Serviço social e alcoolismo

4.617 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.617
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Serviço social e alcoolismo

  1. 1. SERVIÇO SOCIAL E ALCOOLISMO PROJETO DE ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE ESTUDOS, PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO DO ALCOOLISMO [CEPRAL]
  2. 2. Intervenção do Serviço Social• Instituição: organizar e otimizar a assistência prestada ao paciente alcoolista, abrangendo desde o atendimento direto e resolução das dificuldades que prejudiquem a aderência ao tratamento, até a formação e aperfeiçoamento dos profissionais envolvidos e incentivo ao estudo e pesquisa teórico-prática, criando assim um referencial no tratamento do alcoolismo;• Indivíduo e sua família: contribuir para o crescimento e desenvolvimento pessoal do alcoólatra;• Sociedade: contribuir para a mudança de mentalidade e atitudes da sociedade em relação ao alcoolismo, introduzindo uma nova leitura da doença e que possibilite sua inserção no contexto mais amplo.
  3. 3. Objetivos• Assistência: promover a saúde integral do paciente alcoolista identificando, diagnosticando e intervindo no problema do alcoolismo, reassegurando as possibilidades de sua reintegração na família e na sociedade para a efetivação do exercício de sua cidadania;• Pesquisa: promover estudos e pesquisas sobre as causas psicossociais do paciente e sua família que contribuem para incidência do doente alcoolista, assim com a problemática que contribui para sua reincidência;• Ensino: promover atividades de estágio curricular para alunos de Serviço Social;• Extenção: promover e colaborar com projetos próprios ou interinstitucionais de tratamento e prevenção do alcoolismo, como também promover a interação com grupos de mútua ajuda entre outros o AA.
  4. 4. Metodologia de Ação• A nível institucional e com a equipe multidisciplinar- Estabelecer e organizar com a equipe as rotinas e fluxos de atendimento ao paciente desde a marcação de consultas e exames preliminares como também a sua movimentação nos diversos momentos e pelos diversos profissionais no decorrer do tratamento.- Organizar um sistema de suporte institucional, para atender às necessidades do tratamento que a Instituição não disponha;- Planejar e participar de atividades de pesquisa e intervenção em propostas de trabalho integrado na equipe multidisciplinar;
  5. 5. • No atendimento ao usuário1. Entrevista inicial com o paciente e família:- Para estabelecer um primeiro contato;- Investigar através da história de vida os fatores sócio-econômico-familiares, visando a indicação do atendimento adequado ao caso;- Ressaltar conjuntamente com o paciente as suas potencialidades no sentido de apreciação realista de sua aderência/continuidade do tratamento, assim como de suas capacidades e seus limites;
  6. 6. 2. Pesquisa inicial sobre o perfil da população usuário: Com base nos dados obtidos nesta entrevista inicial, a situação- problema diagnosticada será categorizada segundo os seguintes critérios: - sinais e sintomas físicos e psíquicos, - desajustamentos: familiares/financeiros/funcionais (no trabalho).3. Estudo de caso pela equipe multidisciplinar: Através de reuniões da equipe será proposto um estudo do caso do paciente com a apresentação dos pareceres dos diversos profissionais com o objetivo de, conjuntamente, planejar o tratamento adequado de acordo com as suas especificidades e indicando o acompanhamento pelo profissional inadequado ou em trabalho integrado pela equipe.
  7. 7. 4. Acompanhamento social: O atendimento será realizado a nível ambulatorial, domiciliar e/ou de internação hospitalar, de forma individual ou em grupo, com o objetivo de investir na qualidade de vida dos pacientes alcoólatras pela superação de limites produzidos pela doença (físicos, psicológicos e sociais) garantindo sua dignidades. A estratégia a ser adotada consistirá em discutir com pacientes e familiares sobre seu cotidiano, as barreiras físicas, psicológicas, econômicas e sociais, numa perspectiva de construção de alternativas que lhes garantam manter-se no convívio social.

×