Ecg 1.0

1.979 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.979
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ecg 1.0

  1. 1. CURSO DE ECG-HOSPITAL DA LAGOA-CARLOS DARCY ALVES BERSOT Módulo I - Introdução / O ECG normal Aula 1 - Histórico.  Aula 1 - Anatomia do Sistema de Condução. Aula 1 - Princípios sobre eletrofisiologia.   Aula 2 - Teoria do dipolo. Aula 2 - A Teoria Vetorial da ativação Atrial e Ventricular. Aula 2 - As derivações eletrocardiográficas. Aula 2 - A formação do traçado. Aula 2 - Determinação do eixo elétrico do QRS Aula 2 - Posição elétrica do coração. Aula 3 - Identificação do ritmo sinusal. Aula 3 - Determinação da freqüência cardíaca ao ECG. Aula 3 - A repolarização ventricular normal. Módulo II - Alterações do eletrocardiograma Aula 4 - Sobrecargas Atriais Aula 4 - Hipertrofia Ventricular Esquerda Aula 4 - Hipertrofia Ventricular Direita Aula 4 - Bloqueio de Ramo Direito Aula 4 - Bloqueio de Ramo Esquerdo Aula 4 - Bloqueios divisionais Aula 5 - Áreas de necrose Aula 5 - Alterações de repolarização Aula 5 - Identificação da Síndrome  Isquemica Miocárdica Aguda Aula 5 - Síndrome de Wolf Parkinson White e outras reentradas nodais Módulo III - Estudo das arritmias Aula 6 - Mecanismos de arritmias e definições Aula 6 - Bradicardias, Pausas Ritmos de escape Aula 6 - Bloqueio Atrio Ventricular Aula 6 - Extra-sístoles Aula 6 - Taquiarritmias Aula 6 - TSVP nodal AV Aula 6 - Fibrilação atrial Aula 6 - Flutter atrial Aula 6 - Diagnóstico de diferencial de taquiarritmias com complexo QRS alargado Aula 6 - Taquicardias Ventriculares, Fibrilação Ventricular, Torsade pointes Aula 6 - Marca-Passos Módulo IV Aula 7-Antiarritmicos I Aula 7- Antiarritmicos II Módulo IV Aula 8- Testes- 20 traçados.
  2. 2. DEFINIÇÃO A eletrocardiografia representa um método não invasivo de registrar a ativi- dade elétrica do coração na superfície do corpo
  3. 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS Apesar de ser um método que remonta desde o início do século XX, completando 100 anos; ainda representa um instrumento de investigação diagnóstica de rotina na prática médica e insubstituível em muitos aspectos, constituindo a base de outros meios de investigação mais aperfeiçoados ( teste ergométrico, Holter, ECG-AR, etc ) O Eletrocardiograma ( ECG ) é um método de investigação complementar que deve ser analisado sempre dentro de um contexto clínico amplo.
  4. 4. ASPECTOS HISTÓRICOS • Waller em 1889 usando um instrumento de pouca precisão e de possibilidades limitadas, o eletrômetro capilar de Lippmann, registrou as variações de potencial gerados pelo coração, na superfície do corpo.
  5. 5. ASPECTOS HISTÓRICOS • A eletrocardiografia tomou um impulso realmente importante com os trabalhos de Einthoven, que em 1903 aperfeiçoou o galvanômetro de corda e mais tarde apresentou um sistema de derivações.
  6. 6. ASPECTOS HISTÓRICOS • Em 1911 surge o primeiro aparelho de eletrocardiograma (Cambridge)
  7. 7. BASE 180 APICE 1-BASE-APICE 90 2-POSIÇÃO EM GRAUS 3-IMPORTANCIA DA POSIÇÃO E DIFERENÇA ENTRE OS BIOTIPOS E PATOLOGIAS
  8. 8. Terms action potential or "AP": stereotyped voltage change with time depolarize: make voltage more positive repolarize: make voltage more negative +60 mV Action potential from a heart cell depolarization repolarization 300 ms -80 mV
  9. 9. Channel-types voltage-gated channels: channels that open or close in response to changes in membrane potential. Central to the AP and conducted AP. ligand-gated channels: channels that open or close in response to a drug, neurohormone, etc. "background" channels: channels that are NOT voltage-gated and NOT ligand gated. Generally they are open. Important to set "resting" or "diastolic" potential. voltage-gated background
  10. 10. Nernst Potential for Ion "X" R="gas constant" T=temperature (o K) RT  [X ]o  + Z=valence EX = ln +   [X ]  F=Faraday ZF  i  ≈105 Coulomb/Mole 2.3RT  [X ]o + EX = log +   [X ]  ZF  i  For a positive monovalent ion EX = 60 mV . log ([X ] /[X ] )+ o + i if Ko were 1 mM and Ki were 100 mM then EK = -120 mV
  11. 11. GENESIS OF THE MEMBRANE POTENTIAL AND EQUATIONS TO REMEMBER!! ? EK = -60 LOG ([Ki]/[Ko]) = -94mv :>( ENa = -60 LOG ([Nai]/[Nao]) = +70mv PK (K+)o + PNa(Na+)o + PCl(Cl-)i Em = RT/F ln PK (K+)I + PNa(Na+)i + PCl(Cl-)o
  12. 12. THE RESTING MEMBRANE POTENTIAL OF THE CARDIAC CELL IN OUT K+ K+ 145mEq 4mEq Em= -60LogKi/Ko -90mv
  13. 13. EXTRA INTRA- CELL. CELL. Em Na+ 145Mm 15Mm 70mv Ca++ 3Mm 10-7 M 132mv K+ 5Mm 145Mm -100mv WHY NOT Na+ 0R Ca++ FOR THE CARDIAC CELL MEMBRANE POTENTIAL ?
  14. 14. -80mV
  15. 15. 0 mV Correntes de canais distólicas -85 mV Na+ Ca2+ Na+ Na+ Na+ Ca2+ Externo membrana ATP ATP Interno K+ Ca2+ K+ K , Cl + - Correntes de canais Bomba Troca
  16. 16. 1 2 0 mV 3 0 Correntes de canais distólicas 4 -85 mV Na+ Ca2+ Na+ Na+ Na+ Ca2+ Externo membrana ATP ATP Interno K+ Ca2+ K+ K , Cl + - Correntes de canais Bomba Troca
  17. 17. PA. resposta rápida PA. resposta lenta membrana (mV) 1 0 2 Potencial de 0 3 0 -50 3 4 4 -100 relativa da membrana 10.0 Na+ Permeabilidade Ca2+ Ca2+ K+ Na+ K + 1.0 0.1 0 0.15 0.30 Tempo (sec) 0 0.15 0.30
  18. 18. Nó SA Nó AV Atrio Nodo AV Purkinje Músculo ventricular P T QRS
  19. 19. Dependência do funcionamento do canal de sódio porcentagem do máximo 100 Controle Canais disponíveis, Droga - 120 - 100 - 80 - 60 mV Potencial de repouso da membrana

×