Save enviroment

142 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Save enviroment

  1. 1. SAVE ENVIROMENT
  2. 2. Cuidados com o seu ambiente O Brasil é o país de maior biodiversidade da Terra. Para conservar a riqueza de recursos naturais sem prejuízo do desenvolvimento social e econômico do país, os cidadãos podem adotar diversas práticas. Água - Ao lavar o rosto seja breve, pois em apenas 1 minuto de torneira meio aberta são gastos 2,5 litros de água. - Evite tomar banhos demorados. Em 15 minutos são consumidos 135 litros de água. Apenas 5 minutos são suficientes para higienizar o corpo. Além disso, você economiza mais se fechar a torneira enquanto seensaboa ou usa o xampu. - A água usada no banho ou na lavagem de roupas pode ser reaproveitada, por exemplo, na hora de lavar o chão de casa. Utilize um balde ou uma bacia para armazená-la. - Feche a torneira ao escovar os dentes ou se barbear, abrindo-a apenas na hora de enxaguar. Isso gera uma economia de mais de 10 litros de água. - Privada não é lixo. Não use o vaso sanitário como lixo ou cinzeiro e evite dar descarga sem necessidade. Fique de olho se a válvula da descarga não está com defeito, pois isso significa muitas vezes desperdício de água. - Não lave uma peça de roupa por vez. Espere juntar bastante roupa para utilizar a máquina cheia. No tanque, deixe as roupas de molho e use essa água para esfregar e ensaboar, consumindo água nova somente para enxaguar. - Ao lavar louça, limpe a sujeira apenas com esponja e sabão, deixando para usar a água somente na hora de enxaguar. Se for utilizar máquina, ligue-a somente quando estiver cheia. - Ao regar as plantas, utilize um regador em vez de uma mangueira. Se demorar 10 minutos para molhar as plantas com mangueira, você gastará mais de 180 litros de água. - A calçada não precisa de água. Utilize uma vassoura para limpá-la. O uso de mangueira desperdiça mais de 270 litros de água em 15 minutos. - Também não utilize mangueira para lavar o carro, mas apenas um balde e um pano, pois o consumo nesse caso é de 40 litros (em 30 minutos com mangueira seriam desperdiçados mais de 200 litros).
  3. 3.  Alimentos - Dê preferência às comidas típicas e aos ingredientes de sua região. Consuma verduras, legumes e frutas da estação, que, além de mais saborosos, têm preços mais baixos. Dessa forma, estará ajudando a reduzir os custos de transporte, a emissão de poluição e as perdas causadas pela manipulação dos alimentos. - Evite o desperdício de alimentos ao preparar a comida. Talos, folhas, sementes e cascas têm grande valor nutritivo e possibilitam variações no cardápio. Desperdiçar comida significa também jogar água fora, já que cerca de 70% da água disponível é usada na irrigação da lavoura. Reciclagem - Evite mercadorias com muitas embalagens. Prefira os produtos não embalados, como alimentos frescos, e compre quantidades adequadas para o número de pessoas que vão consumir. Não compre embalagens descartáveis de bebidas quando houver a possibilidade de comprá-las em embalagens retornáveis. - Compre produtos ambientalmente corretos. Dê preferência àqueles que são concebidos com base no ecodesign, que considera os impactos ambientais em todos os estágios do desenvolvimento do produto, como planejamento, produção, embalagem, distribuição, descarte etc. - Separe corretamente o lixo para reciclagem. O consumidor pode separar materiais recicláveis e encaminhá-los a postos de coleta seletiva para que o lixo tenha uma nova utilidade. - Procure usar os dois lados do papel, produto que exige grande quantidade de água e de energia para ser produzido. Antes de imprimir um documento, revise-o com cuidado. Reutilize envelopes, mas dê preferência ao e-mail. Separe e recicle todo o papel utilizado. - Em vez de jogar fora materiais como roupas, livros, móveis e brinquedos, doe esses itens a entidades beneficentes, brechós e sebos ou a conhecidos. - Leve sua própria sacola ao fazer as compras. Se não for possível, aproveite bem o espaço do saco plástico e use o menor número de unidades possível. Energia - A geladeira é um dos grandes consumidores de energia elétrica em uma casa, pois fica ligada o tempo todo. Para economizar o máximo de energia, instale a geladeira e o freezer em local ventilado e longe do fogão. Verifique sempre se as portas estão bem vedadas. Nunca forre as prateleiras da geladeira com plásticos ou vidro, pois eles dificultam a passagem do ar e provocam aumento no consumo de energia. Procure não abarrotar as prateleiras, deixando espaço entre os alimentos para facilitar a circulação do ar. - Não use o ferro elétrico nos horários em que muitos outros aparelhos estejam ligados, pois ele sobrecarrega a rede elétrica. Passe primeiro as roupas delicadas, que precisam de menos calor. No final, depois de desligar o ferro, aproveite ainda o seu calor para passar algumas roupas leves. - Evite as lâmpadas incandescentes na iluminação de sua casa. Elas custam menos, mas são menos eficientes. Uma lâmpada fluorescente compacta de 20 W ilumina mais do que uma incandescente de 60 W e pode durar até dez vezes mais. Não pinte as paredes internas de sua casa com cores escuras, pois elas exigem lâmpadas mais potentes. Evite acender lâmpadas durante o dia. Abra a janela e aproveite ao máximo a luz do dia. Lembre-se sempre de apagar as luzes dos ambientes em que não há ninguém, pois esse é um gasto totalmente desnecessário. - Use o ar-condicionado com moderação. Está entre os maiores consumidores de energia em uma residência, só perdendo para o aquecedor de água elétrico e para o fogão elétrico (equipamento pouco usado no Brasil). Feche janelas e cortinas do ambiente refrigerado, impedindo que o sol bata lá dentro, o que vai aumentar a temperatura interna. - Gaste menos combustível. A gasolina vem do petróleo, um recurso natural finito. Os automóveis são os grandes responsáveis pela poluição nas cidades, além de contribuírem com a emissão dos gases que causam o efeito estufa.
  4. 4. Efeito Estufa Do total de raios solares que atingem o planeta, quase 50% ficam retidos na atmosfera; o restante, que alcança a superfície terrestre, aquece e irradia calor. Esse processo é chamado de efeito estufa. Apesar de o efeito estufa ser figurado como algo ruim, é um evento natural que favorece a proliferação da vida no planeta Terra. O efeito estufa tem como finalidade impedir que a Terra esfrie demais, pois se a Terra tivesse a temperatura muito baixa, certamente não teríamos tantas variedades de vida. Contudo, recentemente, estudos realizados por pesquisadores e cientistas, principalmente no século XX, têm indicado que as ações antrópicas (ações do homem) têm agravado esse processo por meio de emissão de gases na atmosfera, especialmente o CO2. O dióxido de carbono (CO2) é produzido a partir da queima de combustíveis fósseis usados em veículos automotores movidos à gasolina e óleo diesel. Esse não é o único agente que contribui para emissão de gases, existem outros como as queimadas em florestas, pastagens e lavouras após a colheita. Com o intenso crescimento da emissão de gases e também de poeira que vão para a atmosfera, certamente a temperatura do ar terá um aumento de aproximadamente 2ºC em médio prazo. Caso não haja um retrocesso na emissão de gases, esse fenômeno ocasionará uma infinidade de modificações no espaço natural e, automaticamente, na vida do homem. Dentre muitas, as principais são: • Mudanças climáticas drásticas, onde lugares de temperaturas extremamente frias sofrem elevações e áreas úmidas enfrentam períodos de estiagem. Além disso, o fenômeno pode levar áreas cultiváveis e férteis a entrar em um processo de desertificação. • Aumento significativo na incidência de grandes tempestades, furacões ou tufões e tornados. • Perda de espécies da fauna e flora em distintos domínios naturais do planeta. • Contribuir para o derretimento das calotas de gelo localizadas nos polos e, consequentemente, provocar uma elevação global nos níveis dos oceanos. O tema "efeito estufa" é bem difundido nos mais variados meios de comunicação do mundo, além de revistas científicas e livros, no entanto a explicação é razoavelmente simples. Em razão de os gases se acumularem na atmosfera, a irradiação de calor da superfície fica retida na atmosfera e o calor não é lançado para o espaço; dessa forma, essa retenção provoca o efeito estufa artificial. Abaixo um esboço de como ocorre o efeito estufa natural e artificial ou provocado pelo homem.
  5. 5. Biodiesel O diesel, usado principalmente no transporte de carga, é o combustível que mais tem colaborado para as emissões pelos escapamentos de dióxido de carbono (CO2), o principal gás de efeito estufa, no Brasil. Em 2009, o diesel respondeu por 53% das emissões do transporte rodoviário do País, seguido pela gasolina, com 26%. O primeiro inventário nacional de emissões veiculares mostra que a grande participação desse derivado do petróleo nas emissões de gases que provocam o aquecimento global tende a se manter: em 2020, deve ser responsável por 49% das emissões de CO2. Para reverter essa situação, especialistas que participaram da elaboração do relatório afirmam que o País não pode apenas centrar sua preocupação em substituir a gasolina pelo álcool, com os carros flex fuel. "A troca é importante, mas não resolverá o problema", diz André Ferreira, diretor-presidente do Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema), que integrou o grupo de trabalho criado pelo governo para fazer o inventário. O álcool também emite gases-estufa, mas a cana-de-açúcar compensa parte importante dessas emissões ao absorver CO2. Aumentar O diesel tem outro problema no Brasil: possui alta concentração de enxofre, o que é bastante prejudicial para a saúde da população. Já deveria estar em uso desde 2009 no País um diesel de melhor qualidade e menos poluente, mas houve um adiamento da medida (mais informações nesta página). Segundo Ferreira, para reduzir as emissões é importante investir nos motores e em logística para melhorar a eficiência do transporte rodoviário de carga. Mas, principalmente, é preciso priorizar outros tipos de transporte, como o ferroviário. Nos EUA, no Canadá, na Austrália e na Rússia, por exemplo, o transporte ferroviário da carga tem uma participação muito maior do que no Brasil. Na Rússia, por exemplo, o transporte de mercadorias sobre trilhos atinge 81%, contra 8% do rodoviário. Já no Brasil, 58% das cargas circulam por rodovias, enquanto 25% por ferrovias. O inventário, ao identificar as responsabilidades pelas emissões, pode orientar o governo em suas políticas públicas. A secretária nacional de Mudanças Climáticas, Branca Americano, considera a realização do inventário "um grande avanço". Para ela, é preciso investir no biodiesel e repensar o transporte. "O Brasil se desenvolveu muito calcado no transporte rodoviário." Ainda não há uma definição sobre de quanto em quanto tempo a atualização do inventário poderá ser feita, mas ela diz que "não se pensa em parar por aqui". Expectativa. A frota do País (carros de passeio, caminhões, ônibus e motocicletas) passou de 9,3 milhões de veículos em 1980 para 38,2 milhões em 2009 - aumento de 310,7%. As emissões de CO2 do transporte rodoviário passaram de 65 milhões de toneladas para 167,1 milhões de toneladas (aumento de 156,6%). Em 2020, a expectativa é de que a frota chegue a 48,7 milhões de veículos e o setor de transporte rodoviário emita 267,5 milhões de toneladas de CO2. Por outro lado, é possível notar queda da emissão dos chamados "poluentes locais", como o monóxido de carbono (CO) e material particulado (MP), que pioram a qualidade do ar. Isso ocorreu por causa de decisões do Conama que exigiram inovações tecnológicas nos veículos e melhoria dos combustíveis. O lançamento para a atmosfera do MP - mistura de poeiras e fumaça - cresceu até 1997, quando foram emitidas 69 mil toneladas do poluente. Em 2009, elas corresponderam a menos da metade do observado naquele ano.
  6. 6. Biocombustíveis Os Biocombustíveis são combustíveis de origem biológica. São fabricados a partir de vegetais, tais como, milho, soja, cana-de-açúcar, mamona, canola, babaçu, cânhamo, entre outros. O lixo orgânico também pode ser usado para a fabricação de biocombustível. Os biocombustíveis podem ser usados em veículos (carros, caminhões, tratores) integralmente ou misturados com combustíveis fósseis. Aqui no Brasil, por exemplo, o diesel é misturado com biocombustível. Na gasolina também é adicionado o etanol. A vantagem do uso dos biocombustíveis é a redução significativa da emissão de gases poluentes. Também é vantajoso, pois é uma fonte de energia renovável ao contrário dos combustíveis fósseis (óleo diesel, gasolina querosene, carvão mineral). Por outro lado, a produção de biocombustíveis tem diminuído a produção de alimentos no mundo. Buscando lucros maiores, muitos agricultores preferem produzir milho, soja, canola e cana-de-açúcar para transformar em biocombustível. Os principais biocombustíveis são: etanol (produzido a partir da cana-de-açúcar e milho), biogás (produzido a partir da biomassa), bioetanol, bioéter, biodiesel, entre outros.
  7. 7. Aquecimento Global O aquecimento global é uma consequência das alterações climáticas ocorridas no planeta. Diversas pesquisas confirmam o aumento da temperatura média global. Conforme cientistas do Painel Intergovernamental em Mudança do Clima (IPCC), da Organização das Nações Unidas (ONU), o século XX foi o mais quente dos últimos cinco, com aumento de temperatura média entre 0,3°C e 0,6°C. Esse aumento pode parecer insignificante, mas é suficiente para modificar todo clima de uma região e afetar profundamente a biodiversidade, desencadeando vários desastres ambientais. Consequências do Aquecimento Global As causas do aquecimento global são muito pesquisadas. Existe uma parcela da comunidade científica que atribui esse fenômeno como um processo natural, afirmando que o planeta Terra está numa fase de transição natural, um processo longo e dinâmico, saindo da era glacial para a interglacial, sendo o aumento da temperatura consequência desse fenômeno. No entanto, as principais atribuições para o aquecimento global são relacionadas às atividades humanas, que intensificam o efeito de estufa através do aumento na queima de gases de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão mineral e gás natural. A queima dessas substâncias produz gases como o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4) e óxido nitroso (N2O), que retêm o calor proveniente das radiações solares, como se funcionassem como o vidro de uma estufa de plantas, esse processo causa o aumento da temperatura. Outros fatores que contribuem de forma significativa para as alterações climáticas são os desmatamentos e a constante impermeabilização do solo. Efeito de Estufa O degelo é outra consequência do aquecimento global, segundo especialistas, a região do oceano Ártico é a mais afetada. Nos últimos anos, a camada de gelo desse oceano tornou-se 40% mais fina e sua área sofreu redução de aproximadamente 15%. As principais cordilheiras do mundo também estão perdendo massa de gelo e neve. As geleiras dos Alpes recuaram cerca de 40%, e, conforme artigo da revista britânica Science, a capa de neve que cobre o monte Kilimanjaro, na Tanzânia, pode desaparecer nas próximas décadas. O Degelo provocado pelas Alterações Climáticas Em busca de alternativas para minimizar o aquecimento global, 162 países assinaram o Protocolo de Kyoto em 1997. Conforme o documento, as nações desenvolvidas comprometem-se a reduzir sua emissão de gases que provocam o efeito de estufa, em pelo menos 5% em relação aos níveis de 1990. Essa meta tem que ser cumprida entre os anos de 2008 e 2012. Porém, vários países não fizeram nenhum esforço para que a meta seja atingida, o principal é os Estados Unidos. Atualmente os principais emissores dos gases do efeito de estufa são respectivamente: China, Estados Unidos, Rússia, Índia, Brasil, Japão, Alemanha, Canadá, Reino Unido e Coreia do Sul.

×