Formação de intercessão

2.064 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.064
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formação de intercessão

  1. 1. RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICAENCONTRO DIOCESANO DE FORMAÇÃO MINISTÉRIO DE INTERCESSÃO
  2. 2. Apresentação• Apresentação do Formador• Desenvolvimento:• Busca de Santidade;• Noção do Pecado;• Elementos do Pecado;• Classes do Pecado;• A Salvação de Jesus.
  3. 3. Buscar a Santidade: Abandonar o Pecado• INTRODUÇÃO “Nele (Jesus), Ele nos escolheu antes dafundação do mundo, para sermos santos eirrepreensíveis, diante d’Ele no amor. Ele nospredestinou para sermos seus filhos adotivos por JesusCristo, conforme o beneplácito da sua vontade...E é pelo sangue deste (Jesus) que temos a redenção, aremissão dos pecados, segundo a riqueza de suagraça...” (Ef 1, 4-7). Ser santo e irrepreensível é a meta de todobatizado (cf. 1 Ts 4,3ss)
  4. 4. • DESENVOLVIMENTOI – Noção de Pecado• Pecamos quando damos consentimento à tentação, por nossa livre vontade.• O pecado é ofensa a Deus:“Pequei contra ti, só contra ti pequei o que é mauaos vossos olhos” (Sl 50,6). O pecado ergue-se contra o amor de Deus pornós e desvia dEle os nossos corações. O pecado éuma desobediência , revolta contra Deus, porvontade de tornar-se “como deuses”, conhecendo edeterminando o bem e o mal (Gn 3,5). O pecadoé, portanto, amor de si mesmo até o desprezo deDeus.
  5. 5. I Jo 2,15-17 – “Não ameis o mundo nem as coisasdo mundo. Se alguém ama o mundo. Não está neleo amor do Pai. Porque tudo o que há no mundo – aconcupiscência da carne, a concupiscência dos olhose a soberba da vida – não procede do Pai, mas domundo.”A concupiscência entrou no mundo peladesobediência de Adão e Eva à Palavra de Deus (Gn3,1-13).1) Concupiscência da Carne (prazer) – “era bom para comer”2) Concupiscência dos olhos (possuir) – “de agradável aspecto”3) Soberba da vida (poder) – “muito apropriado para abrir a inteligência...”
  6. 6. Jesus foi tentado no deserto para onde foiconduzido pelo Espirito Santo, portantonão achemos que ser cheio do EspiritoSanto é estar “vacinado” contra atentação, mas é receber de Deus os meiospara resistir a ela (cf. I Cor 10,13)
  7. 7. “É justamente na Paixão do Senhor Jesus que amisericórdia de Deus vai vencer opecado, quando este manifesta melhor suaviolência e multiplicidade: incredulidade, ódioassassino, rejeição e zombarias por parte doschefes do povo, covardia de Pilatos e crueldadedos soldados, traição de Judas tão dura aJesus, negação de Pedro e abandono da partedos discípulos. Mas, na própria hora das trevas edo príncipe deste mundo, o sacrifício de Cristo setorna a fonte de onde brotará inesgotavelmenteo perdão de nossos pecados” (cf. Catec. 1851)
  8. 8. O pecado é nosso inimigo número 1. omundo e os outros só são inimigo em função dopecado. O demônio leva as pessoas a pecar.Inferno é o inimigo fora de nós e o pecado é oinimigo dentro de nós. Por vivermos no mundo sem sermosdele, sofremos as tentações, mas podemosresistir pedindo sempre a Efusão do EspiritoSanto, para que a graça atual venha nosfortalecer e assim não cairmos em tentaçãocomo pedimos no Pai Nosso.
  9. 9. Elementos do Pecado• O pecado é um transgressão voluntária da Lei de Deus:a) Matéria proibida;b) Advertência por parte da consciência;c) Consentimento/aceitação por parte da vontade.“É pecado mortal todo pecado que tem comoobjeto uma matéria grave e que é cometido complena consciência e deliberadamente.”
  10. 10. O pecado mortal requer plenoconhecimento e pleno consentimento. O pecadomortal é uma responsabilidade radical daliberdade humana e envolve um consentimentosuficientemente deliberado para ser umaescolha pessoal. A ignorância afetada e oendurecimento do coração não diminuem, masaumentam o caráter voluntário do pecado. No entanto, mesmo podendo julgar queum ato é em si falta grave, devemos confiar ojulgamento das pessoas à justiça e amisericórdia de Deus.
  11. 11. O pecado venial é quando a matéria é “leve”,ou a advertência ou o consentimento não sãoplenos. Não se observa, em matéria leve, a medidaprescrita pela lei moral, ou então quando sedesobedece á lei moral em matéria grave, mas sempleno conhecimento ou sem pleno consentimento. O pecado venial impede o progresso da almano exercício das virtudes e a prática do bem moral;merece penas temporais. O pecado venialdeliberado e que fica sem arrependimento dispõe-nos pouco a pouco a cometer o pecado mortal. Opecado venial não quebra a aliança com Deus. Éhumanamente reparável coma graça de Deus. “Nãopriva da graça santificante, da amizade com Deus,da caridade, nem por conseguinte, da bem-aventurança eterna.
  12. 12. Classes do Pecado• Há 4 classes de diferentes pecados:Pecados de ignorância:• Por falta de educação religiosa;• Por inteligência limitada;• Por viver em ambiente hostil a qualquer influencia religiosa;• Por pouco conhecimento da fé.
  13. 13. Pecados de fraqueza:• Pessoas que tem o conhecimento de fé mas são fracas.Pecados de frieza ou indiferença: A pessoa tem conhecimento do pecado,mas não quer se converter. Não se preocupacom sua conduta e não procura se arrepender.
  14. 14. Obstinação ou malícia Pecam por pecar, por querer ofender aDeus, por ódio contra Deus. Não queremconverter-se. Talvez tenham sido bons cristãosque foram caindo gradativamente, sem procurarmelhorar. Entram em seitas anticristãs. Só ainfinita misericórdia de Deus pode levar estaspessoas a conversão. É pecar contra o EspiritoSanto (cf Mc 3,29).
  15. 15. Jo 16,8: “Quando vier oparáclito, convencerá o mundo arespeito do pecado, da justiça e dojuízo”. O pecado de não crer em Jesuse o juízo que condena o maligno.Ninguém mais pode subjugar nossavida porque o demônio já está julgado.Podemos caminhar no Senhor semmedo.
  16. 16. CONCLUSÃO: Nós intercessores devemos pedir aoEspirito Santo para vir em auxilio ás nossasfraquezas para que procuremos viver asantidade de vida, unido a Jesus. Assumir aSalvação é uma experiência pessoal e atual quenos faz caminharmos livres.

×