2ª edição do jornal joão paulo II

963 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
963
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
52
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2ª edição do jornal joão paulo II

  1. 1. V O L U M E 1, ED I Ç Ã O 2 OU T U B R O D E 2 0 1 2 DIOCESE DE BRAGANÇA D N E S T A E D I Ç Ã O : iocese de Bra- Artigo interno 2 gança integra Nesta edição: o Regional Artigo interno 2 Norte II da Conferência Nacional dos Bispos do•Artigo interno BOTE FÉ • 22 Brasil - CNBB. Foi criada em 14 de abril de 1928 Artigo interno 3 pela Bula Romanus• O significado da • 3 Pontifex do Papa Pio XI, Artigo interno da 4 como prelazia Nullius vinda da Cruz de Gurupi,sendo des- Artigo interno 5 membrada da Arquidio-• JMJ: UM SONHO • 4 cese de Belém do Pará. DO CORAÇÃO 6 Artigo interno No dia 3 de fevereiro de 1934, por decreto da• PEROLA DO • 5 Sagr. Congr. Consistori- CAETE al, passou a denominar- se de Prelazia de Gua-• Formatura e Cul- • 6 má. Foi confinada pela Santa MUNICÍPIOS Seminário Diocesano de Pia- to no 12º SGBM/ Sé aos cuidados da Ordem Augusto Corrêa, Aurora do cenza (1969-1977); Pároco de dos Cléricos Regulares de Pará, Bonito, Bragança, Ca- Paragominas-PA, na diocese de• I Romaria da • 7 São Paulo. choeira do Piriá, Capitão Poço, Bragança do Pará-PA (1977- Juventude Em 16 de outubro de 1979, Dom Eliseu, Garrafão do Nor- 1979); Formador no Seminário pela Bula Cum Praelatura te, Ipixuna do Pará, Irituia, Bragantino por 15 anos; em Guamenis do Papa João Pau- Mãe do Rio, Nova Esperança Bragança do Pará, foi Coorde-• É Círio outra vez! • 9 nador da Pastoral e Vigário Ge- lo II, foi elevada a diocese. do Piriá, Ourém, Paragominas, Em 13 de outubro de 1981, Rondon do Pará, Santa Luzia ral. por decreto da Sagr. Congr. do Pará, São Miguel do Gua-• Ruah 2012, DEI- • 1 para os Bispos, passou a má, Tracuateua, Ulianópolis e Estudos: Cursou o 1° grau no XA O AMOR 1 denominar-se Diocese de Viseu. Seminário Diocesano de Pia- Bragançado Pará. Bispo de Bragança cenza / Itália, o 2° grau no Se-• Avisos e convites • 1 Administradores Apostólicos: Dom Luis Ferrando minário Diocesano de Piacen- 2 Pe. Francisco Richard, CRSP Nascimento: 22/01/1941 za / Itáli, Filosofia no Seminário (1930-1937). 2° Administra- Local: Agazzano / Itália Diocesano de Piacenza / Itália. dor Apostólico: Pe. Eliseu Estudou Teologia no Seminário• Apoio • 1 4 Maria Coroli, CRSP (1937- O r d e n a ç ã o P r e s b i t e r a l : Diocesano de Piacenza / Itália, 1940). 1° Bispo Prelado: D. 01/05/1965 Local: Piacen- se especializou em Licença de Eliseu Maria Coroli, CRSP za / Itália Teologia Pastoral, Universidade (1940-1977). Administrador Nomeação E p i s c o p a l : Lateranense, Roma-Itália. Apostólico: Mons. Miguel Ma-14/04/1996 ria Giambelli, CRSP (1977- Ordenação E p i s c o p a l : Endereço: Pça. da Catedral, 1980). 1° Bispo: D. Miguel 05/05/1996 368, Centro. Cep: 68600-000 Maria Giambelli, crsp (1980-Local: Cortemaggiore / Itália Bragança PA. Cxpostal 13. No cargo desde: 09/06/1996 Fone: (91) 3425-2018 1996). 2° Bispo: D. Luis Fer- rando (desde 1996). Lema: "Fiat mihi secundum Verbum tuum" (Faça-me em E - m a i l : domferran- SITUAÇÃO GEOGRÁFICA mim a tua palavra). do@yahoo.com.br Nordeste do Estado do Pará. Atividades antes do Episcopa- Limites: Oceano Atlântico, do: Coadjutor em 2 paróquias Site: Diocese de Abaetetuba (PA), da Diocese de Piacenza / Itá- www.diocesedebraganca.com lia por 4 anos; Formador no
  2. 2. J OR N A D A M U N D I A L D A J U V E N T U D E B OT E F É A Igreja do Brasil vive um momento muito especial com a preparação para a“Um conjunto de Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá em julho de 2013 no Rio deações que une a Janeiro. A peregrinação da Cruz dos Jovens e do Ícone de Nossa Senhora por todos em volta todo o país é um dos pontos altos dessa preparação e está mexendo com a ju- ventude católica de todos os cantos desta visita da U m conjunto deCruz e do Ícone, ações que une a todos em volta para celebrar a desta visita da Cruz e do Ícone, para celebrar a mensagem mensagem própria que estes símbolos carregam e proporci-própria que estes onar situações propícias para o desenvolvimento da evangeli- símbolos zação da juventude em cada realidade. Assim sendo, este carregam e projeto, possui três grandes eixos: a celebração, a formação proporcionar e a ação social. E chama-se BOTE FÉ. situaçõespropícias para o A C E L E BR A Ç Ã O F E S T I VAdesenvolvimento Peregrinação da Cruz e do alegria pela chegada da Cruz numa semana de ensina- Ícone de Maria proporcio- Peregrina e o Ícone de Nossa mentos, louvor, oração eda evangelização nará um intenso caminho Senhora, da Jornada Mundi- acima de tudo confraterniza-da juventude em de evangelização e mo- mentos festivos para toda al da Juventude. ção do santo padre com os jovens e dos jovens entre si. JMJ 2013cada realidade”. a Igreja particular, mas, de Essa Jornada é na verdade A próxima jornada será no um modo todo especial, um encontro do papa com Rio de Janeiro no final de para a juventude. É preciso milhões de jovens do mundo julho de 2013. Em prepara- celebrar com cantos, ora- todo, que se iniciou no Do- ção para este evento está ções, manifestações, estu- mingo de Ramos de 1986 e sendo realizada a Peregrina- dos e compromissos este de lá para cá se realiza a ção da Cruz da Jornada momento forte que já se cada dois ou três anos, em Mundial da Juventude e do inicia com a cuidadosa um país diferente. Consiste Ícone de Nossa Senhora. preparação, envolvendo toda as expressões evan- gelizadoras da juventude pelo Brasil. Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), a Cruz dos Jovens e o Ícone de Nossa Senhora, iniciaram sua peregrinação pelo Brasil no dia 18 de setembro, em São Paulo. Até julho de 2013, passa- rão por todo o país, de norte a sul, levados pela juventude. No dia 24 será a vez de Bragança se encher de
  3. 3. J OR N A D A M U N D I A L D A J U V E N T U D E Pá g in a 4O significado da vinda da Cruz da JMJ e Ícone de Nossa Senhora.C ruz mede 3,8 me- acolhê-la em tros de altura e foi suas vidas”.(Pe colocada junto ao NILTON LIMA). altar principal da vivendo um “Meus queridos jovens,Basílica de São Pedro, em momento únicoRoma, no Ano da Redenção na conclusão deste Ano de sua história(Semana Santa de 1983 à com passagem Santo, eu confio a vocês oSemana Santa de 1984), da Cruz da JMJquando foi comemorado os que ficou co- sinal deste Ano Jubilar:1.950 anos da morte de Jesus nhecida por a cruz de Cristo!Cristo. No final daquele Ano diversos nomesSanto, depois de fechar a a exemplo da Carreguem-na peloporta da Basílica, o papa João Cruz do Ano Santo, Cruz doPaulo II deu esta cruz como Em 1994 ela assumiu um Jubileu, Cruz da JMJ, Cruz mundo como um símbolosímbolo do amor de Cristo compromisso que se tornou Peregrina, muitos a chamam do amor de Cristo pelapela humanidade. Quem re- tradição e dura até hoje: de Cruz dos Jovens porquecebeu esta cruz em nome de visitar todas as dioceses no foi entregue pelo papa João humanidade, e anunciemtoda a juventude e de toda a país em que for ser realiza- da a Jornada. Em 2003, o Paulo II aos jovens para que a todos que somente nahumanidade foram os jovens a levassem por todo o mun-do Centro Juvenil Internacio- papa deu aos jovens outro do, a todos os lugares e a morte e ressurreição denal São Lourenço, em Roma. símbolo, o Ícone de Nossa todo tempo. A Cruz e o íco-Ao entregar o papa pronunci- Senhora (Um quadro com a ne chegaram ao Brasil em Cristo podemos encontrarou estas palavras “Meus que- imagem de Maria), que é setembro de 2011 e desde lá a salvação e a redenção”.ridos jovens, na conclusão cópia daquele que foi en- já percorreram varias dioce-deste Ano Santo, eu confio a contrado nas escavações da ses de São Paulo, Espíritovocês o sinal deste Ano Jubi- Basílica de Santa Maria Mai- Santo, Minas Gerais e Nortelar: a cruz de Cristo! Carre- or, em Roma. O Santo Pa-guem-na pelo mundo como dre disse: “Hoje eu confio aum símbolo do amor de Cris- vocês o Ícone de Maria. Deto pela humanidade, e anun- Agora em diante ele vaiciem a todos que somente na acompanhar as jornadasmorte e ressurreição de Cris- Mundiais da Juventude,to podemos encontrar a sal- junto com a Cruz. Contem-vação e a redenção”. plem a sua Mãe! ele seráDesde 1985, a cruz já esteve um sinal da presença ma-presente em vários países terna de Maria próxima aosonde foram realizadas a Jor- jovens, que são chamados,nadas Mundial da Juventude. como o Apóstolo João, a
  4. 4. JO R NA DAM UNDIA L J M J: U M SO N H O D O DA C O R A Ç Ã O D E DE U S .JU VEN TUD T E niu mais de 190 países. A XXVIII Jornada Mun- udo começou com um encon- tro promovido pelo Papa João dial da Juventude será realizada de 23 a 28 de Paulo II em 1984. Foi um en- julho de 2013 na cidade do Rio de Janeiro e contro de amor, sonhado por tem como lema “Ide e fazei discípulos entre Deus e abraçado pelos jovens. Vozes todas as nações” (Mt 28, 19). No ano seguinte que precisavam ser ouvidas e um 1985, foi declarado Ano Internacional da coração pronto para acolhê-las. Juventude pelas Nações Unidas. Em março A Jornada Mundial da Juventude houve outro encontro internacional de jo- (JMJ), como foi denominada a partir vens no Vaticano e no mesmo ano o Papa de 1985, continua a mostrar ao mun- anunciou a instituição da Jornada Mundial do o testemunho de uma fé viva, da Juventude. transformadora e a mostrar o rosto HISTÓRICO JMJ. de Cristo em cada jovem. A primeira JMJ foi diocesana, em Roma, no São eles, os jovens, os protagonistas ano de 1986. Seguiram-se os encontros mun- desse grande encontro de fé, espe- diais: Em Buenos Aires(Argentina-1987)-com rança e unidade. A JMJ tem como participação de um milhão de jovens; em objetivo principal dar a conhecer a Santiago de Compostela (Espanha – 1989) - todos os jovens do mundo a mensa- 600 mil; em Czestochowa (Polônia – 1991) - gem de Cristo, mas é verdade tam- 1,5 milhão; em Denver (Estados Unidos – bém que, através deles, o ‘rosto’ jo- 1993) - 500 mil; em Manila (Filipinas – 1995) vem de Cristo se mostra ao mundo. – 4 milhões; em Paris (França -1997) – 1 mi- A Jornada Mundial da Juventude, que lhão; em Roma (Itália – 2000) – 2 milhões, em se realiza anualmente nas dioceses Toronto (Canadá – 2002) – 800 mil; em Colô- de todo o mundo, prevê a cada 2 ou nia (Alemanha – 2005) – 1 milhão; em Sidney 3 anos um encontro internacional dos (Austrália – 2008) – 500 mil; e em Madri jovens com o Papa, que dura aproxi- (Espanha – 2011) – 2 milhões. E a próxima RioACESSE: madamente uma semana. de Janeiro (Brasil –2013 A última edição internacional da JMJwww.rio2013.c foi realizada em agosto de 2011, na om cidade de Madri, na Espanha, e reu- Venha participar da peregrinação da Cruz e do Ícone de nossa Senhora dia 24 de ou- tubro, em Bragança. Vamos celebrar jun- tos ! Participação es- pecial: da cantora católica Jack ani- mando a juventude!
  5. 5. PEROLA DO Informação:CAETE Um olhar sobre a pesca na região bragantina No estado do Pará, a pesca artesa- rarmos com expressão a “pesca nal assume uma grande importân- sustentável", uma infeliz junção cia no papel socioeconômico de dos termos crescimento e susten- pequenas comunidades ribeirinhas tabilidade. O que não se explica é e rural. Muitas de nossas comunida- como um crescimento pode ser des dependem quase e exclusiva- continuo se depende de recursos mente da pesca ou agricultura. Nota físicos e naturais finitos” (Amália -se que alguns têm a pesca como Safatle). meio secundário de vida, isso se Yuri Silva Costa formos olhar para as regiões dos Catequista, campos bragantinos e por outro Técnico em aquicultura. lado a pesca sai como meio primá- rio de subsistência. No tocante a economia , a pesca ocupa grande espaço. Atualmente, o estado do Pará é o maior produtor nacional de pescado. As estatísti- cas mais recentes, aqui se apontaBRAGANÇA ao ano de 2003, indicam que res- ponde isoladamente por 63% daRUMO AOS produção da região norte e 15,5%400 ANOS. da produção nacional (IBAMA2004). Como toda atividade de extração, a pesca contribui bastante com os estoques naturais de pescado. Nes- se contexto, essas práticas devem ser combatidas de forma incisiva para que se possa atingir um ponto de equilíbrio. “Não é raro nos depa-
  6. 6. JO R NA DA Formatura e Culto no 12º SGBM/I! N a última Sexta-Feira, 28/09 no quartel do 12º SGBM/I ocorreu como de praxe a for- matura geral dos militares daquela unida- de, na oportunidade foi realizado um culto ecumênico em ação de graças com a participação de todo o efetivo, o momento de oração foi proferido pelo pregador José Ribamar, coordenador diocesano da Renovação Carismática Católica (RCC), mais os colaboradores Thiago Laurindo e Josy Alessandra, ambos do Grupo de Ora- ção Universitário Deus Conosco (GOU) que animaram o encontro. O evento faz parte da programação da unidade desde a última troca de comando, e tam- bém teve a apresentação de quatro novos Sargentos na unidade, um momento de evangelização e reflexão, pedido de proteção para as nossas atividadesACESSE: diárias. Na oportunidade o CAP Thiago também proferiu a palavra pedindowww.rio2013.c empenho e dedicação por parte do efetivo da unidade. O momento foi motiva- om do segundo a palavra contida em 1Jo 3.
  7. 7. I Romaria da JuventudeN o dia 29 de setembro, acon- símbolo para todo jovem que deseja teceu na cidade de Bragan- seguir Jesus, até a chegada à Paró- ça-PA a I Romaria da Juven- quia Nossa Senhora do Perpétuo tude, evento organizado Socorro . Todo o trajeto da romariapelo Setor Juventude da Paróquia foi animado pelo Ministério ParoquialNossa Senhora do Perpétuo Socorro, da RCC do Perpétuo Socorro. Após aque contou com a participação de romaria, ouve a missa de encerra-muitos jovens de várias idades, pasto- mento celebrada pelo padre Benedi-rais e movimentos. to Moura, pároco desta paró-A Romaria da Juventude foi uma gran- quia. Para encerrar com chave-de-de benção não só para os jovens, ouro, o Ministério de Música Som ecomo também para toda a população Graça de Belém-PA, fez um grandebragantina, que pôde ter na romaria show que agitou e emocionou muitosuma preparação para o Bote fé, um jovens. A emoção tomou conta dosgrande evento que ocorrerá em nossa músicos e jovens que ali estavam nocidade no dia 24 de outubro. momento em que os cantores deramAs programações da romaria começa- testemunho dos momentos difíceisram às 15:00 horas na Igreja de São que haviam passado antes do show,Benedito, localizada próximo à orla de pois no trajeto de vinda entre Belém-Bragança. Toda a programação das Bragança, os músicos sofreram um15:00 às 18:00 horas, foi organizada acidente de carro. Graças a Deuspelos jovens pertencentes à Paróquia ninguém se machucou gravemente,do Sagrado Coração de Jesus, coorde- e mesmo com todas as adversidadesnados pela Renatinha, coordenadora o show aconteceu, e certamente foido Ministério jovem da mesma paró- repleto de benção para todos quequia. E a partir daí, deu início à procis- estavam presentes. A romaria tevesão que passou por várias ruas de como um dos objetivos motiva a ju-Bragança. Um marco nesse evento foi ventude para chega da cruz e do íco-o fato de vários grupos de jovens ne de Nossa Senhora em Bragançaterem tido a oportunidade de carregar dia 24 de outubro e contará coma cruz da Romaria da Juventude, um show JAKE encerrando o BOTE FÉ.
  8. 8. FOTOS D I ROMAR A IA D JUVENTUDE A MINISTERIO SOM DA GRAÇA. ANANIDEUA –PA Somos um Ministério de Música Católica Apostólica Ro- mana. Cremos que a Música po- de ser um Imenso Canal da Gra- ça de Deus para os Homens. O MINISTÉRIO SOM DA GRAÇA É: VOCAIS: Cleo, Messias, Diego e Regis; TECLADOS: Elson; BAIXO: Assis; GUITARRA: Diego; BATE- RIA: Gilberto . ACESSE: http://ministeriosomdagraca.wor dpress.com/ VEJA MAIS FOTOS EM: http://www.mjbraganca.blogspot .com.br
  9. 9. É Círio outra vez!A festa de Nazaré, na cidade de Belém no Pará, é conhecida no Brasil e no exterior pela bo-nita manifestação de fé que peregrinos e romeiros demonstram no poder de intercessão davirgem Maria, junto a Jesus, o seu filho...“O Pará, sem a festa de Nazaré, não seria Pará”.A festa de Nazaré, na cida- epocá (á lendá náo esclárece o seu de de Belém no Pará, é nome) mándou que á imágem fosse conhecida no Brasil e no levádá párá á cápelá do Pálácio do exterior pela bonita mani- Governo, onde ficou guárdádá pelosfestação de fé que peregrinos e ro-meiros demonstram no poder de soldádos, que pássárám á noite emintercessão da virgem Maria, junto a vigíliá, párá impedir que álguem áliJesus, o seu filho. São milhões de ou de lá sáísse. Más, no diá seguinte, áfiéis que se revezam por um período sántá foi de novo encontrádá ás már-de quinze dias na basílica santuário gens do igárápe, no mesmo lugár pá-de nossa senhora de Nazaré, agrade- rá onde sempre retornává, com gotáscendo benefícios recebidos e apre- de orválho e cárrápichos presos á seusentando a ela novos pedidos. O mánto, numá “prová” dá longá cámi-ápice da festa é a romaria do círio, nhádá átráves dá estrádá: á sántárealizado no segundo domingo do “vivá” novámente se locomoverá pormês outubro, que neste ano a festa seus proprios meios.aconteceu no dia 14. Estima-se que Párá átender áos desejos dá sántá,dois milhões o número de fiéis que Plácido resolveu entáo construir umáacompanham a grandiosa procissão. pequená ermidá párá ábrigár á imá-Parte dessa multidão esforça-se para gem. A notíciá do “milágre” espálhou-segurar na corda atada á berlindaque leva a imagem peregrina. Uma Imagem original de nossa senhora de se rápidámente, átráindo párá á pá-demonstração vigorosa de fé na mãe Nazaré, coleção Manuel barata,ihg rio de lhoçá do cáboclo os lenhádores seusque protege e atende. janeiro. vizinhos e os hábitántes dá cidáde que, de curiosos, pássárám á engros- sár ás fileirás dos devotos dá sántá milágrosá. A cádá áno áumentává oA HISTÓRIA, A PRÓMESSA E Ó MILAGRE . numero dos que iám áte á cábánáH á 217 ános, o estádo do tuosá estrádá do Utingá, hoje Párá, máis párticulár- Avenidá Názáre, em Belem do mente á cápitál, Belem, Párá, um cáboclo ágricultor e literálmente párá por cáçádor chámádo Plácido Joseocásiáo do Círio de Nossá Senhorá dos Sántos. Levádo pelá sede,de Názáre. No chámádo diá do ácábou descobrindo entre pe-Círio, o tránsito e interditádo nás drás cobertás de trepádeirás, ásruás centráis dá cápitál, ás lojás márgens do igárápe Murutucufechám, ás ruás pelás quáis á pro- (localizado atras da atual Basíli-cissáo pássá sáo profusámente cá de Názáre), umá especie dedecorádás, jánelás, portás e sácá- nicho náturál com umá pequenádás sáo ocupádás pelos morádo- imágem dá Virgem de Názáre (áres átentos á pásságem dá imá- imágem, hoje tidá como á origi-gem dá sántá. nal, tem 38,5 centímetros de al-“Ó Párá, sem á festá de Názáre, turá). Plácido levou-á párá cásánáo seriá Párá”. A devoçáo á Nos- e, no diá seguinte, áo ácordár, viusá Senhorá de Názáre começou, no que háviá desápárecido. Assustá-Brásil e no Párá, em umá locálidá- do, correu áte o locál onde á en- do cáboclo á fim de ofertárem ex-de denominádá Vigiá (hoje sede contrárá e percebeu que á imá- votos – objetos de cerá representándode município) e de lá deve ter gem háviá “voltádo” párá o mes- membros do corpo humáno, muletásátingido á cápitál, Belem. mo lugar. ou retrátos, formá utilizádá pelos fieisPor voltá de 1700, rezá á trádiçáo, párá demonstrár o reconhecimento Ó fenomeno repetiu-se váriáscáminhává nás mátás dá entáo tor vezes, áte que o governádor da por gráçás álcánçádás – áos pes do áltár .
  10. 10. Nás peregrináçoes sobressáíám-se romeiros nessás peregrináçoes pás- Nazare.os círios ou velás de cerá que, tál sárám á denominár á propriá romá- Em junho de 1793, pouco ántes dácomo em Portugál, depois pássárám riá. De origem portuguesá, á devo- feirá, o presidente dá provínciáá denominár á propriá procissáo çáo á Nossá Senhorá de Názáre tem ádoeceu e fez umá promessá: sefeitá em homenágem á sántá. umá longá historiá. segundo á ántigá recuperásse á sáude e pudesseÓ primeiro bispo do Párá, Dom Bár- trádiçáo que á imágemtolomeu do Pilár (que esteve á fren- que deu origem á essete do bispádo do Párá entre 1721 e culto foi esculpidá por1723), visitou a modesta ermida da Sáo Jose, tendo á pro-sántá e incentivou á devoçáo iniciá- priádá pelo cáboclo Plácido. Entre 1730 Virgem por modelo, ee 1774 construiu-se outrá ermidá. teriá sido pintádá porPárá o ántropologo Ráymundo He- Sáo Lucás. Depois deráldo Máues, á áproximáçáo dás muitás idás e vindás,áutoridádes religiosás dá devoçáo á nos primeiros ános doVirgem de Názáre em Belem – e cristiánismo, está imá-támbem em Vigiá – márcáriá. gem chegou ás máos“E ácentuou em 1793, quándo o de Sáo Jeronimo e dequinto bispo do Párá, Dom Joáo Sánto Agostinho, tendoEvángelistá, que támbem visitou á ido párár ná Penínsuláimágem de Plácido, oficiálizou á de- Ibericá e depois násvoçáo, colocándo Belem sob á prote- máos do monge Romá-çáo de Nossá Senhorá de Názáre” no e do rei Rodrigo,Ó Círio de Názáre e um áconteci- dos visigodos, derrotá-mento que envolve, diretá ou indire- do pelos mouros ná bátálhá de Guá- ináugurár á gránde feirá, leváriá átámente, todá á populáçáo páráense, dálete. Abándonádá numá grutá imágem áte o pálácio do governoestendendo suá influenciá párá álem pelo rei fugitivo, á imágem ficou e, de lá, está seriá conduzidá, emdos limites do estádo do Párá. Ape- perdidá duránte seculos, áte ser procissáo, de voltá á igrejinhá.sár dá existenciá de Círios de Názáre encontrádá por pástores, reáviván- Sousá Coutinho se recuperou e, noem outros municípios do Párá e do-se o seu culto á pártir do seculo diá 8 de setembro de 1793, cum-mesmo em outros estádos do XII, depois do famoso milagre de D. priu á promessá feitá.Brásil, nenhum deles possui á ám- Fuás Roupinho, fidálgo portugues Náquele primeiro Círio á imágemplitude que o Círio de Názáre álcán- sálvo de cáir num ábismo por inter- dá sántá foi tránsportádá no coloçá em Belem, configurándo-o como cessáo de Nossá Senhorá de Názáre. do vigário gerál puxádo por juntásum dos fenomenos religiosos máis Ó fidálgo, ágrádecido, pássou á pro- de bois, como se fáziá em Portu-importántes do Brásil. págár á devoçáo em Portugál. gál. Quándo o cortejo chegou áAssim, o Círio de Nossá Senhorá de A primeirá “párádá ná vidá” dos ermidá dá sántá, foi rezádá umáNázáre, em Belem do Párá, páráenses proporcionádá pelo missá, refáziá seu cáminho mítico,e muito máis do que um mero feno- Círio de Názáre ocorreu em 1793. no diá seguinte, áte o locál do pri-meno religioso, podendo ser obser- Dois ános ántes, o entáo presidente mitivo áchádo.vádo e compreendido sob diversos dá Provínciá do Párá, Fráncisco de Aindá hoje esse movimento de ir epontos de vistá: religioso, estetico, Sousá Coutinho, ávido por fomentár vir dá imágem dá sántá repete-seturístico, culturál, sociologico, án- o comercio regionál páráense, resol- nás procissoes dá trasladação e dotropologico etc. veu orgánizár umá gránde feirá ná Círio, á primeirá ántecedendo áA devoçáo pelá sántá e párte do coti- quál os produtos ágrícolás e extráti- segundá, do mesmo modo que foidiáno dos páráenses. vistás de todá á provínciá seriám reálizádo por Souzá Coutinho.Está presente nos pequenos áltáres expostos e co-domesticos, no movimentádo merciálizádos.Mercádo do Ver-o-Peso, nás báncás Estrátegicámen-de peixe, nos supermercádos, em te,báncos, instituiçoes governámentáis Sousá Coutinhoe meios de comunicáçáo. determinou queEtimologicámente, á expressáo á feirá deveriá“círio”, do látim cereus, significa ocorrer no finálumá gránde velá de cerá. do segundo se-Em Portugál, os círios representá- mestre de 1793,vám um ájuntámento de pessoás ná mesmá epocáque se orgánizávám párá, em romá- em que os devo-riá, ir áo Sántuário de Nossá Senho- tos costumávámrá de Názáre. Posteriormente, ás á homenágeár ávelás de cerá ou círios levádos pelos Virgem de
  11. 11. VIRGEM DE NAZARÉ: PATRONA DO PARÁ ASSEMBLEIA LEGISLATIVA - ASSESSORIA TÉCNICA LEI N° 4.371, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1971.Proclama Nossa Senhora de Nazaré Patrona do Estado do Pará e dá outras providências.A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARÁ promulga e eu sanciono a seguinte Lei:Art. 1° - Fica proclamada PATRONA DO ESTADO DO PARÁ NOSSA SENHORA DE NAZARÉ.Parágrafo Único - O Governo do Estado do Pará prestará, anualmente, as honras de Estado à padroeira dos paraen-ses.Art. 2° - A presente Lei poderá ser regulamentada pelo Governador do Estado.Art. 3° - Esta Lei tem sua vigência a partir do dia 10 de outubro do corrente ano.Palácio do Governo do Estado do Pará, 15 de dezembro de 1971.FERNANDO JOSÉ DE LEÃO GUILHON Governador do Estado Georgenor de Souza FrancoR UA H 20 1 2, D E I X A O A M O R AM A R nos, professores e funcionários do cám- pus um cáfe dá mánhá, onde tivemos á oportunidáde de ágrádecer á Deus pelo diá, o álimento que estávámos recebendo e á chánce de convidár á todos os pre- sentes párá á Sántá Missá, sálá de vídeo conferenciá, que foi presididá pelo Pe. Romulo do Curupáiti (Viseu-PA). Em suá homiliá, Pe. Romulo destácou á impor- tánciá de se evángelizár dentro dá uni- versidáde e que ás sementes forám lán- çádás, e que á nossá preocupáçáo náo nos pertenciá, pois párá Deus o que im- portá e á quálidáde e náo á quántidáde. Logo ápos á Missá, vários “Luquinhás” se encontrárám ná Práçá Rosá Blánco (áo ládo do Cámpus), párá umá Serenátá, com intuito de fázer um gránde louvor de ágrádecimento á Deus que támbem contou com á párticipáçáo de álgumás criánçás que estávám ná ocásiáo. E no ultimo diá dá semáná missionáriá, encer- rámos ás átividádes com o GRUPÓ DE ÓRAÇAÓ UNIVERSITARIÓ, onde Renán Ribeiro destácou em suá pregáçáo á im- portánciá de deixármos o Amor Amár, mesmo dentro dás dificuldádes que te- mos, principálmente no ámbiente uni- versitário. Pálávrás dá Coordenádorá o ministerio universidádes e logo ápos houve missáo no Jennifer: “Tenho muitá álegriá em poderrenovádás dá diocese de Brá- turno dá noite pelos corredores ter párticipádo por máis um áno, juntogánçá Párá, átráves do Grupo de dá Universidáde Federál do Pá- com os demáis “luquinhás”, dá SemánáÓráçáo Universitário (GÓU) rá. No diá seguinte, tánto no Nácionál Missionáriá, desenvolvidá peloDeus Conosco, reálizou nos diás turno dá mánhá quánto dá tár- Projeto RUAH: Deixe o Amor Amár. Esse27, 28 29 e 30 a semana nacio- de, os “Luquinhás” reálizárám projeto brotou do coráçáo de Deus e enál missionáriá . A semáná teve ábordágem querigmáticá com umá dás formás de átendermos o ápeloinicio com o envios dos missio- duplás missionáriás e dos dá Igrejá e o nosso chámádo á ser cris-nários com á Sántá Missá, presi- “Sombrás” (Pántomimá - Teátro táo, que e permánecer em estádo permá-didá pelo Pe. Antonio, ná cápelá Gestuál). No dia 29, pela ma- nente de missáo.” “Ai de mim se eu náodo Instituto Sántá Terezinhá, nhá, foi oferecido á todos os álu- evángelizár” (I Cor 9, 16).
  12. 12. AVISOS E CONVITES
  13. 13. VESTIBULAR UFPA 2013INSCRIÇÕES PARA VESTIBULAR UFPA 2013Já estão abertas as inscrições para o Vestibular 2013 da UFPA (Universidade Federal do Pará). Oedital com as regras está publicado no site do Centro de Processos Seletivos – CEPS. Para se ins-crever, o candidato deverá acessar a página principal do CEPS. As inscrições permanecerão aber-tas até o dia 17 de outubro de 2012. A taxa de inscrição do vestibular UFPA 2013 é de 50 reais eSegunda a sábado temos grupo de oração. Venha participarconosco deste tesouro de DEUS. SEGUNDA-FEIRADIVINA MISERICORDIA, AS 19:30 HS (COM. SÃO JOSÉ)SEVOS NO ESPIRITO, AS 19:30 HS (COM. SÃO LUCAS) TERÇA– FEIRAPROVIDÊNCIA DIVINA, AS 19:30 HS (COM. PROVIDÊNCIA) QUARTA-FEIRAGOU,AS 17:45HS (UFPA, SALA 10- BLOCO II)LOUVOR 19:00 HS(IGREJA SANTUÁRIO N.S.P.S) QUINTA-FEIRAUNIDOS EM CRISTO, AS 19:30 HS (COM. CONCEIÇÃO)SÃO MIGUEL ARCANJO, AS 19:30 HS (COM. NAZARÉ)DIVINA LUZ, AS 19:30 HS (COM. SANTA LUZIA) SEXTA-FEIRAGUIADOS POR MARIA, AS 19:30 HS (COM. D. ELIZEU)REAVIVANDO A CHAMA, AS 19:30 HS (COM. SANTO ANTÔNIO) SABADOMENSAGEIROS DE JESUS, AS 18:30 HS (COM. SÃO JOÃO BATISTA)NOVA ALIANÇA, AS 18:00 HS (COM. BACURITEUA)
  14. 14. APOIO Serviços de pa- pelaria, digita- ção, impressão, etc, com quali- dade responsa- bilidade. É na BIA .COM Org.: JuniorPensou em escolapara sua criança?Pesou CENSNE.Compromisso e res-ponsabilidade,Org.: Eliana Ferreira

×