OPERAÇÃO DE MISTURA de Sólidos - Carol
Mistura é uma operação unitária de transformação fundamental no processamento nas
i...
A importância da segregação no Indice de uniformidade da mistura não pode ser subestimada.
Qualquer tendência de segregaçã...
promovida pelo agitador ou por deslizamento e impacto. Estes misturadores são de relativa
fácil construção e consumo de en...
• Grupos de partículas movem-se de um ponto a
outro do sólido granular, como na convecção
fluida, originando a mistura con...
Dispersors trabalham com sólidos mais pesados e gomosos que os kneaders e mais leves que
os masticators, corantes, aditivo...
rodas sobre os sólidos existe uns rapadores que fazem com que os sólidos sejam arrastados
para baixo, pois existe uma aber...
Pneumático (ignora a marca na explicação) - Jéss
Misturadores Rotativos Tumbling mixer - Alana
Como o próprio nome diz, fu...
Este tipo de misturador corresponde a dois cones unidos por uma pequena seção cilindrica.
Este equipamento tende a superar...
cm do helicóide deve passar a superfície da massa sólida.O volume de trabalho deve ser
aquele recomendado pelo fabricante ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mistura de sólidos

1.729 visualizações

Publicada em

Teoria OP 1

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.729
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mistura de sólidos

  1. 1. OPERAÇÃO DE MISTURA de Sólidos - Carol Mistura é uma operação unitária de transformação fundamental no processamento nas indústrias de alimentos e bebidas. Consiste, de uma forma simples, na incorporacao de uma fase em outra produzindo, atraves de agitacao, uma mistura homogenea .  Alta demanda de energia;  Moagem prévia das partículas;moagem é uma operação unitária de fragmentação ou redução de tamanho, onde o tamanho dos sólidos é reduzido pela aplicação de forças de impacto, compressão e abrasão. Esta operação aumenta a área superficial do sólido, uniformizando tamanhos e aumentando a eficiência de etapas posteriores de processamento. Entre os equipamentos estão: moinho de discos, moinho de rolos, de facas e martelos, trituradores de mandíbulas e moinho de bolas.  Operação industrial freqüente.  A mistura deficiente pode acarretar em não uniformidade de textura O efeito reológico das matérias primas na operação de mistura pode influenciar na eficiência desejada do produto final, envolvendo propriedades físicas e químicas dos componentes dos ingredientes da formulação que podem se alterarem durante o processo. O controle do tempo e temperatura no processo de mistura é essencial. Existem muitos tipos de misturadores e agitadores são utilizados na formulação e fabricação de uma grande variedade de produtos alimentícios. A eficiência do processo de mistura, depende do tipo adequado do misturador utilizado e dos equipamentos auxiliares de controle do processo de mistura a ele acoplado, que fará a obtenção de uma boa homogeneização dos componentes de formulação. . O principal objetivo da operação unitária de mistura e: (I)-promover a transferência de massa entre sólido e/ou as reações químicas entre os ingredientes da formulação; (II)- manter os componentes dispersos uniformemente, para evitar, cristalização e aglomeração; Mistura ideal - Fer É aquela na qual a probabilidade de encontrar uma partícula de um constituinte em qualquer ponto é idêntica cada partícula de um constituinte A está cercada por partículas do outro constituinte B em qualquer ponto do sistema. A mistura ideal exige partículas de igual tamanho e se possível densidade, com pouco ou nenhum efeito de superfície. Escala de Segregação: é uma forma de medir a casualização da distribuição. Intensidade de Segregação: é a medida da variação da composição nas diferentes porções da mistura. Problema: segregação (dissociar-se dos semelhantes) - Cris Quando partículas de diferentes propriedades físicas, tamanho, densidade, são misturadas, a mistura é acompanhada de uma tendência de não-mistura. Além dessas propriedades mencionadas, caracterísicas de superfície, fluxo, friabilidade, umidade e tendência de aglomerar também influenciam na tendência de segregação. Quanto mais próximo os ingredientes estiverem em tamanho, aparência e densidade, menor a possibilidade de segregação. Não adianta misturar mais rápido os ingredientes para evitar a segregação, isso não trás bons resultados pois alem de mais energia, acontecem avariações desnecessárias nos ingredientes, devido ao choque das partículas de sólido. Acontece com partícula não coesivas de diferentes densidades que são misturadas, onde podemos observar que as partículas mais densas se acomodam no fundo da mistura diminuindo o potencial de energia total de mistura do sistema. O mesmo ocorre com misturas de partículas grosseiras e finas, as finas se acomodam no fundo porque passam por meio das grosseiras com facilidade (infiltram no sistema) Sobre vibração um sistema de partículas sólidas não coesivas vai fazer com que as partículas mais grosseiras sejam “conduzidas” para cima pelas partículas finas, e estas vão para o fundo, imagine uma bola de gude dentro de um pote de areia e você está movimentando esse pote como se fosse uma peneira, as partículas de areia que estão em maior número irão atritar com a bola de gude percorrendo ela em toda sua superfície, a bola de gude que é maior vai causar o que chamamos de resposta a vibração compactando o a areia abaixo de si (porque a bola de gude é mais densa, tem maior peso) e tendo liberdade de movimento só para cima e para os lados, então ela sobe. As definições de segregação são específicas p/ cada tipo de situação.
  2. 2. A importância da segregação no Indice de uniformidade da mistura não pode ser subestimada. Qualquer tendência de segregação deve ser reconhecida na escolha do equipamento adequado. A segregação dos 3 tipos é testada por um teste simples de empilhamento: Uma amostra bem misturada é colocada em um funil p/ formar uma pilha cônica, amostras são tiradas do centro da pilha e das laterais e se duas amostras tiverem composições muito diferentes podemos concluir que a segregação tem grande probabilidade de ocorrer a não ser que seja feita a escolha perfeita do equipamento. Evitar a segregação é um grande desafio pra industria de alimentos pois os materiais misturados são quase sempre de propriedades diferentes. A segregação dos pós soltos pode ser combatida através da introdução no sistema de factores que lhes confiram uma dose controlada de carácter coesivo, como, por exemplo, pequenas adições de água (até 1%). Claro que este expediente só poderá ser usado se todos os componentes da mistura forem inertes à água, não porosos e facilmente molháveis. A adição de pequeníssimas quantidades de humidade a pós soltos (desde que as partículas sejam inertes em relação à água) introduz um certo grau de agregação e conduz a melhore misturas de equilíbrio. No caso dos pós coesivos, não é necessário nem conveniente procurar aumentar o grau de agregação do pó, pois isso iria apenas servir para diminuir a velocidade de mistura, sem que se melhorasse sensivelmente o normalmente bom grau de mistura em equilíbrio. Outra das soluções é adicionar antiaglutinantes ou agentes de fluxo para mudar as propriedades desses fluxos indesejáveis de partículas, prevenindo aglomeração, empacotamento. Ex; O aluminosilicato de sódio é um exemplo de agente antiaglomerante utilizado no sal de cozinha e no leite em pó. Como um sal de alumínio, o aluminosilicato pode causar risco à saúde humana. O alumínio é conhecido por causar problemas na placenta durante a gravidez e está diretamente ligado ao Alzheimer, Parkinson e osteoporose. Existem antiaglomerantes naturais, como o carbonato de cálcio e o carbonato de magnésio. E também alguns silicatos, não aderem, absorvem umidade e ajudam o fluxo. Um caso curioso é o que se passa quando se mistura um pó solto com um pó coesivo. O que sucede é que as partículas do pó coesivo tendem a recobrir as do pó solto, e a mistura comporta-se, em geral, como não segregativa. Mistura de sólidos - Jéss No manuseio de sólidos particulados ou de pós não é possível conseguir uma mistura completamente uniforme como no caso de líquidos. • O grau de mistura que é atingido depende de: • Tamanho das partículas: homogeneidade, resistência mecânica, comportamento reológico. • Forma: fluidez, segregação. • Densidade: forças gravitacionais que agem sobre a partícula. • Coesão: Tendência à agregação. • Conteúdo de umidade: – sólidos constituídos por partículas de fácil escoamento: mistura a seco – material muito úmido: mistura a úmido. • Características de escoamento: determinam a facilidade de mistura) • Eficiência do misturador: Tipos de operação: - Alana Seca: A mistura deste tipo de produto é bastante irregular, a probabilidade de se obter uma distribuição ordenada das partículas é praticamente nula. Nas indústrias alimentícias, a mistura de certos produtos deve ser tal que, a mesma satisfaça os requisitos padronizados a cerca de sua formulação. Os misturadores para pós secos compreendem máquinas utilizadas para outros tipos de sólidos, e também para fluidos, mas possuem misturadores específicos para sólidos. A mistura tem uma agitação de baixa velocidade. A mistura acontece devido agitação
  3. 3. promovida pelo agitador ou por deslizamento e impacto. Estes misturadores são de relativa fácil construção e consumo de energia moderado. Ex: mistura de grãos antes da moagem Úmida: Neste caso o material deve ser conduzido até o agitador, e esse tem que recorrer a todas as partes do sistema da mistura. A ação destas máquinas pode ser descrita como uma combinação de cisalhamento de baixa velocidade, modelagem, fricção, alongamento e compressão. A energia mecânica se aplica diretamente em cima da massa de material por partes móveis. São geradas forças de grande magnitude nesses equipamentos, eles são robustos e o consumo de energia é elevado, as vezes o calor gerado pela maquina requer refrigeração para não causar acidentes nem cozimento do material que está sendo misturado. Frequentemente, o objetivo da mistura não é só misturar mas também agregar algumas características físicas. Ex: mistura para formar a massa da lingüiça, salame, mortadela, fiambre, salsicha, patê. características: - Carol o processo consome mais energia que a mistura de líquidos e requer moagem prévia do material. - em geral materiais de mesmo tamanho, forma e densidade formam misturas mais homogêneas. - materiais heterogêneos: _ equilíbrio de regiões de mistura e regiões de “não mistura”. - em alguns processos após um certo tempo cada vez mais é difícil obter uma mistura completa do material – as características de escoamento _influenciam o grau e a facilidade da mistura; – durante a mistura pode haver geração de cargas elétricas: _ uso de surfactantes ou operação a úmido; – alguns materiais tendem a segregar (dissociar-se dos semelhantes): uso de excipientes Forças: - Fer As forças que atuam no processo de mistura podem ser: – inerciais ( todos os corpos são "preguiçosos" e não desejam modificar seu estado de movimento: se estão em movimento, querem continuar em movimento; se estão parados, não desejam mover-se. Essa "preguiça" é chamada pelos físicos de Inércia) e de aceleração(Acelerar um corpo é variar sua velocidade em um período de tempo) ou – gravitacionais Destas observacoes pode-se entender que existem tres fatores importantes na mistura de solidos: Cris Conveccao – movimentacao de grupos de particulas Difusao – movimentacao de particulas isolada Cisalhamento – movimentacao de planos de escorregamento A mistura de produtos sólidos, se considera em geral como produzida por uma ou mais de três mecanismos básico: convecção ou seja, transporte das partículas ou grupo de partículas de um ponto a outro; difusão que é, a transmissão de partículas individuais de um ponto a outro e por ultimo cisalhamento que é uma força paralela a área de secção transversal da partícula. Como conseqüência do movimento das partículas, pode resultar uma segregação devido a diferença em duas propriedades. Curva de mistura – Jéss Geralmente a mistura convectiva acontece nos primeiros estágios da mistura e depois prossegue convectivamente e com cisalhamento e na parte final da mistura a difusão aparece promovendo o equilíbrio final entre segregação e mistura perfeita. Mecanismos de mistura: - Carol - CONVECÇÃO _ REVOLVIMENTO • transporte de produto ou grupos de partículas de um ponto a outro
  4. 4. • Grupos de partículas movem-se de um ponto a outro do sólido granular, como na convecção fluida, originando a mistura convectiva. - DIFUSÃO (revolvimento, tombamento): • Neste processo as partículas são reorientadas uma em relação às outras quando são colocadas em movimento aleatório_ havendo uma modificação de suas posições relativas devido à modificação da posição de conjuntos de partículas • Neste processo, também denominado de CISALHAMENTO,_ há criação de planos de deslizamento dentro da massa como resultado da mistura de grupos de partículas. • Planos de escorregamento são formados no seio do sólido granulado durante a mistura, _ provocando o deslocamento relativo de porções grandes do material. – Mistura pneumática as partículas são reorientadas uma em relação às outras como resultado do revolvimento promovido pela expansão e movimentação de um gás em um leito de partículas – Impacto (falar oq tem no slid das partes de um mist. p/ impacto) Os misturadores podem ser operados em batelada enquanto outros sao continuos, basicamente divididos como: - Alana a) Batelada - Tempo maior para obtencao do resultado desejado. - Facilidade e rapidez de descarga e limpeza. - Consumo de energia moderado. b) Continuos - menos tempo e menos perda de massa Os limites de aplicação dos mais diversos misturadores não são nítidos, pois existem misturadores que servem para vários tipos de mistura. MISTURADORES (dividimos em misturadores p/ sólidos Coesivos e de fluxo livre, porque se algum dia lhe pedirem uma indicação eles forneceram a característica da matéria prima, úmida/seca, coesiva, gomosa, deformável, plástica, elástica etc.) Change can - Alana Mistura sólidos pastosos e tintas, recipiente pequeno, 20-380 L, o agitador consiste em muitas laminas verticais ou dedos que estão presos em um eixo rotativo que se encontra perto das paredes do recipiente, as laminas são levemente retorcidas. O agitador é montado exentrico, pra respeitar o plano axial do recipiente de mistura. A) recipiente giratório. B) recipiente estacionário e giro planetário do agitador ou seja, gira na rota axial e em torno de si. Essas batedoras foram feitas pra tingir o sólido perto das paredes e perto do fundo também. Para descarregar é só erguer a parte de cima, descarregar, retirar as peças que entraram em contato com a mistura e limpar separadamente. Ex: Adequado, misturar, dispersar pastas viscosas ou sensíveis ao calor , adesivos, tintas de impressão, compostos de bateria. Kneaders, dispersers e Masticators p/ sólidos plásticos e deformáveis - Fer Ocorre espalhamento da massa, revolvimento da massa nela mesma e um novo espalhamento. Alguns rasgam a massa e cisalham a mesma, provocando um efeito completo de mistura. Sua concepção (masticators) exclusiva baseia-se na fluidização mecânica do produto a partir da utilização de elementos misturadores dispostos em um eixo central, proporcionando um movimento intenso e rápido, revolvendo o produto e alcançando sua fluidização. É o que mais requer energia dos 3 e pode misturar materiais sólidos mais pesados, ou seja, os mais difíceis de misturar. Chamado também de misturador intensivo. As amassadeiras (kneaders) lidam bem com, suspensões, pastas, e massas plásticas leves, que contenham água ou outro líquido portanto junto as mistura.
  5. 5. Dispersors trabalham com sólidos mais pesados e gomosos que os kneaders e mais leves que os masticators, corantes, aditivos, tendo um consumo intermediário de energia. Continuous kneaders - Misturadores contínuos. - Cris Misturadores contínuos podem operar com materiais leves e não muito duros. Em um desenho típico, existe um seu eixo horizontal único, o qual roda lentamente em uma câmara de mistura e na superfície de várias fileiras de dentes em uma espiral, que promove o deslocamento da massa através da câmara. Dentes do rotor passam perto dos dentes fixas da parede do misturador. O eixo gira e é ainda proporcionado um movimento de vaivém axial. O material retido entre os dentes é rasgado nas direções longitudinal e axial e é também sujeito a uma ação de corte radial. Os sólidos que entram na máquina perto do eixo do motor, são descarregados através de uma abertura que rodeia o rolamento de eixo, que está localizado na extremidade oposta da câmara de mistura. A câmara é constituída por um tabuleiro aberto para o caso de sólidos leves e um cilindro fechado para a operação com massas plásticas. Nos dispositivos podem ser misturadas várias toneladas por hora de materiais duros, pastosas ou gomoso. Ex: PVC fios e cabos incluindo pré-mistura, transporte, alimentação gravimétrica, composição,EVA, Bio- fibra ,Alimentos e produtos de confeitaria Mixer-extruder - Misturador de extrusoras. - Jéss Se a abertura de descarga do misturador contínuo é revestida com um bico de extrusão, as laminas e pás do rotor inclinado vão gerar uma pressão considerável sobre o material. A mistura é cortada e entrelaçada enquanto que na câmara de mistura ela e é submetido a um cisalhamento fluindo através do bocal. Outros misturadores, extrusoras funcionam da mesma maneira: eles contêm um ou dois eixos horizontais, com movimento rotativo, não para o mesmo lado, regidos através de hélice ou pás em disposiçao helicoidal fixados no eixo horizontal. A pressão para saída é gerada através da redução da passagem da hélice perto da descarga acumulando material, ou reduzindo o diâmetro da câmara de mistura acumulando também material, ou por ambos os efeitos. O misturador de extrusão opera continuamente com materiais termoplásticos(moldados e remoldados), pastas, argilas e outros materiais que são difíceis de misturar.Algumas são fornecidas com uma camisa de aquecimento e as conexões para descarga de vapor, para permitir a remoção de água ou de solvente do do material a ser processado. Ex: Ideal para misturar, amassar massas altamente viscosas, pegajosas e massa de produtos similares, mistura de cola, borracha, plástico. Aplicações em Alimentos, as indústrias de borracha, farmacêuticas e químicas. Mixing rolls- Misturador de rolos. - alana Outro jeito de submeter pastas e sólidos deformáveis ao cisalhamento é passa-los em rolos de metal com velocidade diferente. Repetindo as passadas de massa os aditivos aderem, se dispersam na massa. Contém de três a cinco rolos horizontais localizadas acima uns aos outros em uma haste vertical. Pastas passam sucessivamente dos rolos lento para o mais rápido. Massas e produtos gomosos podem ser tratados em com rolos descontínuas, sendo dois rolos dispostos no mesmo plano horizontal. Os sólidos são recolhidos por cima do rolo mais rápido, cortado em ângulo pelo operador e dobrado para ser introduzida novamente entre os rolos. Os aditivos são pulverizados sobre o material durante a operação. Misturadores de rolos (batelada) requerem tempos de grandes lotes de mistura e uma atenção cuidadosa pelo operador, então têm sido largamente substituída por misturadores internos e os misturadores contínuos.ex: Uma área típica de aplicação está em cinco rolos-refinadores, que misturam e pulverizam, pasta de chocolate, ao mesmo tempo. Muller mixer - Jéss Funciona de forma diferente dos outros misturadores, o recipiente é estacionário e o eixo é móvel, os rolos realizam uma trajetória circular de modo que a parte solida se localize na parte inferior do recipiente. A ação de fricção ocorre como conseqüência dos deslizamentos das
  6. 6. rodas sobre os sólidos existe uns rapadores que fazem com que os sólidos sejam arrastados para baixo, pois existe uma abertura no fundo do recipiente que no final de cada ciclo seja descarregado, esse tipo de misturador é bom para bons para sólidos duros e pastas, e especialmente eficazes para recobrir uniformemente partículas de sólidos granulares com uma pequena camada de liquido. Ex: é especialmente projetado para misturar areia tendo uma demanda muito grande em empresas que fundem materiais (fundições). Requisitada para rigidez, vibração mínima e alta produção, em contraste com o menor consumo de energia. É aplicado em produtos: farmacêutico, Minerais (mica em pó Mistura), rapé, baterias, Solda fluxo, abrasivos, sabonetes, massa de vidraceiro, tintas. Pugmills - Fer A mistura é realizada por meio de pás dispostas helicoidalmente sobre um eixo horizontal que gira em um recipiente aberto ou em um cilindro fechado. Os sólidos entram continuamente por um extremo da câmara extremidade da câmara de mistura e saem pelo outro. Enquanto na câmara, os sólidos são triturados, misturados e deslocados para frente para ser processado por cada uma das lâminas. Dois eixos são usados quando você precisa de uma mistura mais rápida. As batedoras misturam e homogeneízam as misturas de argila, misturam líquidos com sólidos , sólidos plásticos, para formar suspensões. Com camisas para aquecimento e resfriamento da massa. Ex: Aplicações industriais são em cerâmica, tijolos, cimento e algumas partes do concreto e os processos de mistura de asfalto. ------------------------------------------------------------ Ribbon Bleders - Misturadores da fita. - Cris É conhecido como misturador de cintas. É formado por um canal horizontal com um eixo central e um agitador de cintas helicoidais. Estas cinas helicoidais são montadas de tal forma que as mesmas atuam em direções contraria sobre um único eixo ou seja, uma move-se lentamente o produto em uma diração e a outra move-se rapidamente o produto em diração contrária. A mistura do produto é feita por "turbulência", que é produzida pelas cintas agitadoras que trabalham em sentido contrário uma da outra levando e trazendo o produto, num movimento de vai e vem da mistura. Este tipo de misturador, pode funcionar de forma contínua isto é, o produto a ser misturado é introduzido no misturador e efetua-se a sua mistura até queo mesmo esteja completamente homogeneizado. Este misturadores de cintas são eficazes para mistura de produtos pastosos de densidade elevada e, produtos aliment[icios em pó (refrescos pó, achocolatado, chocolate, gelatinas, etc.). Algumas unidades descontínuas são muito grandes, sendo capaz decarregar a 30.000 litros de material. Ex: Raçao animal, Pre misturas de confeitos, Farmacos, Pigmentos, Mistura para bolos, Fertilizantes, Pós plásticos, retardantes de fogo, cereais matinais instantâneos, temperos, Suplementos, Pós de suco, talco, alimentos desidratados. Internal screw mixer - Fer Grãos e outros sólidos que fluem livres são geralmente misturados num tanque vertical, com um transportador helicoidal que sobe e transporta o material. O movimento de dupla hélice se move em torno do eixo central de um recipiente cônico, que cobre todas as partes do misturador, a mistura é mais lenta quando comparado a outros, mas o consumo de energia é menor. MISTURADOR E AGITADOR DE ROSCA Sao misturadores que sao colocados em recipientes cilindricos ou semicilindricos. Podem ser instalados no centro do tanque ou deslocado. Possuem um ou mais elemento giratorio de mistura, conhecido como rosca sem fim. Geralmente e utilizado para produtos como molhos condimentado, de densidade nao muita elevada. A rosca empurra o produto para cima e quando atingem o topo da rosca, sao lancados para o centro do tanque que retornam para o fundo do recipiente, reiniciando o processo de mistura novamente. Ex: São usados para processar adesivos, produtos químicos, cosméticos, tintas e revestimentos e produtos farmacêuticos. Também utilizados para aplicações de tratamento de água e de águas residuais, incluindo a mistura de carbono e pasta fluida lama de cal.
  7. 7. Pneumático (ignora a marca na explicação) - Jéss Misturadores Rotativos Tumbling mixer - Alana Como o próprio nome diz, funciona girando e misturando o alimento. As formas dos misturadores rotativos, são variados ou seja: Duplo Cone, em forma de Y e V, como pode ser observado nas figuras a seguir: Misturadores em "Y" e "V" Estes tipos de misturadores, consiste de dois cilíndros colocados em um angulo que forma a letra "Y" ou "V". Proporciona uma mistura não simétrica ao redor do seu eixo proporcionando uma ação de mistura muito efetiva para uma boa variedade de produtos. Tanto misturadores duplo cone, e em forma de Y ou V, são bastantes utilizados nas industrias farmacêutica e na produção de alimentos em pó como gelatinas, resfrescos em pó, flans, etc. Ex: Bom para a mistura do produto a granel nas indústrias química, farmacêutica e outros aliados. Secam a mistura livre de pó, grânulos de fluxo que exigem força de cisalhamento baixa, leite em pó, café, cerâmica, pós, pigmentos, pesticidas e herbicidas, alimentos para animais, fertilizantes, alimentos para bebês cosméticos, polietileno. Duplo Cone, tambor rotativo e BIN
  8. 8. Este tipo de misturador corresponde a dois cones unidos por uma pequena seção cilindrica. Este equipamento tende a superar a pequena ação de mistura na horizontal que o tambor rotativo oferece. Com a rotação do mesmo, acontece uma boa ação de rolagem TOMBAMENTO dos sólidos e devido à variação da seção transversal do tanque obtém-se um bom fluxo transversal. Podemos observar na figura o movimento executado pelo mesmo. É adequado para a mistura do pó e dos materiais de estado de grão nas indústrias farmacêuticas, alimentar, química material de construção e outras indústrias. Impact wheels - Alana Pós leves como inseticidas, podem ser misturados, espalhando-os em finas camadas e submetendo-as a força de centifrugação. O pré mix é alimentado no disco central de alta velocidade que joga ele para a parte estacionária. Esse cisalhamento intenso faz com que as moléculas viajem pelo recipiente todo batendo nas paredes e misturando umas com as outras. As rotações vão de 1750-3500 rpm e pode misturar de 1-25 ton/h. Ex: É amplamente utilizado no processo de britagem de pedra em áreas como construção de rodovias, conservação de água e construção. Pode esmagar os materiais, tais como pedra calcária, granito, basalto. Fer- O moinho de bolas é usado para moer diversos tipos de minérios e materiais, assim como para selecionar minérios. Permite duas formas de moagem: processo seco e processo úmido. O moinho de bolas pode ser de tipo tabular ou de tipo fluido dependendo da forma em que o material é descarregado, e tem aplicações nas indústrias de materiais de construção, química, etc. Moinho de bolas é uma ferramenta eficiente para moer muitos materiais em pó fino. Os materiais entram em espiral e de forma uniforme na primeira sala de armazenagem através do eixo oco de introdução de material. Nessa sala há um quadro de escalas que tem instaladas diferentes especificações de bolas de metal. Quando o corpo de barril rota e produz força centrífuga, as bolas são elevadas e descem para moer o material. Após essa primeira britagem grossa, o material entra na segunda sala de armazenagem para uma nova moagem. No fim do processo, o produto final é descarregado pelo sistema de saída. Cris- Moendas viabilizar projetos para o setor de açúcar e álcool (cana). Cada conjunto de rolos de moenda, montados numa estrutura denominada "castelo", constitui um terno de moenda. O número de ternos utilizados no processo de moagem varia de quatro a sete e cada um deles é formado por três rolos principais denominados: rolo de entrada, rolo superior e rolo de saída. Normalmente, as moendas contam com um quarto rolo, denominado rolo de pressão, que melhora a eficiência de alimentação e a de extração. · Excepcional rendimento de extração; · Elevada capacidade de moagem; · Baixo custo de manutenção; e, conseqüentemente, otimização na relação custo-beneficio de investimento. Mistura seca - Carol É importante respeitar o tempo de mistura seca, pois é neste tempo que irá ocorrer a uniformização dos micro-ingredientes na mistura total, e se os líquidos forem adicionados antes deste tempo, as características de fluidez diminuem com os líquidos e existe o risco de se formar grumos nos micro-ingredientes e estes não se uniformizarem adequadamente na mistura. Misturadores com relação comprimento : largura próximos a 1, terão tempo de mistura mais curto. Carol Grau de enchimento: o misturador mistura volume e não peso. A capacidade em peso é definida pelo volume e potência (kW) do misturador. Quanto maior a RPM e maior a % de massa viscosa maior será a potência exigida.(lógico) O misturador de pá permite um grau de enchimento de 10% a 100%. O misturador de helicóide permite grau de enchimento de 50% a 100%. Em misturador de helicóides uma porção de 15
  9. 9. cm do helicóide deve passar a superfície da massa sólida.O volume de trabalho deve ser aquele recomendado pelo fabricante e/ou via teste de uniformidade. Carol Mistura de Sol x Liq Materiais sólidos não geram misturas “perfeitas” o que é possível com líquidos Não há fluxo, corrente de material, visível Ë baseado em difusão, convecção e cisalhamento E tudo isso depense do tipo de misturador e características do sólido Carol Fatores que afetam a escolha do equipamento  Homogeneidade da mistura; segrega ou não? Vc precisa de uma mistura bem misturada estritamente ou pode ser aleatória.  Ingredientes e condições de operação; propriedades do sólido, proporções possíveis.  Tempo de residência; Vazão - contínuo  Carga e descarga do sólido; crítico no contínuo  Requerimento em energia; velocidade baixa – se variar velocidade deve considerar  Limpeza do equipamento; áreas difíceis de limpar n podem estar em contato c/ alimento  Capacidade do equipamento; Mto grande pra pouco sólido não mistura, comprar de acordo cm a necessidade  Design e espaço ocupado;  Material de que é feito e; Leis – metal não reativo, superfície lisa, inerte aço inoxidavel  Equipamentos auxiliares. Maquinas automáticas possuem melhor controle, mas todas as pás, fitas, rolos devem ser escolhidos com cuidado, material, desempenho etc. Carol CALCULOS... Planta piloto: Pilot tests are relevant in the final decision of selection or design of a specific mixing process. In general, the larger the pilot unit, the more reliable the prediction of large- scale performance. Differences in materials of construction between the pilot and the production unit should be considered.

×