Teoria sócio cognitiva e cibercultura

223 visualizações

Publicada em

Teoria sócio cognitiva e cibercultura

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria sócio cognitiva e cibercultura

  1. 1. TEORIA SÓCIO-COGNITIVA E CIBERCULTURA CAMILA FERNANDES
  2. 2. TEORIA SÓCIO-COGNITIVA  Postas as condições culturais e sociais da aprendizagem, visando o desenvolvimento da sociabilidade por meio de processos socioculturais.
  3. 3.  A questão importante da escola é a organização de um ambiente educativo de solidariedade, relações comunicativas, com base nas experiências cotidianas, nas manifestações da cultura popular.
  4. 4.  Criar situações pedagógicas interativas para propiciar uma formação democrática e inclusiva, vale dizer, uma “vivência” democrática, portanto, com características mais informais em que se valorizam mais experiências socioculturais do que o currículo formal. (Bertrand, 1991)
  5. 5. CIBERCULTURA Cultura contemporânea estruturada pelo uso das tecnologias digitais em rede nas esferas do ciberespaço e das cidades.
  6. 6. ESFERAS DO CIBERESPAÇO  Espaços, tempos cotidianos de ensino aprendizagem, que preferimos nomear de redes educativas ou espaços multirreferenciais de aprendizagem.
  7. 7. * REDES EDUCATIVAS  Redes educativas são espaços tempos que se instituem em múltiplos contextos, nos quais vamos tecendo o conhecimento (Alves, 2010).
  8. 8. * ESPAÇOS MULTIRREFERENCIAIS  Os espaços multirreferenciais de aprendizagem são aqueles que contemplam e articulam diversos espaços, tempos, linguagens, tecnologias para além dos espaços legitimados pela tradição da ciência moderna.
  9. 9. CONCLUSÃO  Relacionar a teoria sócio-cognitiva com a cibercultura é bem caracterizado quando o autor menciona Bertrand, “criar situações pedagógicas interativas para propiciar uma formação democrática e inclusiva, (...) com características mais informais em que se valorizam mais experiências socioculturais do que o currículo formal. (Bertrand, 1991)”
  10. 10.  O aspecto de interatividade com experiências socioculturais relaciona bem a cibercultura, voltada ao espaço multirreferenciais, envolvendo situações cotidianas e tecnológicas, tão presentes ao dia-a-dia das pessoas.
  11. 11. Valorizar a vivência do educando, o mundo que está inserido é importante no intuito de obter aprendizado sem formalidade, associado ao seu cotidiano.
  12. 12. REFERÊNCIA: SANTOS, Edméa. A cibercultura e educação em tempos de mobilidade e redes sociais: Conversando com os cotidianos. Proped/ UERJ. Disponível em: <http://ntem2014.lanteuff.org/pluginfile.php/4117/mo d_resource/content/3/Cibercultura.pdf> Acesso: Agosto 2014 LIBÂNEO, José Carlos. As teorias pedagógicas modernas resiginificadas pelo debate contemporâneo na educação. Disponível em: <http://ntem2014.lanteuff.org/pluginfile.php/4007/mo d_resource/content/4/teoria_debatecontempo.pdf> Acesso: Agosto 2014

×