa topográfico detalhado, onde é traçado o percurso que o atleta tem que percorrer e são locados precisamente todos os detalhes da vegetação, relevo, hidrografia, rochas e construções feitas pelo homem etc. O percurso de orientação O percurso de orientação é constituído do triângulo de partida, PCs e chegada. Entre os PCs, que são locados precisamente no terreno e equivalentemente no mapa, estão as pernadas do percurso, nas quais o competidor deverá orientar-se. As características do esporte A característica própria do desporto Orientação é escolher e seguir a melhor rota por um terreno desconhecido contra o relógio. Isto exige habilidades tais como: leitura precisa do mapa, avaliação e escolha da rota, uso da bússola, concentração sob tensão, tomada de decisão rápida, corrida em terreno natural variado, manutenção do controle da distância percorrida etc. A escolha do itinerário entre os PCs é uma opção do próprio praticante. Cada PC é uma meta a ser atingida e simultaneamente, a partida para um novo desafio. Cruzando campos, córregos e matas, o praticante sente-se parte integrante do espaço que percorre. A velocidade de movimento tem que ser acompanhada pela velocidade de raciocínio para ler o mapa e interpretar a sua relação com o terreno, ponderar sobre as várias opções de itinerário e decidir! As regras básicas · Passar por todos os pontos de controle; na seqüência estabelecida. · Marcar corretamente o cartão de controle; · Preservar a natureza. As modalidades As regras oficiais do esporte orientação regulam as seguintes modalidades: 1.Orientação Pedestre: é uma modalidade de resistência, em que o competidor utiliza um mapa e uma bússola durante o seu deslocamento a pé.
  8. 8. 2.Orientação em Bicicleta (MTB-O): nesta modalidade, utilizando o mapa e a bússola, o competidor faz seus deslocamentos com uma bicicleta. 3.Orientação em Ski: é uma modalidade de inverno, onde utilizando o mapa e a bússola, o competidor desloca-se com esquis para neve. 4.Trail Orienteering (Orientação para portadores de necessidades especiais motoras): é uma modalidade voltada para os portadores de necessidades especiais e baseia-se na interpretação precisa do mapa. Um pouco de história A Orientação teve início por volta de 1918, na Suécia, quando o major ERNST KILLANDER, organizou os primeiros percursos e competições. O esporte estendeu-se pela Europa, principalmente nos países nórdicos, passando a ser matéria obrigatória para as crianças suecas em 1942. Em 1961, em Copenhague, foi fundada a Internacional Orienteering Federation (IOF), hoje com sede em Helsinque na Finlândia, tendo mais de cinqüenta países filiados, inclusive o Brasil. Em 1977, a Orientação foi reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), como esporte olímpico, embora ainda não tenha sido incluída como prova integrante dos Jogos Olímpicos. No Brasil, a Orientação só chegou na década de setenta, por intermédio das Forças Armadas, que percebendo as vantagens do esporte para o treinamento militar logo a adotaram, sendo a mesma desde 1974, matéria curricular na Escola de Educação Física do Exército. Porém, a orientação só começou a desenvolver-se efetivamente como esporte aberto ao público em geral, em 1986, quando foi realizada a primeira competição oficial de Orientação no Brasil, o I Campeonato Metropolitano de Corrida de Orientação de Curitiba, realizado no Parque Barigüi. Em dezembro de 1996, na cidade de São José dos Campos, SP, foi realizado o I Troféu Brasil de Orientação, com a participação da elite do esporte àquela época. A partir deste evento, ampliou-se o número de Clubes e Federações do Brasil, o que permitiu que se concretizasse no dia 11 de janeiro de 1999, a fundação da Confederação Brasileira de Orientação (CBO). A partir daí, o esporte cresceu e hoje também é disciplina em Universidades como a Federal de Santa Maria e a Federal do Rio de Janeiro e em algumas escolas do ensino fundamental e médio, destacando-se, no Brasil, o município de Cachoeira do
  9. 9. Sul- RS, que a implementou no currículo escolar da rede municipal. Hoje chegamos ao expressivo número de mais de quatrocentos mil praticantes em todo o mundo, filiados a mais de cinco mil clubes em vinte e sete países, nos cinco continentes. Isto se considerarmos somente os atletas filiados aos clubes ou entidades de prática, regularmente cadastrados nos países filiados à IOF. As Instituições de administração do esporte A Confederação Brasileira de Orientação (CBO), com sede em Santa Maria – RS, é a instituição nacional de administração do esporte orientação, foi fundada em 11 de janeiro de 1999 em Guarapuava – PR, e conta hoje com seis Federações Estaduais, mais de setenta clubes e entidades de prática e mais de quatro mil atletas filiados. Fonte: Federação de Orientação de São Paulo (fosp) Por que trabalhar o esporte Ultimate Frisbee no 8ºAno (13 e 14 anos ). Esporte coletivo estimulante, onde podem participar meninos e meninas juntos. Pode ser praticado em várias faixas etárias, porém no 9º ano o aluno pode ser estimulado ao senso de justiça devido ao fato do esporte não possuir árbitro e os conflitos serem mediados pelos próprios alunos. Envolve habilidades pouco exploradas na Educação Física, com material de baixo custo e grande interação. Ultimate Frisbee em 10 regras simples. Para o pessoal que está começando, sempre é válido lembrar as 10 regras simples para se jogar ultimate segundo a UPA (Associação de Jogadores de Ultimate). Aí vão: 1. O Campo: Espaço retangular com endzones em nas extremidade. Uma medida oficial de campo é de 70m por 40m com endzones 25m de profundidade. 2. Iniciando o jogo: Cada ponto inicia-se com as duas equipas alinhadas dentro de seus respectivos endzones . o time na defesa joga do disco para o time que ataca (pull). Cada equipe têm sete jogadores em campo. 3. Pontuando: Cada vez que o time completar um passe, pra dentro da endzone do adversário, marca um ponto. Uma nova jogada é iniciada após cada pontuação. 4. Movimento do disco: O disco pode ser lançado em qualquer direção, completando um passe para um companheiro. Os jogadores não podem correr com o disco. A pessoa com o disco (passador), tem dez segundos para jogar o disco. O defensor que marca esse passador(marcador) conta esses 10 segundos. 5. Mudança de posse (turnover): Quando um passe não foi concluído (por exemplo, foi para fora do campo, caiu, ou foi interceptado), a defesa imediatamente toma posse do disco e se torna ataque.
  10. 10. 6. Substituições: Os jogadores não podem ser substituídos durante o jogo, apenas depois de uma pontuação ou por uma lesão. 7. Sem contato: Não é permitido o contato físico entre os jogadores. Corta-luz é igualmente proibido. Uma falta ocorre quando o contato é feito. 8. Faltas: Quando um jogador inicia um contato com outro a falta ocorre. Quando uma falta interrompe a posse, o jogo recomeça como se a posse tivesse se mantido. Quanto a falta não prejudica a posse, o jogo continua normalmente (play-on). Se o jogador que cometeu a infração discordar da falta chamada, a jogada volta. 9. Auto-arbitragem: Os jogadores são responsáveis por sua própria falta e chamadas. Jogadores também resolvem seus próprios conflitos com discussões breves. 10. Espírito do Jogo: Ultimate é um jogo de lealdade e fair-play. A competitividade é incentivada, mas nunca em detrimento da relação entre os jogadores, a adesão às regras, bem como a alegria de jogar. Postado por LocoUltimate-DU às 08:38

×