Chico Xavier

287 visualizações

Publicada em

"As imagens de ilustração utilizadas são materiais de circulação na internet. Por favor, em caso de violação de direito autoral entre em contato o quanto antes."

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Chico Xavier

  1. 1. CHICO XAVIERCHICO XAVIER EXEMPLO DE AMOR EEXEMPLO DE AMOR E CARIDADE AO PRÓXIMOCARIDADE AO PRÓXIMO 02/04/1910 - 30/06/2002 Imagens: Internet
  2. 2. Nasceu em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, em 02 de abril de 1910.
  3. 3. Um dos quinze filhos de João Cândido, funcionário de uma fábrica de tecidos e vendedor de bilhetes de loteria, com Maria João de Deus, lavadeira, que morreu quando Chico tinha cinco anos de idade.
  4. 4. Ele se lembrava de ter ouvido vozes aos quatro anos; antes dos sete, conversou com sua mãe no quintal.
  5. 5. Via e ouvia os espíritos e era capaz de surpreendentes fenômenos psíquicos.
  6. 6. A força do amor materializava-se em forma de homem de pequena estatura e de gestos lentos, ensinando-nos a andar certos e seguros, sem tropeços. Estava diante de nós um homem a mostrar as belezas de um mundo melhor...
  7. 7. Publicou mais de 400 livros e a nenhum atribuiu autoria própria – eram ditados pelos espíritos, dizia. Vendeu mais de 20 milhões de exemplares e cedeu todos os direitos autorais para organizações espíritas e de caridade.
  8. 8. Enviados da NASA estiveram em Uberaba especialmente por ele, onde fizeram estudos e medições de sua aura. Os resultados foram surpreendentes devido ao tamanho e potência de sua energia.
  9. 9. Foi indicado ao prêmio Nobel de Paz em 1981.
  10. 10. Amado por muitos brasileiros de diferentes credos religiosos, recebeu a cidadania em diversas cidades.
  11. 11. A conduta de Chico Xavier significou muito para a causa espírita. Nunca perdeu tempo em defesa de si próprio, seu tempo era dedicado a socorrer os
  12. 12. ...Falava-lhes ao coração, procurava iluminar-lhes o espírito. Vivia conscientemente entre encarnados e desencarnados, sempre exemplificava o Evangelho com sua conduta.
  13. 13. Devido às traduções de seus livros para outros idiomas, Chico tornou-se mundialmente conhecido e respeitado por sua vida e obra.
  14. 14. Sua vida nunca foi um mar de rosas. Mesmo tendo enfrentado duras dificuldades, amava viver e tinha alegria em poder trabalhar na Doutrina Espírita.
  15. 15. Na atividade mediúnica, era disciplinado,disciplinado, equilibrado,equilibrado, desprendidodesprendido dos bens materiais. Honrava a mediunidademediunidade
  16. 16. “(...) a vida vai adquirindo pra mim um novo e mais belo sentido. Uma força que eu não sei explicar vai me renovando por dentro e observo que a Presença do Senhor nunca nos deixa a sós”.
  17. 17. Exercia a caridade material eExercia a caridade material e espiritual em sua totalidade.espiritual em sua totalidade. Comportava-se em sociedadeComportava-se em sociedade como um cidadão ético,como um cidadão ético, respeitava os compromissosrespeitava os compromissos com a família, com acom a família, com a sociedadesociedade ee com a prática.com a prática.
  18. 18. Nas longas noites de autógrafos, tomava analgésicos para amenizar suas dores e continuar a sorrir e confortar corações amargurados, à procura de esquecer seu próprio padecimento.
  19. 19. Seu guia espiritual Emmanuel recomendava equilíbrio e dizia-lhe: “A dor é sua, o sorriso é dos
  20. 20. Chico Xavier foi um apóstolo de Jesus na Terra, a exemplificar seu Evangelho e distribuir paz e amor.
  21. 21. 92 anos junto de nós espargindo amor e caridade. 75 anos de gloriosa mediunidade confortando corações.
  22. 22. Hoje, no Mundo Maior nova tarefa se apresenta, nutrida do bálsamo salutar, própria dos espíritos missionários.
  23. 23. Chico Xavier, um médium a serviço da LUZ.
  24. 24. Chico Xavier, um médium a serviço da LUZ.
  25. 25. Oração psicografada por Chico Xavier em 7 de junho de 1971. Foi encontrada em página datilografada, dentro de um livro deixado por Joaquim Alves. Não consta o nome do espírito autor
  26. 26. Senhor! Este é o santuário de trabalho que nos confiaste. Agradecemos-Te a luz que nos enriqueces a vida, pedimos-Te amparo em favor da realização de nossas esperanças.
  27. 27. Ensina-nos a servir, para que a segurança nos garanta a tranquilidade e auxilia-nos na execução dos compromissos que assumimos, a fim de que a nossa palavra produza frutos de paz e alegria.
  28. 28. No exercício das tarefas que em Tua bondade generosamente nos entregaste, ajuda-nos a respeitar-nos mutuamente, para que todos nós estejamos no lugar certo e com as atividades certas que a obra nos atribui.
  29. 29. Nos dias difíceis, sê nosso apoio e, nas horas de êxito, guia-nos o pensamento, a fim de que as nossas diretrizes se façam incessantemente traçadas no bem de todos.
  30. 30. Faze-nos cada vez mais irmãos uns dos outros, de modo que o entendimento fraternal nos fortaleça a união no clima de harmonia em direção do progresso que aspiramos alcançar.
  31. 31. Não nos deixes, Senhor, entregues a nós mesmos e, sim, guarda-nos em Teu infinito amor para que a Tua inspiração nos dite, hora por hora, o caminho justo, que reconheçamos a Tua misericórdia em nossas vidas, a fim de exercermos a misericórdia de uns para com os outros.
  32. 32. Queremos ser mais compreensivos e mais humanos e, por isso mesmo, esperamos de Ti a proteção necessária para que entre a direção e a subalternidade, possa a nossa casa brilhar e servir em Teu nome, atendo-se às finalidades da edificação que nos confias.
  33. 33. E contando Contigo em todas as realizações a que formos chamados, aguardamos a Tua bênção para que Te possamos revelar diante de nossos semelhantes, hoje e sempre. Assim seja.
  34. 34. Bibliografia: • “Até sempre, Chico Xavier” - Nena Galves 2008 • Jornal Dimensão Espírita - Joinville/SC Nº 10 - jul/ago/ 2002

×