Paul Gauguin
Biografia   <ul><li>Paul Gauguin nasceu em Paris, mas viveu os seus primeiros sete anos da sua vida em lima, no peru.  </l...
<ul><li>Em 1855 estudou em Orléans e com 17 anos ingressou na marinha mercante. Depois disso trabalhou numa corretora de v...
<ul><li>Após a quebra da bolsa de Paris, Gauguin decidiu dedicar-se totalmente á pintura. </li></ul><ul><li>Foi iniciado n...
<ul><li>Ao contrário de muitos pintores, Paul Gauguin não se incorporou no movimento impressionista da época e teve contac...
<ul><li>Gauguin não teve uma vida muito facilitada, tendo atravessado dificuldades económicas, problemas conjugais, privaç...
A sua arte reflecte <ul><li>Influências das estampas japonesas e da arte medieval do vitral e na simplificação/sintetizaçã...
A sua pintura caracteriza-se   <ul><li>Por temas retirados da Natureza, mas uma natureza diferente, uma “natureza” orquest...
<ul><li>Gauguin aconselhava aos outros pintores   </li></ul><ul><li>“ se vir uma árvore verde, pinte-a tão verde quanto po...
<ul><li>Com este discurso Gauguin pretendia dizer que a pintura não é uma cópia da realidade, mas sim a sua transposição m...
Obras <ul><li>De onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? </li></ul><ul><li>1897, óleo sobre tela, 139 x 374 cm Museu de ...
<ul><li>Uma tela de 4 metros, pintada num mês. Gauguin pintou este quadro, um dos mais famosos de toda a sua obra, no temp...
<ul><li>Esta obra retrata a imagem da vida humana, que vai do nascimento á morte.  </li></ul>
<ul><li>Da direita para a esquerda, á direita, está um casal tratado com tons vermelhos diluídos </li></ul>
<ul><li>á esquerda, está um deus pagão, um ícone, de cor clara </li></ul>
<ul><li>no fundo, está uma natureza rebuscada, antinaturalista.   </li></ul>
<ul><li>É uma obra carregada de símbolos, homem, animal, totem e natureza, tudo nesta obra se conjuga, para chamar a atenç...
<ul><li>O Cristo Amarelo 1889, óleo sobre tela, 92 x 73 cm </li></ul>
<ul><li>É outra obra do ciclo bretão. O Cristo aparece em visão ás pastoras bretãs, a simplificação esquemática da forma e...
<ul><li>Gauguin auto-retrato com Auréola, 1889, óleo sobre madeira, 79,2 x 51,3 cm </li></ul>
Obras no tempo que esteve no Taiti
 
 
 
 
 
 
A arte simbolista   <ul><li>Aparece como reacção contra o percurso representativo e objectivo da arte vigente, o Naturalis...
<ul><li>A pintura simbolista baseou-se em estados emocionais e anímicos, nas angústias, nos sonhos e nas fantasias, separa...
<ul><li>Os conteúdos são históricos, literários, mitológicos, religiosos, filosóficos ou do quotidiano e eram usados como ...
Bibliografia <ul><li>http:// pt.wikipedia.org / wiki / Paul_Gauguin </li></ul><ul><li>Livro da Porto Editora, História da ...
Trabalho realizado por <ul><li>Jorge Filipe Bernardino Taveira </li></ul><ul><li>Nº 35 </li></ul><ul><li>11º G </li></ul>
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Paul Gauguin

13.166 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado pelo aluno Jorge Taveira do 11º G da Escola Secundária de Odivelas no ano lectivo 2008/2009

Publicada em: Educação
1 comentário
10 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.166
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paul Gauguin

  1. 1. Paul Gauguin
  2. 2. Biografia <ul><li>Paul Gauguin nasceu em Paris, mas viveu os seus primeiros sete anos da sua vida em lima, no peru. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Em 1855 estudou em Orléans e com 17 anos ingressou na marinha mercante. Depois disso trabalhou numa corretora de valores parisiense e, em 1873, casou-se com a dinamarquesa Mette Sophie Gad, e, teve cinco filhos frutos desse casamento. Aos 35 anos tomou a decisão mais importante da sua vida. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Após a quebra da bolsa de Paris, Gauguin decidiu dedicar-se totalmente á pintura. </li></ul><ul><li>Foi iniciado na pintura por Pissarro, originando assim uma vida de viagens e boémia da qual resultou uma produção artística, singular e determinante das vanguardas do século XX. Expôs pela primeira vez os seus quadros em 1876. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Ao contrário de muitos pintores, Paul Gauguin não se incorporou no movimento impressionista da época e teve contactos com Van Gogh e Paul Cézanne. Foi a procura da pureza original na vida e na arte que o levou, primeiramente até á aldeia de Pont-Aven, na Bretanha, onde trabalhou com uma comunidade de pintores aí instalada e onde desenvolveu uma pintura apelidada de “sintética” ou “sintetista”. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Gauguin não teve uma vida muito facilitada, tendo atravessado dificuldades económicas, problemas conjugais, privações e doenças. O seu casamento teve fim em Copenhaga. Gauguin foi o pintor da evasão, do exotismo e da recusa da vida moderna. Gauguin admirava e valorizava as formas da arte primitiva, ligada a modos de vida mais simples e ancestrais. Estabeleceu-se nas ilhas da Polinésia francesa no pacífico, até ao fim da sua vida. </li></ul>
  7. 7. A sua arte reflecte <ul><li>Influências das estampas japonesas e da arte medieval do vitral e na simplificação/sintetização das formas com linhas contornadas a negro (cloisonnisme) e preenchidas com cores planas, sem modelação </li></ul>
  8. 8. A sua pintura caracteriza-se <ul><li>Por temas retirados da Natureza, mas uma natureza diferente, uma “natureza” orquestrada pelo pintor, explorando o seu carácter alegórico, simbólico, idílico ou místico e sugestivo. Tem formas bidimensionais, estilizadas, sintéticas e estáticas, circundadas, contornadas pela linha a negro. As cores são antinaturalistas, simbólicas, alegóricas e exóticas. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Gauguin aconselhava aos outros pintores </li></ul><ul><li>“ se vir uma árvore verde, pinte-a tão verde quanto possível. Um quilómetro de verde é mais verde que meio quilómetro. Porque não exagerar na pintura, do mesmo modo que os poetas empregam metáforas? Curve mais um ombro se isso torna o corpo mais bonito. Faça-os mais brancos se assim fica melhor. Mova os galhos das árvores ainda que não sopre vento .” </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Com este discurso Gauguin pretendia dizer que a pintura não é uma cópia da realidade, mas sim a sua transposição mágica, imaginativa e alegórica. </li></ul><ul><li>Todas estas características fazem de Gauguin um pintor simbolista. A sua arte, reflecte mais do que apenas o aspecto exterior das coisas, serve para revelar o mundo do espírito, dos mitos e da magia </li></ul>
  11. 11. Obras <ul><li>De onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? </li></ul><ul><li>1897, óleo sobre tela, 139 x 374 cm Museu de Belas-Artes Boston </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Uma tela de 4 metros, pintada num mês. Gauguin pintou este quadro, um dos mais famosos de toda a sua obra, no tempo em que vivia no Taiti e logo após uma tentativa abortada de suicídio. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Esta obra retrata a imagem da vida humana, que vai do nascimento á morte. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Da direita para a esquerda, á direita, está um casal tratado com tons vermelhos diluídos </li></ul>
  15. 15. <ul><li>á esquerda, está um deus pagão, um ícone, de cor clara </li></ul>
  16. 16. <ul><li>no fundo, está uma natureza rebuscada, antinaturalista. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>É uma obra carregada de símbolos, homem, animal, totem e natureza, tudo nesta obra se conjuga, para chamar a atenção ás grandes questões que se colocam sobre o sentido da vida. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>O Cristo Amarelo 1889, óleo sobre tela, 92 x 73 cm </li></ul>
  19. 19. <ul><li>É outra obra do ciclo bretão. O Cristo aparece em visão ás pastoras bretãs, a simplificação esquemática da forma e a cor antinaturalista acentuam o simbolismo da representação. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Gauguin auto-retrato com Auréola, 1889, óleo sobre madeira, 79,2 x 51,3 cm </li></ul>
  21. 21. Obras no tempo que esteve no Taiti
  22. 28. A arte simbolista <ul><li>Aparece como reacção contra o percurso representativo e objectivo da arte vigente, o Naturalismo, o Realismo e o Impressionismo, dando importância, em oposição ao mundo subjectivo e interioridade alcançados pela perfeição da realidade visível. Neste sentido, o Simbolismo “repousa” as suas raízes próximas do misticismo romântico e nas concepções plásticas dos pré-rafaelistas. </li></ul>
  23. 29. <ul><li>A pintura simbolista baseou-se em estados emocionais e anímicos, nas angústias, nos sonhos e nas fantasias, separando definitivamente a arte da representação da Natureza. </li></ul>
  24. 30. <ul><li>Os conteúdos são históricos, literários, mitológicos, religiosos, filosóficos ou do quotidiano e eram usados como símbolos, como indícios incertos que o espectador devia descodificar, assim as formas, cores e linhas possuem significados próprios e não reproduzem a realidade natural, mas sim uma reprodução da realidade espiritual, devido a isso abandonaram a pintura de ar livre e praticaram uma arte infiel ao motivo que lhe deu origem. </li></ul>
  25. 31. Bibliografia <ul><li>http:// pt.wikipedia.org / wiki / Paul_Gauguin </li></ul><ul><li>Livro da Porto Editora, História da cultura das artes 2º ano, 2ª parte 12º páginas 116, 117 e 118 </li></ul>
  26. 32. Trabalho realizado por <ul><li>Jorge Filipe Bernardino Taveira </li></ul><ul><li>Nº 35 </li></ul><ul><li>11º G </li></ul>

×