O Brasil da idade média diante da Constituição federal de 1988 (iluminista)

558 visualizações

Publicada em

Série responsabiliza social no Estado Democrático de Direito, com o e-book Menores Infratores, como se defender.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
558
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Brasil da idade média diante da Constituição federal de 1988 (iluminista)

  1. 1. Trânsito Escola – educação e leis de trânsito O Brasil da Idade Média diante da Constituição Federal de 1988 (iluminista) Brasil Progresso – Pode parece algo estranho, e até sem fundamento, o título, mas ao decorrer das linhas e parágrafos o leitor poderá entender a essência do titulo, e até da Constituição. O texto se desenvolverá no artigo 3°, da Constituição Federal de 1988 (CF/1988), a atual. “Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. Antes de prosseguirmos vamos saber o que é: 1) República - “(...) república refere-se, regra geral, a um sistema de governo cujo poder emana do povo, ao invés de outra origem, como a hereditariedade ou o direito divino”. (Wikipédia); 2) Democracia – “Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual. Uma democracia pode existir num sistema presidencialista, parlamentarista, monárquico constitucional e republicano”. (Wikipédia). Como dizia Abraham Lincoln: “É o governo do povo, pelo povo e para povo”; 3) Sufrágio universal - direito de qualquer cidadão para eleger, ser eleito e participar do governo; 4) Soberania popular – pode ser direta, semidireta ou representativa. “E a doutrina pela qual o Estado é criado e sujeito à vontade das http://transitoescola.net Página 1
  2. 2. Trânsito Escola – educação e leis de trânsito pessoas, que são a fonte de todo o poder político. Está intimamente associada aos filósofos contratualistas, dentre eles Thomas Hobbes, John Locke, Jean-Jacques Rousseau, Voltaire e Barão de Montesquieu”. (Wikipédia) 5) Regime político – “Regime político, na ciência política, é o nome que se dá ao conjunto de instituições políticas por meio das quais um Estado se organiza de maneira a exercer o seu poder sobre a sociedade.” No Brasil, perante preceitos Constitucionais, o poder emana do povo (artigo 1°, parágrafo único), a soberania popular está relacionada à democracia, o povo pode exercer seus direitos diretamente, através do plebiscito, referendo e inciativa popular (artigo 14,) ou indiretamente, através da capacidade eleitoral ativa (direito de votar). Mesmo que capacidade eleitoral passiva (direito de ser votado), o representante do povo, quando eleito, não pode se distanciar, negligenciar os desejos e vontades do povo. Chegamos à conclusão que o poder emana do povo, não de um soberano conforme num Estado Absolutista, Ditador, Déspota. Logo, o artigo 3°, da CF/1988, nos diz que tais objetivos são de fomento de todos os brasileiros, independentemente, de serem, ou não, agentes públicos, negros ou branco, rico ou pobre, gordo ou magro, alto ou baixo, possuindo deficiência física ou não, com escolaridade ou não, se morador de comunidade carente ou não, se advogado ou não, se publicitário ou não. Enfim, todos os brasileiros, natos ou naturalizados, não podem alegar que não são responsáveis pelos preceitos contidos no artigo 3° sob condição de torna o artigo inalcançável. Não se pode esquecer, jamais, que Montesquieu já preconizava que uma Democracia só existe, plenamente, quando há civilidade nos comportamentos de todos os cidadãos. Tais comportamentos, na atualidade brasileira, nos traz a reflexão sobre: 1) Comerciais e o que transmitem de valores a sociedade – os comerciais atuais levam o povo brasileiro a consumir exageradamente bebidas alcoólicas em contraposição às medidas de governo de frear as mortes no trânsito terrestre? Os comerciais supervalorizam o cidadão que possui carro de forma que possa fazer o que quiser, onde quiser? Valorizam a mulher de forma que http://transitoescola.net Página 2
  3. 3. Trânsito Escola – educação e leis de trânsito 2) 3) 4) 5) 6) 7) ela seja vista como fonte meramente de prazer sexual ao homem? Valorizam o ser humano pelo o que ele tem (status) o valorizam pelo relacionamento interpessoal empático? Denigrem a imagem das crianças, das prostitutas? Incentivos governamentais ao consumismo - de automotores particulares sem se importar com a poluição atmosférica, destruição da flora e da fauna – a mobilidade urbana tem um dos primordiais embasamentos a redução da poluição atmosférica e a redução de congestionamentos através de políticas governamentais de incentivos ao transporte público (metrô, trem, ônibus) e o transporte por bicicleta; Posturas e tratamentos entre vizinhos – são solidários ou trocam piadinhas sobre a condição econômica, o estilo da casa, a morfologia do outro vizinho? É muito comum a intromissão nas vidas alheias somente para saber o que o outro faz. Também são comuns os conselhos, mas não há a verdadeira empatia, que é “por a mão na massa”: idoso recebe orientação, mas ninguém o socorre quando carrega bolsas de compras pesadas, não há ninguém que o ajude a trocar uma lâmpada queimada, mas sabe reclamar que o governo é isto, aquilo; se a casa está em estado precário de conservação logo enchem o vizinho de “porco”, pessoa que desvaloriza o imóvel alheio, mas ninguém pergunta sobre sua condição monetária, se está desempregado etc. Posturas e tratamentos entre familiares – faça o que mando, não olhe o que faço. Ninguém tem as mesmas habilidades físicas, raciocínio rápido, noção espacial. O diálogo se diluiu entre os membros familiares, mas se perdem nas letras fias dos computadores, das horas em frente a uma televisão. Posturas e tratamentos diante dos deficientes físico e mental – ainda há pessoas que dizem que se é deficiente físico ou mental é “porque Deus condenou, já que foi ruim em outra vida”; A imoralidade e a ilegalidade administrativas dos servidores públicos e militares – mesmo condenados no maior escândalo e falcatrua desta República, parlamentar tomou posse e ainda se aposentarás com benefícios pecuniários irreais diante do poder aquisitivo dos aposentados do INSS, que lutam, diariamente, para poderem ter um mínimo, muito precário, de vida digna. É justo? Profissionais diversos e tratamentos aos seus clientes – o tratamento (pasmem) se diferencia pela roupa do cliente, pelo que tem na carteira, pelo grau de instrução. Há de se frisar que http://transitoescola.net Página 3
  4. 4. Trânsito Escola – educação e leis de trânsito profissionais acabam furtando aposentadorias, patrimônios de pessoas sem conhecimento de seus direitos; 8) Comportamentos dos usuários de vias terrestres entre direitos e deveres – muito se fala em direitos, e pouco em deveres. O tratamento é dado conforme o tipo de veículo (status), se está motorizado ou não, se o veículo é motorizado ou não. Há uma verdadeira guerra de ideologias que não são as contidas no artigo 3°; 9) Princípios da Administração Pública diante dos administrados, que são detentores de direitos humanos e garantias fundamentais da pessoa humana – os serviços públicos brasileiros são ineficientes, perigosos. Atrasos constantes nos horários dos transportes públicos, servidores públicos que usam “desacato” como forma de tolher cidadão (não serventuário) para não reclamar do servidor demorado enquanto se assiste YouTube no horário de expediente, do uso de força policial contra manifestantes que querem salários dignos, dignidade e qualidade de vida aos idosos, doentes, deficientes físicos etc. 10) A não ressocialização dos presidiários – trancar e deixar que se formem “universidade do crime”. 11) A improbidade administrativa – sim, destrói, mata, lesa. Não se vê corpo baleado, mas se veem corpos jogados nos pisos frios dos hospitais públicos, dos doentes que precisam de tratamento médico, mas não há contingente suficiente para o atendimento, as escolas e colégios, assim como as universidades públicas ficam em constantes greves por salários indecorosos dos professores. 12) Os crimes de colarinho branco que ficam impunes prescrevem ou diluir as condenações para se livrarem da condenação de regime prisional fechada, enquanto os que não são colarinhos se veem na esperança de serem ouvidos, defendidos em seus direitos (muitos injustiçadamente: além do tempo, erroneamente); 13) Dos subsídios de parlamentares acima do teto Constitucional – os altíssimos subsídios dos servidores públicos políticos em contraposição ao piso salarial nacional dos proletariados já nos demonstra que há absolutismo no Estado. O que dizer, então, sobre a inconstitucionalidade? 14) Do piso salarial nacional aos trabalhadores e a condição de não dar dignidade a uma vida preconizada pelos Direitos Humanos e pela própria Constituição (direitos sociais, artigo 6°) – bolsa família http://transitoescola.net Página 4
  5. 5. Trânsito Escola – educação e leis de trânsito é, sem dúvida, uma ajuda, mas não a solução. A geração de emprego, a profissionalização, sim, é importantíssima. O salário mínimo não atende às necessidades básicas sob condição de que o aumento poderá causar graves problemas na economia nacional. A justificativa seria plausível se os parlamentares não ganhassem subsídios altíssimos diante do padrão nacional de muitos brasileiros (salário mínimo). 15) Dos subsídios, mesmo respeitando o limite Constitucional (teto máximo remuneratório dos servidores públicos e militar) versus o piso salarial nacional dos proletariados; 16) As demissões como forma de manter o lucro exacerbado dos empresários – muitos empresários sabem da morosidade da justiça brasileira e das políticas que não dá condições reais de se manterem muito tempo nos empregos, logo os empresários, em litígios trabalhistas usam do “poder” que possuem (escritórios de advocacia) para protelarem ainda mais a justiça brasileira capenga; 17) Lobistas coordenando políticas públicas como formas de ganhos em detrimento do sofrimento do povo. 18) Documentos públicos – o hipossuficiente, em muitos casos, não consegue documentos pela burocracia reinante na Administração Pública. 19) Os realities shows – muitos exploram os instintos animais, as torpezas humanas em vez de buscarem soluções aos conflitos interpessoais. Aguçam a plateia, os telespectadores com frases de efeito para que todos exaltem discórdias, revoltas. 20) Indústrias alimentícias – muitas colocam produtos que sabem que são calorias vazias – sem nutrientes -, ou quando colocam ínfimas porcentagens. Os comerciais são as fontes de persuasões aos consumidores. Usam brinquedos para atraírem as crianças aos alimentos hipercalóricos. A obesidade é doença mundial, mas elas estão preocupadas com isto? Ou cada vez mais prevalece o sabor sobre os nutrientes naturais? E o que dizer dos conservantes, colorantes? Enfim, os brasileiros estão alcançando os preceitos contidos no artigo 3°? Reflita! http://transitoescola.net Página 5

×