Foucault e Deleuze
SOCIEDADE DISCIPLINAR
E SOCIEDADE DE
CONTROLE
Modernidade - saberes e práticas
diciplinadoras:
•Medicina clínica:
•A Escola:
•O Poder Judiciário
•A Fábrica
Sociedades disciplinares
maneiras de produzir e os lugares da produção :
especialização e controle
• A medicina clínica passou a ter como foco o co...
Sociedades disciplinares
Pintura Nau dos Insensatos (Bosch)
Loucura na Idade Media
• A nau dos insensatos é uma alegoria persistente no imaginário. Aqui
aparece segundo a versão de B...
A Prisão
Sociedades disciplinares
Sociedade de controle
Mundo das marcas
Jaspion
Sociedade de controle
Vigiar e punir
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vigiar e punir

1.501 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
738
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
168
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vigiar e punir

  1. 1. Foucault e Deleuze SOCIEDADE DISCIPLINAR E SOCIEDADE DE CONTROLE
  2. 2. Modernidade - saberes e práticas diciplinadoras: •Medicina clínica: •A Escola: •O Poder Judiciário •A Fábrica
  3. 3. Sociedades disciplinares
  4. 4. maneiras de produzir e os lugares da produção : especialização e controle • A medicina clínica passou a ter como foco o corpo do doente e como objetivo trazer esse corpo “de volta ao normal”. Esse padrão de normalidade passou a ser um parâmetro para toda a sociedade e a medicina ganhou uma dimensão política de controle. • escola tem o poder de ensinar porque tem o poder de saber quais são os comportamentos desejáveis, quais são os conteúdos imprescindíveis e qual é a didática adequada. • instituições de justiça e punição, que encontra nas prisões seu espaço de realização. A reclusão por tempo determinado no presidio substituiu, na maior parte dos países do Ocidente, a morte punitiva. • As fábricas, por exemplo, reproduzem a estrutura da prisão, no sentido de que colocam os indivíduos, separados segundo suas diferentes funções, sob um rígido sistema de vigilância.
  5. 5. Sociedades disciplinares
  6. 6. Pintura Nau dos Insensatos (Bosch)
  7. 7. Loucura na Idade Media • A nau dos insensatos é uma alegoria persistente no imaginário. Aqui aparece segundo a versão de Bosch/ Hieronymus Bosch ('s- Hertogenbosch, c. 1450 — 9 de Agosto de 1516), um dos mais instigantes mestres da pintura. A insensatez como sinônimo de loucura, alienação, coisas que, no cenário medieval, eram associadas ao pecado e, por isso, demonizadas. O louco medieval não pertencia ainda à categoria dos doentes, mas integrava a sociedade como uma espécie de pária, muitas vezes profeta, outras vezes, possesso. Era preciso normalizá-lo, adequando-o à linha de conduta vigente. Não existe loucura, apenas loucos, e neste amplo quadro cabiam e cabem ainda as mais vastas concepções de desajuste, desde os extáticos, passando pelos mansos e indo até os furiosos. A loucura tem uma história, e ela não é, de modo algum, a história dos loucos. Loucos não tem voz. São fundo, não forma. Bodes expiatórios que carregam em suas sacolas todas as negações que afligem aos normais, purificando-os de suas culpas. Loucos e criminosos devidamente isolados, seja pelo hospício, pelo cárcere ou pela medicação silenciam a inconsciência de todos nós.
  8. 8. A Prisão
  9. 9. Sociedades disciplinares
  10. 10. Sociedade de controle
  11. 11. Mundo das marcas
  12. 12. Jaspion
  13. 13. Sociedade de controle

×